Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Fosfolipídios  Voltar

Fosfolipídios

Os Fosfolipídios são lípidio que em sua estrutura possui, além de ácido graxo e glicerol, ácido fosfórico (fosfato) e uma molécula nitrogenada.

Fosfolipídios são um componente importante das membranas celulares.

Os fosfolipídios contêm apenas ácidos graxos unidos a uma molécula de glicerol. O terceiro grupo hidroxila de glicerol se esterifica a ácido fosfórico em lugar de faze-lo a ácido graxo. Este fosfato está unido também a uma segunda molécula de álcool, que pode ser colina, etonolamina, inositol ou serina, de acordo com o tipo de fosfolipídio.

Os fosfolipídios apresentam duas grandes “caudas” de ácidos graxos hidrofóbicas e uma “cabeça” hidrofílica (polar) que contém fosfato.

Portanto, os fosfolipídios são moléculas anfipáticas (contém uma região hidrofílica e outra hidrofóbica).

Esta configuração confere às membranas biológicas muitas de suas propriedades. Essas membranas são bicamadas de fosfolipídios com as cabeças hidrofílicas (regiões que contêm fosfato), situadas na interface liquida, e as caudas hidrofóbicas grandes, dispostas no interior.

Quando se misturam com água os fosfolipídios adotam espontaneamente a organização em bicamada – as cabeças polares no exterior e as caudas apolares no interior.

Este princípio de  auto – agregação, na qual a união de estruturas complexas depende exclusivamente de propriedades físico-químicas de seus componentes moleculares, é característico dos sistemas vivos. Por exemplo, os vírus e os ribossomas se agregam de maneira semelhante.

Nas células existem duas classes de fosfolipídios, os glicerofosfolipídios e esfingofosfolipídios.

Os glicerofosfolipídios possuem dois ácidos graxos unidos a uma molécula de glicerol, uma vez que o terceiro grupo hidroxila deste álcool se encontra esterificado com um fosfato, unido por sua vez a um segundo álcool.

A combinação de glicerol com dois ácidos graxos e o fosfato resulta em uma molécula chamada ácido fosfatídico, que constitui a estrutura básica dos glicerofosfolipídios.

Na membrana interna das mitocôndrias, existe um glicerofosfolipídio duplo chamado difosfatidilglicerol ou cardiolipina. Composto por dois ácidos fosfatídicos ligados por uma terceira molécula de glicerol.

Os esfingofosfolipídios contêm ceramida, que é uma molécula formada pela união de dois ácidos graxos com uma serina (a qual substitui o glicerol presente nos glicerofosfolipídios). A união de uma serina com um dos ácidos graxos forma o aminoálcool chamado esfingosina ou esfingol. A serina se forma da agregação de um ácido graxo com a esfingosina.

O esfingofosfolipídio existente nas células é a esfingomielina, originada da união da ceramida com a fosforilcolina.

Os fosfolipídios exibem duas grandes caudas hidrofóbicas não polares (dois ácidos graxos) e uma cabeça hidrofílica polar, que compreende o glicerol, o fosfato e o segundo álcool. Por tais características os fosfolipídios são moléculas anfipáticas.

Os fosfolipídios são os principais componentes das membranas celulares, e tanto sua anfipatia como as características de seus ácidos graxos (numero de carbonos, presença de duplas ligações) lhes conferem muitas de suas propriedades.

Além do mais, quando os fosfolipídios se dispersam em água, adotam espontaneamente uma organização idêntica à das membranas celulares, com as suas cabeças polares para fora e as não polares alinhadas entre si no interior da bicamada de lípides.

Fonte: www.enq.ufsc.br

Fosfolipídios

Fosfolipídios
Fosfatidilcolina, uma lecitina

Os fosfolípideos são ésteres do glicerofosfato - um derivado fosfórico do glicerol.

O fosfato é um diéster fosfórico, e o grupo polar do fosfolipídio. A um dos oxigênios do fostato podem estar ligados grupos neutros ou carregados, como a colina, a etanoamina, o inositol, glicerol ou outros. As fostatidilcolinas, por exemplo, são chamadas de lecitinas.

Fosfolipídios
Os fosfolípideos se organizam em bicamadas

Os fosfolipídios ocorrem em praticamente todos os seres vivos.

Como são anfifílicos, também são capazes de formar pseudomicrofases em solução aquosa; a organização, entrentanto, difere das micelas.

Os fosfolipídios se ordenam em bicamadas, formando vesículas. Estas estruturas são importantes para conter substâncias hidrossolúveis em um sistema aquoso - como no caso das membranas celulares ou vesículas sinápticas. Mais de 40% das membranas das células do fígado, por exemplo, é composto por fosfolipídios.

Envolvidos nestas bicamadas encontram-se outros compostos, como proteínas, açúcares e colesterol.

Ou "Lipídeos Polares", são lipídeos que contém fosfato na sua estrutura

Os mais importantes são também derivados do glicerol - fosfoglicerídeos - o qual está ligado por uma ponte tipo fosfodiéster geralmente a uma base nitrogenada, como por exemplo:

Colina è Fosfatidilcolina, ou Lecitina

Serina è Fosfatidilserina

Etanolamina è Fosfatidiletanolamina

As outras hidroxilas do glicerol estão esterificadas a AG.

Os fosfoglicerídeos desempenham importante função na estrutura e função das membranas biológicas, pois são claramente anfipáticos:

Fosfolipídios

Fosfolipídios

As membranas celulares são elásticas e resitentes graças às fortes interações hidrofóbicas entre os grupos apolares dos fosfolipídios.

Estas membranas formam vesículas que separam os componentes celulares do meio intercelular - dois sistemas aquosos!

Fonte: qmc.ufsc.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal