Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Avenida Champs-Elysées  Voltar

Avenida Champs-Élysées

 

A avenida Champs-Elysées é provavelmente a mais famosa avenida do mundo.

Este passeio impressionante se estende desde o lugar do Concorde la para a Place Charles de Gaulle, o site do Arco do Triunfo.

Na sua extremidade ocidental da Champs-Elysées é limitado de cinemas, teatros, cafés e lojas de luxo.

Perto da Place de la Concorde, a rua é cercada por Jardins des Champs-Elysées, lindamente decorado jardins com fontes e alguns grandes edifícios, incluindo a Grande e Petit Palais, no lado sul e do Eliseu em seu lado norte.

O último foi a residência dos presidentes franceses desde 1873.

Avenida Champs-Elysées
Champs-Elysées

Celebrações

Avenida Champs-Elysées
Champs-Elysees sinal nome de rua

A Champs-Elysées é usado para todas as grandes celebrações. Este é o lugar onde os parisienses celebrar o Ano Novo e onde os desfiles militares são detidos no dia 14 de julho. Históricos eventos nacionais, como a Libertação no final da Segunda Guerra Mundial ou a vitória na Copa do Mundo de futebol também foram celebrados nesta avenida larga.

Do século 17 - Os Campos Elíseos

No século 16, essa área era nada além de campos fora do centro de Paris. Em 1616, Maria de Medicis decidiu criar um caminho arborizado longo indo para o leste a partir das Tulherias. O percurso foi redesenhado em 1667 pelo renomado paisagista André Le Nôtre, como uma extensão dos Jardins des Tuileries.

O passeio, agora chamado de "Grande Allée du Roule 'ou' Grand-Cours" tornaram-se um lugar da moda, mas ainda estava isolado da cidade com poucos edifícios que cercam a área. 27 Anos mais tarde, o passeio foi renomeado para "Champs-Elysées", ou Campos Elísios em Inglês. O nome foi derivado da mitologia grega, onde "Elusia 'é um lugar onde os heróis vêm para relaxar.

Século 18 e 19 - o desenvolvimento

Avenida Champs-Elysées
Champs Elysees visto para Arco do Triunfo

Em 1724 a Champs-Elysées foi estendido até a colina de Chaillot (agora conhecido como l'Etoile, o site do Arco do Triunfo ). Sua forma atual tomou forma em 1838, quando o arquiteto francês Ignaz Hittorf - que foi redesenhar a Place de la Concorde - criado Jardins des Champs-Elysées. Ele também instalou calçadas, lâmpadas a gás e fontes. Os Champs-Elysées começou a atrair mais e mais restaurantes e hotéis, especialmente depois de 1900, quando a linha do metro de Paris nr 1 chegou à estação Etoile.

Projeto atual

A última reformulação do prestigiada avenida foi feito em 1994 por Bernard Huet. As pistas laterais foram convertidas em zonas pedonais, um parque de estacionamento subterrâneo foi criado e novas árvores foram plantadas. Carros agora ocupam apenas a metade da largura da avenida grande.

Fonte: www.aviewoncities.com

Avenida Champs-Élysées

A Champs Elysées, uma reluzente avenida de lojas, cafés e cinemas que se transformou em um dos símbolos da capital francesa, corre o risco de se transformar em uma rua sem identidade formada por cadeias de loja e lanchonetes de fast food, afirmou um novo estudo. A avaliação, realizada pela empresa de consultoria Clipperton Developpement a pedido do prefeito de Paris, diz que o governo municipal e o setor empresarial precisam tomar medidas para garantir que a avenida continue a ser um "símbolo no mundo todo da arte de viver parisiense", segundo as palavras da prefeitura.

"Corremos o risco de nos transformarmos na Oxford Street?", perguntam os consultores, citando o nome da antes glamorosa rua de Londres cujas calçadas hoje são ocupadas por homens-sanduíche anunciando descontos em lojas de sapato.

O alerta é o mais recente de uma série de avisos surgidos de tempos em tempos a respeito de a avenida estar perdendo seu charme e de estar se transformando em algo não muito diferente de um ímã para turistas e um local para a realização de eventos de grande porte, como a festa celebrada após a conquista da Copa do Mundo pela França, em 1998.

A avenida Champs Elysées, conhecida na França como a "avenida mais bonita do mundo", mudou bastante no último século, deixando de ser uma mera via de tráfego cheia de árvores para transformar-se em um dos locais mais caros do mundo em termos imobiliários.

Seus restaurantes e bares costumam ser evitados pelos moradores de Paris devido a seus preços estratosféricos, e um dos principais atrativos da avenida para os parisienses, os cinemas, está ameaçado pelos aluguéis caríssimos que só podem ser pagos por grandes cadeias de lojas.

Cinemas atraem moradores da capital

"A Champs Elysées possui a imagem de ser uma área de cinemas", disse ao jornal Le Parisien Dominique Rodet, chefe do Comitê da Champs Elysées, uma associação que representa comerciantes da cidade.

"Sem eles, os parisienses e as pessoas das áreas vizinhas não terão motivo nenhum para visitar a área e nós vamos perder não apenas uma parte de nossa vida noturna, como vamos perder todo um aspecto local dela", afirmou.

O prefeito de Paris, Bertrand Delanoe, pediu que sejam apresentadas "propostas ousadas" a fim de garantir que a Champs Elysées "preserve sua identidade característica como local de memórias, de diversão, de criatividade e de passeio para os parisienses e os turistas".

Mais de uma década depois de ter sofrido sua última grande reforma, quando suas calçadas foram ampliadas, a avenida agora será alvo, segundo promessa do prefeito, de um plano a ser desenvolvido com grupos empresariais e que terá por foco temas como o cinema, os esportes e as celebrações do final do ano.

"A idéia é garantir que a Champs Elysées continue sendo atraente em quaisquer condições", afirmou um porta-voz do gabinete de Delanoe.

Fonte: viagem.uol.com.br

Avenida Champs-Élysées

Do Champs-Elysées ao Louvre

Faça um passeio histórico a pé. Parta do Arco do Triunfo (metrô Charles de Gaulle-Etoíle), desça todo o Champs-Elysées, o boulevar mais chique e caro de Paris. No final do ano, o visual é ressaltado pelas luzes de Natal. Não perca por nada, se estiver por lá na época.

Chegue até a Place de la Concorde, onde o rei Luis 16 e sua mulher, Maria Antonieta, foram guilhotinados. Enquanto estiver atravessando a praça, não deixe de observar, à esquerda, a belíssima Igreja da Madeleine ao fundo, que também vale uma visita.

Avenida Champs-Elysées
Avenida Champs-Élysées

Da Concorde, siga pelo Jardim das Tulheries, onde já existiu um imponente palácio, derrubado durante a Revolução Francesa. No verão, as Tulheries abriga um parque de diversões e vira uma badalada área de lazer. Não deixe de dar uma volta na roda-gigante e observar os telhados de Paris.

No fim das Tulheries, você já vê a Pirâmide do Museu do Louvre. A moderna pirâmide de vidro faz um contraste gritante com o antigo Palais do Louvre, sede da corte francesa desde o século 13. A obra motiva até hoje polêmica inflamada entre os franceses, e debates teóricos entre arquitetos de diferentes correntes.

Você precisará de dias para explorar bem o Museu do Louvre. A dica é comprar uma Carte de Musée e fazer cada uma das três alas do museu num dia diferente.

Fonte: www1.folha.uol.com.br

Avenida Champs-Élysées

Existe em Paris uma Comissão de Proteção da avenida Champs Elysées cuja missão seria um acompanhamento das transformações que ao longo dos anos vão mudando as características ou a identidade desta, comumente chamada, avenida mais bonita do mundo.

Quais são os perigos que poderiam ameaça-la? As grandes artérias das grandes capitais mundiais estão se transformando em vitrinas para as grandes marcas que instalam suas lojas símbolo afim de aumentar o valor da marca. Estamos assistindo a uma uniformização destas avenidas e os mais pessimistas dizem que, no futuro, elas serão iguais seja em Paris, Buenos Aires ou Hong Kong. As grandes marcas chegam, compram ou alugam os espaços disponíveis desalojando os cafés, os cinemas, os cabarés, os clubes, tudo aquilo que contribui para a diversidade cultural e social do lugar. A ação da Comissão é no sentido de preservar esta diversidade e impedir que esta avenida se transforme em um grande mall americano.

A ameaça é real pois aí já estão instaladas grandes marcas como.

O jardim do Rond Point me impressiona muito. É um jardim cuja decoração é trocada várias vezes por ano. Primeiro vem a decoração com as flores da primavera, em seguida a do verão e assim vai, até a apoteose final, é claro, a decoração do natal. Quer dizer, uma avenida muito bem cuidada, realmente muito bonita, com cafés, cinemas (ainda, dois deles já são subvencionados pela prefeitura), restaurantes.

Avenida Champs-Elysées
Avenida Champs-Élysées

A avenida atrai mais de cem milhões de visitantes por ano e tem umas especificidades engraçadas como a diferença do valor dos imóveis entre o lado dos números pares e os ímpares. Lado ímpar onde estão instalados Vuitton, Lacoste, Ladurée os preços são mais baratos que o outro lado, onde estão todos os cinemas, fast foods e grandes marcas da distribuição como Sephora, Virgin, Fnac. O lado par atraí mais os visitantes aumento o valor dos imóveis.

Este é o primeiro artigo de uma série que farei sobre os Champs Elysées e os passeios em torno desta artéria.

Fonte: www.conexaoparis.com.br

Avenida Champs-Élysées

A Avenida Champs-Élysées é uma rua em Paris, França.

Com os seus cinemas, cafés, lojas de especialidades de luxo e cortadas cavalo castanheiros, a Champs-Élysées é sem dúvida a rua mais famosa e uma das bandas mais caras do Imobiliário em todo o mundo.

Vários monumentos franceses são também na rua, incluindo o Arco do Triunfo e a Place de la Concorde.

O nome é francês para Campos Elíseos, o lugar dos mortos abençoados em mitologia grega.

De acordo com uma descrição muito usado, a Champs-Élysées é la plus belle avenue du monde ("a mais bela avenida do mundo").

Descrição

A avenida corre para 1,91 km (1,18 milhas) através do 8 º arrondissement de Paris, no noroeste, a partir da Place de la Concorde , no leste, com o Obelisco de Luxor, a Place Charles de Gaulle (antiga Place de l ' Étoile ) no oeste, a localização do Arco do Triunfo. A Champs-Élysées faz parte do Axe historique.

Um dos principais destinos turísticos em Paris, a parte inferior da Champs-Élysées é delimitada por vegetação ( Carré Marigny ) e por edifícios como o Théâtre Marigny eo Grand Palais (que contém o Palais de la Découverte ).

O Palácio do Eliseu é um pouco para o norte, mas não na avenida em si. Mais para o oeste, a avenida está alinhada com cinemas, cafés e restaurantes, e lojas especializadas de luxo.

A Champs-Élysées termina no Arco do Triunfo , construído para honrar as vitórias de Napoleão Bonaparte.

Avenida Champs-Elysées
O eixo histórico , olhando para o oeste da Place de la Concorde (o Obelisco de Luxor está em primeiro plano)

Avenida Champs-Elysées
Os Champs-Elysées visto do Arco do Triunfo

História

Champs-Élysées foi originalmente campos e jardins de mercado, até 1616, quando Maria de Médici decidiu estender o eixo do Jardim das Tulherias com uma avenida de árvores. A avenida foi transformada pelo paisagista André Le Nôtre , em 1667, de acordo com os desejos de Luís XIV.

Foi encomendado em 1670 e foi, então, chamado "Grand Cours" (Curso Grande) e não tomar o nome de Champs-Élysées até 1709. Ainda em 1716, Guillaume Delisle o mapa de Paris mostra que um pequeno trecho de estradas e campos e hortas separados mercado ainda o machado grande dos jardins das Tulherias dos plantadas "Thuilleries Avenue des", que foi pontuado por uma bacia circular onde o des Rond-point Champs-Élysées está hoje; já foi plantada com algumas avenidas de árvores para a Sena rio através de bosques e campos.

Avenida Champs-Elysées
Champs-Élysées, em 1890, vistos a partir da Place de la Concorde

Em 1724, o eixo Jardim das Tulherias e da avenida foram conectados e ampliado, levando além da Place de l'Étoile , os "Campos Elísios" foram parque aberto flanqueando-lo, logo preenchido com bosquets de árvores plantadas formalmente na classificação reta e arquivo. Para o leste, a amada e negligenciado " Vieux Louvre "(como é chamado nos mapas), ainda cercada por edifícios, não fazia parte do eixo. No mapa de 1724, o Grande Avenue des Champs-Elisée se estende a oeste de um lugar recém apuradas du Pont Tournant que em breve será rebatizado para Luís XV e agora a Place de la Concorde.

No final do século 18, a Champs-Élysées havia se tornado uma avenida da moda, as plantações Bosquet em ambos os lados havia engrossado o suficiente para ser dada formais retangular clareiras (armários de verdura). Os jardins de casas construídas ao longo do Faubourg Saint-Honoré com encosto para as bosquets formais. Grandiosa deles foi o Palácio do Eliseu . Um semicírculo de casa frentes agora definido o lado norte do Rond-Point. A avenida do Rond-Point para o Étoile foi construída durante o Império . Champs-Élysées em si tornou-se propriedade da cidade em 1828, e caminhos, fontes e iluminação a gás foram adicionados. Ao longo dos anos, a avenida passou por numerosas transições, mais recentemente em 1994, quando as calçadas foram alargadas.

Champs-Élysées, devido ao seu tamanho e proximidade com vários marcos de Paris, como o Arco do Triunfo , tem sido o local de vários notáveis desfiles militares, o mais infame sendo a marcha das tropas alemãs comemoram a queda da França em junho 14, 1940 , e os dois mais famosos, as marchas subseqüentes grátis forças francesas e americanas após a libertação da cidade, respectivamente, a 2 ª Divisão Blindada francesa em 26 de agosto de 1944, e o EUA 28 ª Divisão de Infantaria em 29 de agosto de 1944.

Fonte: en.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal