Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Escócia  Voltar

Escócia

TERRA DAS LENDAS

 

Escócia tem personalidade própria.

Situada ao norte da Grã- Bretanha, dentro do Reino Unido, este país esconde mistérios e lendas que o visitante deve descobrir para conquistar e ser conquistado por esta terra.

As terras escocêsas escondem cantos de beleza incomparável, lagos, marismas e mais de 700 ilhas, das quais apenas 130 estão habitadas.

A fauna e a flora deste país são um verdadeiro tesouro, paisagens espetaculares e virgens que difícilmente encontram-se no mundo.

Se os paisagens naturais tiram o folego, das cidades emanam um ambiente mágico que as fazem únicas e, tudo isso, acompanhado pelos escocêses, pessoas sérias, sempre bem dispostas para o turista. A comida e o whiski de malte temperam sempre uma agradável conversação e a música celta, com o profundo e peculiar som das gaitas, faz evocar os valentes, com saias quadriculadas, que souberam lutar por seu país.

E é claro que o mistério escocês por excelência, Nessy, esse monstro de olhar tenro que, segundo a lenda, oculta-se sob as profundas águas do Lago Ness e, que só espera à pessoa adequada para dar-se à conhecer.

Escócia, terra lotada de encantos e de gente maravilhosa espera seus visitantes envolvida em uma auréola muito especial.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

Situada no norte da ilha da Inglaterra, Escócia pertence à Grã- Bretanha, dentro do Reino Unido, junto a Irlanda e Gales.

O território escocês destingue-se do resto da Grã-Bretanha pelas montanhas, lagos e rios e, também, pelas numerosas ilhas, entre as que destacam-se Orcadas, Hébridas e Shetlands que conformam algo mais de 78.213 quilômetros quadrados, divididos em trinta e três condados. Seu solo divide-se nas Highlands, as Terras Altas, uma das últimas zonas em estado natural da Europa e as Lowlands, as Terras Baixas. Suas costas são escarpadas com fiordos como os da costa oeste em Loch Broom.

Escócia combina o páramo e as montanhas, como em Glencoe ou Rannoch Moor. Seus cumes mais altos encontram-se nas cotas de Bem Lawers.

Como um do seus especiais atrativos encontra-se o Loch Ness, com o mistério do monstro oculto sob as profundas águas. Também resulta muito atrativo o Lago Tay e os rios rápidos das Terras Altas como o Dee e o Spey.

As cascatas escocêsas oferecem um espetáculo de grande beleza, como as Falls of Rogie, ao oeste de Strathpeffer e em Glem Nevis, com uma queda de água superior aos 300 metros de altitude.

FLORA E FAUNA

Na Escócia tem grandes bandos de cervos, águias reais e falcões peregrinos, especialmente em algumas zonas montanhosas da região de Shuterland. Para o norte, aves das terras altas, como o zarapito e o archibebe frequentam os páramos. O gato montês costuma habitar terrenos mais rochosos, enquanto que nas terras baixas das Highlands Centrais, o pinheiro nativo oferece proteção ao esquilo vermelho, o lagópodo escocês e a marta. Os bosques caducifólios de carvalhos e bétulas maduras povoam os parques florestais de tapetes e sininhos azuis, na primaveira. Na Reserva Natural de Muir of Dinnet, no Deeside, tem uma singular marmita gigante. Os lagos e rios dão alojamento à salmões e trutas, além da escorregadiça lontra.

Nas ilhas tem numerosas colônias de aves como albatrozes, gaivotas, fradinhos e araos. Marsopas, golfinhos e baléias podem-se ver com muita facilidade em volta da costa escocêsa. Nas ilhas do norte é possivel encontrar a maior população de focas cinzas do mundo. E, por último, Escócia acolhe esse raro exemplar admirável que é a àguia pescadora.

História

Os celtas chegaram no território escocês fazem 6.000 anos e o Clã dos Celtas Pictos sobreviveu nas Terras Altas até o século XVIII. Juntos conviveram os Celtas Scots chegados ao norte no século VI e que acabaram fundindo-se com eles.

Os Normandos chegaram na Escócia unindo os clãs sob a dinastia de Canmore, e sua influência foi maior nas Terras Baixas. As disputas pela sucessão levaram Eduardo I à tentar conquistar o país; as batalhas continuaram até 1328, quando Robert the Bruce foi reconhecido rei e decretou a independência da Escócia.

Em 1503 Jaime IV casou com a filha de Enrique VII da Inglaterra, sendo o primeiro monarca da dinastia Tudor. Em 1542, após a morte de Jaime V chegou ao trono a rainha Maria Estuardo, católica. Durante seu reinado em 1560, o Parlamento escocês legalizou a Igreja Protestante, independente de Roma e, também, do seu monarca.

Em 1707 Inglaterra consegue que o Parlamento escocês vote à favor da adesão da Grã-Bretanha em troca de certos privilégios, como conservar sua Igreja e seu sistema legal. Na atualidade o sistema político escocês segue ligado ao inglês.

Arte e Cultura

O mundo das artes na Grã-Bretanha tem dado numerosos talentos, sobretudo em literatura, teatro e arquitetura, sem esquecermos da música roque. No teatro destacam autores tão conhecidos, como o dramaturgo Shakespeare, pai de textos famosos como "Hamlet", "Otelo"ou "Romeu e Julieta", por nomear alguns (sua casa natal em Stratford-upon-Avom pode ser visitada). Suas obras estão continuamente em cartaz, tanto na Barbicane de Londres, como no Stratford. Esta herança tem feito de Londres um centro ativo de teatro e musicais, com obras mundialmente conhecidas, circulando à cada temporada nas principais salas. também são famosos os teatros de Newcastle.

Na Literatura destacam escritores imortais como Charles Dickens, autor de "Oliver Twist"ou "David Cooperfield", e Agatha Christie, a rainha do crime. No Museu de Torquay exibem-se sua vida e trabalho, também Jane Austen escreveu importantes romances como "Orgulho e Preconceito" ou "Senso e Sensibilidade", em sua casa de Chawton, perto de Alton, hoje convertida em museu. Bram Stoker nasceu em Whitby, uma tranquila cidade pesqueira, cenário de sua obra "Drácula". É impossível esquecer-se dos "Contos de Canterbury" de Chaucer. No século XVIII destaca Mary Bartom e seu popular romance "Elizabeth Gaskell". O poeta romântico William Wordsworth, viveu no Distrito dos Lagos, também Thomas Hardy evocou a paisagem britânica no romance "Tess of the D´Urbervilles". E já no século XX destacaram autores como DH Lawrence, Joseph Conrad, George Orwell e Graham Green.

O poeta Dylam Thomas é uma das figuras da literatura galesa mais destacadas, enquanto que na Escócia salienta Sir Walter Scott, que nasceu em Edimburgo e inspirou-se na paisagem da sua terra para criar heróis, como Rob Roy McGregor e figuras históricas como Ivanhoe. O poeta Robert Burns nasceu em Alloway e pode-se visitar ali, sua casa.

Entre os cientistas escocêses destacam Graham Bell, inventor do telefone, John Logie Baird, que inventou a tv e Robert Watsom Watt, autor do radar. Quanto à Medicina estão John e William Hunter, pioneiros da anatomia e Fleming descobridor da penicilina.

No relativo a arquitetura os ingleses conservam uma rica tradição que se remonta muito tempo atrás. Os edifícios que conservam-se são a herança deste talento.

No século XX destacam figuras como sir Robert Mathew ou sir Leslie Martin, e mais perto Nicholas Grimshaw, Richard Rogers, Ralph Erskine e Normam Foster. Um dos arquitetos britânicos mais famosos é o escocês Charles Rennie Mackintosh, de Glasgow.

A música popular inglesa tem impactado o mundo com artistas, como os Beatles, Rolling Stones, Who, Kinks, nos 60 e mais próximos David Bowie, Bryam Ferry, Fleetwood Mac, Pink Floyd, Deep Purple, Led Zeppelin e Genesis, entre outros. Outras bandas como Sex Pistols e de Clash também ficaram famosas.

Entre os novos grupos que inda estão em voga destacam Dire Straits, UB 40, Oásis ou Suede.

Locais Turísticos

Uma espetacular paisagem montanhosa descobre castelos, lagos e bonitas e interessantes cidades. O percurso por Escócia inicia-se na capital, Edimburgo, e continua pelo sul, para depois explorar o Centro da Escócia e terminar nas Terras Altas do Norte (Highlands) e as ilhas.

EDIMBURGO

Edimburgo, situada ao norte do país, é a segunda cidade mais turística da Grã-Bretanha. A capital da Escócia tem um animado ambiente universitário e também político, pois a maioria de suas instituções encontram-se nesta encantadora cidade que ostenta a capital, desde o século XI. É a sede do famoso Festival de Teatro, que celebra-se no verão. Está rodeada por uma rica campina e um litoral formoso. Dominando a cidade, um magnífico castelo. Edimburgo é uma localidade que pode-se visitar em qualquer época do ano e sua oferta de espetáculos e festivais é amplíssima.

Como lugares de interesse destacam:

Castelo de Edimburgo

Composto por um complexo murado com vários edifícios que alojam diferentes museus. Salientam a capela de Santa Margarida, do século XII, a Pedra do Destino, que coroavam-se os monarcas escocêses, as Honras, as jóias da coroa que são mais antigas que as inglesas e o Forte, desde o que diariamente dispara-se um canhão.

Royal Mile. Bairro encantador com becos entráveis

No seu interior encontram-se o Parlamento, a corte suprema escocêsa, o Heart of Midlothian, a Catedral de São Giles, do século XV, do estilo gótico, e o Mercat Cross.

Holyrood Palace

Reconstruido em 1671, por Carlos II. Residência da família real pois a rainha Isabel habita este palácio, durante uma vez por ano, como rainha da Escócia.

Pode-se visitar as habitações de Maria Estuardo, onde viveu durante seis anos e, o lugar onde fora assassinado seu secretário Rizzi. Para finalizar a visita ao recinto, nada melhor que passear pelas ruinas da Abadia de Holyrood, o edifício gótico mais antigo e importante do conjunto.

Casa Georgiana

Do século XVIII, na que por primeira vez publicou-se a Enciclopédia Britânica. Também, ostenta o privilégio de ter sido o primeiro lugar, onde jogou-se golfe.

Monumento a Sir Walter Scott

De estilo neo-gótico, realizado em 1836, por George Meikle Kemp.

National Galery

Com uma excelente mostra pictórica.

Royal Academy

De estilo neo-clássico construida por William Playfair, na que pode-se ver exposições temporais de grande qualidade.

Assembly Hall

Sede da Igreja Anglicana Escocêsa.

Charlotte Square

Praça desenhada por Robert Adam de estilo neo-clássico.

Real Museu da Escócia

Aqui pode-se admirar diferentes antigüidades seguindo a história do país. Aloja também criações de Phoebe Traquair, notável expoente do movimento de artes e ofícios, entre elas um cálice esmaltado de concha de orelha marinha decorado com figuras da mitologia grega.

Writer´s Museum

Coleção em torno a Scott, Burns e Stevenson principalmente (todos eles tinham ligação com Edimburgo).

National Portrait Gallery

O lugar indicado para descobrir a história da Escócia, através das pessoagens que fizeram-na..

Museum of Childhood

Com uma fascinante coleção de brinqueidos.

Casa de John Knox

Local que viveu o autor da Reforma da Igreja Escocêsa.

Cantom Hill

Colina onde pode-se obter uma excelente panorâmica da cidade e desfrutar com o Monumento Nacional, dedicado à vitória conseguida em Trafalgar, o Observatório Astronômico e o Monumento à Nelson.

Canongate Tolbooth

Na Prefeitura deste antigo assentamento segue-se representando a história da cidade.

Huntly House

Museu Municipal situado em dois palácios renascentistas que conservam o modo de vida dos nobres escocêses do século XVII.

Arthur´s Seat

Parque situado em cima de um vulcão apagado, que recria os lagos e vales das Ilhas Hihglands oferecendo, aliás, uma panorâmica da região inesquecível.

Jardim botânico

Um dos mais belos da Europa por sua distinção. Conta com cinco estufas de diferentes épocas.

Stockbridge

Um bairro de judeus, que circunda o rio.

St. Bernard Well

Fonte medicinal situada em uma estação de grande beleza.

Deam Village

Povoado típico do século XIX, o qual pode-se visitar a piscina municipal morisca, a mais antiga da cidade, além de poder passear admirando a frondosa vegetação e as formosas cascatas.

Scottish National Gallery of Moderm Art

Situada em antigos palácios, a Galeria de Arte Moderna, conta com uma excelente mostra com obras de Miró e expressionistas alemães, entre outros.

Murrayfield

Lar da Copa das Cinco Nações de Rugby.

Dalmeny House

É uma casa ensolarada pertenecente aos Condes de Rosebery. A mansão aloja uma coleção de móveis franceses nada desdenhável, do século XVIII, adquirida pelo barão Rothschild junto com notáveis pinturas, peças de porcelana e tapetes, também há uma coleção napoleônica de grande interesse.

Arredores de Edimburgo

Saindo da cidade em direção nordeste surge o estuário de Forth. Daqui pode-se distinguir o ponte voladizo vitoriano, atravessado por uma linha ferroviária, e a elegante ponte moderna, por onde circula o trânsito motorizado. A obra de Stevensom "Sequestrado" está ambientada em South Queensferry, Hawes Inn. Muito perto encontra-se Houptoum House, uma das grandes residências escocêsas, dominando o rio Forth, em uma enorme zona verde.

Em North Ferry acha-se o Deep Sea World, um túnel transparente sob a ponte Forth que transporta os visitantes à um aquário, um ecossistema povoado por endêmicas.

SUL DA ESCÓCIA

Escócia aparece diferente e carimba sua própria personalidade em todas as coisas. Porém, a paisagem que extende-se á partir daqui, oferece um aspecto que distingue-a. Suas colinas azuis extendem-se no horizonte e os bosques do norte e as pradarias abundam por toda parte.

Os tesouros que encontrará no sul da Escócia vão mais além: castelos, jardins, abadias e rotas misteriosas aguardam quem ultrapassar as bordas escocêsas.

SCOTTISH BORDERS

Esta região encontra-se a menos de uma hora de carro de Edimburgo.

Os atrativos que guarda são variados: ativas cidades têxteis, tranquilas vilas, mansões e históricas abadias. Aqui viveram os antigos bandidos da região fronteriça, conhecidos como "reivers".

Hawwick Drumlanrig´s Tower

É a maior população da zona. São famosos seus festivais populares, que celebram-se nos meses do verão.

Abbotsford

Aqui viveu o escritor escocês sir Walter Scott. Poderá visitar sua casa e admirar sua coleção de objetos relacionados com a história da Escócia.

Dryburgh Abbey

Encontra-se nos arredores de Melrose. Estas extensas ruinas abrigam também o túmulo de sir Walter Scott.

Jedburgh Abbey

Foram os monges que desenvolveram a arte de trabalhar a lã. As abadias tiveram uma grande importância para a vida nas Bordas.

Locharrom of Scotland

Está em Galashiels, mas apenas é uma dos muitos telares e lojas, nas que o viajante poderá aprender alguma coisa deste fascinante mundo têxtil.

Paxtom House

Encontra-se em Berwick-upom Tweed. É uma casa construida por John e James Adam e está considerada como uma das mais destacadas casas de campo paladinas da Grã-Bretanha. O casarão aloja uma notável coleção de móveis Chippendale e mobília típico da Regência. O interior está decorado por Robert Adam, empapelado e pintado à mão. Além disso, guarda 70 pinturas da Coleção Nacional da Escócia.

Manderston Duns

Casa de campo com luxuosas salas oficiais e singular escalinata prateada.

Flors Castle

Está perto de Kelso e se orgulha de ser a maior casa habitada da Escócia.

Traquair House

Está do lado de Innerleithem com jardins excelentes.

Melrose

Conta a história da ocupação romana, que também passou por aqui. Também pode-se visitar uma abadia e um museu de ursinhos de algodão.

DUMFRIES & GALOWAY

Dumfries

Pode-se visitar alguns lugares relacionados com Robert Burns, o poeta nacional da Escócia.

Ellisland Farm

Relacionada com Robert Burns, onde escreveu numerosas obras enquanto fazia os trabalhos da granja.

Kirkcudbright

Pode-se visitar Broughtom House, relacionada com o pintor escocês E.A. Hornel, assim como, o Tolbooth Arts da cidade.

Stranraer

Há que ir em Port Logam e ver os jardins botânicos Logan.

Newtom Setwart

É a porta de entrada ao Galloway Forest Park. Muito perto está a recentemente nomeada vila literária, Wigtown.

Solway

Caerlaverock Castle

É um curioso castelo de forma triangular, com fosso, que está hoje em ruinas. Foi a morada dos Maxwell, uma poderosa família do século XV. Salientam no edifício as torres gêmeas com sua brilhante pedra caliça rosada e uma mansão talhada do Renascimento, construida dentro dos muros que culminam em uma galeria de ameias.

Threaeve Castle

O Castelo de Douglas é um enorme torreão do século XIV situado em um belo lugar junto ao rio Dee.

Sweetheart Abbey e Dundrennam Abbey

Constituem importante testemunha da antigüidade.

Whithorn

Locais onde teve lugar o primeiro assentamento cristão, na Escócia. Constituia um lugar de peregrinação para monarcas escocêses.

GLASSGOW

Glassgow é a segunda cidade em importância da Escócia, depois de Edimburgo. Com quase 700.000 habitantes esta cidade, situada no centro do país é uma das mais distintas da Inglaterra. Também é um centro vibrante de atividades culturais.

Aqui deve-se visitar:

George Square

Rua onde pode-se admirar diferentes edifícios de arquitetura vitoriana, como o Edifício de Correios, o Banco da Escócia e a City Chambers, do século XVIII, com um exterior certamente interessante.

Catedral

Um perfeito exemplo do gótico reformado, com um ambiente especial criado em volta do Túmulo de São Mungo, um dos focos de peregrinação da Idade Média.

Museu St. Mungo da Vida e Arte Religiosas

Aqui se expõe uma curiosa mostra sobre a Vida, a Morte e o Além em diferentes crenças religiosas. Destacam o "Christ of St John of the Cross" de Dali, algumas estátuas de Buda, deuses indianos e, já no exterior, um precioso e delicado jardim zen.

Burrel Collection

Pode-se contemplar tecidos, móveis, porcelanas chinesas, móveis medievais, cerâmica, pinturas de Renoir e Cezane e outros objetos de arte doados à Glassgow, por Sir William Burrel.

Galeria de Arte Moderna, com exposições dos quatro elementos naturais, água, ar, fogo e terra; obras de arte figurativa escocêsa, uma galeria interativa e obras do mundo todo.

Escola de Arte de Glassgow

Desenhada por Charles Rennie Mackintosh, pioneiro da Art Nouveau na Grã-Bretanha.

Tenement House

Pode-se visitar um pequeno apartamento de época recente. O tempo parece que não passou, desde princípios do século XX. Compreende quatro quartos e conserva a maior parte dos marcos originais, mobília e objetos acumulados por Miss Agnes Townard, que ali viveu durante mais de 50 anos.

Museu Paisley

Aqui se conta o desenvolvimento do xale de Paisley, também na Galeria de Arte.

Museu do Transporte

Museu muito curioso, pois reproduz uma rua típica da cidade dos anos 30.

Hunteriam Museum e Hunteriam Art Gallery

Dedicadas ao famoso arquiteto e desenhador escocês Charles Rennie Mackintosh. Está considerada como a pinacoteca mais extensa de grandes artistas europeus do século XVI, em avanço. A coleção mais destacável é obra do pintor americano, formado em Paris, James McNeill Whistler, e compreende 8 pinturas, móveis, peças de prataria e cerâmica que trouxeram-se do seu estúdio.

Glassgow Royal Concert Hall

Bom lugar para desfrutar de um bom concerto ou balé.

Museu McLean

Um museu centrado na história social da vila.

Arredores de Glasgow

Paisley. Esta população é o maior centro têxtil do mundo, no seu gênero. Cresceu em volta a uma Abadia Cluniaciense fundada no século XII, dedicada à fabricação de fio. O mais interessante da localidade é o Museu, que conta com uma importante coleção de xales, cujo característico desenho de Cachemira foi introduzido, em 1770.

Stirling Por tof Menteith

O mais destacável é a Abadia Inchmahome Priory, agostiniana. Está situada em um belo local e se mantém quase intacta.

AYRSHIRE

Brodick Castle Gardem and Country Parck

Junto ao mar e no meio de uma espetacular paisagem sob as montanhas e rodeado das árvores, encontra-se este castelo. O edifício mantém no interior um ambiente familiar e guarda prataria, móveis, peças de porcelana e pinturas, além de uma coleção de pinturas de tema esportivo e troféus.

Burns Cottage and Museum

Burns National Heritage Park. Este é o berço do Robert Burns, assim, que a maioria das coisas que encontrará têm muito do poeta. A visita inclui uma rota que segue sua vida desde seu nascimento em Alloway até Dumfries, no sul.

Scottish Maritime Museum de Irvine

Lugar onde narra-se e descreve-se o passado marítimo escocês.

Deam Castle

Conta com uma importante mostra de antigos instrumentos musicais e armaduras.

Viking Heritage Centre (em Largs)

Conta o papel dos vikings na história da Escócia.

Culzeam Castle

Esta obra mestra, que debruça-se sobre um formoso rochedo, se deve ao arquiteto Robert Adam.

Secret Forest

ideial para as crianças. O Bosque Secreto oferece rotas e aventuras nas campinas que rodeiam Kelburm Castle, perto de Largs. Daqui pode-se chegar s Ilhas Great Cumbrae e Little Cumbrae.

Isle of Arram Heritage Museum

Na Ilha de Arram onde também encontrará jazidas pré-históricas, que incluem menires, um castelo e um magnífico parque.

CENTRO DA ESCÓCIA

ARGYLL & BUTE

Kilchurm Castle

Encontra-se situado nos arredores de Dalmally, em um extremo de Loch Awe. O castelo data de 1440 e suas ruinas levantam-se em um romântico ambiente, ao pé de imponentes montanhas. Foi testemunha de alguns acontecimentos históricos, como a Rebelião Jacobita de 1745, em que tropas inglesas estiveram aprisionadas atrás dos muros. Finalmente, foi abandoado no século XVIII, depois da queda de um raio.

Iona Abbey

Encontra-se na pequena e mística ilha de Iona, lugar onde partiram seus monges com a missão de convertir ao cristianismo à população da Escócia. O fundador desta abadia foi São Columbano, lá pelo ano 563. A que pode-se ver hoje tem sido reconstruida posteriormente, no século XIII. No cemitério estão enterrados 48 reis escocêses, entre eles Duncan, assassinado no século XI por Macbeth, e 12 irlandeses, além de noruegueses e franceses.

Hill House

Está situada em Helensburg. Trata-se da melhor criação de Charles Rennie Mackintosh dentro da categoria residências.

Arduaine Garden

Fica nos arredores de Oban. É um destacado jardim arborizado, magnífico no final da primaveira.

ABERDEEN

Situada no norte da Escócia, nas Terras Altas, Aberdeem é a terceira cidade em importância, depois de Edimburgo e Glassgow. Porta de entrada ao Royal Deeside, vale do rio Dee. Esta encantadora cidade conta com formosos edifícios de granito prateado e jardins em flor que fazem-no parecer com uma vila de conto.

Entre seus atrativos destinguem-se:

Museu da Arte

Com uma interessante coleção.

Aberdeem Art Gallery

Aloja uma importante coleção de arte contemporânea, na que destaca a joalheria de James Cromar Watt.

Museu Marítimo

recolhe as tradições deste porto pesqueiro.

Duthie Park and Winter Gardens

Zonas verdes de grande beleza, nas quais descansar e recrear o espírito, além do Winter Gardens, existe uma zona recreativa para crianças, que inclui o Satrosphere, Museu Interativo da Ciência.

Zona Antiga

Com cantos de grande encanto como a Torre do King´s College, do século XVI e a Catedral St. Machar, de granito, com teto de madeira, de 1520, de grande beleza.

Crathes Castle

Ressaltam os curiosos torreões que parecem fazer parte de um castelo encantado, gárgulas, impressionantes jardins e contos de fantasmas. Destacam as pinturas dos tetos, sobretudo, as da Sala dos Nove Nobres, que representam os noves grandes da antigüidade.

Duff House

Mansão do século XVIII, desenhada por William Adam. Trata-se de um grande expoente da arquitetura escocêsa. É uma dependência da Galeria Nacional da Escócia e guarda no interior uma rica coleção de obras de arte entre as que destaca a obra do Greco "São Jerônimo em Penitência", o "Grupo familiar Holandês" de J.G. Guyp e três painéis de François Boucher.

Pitmedem Garden

Uma verdadeira jóia da orticultura. Os jardins formam parte de uma chácara de 40 hectares, obra de sir Alexander Setom e datam do século XVII; compreendem pavilhões, fontes e relógios de sol.

ANGUS & DUNDEE

Arbroatch

Conta com as ruinas de uma abadia do século XII, com o original da Declaração de 1320, o documento mais importante da Escócia e tranquilos e atrativos vales, como Glem Eskou Glem Clova.

Brechim Round Tower

Situada entre as montanhas e o mar.

House of Dun

É uma formosa residência georgiana desenhada por William Adam em 1730, para David Erskine. Destacam os elementos decorativos em escaiola do interior, obra de Joseph Enzer. Diz-se que por este trabalho cobrou a soma de 216 libras, lá pelo ano 1742. A senhora Jordan, Lady Erskine, era filha natural do Guilherme IV pelo que guardam-se na casa numerosas lembranças reais.

Edzell Castle

Ali poderá admirar os jardins mais antigos do país.

Glamis Castle

Casa da infância de sua alteza real a rainha Isabel, a Rainha Mãe.

Discovery Poin

É o centro turístico de Dundee. Contém o famoso navio do Capitão Scott, que utilizou em suas explorações antárticas. O patrimônio da cidade pode-se ver também, nas Galerias McManus e nos Verdant Works.

PERTHSHIRE & KINROSS

Blair Castle

Foi a residência dos Duques de Atholl e data do século XIII, embora tem mudado de aspecto com o tempo. O castelo guarda no interior uma interessante coleção de pinturas, mobília, loça, armaduras, trajes e um jogo de tapetes de Bruxelas, feito especialmente para Carlos I.

Queen´s View

Loch Tummel. A "Vista da Rainha" constitui uma paisagem extasiante.

FIFE

Este reino é uma zona rica em abadias, mansões do XVIII, palácios do XVII e castelos medievais.

Curlos

Foi um animado centro portuário que comerciava com Holanda e os remotos países do Báltico. Conserva o mesmo aspecto, há dois séculos. Pode-se visitar algumas moradas, entre elas Towm House, The Study, que parece ter saido de um conto de fadas, a casa com mal de olho e The Palace, residência de um mercador do século XVI, que guarda elementos arquitetônicos tradicionais dos melhores tempos da povoação, assim como, jardins e pequenas casas das cores do damasco e vermelhas.

East Neuk

Conta com pitorescas vilas pesqueiras como Earlsferry, que leva o nome da embarcação, que Macduff logra iludir Macbeth; St. Monans, com uma atrativa rua do século XVII que gava-se de ser a mais bonita do reino; Pittenweem, com seu movimentado porto; Crail, centro de artistas; Lothian; Bass Rock e Tantallom Castle. No Anstruther poderá visitar o Museu de Pesca. Tão pouco deve perder a reserva natural, a formosa ilha de May, um paraíso para os amantes da natureza.

São Andrews

Seu nome vem de uma lenda que conta como São Rulo chegou com as relíquias do apóstolo São Andrés, sobre o século IV, depois de naufragar frente às costas de Fife. É uma antiga cidade episcopal e universitária, sede religiosa da Escócia. Além disso, é berço do Golf, inventado faz 500 anos, assim que, se gostar deste esporte encontrará numerosos campos, entre eles o Old Course, o mais antigo do mundo. Poderá visitar, querendo, o British Golf Museum.

HIGHLANDS E ILHAS DO NORTE

Esta é uma região de paisagens solitárias e paradisíacas. Poderá encontrar castelos, lagos, praias e bosques encantadores.

STIRLING

Sua posição estratégica faz que respire história, nada mais que atravessar a fronteira entre as Terras Baixas e as Altas. Sua posição era controlada em tempos, pelo Stirling Castle, onde deflagaram-se as batalhas da independência escocêsa, sob a liderança de Roberto I e sir William Wallace, tal e como se conta no filme "Braveheart". O monumento à este último, pode-se ver na localidade. Muito perto encontram-se as paisagens encantadas dos Trossachs.

REGÃO DOS LAGOS

Seguindo a estrada que une Inverness e Fort William chega-se a uma estação de grande beleza, a região dos Lagos, Caledoniam Canal. Este lugar é formado por uma série de impressionantes lagos fazendo corrente, resultando um dos lugares naturais mais formosos do país e do mundo.

LAGO NESS

Situado nas Highlands (Terras Altas), acolhendo a estrada que une Fort William e Inverness, encontra-se o Lago Ness. Este lago é mundialmente conhecido pelo mistério que oculta-se nas profundas águas. Segundo a lenda esconde-se no Nessy, o monstro ante-deluviano, que especula-se há séculos. Pode-se visitar duas interessantes exposições sobre a investigação do monstro em Drumnadrochit. Se não tiver sorte e, depois de olhar as escuras águas, não conseguir saudar Nessy, sempre pode aproveitar a ocasião passeando pelos bosques, perto à Inverfarigaig e desfrutar com o espetáculo que oferecem as impressionantes cascatas de Foyers.

FORT WILLIAM

É uma das cidades mais atrativas das Terras Altas, rodeada de montanhas de grande beleza. É também um importante centro turístico, ideial para tomar como base e percorrer a região.

West Highland Museum. Uma de sus maiores atrações é o retrato segredo de Bonnie Prince Charlie.

Fort Williams. Antigo forte de onde toma o nome a cidade.

Cume de Bem Nevis. A montanha mais alta das ilhas britânicas.

Destilaria Bem Nevis. Para conhecer o processo do feitio e produção da bebida escocêsa mais importante.

GLENCOE

Este lugar, de uma beleza singular, é conhecido como o "Lago do Pranto". Foi aqui onde os McDonalds foram trazidos e aniquilados pelos Campbells, no ano de 1692. A história completa dos clãs pode-se aprender no Visitor Centre da National Trust.

OBAN

Está situado no coração do país dos Campbell e pode tomar-se como ponto de partida para as ilhas Hébridas. Entre seus atrativos figura a Torre de McCaig, uma réplica decimo nônica do Coliseu de Roma e que acolhe o Discovery Centre. No mês de agosto Obam destingue-se pelas numerosas celebrações locais.

INVERNESS

É a capital das Terras Altas. Está atravessada pelo rio Ness e às beiras desenvolve-se a movimentada cidade.

Museum & Art Gallery. Contém numerosos tesouros, entre eles diagramas da vida selvagem.

Castelo. Do século XI, embora reconstruido várias vezes depois. Dentro encontra-se o Castle Garrisom Encounter.

Outros pontos: na cidade pode-se visitar o Hospital, o Mercado, a Prefeitura, o Teatro e a Catedral que são de grande interesse.

PITLOCHRY

Este lugar foi testemunha de alguns acontecimentos históricos. A rainha Vitória frequentava este atrativo centro de férias no século XIX.

Em Killiecrankie se bateram os escocêses, faz algum tempo; o Blair Castle, do século XIII, alojou em seus dias a duas das figuras mais românticas da realeza escocêsa: Maria Estuardo e Carlos Eduardo Estuardo.

LOCHABER

Glenfinnam Monument

Situa-se no Loch Shiel. É um monumento que representa um soldado das Terras Altas de saia escocêsa e que marca o ponto que, em 1745, Carlos Eduardo Estuardo levantou o estandarte do pai, em uma tentativa de recuperar o trono perdido "pela imprudência de seus antepassados". Muito perto levantam-se sete haias plantadas em hmenagem aos fiéis companheiros do Príncipe Estuardo, uma para cada um deles.

DORNOCH

É famoso, porque ali queimou-se pela última vez, na Escócia, uma bruxa no ano de 1722. Há que visitar sua Catedral medieval, o Palácio Episcopal do século XVI e um grande Campo do Golfe do século XVII, que está considerado como o número 11 do mundo.

Destacam também:

Dunrobim Castle

É uma das mais fantásticas casas ensolaradas da Escócia e está rodeada de formosos jardins e vistas para o mar, para ressaltar ainda mais sua formosura. No interior pode-se encontrar admiráveis tesouros como peças de prata, mobília, pinturas e porcelanas.

Kyle of Sutherland

Está situado no coração das Terras Altas do Norte, uma zona muito fértil, onde aparecem lagos e arroios cheios de vida. Seguindo o curso do Shim chega-se às Shim Falls.

Lairg

Daqui pode-se seguir uma interessante rota florestal ou arqueológica.

ASSYNT

Lochinver. É um porto pesqueiro ideal como base de partida no percurso da região, onde esperam-no serras para escalar; a Old Mam of Stour, a altíssima rocha que sai do mar; as ruinas do Ardvreck Castle à beira de Loch Assynt (antiga residência dos Mcleods e hoje morada da águia peixeira); as Grutas de Inchnadamph Bone, preferidas dos geólogos; a encantadora povoação de Scourie, famosa pelo gado bovino; Elphin´s Rare Breeds Farm, e as praias de Achmelvich, Clachtoll e Clashnessie.

WESTER ROSS

Gairloch

A corrente do Golfo suaviza esta costa, fazendo de Inverewe um autêntico jardim subtropical, cheio de plantas exóticas.

Em Kinlochewe pode-se observar a águia dourada, cervos comuns e o gato montês. Também na zona encontram-se as Slattadale Falls, com vistas panorâmicas ao Loch Maree. No século VII um monge celta se estabeleceu em uma cela em uma das ilhas do lago. E por último não deixe de visitar a destilaria escocêsa Glem Ord e esperimentar seu whisk de malte.

ILHAS DA ESCÓCIA

Numerosas ilhas oferece a Escócia para visitar. Entre elas aconselhamos-lhe as ilhas do Clyde e Jura; Mull e Iona; às ilhas ocidentais, entre elas, Lewis, Skye e Harris; e às ilhas Hébridas, Shetland e Orkney.

HEBRIDES

Ilha de Lewis

Nesta ilha o mais destacado é o Callanish Standing Stones. Se os dólmenes de Stonehenge têm à ver com o sol, Callanish tem à ver com a lua. Os megalitos aqui situados oferecem uma visão majestosa e espetacular. Levam aqui uns 4.000 anos e são 13 pedras que traçam um círculo em volta de um menir central de uns 5 metros de altitude. Á partir deste círculo extende-se uma dupla avenida formada por 19 pedras.

SHETLAND

Jarlshof Settlement

Importantes ruinas pré-históricas e nórdicas que remontam-se 3.000 anos atrás.

GASTRONOMIA

A gastronomia escocêsa tem elementos comuns com a inglesa e peculiaridades que fazem-na especial.

Resultam excelentes a carne de vaca de Aberdeem e o cordeiro alimentado nas pradarias escocêsas. Assim mesmo são muito apreciadas as carnes de veado e a perdiz e o faisão.

O peixe é o alimento essencial da cuzinha escocêsa. Não há que esquecer que Escócia está rodeada por mar, além de contar com numerosas ilhas na sua geografía. Especial preferência existe pelo salmão e em peixes brancos o rodovalho, o halibute e o peixe sapo.

Pratos típicos da Escócia são o Arbroath Smokies e os Finnam Haddies, cujo ingrediente essencial é o merlango curado e defumado ao estilo nórdico, o Cook a leekie, frango guisados com porós e ameixas, Scotch Broth, guisado de verduras e cevada, o Haggis, um pudim picante acompanhado de purê de batata doce e nabos e as trutas e arenques envolvidos com farinha de aveia. imprescindíveis os queijos como o Chedar.

Como sobremesas destacam o Cranachan, nata e farinha de aveia servida com framboesas, as oatcakes, biscoitos de aveia que se costumam comer acompanhadas por mel ou queijo e frutas selvagens de grande qualidade, como morangos, framboesas e tayberries, curioso cruzamento entre framboesa e amora.

Como bebida típica escocêsa, nada melhor que um bom whisk de malte.

COMPRAS

O estilo e desenho escocêses cada vez são mais apreciados e, nos últimos tempos tem sido muito potenciado pelas autoridades. Nada mais típico que um tartám e kilts, a saia escocêsa com quadrados tão popular. Nas telas também é muito apreciado o tweed de Harris, mistura de lãs de grande qualidade e que pode-se encontrar realizado a mão nas ilhas Hébridas. As mantas são excelentes.

A música celta faz parte deste território, grupos como Runrig e Capercaillie entre outros, têm nas lojas de discos sua música disposição dos amantes deste gênero.

Também pode-se encontrar jóias e móveis com desenhos celtas típicos do país,whisks de malte, escovas feitas à mão, queijos tão saborosos como o Chedar, apenas para escrever,livros de primeira e segunda mão, antigüidades,pedras preciosas,licores, defumados, salmão, entre outros muitos artigos.

Não pode-se esquecer como objeto tipicamente escocês a gaita, instrumento musical que pode converter-se em um original presente.

Horário Comercial

Existem centros comerciais,botiques de luxo, lojas e numerosos mercadinhos nas ruas. Em todos eles poderão-se encontrar artigos de interesse com diferentes preços.

O horário comercial extende-se de 09.00 à 17.30 ou 18.00 horas incluidos sábados, embora existem algumas lojas que fecham ao meio dia e nas povoações de menor tamanho podem fechar no final da semana todo. Nas zonas turísticas o horário costuma ser continuado, abrindo mesmo nos domingos e feriados.

FESTIVIDADES

Na Escócia: 1 e 2 de janeiro, 10 de abril, 4 de maio, 31 de maio, 3 de agosto, 25-26 de dezembro e 28 de dezembro.

Salientam, aliás, o Dia de São Valentim (14 de fevereiro), o Dia das Mães (22 de março) e o Dia dos Pais (14 de junho).

TRANSPORTES

Avião

Graças ao pequeno tamanho da Escócia viajar desde o resto do Reino Unido ou desde outros lugares do mundo é bastante fácil. Aliás, Escócia conta com uma frota aérea interna que permite o acesso às ilhas do norte e do oeste.

Os aeroportos mais importantes são Aberdeen, Edimburgo, Glasgow e Prestwick. Glasgow conta com um serviço chamado "Air Train", que permite combinar a passagem de ida e volta, desde a estação de trem do dito aeroporto, até qualquer outra estação de trem do país, por um preço muito econômico.

Trem

A rede ferroviária escocêsa está muito bem ligada com o resto da Inglaterra, contando, aliás, com uma excelente rede dentro do país, que une os principais povoados e cidades. Os trens são cômodos e econômicos constituindo uma boa alternativa de transporte. Nas épocas de férias é conveniente fazer reservas com antecedência.

Existem várias possibilidades de descontos como o "Saver Return", que oferece a possibilidade de realizar viagens de ida e volta no mesmo dia ou em um mês, pelo que convém informar-se antes de adquirir a passagem. Crianças menores de cinco anos viajam de graça.

Trasbordadores

Escócia conta com uma excelente rede de transbordadores, que comunicam a zona continental, com as quase de 130 ilhas habitadas de um total de 730.

As companhias que oferecem estes serviços são, Transbordadores Caledoniam Macbrayne que ligam 23 ilhas ao oeste do país; Westerm Ferries que unem McInroy’s Point, Hunters Quay e entre as Isaly e Jura; P&O Scotish Ferries que viaja às Orcadas e Shetlands; John O’Groats Ferries que comunica John O’Groats com Burwick; Orkney Ferries oferece serviço entre as diferentes ilhas que compõem as Orcadas e Shetlands Islands Council, com tráfego interno entre estas ilhas.

Algumas destas companhias não funcionam durante o ano todo, pelo que é aconselhável informar-se sobre trajetos e horários nos Postos do Turismo. Todos os transbordadores oferecem a possibilidade de embarcar o carro.

Ônibus

Os ônibus circulam entre as principais cidades e povoados da Escócia. Durante o verão, Haggis Backpackers comunica vários lugares de interesse fazendo uma rota por Edimburgo, Perth, Pitlochry, Aviemore, Inverness, Lago Ness, ilha de Skye, Fort William, Glencoe, Oban, Inverary, Lago Lomond, Glasgow e regressando, de novo, à Edimburgo.

Existem vários cartões desconto pelo,que convém informar-se previamente nas Oficinas de Turismo.

Carro

Escócia conta com uma excelente rede de estradas e autovias sem pedágio, sobretudo, no centro do país. Em algumas zonas existem estradas de calçada única que fazem necessária uma precaução especial. É essencial lembrar que na Escócia se conduz pela esquerda e adianta-se pela direita.

Os limites da velocidade permitidos são: em autovia 112 km/h, em estradas de mão única 96 km/h e em zonas urbanas 48 kms/h. Não pode-se dirigir havendo bebido álcool; as multas são muito severas.

As sinalizações marrons com letras brancas informam sobre rotas turísticas de interesse.

Se viajar de carro próprio é preciso ter a Carta Verde Internacional e aportar os documentos de matriculação do carro. É imprescindível um seguro.

Nas principais cidades pode-se alugar carro. É necessária carteira de dirigir em vigor (com uma antigüidade superior a um ano) e ser maior de 23 anos. No caso de algum problema há que contactar com o Real Carro Club no telefone 0800 82-82-82.

POPULAÇÃO E COSTUMES

Embora a fama do escocês é de gente guerreira, o certo é que o que trasmitem é apaixonamento que pode tocar-se muito de perto nas numerosas e frequentes festas e reuniões.

Fonte: www.rumbo.com.br

Escócia

A Escócia é tudo aquilo que imagina - whisky, golfe, romance dos clãs e um grande patrimônio de castelos e locais históricos.

A região das Terras Altas (Highlands) é uma das últimas zonas virgens da Europa.

Edimburgo

Escócia
Castelo de Edimburgo

Edimburgo caracteriza-se por ter uma vista urbana espetacular que pode ser dividida em duas - a zona antiga, com as suas ruelas e becos calcetados e as elegantes fachadas neo-clássicas da zona mais recente. Os visitantes podem andar pelo Royal Mile, uma rede antiga de ruas ligadas entre si, e seguir as pisadas de algumas das figuras mais famosas da história escocesa desde Mary, Rainha dos Escoceses até Robert Louis Stevenson.

O Castelo de Edimburgo, que domina este local Patrimônio Mundial, transporta os visitantes ao centro da história da nação, simbolizada através das Honours of Scotland (Honras da Escócia) - as Jóias da Coroa Escocesa, em exposição com a famosa Stone of Destiny (Pedra do Destino).

A capital também é um centro moderno e dinâmico de arte e cultura, com imensos museus, galerias, universidades e festivais. Em Agosto, a cidade de Edimburgo é anfitriã da maior exposição de arte, música, teatro, dança e teatro de rua do mundo. É no castelo que se dá o anual Military Tattoo.

Para além da cidade, a zona campestre The Lothian proporciona locais de enorme beleza com casas históricas e castelos. A zona este de Lothian tem tradição no golfe e aqui poder-se-ão encontrar os melhores campos de golfe do mundo. Os caminhantes e ciclistas podem explorar os quilómetros de linha costeira a este.

As Colinas Pentland, no extremo da cidade, oferecem uma vista espetacular.

Glasgow

Escócia
Noite em Glasgow

Vibrante e energética, Glasgow tem uma intensa animação, que os visitantes adoram, ao longo de todo o ano. Conhecida como a capital do estilo da Escócia, com as suas cervejarias art déco, elegantes lojas e centros culturais, Glasgow orgulha-se de mais de 30 museus e galerias e do seu programa anual de artes do espetáculo e festivais. Glasgow acolhe também todos os anos o Festival Internacional de Jazz e o Celtic Connections - o maior festival de inverno em todo o mundo dedicado à música e cultura celtas.

Desde há muito classificada como a mais bela Cidade Vitoriana da Grã-Bretanha, a história de Glasgow está muito ligada ao espírito empresarial e ao comércio. As fortunas feitas no comércio transatlântico no século XVIII levaram a uma construção no magnífico estilo arquitetônico que é hoje apanágio da cidade. No entanto foi o "estilo Glasgow" de Arte Nova que deu fama à cidade e nenhum visitante pode perder uma visita ao Lighthouse, onde é narrada a história de um dos mais célebres filhos de Glasgow, o arquiteto e designer Charles Rennie Macintosh.

Os visitantes podem apanhar o autocarro aquático ao longo do Clyde para explorar para além dos limites da cidade, ou um vapor de rodas até ao estuário exterior, partindo de Greenock. Penetrando mais fundo no Vale do Clyde, encontra-se a cidade de Paisley, que deu nome aos famosos xailes de Paisley, de padrão característico e onde se encontra uma magnífica Abadia do século XII.

Fonte: www.geocities.com

Escócia

Nome oficial: Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte (United Kingdom of Great Britain and Northern Ireland).

Nacionalidade: Britânica.

Data nacional: 1ª quinzena de junho (aniversário da rainha).

Capital: Londres.

Cidades principais: Londres (7.172.091), Birmingham (970.892), Glasgow (629.501), Liverpool (469.017), Leeds (443.247), Sheffield (439.866), Edimburgo (430.082), Bristol (420.556), Manchester (394.269), Leicester (330.574), Coventry (303.475), Kingston upon Hull (301.416), Bradford (293.717), Cardiff (292.150), Belfast (276.459), Stoke-on-Trent (259.252), Newcastle (259.000), Wolverhampton (251.462), Nottingham (249.584) e Plymouth (243.795) - Dados de 2010.

Idioma: Inglês (oficial), galês (País de Gales) e gaélico (Irlanda do Norte e Escócia).

Religião: Cristianismo 71,6%, muçulmanos 2,7%, hinduísmo 1%, judaísmo 1%, outras religiões e não religiosos 23,4% - Dados de 2010.

Código telefônico internacional: 44.

Código de internet: uk.

GEOGRAFIA

Localização: Oeste da Europa (Fronteiras com Oceano Atlântico "Mar do Norte" e Irlanda).
Hora local: UTC+0 h.
Área: 244.820 km².
Águas internas: 1.680 km2 (0,68%) - 2012.
Linha costeira: 12.429 km.
Clima: Temperado oceânico e chuvoso. A temperatura varia ao longo das estações, mas raramente fica abaixo de 10 °C ou acima de 35°C. O vento sopra principalmente do sudoeste, com frequentes brisas descontínuas que trazem o clima úmido do Oceano Atlântico. O leste é mais afetado por esse vento e é frequentemente o mais seco. Os verões são quentes no sudeste da Inglaterra, sendo próximos aos presentes na Europa Continental, e mais frios no norte. A ocorrência de neve pode acontecer no inverno e no começo da primavera, mas é raramente vista com grande magnitude longe das terras altas.
Ponto mais elevado: Pico Ben Nevis, na Escócia (1.343 metros).
Ponto mais baixo: Fens (- 4 metros).
Área utilizada na agricultura: 23,23%, sendo 1.950 km2 de terras irrigadas (2005).

POPULAÇÃO

Total: 60.975.000 (2007) - 22º do mundo.
Densidade: 249,06 hab./km2.
População urbana: 80% (2010).
População rural: 20% (2010).
Crescimento demográfico: 0,553% ao ano (2011-2012).
Fecundidade: 1,91 filho por mulher (2012).
Expectativa de vida: 80,17 anos (2012) - 22º do mundo.
Mortalidade infantil: 4,56 por mil nascimentos (2012) - 22º do mundo.
Analfabetismo: 1% (2011) - 19º do mundo.
IDH (0-1): 0,863 (2011) - 28º do mundo.

POLÍTICA

Forma de governo: Monarquia constitucional parlamentarista.
Divisão administrativa: Inglaterra - 8 regiões subdivididas em condados; Escócia - 9 regiões e 3 zonas de autoridade insular; País de Gales - 8 condados; Irlanda do Norte - 6 condados.
Principais partidos: Trabalhista, Conservador e Liberais Democratas.
Legislativo: Bicameral - Casa dos Lordes (Câmara Alta), com 789 membros; Casa dos Comuns, com 646 membros, eleitos por voto direto para mandato de no máximo 5 anos.
Constituição: não há Constituição escrita.
Territórios administrados: Anguilla, Bermudas, Gibraltar, Ilhas Cayman, Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, Ilhas do Canal, Ilha de Man, Ilhas Pitcairn, Ilhas Turks e Caicos, Ilhas Virgens Britânicas, Malvinas, Montserrat, Santa Helena e dependências, Território Britânico do Oceano Índico.

ECONOMIA

Moeda: Libra esterlina.
Orçamento Anual: US$ 986,5 bilhões (2011).
PIB: US$ 2,418 trilhões (2011) - 7º do mundo.
Crescimento do PIB: 0,7% ao ano (2010-2011).
PIB per capita: US$ 39,655.59 (2011) - 21º do mundo.
Taxa de inflação: 4,5% (2011).
Produtos agropecuários: Cereais (trigo, beterraba, milho, cevada), batata, vegetais, carne (bovinos, suínos, ovinos e aves) e peixe - 2012.
Mineração: Carvão, gás natural, petróleo, calcário - 2012.
Indústria: Indústria de máquinas, equipamentos elétricos, de automação e ferroviários, indústria naval, aeronáuticas e de veículos automotores, equipamentos eletrônicos e de comunicação, metais, indústria química, de petróleo, têxtil e de papel e celulose - 2012.
Ferrovias: 16.454 km, sendo 5.248 km eletrificados (2008).
Rodovias: 394.428 km, sendo 100% delas pavimentadas e, destas, 3.159 km são autoestradas (2011).
Aeroportos: 462 sendo 272 asfaltados - Há ainda 09 heliportos registrados (2012).
Portos: Os principais são os de Dover, Felixstowe, Immingham, Liverpool, London, Southampton, Teesport, Forth Ports e de Milford Haven.
Terminais petrolíferos: Fawley Marine terminal, Liverpool Bay terminal, Braefoot Bay terminal, Finnart oil terminal, Hound Point terminal (Éscócia) - 2012.
Marinha Mercante: 504 navios de médio e grande porte (sendo 18 petroleiros) registrados no país e 308 navios registrados em outros países - 2010.
Produção de energia elétrica: 346,0 bilhões de kWh (2009).
Consumo de energia elétrica: 344,7 bilhões de kWh (2008).
Telefones fixos: 33,32 milhões (2009).
Telefones celulares: 80,8 milhões (2009).
Dívida externa: US$ 9,836 trilhões (2011).
Exportações: US$ 479,7 bilhões (2011) - Principais parceiros: Alemanha (11,6%), Estados Unidos (10,6%), Holanda (8,4%), França (7,8%), Irlanda (6,4%) e Bélgica (5,7%).
Importações: US$ 639,5 bilhões (2011)
Principais parceiros: Alemanha (13,2%), China (8,7%), Holanda (7,5%), Estados Unidos (6,1%), França (6%), Noruega (5%) e Bélgica (5%).

DEFESA

Efetivo total: 230.630 (2009).
Gastos: US$ 60,4 bilhões (2,5% do PIB - 2011) - 4º maior orçamento militar do mundo.

Fonte: www.portalbrasil.net

voltar 12345avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal