Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cristais  Voltar

Cristais

Cristais
Cristais

O Cristal e sua Formação

Substâncias de aparências tão diversas, como o diamante, o sal de cozinha e o gelo, têm em comum a natureza cristalina. As formas e cores que muitos cristais apresentam decorrem da ação de forças físico-químicas da matéria, postas em jogo em circunstâncias especiais.

Denomina-se cristal o sólido cuja estrutura é integrada de unidades regulares que se repetem para constituir um retículo, ou rede tridimensional, também chamada malha.

As unidades têm forma de poliedros, sólidos geométricos cujas faces - também chamadas planos - são poligonais: triangulares, quadradas, pentagonais, hexagonais etc.

Estrutura e formação

A simetria é uma característica fundamental dos cristais. Os elementos que o constituem se situam em posições simétricas em relação a um ponto, eixo ou plano.

No caso de que dois elementos se disponham simetricamente em relação a um ponto, este se denomina centro de simetria; se a referência for um segmento de reta, este denomina-se eixo de simetria e, no caso de uma superfície, esta se chama plano de simetria.

Os cristais e, em geral, as rochas e os minerais, sofrem a ação de poderosas forças de distorção no interior da Terra. Sua gênese é influenciada pela intervenção de forças de atração entre os átomos, as moléculas e os íons (átomos com carga elétrica) que compõem a matéria, determinando o modo como essas partículas se ordenam espacialmente e formam corpos regulares.

Cada mineral cristalizado apresenta seu próprio padrão ou ordenação: o sal comum, por exemplo, composto de íons de cloro e sódio, gera cristais cúbicos, em forma de dados microscópicos. Outras substâncias adotam estruturas prismáticas de base triangular, ortorrômbica etc.

São muito variados os processos de formação dos cristais. Às vezes, eles se produzem quando uma substância passa do estado líquido ao sólido, como ocorre com a água ao se transformar em gelo. Em outros casos, a cristalização sobrevém quando um composto em solução aquosa sofre evaporação contínua até que se concentra e cristaliza. Exemplo desse comportamento é o do sal comum, obtido por evaporação da água do mar em salinas. Também pode ocorrer a cristalização por reação química de duas substâncias em solução, com posterior precipitação de cristais.

O que são os Cristais

Como toda matéria, os cristais são compostos por partículas microscópicas, os átomos.

Átomos são constituídos de partículas ainda menores: prótons, elétrons e nêutrons. Essas pequeníssimas porções de matéria estão em movimento constante, vibrando sempre. É por isso que se define toda a matéria como “energia concentrada”. Durante essas vibrações, cada átomo de matéria capta e emite energia ao mesmo tempo. Não existe, portanto, matéria morta. O mundo físico, palpável, nada mais é que o agrupamento de diferentes combinações de energia concentrada, onde tudo está sempre trocando informações, ou seja, vibrando numa determinada sintonia.

O que define a forma de uma pessoa, ou de uma rocha, é a maneira como os átomos que as compõem se juntam em moléculas, e como estas se agrupam para compor a forma física desses seres.

Um cristal é, portanto, um ser vivo, tanto quanto nós. Aparentemente muito diferente, e certamente com outro tipo de habilidade, mas não apenas uma coisa.

Na formação de uma estrutura cristalina, como a ametista, o quartzo límpido ou o citrino, por exemplo, os átomos estão associados em perfeita unidade e harmonia, como se tivessem nascido uns para os outros. Assim também acontece com as moléculas, que vibram todas numa mesma freqência.

É por isso tudo que os cristais são considerados formas minerais integrais e completas em si mesmas, que encantam pelo formato perfeito, pelas cores deslumbrantes e pela luminosidade que irradiam. Só que para chegarem às nossas mãos, passam por um exaustivo trabalho de extração. Como se formam em veios, na terra, é preciso tirá-los de lá com ferramentas rudimentares, cunha e martelo. O trabalho se complica quando feito em escala industrial. Aí é preciso usar máquinas especiais, até explosivos, como na extração do quartzo em todas as suas variações. Em outros casos, é preciso colher o cristal depositado na areia, em beira de praia ou leitos de rios, da mesma forma que se obtém o diamante e o topázio.

Aí, a pedra bruta ainda vai passar por um processo de limpeza com produtos químicos e de polimento e lapidação para só então revelar todo o seu brilho.

Origem e características

Antes de iniciarmos nossa viagem pelo reino mineral temos de tomar consciência que neste reino há vida, uma vida que apesar de infinitamente mais lenta do que a dos outros reinos é análoga a eles. Porque vida é vibração.

Ao explorarmos este mundo mineral, fica claro que toda manifestação física não passa de variação vibrátil de uma essência primordial.

Podemos entender melhor esta unidade observando o inicio deste nosso universo.

Há aproximadamente 15 bilhões de anos uma superdensa e superaquecida mistura de nêutrons e fótons explodiu (big-bang), liberando uma expansão que prossegue até hoje.

A partir daí, os nêutrons primordiais transformaram-se em prótons e elétrons e a força de atração gravitacional começou a reunir estas partículas, dando origem ao elemento mais simples, o hidrogênio (até hoje o mais abundante no universo ).

Nuvens de hidrogênio iam se esparramando pelo espaço. Dentro dessas nuvens e sempre pela força de atração gravitacional, nuvens menores e mais densas de hidrogênio formaram-se e por condensação, entraram em fusão gerando o hélio. Assim nasciam as primeiras estrelas.

Há uns 5 bilhões de anos, nascia nosso Sol em uma nebulosa. Assim pela força da gravidade e adição de matéria cósmica, formaram-se os planetas do nosso sistema. Esta adição de matéria continua até hoje.

Tudo o que existe no Universo físico, incluindo nossos próprios corpos, teve origem em uma estrela que explodiu.

O Reino Mineral

Minerais são substâncias inorgânicas, de composição química definida. Os cristais são minerias que além destas duas características têm uma estrutura atômica, ou seja, a ligação de seus átomos seguindo padrões geométricos precisos.

Os Cristais (grego: Krystalos) são divididos pelos geólogos em 7 sistemas de simetria. Estes sistemas são definidos por 3 ou 4 eixos imaginários de comprimento igual ou desigual.

O comprimento e o número de eixos e de ângulos entre eles definem a forma do cristal.

São eles: isométrico ( cúbico ), tetragonal (quatro faces), trigonal (três faces), hexagonal (seis faces), ortorrômbico (losango), monoclínico (inclinação única) e triclínico (inclinação tripla).

Os cristais são capazes de receber, de conter, de projetar, de emanar, de refratar e de refletir luz, a forma mais elevada de energia conhecida do universo.

Cristalografia e sistemas cristalográficos

Cristalografia é a ciência que estuda a estrutura e as propriedades dos corpos cristalinos.

As leis mais gerais da cristalografia são:

(1) lei da constância dos diedros, segundo a qual o ângulo formado por duas faces de um cristal tem valor constante, independentemente do tamanho e da regularidade que esse cristal apresente;

(2) lei da simetria, segundo a simetria entre os elementos homólogos de um cristal - faces, arestas ou vértices - se mantém invariável quando esses elementos sofrem modificação simultânea e de mesma natureza. Se, numa estrutura cristalina, um dos prismas apresenta uma aresta biselada, também estarão assim as restantes.

Em função das características que se verificam em cada malha, estabeleceram-se sete sistemas cristalográficos diferentes, cada um dos quais se distingue por apresentar os mesmos elementos de simetria, sejam estes eixos, planos ou centros. Todo cristal em estado natural pode ser enquadrado num desses sistemas, dos quais os três últimos incluem formas geométricas complexas.

Sistema cúbico

No sistema isométrico, regular ou cúbico, a unidade fundamental é o cubo ou hexaedro, sólido de seis faces quadradas. Nesse mesmo sistema aparecem cristais em forma de octaedro, com oito faces triangulares; de tetraexaedro, com 24 faces triangulares; de tetraedro, com quatro faces triangulares etc. Cristalizam nesse sistema, entre outros minerais, a pirita e a magnetita, que contêm ferro; a cuprita, minério de cobre; a galena, de chumbo; a blenda, de zinco; o cloreto de sódio, ou sal de cozinha etc.

Sistema hexagonal

A unidade básica do sistema hexagonal é o prisma de seis faces retangulares com duas bases hexagonais, mas ele pode apresentar cristais sob a forma de outros sólidos geométricos, como o romboedro, de seis faces rômbicas. São assim os cristais de quartzo; o coríndon, que contém alumínio e do qual algumas variedades constituem o rubi e a safira; o cinábrio, minério de mercúrio etc.

Sistema tetragonal

A bipirâmide de base quadrada é a unidade básica do sistema tetragonal, a que pertence a cassiterita, minério de estanho.

Sistema ortorrômbico

No sistema ortorrômbico ou binário, que tem como unidade básica o prisma de base retangular, ocorre a cristalização de alguns minérios de enxofre.

Sistema trigonal

Os cristais de calcita, que contêm cálcio, se enquadram no sistema romboédrico ou trigonal.

Sistema monoclínico

No sistema monoclínico cristalizam as combinações de cobre, malaquita e azurita.

Sistema triclínico

A amazonita e a rodonita, minérios que contêm, respectivamente, alumínio e manganês, cristalizam no sistema triclínico.

Os cristais não devem ser considerados como meros sólidos geométricos. Não obstante a importância da forma poliédrica externa, ela é insuficiente para definir o cristal. Mais importante é a estrutura interna, ou seja, a disposição regular das partículas que constituem o cristal.

Encontrados na natureza em grupos, os cristais podem assumir formas de grande beleza e aparência singular. Entre esses conjuntos contam-se os geodos, típicos do quartzo, cujos cristais se aglomeram no interior de uma rocha ou numa cavidade; as drusas, que se estendem por superfícies mais ou menos planas; os dendritos, agrupamentos de aspecto arborescente; e as maclas, em que aparecem dois ou mais cristais unidos e imbricados total ou parcialmente, caso que se manifesta de modo especial no gesso, na pirita e no quartzo.

Propriedades

O estado de cristal caracteriza-se principalmente pelas seguintes propriedades físicas: dureza, elasticidade, capacidade de esfoliação (separação em forma de lâminas), brilho, cor, susceptibilidade à eletrização por pressão (piezeletricidade) ou por calor (pireletricidade) e capacidade de magnetização. A principal propriedade química dos cristais denomina-se polimorfismo e consiste na capacidade de cristalizar em dois sistemas diferentes, caso do carbono, que forma cristais no sistema cúbico (diamante) e no hexagonal (grafita).

Aplicações

Os cristais de maior dureza, como o diamante, são aplicados na indústria para cortar materiais resistentes. Outros, como o quartzo e a calcita, são empregados na fabricação de instrumentos, máquinas e ferramentas, como, por exemplo, transistores e microscópios.

As pedras preciosas são, em geral, cristais diáfanos e duros, suscetíveis de corte e polimento. Entre as mais apreciadas estão o diamante, o rubi, a esmeralda, o topázio e a safira, usados na fabricação de jóias.

O material comumente conhecido como cristal é, na verdade, vidro incolor de grande transparência, resultado da mistura e da fusão de areia de sílica com outras substâncias. Utiliza-se na confecção de taças, luminárias e objetos de decoração.

Os cristais

Os cristais foram sempre ao longo dos tempos valorizados, não só pela sua enorme beleza mas também pelas suas propriedades curativas e espirituais.

Curandeiros, xamãs, sacerdotes e os que buscam a espiritualidade, têm sido atraídos pelos cristais e utilizado os seus poderes curativos. A cristaloterapia continua a explorar novas formas em que o reino mineral nos possa auxiliar na recuperação do equilíbrio para as nossa vidas agitadas e cheias de stress. A ciência ainda não descobriu o que realmente acontece durante a cura através dos cristais e só utilizando-os poderemos avaliar o seu poder curativo.

ESCOLHA

A melhor forma de escolher um cristal é colocá-lo na mão e sentir a reação do nosso corpo e do nosso espírito. Com alguma experiência torna-se um processo bastante fácil.

Podemos assim dizer que não somos nós que escolhemos o cristal mas que é ele que nos escolhe.

LIMPEZA

Os cristais quando chegam à nossa mão, passaram já por um longo caminho, tendo absorvido energias negativas, pois estes por onde passam tentam harmonizar ambientes e pessoas que deles se aproximam. É portanto imprescindível que se proceda à sua limpeza.

Para limpeza dos cristais o processo mais utilizado é a sua emersão em água salgada durante 12H a 24H, passando-os seguidamente por água corrente.

Também podem ser limpos por outros processos, como por exemplo: através da visualização de uma cascata de água, pura e cristalina, caindo sobre o cristal ou através de um praticante de Reiki com o 2.º ou 3.º nível, com a utilização dos símbolos do Reiki.

Os cristais devem ser limpos periodicamente ou sempre que sejam utilizados numa terapia de cura.

ENERGIZAÇÃO

Os cristais devem receber energia após cada processo de limpeza, para que sejam alimentados com energias favoráveis para o seu melhor desempenho.

Existem diversas formas de dar energia aos cristais como por exemplo: a sua exposição à luz solar ou através de um praticante de Reiki com o 2.º ou 3.º nível, com a utilização dos símbolos do Reiki.

EFEITOS

Ágata

Protege mãe e filho durante a gravidez.
Atração do sexo oposto
Felicidade e Fortuna
MATERIAIS DE ORIGEM -
Sílica, dióxido com ferro, cálcio, sódio, manganês, cromo, traços de alumínio.
COLORAÇÃO -
Cinzento, laranja, cor de areia, marrom, negro, azul-brilhante, esverdeado, diversos traços, variados desenhos e amostras.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Brasil, Botswana, Alemanha, Índia, Madagáscar, EUA.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO - Em geral
: vasos sanguíneos, cotovelos, órgãos da reprodução, audição, sistema linfático, nervos, gravidez, reumatismo, rins, fígado, olhos, inflamações das juntas e do joelho, próstata.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Bem-estar, conhecimento do carácter das pessoas, naturalidade, recomeço, gravidez, proteção, autoconfiança, voltar-se para o próprio eu. Protege a casa e o lar.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pêndulo, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Ametista

Calmante
Afasta negatividade
Transmite Paz e Harmonia
MATERIAIS DE ORIGEM -
Sílica, dióxido com ferro, manganês, titânio, cálcio, magnésio, traços de cromo.
COLORAÇÃO -
Violeta-claro até escuro, translúcido até transparente.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Brasil, Madagáscar, Namíbia, Sri Lanka, Uruguai, EUA.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Pâncreas, vasos sanguíneos, coração, cabelos, pele, cabeça, circulação, fígado, nervos, stress.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
A autocontemplação, sensação de liberdade, fluxo do pensamento, sensação de comunhão, senso de correção, consciência da divindade, harmonia, sono, auto controle, consciência do auto valor, tolerância.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pêndulo, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Azurita

Conhecimento de si próprio
Abre o terceiro olho
Telepatia
MATERIAIS DE ORIGEM -
Cobre, carbono, cálcio, cobalto, zinco, enxofre, ferro, cromo.
COLORAÇÃO -
Azul-marinho até azul muito escuro, opaca.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
EUA, México, Namíbia, Chile, Austrália.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Ossos, cabeça, coluna vertebral, nervos, calmante.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Capacidade de aceitação de fatos, consciência, terceiro olho, capacidade de elaboração de acontecimentos, decisão, intuição, telepatia, compreensão, imaginação.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pingente.

Citrino

Pedra do sucesso profissional
Combate energias negativas
Proporciona paz interior
MATERIAIS DE ORIGEM -
Sílica, dióxido com ferro, manganês, titânio, cálcio.
COLORAÇÃO -
Amarelo-claro até marrom-dourado, marrom-avermelhado, transparente até translúcido.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Brasil, Colômbia, EUA, Madagáscar.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Vitalidade, estômago, intestinos, rins, fígado, crescimento dos cabelos, musculatura, problemas dos nervos.EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO - Boa disposição de espírito, formas claras de pensamento, disposição para aceitar meios-termos, disposiçaõ afirmativa diante a vida, motivação, coragem, retificação das metas, disposição para o carinho, emoções, força do Sol para o coração e a alma.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pêndulo, pingente, cordão.

Esmeralda

Pedra milagrosa do amor
Rejuvenescimento
Inteligência e Comunicação
MATERIAIS DE ORIGEM -
Alumínio, berilo, silicone, enxofre, parcialmente zinco, fósforo, ferro.
COLORAÇÃO -
Verde-claro, verde-escuro, verde-amarelado, transparente a translúcido.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Índia, Paquistão, Austrália, EUA, África do Sul, Brasil.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Reumatismo, musculatura, perturbações do ritmo cardíaco, musculatura do coração, sistema nervoso, visão, equilíbrio corporal, unhas, cabelos.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Dar animação, desenvolvimento da energia, fortalecimento da memória, dissolução de hábitos, senso de beleza, senso de coragem, fidelidade, compreensão e harmonia.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pingente.

Fluorita

Pedra do amor
Altamente calmante
Concentração
MATERIAIS DE ORIGEM -
Cálcio, fluorita com cromo-ferro, enxofre, cobre, vestígios de manganês.
COLORAÇÃO -
Incolor, vermelha, alaranjada, amarela, branco-amarelado, rosa, violeta, verde, azul-violetada até escuro.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Espanha, México, EUA, China, Austrália.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO
- Cérebro, coração, rins, pulmões, dentes, gengivas, artrite, artrose, gravidez, cabeça, enxaqueca, infecções, estimulante sexual.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Concentração, alegria no amor, autoconfiança, compreensão, percepção da realidade, dissipa marcas do passado, infunde calma profunda.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pingente, cordão.

Hematita

Traz equilíbrio emocional
Absorve baixas energias
Protege contra magia negra
MATERIAIS DE ORIGEM -
Óxido de ferro magnético, ferro, sílica, manganês, fósforo, traços de cálcio.
COLORAÇÃO -
Cinza, cinza-aço até negro, opaco.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Suécia, Noruega, Espanha, Ilha de Elba, Brasil.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Perturbações de menstruação, vitalidade, frescor, aparência juvenil, olhos, pernas, renovação do sangue, prisão de ventre, pés, articulações, pele, cabeça, fígado, baço.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Disposição para o trabalho, capacidade de se relacionar com outras pessoas, disposição habilidosa, fortalecimento, disposição para novos empreendimentos, realização, sono, gravidez.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pêndulo, esfera, ovo, pingente, cordão.

Lapis Lazuli

Aumenta nossas energias positivas
Promove a intuição
Proporciona profunda meditação
MATERIAIS DE ORIGEM -
Sódio, alumínio, sílica com cálcio, magnésio, enxofre, zinco, cobalto.
COLORAÇÃO -
Azul-real até azul-esverdenhado, azul-claro, azul-escuro, parcialmente com inclusões douradas, opaca.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Chile, Afeganistão, Burma.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Sangue, coração, pulmão, articulações, cérebro, cabelos, pescoço, laringe, tiróide, dores de cabeça, perturbações menstruais, irradiações de computadores.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Inspiração, clareza, meditação, vitalidade, promove a concentração, amor, parceria, amizade, relaxamento, limpeza espiritual, disciplina.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Olho de Tigre

Pedra de proteção em geral
Afasta olho-grande
Clareza do pensamento
MATERIAIS DE ORIGEM -
Silicato, dióxido com ferro, enxofre, manganês, traços de cromo.
COLORAÇÃO -
Amarelo-dourado até marron-dourado, marrom até marrom-enegrecido, opaco.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
África do Sul, Austrália, Burma, EUA, Índia.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Doenças nervosas, inflamações dos nervos, mania de perseguição, efeitos terapêuticos sobre os ossos, reumatismo das juntas, lumbago, estabiliza troca de tecidos, fortalece o fígado, minora problemas de asma, falta de ar, alergias, olhos, brônquios e plexo solar.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Senso de equilíbrio, capacidade de iniciativa, eleva a capacidade de raciocínio, por exemplo, no caso de exames. Relaxamento, harmonia, capacidade de assumir compromissos, confiança.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, pingente, cordão.

Ônix

Protege contra a magia negra
Harmoniza momentos difíceis
Aumenta a concentração mental
MATERIAIS DE ORIGEM -
Sílica, dióxido com traços de zinco.
COLORAÇÃO -
Preto.amarronzado, parcialmente com veios brancos, opaco.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Brasil, Uruguai, Índia.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Articulações, cabelos, ossos, cartilagens, unhas, ouvidos, células.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Capacidade de definição de limites, disciplina, capacidade de concentração, beleza, auto-respeito, autocontrole.

Quartzo Rosa

Pedra que incentiva o amor
Regula as energias emocionais
Tem função calmante
MATERIAIS DE ORIGEM -
Sílica, dióxido com manganês, cálcio, ferro, magnésio.
COLORAÇÃO -
Rosa-forte, rosa-pálido, translúcido até transparente.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Brasil, EUA, Madagáscar.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Coração, sangue, circulação sanguínea, órgãos sexuais, ovários, peito, útero, intestino grosso, pâncreas, fígado, vasos sanguíneos, pele, mais vitalidade e fecundidade, perturbações de sono, irradiações terrestres, irradiações aquáticas.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Amor, amizade, acompanhamento do parto, sentimento de felicidade, amor ao próximo, delicadeza, comodidade, sensação de beleza, consolação, compreensão, confiança, sonhar acordado, sensação de bem-estar, desejos sexuais.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, em forma de coração, pêndulo, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Sodalita

Equilíbrio emocional
Ativa pensamento lógico
Inspiração artística
MATERIAIS DE ORIGEM -
Enxofre, alumínio, sílica com cobalto, cálcio, zinco e traços de manganês.
COLORAÇÃO -
Azul até azul-intenso, índigo com veios cinzentos e brancos, opaca até transparente.
LOCAIS ONDE É ENCONTRADA -
Brasil, EUA, África, Índia.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O CORPO -
Glândula tiróide, pâncreas, metabolismo, acalma os nervos, abaixa a pressão sanguínea, conteúdo hormonal e cérebro.
EFEITOS TERAPÊUTICOS PARA O ESPÍRITO -
Compreensão, presença de espírito, inspiração, capacidade de aprendizado, desenvolvimento da personalidade, desempenho na escola, autoconfiança, estabilidade, desenvolvimento contínuo, melhora dos objetivos de vida.
FORMAS EXISTENTES -
Pedra bruta, lapidada, esfera, ovo, pingente, obelisco, pirâmide, cordão.

Pedras

Com o advento da Nova Era, que ganhou força na década de 1970 e se tornou “moda” nos anos 80 e 90, os cristais passaram a figurar nas decorações das casas, nos pingentes e brincos, ou em forma de pequenas pirâmides, de utensílios, de incensários… Mas, na prática, poucos são aqueles que sabem usá-los corretamente.

Os cristais funcionam como amplificadores da energia cósmica. Sendo assim, podem nos servir como verdadeiros intrumentos de magia.

No momento em que se decide trabalhar com cristais, deve-se ter a precaução de fazer isso da maneira certa. O primeiro passo é uma escolha bem feita.

Alguns místicos defendem a idéia de que o cristal em estado bruto tem mais força do que o lapidado, pois não sofreu tanto a influência do homem.

Mas, desde que seja programado adequadamente, o cristal lapidado pode ser usado da mesma forma.

Pedras quebradas não servem, pois sua energia fica comprometida.

Do mesmo modo, cristais sintéticos (ou seja, produzidos em laboratório) não têm poder algum e sua única função é estética.

Características

O poder dos cristais está diante de nós e não pode ser negado. Atualmente, eles são utilizados no mundo para muitas finalidades.

Até 1980, havia pouca informação no que concerne aos aspectos esotéricos e curativos dos cristais e ao seu uso remoto nas civilizações antigas.

Atualmente, a informação disponível é abundante em todos os aspectos, das mais diferentes perspectivas sobre o poder, o potencial e o uso de cristais, para as milhares de pessoas que estão se sentindo instintivamente atraídas para seu uso, quer no desenvolvimento pessoal, quer nas práticas curativas.

Os cristais possuem, além da característica beleza de suas formas e cores e do imenso uso tecnológico dos dias atuais, um mistério que remota às civilizações antigas. Muitas tradições iniciáticas contam que o continente da Atlântida desapareceu nas águas do oceano devido ao uso incorreto dos cristais.

No Egito dos faraós, costumava-se cobrir as múmias das pessoas da aristocracia com pedras preciosas. Os antigos gregos conheciam o poder de regeneração dos cristais e os utilizavam em banhos de imersão. Acreditavam que agindo dessa maneira, conservariam a pele jovem por mais tempo.

Na Índia, os cristais sempre foram usados como talismã para combater o mau olhado e atrair saúde e prosperidade. E os maias, um dos povos mais evoluí- dos da América pré-colombiana, costumavam empregar os cristais no tratamento de doenças e nos rituais religiosos.

A cura pelos cristais é uma arte progressiva, que tem o potencial de obter uma cura completa, inclusive de ordem mental, emocional, física e espiritual. Praticar a cura pelos cristais é uma oportunidade de se fundir com Deus.

Os cristais e as pedras preciosas nos centros vitais do corpo refletem e produzem energia que inunda a aura de luz. Com a aura aberta e desobstruída, os centros dos chakras são ativados, possibilitando um contato consciente com os aspectos mais profundos e puros do ser.

A ORIGEM

Dizem os místicos que estudam a cristalomancia, que as pedras possuem uma afinidade com os seres humanos. Ambos surgiram da ação das forças cósmicas. No início dos tempos, água e pedra não estavam separadas. Com a evolução, o homem ganhou vida e passou a ter órgãos dos sentidos e a Terra, pedras preciosas.

Assim, como existem pessoas que possuem clarividência (vêem espíritos com a mesma nitidez com que enxergamos pessoas do nosso mundo) e clariaudição (dom de escutar vozes de espíritos), há pedras que vêem e pedras que ouvem. É com base nessa relação que as pedras podem nos curar e nos ajudar no dia a dia.

COMO UTILIZAR AS PEDRAS

Os cristais dentro de casa são utilizados como protetores de ambiente. Junto ao corpo protegem contra vibrações negativas ou para o bom andamento de um problema, para isso é necessário desenvolver a sensibilidade, mentalizar sensações positivas e manter uma relação de amizade com o cristal.

A troca de energias entre o cristal e a nossa mente produzirá a neutralização das vibrações negativas e nos auxiliará em nossas necessidades.

COMO CUIDAR DE SUAS PEDRAS

Anéis, pulseira ou colar com pedras deve-se lavar semanalmente em água corrente para tirar a oleosidade do corpo e ao mesmo tempo, livrar-se das influências negativas que a pedra retém.
Após alguma discussão em sua casa lave seus cristais e suas pedras em água corrente deixando-as ao sol para secar.
Assim que você adquirir uma pedra lapidada lave-as com sal para retirar a energia da pessoa que as lapidou.
Sempre que um estranho tocar na pedra, ela deverá ser lavada com água corrente e sal e deixa-la ao sol para secar.
Quando o cristal for utilizado como jóia, nunca deixe-o virado para baixo. Isso descarrega a energia de seu usuário.

Mundo Mineral

Ágata

Origem do nome

O nome provavelmente é derivado de ACHATES, um rio da Sicília, onde era extraída na Antiguidade.
A característica básica é ser formada por microscópicos cristais de quartzo, dispostos em bandas de cores distintas. As cores e formas são tão variadas que uma coleção de pedras de Ágata, pareceria uma coleção de muitas pedras diferentes. A maioria das ágatas coloridas que vemos hoje, são tingidas artificialmente.

História

Há 3000 anos a Ágata já era trabalhada no Egito sob a forma de selos, pedras para anéis, gemas e vasilhas. Foi utilizada também como amuleto, para proteger do raio e da tempestade.
A Ágata musgosa, uma variedade que tem em sua estrutura, filamentos de musgo, era levada pelos agricultores penduradas em seu corpo ou amarradas no chifre do boi do arado, para garantir colheitas abundantes.

Agua Marinha

Origem do nome

O nome é devido à sua cor ser semelhante a água do mar.
A cor varia do azul-claro ao azul, pertence à família do Berilo, juntamente com a esmeralda.

História

Através dos séculos tem sido conhecida como a "Pedra dos Marinheiros", e possui a capacidade de proteger os viajantes, e particularmente a todo tipo de viagem por mar ou ar.
No passado era utilizada para a confecção de armação de óculos, que surtiam nas pessoas um efeito tranquilizador.
Na Idade Média acreditava-se que atuava como tônico. Supunha-se que atraía a ajuda e proteção dos espíritos da luz e da sabedoria.
Atualmente é considerada benéfica para proporcionar calma, facilitar a comunicação e o diálogo, devido a sua cor estar relacionada com o chackra laríngeo.
A maior água-marinha com qualidades para ser lapidada foi encontrada em Marambaia, Minas Gerais (Brasil). Pesava 110,5 Kg, media 48,5 cm de comprimento e 41 cm de diâmetro. A partir dela foram lapidadas pedras de menor tamanho.
Os cristais de água-marinha natural podem ser objetos impressionantes. Um exemplo espetacular registrado foi um cristal de 2,20 metros de comprimento, 40 cm de diâmetro com mais de 120 quilos, transparente de extremidade a extremidade, com o centro azul e o exterior esverdeado. Na época foi negociado por 25.000 dólares.
O nome é devido à sua cor ser semelhante a água do mar.
A cor varia do azul-claro ao azul, pertence à família do Berilo, juntamente com a esmeralda.

Alexandrita

Origem do nome

Foi descoberta na Rússia, no início do século XIX. O nome é em virtude do Czar Alexandre II. Tem uma característica muito interessante, a cor é verde com a luz do dia e vermelha com luz artificial.

História

A maior pedra encontrada pelo homem, foi em Sri Lanka e tinha 1.876 quilates, a maior lapidada pesa 66 quilates e se encontra no Smithsonian Institution em Washington.

Âmbar

Origem do nome

Os romanos o conheciam como sucinnum, que significa 'pedra de seiva', e também foi chamado de electrum, do qual vem 'eletricidade', pois foi utilizado nas primeiras demostrações de eletricidade estática.
É uma resina fossilizada de pinheiros, extintos a aproximadamente 50 milhões de anos. Em seu interior normalmente são encontrados fragmentos de pequenos insetos, pétalas, sementes e outros remanescentes de origem pré-histórica, por isso é uma das preferidas dos arqueólogos.

História

Foi a primeira substância usada pelo homem com fins decorativos, e foi encontrada em sítios arqueológicos da Idade da Pedra, sob a forma de talismãs e amuletos.
No Tibet o âmbar está associado com a busca da perfeição e do equilíbrio interior.

Ametista

Origem do nome

O nome vem dos gregos que a chamavam de AMETHYSTOS, que significava "Contra a embriaguês".
Pertence à família do Quartzo e sua cor está baseada em tons de violeta.

História

Tradicionalmente era recomendada para a cura do alcoolismo. Diziam que o seu uso tinha um efeito poderoso naqueles que usavam muito frequentemente o "copo".
Essa idéia da sobriedade nos tempos antigos, tinha uma base simples: servia-se vinho em xícaras de ametista talhada. A cor púrpura reforçava naturalmente, a cor do vinho, permitindo que os servos o aguassem ou mesmo servissem água pura a amos bêbados demais para perceber a diferença.
No século XV, acreditava-se que a ametista tinha o poder de controlar pensamentos maléficos.

Azurita

Origem do nome

Devido à sua cor azul, é conhecida como Azurita.
É uma das poucas pedras azuis da natureza, variando do azul-celeste até um azul tão escuro que parece negro.

História

Foi utilizada por sacerdotes e sacerdotisas do antigo Egito para aumentar a consciência espiritual.
Tem a mesma composição química da Malaquita. Muitas vezes são encontradas juntas na natureza, azul brilhante com verde brilhante.
Com o tempo tem a tendência de alterar a Malaquita. Alguns pintores medievais faziam seus pigmentos azuis com Azurita amassada, agora alterada para a Malaquita, o que tornou verdes os céus originalmente azuis dos quadros.

Calcedônia

Origem do nome

É conhecida assim, devido a uma antiga cidade grega chamada Caldedônia.
Sou uma pedra cinza-azulada, ligeiramente translúcida, encontrada com frequência em fissuras rochosas, cavidades e geodos.

História

A literatura nos conta que, nos tempos antigos, a Calcedônia era muitas vezes usada na construção de cálices. O cálice era então revestido com prata e essa combinação protegia o líquido de envenenamentos, preservando-o de influências negativas - uma importante providência naqueles tempos, quando o envenenamento era um dos meios para se livrar de inimigos.
No século XII, o bispo Marbodo escreveu que a Calcedônia curava enfermidades da vesícula.

Cornalina

Origem do nome

Denominada a partir do latim CARNE, pois costumava ser associada com o sangue, a carne, e o mundo material.
Sua cor é avermelhada. Também é conhecida como: Cornélia, Carnalina, Pedra de Meca.

História

A Bíblia menciona o uso da pedra como ornamentação em peitorais de sacerdotes e de soldados.
Dizia-se que: "Nenhum homem que use uma Cornalina foi encontrado em uma casa destruída ou sob uma parede caída".
Maomé usava um anel de Cornalina como um talismã para um feliz pós-vida.
No Egito a Cornalina representava o sangue, a virtude e o poder mágico da Grande Deusa Ísis.

Crisólita

Origem do nome

Os gregos a conheciam como "pedra de ouro"
As colorações variam do amarelo ao verde.

História

Chamada de Topázio pelos antigos, a Crisólita era um pedra importante para os Egípcios que diziam que a "Ilha da Serpente", no Mar Vermelho, era vigiada por guardiães que matavam livremente quem roubasse pedras sem autorização. A crisólita era minerada após o anoitecer, quando se revelava por sua radiância: o lugar era marcado e os mineradores voltavam no dia seguinte para retirá-la.
Diz-se que a Crisólita incrustada em ouro, dissipa os terrores da noite. Sua reputação de espantar espíritos malignos, provavelmente deve-se em parte à sua associação com o sol, cujos raios de vida dispersam os poderes da escuridão.

Cristal de Quartzo

Origem do nome

O nome vem do grego 'krystallos', que significa gelo, pois na Antiguidade acreditava-se que era um gelo eterno. Apesar de seu nome correto ser Cristal de Rocha, é também chamada de Quartzo.
Como o nome diz, realmente parece gelo eterno, pois sua aparência mais conhecida, é incolor e transparente, normalmente encontrado com 6 lados.

História

O maior Quartzo registrado até hoje, tem 6 metros de comprimento.
No passado a luz do sol focalizada através do quartzo, era utilizada para cauterizar feridas.
Os Xamãs, indígenas americanos, usavam cristais de quartzo como instrumentos de adivinhação e de caça, acreditando que as pedras eram habitadas por espíritos que tinham de ser alimentados periodicamente esfregando-se nos cristais o sangue de veados.
Os índios mexicanos acreditavam que os quartzos eram habitados pela alma dos mortos.
Alguns acreditam que os cristais de quartzo foram utilizados para fazer levitar imensos blocos de pedra para a construção do Templo de Salomão.As senhoras romanas portavam bolas de cristal de quartzo não somente para fins medicinais como também para esfriar as mãos no tempo quente.
Afirma-se que cristais geradores eram utilizados na Atlântida para fornecer energia elétrica, aquecimento, luz e outras fontes de força.
Existe uma crença folclórica que dizia que para matar a sede, era só manter um quartzo na boca.

Diamante

Origem do nome

Era conhecido pelos gregos como "inconquistável ou indomável".
É a mais dura substância produzida pela natureza. Sua cor predominante é o incolor, mas pode também ser encontrado em outras cores: amarelo, castanho, verde, azul, avermelhado e negro.

História

O maior diamante foi encontrado na África do Sul em 1905, e tinha 3106 quilates, que deu origem a 105 pedras de menor tamanho. Dentre elas está o diamante Cullinan I com 530,20 quilates que adorna o cetro do Rei Eduardo VII, que está na Torre de Londres, também chamado de "Estrela da África".
De todos os diamantes conhecidos, a pior fama é do Hope, o Diamante Azul, que a lenda o rebatizou como "A pedra que mata". Segundo a lenda, ele se encontrava na frente de uma importante estátua de Budha quando foi roubado por um guerreiro, que pouco depois foi assassinado. Depois disso um comerciante vendeu a pedra para o rei Luis XIV.
Pouco depois o comerciante empobreceu, contraiu uma doença e morreu em meio a terríveis convulsões. Quando a Madame de Monespan, obteve a honra de provar o diamante, foi abandonada e morreu sozinha na pobreza. Depois da Revolução Francesa, o diamante foi escondido em edifício Guarda-Móveis Nacional, de onde foi roubado em 1791.
Seis anos depois, os ladrões foram condenados a pena de morte. Em 1830 o Hope foi comprado em um leilão por 90.000 libras esterlinas, por Francis Hope, membro do parlamento, que morreu logo depois, de mal súbito.
Posteriormente, sua viúva morreu queimada na mansão. Seu herdeiro e sobrinho Thomas, pouco tempo depois de receber a pedra, foi a falência nos negócios e abandonado pela esposa. Thomas se desfez do diamante, que foi comprado pelo príncipe russo Iva Kitanovski, para presenteá-lo a uma bailarina. Na noite que o usou pela primeira vez foi assassinada com um tiro. Após uma série de tragédias, a pedra ficou com o sultão Abdul Mamid II, ao se ver forçado a abdicar a favor de seu irmão, levando o Hope entre seus pertences para o exílio.
No inicio do século adquiriu-o a família Mac Lean, pouco depois, um de seus filhos se suicidou e outro morreu em acidente de automóvel. Mac Lean caiu em depressão, e morreu meses depois em uma clínica para doentes mentais. O diamante Hope se encontra atualmente no Smithsonian Institute de Washington, onde seu fluxo magnético não transpassa o grosso cristal da vitrine onde é exposto aos turistas.

Esmeralda

Origem do nome

Os gregos a conheciam como "smaragdos", mas provavelmente a origem do nome seja persa ou hindu, significando "pedra verde"
Pertence à família do Berilo, juntamente com a água-marinha.

História

Acreditava-se que as esmeraldas serviam para adivinhar eventos futuros, mas não sabemos se as visões eram realmente observadas na pedra, como são em esferas de cristal ou berilo, ou se uma esmeralda dotava o usuário de conhecimentos sobre o futuro.
Como uma inimiga, de todos os encantamentos e conjurações, as esmeraldas eram temidas pelos mágicos, que não se consideravam aptos a atuar se uma pedra estivesse nas proximidades.
As esmeraldas eram empregadas como antídoto para venenos e feridas, assim como contra possessões demoníacas. Usadas ao redor do pescoço eram vistas como um fator de cura para a epilepsia.
No século III, a pedra preciosa era sugerida para a vista cansada. Esta teoria era tão prevalecente naquele tempo, que os gravadores de pedra conservavam esmeraldas em suas mesas de trabalho de modo a poder, de tempos em tempos, olhar para elas para aliviar a fadiga dos olhos.
A tradição medieval dizia que o Santo Graal fora esculpido a partir de uma única esmeralda grande, que caíra da coroa de Satanás durante a sua descida do céu para o mundo inferior.
Dizia-se que a Esmeralda fazia mal aos olhos das cobras, chegando até a cegá-las.
Uma das peça mais fabulosas de Esmeralda, é um pequeno frasco de unção, de 12 cm de altura e 2.205 quilates, talhado de um único cristal de esmeralda, pertencente às jóias da Câmara do Tesouro de Viena.

Granada

Origem do nome

O nome veio da palavra latina 'granatum' que significa romã, pois essa fruta representava o ventre materno. Pensava-se que as granadas só deviam ser usadas por mulheres devido à sua ligação com a força vital feminina.
É uma pedra de cor vermelho escuro.

História

Em Sri Lanka diz-se que as granadas protegem quem as leva de serem apunhaladas ou de sofrer um acidente em que haja derramamento de sangue.
Acreditava-se que as granadas não podiam ser roubadas, porque trariam ao ladrão uma catastrófica má sorte até serem devolvidas ao seu legítimo dono.
Dizia-se que seu portador teria melhorada a circulação do sangue e o coração.
Balas de granada foram utilizadas pelos soldados indianos, quando combatiam os britânicos em Cachemira, com a intenção de causar ferimentos que não curassem.

Heliotrópio

Origem do nome

Os gregos deram esse nome, significando "Trópico Solar", cujo significado hoje em dia é incompreensível.
É uma pedra verde escura com pontos vermelhos.

História

Dizia-se que era capaz de anunciar futuros eventos, produzindo chuvas e 'oráculos auditivos', dizia-se ainda que a pedra preservava as faculdades e a saúde do corpo do seu usuário, trazendo-lhe respeito e consideração, e protegendo-o contra fraudes.
Os antigos egipcios, além de buscarem o Heliotrópio para abrandar a cólera de reis e déspotas, usavam-na contra os tumores.
A tradição cristã dizia que a pedra fora salpicada pelo sangue de Jesus na crucificação.

Hematita

Origem do nome

O nome significa "Pedra sangue", de origem grega "HAIMA" que significava sangue, pois quando era cortada ou lapidada, o contato do óxido de ferro com a água, formava um fluido vermelho, que parecia sangue.
Pode ser prateada, marrom-avermelhada ou preta. Também é conhecida como ESPECULARITA (do grego: espelho), pois na Antiquidade os seus cristais brilhantes foram utilizados como espelho.

História

Diz-se que Cleópatra possuía um capacete cerimonial totalmente coberto de Hematitas e que o usava com frequência na convicção de que ajudaria a manter-se eternamente jovem.
As múmias do Egito costumavam ser providas com travesseiros de Hematita.

Jade

Origem do nome

O nome vem desde à época da conquista espanhola na América Central, e significa "piedra de ijada" (pedra do rim), porque consideravam o Jade um meio de proteção e cura de enfermidades dos rins.
É uma pedra dura, compacta e esverdeada.

História

O Jade é a pedra sagrada da China, onde é conhecido como "yu".
Os noivos chineses costumavam presentear as noivas com borboletas de Jade como símbolo de amor.
Os recém-casados costumavam beber juntos numa taça de Jade para confirmar os seus votos.
Afirmavam também que Jade em pó misturado com água e tomado antes da morte, preservava o corpo do morto da deterioração.
A apreciação dos chineses pelo Jade é tão grande, que aqueles que podem, carregam consigo, pequenas pedras de modo a tê-lo sempre à mão. Eles acreditam que quando manuseado, parte de sua virtude secreta era absorvida pelo organismo.
Para os chineses, o Jade é considerado essência concentrada de amor.
Os egípcios, mexicanos e chineses colocavam pequenas peças de Jade na boca dos mortos.
Da metade do século XVII até os dias de hoje, acredita-se que o Jade pode ajudar a expelir cálculos dos rins.
Nos tempos pré-históricos, o Jade era um material muito apreciado para a fabricação de armas e instrumentos em toda a Terra, devido à sua extraordinária resistência. Por isso ele também é chamado de "Pedra Flecha".
Há 2000 anos o Jade é utilizado na China para o culto dos deuses, sendo trabalhado na forma de figuras míticas e outros símbolos.

Jaspe

Origem do nome

Os gregos o chamavam assim pois significava "Pedra manchada".
É uma pedra com diversos tons de cores.

História

Na antiguidade, o Jaspe tinha uma grande reputação como provocador de chuvas.
No século IV, o Jaspe era reconhecido como dispersador de espíritos malignos e protetor daqueles que o usavam contra mordidas de criaturas venenosas. Um autor anônimo alemão do século XII, assegurava que, se o Jaspe fosse colocado em uma mordida de cobra, o veneno da ferida seria totalmente absorvido.
O Jaspe era incrustado em ouro e usado sobre o peitoral dos grandes sacerdotes no tempo de Aarão.
Galeno recomendava amarrar jaspe na coxa das mulheres para facilitar o parto.

Lapis Lazuli

Origem do nome

O nome vem do latim: LAPIS - que significa pedra, e LAZULI - que significa azul.
É uma combinação do mineral azul Lazurita, estrias brancas de Calcita e algumas partículas douradas de Pirita.

História

A tradição diz que as leis dadas a Moisés estavam gravadas em tábuas de Lapis-Lazuli.
Usado há séculos com finalidades decorativas, os exemplos mais conhecidos são os artefatos usados pela antiga civilização egípcia.
Nomeado CHESBET, pelos egípcios, uma quantidade de Lapis-Lazuli muitas vezes aparecia como um item importante na lista de tributos a serem pagos ao Egito, pelos países sob sua influência. Frequentemente participava da lista de presentes enviados pela Babilônia. Os Lapis-lazuli da Babilônia eram das mais antigas minas do mundo, as quais já estavam sendo mineradas no ano 4000 A.C. (e ainda hoje se trabalha nelas).
O Lapis-Lazuli era consagrado a Ísis.
Dizia-se que o sumo sacerdote do Egito usava suspenso no pescoço, uma imagem de MAT, deus da verdade, feita dessa pedra.
Era triturada e misturada com pigmento e nessa forma foi usada por séculos como maquiagem cara e luxuosa, assim como tinta para artistas renomados.
O Lapis-Lazuli era uma das pedras utilizadas sobre o peitoral dos mais altos sacerdotes de Israel.
Os sacerdotes egípcios acreditavam que meditando na profundidade de suas tonalidades, conseguiam penetrar em seus mistérios, e estabelecer contato com os deuses.
O antigo palácio de Petisburgo da célebre família russa Orlov, possuia uma sala de recepção cujas paredes se encontravam completamente cobertas de Lapis-Lazuli, na crendice de que assim, nenhuma desgraça poderia ocorrer naquele casa.

Magnetita

Origem do nome

Conta-se que um pastor chamado Magnes a descobriu enquanto pastoreava suas ovelhas, porque os pregos dos seus sapatos ficaram aderidos a pedra, daí o o nome Magnetita.
É uma pedra cinza metálico, e também o único ímã produzido pela natureza.

História

Alexandre, o "Grande", deu a seus soldados pedaços desse mineral como defesa contra as ações nefastas dos espíritos malignos. Esta pedra juntamente com o ferro comum magnetizado, era considerado uma defesa segura contra encantamentos.

Malaquita

Origem do nome

Devido a sua cor verde, era conhecida pelos gregos como MALAKHE, que significa "Malva".
Sua característica mais marcante é a cor verde, com bandas claras e escuras com anéis concêntricos. São raros os pedaços grandes com cor homogênea.

História

Os egípcios utilizavam as pedras pulverizadas como remédio para a vista.
Cleópatra utilizava pó de Malaquita como cosmético.
Na Itália, a Malaquita era utilizada contra mau olhado.
Ela era considerada um talismã particularmente apropriado para crianças. Amarrar uma dessas pedras a um berço fazia com que todos os maus espíritos se afastassem, permitindo que a criança dormisse calma e pacificamente.
Em algumas partes da Alemanha a Malaquita dividia com a Turquesa a reputação de proteger o usuário do perigo de quedas. Dizia-se que ela dava um aviso do perigo próximo, quebrando-se em pedaços.
As coroas dos Faraós quase sempre possuiam Malaquitas aplicadas, pois estavam convencidos de que sua influência favorecia a justiça e o equilíbrio das decisões.
Segundo uma lenda Russa, quem beber de um recipiente de Malaquita compreenderia a linguagem dos animais.

Obsidiana

Origem do nome

O nome era Obsius, que foi o seu descobridor na Etiópia, mas devido ao erro de leitura dos manuscritos antigos, ficou conhecida como Obsidiana.
É como um vidro natural, formada a partir de material vulcânico exposto de repente ao ar e resfriado rápido demais para formar cristais.

História

Devido à sua abundância na natureza em antigas civilizações ele era usado frequentemente como ornamento, espelho, facas e jóias.
Os Maias usavam a Obsidiana em forma de facas nas suas cerimônias, nos rituais e sacrifícios realizados.
Diz-se que espelhos desse material foram usados para adivinhação no antigo México e paises vizinhos.

Opala

Origem do nome

O primeiro nome veio do sânscrito "UPALA", que significa "pedra valiosa".
É uma pedra composta de aproximadamente 30% de água, porisso se você quiser vê-la sempre bonita, mantenha imersa na água. Seu nome tem batizado o fenômeno da opalescência, que consiste em um fenômeno de reflexão da luz, fazendo com que suas cores sejam variadas dependendo do ponto de observação.

História

Na Idade Média, dizia-se que a Opala curava doenças dos olhos e o poder mágico da pedra poderia supostamente tornar seu usuário invisível. Por causa desse atributo era chamada de protetora dos ladrões.
Dizia-se também que moças louras valorizavam acima de tudo colares de Opala, pois quando usavam esses ornamentos seus cabelos guardavam sua linda cor.
Em algumas religiões da América do Sul, ainda hoje se evita pronunciar o nome "Opala",utiliza-se sinônimos como a "Pedra da Morte".

Ouro

Origem do nome

Do latim "AURU".
É encontrado na natureza sob a forma de grãos e lâminas, mas também raramente sob a forma de cristais. Devido a variação de impurezas, sua cor amarelo metálico pode variar. É imune à ferrugem, corrosão, sujeira, água e aos ácidos. Seu único inimigo é a Aqua Regia, uma mistura dos ácidos nítrico e hidroclorídrico, que infelizmente o dissolve.

História

Em algumas culturas, acreditava-se que somente o Ouro podia promover a ressurreição dos mortos, o que levava as pessoas a exigí-lo nos funerais.
O costume de passar ouro no Terçol, vem desde 79 D.C., e ainda hoje é utilizado com sucesso.
Acreditava-se que as coroas de Ouro da realeza, não eram utilizadas apenas por ostentação, mas por motivos mágicos, pois o Ouro conduz os poderes místicos das pedras que haviam na coroa.
Os Hindus antigos chamavam o Ouro de Luz Mineral, acreditando ser ele formado pela luz solar 'engolida' pela terra.

Pirita

Origem do nome

Seu nome vem do grego: PYTIRES, que significa pedra que emite calor ou cintilações. Pois quando era golpeada pelo ferro havia grandes faíscas.
É uma pedra da cor do ouro, que se apresenta cristalizada na forma de cubos de aparência metálica.

História

Por causa do seu brilho natural, muitas vezes os garimpeiros amadores a confundem com o Ouro, daí o seu apelido de "Ouro dos Tolos".
No México antigo a Pirita era valorizada por suas qualidades refletoras, sendo utilizada muitas vezes como espelho.

Prata

Origem do nome

Do latim: PLATA, que significa chata, pois era facilmente transformada em lâminas.
É um metal maleável com um intenso brilho metálico.

História

Antigamente dizia-se que projéteis de Prata repeliam ou destruiam maus espíritos.
Os antigos em diversas culturas reverenciavam a Prata como o metal da Deusa Lua.
A Prata ainda é apreciada em ritos de passagem: batismos, casamentos, aniversários e celebrações.
A maior pedra bruta de prata foi encontrada em Cobalt no Canadá, e pesava 744 quilos.

Rubi

Origem do nome

Meu nome vem do latim: RUBINUS, que significa "Cor vermelha".
Depois do diamante, é a pedra mais dura da natureza. Sua cor tradicional é um vermelho profundo, mas também pode apresentar colorações rosa.

História

Os Rubis eram considerados pelos Hindus como as pedras mais valiosas porque preservavam a saúde do corpo e da mente.
Os Rubis antigamente eram valorizados por sua invulnerabilidade. Para se chegar a isso, o Rubi deveria ser inserido dentro da carne de modo a tornar-se parte do corpo. Aqueles que incrustavam Rubis em sua pele acreditavam que se tornavam inatingíveis por quaisquer feridas causadas por lanças.
Segundo a lenda Hindu, o Rubi vermelho foi criado a partir do diamante incolor de uma Maharani (rainha) quando esta foi assassinada por um cortesão ciumento. Seu sangue manchou a pedra e todas as outras iguais a ela.
As prescrições modernas são iguais às antigas, que o Rubi utilizado por uma pessoa, favorece a circulação do sangue e o coração.
É a pedra mais dura, depois do diamante, ainda que seja apenas 1/140 da dureza do diamante.
O maior Rubi digno de ser lapidado pesou 400 quilates, foi encontrado na Birmânia, e foi dividido em 3 pedras menores.
O maior Rubi lapidado é o Rubi Edward com 167 quilates, que está no British Museum of Natural History em Londres.

Safira

Origem do nome

Na Grécia era conhecida como SHAPPHIROS, que significa 'Amado de Saturno'.
Sua cor varia do azul-celeste ao azul-escuro.

História

Em 1966, foi encontrada a maior safira, um cristal com 63.000 quilates (=12,6 Kg).
A maior Safira lapidada está atualmente no American Museum of Natural History de Nova York, conhecida como a "Estrela da Índia", com 536 quilates.
A Safira é uma pedra digna de reis e confirma que os monarcas a usavam ao redor do pescoço como uma defesa poderosa contra quaisquer males. Dizia-se que ela preservava seu usuário da inveja e também atraía a presença divina.
O Bispo de Rennes, no século XII, devotou orações a Safira e recomendou o seu uso em anéis (naquela época a pedra era a preferida em anéis eclesiásticos, devido à sua afinidade com o céu).
Como a Esmeralda, era considerada um antídoto contra veneno.

Topázio

Origem do nome

Os gregos a conheciam como topazion, e no latim o era conhecida como topaziu
Sua cor mais comum é um irradiante amarelo, mas também pode apresentar tonalidades de verde, rosa, marrom e azul.

História

O Topázio azul, é conhecido como a "Gema da Verdade", pois tem conexão com o chackra da garganta e dava forças para exprimir até o que fosse mais difícil.
Um médico romano do século XV era famoso por ter curado milagrosamente muitas pessoas que pegaram a peste. O tratamento consistia em tocar as feridas com um Topázio que havia pertencido a dois papas, Clemente VI e Gregório II. O fato dessa pedra ter pertencido a dois pontífices deve ter aumentado a fé dos pacientes expostos a seus poderes curativos, ou realmente ela tinha poderes para a cura.
A Natureza já produziu cristais de Topázio pesando mais de 250 quilos.

Turmalina

Origem do nome

O Povo do Sri Lanka (Índia), desde 1703, já a chamava de TORAMALLI, que significa pedra colorida.
Nenhuma outra pedra é tão complexa quanto a Turmalina, que tem mais de 100 cores.

História

A Turmalina é uma pedra piroelétrica: aquecida, desenvolve uma carga estática que atrai poeira e outras partículas leves para a sua superfície, por isso os holandeses chamam a turmalina de "tira-cinza", usando-a para tirar cinzas do cachimbo.
No passado ela era a pedra da sorte para escritores, atores e artistas.

Turquesa

Origem do nome

Turquesa significa "pedra turca", pois era levada pelos turcos para a Europa. Os turcos a chamavam de "Fayruz", a pedra da sorte.
É uma pedra com tonalidades opacas, que oscilam entre o azul e o verde, podendo conter faixas ou manchas escuras (por inclusão de prata).

História

Todo navajo das tribos do sudoeste dos Estados Unidos, costumava carregar uma Turquesa pessoal.
Uma lenda indígena sugeria que um homem que pudesse ir ao fim do arco-íris e cavasse na terra encontraria uma Turquesa.
Eram colocadas Turquesas no batente das portas para proteger dos maus espíritos.
A tradição do Oriente Médio insiste que a turquesa guarda dos acidentes, especificamente os que envolvem queda. Porisso era, e em alguns casos ainda é, usada como amuleto para evitar que os cavalos ou os cavaleiros caissem. Devido a essa crença até hoje a Turquesa, é utilizada como talismã para equinos, acreditando que eles ficavam mais resistentes e com cascos firmes.
É verdade que a cor de algumas Turquesas é facilmente perturbada pelo calor, pela luz solar, pela humidade, pela transpiração ou pela água. Com isso dizia-se que a mudança de cor da Turquesa, para os árabes, alertava para a aproximação do perigo.
Devido a essa característica, quando as pedras são extraidas das minas, muitas vezes eles a mantém cobertas de terra úmida até as venderem, para preservar a sua cor.

Pedras e Profissões

ADVOGADOS: Esmeralda, Pedra da Lua, Rubi, Safira, Cristal de Quartzo, Lápis-Lazúli.
AMBIENTALISTA:
Esmeralda, Cornalina, Malaquita.
ARQUITETOS:
Cornalina, Cristal de Quartzo.
ARTISTAS:
Coral, Pérola, Quartzo Azul, Quartzo Rosa, Cristal de Quartzo, Rubelita, Crisocola, Pedra da Lua, Ametista.
ASTRÓLOGOS:
Cobre, Ametista, Malaquita.
ATLETAS:
Coral, Diamante, Esmeralda, Hematita, Ônix, Cornalina
ATORES: Topázio, Ágata, Cornalina, Sodalita, Água-Marinha.
BABÁS:
Quartzo Rosa, Hematita, Malaquita.
BANQUEIROS:
Diamante, Aventurina, Pedra do Sol.
CANTORES:
Água-Marinha, Aventurina, Lápis-lázuli, Sodalita.
CIENTISTAS:
Azurita, Diamante, Fluorita, Lápis-lazúli, Calcita, Pirita.
CIRURGIÕES:
Diamante, Fluorita, Hematita, Malaquita.
COMUNICADORES:
Aventurina, Granada, Jade, Lápis-lazúli, Malaquita, Olho de Tigre, Topázio, Citrino, Sodalita, Cristal de Quartzo.
CONSTRUTORES:
Cornalina, Ágata.
COSTUREIROS(AS):
Pérola, Peridoto.
COZINHEIROS(AS):
Ágata.
DANÇARINOS:
Ágata, Ametista, Esmeralda, Malaquita, Pérola, Opala, Sungilita, Pedra da Lua.
DENTISTAS:
Ágata, Coral, Peridoto, Diamante, Fluorita, Lápis-lazúli, Malaquita, Dolomita, Água-Marinha.
DETETIVES:
Olho de Tigre, Olho de Falcão.
DONAS DE CASA:
Ágata, Pedra da Lua, Quartzo Rosa, Esmeralda, Granada, Topázio.
EDUCADORES:
Ágata, Pedra da Lua, Jade, Pirita, Quartzo Rosa, Turquesa.
ELETRICISTA:
Ágata, Opala de Fogo, Cornalina, Turmalina.
ENFERMEIRAS:
Esmeralda, Heliotrópio, Jade.
ESCRITORES:
Safira, Lápis-lazúli, Sodalita, Malaquita, Esmeralda.
ESTUDANTES:
Sodalita, Lápis-lazúli, Quartzo Rosa, Amazonita, Enxofre.
EXECUTIVOS:
Safira, Lápis-lazúli, Pedra da Lua, Ágata, Cornalina, Malaquita, Ônix, Pedra do Sol.
FAZENDEIRO/JARDINEIRO:
Ágata, Âmbar, Ametista, Coral, Diamante, Esmeralda, Jade, Obsidiana, Pérola.
FUNCIONÁRIO PÚBLICO:
Cornalina, Citrino, Topázio, Quartzo Fumê.
GARÇONS/GARÇONETES:
Pedra da Lua.
INVENTORES:
Lápis-lazúli, Cristal de Quartzo, Sugilita, Crisocola.
JORNALISTA:
Safira, Lápis-lazúli, Cornalina, Rubi, Água-Marinha, Sodalita.
MÉDICOS:
Esmeralda, Malaquita, Quartzo Rosa, Rubi, Topázio.
MERGULHADORES:
Água-Marinha, Olho de Tigre, Malaquita.
MILITARES:
Cornalina, Jade, Rubi, Rodonita.
MINERADORES/GARIMPEIROS:
Malaquita, Turmalina
MINISTROS:
Ametista, Safira.
MOTORISTAS:
Malaquita, Ágata, Quartzo Rutilado, Cornalina.
MÚSICOS:
Cristal de Quartzo, Opala, Crisocola, Jade, Sugilita, Lápis-lazúli.
OPERÁRIOS:
Turquesa, Coral.
POLICIAIS:
Ágata, Rodocrosita, Rodonita, Malaquita, Cornalina, Pedra da Lua, Ônix, Turmalina Preta.
POLÍTICOS:
Jade, Pedra da Lua, Turquesa, Ametista.
PSICÓLOGOS:
Pedra da Lua, Lápis-lazúli, Ametista, Safira, Obsidiana.
SECRETÁRIAS:
Malaquita, Ágata, Quartzo Rosa, Lápis-lazúli, Ametista, Água-Marinha.
TERAPEUTAS ALTERNATIVOS:
Sugilita, Cristal de Quartzo, Turmalina Preta, Hematita, Malaquita, Cornalina, Quartzo Rosa, Crisocola, Citrino, Rubi, Água-Marinha, Lápis-lazúli, Diamante, Pedra da Lua, Turquesa, Ametista.
TELEFONISTAS:
Ágata, Turmalina, Água-Marinha.
VENDEDORES:
Ágata, Cornalina, Topázio, Citrino, Coral, Pedra da Lua.
VETERINÁRIOS:
Jade, Heliotrópio, Ágata, Coral, Turquesa, Quartzo Rosa.

Fonte: www.platevs.com/www.templeofmagic.hpg.ig.com.br/www.emdiv.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal