Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Expansão Marítima Portuguesa  Voltar

Expansão Marítima Portuguesa

Portugal pioneiro

Durante o reinado de Dom João I (1385-1433), o governo português era forte. Tornou-se o primeiro país europeu a constituir um Estado Moderno, dedicado à atividade comercial- marítima, assumindo práticas mercantilistas.

A burguesia comercial queria enriquecer, mas havia um obstáculo: genovezes e venezianos que monopolizavam o comércio de especiarias. A solução era entrar em contato direto com os fornecedores, isso não poderia ser feito através do mediterrâneo, só restava expandir-se pelo Atlântico. Navegar era preciso.

Os fatores que favoreceram para o pioneirismo português foram:

1. centralização do poder

2. mercantilismo

3. ausência de guerras

4. posição geográfica favorável

5. crise agrícola

Expansão marítima

Teve seu início com a conquista da cidade de Ceuta.

Localizada no norte da África, importante centro comercial, lá eram negociadas vários tipos de mercadorias: seda, marfim, ouro e escravos. (Além do interesse comercial, significava também a continuidade da reconquista cristã, pois ajudou a libertar a navegação comercial européia dos piratas marroquinos, donos da conquista de Ceuta.)

O infante Dom Henrique, filho de D. João I, participou da conquista de Ceuta, em 1416, fundou no extremo sul do país, um centro de estudos e pesquisas de navegação que ficou conhecida como Escola de Sagres. Ali, reuniu uma competente equipe de astrônomos, geógrafos, matemáticos, construtores de instrumentos náuticos, cartógrafos e navegadores. A Escola de Sagres tornou-se o mais avançado centro de estudos de navegação da época. Atingir o Oriente e apossar-se de seu comércio foi, desde o início, o objetivo.

Os turcos

Em 1453, a cidade de Constantinopla,(hoje Istambul) importante centro comercial, foi conquistada pelos turcos (muçulmanos). Os turcos proibiram o comércio existentes na cidade, tornou-se então importante a descoberta do caminho para o Oriente (Índias).

Principais etapas: Navegando pelo litoral do continente africano, os portugueses foram estabelecendo feitorias (postos comerciais) nas quais realizavam comércio de ouro, sal, marfim, pimenta e escravos.

1415 - Conquista de Ceuta 1419 - Ilha da Madeira 1431 - Açores

1434 - Cabo Borjador 1445 - Senegal 1482 - Zaire

1488 - Sul da África - Cabo da Tormentas...... Cabo da Boa Esperança ( D. João II)

Portugal X Espanha

Enquanto os portugueses estavam em expedições pela África, os espanhóis ainda lutavam para expulsar os mouros (árabes) de seus territórios. Essa situação durou até 1492. Os reis espanhóis Fernando (de Aragão) e Isabel (de Castela) patrocinaram a viagem de Cristóvão Colombo , que sabia que a Terra é redonda, pretendia viajar de oeste para leste, porém ele desconhecia a existência de um continente entre a Europa e a Ásia.

Com três caravelas

Santa Mara, Pinta e Niña, Colombo da Espanha, em 4 de agosto de 1492, e em 12 de outubro de 1492, chega à Ilha de Guanaani ( América), pensando ter atingido as Índias.

Tratado de Tordesilhas

Os reis de Espanha para garantir seus direitos de posse sobre a nova terra. Para isso, com a ajuda do Papa Alexandre VI, estabeleceram uma linha demarcatória e imaginária , tudo que estivesses a leste pertenceria a Portugal e a oeste a Espanha. Em 1494, Tratado de Tordesilhas, foi traçada uma linha imaginária, de 370 léguas a oeste das Ilhas do Cabo Verde.

Descobrimento do Brasil

Foi avistada terra, recebeu o nome de Monte Pascoal, mais tarde Ilha de Vera Cruz, aí então para Terra de Santa Cruz. A partir de 1503, deu-se o nome de Brasil .

Fonte: www.reginaclaro.ubbi.com.br

Expansão Marítima Portuguesa

Fatores que contribuíram para a expansão marítima europeia:

Era a solução para o fortalecimento dos Estados nacionais europeus e de sua burguesia

O conhecimento de novas técnicas (astrolábio, bússola, caravelas, mapas, imprensa, pólvora)

A necessidade de um novo caminho marítimo para as índias

Com o renascimento do comércio houve falta de metais preciosos e de matérias-primas

O pioneirismo português

Portugal foi o primeiro país a centralizar-se politicamente, pois já ocorrera a Reconquista

Localização privilegiada de Lisboa e do Porto, e a tradição marítima em função da pesca

Fortalecimento da burguesia e a vinda de mercadores e banqueiros estrangeiros a Portugal

Escola de Sagres (astrônomos, geógrafos, navegadores, cartógrafos, matemáticos, etc.)

Cronologia da expansão marítima portuguesa:

1415 – Conquista de Ceuta (porto de confluência de mercadorias e muçulmano)

1427 – Conquista do arquipélago de Açores (açúcar e escravidão)

1446 – O ouro da Guiné (estabelecimento de feitorias)

Marfim, pimenta e escravos (escravidão moderna – crença religiosa e cor da pele)

1488 – Cabo das Tormentas (Bartolomeu Dias)

1494 – Tratado de Tordesilhas

1498 – Viagem de Vasco da Gama (6000 % de lucros)

1500 – Viagem de Pedro Álvares Cabral para garantir o monopólio português (Brasil)

1513 – Chegada à China e, em seguida, ao Japão

O atraso espanhol

A Espanha inicia sua expansão praticamente 80 anos após Portugal

Ausência de unidade política e territorial e presença dos mouros no sul do país

Os espanhóis não tinham o conhecimento que os portugueses tinham da costa africana

Cristovão Colombo, navegador genovês? (Teoria da esfericidade) ofereceu seus serviços primeiro a Portugal; D. João II os rejeitou; convenceu então os reis católicos da Espanha

Santa Maria, Pinta e Niña – San Salvador, Cuba e Hispaniola

Na 2ª viagem, Colombo já volta melhor aparelhado; padres, militares, armas, cães e cavalos

Colombo fez 4 viagens à América, achando ter chegado às Índias e não a um novo continente

Bula Intercoetera X Tratado de Tordesilhas (Papa Alexandre VI)

Américo Vespúcio (continente e Rio Amazonas)

Cronologia da expansão marítima espanhola

1500 – Vicente Pinzón

1513 – Vasco Nuñes Balboa (Pacífico)

1519 – Fernão de Magalhães e Sebastião D’El Caño (circunavegação)

1519 – Hernan Cortez (Conquista do México – astecas)

1531 – Francisco Pizarro (Conquista do Peru – incas)

Fonte: www.cmf.ensino.eb.br

Expansão Marítima Portuguesa

A expansão Comercial e Marítima Européia

Conteúdo

Século XV: situação da Europa na época das Grandes Navegações.

Especiarias.

Visões do mar e do mundo dos europeus do século XV.

Navegações portuguesas e espanholas

Tratado de Tordesilhas.

Ingleses e franceses.

Motivos que levaram às Grandes Navegações:

1.Falta de alimento para abastecer as cidades.

2.A produção artesanal nas cidades era alta e não encontrava consumidores na zona rural.

3.Falta de moedas.

4.Encarecimento das especiarias.

5.Conversão ao cristianismo.

Principais especiarias

Cravo da Índia

Expansão Marítima Portuguesa
Cravo da Índia

Pimenta do reino

Expansão Marítima Portuguesa
Pimenta do reino

Noz Moscada

Expansão Marítima Portuguesa
Noz Moscada

Eram especiarias também o gengibre, a canela, o açúcar entre outras.

Os europeus compravam outros produtos do Oriente, como: tecidos finos,tapetes, cristal, perfumes, porcelana e seda.

Pioneirismo português

Portugal já era uma nação unificada e independente no século XII.

Revolução de Avis (1385) - subiu ao trono D. João I que, apoiado pelos burgueses, tinha grande interesse na expansão marítima.

Boa parte da população portuguesa vivia da pesca.

Escola de Sagres – século

Localização privilegiada.

Expansão marítima portuguesa

Objetivo:

Alcançar o Oriente contornando o litoral sul africano.

Primeiras conquistas: Ceuta (1415), Ilha da Madeira (1418-1419), Açores (1427-1428).

1434 – o cabo do Bojador foi ultrapassado

1487 -1488 – Bartolomeu Dias atravessou o Cabo das Tormentas, chamado depois de Cabo da Boa Esperança.

1498 – Vasco da Gama chegou às Índias.

1500 – Pedro Álvares Cabral tomou posse das terras que, mais tarde, foram chamadas de Brasil.

Até 1530, Portugal esteve mais interessado em explorar as riquezas do Oriente. Apenas quando esse comércio parou de gerar tantos lucros e a posse das terras americanas estava ameada, Portugal iniciou a colonização na América.

Expansão Marítima Espanhola

Enquanto Portugal se lançava ao mar, os reinos de Castela e Aragão ainda lutavam contra os mouros.

1492 – Colombo chegou a América.

1519 – Fernão de Magalhães – primeira viagem em torno do mundo – circunavegação.

Portugal e Espanha - diferenças

Portugueses: fixavam-se no litoral das terras conquistadas.

Espanhóis: procuravam explorar o interior. Assim, com o trabalho forçado da população nativa conseguiram explorar minas de ouro e prata para enriquecer a metrópole.

A Espanha conquistou a supremacia européia.

Portugal e Espanha - conflitos

Problemas gerados pelos feitos de Colombo.

1479 – Tratado de Alcáçovas - que garantia a Portugal a posse de todas as ilhas do Oceano Atlântico.

1494 – Tratado de Tordesilhas.

Ingleses e franceses

Encorajados pelas conquistas dos portugueses e dos espanhóis, lançaram-se ao mar.

Muitas vezes, desrespeitaram o Tratado de Tordesilhas o que gerou muitos conflitos.

Chegaram em muitas terras da América do Norte, mas a importância da França e da Inglaterra no processo de colonização só cresceu no século XVII.

Fonte: www.ifgoiano.edu.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal