Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Bacilos Gram-positivos  Voltar

BACILOS GRAM-POSITIVOS

As BL são cocos ou bacilos Gram-positivos encontrados em diferentes nichos ecológicos como laticínios, vegetais, carnes (principalmente Lactobacillus e Pediococcus), mucosa humana ou animal (basicamente Streptococcus) e no trato digestivo (Streptococcus e Lactobacillus). A sua principal função nos alimentos é a acidificação destes produtos em um pH próximo de quatro, que impede o desenvolvimento de bactérias indesejáveis pela produção de ácidos orgânicos, majoritariamente ácidos lácticos. Isso permite que o tempo de conservação dos produtos fermentados seja muito maior que a dos produtos onde a matéria prima não seja fermentada. Outro papel é desenvolver as propriedades organolépticas dos alimentos fermentados. Por meio da produção de um grande número de enzimas glicolíticas, lipolíticas e proteolíticas, as BL transformam os nutrientes fundamentais dos produtos agrícolas em compostos com propriedades organolépticas complexas. Essas atividades bioquímicas permitem às BL modificar pouco a pouco a estrutura e o aroma dos alimentos fermentados e de contribuir para o desenvolvimento das suas qualidades gastronômicas.

É interessante notar que dentro de cada gênero que contêm linhagens filogeneticamente próximas, temos linhagens não patogênicas e patogênicas. Por exemplo, Streptococcus thermophilus e Lactococcus lactis são usadas na produção de iogurte e queijo, respectivamente, enquanto Streptococcus pneumoniae e Lactococcus garviae são agentes da pneumonia e da mastite, respectivamente. Desta forma, apenas as bactérias não patogênicas são inócuas e consideradas G.R.A.S, (Generally Regarded As Safe) e tornam-se interessantes como agentes bioterapêuitcos.

Três tipos de atividades probióticas foram estabelecidos cientificamente. A primeira é relacionada a digestibilidade da lactose. Esse açúcar, presente em abundância nos produtos lácticos, pode induzir fenômeno de intolerância nos consumidores que possuam deficiência congênita em lactase, a enzima que o degrada. O quadro clínico pode ser traduzido por diarréias, cólicas abdominais ou flatulência.

Curiosamente esses sintomas aparecem quando a lactose é absorvida do leite, mas são ausentes quando absorvidas do iogurte nas mesmas proporções. Existem duas possíveis explicações para o fenômeno: a flora bacteriana do iogurte (Streptococcus thermophilus e Lactobacillus bulgaricus): (i) suplementaria a deficiência em lactase do hospedeiro com a sua própria; (ii.) estimularia, na mucosa intestinal do hospedeiro a produção endógena da lactase.

Uma outra atividade probiótica exercida pelas BL é a higienização do tubo digestivo, que hospeda uma flora microbiana abundante, sendo que parte dela pertence ao grupo das bactérias lácticas. Estas bactérias modulam a microbiota nas regiões onde estão presentes, devido aos seus produtos de metabolismo. Essa microbiota desejável protege o hospedeiro impedindo o crescimento de microorganismos patogênicos, além de gerar benefícios à saúde, impedindo a reabsorção de compostos aminados indesejáveis, desconjugando ácidos biliares, biodisponibilizando minerais como cálcio e ferro, e, por meio de suas enzimas, favorecendo o metabolismo de algumas substâncias como a lactose, em indivíduos lactase não persistentes. Assim a flora endógena do hospedeiro além de manter o equilíbrio do trato gastrointestinal e estimular respostas imunológicas ainda têm uma função de barreira protetora ao ocupar os nichos ocupados por patógenos.

Enfim, está bem estabelecido que certas linhagens de BL possuem atividades adjuvantes que estimulam a resposta imunitária do hospedeiro contra antígenos. Dos lactobacilos, a espécie casei mostrou-se capaz de estimular a resposta imunitária das crianças quando vacinadas por via oral contra rotavírus, vírus responsável pela diarréia aguda infantil nos países em desenvolvimento . Os Lactobacillus acidophilus são habitantes normais do intestino do hospedeiro, resistem às condições adversas do trato gastrointestinal e também podem induzir citocinas do tipo 1 que estimulam a resposta inata do hospedeiro frente a patógenos. Nós veremos que a atividade adjuvante das BL abre caminhos interessantes para aplicações na área médica.

Lactobacillus acidophilus

Outras atividades probióticas para as BL foram propostas, e mais interessantes são as atividades anticolesterolêmicas e antitumorais. No entanto, mais experiências ainda são necessárias para demonstrar que as BL exercem, de fato, essas atividades in vivo.

Fonte: www.icb.ufmg.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal