Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Formigas  Voltar

Formigas

 

Formigas
Formiga

As formigas individualmente a primeira instancia, são insignificantes, mas unidas em suas sociedades elas são os organismos dominantes desse planeta.

Na Floresta Amazônica 1 hectare de solo possui cerca de 10 milhões de formigas. Isso representa de 30 a 35% da biomassa animal presente nessa região.

No mundo estima-se quase 10.000 espécies de formigas distribuidas em quase todos os ecossistemas. Para a natureza o papel desse inseto e de grande importância na reciclagem de nutrientes orgânicos e no fluxo de energia na cadeia alimentar. Assim antes de pisar em um bichinho desses pense bem

Todas as formigas pertencem a ordem Hymenoptera, Classe Insecta e família Formicidae. A família das formigas possui cerca de 10,000 espécies descritas, mas estima-se que o número de espécies possa atingir 20,000. É o grupo mais bem sucedido de todos os insetos, pois ocorre em praticamente todos os ambientes terrestres e estão amplamente distribuídas em países temperados e tropicais.

Na maioria das espécies, os machos conservam as asas durante toda a vida e as fêmeas somente até o acasalamento. O corpo é dividido em três parte (cabeça, mesossoma e gáster ), sendo a característica mais marcante a forma do pedúnculo abdominal.

Os insetos estéreis são ápteros.

Ocorrem três grupos na colônia: rainhas, machos e operárias. A rainha é maior que os indivíduos de outras castas, geralmente aladas. Os machos também são alados e bem menores que as rainhas, têm vida curta e morrem logo depois que acasalam. As operárias são geralmente fêmeas estéreis, sem asas e compõem a maior parte da colônia.

As grande diversidade das formigas permite que construam seus ninhos em qualquer tipo de lugar. Algumas formam seus ninhos em cavidades de plantas, outras em galerias na madeira, folhas, mas a grande maioria constrói seus ninhos no chão. E uma grande parte delas passaram a acompanhar o homem e as areas urbanas.

Os formigueiros feitos no chão podem ser pequenos e relativamente simples ou grandes e extremamente elaborados, com muitas galerias, túneis e labirintos. Seus ninhos podem chegar a mais de 5 m de profundidade. Todas vivem em colônias organizadas.Certas câmaras no subsolo podem servir como câmaras de criação, outras para armazenamento de alimento. A maioria das formigas desloca sua criação de uma parte do formigueiro para outra, quando as condições mudam (principalmente a temperatura).

Após o acasalamento o macho morre e a rainha começa uma nova colônia. A rainha elimina as asas logo após o vôo nupcial, geralmente procura um lugar para nidificar, faz uma pequena escavação e produz sua primeira ninhada. Esta primeira ninhada é alimentada e cuidada pela rainha e é formada geralmente por operárias.

Logo que estas crescem, tomam conta do trabalho da colônia e daí por diante a rainha não faz mais quase nada, a não ser botar ovos. Podem haver mais de uma rainha por colônia. Seus hábitos alimentares são bastantes variados. Algumas são carnívoras (insetos), outras alimentam-se de plantas, fungos, seiva ou néctar.

As formigas podem se alimentam da excreção de outros indivíduos e a troca de comida entre indivíduos é comum (trofalaxia).

O corpo é formado por cabeça, messosoma e gáster. Este último é articulado com o messosoma por um pedicelo abdominal ou pedúnculo.

Seu ciclo de vida é constituído por quatro fases: ovo, larva, pupa e adulto

A comunicação entre os indivíduos da mesma espécie é bem eficaz e se realiza através do tato ou de substâncias químicas. Outras ainda utilizam mecanismos como a vibração e até a audição.

Algumas formigas podem se apresetar como sérios problemas em jardins, estufas e casas, devido ao fato de se alimentarem de recursos disponivéis nesses locais.

Mas lembrem-se esses insetos são de grande importância para o meio ambiente.

Fonte: br.geocities.com

Formigas

Formigas
Formiga

Formigas são insetos sociais pertencentes à ordem Hymenoptera, superfamília Formicoidea.

Sua estrutura social é complexa, compreendendo inúmeras operárias e guerreiras (formas não capazes de reprodução) e rainhas e machos alados que determinarão o aparecimento de novas colônias. Algumas espécies são portadoras de um aguilhão abdominal ligado a glândulas de veneno.

A picada pode ser muito dolorosa e pode provocar complicações tais como anafilaxia, necrose e infecção secundária.

A subfamília Ponerinae inclui a Paraponera clavata, a formiga tocandira, cabo-verde ou formiga vinte-e-quatro-horas de cor negra, capaz de atingir 3 cm de comprimento e encontrada nas Regiões Norte e Centro-Oeste. Sua picada é extremamente dolorosa e pode provocar edema e eritema no local, ocasionalmente acompanhada de fenômenos sistêmicos (calafrios, sudorese, taquicardia). As formigas de correição, gênero Eciton (subfamília Dorilinae), ocorrem na selva amazônica, são carnívoras e se locomovem em grande número, predando pequenos seres vivos. Sua picada é pouco dolorosa.

De interesse médico são as formigas da subfamília Myrmicinae, como as formigas-de-fogo ou lava-pés (gênero Solenopsis) e as formigas saúvas (gênero Atta).

As formigas-de-fogo tornam-se agressivas e atacam em grande número se o formigueiro for perturbado. A ferroada é extremamente dolorosa e uma formiga é capaz de ferroar 10-12 vezes, fixando suas mandíbulas na pele e ferroando repetidamente em torno desse eixo, o que leva a uma pequena lesão dupla no centro de várias lesões pustulosas.

As espécies mais comuns são a Solenopsis invicta, a formiga lava-pés vermelha, originária das Regiões Centro-Oeste e Sudeste (particularmente o Pantanal Mato-Grossense) e a Solenopsis richteri, a formiga lava-pés preta, originária do Rio Grande do Sul, Argentina e Uruguai. A primeira é responsável pelo quadro pustuloso clássico do acidente.

O formigueiro do gênero têm características próprias: tem inúmeras aberturas e a grama próxima não é atacada, podendo haver folhas de permeio à terra da colônia.

As saúvas, comuns em todo o Brasil, podem produzir cortes na pele humana com as potentes mandíbulas.

Ações do Veneno

O veneno da formiga lava-pés (gênero Solenopsis) é produzido em uma glândula conectada ao ferrão e cerca de 90% é constituído de alcalóides oleosos, onde a fração mais importante é a Solenopsin A, de efeito citotóxico. Menos de 10% têm constituição protéica, com pouco efeito local mas capaz de provocar reações alérgicas em determinados indivíduos. A morte celular provocada pelo veneno promove diapedese de neutrófilos no ponto da ferroada.

Quadro Clínico

Imediatamente após a picada, forma-se uma pápula urticariforme de 0,5 a 1,0 cm no local. A dor é importante, mas, com o passar das horas, esta cede e o local pode se tornar pruriginoso. Cerca de 24 horas após, a pápula dá lugar a uma pústula estéril, que é reabsorvida em 7 a 10 dias. Acidentes múltiplos são comuns em crianças, alcoólatras e incapacitados. Pode haver infecção secundárias das lesões, causada pelo rompimento da pústula pelo ato de coçar.

Complicações

Processos alérgicos em diferentes graus podem ocorrer, sendo inclusive causa de óbito. O paciente atópico é mais sensível.

Infecção secundária é mais comum, podendo ocorrer abscessos, celulites, erisipela.

Diagnóstico

O diagnóstico é basicamente clínico.

Tratamento

O tratamento do acidente por Solenopsis sp (lava-pés) deve ser feito pelo uso imediato de compressas frias locais, seguido da aplicação de corticóides tópicos.

A analgesia pode ser feita com paracetamol e há sempre a indicação do uso de anti-histamínicos por via oral.

Acidentes maciços ou complicações alérgicas têm indicação do uso de prednisona, 30 mg, por via oral, diminuindo-se 5 mg a cada 3 dias, após a melhora das lesões. Anafilaxia ou reações respiratórias do tipo asmático são emergências que devem ser tratadas prontamente.

Fonte: www.saude.rj.gov.br

voltar 12345678avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal