Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Estádio Arena da Baixada  Voltar

Estádio Arena da Baixada

 

Baixada, Arena, Caldeirão do Diabo, o nome não importa! O estádio Joaquim Américo é mais que uma grande obra de engenharia, é um templo onde milhares de fanáticos vão demonstrar o seu amor por um clube, o Atlético Paranaense.

A história do estádio do Atlético começa no início do século XX. Em 1914, Joaquim Américo Guimarães, então presidente do Internacional, comandou a construção do estádio Baixada da Água Verde. O Atlético surgiu dez anos depois, herdou o patrimônio e batizou o estádio com nome do principal responsável por seu surgimento.

Estádio Arena da Baixada

Durante oito décadas a Baixada passou por diversas reformas, melhoras e ampliações. A última grande obra foi concluída em 1994, mas durou só três anos. Em 1997, o antigo Joaquim Américo foi demolido para dar lugar à Arena da Baixada, estádio mais moderno da América Latina. Navegue pelas páginas abaixo para conhecer tudo sobre o solo sagrado rubro-negro.

Ficha técnica do Estádio Joaquim Américo (Arena da Baixada):
- Capacidade: 24.500 pessoas (todos os lugares em cadeiras)
- Recorde de público: 31.700 pagantes (Atlético 4 x 2 São Caetano, em 16.12.2001)
- Primeiro jogo: Atlético 2 x 1 Cerro Porteño, em 24.06.1999
- Medida do gramado: 105m x 68 m
- Cadeiras de polipropileno, importadas da Espanha
- Gramado com dois tipos de grama: Rye Grass e Tifton 419
- Sistema de drenagem do campo
- Seis elevadores convencionais e dois elevadores panorâmicos
- Área coberta de 11.980 m2 com telhas
- 21 banheiros públicos (11 masculinos e 10 femininos)
- 68 lojas
- 10 suítes de patrocinadores com sala, banheiro e sala de estar para 22 pessoas
- 41 camarotes tipo B para 16 pessoas, com banheiro privativo e sala de estar
- 35 camarotes tipo C de 9 a 15 lugares
- 4 lojas externas (tipo mall)
- 8 vestiários para jogos de futebol
- 10 camarins para shows

Estádio Arena da Baixada

Endereço:
Rua Buenos Aires, 1260 - Curitiba, Paraná

Como chegar ao estádio:
Partindo-se do marco zero de Curitiba (Praça Tiradentes), deve-se tomar a Rua Cândido Lopes, virar à esquerda na Alameda Dr. Muricy, à direita na Rua Emiliano Perneta (Praça Zacarias), à esquerda na Rua Desembargator Motta, à direita na Avenida Iguaçu, à esquerda na Rua Ângelo Sampaio, à esquerda na Avenida Getúlio Vargas e à direita na Rua Buenos Aires.

Linhas de ônibus que passam perto do estádio:
Água Verde/Abranches, Água Verde/Buriti, Caiuá, Carmela Dutra, Cotolengo, Fazendinha, Formosa, Jd. Mercês/Guanabara, Juvevê/Água Verde, Mad. Caiuá, Mad. V. Velha, N. Sra. da Luz, Portão, São Jorge, Sta. Quitéria, V. Izabel, V. Rosinha e Vila Velha

Portões de acesso ao estádio:
- Rua Buenos Aires
- Rua Getúlio Vargas
- Rua Coronel Dulcídio (via estacionamento da Arena)
- Rua Brasílio Itiberê (via estacionamento da Arena)
- Rua Madre Maria dos Anjos (visitantes).

História da Arena da Baixada

O Atlético não seria o mesmo sem o terreno encravado no bairro Água Verde. A Baixada representa exatamente o modo de vida do torcedor rubro-negro: apaixonado e explosivo. A explosão ganhou crença pela localização do estádio, ao lado do antigo depósito de pólvora do exército. Vai ver foi por isso que o parnanguara Joaquim Américo Guimarães alugou a chácara da família Hauer, no dia 22/05/1912. O dirigente do Internacional sabia que estava fazendo um grande negócio em construir a primeira praça futebolística do Estado.

Dois anos após a locação, Joaquim Américo ajudou a montar os primeiros lances de arquibancada de madeira da “Baixada da Água Verde”. Uma evolução para a época. Essas arquibancadas foram construídas para que as donzelas pudessem apreciar o balé da bola sem se submeter às intempéries da capital fria e quase sempre nublada.

O público feminino comparecia em bom número, com senhoras e senhoritas trajando vestidos coloridos. Os homens, em sua maioria, usavam polainas e lenços na lapela. Quem não ostentava gravata, tinha ao redor do pescoço um vistoso lenço de seda. Alguns até exibiam cartola. Era a confirmação de que a nata curitibana estava presente, provando ser o Internacional um clube da elite.

Estádio Arena da Baixada

Só que a “Baixada da Água Verde” servia apenas para treinos e jogos contra times da cidade e proximidades (Coritiba, Paranaguá, Rio Branco, Operário e Guarani). Faltava inaugura-lo oficialmente. Foi aí que, em 06/09/1914, Joaquim Américo Guimarães convidou o time do Flamengo, que estava em excursão pelo Estado, para o “debut” do novo estádio. O time carioca venceu o Internacional por 7 x 1 e a partida contou com mais de 3 mil espectadores, recorde de público da provinciana Curitiba.

No dia 31/07/1917, Joaquim Américo morreu prematuramente. Sete anos depois nasceu o Atlético, originado da fusão do Internacional e do América. A Baixada, então terreno da família Hauer, foi locada por mais cinco anos. Ainda em 1924, a Prefeitura de Curitiba doou ao Atlético um terreno ao lado do Passeio Público, onde hoje está o Círculo Militar. Para ficar com a posse definitiva do local, o clube teria que construir, a curto prazo, um estádio. Com muitos estudos, verificou-se a inviabilidade da obra, já que o terreno era um banhadão.

O tempo foi passando e o período de locação da Baixada chegou ao fim. A família Hauer deu um ultimato ao Atlético: não aceitava mais alugar a Baixada; exigiam a compra. Sem dinheiro em caixa, o clube ia ficar sem onde treinar e mandar os jogos. Poderia ser o fim do rubro-negro recém fundado. Foi a partir desse caso que o Presidente Luiz Feliciano Guimarães e o empresário Hermano Franco Machado adquiriram o imóvel de Carlos Hauer e o alugaram para o Atlético.

A Baixada passou a ser definitivamente do Atlético em 1933. O, então, Presidente do Paraná, Afonso Camargo, doou um terreno na Colônia Argelina, à beira da Estrada da Graciosa, no Juvevê. O livro Atlético, Paixão de um povo, faz a seguinte citação na página 248: “Mais uma vez, viu-se o Atlético diante de um presente de grego: ‘a cavalo dado não se olha os dentes', com certeza, mas construção do estádio naquele local, inegavelmente distante, não deixava de ser uma temeridade. Quase uma viagem. De automóvel ainda vá lá, mas quem é que tinha automóvel naqueles tempos?... De maneira que os dirigentes se fingiram de mortos, principalmente beneficiados pela cláusula ‘ad perpetuam' contida na escritura de doação. Sem condicionante, portanto, haveriam de aguardar solução apropriada que partisse do destino. De qualquer modo, Luiz Guimarães ia deixando, enquanto podia, as coisas como estavam, tinha feito um investimento ou, pelo menos, época de crise, um bom empate de capital.”

O problema foi resolvido pelo interventor Manoel Ribas, que desejava criar uma escola superior de Agronomia em Curitiba. O local escolhido? O terreno do Atlético, na Colônia Argelina. Ribas propôs o seguinte negócio: compraria a Baixada da Água Verde de Luiz Feliciano Guimarães e Herculano Machado e, na posse e domínio deles, faria a permuta das áreas, uma pela outra, a Baixada pelo terreno do Juvevê. Pronto! A Baixada era definitivamente do rubro-negro. Em 1934 o estádio passou a se chamar Estádio Joaquim Américo Guimarães.

Fonte: furacao.com

Estádio Arena da Baixada

Arena do Clube Atlético Paranaense

A Arena da Baixada, cujo nome oficial é Estádio Joaquim Américo Guimarães, considerado um dos estádios mais moderno da América Latina, localizado no bairro Água Verde em Curitiba, capital do estado do Paraná, Brasil, pertencendo ao Clube Atlético Paranaense (CAP).

O Estádio Arena da Baixada

A história da Arena da Baixada teve início em 1914, o então presidente do Internacional (clube que originou o Atlético Paranaense), Joaquim Américo Guimarães, conduziu a construção do estádio Baixada da Água Verde.

O estádio passou por várias reformas, melhorias e ampliações, durante oito décadas. A última grande obra foi concluída em 1994, e durou somente três anos. Em 1997, o antigo Joaquim Américo foi demolido para dar lugar à Arena da Baixada, sendo entregue em 20 de junho de 1999 como o estádio mais moderno da América Latina, com o conceito de Arena Multiuso.

O Atlético divulgou o Projeto de Expansão do Arena, visando a Copa de 2014. Além da conclusão do setor de arquibancadas paralelo ao gramado, está prevista a remodelação da cobertura do estádio, melhoramentos quanto aos acessos e ao estacionamento. O projeto prevê que a capacidade da Arena da Baixada passe dos atuais 25.000 torcedores para 41.375.

Kyocera

Conhecido também como Kyocera Arena, devido a um acordo pioneiro e até hoje único no Brasil, em março de 2005, a venda do nome do estádio (naming rights) para a empresa japonesa Kyocera Mita America por três anos, renováveis por mais dois, porém o acordo foi desfeito a partir de 1 de Abril de 2008 por decisão do Atlético para buscar outros parceiros mais lucrativos, devido à expectativa do estádio abrigar jogos da Copa do Mundo de 2014.

Zona WI-FI

A Arena da Baixada é o primeiro estádio do Paraná a contar com sistema wi-fi para conexão à internet. Os jornalistas e torcedores que quiserem poderão acessar a rede mundial de computadores através de notebook ou handhelds sem a necessidade de uso de cabos.

O sistema wi-fi aproxima ainda mais a Arena da Baixada aos principais estádios do mundo. Além de facilitar a vida dos profissionais de imprensa, o CAP também quer promover mais conforto aos seus torcedores e novos parceiros para que freqüentem cada vez mais suas dependências.

Ficha Técnica

Custo da obra: US$ 30 milhões (Primeira fase)
Tempo de Construção: 18 meses (da demolição do estádio antigo à conclusão)
Período de Construção: Entre 1° de dezembro de 1997 a 20 de junho de 1999
Capacidade Total: 40.000 espectadores
Capacidade Atual: 25.272 espectadores (resta a segunda fase da obra)
Maior Público em Jogo: 31.700 pagantes CAP 4x2 São Caetano, em 16/12/2001
Segurança: 63 câmeras internas e externas juntamente com uma central de controle
Serviços ao Espectador:
- Área técnica e área interna para aquecimento
- Cadeiras de polipropileno importadas da Espanha
- Gramado com dois tipos de grama: Rye Grass e Tifton 419
- Sistema de drenagem do campo
- Seis elevadores convencionais e dois elevadores panorâmicos
- Área coberta de 11.980 m² com telhas
- 21 banheiros públicos (11 masculinos e 10 femininos)
- 68 lojas
- 10 suítes de patrocinadores com sala de estar para 22 pessoas e banheiro
- 41 camarotes tipo B para 16 pessoas, com banheiro privativo e sala de estar
- 35 camarotes tipo C de 9 a 15 lugares
- 4 lojas externas (tipo mall)
- 2 vestiários para jogos de futebol (com hidromassagem)
- Churrascaria
- Academia de Ginástica
- Lanchonete
- Medida do gramado: 105m x 68 m
- Cabines para mídia eletrônica e impressa
- Posto de informações turísticas de Curitiba
- Zona Wi-Fi
- 500 vagas em estacionamento.

Fonte: arenadabaixada.com.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal