Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia Do Papilocopista  Voltar

Dia do Esportista

19 de Fevereiro

Esportista

O esportista, ao praticar exercícios físicos, coletiva ou individualmente - e com método -, está aperfeiçoando a atividade de seu corpo e mente.

Nessa atividade, ele emprega sua força, sua habilidade e inteligência (em conjunto ou separadas), seguindo regras pré-fixadas. O objetivo é vencer os adversários que enfrenta direta ou indiretamente.

Daí concluírmos que, apesar de em alguns esportes o homem precisar dominar uma máquina (automóvel, moto, lancha etc), a natureza (alpinismo, natação) ou mesmo os animais (caça subaquática, hipismo etc), o esporte teve sua origem da competição entre homens ou grupos de homens.

O esportista, então, é aquele que tem como principal intenção superar outros competidores e até a si mesmo, suas próprias limitações. Quando o esportista cruza a faixa de chegada ou o juiz da disputa determina seu encerramento, trata-se do ponto final de um trabalho exaustivo para atingir o ápice do condicionamento corporal, visando a vitória.

Ele encerra em si o desejo de perfeição, a idéia de totalidade.

O atleta perseguirá essa finalidade em toda a sua vida dedicada ao esporte.

Esporte na Antiguidade

Entre espartanos e atenienses, o esportista ocupava lugar de destaque. O povo grego, aliás, foi o primeiro a atingir um alto grau de civilização na Europa e uma das inúmeras heranças deixadas pela Grécia para o mundo moderno foi a Educação Física.

O valor dos exercícios físicos eram de tal forma reconhecidos por Aristóteles e Hipócrates, que eles chegavam mesmo a afirmar que a educação do corpo devia anteceder a do intelecto. "(...) que desgraça é para o homem envelhecer sem nunca ter visto a beleza e conhecido a força que seu corpo é capaz de produzir", dizia Sócrates.

Não é à toa afirmarem que os gregos e os persas foram os primeiros a sistematizar a prática do esporte.

De qualquer forma, independente do valor que os gregos davam aos exercícios, não podemos esquecer que o homem tem relação com o uso do corpo para a conquista desde os primatas. Estes, quando fugiam de animais ferozes ou lutavam por áreas e domínios estavam, de certa forma, competindo.

Acredita-se que, depois da alimentação, a mais remota ação do homem no mundo é a que hoje conhecemos como esporte.

A luta do Kung-fu, por exemplo, foi desenvolvida na China há cerca de cinco mil anos.

Um enfoque psicológico

Desde a infância, sentimos necessidade de nos mover, descobrir sensações e viver experiências que aumentem nossa bagagem de conhecimentos. Essa necessidade se realizaria assim... digamos, concretamente, na prática de esportes.

E mesmo que uma pessoa não se sinta atraída a ser um esportista na vida adulta, provavelmente brincou muito em criança - sozinha ou com amigos -, usando seu corpo e sua mente em jogos e competições.

Os jogos infantis, na verdade, são parecidos em todas as civilizações. Da Grécia antiga até os tempos modernos, quem não brincou de cabra-cega, esconde-esconde, apostar corrida ou cavalo de guerra?

Até os cinco anos, a criança costuma jogar sozinha (mesmo em companhia de outras) e só depois dessa idade é que passa a brincar em grupo e a estabelecer normas para as brincadeiras, aproximando-se do que, para elas, significa o mundo adulto.

Só na adolescência e na vida adulta é que o esporte ganha outro significado: de dar vazão às pressões internas, assegurando o equilíbrio emocional. Para um atleta, um esportista, o significado ganha ainda um tempero a mais - de realização pessoal e profissional.

O mundo dos esportes e, conseqüentemente, do esportista, é o mundo onde as leis do cotidiano são substituídas por regulamentos próprios para cada modalidade esportiva, ou seja, trata-se de uma realidade artificial, criada pelo próprio homem.

Da mesma forma, o espectador também tende a entrar nesse mundo, incluindo-se na disputa. Ele se identifica com os competidores e participa incentivando, se desgastando junto com o atleta, formando assim as torcidas.

Esporte e saúde

Nos dias de hoje, o esporte praticado como hobby é cada vez mais associado à saúde, além, é claro, da vaidade que invade e lota as academias de ginástica. Mas é fato que praticar exercícios regularmente contribui, e muito, para a saúde física e mental do homem, seja ele esportista ou não.

Entre os adolescentes, a preocupação com o bem estar e a estética do corpo aumentou consideravelmente nas últimas décadas. Isto vem mudando o corpo dos jovens, que está ficando mais alto e mais pesado.

Comparado à geração anterior, um garoto de 15 anos está com quatro centímetros a mais em sua estatura média. O mesmo acontece com as meninas.

No peso é que a situação muda de figura: meninos praticam esportes, de olho no aumento da massa muscular, enquanto as garotas se preocupam mais em manter o peso, com objetivos estéticos.

Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal