Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Seabórgio  Voltar

Seabórgio

 

História

Em 1970, uma equipe liderada por Albert Ghiorso na californiano Lawrence Berkeley National Laboratory (LBNL) bombardeados califórnio com oxigênio e foi bem sucedido na produção de elemento 106, isótopo 263.

Em 1974, uma equipe liderada por Georgy Flerov e Yuri Oganessian no Conjunto russo Instituto de Pesquisa Nuclear (JINR) bombardeados com cromo e chumbo obtidas isótopos 259 e 260.

Em setembro de 1974, uma equipe liderada por Ghiorso em LBNL produzido isótopo 263, com uma meia-vida de 0,8 segundos, bombardeando o califórnio com o oxigênio.

Vários átomos de seaborgio já foram feitas por este método que produz um átomo seaborgio por hora.

O que é

Um elemento radioativo de vida curta que é produzido artificialmente.

Sua química se assemelha ao de tungstênio.

Seabórgio não é encontrado livre no meio ambiente, uma vez que é um elemento sintético.

O número atômico deste elemento é 106 eo símbolo do elemento é Sg.

O elemento foi nomeado em homenagem ao químico americano Glenn T.

Seaborg um físico nuclear americano e ganhador do Prêmio Nobel, que descobriu muitos dos elementos transuranianos.

Símbolo - Sg

Número atômico: 106
Massa atômica: (263,0) amu
Ponto de fusão: Desconhecido
Ponto de ebulição: Desconhecido
Número de prótons / Elétrons: 106
Número de nêutrons: 157
Classificação: Metais de Transição
Cristal Estrutura: Desconhecido
Densidade @ 293 K: Desconhecido
Cor: Desconhecido
Outros nomes: Unnilhexium (Unh), Rutherfordium (Fr), Seaborgium (GS).
Data da descoberta:
1974
Descobridor: Albert Ghiorso
Nome de Origem: Depois de Glenn T. Seaborg, que descobriu muitos dos elementos transuranianos.

O Seabórgio é um elemento do símbolo Sg, pertencente ao grupo 5 da tabela periódica.

É resultante do bombardeamento do 249 Cf (califórnio-249) no acelerador linear de partículas de Berkeley.

O nome “Seaborgium” (searbógio) é em honra ao prêmio Nobel e diretor do LBL, Glenn T. Seaborg, sendo o primeiro elemento químico, a receber o nome de uma pessoa viva.

O nome seabórgio, com  o símbolo químico Sg, foi anunciado na 207a Encontro Nacional da América Chemical Society, em San Diego.

11 isótopos de seabórgio são conhecidos, sendo o de mais longa vida o isótopo 269Sg , cujo modo de decaimento ocorre através de emissão alfa e fissão espontânea. Apresenta uma meia-vida de 22 segundos. O de vida mais curta é o isótopo 258Sg com decaimento alfa e fissão espontânea. A meia-vida deste isótopo é de apenas 2.9 milisegundos.

O seabórgio, cujo símbolo químico é Sg, é um elemento químico sólido a 25 ºC pertencente à classe dos metais de transição, metálico, preparado por síntese, de cor branco-prateada ou acinzentada, que se localiza no grupo 6 e período 7 da Tabela Periódica.

Este elemento possui número atómico 106 e massa atómica 263,118.

O seabórgio foi sintetizado independentemente por uma equipa de cientistas russos da Universidade de Dubna da Federação Russa, ex-URSS e por uma equipa de cientistas americanos da Universidade de Berkeley, na Califórnia.

Em 1974, o cientista russo G. N. Flerov produz sinteticamente o elemento 106 depois da realização de experiências na Universidade de Dubna envolvendo reações de bombardeamento entre isótopos altamente energéticos e iões crómio-54.

Em 1993, o cientista Albert Ghiorso e a sua equipa realizam experiências semelhantes às dos cientistas russos e confirmam a descoberta do seabórgio.

Este elemento teve o nome provisório de unnilhéxio (Unh) derivado dos termos grego e latino para 1-0-6, isto é, un-nil-hexium, sendo no entanto seabórgio o nome da IUPAC (International Union of Pure and Applied Chemistry).

Os elementos transactinídeos, como é o caso do seabórgio, podem ser preparados artificialmente usando aceleradores de partículas. Os isótopos do seabórgio são instáveis e possuem meias vidas muito curtas (menos de um segundo).

O seabórgio não se encontra presente na Natureza. Se este se encontrasse presente constituiria um risco devido à sua perigosa radiação. Nunca foi observada a formação de grandes quantidades de seabórgio, sendo este sintetizado em pequeníssimas quantidades. As primeiras amostras foram obtidas a partir de reações nucleares envolvendo a fusão de um isótopo de califórnio, o califórnio-249, com oxigénio-18.

Mais recentemente, outros isótopos foram produzidos no Instituto Paul Scherrer (PSI), na Suíça, usando átomos de néon para bombardear os isótopos de califórnio.

O seabórgio não apresenta aplicações práticas e desconhecem-se as suas reações com o ar, a água, os halogéneos, os ácidos e as bases.

Estrutura atômica

Seabórgio

Número de níveis de energia: 7

Primeiro Nível de energia: 2
Segundo Nível de Energia: 8
Terceiro Nível de Energia: 18
Quarto Nível de energia: 32
Quinto Nível de energia: 32
Sexta Energia Nível: 12
Sétimo Nível de energia: 2

Utilização

Este elemento não apresenta uso significativo ou representativo.

Usos

No momento, ele só é usado na pesquisa.

Um metal radioativo que não ocorre naturalmente.

Fonte: www.rsc.org/www.chemicalelements.com/www.elementalmatter.info

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal