Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Fauvismo - Página 3  Voltar

Fauvismo

Os artistas franceses do início do século XX deram continuidade as pesquisas de Vicent van Gogh, de Gauguin e dos neo-impressionistas que se caracteriza pela divisão das cores.

A primeira exposição ocorreu em 1905 no Salão de Outono de Paris onde as obras causaram escândalo devido a violência (intensidade) das cores puras (sem matizá-las). Os artistas foram então chamados de 'fauves" pelo crítico de arte Louis Vauxcelles; fauves significa feras em francês. A exposição foi ironicamente intitulada de "cage aux fauves", ou seja, "gaiola das loucas", porque no centro da sala, estava um dorso, e este dorso então estaria engaiolado com as feras.

Dois princípios regem este movimento artístico: a simplificação das formas das figuras e o emprego das cores puras, por isso, as figuras fauvistas são apenas uma sugestão e não a representação da realidade, sendo assim, é também considerado precursor do abstracionismo. Portanto, as cores não são da realidade e o objetivo era justamente este, libertar a cor das regras tradicionais da pintura, marcada pelo intelectualismo e do condicionamento imposto pela cor natural dos objetos.

A cor passou a ser usada em manchas planas e extensas; as sombras com tons fortes e contrastadas sob o efeito da justaposição; as pinceladas quase sempre separadas. Eram escolhidas arbitrariamente pelo artista, usadas puras; sem gradação de tons. O que importa é expressar as sensações do artista entregando-se ao instinto, sem preocupação do estilo.

O grupo de artistas fauvistas não era homogêneo e unido, sendo assim, seguiram tendências pictóricas diversas, como por exemplo: Georges Braque para o Cubismo; Raoul Dufy em cenas da vida campestre e urbana ou Friesz que manteve-se no Expressionismo. O desmembramento do grupo data de 1908, porém persiste em todos eles o uso arbitrário das cores que eles preferiam ser puras e quentes.

Os fauvistas se tornaram os responsáveis pelo desenvolvimento do gosto nas pessoas pelas cores puras que atualmente estão nos inúmeros objetos do nosso cotidiano e nas muitas peças do nosso vestuário.

Fonte: www.she.art.br

Fauvismo

Fauvismo
Fauvismo

Na França, o fauvismo (de fauves, ou fera) busca a harmonia e o equilíbrio da composição por meio de cores intensas e não naturalistas. Dança, de Henri Matisse, é uma das obras representativas do movimento.

Conhecido também como o Movimento das artes plásticas caracterizado pela rejeição da perspectiva linear, pelo uso arbitrário de cores puras e contrastantes e pelas formas simplificadas e pouco semelhantes às da natureza.

Começa oficialmente em 1905 com uma exposição de jovens pintores em Paris. Eles são chamados de fauves (feras em francês) por um crítico que considera suas obras bastante agressivas. O rótulo, inicialmente pejorativo, é adotado pelo grupo para nomear o movimento.

Como no expressionismo, o objetivo do fauvismo não é retratar fielmente a realidade. A idéia é causar impacto exprimindo sensações e emoções. Por isso, além de contrário à arte tradicional, é uma reação ao impressionismo.

O fauvismo, porém, não se caracteriza pela postura de esquerda de muitos expressionistas alemães. Os fauvistas concentram-se nosproblemas estéticos e abrem caminho para a abstração.

A inspiração para essa forma de pintar vem de Van Gogh, Gauguin e Cézanne. O líder dos fauvistas é o francês Henri Matisse. Influenciado pelas artes oriental e africana, pinta naturezas-mortas, interiores e nus femininos. Uma de suas obras-primas é A Alegria de Viver. Outros nomes importantes são André Derain (1880-1954) e Georges Braque (1882-1963).

A partir de 1908, o grupo se dispersa. Somente Matisse se mantém fiel às bases do fauvismo.

No Brasil não existiram fauvistas no sentido exato do termo, e sim pintores, como Anita Malfatti, influenciados por obras de Matisse e de Braque.

Fonte: www.mundofisico.joinville.udesc.br

Fauvismo

Em 1905, alguns artistas que expunham no Salão de Outono em Paris ficaram conhecidos como "les fauves" (as feras), devido à intensidade com que usavam as cores puras em suas obras, sem misturá-las ou matizá-las. Para eles, criar era seguir os impulsos e as sensações primárias.

Exclusivamente dedicada à pintura, essa tendência estética, conhecida como Fauvismo, ficou marcada pela liberdade de expressão e pelo exagero do desenho e da perspectiva. Os fauves revolucionaram o uso da cor na arte contemporânea, renegando a paleta de tons naturalistas dos impressionistas e usando cores fortes aplicadas de forma explosiva.

A novidade não estava em manifestos que exprimissem metas ou exposições mirabolantes. Eram apenas pintores ousados com vontades comuns e admiração mútua por nomes como Van Gogh, Gauguin e Cézanne. Para esses artistas, a realidade da obra partiria de cada um que a observasse, eles acreditavam que a arte deveria retratar as emoções do momento e não ser uma cópia fiel do cotidiano.

Por meio do impacto visual causados pelo uso de planos bidimensionais simplificados e preenchidos por uma paleta forte, variada e luminosa, os fauvistas despertaram na França e na história da arte o desejo de misturar vida, sentimento e expressão.

Fonte: www.acrilex.com.br

Fauvismo

O QUE É O FAUVISMO

O Fauvismo é um movimento artístico principalmente francês (em francês les fauves, "'as feras'", como foram chamados os pintores que não seguiam as regras da pintura impressionista, vigente na época) do início do século XX, que se desenvolveu sobretudo entre 1905 e 1907. Associada à busca da máxima expressão pictórica, o estilo começou em 1901mas só foi denominado e reconhecido como um movimento artístico em 1905. Segundo Henry Matisse em "Notes d'un Peintre" pretendia-se com o Fauvismo "uma arte do equilíbrio, da pureza e da serenidade, destituída de temas perturbadores ou deprimentes".

O Fauvismo, tem como características marcantes a simplificação das formas, o primado das cores, e uma elevada redução do nível de graduação das cores utilizadas nas obras. Os seus temas eram leves, retratando emoções e a alegria de viver e não tendo intenção crítica. A cor passou a ser utilizada para delimitar planos, criando a perspectiva e modelando o volume. Tornou-se também totalmente independente do real, já que não era importante a concordância das cores com objeto representado, e sendo responsável pela expressividade das obras.

Os princípios deste movimento artístico eram:

Criar, em arte, não tem relação com o intelecto e nem com sentimentos.

Criar é seguir os impulsos do instinto, as sensações primárias.

A cor pura deve ser exaltada.

As linhas e as cores devem nascer impulsivamente e traduzir as sensações elementares, no mesmo estado de graça das crianças e dos selvagens.

O Fauvismo foi para muitos artistas um espaço de aprendizagem que abriu caminhos para um novo movimento que marcou definitivamente o século XX - O CUBISMO.

Fonte: sites.google.com

Fauvismo

Fauvismo é o nome dado à tendência estética na pintura que buscou explorar ao máximo a expressividade das cores na representação pictórica.

O fauvismo teve origem no final do Século 19, ao contar com precursores como Paul Gauguin e Vincent Van Gogh.

O estilo destes dois artistas, que trabalharam juntos no mesmo ateliê, guardava semelhanças e foi imitado pelos chamados fauvistas principalmente no uso exacerbado das cores agressivas e a representação plana, que imprimia grande teor dramático à representação pictórica.

A tendência fauvista não só revolucionou o uso das cores na pintura moderna como foi uma das origens dos posteriores movimentos de ruptura estética nas artes plásticas.

O termo “fauvismo”, na verdade, teve origem a partir das observações corrosivas do crítico de arte Louis Vauxcelles após ter visitado uma mostra de pinturas de vários artistas, entre eles Henry Matisse. Vauxcelles utilizou a expressão “Les Fauves” ao se referir aos artistas.

O uso pejorativo da expressão, que pode significar “os animais selvagens”, prevaleceu nas críticas imediatamente posteriores.

Apesar da negação do rótulo e dos protestos pelos artistas integrados à nova tendência, que não chegaram a lançar nenhum manifesto teórico de afirmação e nomeação da sua linha estética, o termo “fauvismo” acabou permanecendo, talvez indevidamente, nos estudos da história da arte.

Tendo curto período de existência, o que caracterizaria os movimentos vanguardistas posteriores, o “fauvismo” reuniu sob a liderança de Matisse pintores como Georges Braque, Andre Derain, Georges Roualt, Kees van Dongen e Raoul Dufy.

O Fauvismo inaugurou o império da cor na pintura

Fauvismo
Pintura de Henri Matisse

O fauvismo foi um movimento relativamente curto, durando entre 1898 e 1908, mas revolucionou o conceito de cor na arte moderna. Os fauvistas rejeitaram a paleta impressionista de cores suaves e cintilantes, em favor das cores violentas que já vinham sendo usadas pelos pós-impressionistas Paul Gauguin e Vincent Van Gogh, dando-lhes uma ênfase expressiva. Os artistas deste novo estilo aplicaram ao seu trabalho uma energia poética, através de linhas vigorosas, da simplificação dramática das formas e da aplicação de cores intensas.

Fauvismo
Albert Marquet

Fauves (bestas selvagens) era um nome pejorativo, aplicado à revelia a um grupo de artistas, em sua primeira exibição pública, em 1905. Desse grupo participavam, entre outros, André Derain, Maurice de Vlaminck, Raoul Dufy, Georges Braque, Henri Manguin, Albert Marquet, Jean Puy, Emile Othon Friesz, e seu líder maior, Henri Matisse. Tecnicamente, o uso da cor pelo fauvismo foi o resultado de experiências feitas por Matisse em Saint-Tropez, no verão de 1904, ao trabalhar com pintores neo-impressionistas, que aplicavam porções de tinta pura, uma ao lado da outra, na busca de uma imagem que fosse, no seu entender, mais real que a dos impressionistas.

Fauvismo
André Derain

A pintura neo-impressionista de Matisse, conquanto obedecendo estritamente às regras, se diferenciava por um forte interesse no lirismo das cores.

No verão de 1905, Matisse e Derain pintaram juntos "uma luz dourada que eliminou as trevas". Eles começaram usando cores complementares aplicadas em vigorosos lances, buscando algo mais que a luminosidade dos impressionistas, ao trazer uma visão deslumbrante do brilho do sol no Mediterrâneo.

Mais tarde, quando alguns colecionadores lhes mostraram algumas pinturas dos mares do Sul, feitas por Gauguin, eles viram confirmadas suas teorias sobre a subjetividade das cores reais e, a partir de então, o fauvismo passou a existir como um novo movimento nas artes plásticas.

Fauvismo
Maurice de Vlaminck

Matisse criou uma linha divisória na interpretação ótica da cor. O nariz de uma mulher poderia ser verde, desde que a alteração acrescentasse expressão à pintura.

Matisse declarou: "Eu não pinto mulheres, eu pinto quadros."

Todos os pintores envolvidos na nova experiência seguiram caminhos personalizados. Em verdade, por volta de 1908, eles abandonaram sua fidelidade irrestrita ao maneirismo de uma escola qualquer. Ainda que adotando a prevalência da cor sobre a forma e sobre a luminosidade, cada um buscou uma interpretação própria, segundo sua concepção individual de arte.

Referências

BRAQUE (Georges), pintor francês (Argenteuil, 1882 - Paris, 1963). Iniciador do cubismo, com Picasso, é autor de naturezas-mortas.
DERAIN (André), pintor francês (Chatou, 1880 – Garches, 1954). Um dos principais representantes do fauvismo.
DUFY (Raoul), pintor, gravador e decorador francês (Le Havre, 1877 – Forcalquier, 1953). Impressionista a princípio, mais tarde influenciado por Toulouse-Lautrec, e pelo fauvismo, destacou-se também como gravador (Bestiário) e em trabalhos de tapeçaria (Caçador). Distinguiu-se sobretudo com A fada Eletricidade, vasta decoração para o pavilhão da Eletricidade, na Exposição Internacional

Fonte: www.geocities.com

voltar 12345avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal