Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Manganês  Voltar

Manganês

 

História

Manganês na forma do pyrolucite minério de preto (dióxido de manganês, MnO2) foi utilizado pelos pintores pré-históricos da caverna de Lascaux região da França cerca de 30.000 anos atrás.

Em tempos mais recentes o Manganês foi usado por fabricantes de vidro para remover o tom esverdeado pálido de vidro natural.

Em 1740, o tecnólogo de vidro Berlim Johann Heinrich Pott investigou quimicamente e mostrou que não continha ferro como foi assumido. Desde que ele era capaz de fazer permanganato de potássio (KMnO4), um dos agentes oxidantes mais fortes conhecidos.

Vários químicos em 1700 tentou sem sucesso para isolar o componente de metal em pyrolusite.

A primeira pessoa a fazer isso foi o químico sueco e mineralogista Johan Gottlieb Gahn em 1774.

No entanto, um estudante em Viena, Inácio Kaim, já descreveu como ele tinha produzido de metal manganês, em sua dissertação escrita em 1771.

Símbolo: Mn

Número atômico: 25
Massa atômica: 54,93805 amu
Ponto de fusão: 1245,0 ° C (K 1518,15, 2273,0 ° F)
Ponto de ebulição: 1962,0 ° C (2.235,15 K, 3563,6 ° F)
Número de prótons / Elétrons: 25
Número de nêutrons: 30
Cor:
prateado / cinzento.
Data da descoberta:
1774.
Usos:
aço, baterias, cerâmica.

Estrutura atômica

Manganês

Número de níveis de energia: 4

Primeiro Nível de energia: 2
Segundo Nível de Energia: 8
Terceiro Nível de energia: 13
Quarto Nível de energia: 2

Usos

O manganês (Mn), elemento químico, é demasiado frágil para ser de muito uso como um metal puro. É usado principalmente em ligas, como aço.

Aço contém cerca de 1% de manganês, para aumentar a força e também melhorar a trabalhabilidade e resistência ao desgaste.

Aço manganês contém cerca de 13% de manganês. Isto é extremamente forte e é usado para as vias férreas, cofres, canos das espingardas e barras de prisão.

Latas de bebidas são feitos de uma liga de alumínio com 1,5% de manganês, para melhorar a resistência à corrosão. Com o alumínio, antimônio e formar ligas de cobre altamente magnéticos.

O manganês é utilizado como um catalisador, um aditivo de borracha e para descolorir e de vidro de cor verde, que é por impurezas de ferro.

Sulfato de manganês é usado para fazer um fungicida.

Manganês óxido é um poderoso agente oxidante e é usado na análise quantitativa. É também usado para fazer fertilizantes e cerâmicas.

Papel biológico

O manganês é um elemento essencial em todos os organismos vivos conhecidos. Muitos tipos de enzimas contêm manganês. Por exemplo, a enzima responsável pela conversão de moléculas de água para oxigênio durante a fotossíntese contém quatro átomos de manganês.

Alguns solos têm baixos níveis de manganês e por isso é adicionado a alguns fertilizantes e dado como um suplemento alimentar para animais em pastoreio.

O corpo humano médio contém cerca de 12 miligramas de manganês. Levamos em cerca de 4 miligramas por dia a partir de alimentos como nozes, farelo, cereais integrais, chá e salsa. Sem ele, os ossos crescem spongier e quebrar mais facilmente. É também essencial para a utilização de vitamina B1.

Propriedades físicas

O manganês é um duro, brilhante, metal frágil aço cinza. É tão frágil, de fato, que não pode ser maquinada na sua forma pura. Refere-se a usinagem a dobragem, o corte, e moldar de um metal por meios mecânicos. O ponto de fusão é de manganês 1.245 ° C (2.273 ° F) e o seu ponto de ebulição é de cerca de 2.100 ° C (3.800 ° F). A sua densidade é de 7,47 gramas por centímetro cúbico.

Manganês existe em quatro formas alotrópicas. Alótropos são formas de um elemento com diferentes propriedades físicas e químicas. O elemento muda de uma forma para outra, como a temperatura sobe. A forma que existe desde a temperatura ambiente até cerca de 700 ° C (1300 ° F) é a forma mais comum.

Propriedades quimicas

O manganês é um metal moderadamente ativos. Combina-se lentamente com o oxigênio do ar para formar dióxido de manganês (MnO2). A temperaturas mais elevadas, reage mais rapidamente. Ela pode até mesmo queimar, emitindo uma luz branca brilhante. Manganês reage lentamente com água fria, mas mais rapidamente com água quente ou vapor. Dissolve-se na maioria dos ácidos com a liberação de gás hidrogênio. Também combina com flúor e cloreto de fazer difluoride manganês (MNF 2) e dicloreto de manganês (MnCl2).

Manganês - Organismo

Foi após a constatação que a insuficiência em manganês provocava uma diminuição no crescimento dos vegetais, o papel deste oligoelemento passou a ser estudado junto aos animais e ao homem.

Mas como os dados da literatura concernente à carência em manganês nos humanos são raros (salvo em casos acidentais durante uma nutrição artificial), somente se pode reportar às observações de laboratório em animais: podem-se descrever distúrbios tais como atrofia dos tendões, malformação dos ossículos do ouvido interno, anomalias da função reprodutora, retardamento do crescimento, distúrbios neurológicos e perturbações na coagulação do sangue.

Em todo o caso, sabe-se agora que a distribuição do manganês é grande nos tecidos e líquidos do organismo, notadamente onde a atividade dos mitocondrios (centro respiratório das células) é maior. Com efeito, o papel matabólico do manganês é considerável, pois ele ativa numerosas enzimas implicadas na síntese do tecido conjuntivo, na regulação da glucose, na proteção das células contra os radicais livres e nas atividades neuro-hormonais.

As necessidades diárias de manganês são mal conhecidas, mas seriam supostamente cobertas por uma alimentação diversificada. O que quer dizer que não podemos deixar de comer cereais, grãos e sobretudo nozes, que são muito ricas (17,07 mcg/g). Os legumes e as frutas contém pouco (1 a 2,5 mcg/g), a carne e os derivados do leite, praticamente nada (0,20 a 0,70 mcg/g). De outro lado, segundo certos autores, a concentração de manganês nos vegetais é ainda diminuída devido à redução de manganês no solo, causada pela erosão e exaustão por culturas intensivas.

Assim, uma suplementação em manganês é considerada por certos autores como indispensável, notadamente nos regimes privados de alimentos energéticos.

No rol dos benefícios imputados ao manganês podemos citar ação hipoglicemizante, ação sobre o metabolismo das gorduras, ação protetora das células hepáticas, um papel na biossíntese das proteínas e dos muco-polissacarídeos das cartilagens, assim como uma implicação no metabolismo dos neurotransmissores.

O manganês é considerado em oligoterapia como um carro-chefe: ele é básico no tratamento da diatese alérgica, igualmente presente na associação manganês-cobre que constitui o remédio da diatese. Este tratamento melhora sensivelmente as crianças ditas frágeis, perpetuamente resfriadas e fixando mal sua atenção. Ainda, o manganês encontra excelentes indicações no campo da artrose. Lembremos aqui que o manganês pode provocar reações passageiras e, pois, um agravamento dos sintomas alérgicos, daí a necessária prudência na sua administração e numa eventual associação com outros oligoelementos.

Pfeiffer, partidário da medicina ortomolecular (inventada por Linus Pauling, prêmio Nobel de biologia molecular), considerou o manganês (assim como o zinco) as vedetes dos oligoelementos. Seus trabalhos sublinham o interesse do manganês nas afecções articulares, na má tolerância à glucose, nos distúrbios neuropsíquicos (como a esquizofrenia ou as crises convulsivas), assim como nas dores do crescimento das crianças.

Uma tomada de manganês em doses altas se mostrou desprovida de toxidez, sendo o único problema encontrado, uma elevação da pressão arterial que se pode contrabalançar com o zinco (hipotensor), segundo Pfeiffer.

Fonte: www.rsc.org/www.chemistryexplained.com/www.chemicalelements.com/www.oligopharma.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal