Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Vidas Passadas  Voltar

Vidas Passadas

Recordação de Vidas Passadas (RVP)

As chaves para recordar as vidas (existências passadas) são sumamente simples, devemos lembrar de tudo o que já foi ditoem diversos textos deste site referentes ao Despertar da Consciência.

A Chave suprema é esta: Despertar para conhecermos Quem Somos, De Onde Viemos, Para Onde Iremos e Qual É Nossa Missão Neste Mundo! Mas existem exercícios que nos ajudam a "puxar" os dados referentes aos fatos de nossas vidas anteriores, para que possamos nos autoconhecer mais e melhor. Não é delito ou perigoso mexermos nos "Arquivos Mortos" de nossas existências anteriores. Pois existem inúmeros dados que podemos rever para descobrirmos quem realmente somos, por que estamos tendo uma determinada forma de vida hoje, e o que podemos fazer para "transcender" nossos Karmas, nossos Processos de Vida. Os estudos e práticas gnósticos nos ajudam nesta Caminhada rumo à Transcendência de nossas vidas, caso queiramos e tenhamos Forças suficientes para tal.

Devemos, em primeiro lugar, recordar a famosa Lei de Retorno e Recorrência:Segundo a Gnose, nós repetimos sempre a mesma vida, a mesma mecânica, ou seja, os mesmos hábitos, desejos, projetos, dramas, tragédias e comédias. O Ego retorna de existência em existência, o que muda é somente o cenário onde é representada a nossa tragicomédia, os atores (os eus psicológicos) continuam sempre os mesmos.

Todos os que receberam o Conhecimento esoterico agora provavelmente já o receberam em outras existências, pois somos muito velhos, somos a humanidade que anda errando e tropeçando infelizmente há séculos, seguindo sempre os mesmos erros e defeitos.

Existem três chaves para recordar as existências passadas. A primeira são os Exercícios de Retrospecção, a segunda são os Mantras para a RVP e a terceira é o que já mencionamos acima, o Despertar da Consciência.

Com o exercício retrospectivo iremos regressando com nossa memória até nossas origens e, ao adormecermos, nossa Consciência será levada a relembrar o passado. O Exercício de Retrospecção é nada menos que uma "repassada" , uma "recordada" de tudo o que fizemos, por exemplo, durante o dia de hoje. Ao final da noite, acostados na cama ou sentados nela (para não pegarmos no sono facilmente), iremos rememorando os principais fatos de dia de hoje. Assim faremos todos os dias, até nos acostumarmos à Retrospecção Diária. Depois de alguns dias de Prática, faremos o mesmo exercício, só que agora semanalmente.

Ou seja, faremos a Retrospectiva Semanal, relembrando e "tomando consciência" da semana que passou. Depois de algumas semanas de prática, faremos a Retrospecção Mensal. Enfim, poderemos nos arriscar valorosamente e realizar essa Retrospecção até a data mais distante que pudermos nos recordar.

Com este exercício, chegaremos a nos lembrar dos fatos ocorridos nos primeiros anos de nossa vida. Normalmente o estudante gnóstico tem muitas dificuldades ao tentar recordar fatos ocorridos de dois anos para trás, até o nascimento propriamente. Neste momento, depois de se tentar "forçar" a memória, iremos pedir auxílio a uma Força Poderosa dentro de nós, que é nosso SER DIVINO, nossa Mãe Divina, que é nosso próprio Espírito Divino porém desdobrado como se fosse Nossa Senhora Interna, Íntima. Todas as noites, depois desses exercícios retrospectivos, iremos nos deitar e com muita fé e devoção, pedimos e suplicamos intensamente à nossa Mãe Divina que reside em nosso coração para que nos ajude a penetrar nos mais profundos setores de nosso Subconsciente, onde estão as lembranças mais profundas de nossa infância, até o momento, se possível de nosso parto, de nosso nascimento.

Antes de fecharmos os olhos, deve-se usar a segunda arma para a RVP, que são os mantras de recordação. O mais poderoso deles é a sílaba "AN". Isso mesmo, você deve vocalizar este mantra diversas vezes, até adormecer. Tenha certeza que mais cedo ou mais tarde em seus sonhos, em meditação, em reflexão serena noturna irão surgir imagens estranhas, que irão mostrando a você, devagarinho, paulatinamente, fatos ocorridos em suas vidas passadas.

Este mantra AN vocaliza-se prolongando-se cada letra ao máximo possível, num tom de voz nem alto nem baixo:AAAAAAANNNNNNN...

Com o uso da terceira chave, o Despertar da Consciência, conhecemos diretamente todos os milhares de existências que tivemos, seja neste planeta Terra ou em outros onde já vivemos...

Prática

O estudante deverá colocar-se numa posição confortável, realizando todas as etapas necessárias a qualquer prática:postura relaxada, mentalização de um círculo mágico de proteção ao nosso redor e relaxamento profundo meditativo.

Após tudo isso, o estudante recordará todos os feitos ocorridos em sua vida atual, partindo do presente para o passado. Assim, lembrará primeiramente a sua preparação para prática, e o que fez antes, assim até o começo do atual dia.

Depois, em flash-back irá retornando:o que me ocorreu esta semana, na passada, no mês passado, no início do ano, no fim do ano passado, há dois anosm há 5, há 10 anos, há 20, 25, 30 etc.

Vidas Passadas

Assim fará o estudante até chegar aos primeiros atos da infância, quando sua memória não lembrar mais, deverá imaginar, pois imaginar é ver, imaginar o que fazia com dois anos de idade, com um ano de idade, os primeiros atos de sua vida.

Se praticarmos intensamente, as lembranças de nossa infância podem ser recordadas, devemos praticar este exercício no momento em que vamos adormecer, pois para esta prática o sono é muito importante.

Enquanto vamos adormecendo, imaginamos o nosso nascimento e o período em que estávamos dentro de nossa mãe.

Chegando a esse ponto inicial, vem a pergunta:O que veio antes? Nesse ponto devemos adormecer, depois de vocalizar o mantra sagrado AN...

Ao dormimos, teremos visões nos sonhos de outras épocas, que nos mostrarão quem fomos e o que nos ocorreu. Muitas vezes veremos imagens nítidas de outros tempos e sentiremos tudo como se fosse de carne e osso. Em outros momentos, tudo será uma grande confusão mental, sem lógica alguma. De qualquer forma, sugerimos que pela manhã, logo após acordar, você deve anotar absolutamente tudo o que você puder recordar de seus sonhos em uma caderneta ou agenda.

Existe dentro dos Ensinamentos Gnósticos um mantra de apoio, que nos ajuda a "fixarmos" nossas recordações pela manhã. É certo que todos nós perdemos boa parte de nossas experiências oníricas (sonhos) logo depois que acordamos, nos mexemos e abrimos os olhos. Isso se deve a que perdemos conexões entre o nosso cérebro físico e o cérebro astral. Para que possamos "fixar" os sonhos em nosso cérebro físico, em nossos "bancos de memória física", sugere-se de se vocalizar os dois mantras RAOM-GAOM (Raaaaaaaaaooooommmmmmm... Gaaaaaooooommmmmm...) por algumas vezes, enquanto se mantém com o corpo imóvel, de olhos fechados e concentrado na tentativa de se lembrar do que se sonhou.

É claro que para ter plena consciência de que nos ocorreu de fato tudo o que vimos em sonhos, devemos Despertar a Consciência, só assim saberemos quem somos e teremos certeza de quem fomos e o que fizemos. Resulta interessante ver os erros que cometemos em existências passadas, ou que continuamos a repetir no dia-a-dia na atual existência, para eliminarmos esses defeitos e evitarmos a terrível Recorrência, com seus conseqüentes processos kármicos.

Com o Despertar da Consciência saberemos o que o destino nos reserva, e poderemos, através do Sacrifício e do Trabalho desinteressado por Deus e pelos seres humanos, pagar nosso Karma e viver uma vida muito melhor e em consonância com as Leis Divinas do Amor e as Leis Cósmicas da verdadeira Prosperidade.

Vidas Passadas

Práticas para Recordar Vidas Passadas

A melhor maneira para entender nossa vida atual é recordando nossas Vidas Passadas.

A reencarnação para alguns é uma crença, para outros uma teoria e para muitos uma superstição, mas para aqueles que se lembram de suas Vidas Passadas ela é um fato.

Vidas Passadas

Existem muitas maneiras para Recordar nossas Vidas Passadas. Através de hipnose, mantrans ou Magia Elemental.

Os Elementais (Divindades da Natureza) do Aloés (conhecida popularmente como Babosa) estão intimamente relacionados com as leis da reencarnação. O departamento elemental do aloés está intimamente relacionado com as forças cósmicas encarregadas de regular a reencarnação humana.

Fonte: www.gnosisonline.org

Vidas Passadas

A curiosidade do ser humano em relação a vidas passadas não é de hoje. Isto se deve à própria natureza insegura do ser humano. Dentro deste contexto surgiram diversas correntes do pensamento filosófico e religioso. Algumas pregam o retorno à vida tantas vezes quantas necessárias até o perfeito aprimoramento espiritual.

Outras, de origem oriental, dizem que os renascimentos são constantes sendo seu limite um mistério. Ultimamente até a ciência, através da física quântica, tem se interessado pelos fenômenos inexplicáveis. Reconhece que existe alguma estrada que poderia nos ligar a um registro cósmico que guarda informações do passado. Este mesmo pensamento é encontrado no fenômeno que C. G. Jung, notável psicólogo suíço, chamou de sincronicidade.

A mística sobre a reencarnação tem sido, por séculos, objeto de fascinação para a mente humana. Desde o início dos tempos o homem tem cogitado sobre a possibilidade de a vida ser contínua, no qual o processo de vida e morte são somente fases que evoluem de um estágio da existência para outro.

Toda vida é mudança e toda mudança é vida, mas vida eterna é o que os Mestres da antiguidade prometiam e neste reino da vida eterna tudo muda - embora nada se altere.

O que é realmente a existência humana? É ela a vida física do homem, suas façanhas e realizações, os princípios pelos quais ele luta, ou há algo mais sutil ainda, que cria e recria a vida humana ?

Nossos sentidos podem facilmente nos enganar, já que neste exato momento você acredita que o texto que está lendo é real. Mas a verdade real existe através das mansões do tempo e do espaço, e houve um tempo no qual este texto não existia e haverá um tempo, no futuro, no qual ele deixará de existir.

Foi o pensamento criativo e criador que deu existência a este texto em termos de energia focalizada, para permitir sua existência física. O pensamento criará muitos outros textos e quando todos tiverem deixado de existir, os conceitos destes textos criarão outros mais ainda.

A idéia do eu é o eu real; não o eu visto pelo outro. O eu real não é o corpo físico, já que não se aceita jamais que seus efeitos terminem na fronteira delimitada pela pele.

O tempo não existia para você, quando você não existia e cessará de passar quando você deixar de existir; mas partes de você mudarão, já que durante sua vida eterna você passará por transformações à medida que sua alma viaje rumo à perfeição.

No Antigo Egito os corpos das almas que se evolavam eram sepultados com seus bens mais queridos, de forma a ficarem confortáveis em sua futura jornada. Na Índia, por muitos anos corpos eram cremados para que a alma saísse das cinzas diretamente para Brahma; mais recentemente, os corpos dos hindus eram deixados como repasto para as aves, pela certeza de que a estrutura física era somente o templo que abrigava a alma.

Os Xamãs indigenas sabem muito sobre a vida eterna e creem que a vida após a morte é mais do que uma possibilidade, é um fato. Costumam praticar projeções do corpo astral regularmente, dentre outros talentos chamados "paranormais" próprios de um "médium"

Aparições de espíritos têm sido registradas desde o começo dos tempos em todas as partes do mundo e em todas as culturas. Homens ouvem vozes, recebem mensagens, vêem formas espirituais e, em alguns casos, até mesmo têm contato com suas vidas passadas.

O cético poderá atribuir muitas dessas manifestações a mentes desequilibradas, mas em muitas ocasiões a prova de outras formas de vida é tão substancial que mesmo a mente mais crírtica deve se deter e refletir. Particularmente, nos casos em que as explicações científicas e médicas falham, o processo da vida eterna pode ser visto não apenas como plausível mas, de fato, como a única explicação lógica.

Quantas vezes você já teve a sensação de que já esteve em algum lugar sem nunca te-lo visitado antes, já ter visto uma pessoa sem nunca tê-la conhecido. É o fenômeno "Déjà vu" que significa "Já visto" em francês. Normalmente essa sensação vem acompanhada de uma forte emoção que pode despertar sentimentos os mais diversos, negativos ou positivos.

Os pesquisadores nessa área, acreditam que o espírito sobrevive à morte física e que o inconsciente das pessoas armazena experiências e sentimentos ao longo de vidas sucessivas. Então num dado momento, o inconsciente, despertado por uma visão, uma palavra, ou algum outro fato relevante traz ao consciente essas memórias provocando o fenômeno "Déjá vu", como o inconsciente, nem sempre separa o passado do presente, ficamos com a impressão de que o fato refere-se à vida atual.

O despertar dessas "memórias", também pode ser provocado intencionalmente, com o objetivo da cura psicoterapêutica, com o método chamado "TVP" - Terapia de Vidas Passadas, que é um método de tratamento da Psicologia, praticado por profissionais credenciados e que geralmente acreditam na reencarnação.

A Regressão à Vidas Passadas é apenas uma das técnicas aplicadas à TVP. Na Regressão o paciente é levado a relaxar para permitir o acesso ao seu inconsciente. Nesse processo, surgem em sua mente, lembranças dessa vida ( da infância, por exemplo) ou de vidas passadas. O paciente pode citar nomes, descrever fatos, pessoas, e até sentir dores durante a regressão.

Através da Regressão, o paciente é levado a desvendar problemas do passado, dessa vida ou de outras, que possa, estar interferindo no presente. Quando finalmente, consegue separar acontecimentos passados de vivências presentes, o seu inconsciente é reprogramado para compreender a natureza de seus conflitos, dores físicas, traumas emocionais, problemas de relacionamento, etc., identificando-os com o passado e eliminando-os do presente.

Embora muitos de nós não tenhamos lembranças conscientes de vidas passadas, nós não só estamos vivendo os efeitos do que provocamos naquelas vidas como são aquelas mesmas causas que provocaram que nascêssemos todos diferentes uns dos outros.

Essa diferença refere-se ao grau de evolução de cada indivíduo. É fato que todos vivemos sob a mesma lei cármica, e que cada um está num degrau diferente da escada da perfeição. Cada passo é uma fase diferente, sendo a mais importante de todas a que nos envolve a cada momento. Sempre como consequência de todos os passos que nos trouxeram ao nível da escada em que estamos agora.

Cada um dos passos superados foi uma encarnação passada e devemos estar o tempo todo seguros de que cada parte da escada que nos ampara e eleva está firme e estável. Porque é mais perigoso correr escada acima, se ela balança, do que lutar em cada degrau inferior até torná-los seguros.

Uma outra forma de abordar as vidas passadas é a utilizada pelos místicos, através da Astrologia Cármica associada à Numerologia Cabalística.

Na astrologia tradicional, a décima segunda casa representa a autodestruição, os assuntos secretos e o processo subconsciente. Acredita-se que carregamos memória cármica em nosso subconsciente e que essas lembranças podem nos enfraquecer na vida presente. Quando removemos o obstáculo criado por medos e culpas subconscientes, vemos que o caminho para transformação pessoal está ainda mais além.

A Astrologia, que é uma ciência milenar, aplicada ao estudo da influência dos astros no comportamento humano, afirma que quando a órbita da Lua se cruza com a órbita da terra ou do Sol, forman-se os Nódulos Lunares.

Esses nódulos representam as principais chaves para o entendimento de cada vida como parte de um tecido contínuo. Eles indicam a sua herança das vidas passadas e podem ajudá-lo a compreender melhor o seu carma.

Os Nódulos Lunares representam a relação de causa e efeito através da qual você dirige sua vida; eles fazem a diferença entre a Astrologia comum e a Astrologia Espiritual.

Estes dois pontos sensíveis podem mostrar-lhe quais são seus objetivos atualmente e quais os hábitos de vidas passadas que o estão impedindo de alcançá-los

É através dos Nódulos Lunares que a Astrologia Ocidental se capacita a relacionar esta ciência divina com o conceito hindu de reeencarnação e passa a chamar-se de "Astrologia Cármica".

Os Nódulos Lunares são como pólos magnéticos da alma, um vindo do passado e outro rumando para o futuro. O processo a que chamamos vida, mescla estes dois extremos de forma a permitir a felicidade do indivíduo, já que a presente encarnação é um símbolo de sua transição do passado ao futuro.

O Nódulo Norte da Lua não se caracteriza como planeta, mas pode ser considerado uma ponte entre sua vida presente e seu futuro. O Nódulo Sul da Lua é considerado uma ponte entre sua vida passada e esta onde você está vivendo.

O Nódulo Lunar Norte influencia positivamente a sua vida, ele mostra os pontos de sua personalidade que devem ser trabalhados para que você possa evoluir espiritualmente nessa existência.

O Nódulo Lunar Sul, que se localiza sete sígnos após o Nódulo Lunar Norte, exerce uma influência contrária ou negativa, indicando de que forma atuam os seus instintos, conforme as experiência que trouxe de suas vidas anteriores.

Para um astrólogo experiente, a interpretação do Sol, da Lua e das posições do Nódulos Lunares, podem revelar toda a vida da pessoa.

A Numerologia Cabalística utilizando o princípio da sincronicidade,que é adotada por esta técnica, busca em nosso inconsciente os registros do passado de uma pessoa que tenha o mesmo número ou código individual que cada um de nós possui na vida atual, como uma espécie de impressão digital.

A introspecção é a porta sincronística que nos leva a este registro cósmico enquanto a numerologia nos remete ao indivíduo procurado.

Uma das mais fascinantes revelações que se pode ter por esta técnica é a relaçao numerológica:nome/causa/efeito.

O famoso filósofo, teólogo e místico irlandês George Berkeley afirmava que o que vemos é o resultado de nossa consciência ou atividade mental e não dos nossos sentidos. E aquilo que pensamos, passa a ter vida em algum lugar e em algum tempo. Assim, para aqueles que acreditam, o seu personagem é efetivamente real; para os que não acreditam é preferível não lidar com estes fenômenos.

Fonte: www.magiadourada.com.br

Vidas Passadas

Conheça seu carma e sua missão de acordo com a Astrologia Cármica

A tabela com as datas para as pessoas conhecerem em que signo se encontra o seu Nodo Norte, ou Cabeça de Dragão, encontra-se no final deste artigo.

Você sabia que as lembranças que traz de vidas passadas influenciam diretamente em seu dia-a-dia? Trata-se da sua herança astral, revelada pela Astrologia Cármica, que você carrega de outras vivências. Isso quer dizer que todo mundo tem um carma e uma missão a cumprir aqui na Terra para conseguir ser feliz.

Quer saber qual é a sua? Então, não perca tempo, descubra já tudo o que deve fazer crescer espiritualmente e encontrar a harmonia e a paz de espírito.

ENTENDA A ASTROLOGIA CÁRMICA

Você acredita em vidas passadas? Pois é disso que a Astrologia Cármica trata. Esta ciência procura resgatar as experiências de outras vidas, que com certeza influenciam sua vida atual, para resolver e compreender com maior facilidade os problemas e as atitudes que tem hoje. Isso significa que cada pessoa tem um carma em seu caminho e uma missão que deve cumprir para se purificar e alcançar seu crescimento, e é através da Astrologia que se pode descobrir qual é o seu carma e a sua missão.

Veja bem: a Lua gira em torno da Terra todos os meses, passando por todos os signos do Zodíaco. Em determinados momentos, sua órbita se encontra com a órbita da Terra ou do Sol, formando pontos chamados Nodo Lunar Norte e Nodo Lunar Sul.

O Nodo Norte, também conhecido como Cabeça do Dragão, é o que vai determinar o seu carma e ajudá-la a compreender suas limitações.

Leia o significado no signo correspondente para, encontrar sua herança astral e saber como ela influencia sua vida.

Cabeça do Dragão em Carneiro

Você precisa aprender a dar mais valor a si mesma. Na hora de tomar suas decisões, é necessário pensar não só nos outros, mas também se o que, escolher irá fazer bem à sua vida. Com um pouco de força de vontade, pode descobrir a pessoa incrível que existe dentro de si.

De acordo com a Astrologia Cármica, você abusou de seu poder em vidas passadas e agora precisa aprender sua lição através de algumas imposições e dificuldades. Só irá encontrar a felicidade se confiar em sua força interior, e sua missão é lutar pelo reconhecimento da sua capacidade e não pelo das outras pessoas.

Seu carma diz, ainda, que tem dificuldade para mostrar ao, mundo sua verdadeira identidade e é isso que deve buscar, tomando decisões com firmeza e não confiando tanto nos conselhos alheios. A ordem é deixar aflorar tudo o que existe, em seu Interior.

Você tem tendência a se, envolver com pessoas dominadoras, e isso é péssimo, pois elas conseguem fazê-la acreditar que a sua opinião não é tão importante. É preciso aprender a usar sua energia para escolher a dedo seus relacionamentos de amor e também de amizade. Caso, contrário, pode se tornar uma pessoa infeliz, que abaixa a cabeça para os outros e cede sempre, ignorando sua vontade e suas necessidades.

Lembre-se:você não deve se esforçar para ser o que as pessoas esperam que você seja e sim, para libertar sua verdadeira personalidade.

Cabeça do Dragão em Touro

Você tem uma forte tendência a viver exclusivamente para si mesma, esquecendo-se de que existem pessoas à sua volta, excepto quando encontra alguém com quem sinta uma certa identificação de ideias.

Está sempre seleccionando rigorosamente as pessoas com as quais convive, chegando a ser até um pouco egoísta. Por isso, enfrenta sérias dificuldades nos relacionamentos com os outros.

Em vidas passadas, você passou por muitos problemas e sofreu bastante. Tudo indica que foi enganada por pessoas que abusavam de sua boa vontade. Por causa disso, criou em volta de si um escudo protetor e tem sempre uma certa desconfiança ao se relacionar com as pessoas. Seu lema é “antes só do que mal-acompanhada”. Sua missão é buscar o próprio equilíbrio e aprender a encarar a vida com mais harmonia e alegria. É preciso perceber que o mundo não está contra você e combater o egoísmo e a vontade de estar sempre só.

Procure descobrir prazer na companhia dos outros e desfrutar da compreensão daqueles que estão à sua volta.

Você sabe que é muito difícil enfrentar a solidão mas, muitas vezes, prefere seguir um caminho solitário a tentar confiar nas pessoas com as quais convive. Que tal dar um voto de confiança para aqueles que só estão tentando ajudar e fazê-la mais feliz? Acredite, com certeza vai valer a pena e você crescerá espiritualmente e terá uma vida melhor.

Cabeça do Dragão em Gémeos

Com você vale o lema “ver pra crer”. Está sempre buscando uma resposta lógica e racional para tudo o que acontece no mundo. Não costuma se guiar com base em instintos, intuição ou fé, embora tenha uma visão intuitiva bastante desenvolvida. No entanto, não sabe como utilizá-la e não acredita nela. Também possui um poder de percepção aguçado, que faz com que compreenda as coisas com certa facilidade.

Nas suas vidas passadas, você usou de seu poder de comunicação de forma errada.

Cometeu excessos e prejudicou muita gente que confiava em você. Como castigo, perdeu parte de sua liberdade e, hoje, precisa aprender a entrar em sintonia com o mundo, além de se comunicar com ele de forma a oferecer algo positivo, e não pensar exclusivamente em si mesma.

Também faz parte de sua missão aprender a buscar as respostas para seus questionamentos dentro de si mesma e não ficar procurando em lugares distantes e diferentes. É preciso abrir os olhos para o seu eu interior, de forma a reconhecer tudo aquilo que tem buscado. Para isso, terá de valorizar a convivência social e aprender a compreender os outros.

Também será preciso respeitar as opiniões daqueles que a cercam e não achar que é a dona da verdade. Este reconhecimento irá ajudá-la a se desenvolver interiormente. O mundo está enviando importantes mensagens e você tem de se abrir e ouvi-las para ser mais feliz.

Cabeça de Dragão em Caranguejo

Você pode alcançar a felicidade se souber direccional suas energias e se dedicar ao aprendizado da liberação de todos os sentimentos e emoções que se escondem em seu interior. Há uma protecção criada por você mesma, que impede que colabore e se relacione mais com as outras pessoas. Só irá evoluir quando entender que todos, principalmente amigos, família e aquela pessoa que lhe desperta paixão, são fundamentais para o seu desenvolvimento. É possível que em outras vidas você tenha sido de uma família nobre, que educou-a de maneira muito rígida, cercada de preconceitos e tabus. Você concordava com tudo e agora precisa se dedicar mais aos outros para se purificar. É necessário trabalhar em prol da felicidade alheia e buscar a humildade acima de tudo.

Além disso, sua missão também consiste em se soltar mais e abrir seu coração para demonstrar tudo o que sente sem medo, especialmente para as pessoas que ama. E é importante saber também ouvir e compreender as emoções dos outros. Combata ser orgulho, para que seus sentimentos tenham liberdade para aflorarem sem limites.

Você tinha excesso de amor próprio e, com isso, acabou, fazendo muita gente sofrer. Nesta vida, é fundamental doar-se mais e aprender a ajudar a todos que precisem de sua ajuda. A mensagem da Astrologia Cármica para você, é que deve demonstrar que sabe amar para receber amor, afinal, é dando que se recebe.

Cabeça do Dragão em Leão

Para alcançar o equilíbrio, você deve buscar o seu senso de individualidade, criar o seu próprio espaço e aprender a fazer julgamentos, além de saber distinguir o que é bom para você e o que é bom para os outros. Um pouco mais de amor próprio é necessário para atingir seus objetivos. Pense mais em você e valorize a si mesma.

Assim, estará fazendo bem para seu espírito e também àqueles que vivem ao seu redor.

É possível que tenha sido um importante líder em outras vidas, que batalhou muito pelas necessidades dos outros, esquecendo-se das suas. Procurava beneficiar as pessoas a todo custo e, assim, os outros acabaram ficando em primeiro lugar em sua vida. Esquecia-se de cuidar de si e dispensava toda a sua energia em prol da coletividade.

Sua missão nesta vida é se tornar uma pessoa justa, e só conseguirá fazer isso quando souber reconhecer as suas necessidades e separá-las das dos outros.

Assim, poderá desfrutar de harmonia e equilíbrio. Até a sua criatividade e o seu poder de liderança poderão ser melhor utilizados quando conseguir cumprir sua missão nesta vida.

Tudo o que tem em mente pode ser realizado, basta, canalizar suas energias da maneira correta. Se quer beneficiar os outros, óptimo, mas entenda que isso não significa que você deva ficar em segundo plano.

Faça o bem às pessoas que estão à sua volta sem se prejudicar. Dessa forma, irá cumprir sua missão.

Cabeça do Dragão em Virgem

Para você, a Astrologia Cármica diz que deve sonhar menos e viver mais a realidade. Essa sua mania de ficar idealizando um mundo perfeito em sua imaginação atrasa o seu crescimento. Precisa abrir os olhos para a vida verdadeira ao invés de se fechar em um sonho particular e cor-de-rosa, no qual só você pode ter acesso.

Em suas vidas passadas, você tinha muito poder, mas não fez nada para impedir injustiças de muito sofrimento que poderia ter evitado.

Esse modo de agir trazia muita tristeza para o seu coração, mas preferia cuidar apenas dos seus interesses do que abrir os olhos para os que estavam ao seu redor. Você sabia que poderia mudar muitas coisas, mas fingia que não enxergava a realidade.

Por isso, trouxe para esta vida a preocupação com os problemas da Humanidade e sofre por não poder fazer nada. É que um grande arrependimento toma conta de você, mas mesmo assim não tenta fazer nada para mudar a sua realidade. Continua ignorando o que está diante de seus olhos, porque não se sente capaz de fazer nada.

Sua missão é deixar de pensar no passado e não perder mais tempo se arrependendo de seus erros ou fazendo planos fantásticos para o futuro. Viva o hoje.

Aprenda a dar tudo de si agora e não deixe de cumprir as obrigações que são suas e de mais ninguém. Faça mais pelos outros e assim encontrará o caminho para o seu crescimento e para o equilíbrio espiritual.

Cabeça do Dragão em Balança

Faz parte de seu aprendizado nesta vida valorizar a convivência com aqueles que a cercam e ganhar experiência através dela, além de amenizar o seu espírito competitivo, que está sempre fazendo com que você se desgaste sem necessidade. Está constantemente se envolvendo em competições por causa de besteiras e, muitas vezes, até faz inimigos por causa disso.

É provável que em outras vidas tenha exercido um cargo bastante importante, de liderança e muita responsabilidade. Precisava tomar as decisões certas em um curto espaço de tempo e tinha de avaliar os fatos com muita seriedade. Suas opiniões, é claro, eram sempre aceitas e respeitadas. Viveu muito sozinha, sempre isolada e se virava por conta própria, sem depender de ninguém à sua volta. É daí que, nesta vida, você apresenta uma certa tendência ao egoísmo.

Agora, sua missão é aprender a ouvir e entender que nem sempre tem razão. Aceitar as opiniões dos outros é fundamental para o seu crescimento e para seu equilíbrio interior. A paz chegará quando entender que é preciso respeitar a todos. O equilíbrio e a harmonia virão quando desenvolver sua compreensão. Seu lema de vida deve ser “doar-se mais e exigir menos”. Nunca se esqueça de que abrir as portas da sua mente para deixar as ideias alheias entrarem é bastante importante para completar a sua missão. Sempre que puder, dê tudo de si para ajudar quem precisa, ao invés de pensar apenas em si própria.

Cabeça do Dragão em Escorpião

Você precisa se desapegar de tudo o que é material, já que dá muito valor a isso e acaba se esquecendo de cuidar do espírito. Assim, sua felicidade fica comprometida, já que a alegria não está nas coisas terrenas. Você está em busca da felicidade, mas enquanto não se desligar dos valores materiais, não encontrará o caminho para o equilíbrio e a harmonia.

Em vidas passadas, é provável que tenha sido uma pessoa muita rica, com vários bens e, de uma hora para outra, perdeu tudo. Junto com os valores materiais também perdeu pessoas queridas, provavelmente toda a sua família. Estes fatos lhe trouxeram muita revolta e dor que, até hoje, são difíceis de serem compreendidas. Qualquer transformação que ocorra em sua vida lhe causa medo.

Sua missão é aprender a doar aquilo que é seu, mas deve fazê-lo de coração aberto e não encarando como um sacrifício. Precisa para de valorizar mais aquilo que perde do que o que ganha. Comemore suas conquistas e procure usar as derrotas para se fortalecer e encarar os novos desafios.

Além disso, é preciso também que entenda que as mudanças são necessárias na vida de todas as pessoas e que elas só causam tristeza e sofrimento quando você se nega a acompanhar seu ritmo.

Seja mais maleável, e verá que tudo que acontecer irá torná-la uma pessoa melhor e muito mais feliz. Encontrar o equilíbrio e a paz de espírito só depende de você.

Cabeça do Dragão em Sagitário

E necessário que controle um pouco seu lado racional e abra as portas de seu coração para a intuição, a sensibilidade e a criatividade, que podem ajudá-la muito na jornada em busca da paz de espírito. Através destes elementos, você se sentirá mais útil, já que terá condições de colaborar mais com as pessoas que vivem ao seu redor. Não seja teimosa nem cabeça-dura, abra a sua mente para o novo, conheça horizontes diferentes, amplie o seu mundo.

Em outras vidas, você foi uma pessoa muito indecisa, que preferia não defender nenhum ideal nem ninguém, adoptando sempre a posição “em cima do muro”.

Agia assim porque queria agradar a todos e evitar problemas e confusões. Isso atrapalhou o seu auto conhecimento e o seu senso da verdade.

Sua missão é correr atrás do prejuízo, esclarecendo suas dúvidas não só através do lado racional, mas também das sensações que o mundo lhe transmite. Buscar a verdade sempre é outra tarefa da qual não pode abrir mão para encontrar a paz e a harmonia que tanto procura.

Conheça mais a si mesma, explore tudo o que há em seu interior sem medo das respostas que irá encontrar. Deixe as tradições de lado, inove, quebre tabus e invista naquilo que é novo. É claro que isso dá mais trabalho do que ficar acomodada e aceitar tudo que lhe é imposto, mas você precisa disso para encontrar o verdadeiro sentido da vida.

Cabeça do Dragão em Capricórnio

Você procura sempre , esconder a sua verdadeira personalidade, e as consequências são sentimentos que trazem baixo-astral, como melancolia e depressão.

O pior, é que tenta , esconder quem realmente e até de si mesma, porque tem medo do que vai encontrar. Para combater isso, é necessário que viva muitas situações diferentes e aprenda a lidar com elas.

Em vidas passadas, é possível que tenha vivido exclusivamente para as outras pessoas e se preocupado muito pouco com você. Era uma espécie de conselheira ou médica, que trabalhava com o sofrimento e dores dos outros. Fazia de tudo para encontrar soluções e diminuir a angústia daqueles que a procuravam.

Sua missão nesta vida, é livrar-se destas lembranças que traz no coração e entender que só pode dar amor àqueles que a cercam quando aprender a se amar primeiro.

Busque o conhecimento nas coisas simples da vida e tente se abrir mais e deixar de lado a mania de estar sempre isolada. Faz parte de sua missão desenvolver seu espírito de autoridade, poder e utilidade, e isso só irá conseguir através de sua vida profissional. Seja mais prática para alcançar o equilíbrio e a harmonia.

Deixe os sonhos para trás e viva no mundo real, onde existem pessoas de verdade que querem se relacionar com você. Deixe elas entrarem em sua vida. Todo ser humano precisa da companhia dos outros para encontrar a verdadeira felicidade.

Cabeça do Dragão em Aquário

Você precisa se concretizar de que não vive sozinha, e que é necessário se integrar a um grupo e lutar pelas necessidades dele e pelo bem da coletividade.

Muitas vezes, age com um certo egoísmo, pode impedir o seu crescimento e atrapalhar o seu equilíbrio. Quer sempre impor a sua vontade e passar por cima de todos a qualquer custo para que as coisas aconteçam do jeito que deseja.

É possível que em outras vidas você fez parte de uma família muito humilde, que sempre era desprezada pela sociedade e que tinha de se submeter às ordens que recebia. Isso causou em você um sentimento de vingança que reflete em sua vida atual, fazendo com que, muitas vezes, seja mandona e acabe afastando as pessoas de você.

Sua missão é entender e praticar os sentimentos humanitários, além de descobrir e valorizar as necessidades daqueles que vivem ao seu redor. É importante deixar de lado a eterna competição que vive travando com tudo e com todos, porque isso só traz tristeza. Não tente impor o seu poder e a sua autoridade.

Lembre-se de que ninguém tem culpa dos seus problemas e você precisa de ajuda para ser mais feliz. Procure atrair as pessoas ao invés de tentar afastá-las, e não queira ganhar sempre, afinal, ninguém é dono da verdade.

Saiba ceder quando sentir que está errada e aprenda a valorizar as opiniões alheias para encontrar a alegria.

Cabeça do Dragão em Peixes

Você tem tendência a deixar seu senso crítico extrapolar todos os limites. Vive julgando as pessoas e tem os pés bem firmes no chão, sempre deixando o lado racional prevalecer.

Seu lema é “ver para crer”. Só confia naquilo que pode provar e não leva a sério coisas que não lhe parecem ter utilidade. Perdoar? Isso é uma coisa difícil demais para sua personalidade que está sempre analisando e criticando a todos.

Em outras vidas, é provável que exercia um cargo mais baixo, porém, de muita confiança e era responsável por detalhes importantes. No entanto, era obrigada a esconder suas opiniões e isso lhe trouxe muito sofrimento e raiva. Sentia revolta por não ter os mesmos privilégios que os outros e por ter que ficar sempre com o pouco que sobrava para os mais fracos.

Sua missão é direccionar seu perfeccionismo e sua grande percepção das coisas para as belezas da vida e as obras divinas presentes na natureza. Só aprendendo a observar e valorizar a simplicidade é que encontrará a felicidade. Também é necessário combater seu lado detalhista e aquela mania de querer que tudo e todos sejam sempre perfeitos.

Cultivar a solidariedade e a compreensão também faz parte de sua tarefa nesta vida, além de procurar desenvolver seu lado espiritual, ouvir mais a intuição e aperfeiçoar a sensibilidade. Desapegue-se das coisas materiais e valorize o que existe em seu interior. Só assim poderá ser feliz.

TABELA DO CARMA

Procure aqui a sua data de nascimento e encontre a posição da Cabeça do Dragão segundo a Astrologia Cármica

29/11/1928 a 18/6/1930Touro

19/6/1930 a 6/1/1932Aries

7/1/1932 a 2517/1933Peixes

26/7/1933 a 12/2/1935Aquário

13/2/1935 a 1/9/1936Capricórnio

2/9/1936 a 21/3/1938Sagitário

22/3/1938 a 9/10/1939Escorpião

10/10/1939 a 27/4/1941Libra

28/4/1941 a 15/11/1942Virgem

16/11/1942 a 3/6/1944Leão

4/6/1944 a 23/12/1945Câncer

24/12/1945 a 11/7/1947Gémeos

12/7/1947 a 28/1/1949Touro

29/1/1949 a 31/12/1949Áries

1/1/1950 a 17/8/1950Áries

18/8/1950 a 7/3/1952Peixes

8/3/1952 a 2/10/1953Aquário

3/10/1953 a 12/4/1955Capricórnio

13/4/1955 a 4/11/1956Sagitário

5/11/1956 a 21/3/1958Escorpião

22/3/1958 a 8/12/1959Libra

9/12/1959 a 3/7/1961Virgem

4/7/1961 a 13/1/1963Leão

14/1/1963 a 5/8/1964Câncer

6/8/1964 a 21/2/1966Gémeos

22/2/1966 a 10/9/1967Touro

11/9/1967 a 3/4/1969Áries

4/4/1969 a 15/10/1970Peixes

16/10/1970 a 5/5/1972Aquário

6/5/1972 a 22/11/1973Capricórnio

23/11/1973 a 12/6/1975Sagitário

13/6/1975 a 29/12/1976Escorpião

30/12/1976 a 19/7/1978Libra

20/7/1978 a 5/2/1980Virgem

6/2/1980 a 25/8/1981Leão

26/8/1981 a 14/3/1983Câncer

15/3/1983 a 1/10/1984Gémeos

2/10/1984 a 20/4/1986Touro

21/4/1986 a 8/11/1987Áries

9/11/1987 a 28/5/1989Peixes

29/5/1989 a 15/12/1990Aquário

16/12/1990 a 417/1992Capricórnio

5/7/1992 a 21/1/1994Sagitário

22/1/1994 a 11/8/1995Escorpião

12/8/1995 a 27/2/1997Libra

28/2/1997 a 17/9/1998Virgem

18/9/1998 a 5/4/2000Leão

6/4/2000 a 31/12/2000Câncer

Fonte: astrologia-todos.blogspot.com

Vidas Passadas

Vidas Passadas - Regressão

Durante milênios a filosofia e a metafísica tentam responder as perguntas da esfinge:

De onde vim?

Por que estou aqui?

Para onde vou?

Sem chegar a conclusão alguma, pois se baseiam em hipóteses, que variam de mente a mente ou, de maneira mais complexa ainda, como seja, emitindo "premissas". Partindo do postulado de que "premissa" é algo que se toma, ou melhor, que se pode admitir como verdade mais que, enquanto "premissa" não pode ser submetida à experimentação, não interessa ao campo da ciência; a ciência estuda realidades, iniciando com fenômeno ou algo de existência real para, depois, então, submeter o fato à análise, principalmente através da experimentação.

Quando falamos de regressão a vidas passadas falamos em Palingênese, Regressão a egos anteriores e Retrocognição. Tudo isto são abordagens filosóficas da teoria da reencarnação.

Para falarmos de vidas passadas, temos que primeiro pressupor a existência do espírito. Segundo o espiritualismo, a personalidade humana é o resultado da sintese das encarnações passadas, mais a encarnação presente.

Pontilhando como estrela de primeira grandeza nos céus da filosofia antiga, encontramos Platão, procurando provar, além da existência da alma, seu retorno em corpos sucessivos para, como afirmava, novamente se plenificar de sabedoria infinita, que trazia em potencialidade quando, por razões obscuras, foi banido do mundo das idéias, onde o homem era pleniconsciente.

Saindo do oceano imenso da filosofia antiga, vemos Descartes, através da negação de tudo que a filosofia afirmava, chegar a conclusão do "EGO SUM QUE SUM", isto é, "EU SOU AQUELE QUE SOU" ou, de maneira mais atual, "EU SOU O PENSADOR". Este pensador seria a transcedência absoluta do ser, ou seja, o espírito humano, aquilo que transcede os próprios pensamentos pois, para Descartes, a caracteristica da alma humana, ou sua transcedência máxima, era caracterizada pelo fato do ser humano poder manejar seus pensamentos.

Segundo a filosofia materialista da época, o ser humano nada mais era do que um conglomerado de pensamentos mais ou menos arbitrários, mais ou menos organizados e dependentes do meio. Descartes veio, entretanto, destruir esse conceito através da introspecção, como seja, "EU NÃO SOU SOMENTE MINHAS EMOÇÕES, PORQUE MINHAS EMOÇÕES DEPENDEM OU PODEM SER MUDADAS PELOS MEUS PENSAMENTOS". Com o magistral resultado de seu raciocínio filosófico, chegou a uma verdade considerada irrefutável, isto é, que "EU NÃO SOU APENAS UM CONGLOMERADO DE PENSAMENTOS, MAS, ALGO QUE TRANSCEDE OS PRÓPRIOS PENSAMENTOS", ou seja, algo de ser humano, que diz:

"Eu quero mudar de pensamento" ou "Eu quero pensar nisto ou naquilo".

A esta transcedência ou área do ser humano que maneja os pensamentos, ele chamou "O PENSADOR", ou melhor, o espírito que tudo transcende.

Somente há poucas décadas, graças ao avanço principalmente da física e da psicologia, a alma ou consciência humana vem sendo submetida ao crivo da ciência e mesmo à experimentação laboratoriais.

Dentro do enfoque da física, sabendo-se que a matéria densa é resultante de adensamentos energéticos de dimensões que vieram, ao se afastrem da fonte inicial, perdendo variáveis e criando "densidade", podemos concluir que tudo que é denso tem harmônicos até o "infinito".

Também com a física na mão, podemos dizer que o plano mais denso onde estamos, que é o plano tridimensional, está sujeito ao tempo, que tudo destroi. Para nós, tudo o que está "acima" do plano denso, cujo limite, atualmente admitido é a velocidade da luz, passa para planos de mais de três variáveis, como seja, a quarta, a quinta e a sexta dimensões. Assim sendo, considerando a estrutura densa do ser humano, ou seja, o corpo físico, denso, tem que ser harmônicos (a mesma expansão) até o infinito. Podemos, assim, considerar a alma humana como o conjunto de harmônicos que permeiam o corpo físico, denso, portanto, perecível.

De conformidade com a psicologia, o ser humano tem dois inconsciente:o inconsciente atual e o inconsciente arcaico.

O "Inconsciente Atual" é o resultado de tudo o que introjetamos desde o momento do nascimento, e o "Inconsciente Arcaico" é que trás a memória racial, ou seja, os conteúdos de memória dos períodos anteriores por que passou a espécie.

Filosoficamente falando:

Inconsciente Atual -Áreas superiores corticais, neocorticais ou isocorticais

Inconsciente Arcaico -Áreas subcorticais ou paleocorticais

Esta concepção encontra apoio na Reflexologia e no Behaviorismo.

A teoria Palingenética procura focalizar os inconscientes anteriores, os clichês astrais ou a memória de vidas passadas, nas células antigas do paleocórtex.

Podemos dizer que o neocórtex é a área que vai aos poucos sendo programada em contato com o meio e o paleocórtex é a área que não se programa através do meio, pois já vem programada. Nessa área, estão os instintos ou, segundo a moderna etiologia, os "mecanismos deflagadores de comportamentos", os tipos psicológicos do ser, as quais serão desenvolvidas ou norteadas de conformidade com os meios onde estiverem imersas, na caminhada da vida. A Palingênese procura situar nessa área do "material" ou no contexto herdado, o conjunto das personalidades ou dos egos passados.

Devido a causas que a ciência ainda não pode explicar, entre quatro ou cinco pessoas, uma pode regredir com bastante clareza, à qual damos o nome de portadora de sensibilidade profunda. A grosso modo, 25% das pessoas possui uma sensibilidade que podemos chamar de profunda, pessoas estas que podem com facilidade regredir a passado remoto; 50% que chamamos de sensibilidade média, poderá regredir com certa dificuldade e com clareza pouco satisfatória; os 25% restantes poderemos considerar irregressíveis.

As regressões de memórias feitas em pessoas de sensibilidade profunda, podemos regredi-los, dividindo a referida regressão, nas seguintes fases:

1º)Até o nascimento, que é o terreno da psicologia pois, dentro de uma abordagem hipno-analítica (psicanálise) podemos detectar traumas ou situações recalcadoras, até mesmo durante o parto.

2º)Até três meses antes do nascimento, onde muitas vezes vamos encontrar memórias de acontecimentos externos vividos ou presenciados pela mãe, o que existe com relativa frequência na literatura da Psicologia Analítica.

3º)Até a concepção, o que já consideramos terreno da Parapsicologia.

4º)A uma época anterior à sua concepção, onde descrevem uma vida em plano psíquico ou em um plano espacial e , nesta descrição, o que mais espanta o pesquisador, principalmente se o mesmo é psicólogo ou psiquiatra, é o fato de não podermos entender onde ele foi condicionar reflexos para descrição rica e minuciosa em detalhes, que todos falam desse plano psíquico.

5º)Como ponto culminante do processo regressivo, vemos que, durante o período em que vamos levando a memória cada vez mais para trás, num determinado período, em geral entre 70 e 150 anos anteriores ao nascimento, o percipiente toma atitudes estranhas, assumindo uma personalidade diferente e, às vezes, sexo também diferente. A partir daí, passa a descrever uma vida nessa época longínqua, com todas as características de estar descrevendo uma realidade aonde, na grande maioria das vezes, não notamos processos alucinatórios, nem tão pouco interveniência de fantasias do inconsciente. É comum até em grande parte dos casos, o percipiente falar a língua da época, com sotaque da época.

É digno também de estudos, a descrição de semelhança que ocorre no fenômeno morte, assim como o desligamento do espírito, para depois seguir os intricados páramos do que chamaremos plano psíquico, até se apresentar renascendo na vida presente.

Nessas revivescências ou representações vivenciais, o percipiente, independente de sua filosofia ou credo religioso, descreve com os mínimos detalhes e com a máxima coerência possível, todos os momentos de sua vida, assim como o processo psicológico de maturação da infância, adolescência e idade adulta, com todos os coloridos dessas fases, na época. Até o timbre vocal acompanha a idade cronológica da pessoa. Neste processo, nota-se um apagamento total dos analisadores atuais, passando a funcionar as características mentais da cultura da época, num ego, como se realmente estivesse revivendo uma outra existência.

A cultura e grau de conhecimento do percipiente, durante o transe, geralmente, não coincide com o que ele tem no presente, pois que se apresenta com uma cultura bem maior.

Podemos citar alguns exemplos:

1Um delegado de polícia do Rio de Janeiro, dentro do processo regressivo, apresentou-se como irmã de caridade, diretora de um dos maiores colégios da Bahia, tendo falecido em 1875. Ardendo de curiosidade, partiu para Salvador onde, nos arquivos do referido estabelecimento de ensino, constatou que a citada irmã de caridade tinha sido diretora, aquela época, havendo resquício de sua sepultura.

2Outro paciente, cujo nome real é Doralício, rapaz culto, trinta e seis anos de idade, ao regredir, tomou personalidade de escravo recém-nascido em angola que, na representação psicológica, exatamente idêntica a um escravo da época, descreveu com minúcia toda sua vida naquela região. Anos após, foi comprovada a existência de quase tudo o que descreveu, por um casal de médicos, que lá passou uns seis meses. Até um rio e uma cidade que, poucos anos mais tarde, mudaram de nome.

3Uma aluna da Faculdade Gama Filho apresentou-se, morando numa determinada rua de Santa Teresa, tendo morrido em 1937 e dando o nome completo de seus pais; indo com um grupo de colegas à referida casa, reconheceu todos os cômodos, notando apenas a diferença da cor de dois compartimentos nos quais, após ter sido raspada um pouco a parede, apareceu a antiga cor. A constatação mais interessante deste caso foi a certidão de óbito por ela obtida, em cartório, do homem que ela dera como pai e que morrera cinco anos depois da morte da percipiente.

4Um rapaz de quatorze anos apresentou-se como um sacerdote chinês há mil anos passados, descrevendo todos os processos de iniciação da época e dando uma mensagem em chinês que , depois, no centro chinês, foi constatado ser um chinês antigo, sendo traduzidas, apenas, vinte e poucas palavras.

No processo regressivo, parece que atingimos um desses egos anteriores ou clichês astrais, fazendo com que o mesmo entre em funcionamento, com o apagamento do ego atual. Sempre acontecerá, quando houver condições apropriadas indispensáveis, ou seja, um percipiente adequado, que se encontra um, entre quatro pessoas.

Paulo de Tarso F. de Queiroz

Fonte: www.misteriosantigos.com

Vidas Passadas

TERAPIA DE VIDAS PASSADAS 

Desde que médicos e psicólogos começaram a usar a hipnose em seus pacientes, e pediram-lhes que fossem até as origens de seus problemas, muitos desses profissionais se depararam com alguns enigmas que lhes pareciam no mínimo estranhos. Alguns de seus pacientes começavam a relatar aos médicos aquilo que emergia em suas consciências. Nesse momento, eles relatavam cenas de um passado remoto e citavam situações em épocas históricas variadas, com cenas de experiências que jamais tiveram em suas vidas. Alguns citavam guerras, catástrofes, assassinatos; outros contavam situações sem muita novidade, como estando em meados do século XV na Europa e sendo apenas um servo ou um escravo. A maioria destes pesquisadores atribuíam estas visões à fantasias e à imaginação de seus pacientes. Outros, no entanto, em menor numero, começaram a investigar a origem e a motivo destes relatos. A partir destas pesquisas, surgiram algumas formulações sobre a regressão de memória, que posteriormente veio a ser chamada deTerapia de Vidas Passadas.

É curioso reconhecer que a chamadaTerapia Regressiva a Vidas Passadasnão foi formulada apenas por um homem. A Psicanálise foi quase inteiramente codificada por Sigmund Freud, médico neurologista alemão, e foi posteriormente ampliada por seus discípulos e outros psicanalistas de renome, e continua sendo modificada e expandida até os dias de hoje. A chamadaTVP,Terapia de Vidas Passadas, por seu lado, não reconhece nenhum “grande sistematizador” ou “codificador”, tal como Freud, que lançou as bases de uma teoria e deu-lhe a forma e o conteúdo. As técnicas regressivas de vidas passadas não se enquadram em tal padrão pelo simples motivo que ela foi mais uma descoberta do que uma criação. É certo que toda sistematização é ao mesmo tempo uma criação e uma descoberta, em maior ou menor grau para cada um destes aspectos. Porém, aTVPfoi sendo descoberta em pontos diferentes do globo, por cientistas diferentes, e foi recebendo formatos diversos no século XX. Sem dúvida alguma, as técnicas usadas naTVPnão tiveram origem no tempo, não tem um inicio, uma seqüência temporal de descobertas até atingir um ápice teórico. A fenomenologia daTVPé um processo natural, faz parte do próprio funcionamento dos seres humanos. Nos templos da Atlântida, do Egito, da Índia, da Grécia, do Tibet, da China, da Pérsia, dos celtas, dos Caldeus, etc, ela foi muito utilizada. Sua eficácia é há muito conhecida pelos iniciados de todos os tempos. O que ocorreu ao longo das ultimas décadas é apenas uma redescoberta de um conhecimento há muito praticados nas chamadas “escolas de mistério” ou “Ordens Iniciáticas” de todos os tempos. Teremos oportunidade de retornar a esse assunto em temas futuros.

Neste artigo, procuraremos esclarecer alguns pontos fundamentais sobre aTerapia de Vidas Passadas, desenvolvendo o tema e abordando vários de seus aspectos filosóficos, terapêuticos e técnicos, além das várias teorias que tentam explicar a fenomenologia da técnica. Começaremos dando uma definição geral sobreTVP, dentro dos limites de nosso conhecimento, lembrando sempre que aTVPé maior do que supomos e até mesmo do que podemos supor. Sua abrangência revela temas que ainda nos são desconhecidos, e nesse sentido, qualquer definição que procure abarcar todos as suas variáveis será necessariamente incompleta. O conhecimento humano sobre as várias nuances dos planos sutis e do universo espiritual ainda se constituem como um mistério para o ser humano.

Porém, nos últimos tempos nosso conhecimento evoluiu um pouco, mas todo pesquisador de bom grado deve admitir que o alcance de nossa visão ainda é exíguo perante o potencial que se nos apresenta.

ATVP, mais conhecida comoTerapia de Vidas Passadas, foi nomeada de Terapia de Regressão num Congresso Mundial, e este nome tem sido utilizado por grande parte dos profissionais que atuam na área. Porém, como nossa intenção é definir a natureza de nosso trabalho, ainda estaremos dando preferência ao termo “Terapia de Vidas Passadas”, pois estamos convencidos da realidade e veracidade da teoria da reencarnação, mesmo que esta teoria esteja sujeita a variações de conteúdo dentro de segmentos espiritualistas e místicos diferenciados. Isso não significa, no entanto, que desprezemos as outras explicações sobre a natureza e origem dos conteúdos resgatados numa sessão regressiva. No entanto, a experiência demonstra que existem razões sólidas e consistentes para aderirmos a hipótese das existências pretéritas, mesmo que isso vá de encontro à crença de grande parte da população ocidental, orientada sob os critérios do cientificismo acadêmico e do cristianismo ortodoxo.

Vamos lidar um pouco com a definição daTerapia de Vidas Passadas. Em nossa visão, podemos considerar aTVPcomo uma teoria, método, técnica e abordagem terapêutica fundamentada na hipótese do regresso ou acesso à conteúdos que transcendem a memória imediata e ordinária, direcionando a consciência para uma instância inconsciente onde estão gravados registros mnemônicos, informações, afetos, crenças, sentimentos, etc que influenciam na personalidade atual do individuo, afetando sua integridade física, emocional, mental e espiritual.

Neste caso, a pessoa submetida ao procedimento regressivo deve revivenciar os fatos e eventos experimentados no passado, e deve faze-lo de forma tão vívida possível, atravessando a situação de forma tão real e intensa quando o evento original. Dessa forma, sua consciência poderá reprogramar essa memória, e obter um controle consciente sobre a vivência. Neste caso, o cliente realizará a chamada catarse, que implica numa descarga de energia emocional e psíquica que estava associada ao fato ou evento traumático.

Dessa forma, aTerapia de Vidas Passadastem como um de seus principais objetivos a catarse, ou seja, com a descarga de emoções, afetos e energias psíquicas. Estas "cargas" não foram apenas "reprimidas" pelo ego, como declara a teoria psicanalítica. Quando observamos pessoas que se submetem a uma regressão de memória e entram em contato com uma vida passada, elas experimentam períodos longos de repetição de comportamentos, e essa continuidade acaba gerando impressões fortes na consciência daquela personalidade, que se repercutem nas vidas subseqüentes. Na verdade, emTVPconsideramos que todos os conteúdos psíquicos que hoje são inconscientes, num determinado momento foram conscientes. Através de uma escolha consciente, decidimos nos fechar para aquela experiência, e dessa forma, definimos nosso destino e os acontecimentos futuros.

Outro objetivo daTVPé buscar o conhecimento do passado e a partir das informações acessadas, estabelecer uma relação de causa e efeito entre o que fizemos no passado e o que ocorre no presente. No entanto, é preciso não confundir as coisas. Nosso passado é o reservatório de nossas experiências e sem ele, não teríamos base para avaliar o presente e fazer uma projeção sobre nosso futuro. Tudo o que nosso passado revela é importante como referencial em nossa vida.

Todas as situações devem nos trazer aprendizado, pois só assim o homem poderá deixar de cometer os mesmos erros que cometeu em outras épocas.

ATVPé sem duvida, um marco teórico para a Psicologia e a Espiritualidade. É uma corrente, uma linha, que vem trazer a síntese entre a teoria da Transpessoal associada à prática clínica, com excelentes resultados para quem a procura. Desde o seu surgimento, e não poderia ter sido diferente, a Psicologia tomou um modelo materialista e cientificista, procurando tornar sua linguagem e seus métodos tão próximo quanto possível das ciências exatas. No inicio do século XX, a ciência cartesiana e newtoniana estavam em alta e qualquer conhecimento que requeresse o status de “ciência” deveria necessariamente adequar suas características a metodologia das ciências naturais, que consistia e ainda consiste numa metodologia analítica e empírica.

Como tudo na natureza é passível de transformações, as estruturas teóricas que foram construídas nesta época foram aos poucos sentindo a força inexorável espírito humano no impulso de evoluir e ir além do já conhecido. Os pilares da ciência newtoniana e cartesiana começaram a ruir com algumas descobertas importantes na Física, como a Relatividade de Einstein e a Mecânica Quântica. O mundo do infinitamente pequeno começava a descortinar um universo imenso de possibilidades e novas perspectivas para o pensamento humano. Desde essa época, o positivismo e o “realismo cientifico” foi aos poucos perdendo espaço para um universo de relatividade, onde o pesquisador, com sua simples observação do objeto de estudo, pode interferir no fenômeno devido a própria observação realizada.

Paralelamente a esse avanço na Física, onde um universo de amplas possibilidades se descortinou aos olhos de atentos investigadores da realidade material, outros dois pensadores deram profundos golpes na pretensão ocidental da supremacia da racionalidade. O primeiro passo foi dado por Karl Marx, que em sua obra alertou a humanidade sobre as armadilhas da ordem social, e alertou-nos sobre uma sutil dominação e influência que a sociedade imprimi em cada um de seus membros. Ao contrário do que a maioria acredita, o ser humano não pensa apenas com sua própria cabeça; não têm idéias muito originais e muito daquilo que ele acredita ser seu, na verdade é o produto de uma expectativa que a sociedade deposita nele. Segundo Marx, existe uma espécie de poder invisível que nos força a pensar e agir tal como pensamos e agimos, sendo nosso livre arbítrio reduzido diante desta dominação.

Depois de Marx, coube a Freud desferir outro golpe na crença da racionalidade consciente e na total liberdade de pensamento que geralmente acreditamos possuir. Segundo as pesquisas de Freud, que deram origem à Psicanálise, existe no ser humano uma instância psíquica desconhecida, e que exerce uma influência definitiva em nosso modo de ser e agir no mundo. Freud chamou este aspecto da psique humana de inconsciente. Essa parte de nosso psiquismo se constitui de memórias, experiências, emoções, etc que ficaram gravadas no curso de nosso desenvolvimento, e da qual queremos omitir a nós mesmos. Para tanto, usamos certos mecanismos de defesa que reforçam a força de nossos impulsos, e posteriormente podem, não apenas trazer à tona esses conteúdos rejeitados, como também provocar a sua emergência em momentos inadequados. Assim, apesar de não admitirmos, nossa consciência sofre toda sorte de influencias sociais e intrapessoais, e essas forças não apenas atuam em nós, mas elas foram as responsáveis pela nossa formação e constituição, de tal modo que não podemos pensar em nós mesmos sem que os poderes sociais e psíquicos estejam presentes em nosso desenvolvimento.

O mito do poder absoluto da ciência em desvendar todos os mistérios da vida foi assim enfraquecido. Se o mundo material não é sólido e mecânico, como acreditava Newton, e nossa realidade concreta depende da posição do observador, então o mundo não é um local tão objetivo quanto pensamos. Se somos influenciados e constituídos por aspectos sociais e internos, não possuímos toda a liberdade de pensamento que se acreditava, pois é sempre possível que uma idéia que supomos ser pessoal, seja uma idéia originada, ou da sociedade, ou do inconsciente.

Nesse sentido, o ser humano pode se sentir meio perdido num estado de desamparo, pois se ele não é o senhor de si mesmo, então sua capacidade é ainda mais limitada do que se pensava. Porém, é um erro supor que não podemos desenhar e criar aquilo que desejamos em nossas vidas. Somos seres dotados de liberdade para optar pelo nosso destino. Porém, essa liberdade é sempre relativa em nosso estado de consciência. E quanto mais libertos estivermos das influências que a vida nos impõe, mais poderemos decidir os rumos de nossa existência.

Toda esta reflexão não tem como objetivo defender a hipótese de que o ser humano não possui livre arbítrio. Verdadeiramente, não é esta a nossa intenção.

Como espiritualistas e humanistas que somos, acreditamos no ser humano e em seu potencial no rumo da transformação de seu meio e de sua própria condição.

Porém, a liberdade que antes o homem julgava possuir, hoje sabemos ser uma ilusão. Nesse sentido, aludimos ao fato de que existem outras formas de liberdade a se conquistar, porém, uma liberdade mais sutil. A racionalidade objetiva não pode apreender todas as leis da natureza, pelo simples fato de que a razão é uma expressão teórica de uma estrutura humana ligada à sua consciência objetiva. Além dessa estrutura, o ser humano dispõe de muitas outras facetas, que podemos chamar de estados ou níveis de consciência, que ainda são desconhecidos da maioria dos seres humanos. Alguns desses níveis são conhecidos dos psicólogos ocidentais e estão classificados e descritos em vasta literatura. Outros níveis, os mais elevados, são conhecidos dos pesquisadores orientais e dos grandes representantes da Tradição Espiritual de todos os tempos.

A Psicologia Transpessoal, da qual aTVPé parte integrante, tem como um de seus objetivos o mapeamento desses níveis superiores de consciência, situando o ser humano num contexto que vai além dos seus aspectos físico, emocional e mental. Dentro desse enfoque, aTVPpode contribuir para a Psicologia Transpessoal na medida em que desvela o passado do individuo, reprograma sua existência, rompe bloqueios muito antigos, torna possível a experiência da morte (mostrando que o corpo é apenas um invólucro e um revestimento temporário), ajuda na percepção das causas e dos efeitos de seus atos (fazendo-o ver que colhemos tudo aquilo que plantamos e que somos os únicos responsáveis pela criação de nosso destino), mostra que somos seres espirituais tendo uma experiência física e os papéis que vivenciamos são apenas sombras e sonhos de nosso ser universal. Assim, aTVPtem muito que contribuir para o avanço da Psicologia Transpessoal, pois se constitui como terreno fértil para o desenvolvimento da prática que a quarta força requer.

Como já dissemos, aTerapia de Vidas Passadasadmite como hipótese de trabalho a Teoria da Reencarnação. Essa hipótese sempre fez parte das religiões e Tradições Espirituais de todo o mundo. A religião mais antiga do mundo que ainda sobrevive até os dias de hoje é o Sanatana-Dharma, mais conhecido no Ocidente como Hinduismo. Esta religião tem como um de seus pilares a “transmigração da alma” ou a reencarnação. O Budismo também ensina sobre o ciclo de renascimentos e mortes a que estamos sujeitos, mais propriamente o Budismo Vajrayana Tibetano. Dentre outras correntes que ensinam ou ensinaram a reencarnação estão o Gnosticismo, o Druidismo, o Hermetismo, o Espiritismo, a Umbanda, o Rosacrucianismo, a Teosofia, a Cabala, o Cristianismo primitivo(dos três primeiros séculos depois de Cristo), os Cátaros, dentre outras tradições. Apesar da crença na reencarnação ser compartilhada por diversas tradições e em diversas épocas e culturas, nossa postura como pesquisadores e cientistas não deve ser a de acolher prontamente aquilo que foi passado de geração em geração, mas sim de buscar a confirmação desta hipótese dentro de nossas investigações clínicas e científicas.

Hugo Lapa

Fonte: www.hugolapa.com.br

Vidas Passadas

Terapia de Vidas Passadas e Espiritismo

O tema Terapia de Vida Passada - TVP - ganhou, ultimamente, grande espaço nos meios de comunicação em geral. Como todo tema polêmico, tem gerado muitos debates e opiniões. Mas por que uma proposta terapêutica como essa pode gerar tanta polêmica? Pelo lado da ciência, o centro da questão está na utilização de uma hipótese de trabalho reencarnacionista, que a ciência ocidental continua julgando um tema religioso ou místico, que não pode ser considerado como objeto de estudo.

Para a Doutrina Espírita, apesar defender a reencarnação como processo natural na vida do ser humano, a questão está na utilização da Regressão de Memória à nossas vidas passadas. O objetivo deste artigo será o de discutir alguns dos principais pontos desta relação entre a Terapia de Vida Passada e o Espiritismo.

Para evitar os “achismos”, resolvemos fazer uma pesquisa a nível nacional, no final de 1998, em que apresentávamos para a população espírita um questionário sobre a Terapia de Vida Passada.

Dos 500 que foram respondidos, identificamos algumas das principais preocupações do espírita em relação à Terapia de Vida Passada - TVP - e a Regressão de Memória:

Necessidade do esquecimento do passado

Não poder interferir no processo de sofrimento causado por problemas no passado

Fazer Regressão por curiosidade

Na verdade, o que se pode observar é que a maioria das pessoas tem dúvidas se deveriam ou não utilizar a TVP como recurso, não tem uma informação correta sobre o que é a TVP, hoje.

A TVP se insere na abordagem da Psicologia Transpessoal, um ramo mais recente da Psicologia que considera o componente espiritual como uma das dimensões do ser humano, que interfere no entendimento do homem e de seus sofrimentos. Porém, na TVP consideramos a hipótese de trabalho da reencarnação como base de explicação do conteúdo obtido no processo de Regressão de Memória, isto é, julgamos que os relatos obtidos com os indivíduos em Estado Alterado de Consciência se referem às suas experiências vividas em outras encarnações.

Para a TVP, a maioria dos problemas que temos na vida atual decorrem de situações traumáticas ou bastante desequilibradas que foram vividas pelo indivíduo no passado e que deixaram marcas profundas no seu psiquismo profundo. Todas essas experiências estão registradas nesta instância Inconsciente que o Dr. Jorge Andréa (1) chama de Inconsciente do Pretérito. Algumas situações na vida atual, parecem desencadear o surgimento, na zona mais consciente do psiquismo, desses desequilíbrios, transformando-se em verdadeiras patologias. Podemos citar as fobias, a Síndrome do Pânico, distúrbios de comportamento como os sexuais ou os compulsivos, a depressão, a ansiedade, etc. como algumas que podem se beneficiar com o tratamento pela TVP.

O primeiro passo do processo está em tornar consciente esse conteúdo do passado. É nesse momento que podemos utilizar a Regressão de Memória na identificação da situação do passado geradora do sofrimento atual. Posterior e concomitantemente a essa identificação, teremos que utilizar diversas intervenções específicas para cada caso, visando dissociar a personalidade atual daqueles traumas vividos no passado. Como vimos não basta apenas lembrar o passado. Há uma necessidade de um acompanhamento terapêutico criterioso do delicado conteúdo emocional e psíquico que surge do processo de Regressão. A nossa experiência tem indicado a necessidade da TVP só ser feita por profissional da área de saúde mental que estaria habilitado ao processo de forma integral.

Como podemos ver a finalidade da TVP é terapêutica.

Com isso desfaz-se uma das grandes preocupações do público espírita, em particular:a curiosidade. Na verdade o terapeuta, quando executa um trabalho sério, não considera os casos em que as pessoas procuram para saber o que foram ou fizeram de extraordinário em suas vidas passadas. Julgamos que o material que lidamos seja muito delicado para uma finalidade fútil !

Mas, a questão mais delicada do espírita parece ser a de se “levantar o véu que encobre o passado” já que seria uma “dádiva divina”.

Se observarmos no contexto da Doutrina, as principais referências sobre o assunto estão em O Livro dos Espíritos na parte 2a., cap. VII, em um item que engloba as perguntas 392 à 399, com o título: O esquecimento do passado. Nesse ponto os Espíritos alertam para os inconvenientes que a lembrança do passado teria para os indivíduos.

E nós concordamos inteiramente com isso !!! Vamos observar que este capítulo trata “Da Volta do Espírito à Vida Corporal”. É claro que quando voltamos ao corpo físico necessitamos do esquecimento de nossas vidas pregressas. Como, uma criança conseguiria estruturar uma nova personalidade lembrando simultaneamente de todas as suas vidas passadas? Seria impossível.

Diversas obras na literatura espírita defendem a utilização terapêutica da Terapia de Vida Passada. Dos autores encarnados, citamos o Dr. Jorge Andréa, psiquiatra e pesquisador do psiquismo profundo e da reencarnação com vasta contribuição nessa área. Mesmo entre os desencarnados, através das obras psicografadas, não há uma contra-indicação à utilização da TVP nos casos em que verificamos graves problemas psíquicos, emocionais, físicos ou de comportamento. Pelo contrário. Espíritos como Joanna de Ângelis (2) e Bezerra de Menezes (3) tem ressaltado, através de algumas de suas obras, a importância deste tipo de abordagem científica na minimização do sofrimento humano. Mas é claro que a TVP não é uma panacéia capaz de resolver todos os problemas.

Como toda abordagem terapêutica tem suas limitações e dificuldades que somente uma atuação séria e criteriosa poderá superar, ampliando o potencial de cura de sua aplicação.

É o sofrimento o nosso grande objetivo!

Para nossa surpresa, muitos espíritas responderam afirmativamente à questão:“o sofrimento é a melhor forma de pagarmos os erros do passado”. Isso pode levar a um entendimento distorcido da finalidade da vida e do sofrimento.

A Doutrina Espírita (4) deixa bem claro qual é o objetivo das encarnações sucessivas:o desenvolvimento moral e intelectual do ser. O sofrimento representa um desequilíbrio resultante de um comportamento inadequado do passado que ainda mantém características na personalidade atual. Na medida em que se resolvam as causas cessam-se os efeitos. Em O Livro dos Espíritos, questão 1004, Kardec pergunta sobre o critério de duração dos sofrimentos a que os espíritos respondem ser função da melhora do indivíduo. Na resposta fica clara a finalidade pedagógica do sofrimento, pois quando a pessoa melhora o aspecto desequilibrado o sofrimento perde o sentido, modificando-se ou extinguindo-se.

Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, no capítulo 5, temos a orientação dos espíritos de que devemos empreender todos os nossos esforços no sentido de minimizar o sofrimento dos homens. Ora se a TVP desponta como um instrumento da ciência que pode ajudar nesse processo de aprimoramento do ser humano pela dura de alguns de seus sofrimentos, por que não utilizá-la? Será que não poderíamos utilizar a TVP para ajudar uma pessoa a superar sua Síndrome do Pânico ou de uma depressão profunda por exemplo, simplesmente porque utilizaremos de suas lembranças pretéritas? Nos parece que se a TVP é uma conquista da Ciência ela está consoante aos desígnios de Deus para o progresso da Humanidade.

A ciência avança no sentido da confirmação do espírito, como origem e princípio básico da vida, e da reencarnação como mecanismo natural fundamental para o entendimento do homem e de seus sofrimentos. A TVP, aplicada de forma séria e criteriosa, demonstra ser um instrumento legítimo deste movimento. Como resultado desta aplicação o indivíduo se reconhece como ser espiritual eterno em passagem temporária de aprendizado pelo corpo. Ao verificar as conseqüências de seus atos passados nos seus problemas atuais pode refletir e decidir sobre quais são os valores existenciais essenciais para o seu espírito hoje e descobre a necessidade de desenvolver o Abrandamento de suas tendências negativas e a Aceitação dos problemas que enfrentamos. Ao final, perceberá a necessidade de reclamar menos e Amar mais, a si mesmo e aos outros.

Milton Menezes

Referências Bibliográficas

(1) Palingênese, a Grande Lei - Jorge Andréa

(2) O Homem Integral - Joanna de Angelis/Divaldo Franco;

(3) Loucura e Obsessão - Manoel P. de Miranda/Divaldo Franco;

(4) O Céu e o Inferno - Kardec - 1a. parte, cap. III, item 8.

(5) O Livro dos Espíritos - Kardec - Questões 392 à 399;

(6) O Evangelho Segundo o Espiritismo - Kardc - Cap. 5;

(7) Terapia de Vida Passada e Espiritismo - Distâncias e Aproximações - Milton Menezes

Fonte: www.espirito.org.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal