Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Engenharia de Alimentos  Voltar

Engenharia de Alimentos

É uma profissão ainda nova no Brasil, porém em expansão, envolve a aplicação da ciência e da engenharia no processamento de alimentos, desde a obtenção das matérias primas, até a distribuição dos produtos alimentícios.

Numa época em que a industrialização de alimentos é irreversível, o Engenheiro de Alimentos tem seu lugar garantido no mundo moderno.

O que é Engenharia de Alimentos

É o processo através do qual o alimento, de origem animal ou vegetal, é levado até o consumidor. Envolve a coleta de matéria prima, transporte, industrialização, embalagem, armazenamento e venda. A pesquisa de corantes, conservantes e a criação do maquinário exigido em cada etapa são atribuições do profissional da área.

Porque a Engenharia de Alimentos?

Estamos vivenciando um período de grande luta pela redução do desperdício, do uso racional de técnicas de conservação, da redução da fome, da necessidade de produtos enriquecidos ou voltados para dietas específicas como é o caso dos produtos diets.

Engenharia de Alimentos oferece um mercado amplo de atuação, principalmente porque a globalização gerou o aumento do nível de exigência dos consumidores, pressionando as indústrias a direcionar esforços para a melhoria da qualidade de seus produtos visando maior competitividade.

O Engenheiro de Alimentos é o profissional imprescindível a estas indústrias.

O Engenheiro de Alimentos formado deverá ser capaz de atender as exigências técnico-científicas e operacionais das agroindústrias, atuando no sentido de selecionar e utilizar o melhor processo para transformação da matéria prima em produtos industrializados, bem como a conservação dos mesmos. Além disso, atua também como responsável pela produção industrial devido aos seus conhecimentos em processos tecnológicos e dos equipamentos envolvidos na industrialização de alimentos.

O Curso

O curso de Engenharia de Alimentos visa formar profissionais qualificados para atuar nas áreas científica, técnica, comercial e de extensão relacionadas à comercialização e industrialização de alimentos, com capacidade de acompanhar e contribuir para o constante avanço dessas áreas, minimizando custos de produção e incrementando a qualidade dos produtos alimentícios, considerando sempre as questões ambientais, sociais e ético-profissionais.

O estudante precisa gostar muito de biologia, matemática, física e química. A duração média é de cinco anos.

Entre as disciplinas: estatística, gerenciamento industrial, processamento de dados, microbiologia, citologia, agropecuária, química dos alimentos.

Disciplinas como cereais, frutas e legumes, bebidas podem encaminhar o futuro profissional para um setor específico da indústria.

Descrição

É a área da Engenharia que estuda e pesquisa as reservas da agricultura, pecuária e pesca, sempre com o objetivo de alcançar o melhor padrão alimentar. Através da análise as substâncias nutritivas dos alimentos faz o controle de qualidade d o produto. Cuida também dos métodos de reciclagem e de reaproveitamento dos alimentos de origem animal e vegetal. Supervisiona o manuseio , a colheita e o armazenamento dos produtos determinando formas de conservação antes e depois da industrialização dos mesmos.

A Profissão

Este profissional cuida de todas as etapas de preparo e conservação de alimentos de origem animal e vegetal. Ele seleciona a matéria-prima, como leite, carnes, peixes, legumes e frutas, define a melhor forma de armazenagem, acondicionamento e preservação dos produtos projetando equipamentos e embalagens. Cria e testa receitas de novos produtos alimentícios a fim de determinar seu valor nutricional, o sabor, a cor e a consistência dos alimentos e os tipos de conservantes usados para sua melhor preservação.

Características que ajudam na profissão

Atenção para detalhes, meticulosidade, exatidão, atualização, curiosidade, capacidade de análise, facilidade de lidar com números, interesse por pesquisas científicas.

O Profissional

O engenheiro de alimentos inventa novos produtos, elabora fórmulas, decide a melhor forma de transporte, embalagem e conservação. Ele também acompanha toda a produção, chegando até ao marketing do produto. Esse profissional aplica as mais modernas técnicas da engenharia às indústrias no processamento dos alimentos de origem vegetal ou animal; toda a comida industrializada passa pelas mãos desse profissional.

Em laboratórios, ele testa receitas, avaliando o seu valor nutricional, a sua consistência e aparência, testa embalagens que garantam a conservação dos produtos.

Perfil do Profissional

A profissão do Engenheiro de Alimentos requer raciocínio abstrato, aptidão numérica e verbal, sociabilidade e envolve conhecimentos nas áreas de ciências exatas, biológicas e química. Durante o processo de formação, o aluno conhece em profundidade os diferentes tipos de alimentos e suas respectivas composições, as reações de deterioração e características sensoriais, os diversos processos de conservação e seus aspectos, os tratamentos térmicos, envase e emprego de ingredientes e matérias-primas, assim como os equipamentos utilizados. Além disso, o aluno aprende também a elaborar projetos de indústrias de alimentos e linhas de processamento.

Campo de Atuação

O Engenheiro de Alimentos pode atuar em:

Indústrias de Produtos Alimentícios
Indústrias de Insumos para processos e produtos (equipamentos, embalagens, aditivos, matérias primas)
Empresas de Serviços
Órgãos e Instituições Públicas e Privadas

Consultorias e Projetos nas áreas de:

Produção industrial
Desenvolvimento e otimização de processos
Garantia de qualidade
Pesquisa e desenvolvimento de novos produtos
Projetos
Comercial / marketing
Fiscalização de alimentos e bebidas

Mercado de Trabalho

Atualmente o mercado de trabalho para o Engenheiro de Alimentos é muito amplo, em função da escassez de profissionais qualificados para atender a demanda do mercado, principalmente fora dos grandes centros.

O mercado de trabalho está em expansão, graças a abertura de novas empresas, principalmente no Norte e Nordeste do País. Ele está sendo bastante requisitado para o controle de qualidade para garantir a integridade da produção.

Compete ao Engenheiro de Alimentos atuar na produção, no controle e na otimização dos processos, objetivando aumentar a produtividade, qualidade, estabilidade e o valor nutritivo dos produtos; no armazenamento de produtos alimentícios; na higienização e no controle de qualidade na indústria, determinando padrões de qualidade envolvidos em todas as etapas dos processos, no planejamento e na implantação de sistemas e programas de controle de qualidade físico-químico, microbiológico e sensorial; na pesquisa e no desenvolvimento de novos processos e produtos; na redução de perdas e no aproveitamento de subprodutos; no planejamento, na execução e implantação de projetos de unidades de processamento; na implantação e no gerenciamento de sistemas de tratamento de resíduos de indústrias alimentícias; na manutenção preventiva de equipamentos; na fiscalização de alimentos e bebidas; e na consultoria e assistência técnica a empresas do ramo alimentício.

Áreas de atuação

O engenheiro alimentar seleciona a matéria-prima, como peixes, carnes, frutas, legumes, leite, entre outros, pesquisa o valor nutricional de cada um e técnicas de industrialização e conservação. Cria máquinas para o transporte, embalagem, estocagem e conservação. Estuda a reciclagem e o reaproveitamento dos alimentos. Presta assessoria para fábricas de microondas e refrigeradores.

Onde Pode Trabalhar

Magistério e Pesquisa.
Indústria e empresas do ramo de alimentos.
Órgãos de vigilância sanitária.
Restaurantes, hospitais, escolas.
Comércio e transporte de produtos alimentícios.

Lei

A profissão foi legalizada através da Lei 5194, de 24/12/1966.

As atribuições do Engenheiro de Alimentos foram definidas pelo Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CONFEA) através da Resolução no. 218 de 29 de junho de 1973 e, em seu artigo 19, discriminou as atividades do Engenheiro de Alimentos:

Resolução no. 218 - de 29 de junho de 1973

O Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, usando das atribuições que lhe conferem as letras “d” e “f”, parágrafo único do artigo 27 da Lei no. 5.194, de 24 de dezembro de 1966

Considerando que o art. 7º da Lei no. 5.194/ 66, refere-se às atividades profissionais do engenheiro, do arquiteto e do engenheiro agrônomo, em termos genéricos

Considerando a necessidade de discriminar atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia em nível superior e em nível médio, para fins da fiscalização de seu exercício profissional, e atendendo ao disposto na alínea “b” do artigo 6º e parágrafo único do artigo 84 da Lei no. 5.194, de 24 de dezembro de 1966.

Duração do curso: 05 anos.

Fonte: www.ufvjm.edu.br/www.fef.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal