Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Museu do Louvre  Voltar

Museu do Louvre

 

Uma das maravilhas do mundo das artes

Um passeio pelo Museu do Louvre é parada obrigatória de quem vai à Paris. É um recanto que agrada tanto aos amantes da arte como às pessoas comuns que, depois de um dia passeando pelo museu torna-se um apaixonado por arte.

Museu do Louvre

O museu é grandioso e une o antigo ao moderno e contemporâneo. Ao começar pela sua entrada pela Pirâmide com 21 metros de altura e 200 toneladas de vidro e vigas.Existe um robô, preparado para este fim, que se encarrega de efetuar a limpeza da pirâmide semanalmente. O prédio foi construído entre 1852 e 1857, durante Napoleão III, sendo de 1871 a 1989 o Ministério da Fazenda.

Quando se chega ao museu logo na entrada é fornecido um mapa (existe em várias línguas) para nos direcionarmos dentro do museu. Os visitantes podem seguir por três direções: Sully, Richelieu e Denon. Estas três regiões correspondem as três alas do edifício e levam os nomes de três grandes funcionários do estado: Sully (ministro da fazenda de Henry IV), Richelieu (ministro de Luis XIII) e Denon (primeiro ministro do museu central de arte durante Napoleão I. Existem também 04 níveis ( subterrâneo e do primeiro ao terceiro andar) e o mapa contém as sessões dentro do museu divididas em Antiguidades Orientais, Egípcias , Gregas, Romanas, esculturas e Louvre medieval.

A construção do Louvre data de oitocentos anos e, antes que se convertesse a um dos Museus do Mundo foi uma fortaleza, palácio dos Reis da França (que depois se mudaram para o palácio de Versalles). Foi construído pelo rei CharlesV (rei da França em 1364 - 1380) para ser uma fortaleza medieval..Podemos verificar no subsolo as ruínas do castelo assim como um mapa de como era o mapa e arquitetura .

Museu do Louvre

As galerias que expõe as pinturas são as mais visitadas na direção Denon, principalmente por conter obras de pintores célebres no mundo das artes.

Uma das obras de maior destaque é a pintura de Leonardo da Vinci (1452 -1519)

La Gioconda retrato de Mona Lisa.
La Gioconda retrato de Mona Lisa.

Milhares de visitantes passam todos os dias e não conseguem deixar de admirar o quadro tão enigmático, onde a protagonista possue em seus lábios aquele famoso sorriso de indefinível tristeza onde temos a impressão que sua expressão muda constantemente. A modelo ficou muito tempo no mais absoluto mistério, porém , atualmente acredita-se que se trata de Lisa Gherardini, proveniente de uma família rica de mercadores e era casada com Francesco Giocondo.

Em um dia , com um bom planejamento você poderá conhecer as principais obras do museu.O endereço oficial do museu do Louvre é http://www.louvre.fr/ , onde você poderá fazer uma visita virtual em francês, inglês ou espanhol e poderá também adquirir ingressos para entrada no museu antecipadamente,assim como consultar o mapa do museu e a fotografia de algumas obras.

Fonte: www.revistaturismo.com.br

Museu do Louvre

O Louvre e a Monalisa

A Monalisa na sua nova sala no Louvre
A Monalisa na sua nova sala no Louvre

O museu do Louvre é parada obrigatória para os turistas que visitam Paris, no entanto poucos sabem que o museu que abriga uma das maiores coleções de obras de arte do mundo foi durante sete séculos a residência de reis e imperadores da França. Uma das principais atrações do Louvre, o quadro "Monalisa” ou “La Joconde”, como é conhecido pelos franceses, está exposto na “salle des Etats” que reabriu suas portas ao público em abril de 2005 após 4 anos de reformas.

A “salle des Etats” - agora com 840 metros quadrados - foi inteiramente renovada pelo arquiteto Lorenzo Piqueras e passa a abrigar a “Monalisa” de Leonardo da Vinci e “As Bodas de Canãa” de Véronèse, a maior tela do Louvre com 6,77 metros x 9,94 metros. Os dois quadros são exibidos frente a frente nos dois extremos da sala, onde também estão expostos cerca de 50 quadros de pintores da escola veneziana do século XVI, como Tiziano, Tintoretto e Bassano.

A renovação da “salle des Etats” - estimada em 3,5 milhões de dólares – e realizada entre 2001 e 2005 foi possível graças ao apoio da empresa japonesa Nippon Television Network Corporation. A reforma permite que os visitantes do Louvre apreciem as obras com mais conforto, segurança e melhor iluminação. Durante o dia, a sala é iluminada pela luz natural zenital e a iluminação complementar para os dois principais quadros da sala é ativada à medida em que a luz do dia diminui.

Situada no primeiro andar da ala Denon entre o pavilhão Denon e a Grande Galeria, a “salle des Etats” foi construída pelo arquiteto Hector Lefuel entre 1855 e 1857, pois Napoleão III, tendo restabelecido o império desejava convocar as Câmaras em sua residência. Ela foi inaugurada em 1857 e serviu de sala de abertura de sessões legislativas até 1870. Em 1886, ela passou a abrigar pinturas francesas do século XIX. Em 1950 a sala foi completamente remodelada e a “Monalisa” ocupou seu espaço.

Cerca de 80% dos visitantes vão ao Louvre para ver a "Monalisa" e as esculturas "Vênus de Milo" e "Vitória de Samotracia". A "Monalisa" é visitada a cada ano por aproximadamente seis milhões de pessoas, número que não para de aumentar em parte graças às romarias suscitadas pelo livro “O Código da Vinci” de Dan Brown. Outro quadro citado no livro de Brown, “A virgem dos Rochedos” (La vierge aux rochers) de Leonardo da Vinci, também atrai a atenção dos visitantes.

Fonte: www.fernandalevy.com

Museu do Louvre

O Museu do Louvre (Musée du Louvre), instalado no Palácio do Louvre, em Paris, é um dos maiores e mais famosos museus do mundo. O edifício construído por Napoleão, no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rivoli. O seu pátio central, ocupado agora pela pirâmide de vidro do Louvre, encontra-se na linha central dos Champs-Élysées, e dá forma assim ao núcleo onde começa o Axe historique. O Palácio do Louvre foi a sede do governo monárquico francês desde a época dos Capetos medievais, tendo sido abandonado por Luís XIV em favor do Palácio de Versalhes. Parte do palácio real do Louvre foi aberta primeiramente ao público como um museu em 8 de Novembro de 1793, durante a Revolução Francesa. Mesmo após a Restauração dos Bourbons, permaneceu como museu.

É onde se encontra a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia, a Vénus de Milo, enormes colecções de artefactos do Egipto antigo, dos artistas clássicos da Europa como Ticiano, Rembrandt, Goya, Rubens ou Renoir, numa das maiores mostras do mundo da arte e cultura humanas. No Museu do Louvre encontra-se entre outras obras de artistas brasileiros, peças do Mestre Vitalino de Caruaru-PE.

A praça sobre o Louvre e sua tão famosa pirâmide de vidro, onde se localiza sua entrada.
A praça sobre o Louvre e sua tão famosa pirâmide
de vidro, onde se localiza sua entrada.

O Museu

O Louvre é um dos maiores e mais famosos museus do mundo, com uma riquíssima herança da França desde os antigos reis Capetos, passando pelo império de Napoleão Bonaparte até aos nossos dias.

O Louvre é gerido pelo estado francês através da Réunion des Musées Nationaux. Atrai por ano milhões de visitantes de todo o mundo, que chegam para apreciar a sua valiosa colecção de arte.

Escultura no Louvre: Vitória de Samotrácia (200 a.C.) em comemoração da vitória naval grega em Rodes
Escultura no Louvre: Vitória de Samotrácia (200 a.C.)
em comemoração da vitória naval grega em Rodes

Só a colecção do Barão Edmond de Rothschild (1845-1934), doada ao Louvre em 1935, preenche uma sala de exposição, contendo mais de 40.000 gravuras, cerca de 3.000 desenhos e 500 livros ilustrados..

Além da arte, o Museu do Louvre tem mais exposições sobre diversos assuntos, tais como arqueologia, história e arquitetura. Tem uma grande colecção de móveis, e entre as peças mais espectaculares estava o Bureau du Roi do século XVIII, agora de novo no Palácio de Versalhes.

Palais du Louvre

Venus de Milo
Venus de Milo

O primeiro real "Castelo do Louvre" neste local foi fundado por Philippe II em 1190, como uma fortaleza para defender Paris a oeste contra os ataques dos Vikings. No século seguinte, Charles V transformou-o num palácio, mas Francois I e Henri II rasgaram-no para baixo para construir um palácio real; as fundações da torre original da fortaleza estão sob a Salle des Cariatides (Sala das Cariátides) agora. Mais tarde, reis como Luis XIII e Luis XIV também dariam contribuições notáveis para a feição do actual Palácio do Louvre, com a ampliação do Cour Carré e a criação da colunata de Perrault.

As transformações nunca cessaram na sua história, e a antiga fortaleza militar medieval acabaria por se tornar um colossal complexo de prédios, hoje devotados inteiramente à cultura. Dentre as mais recentes e significativas mudanças, desde o lançamento do projecto "Grand Louvre" pelo presidente François Mitterrand, estão a transferência para outros locais de órgãos do governo que ainda funcionavam na ala norte, abrindo grandes espaços novos para exposição, e a construção da controversa pirâmide de vidro desenhada pelo arquitecto chinês I. M. Pei no centro do pátio do palácio, por onde se faz agora o acesso principal. O museu reorganizado reabriu em 1989.

Trabalhos notáveis

Obras de arte famosas que fazem parte do acervo do museu:

Vénus de Milo
Vitória de Samotrácia
Dama de Auxerre
Mona Lisa
Navio dos Loucos
Madona das Rochas
Colecção de Arte egípcia

Museu do Louvre

Acesso

Metro: Palais Royal - Musée du Louvre ou Louvre-Rivoli.

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal