Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Galactorréia - Página 2  Voltar

Galactorréia

Galactorréia

Num auto-exame das mamas, realizado pela paciente ela se depara com a presença de leite, ou colostro na expresão mamária. Ela conclui inicialmente que não esta grávida, não está amamentando e também não está no puerpério, não está fazendo uso de anticoncepcionais.

Qual a causa desta secreção mamária?

Podemos definir que galactórréia é a secreção de leite ou colostro fora do ciclo grávido-puerperal.

E esta galactórreia é proveniente pelo aumento dos níveis de Prolactina, que é um hormônio secretado pela adeno-hipofise. E este hormônio é inibido pelo PIF(fator inibidor de prolactina).

A prolactina é secretado em ritmo circadiano, alcançando seu níveis mais elevados durante o sono,na fase luteiua do ciclo menstrual e no período reprodutivo da mulher.

Fatores que aumentam o nível de prolactina, levando a hiperprolactemia e galactorréia.

A gravidez.

A amamentação

O estress

Os exercícios físicos(pela liberação de endorfinas)

Procedimentos cirúrgicos.

Herpes zoster

Lesões torácicas(por envolvimento do 4 e 6 nervo intercostal)

Estimulação dos mamilos

Atividade Sexual

Medicação antihipertensiva.

Medicação antidepressiva

Contraceptivos orais

Os antieméticos

Cimetidina

Estrógenos

Alimentos gordurosos

Haloperidol

Diazepinicos

Alterações menstruais – polimenorreia, amenorréia, anovulação.

A associação galactorréia+ovários policisticos+ hiperprolactemia são freqüentes.

Na mulher a galactorreia + hiperprolactemia é freqüente em 70% dos casos estudados.

Embora se encontre casos de galactorreia com prolactina normal e casos de hiperprolactemia sem galactorreia ou amenorréia.

Outras causas de Hiperprolactemia

Hipotireiodismo

Patologias hipotalâmicas

Patologias hipofisárias

Insuficiência renal

Cirrose hepática

Prolactinomas

Síndrome dos ovários policisticos

Tipos de Prolactina.

Temos as forma small que tem peso molecular de 23000 que representa 80% da prolactina. As formas Big com peso molecular de 50000. E as formas Big-Big de peso molecular de 100.000.(de menor potencia biológica).

Valores normais: 5 a 20 ng/ml(levar em consideração condições ambientais, stress, repouso, método de coleta, horário etc)..

Os valores acima de 100ng/ml merecem uma investigação mais detalhada,podem estar associados a tumores-prolactinomas.

Investigação clinica:

Anamnese: afastar as causas desencadeantes acima relacionados.

Conduta:

Exames laboratorias: dosagem de prolactina. Tsh. Rx de sela turcica, tomografia, ressonância magnética.

Campimetria(avaliar alterações oftálmicas).

Tratamento: clinico ou cirúrgico a depender da avaliação do medico assistente e do período gestacional.

Severino Rodrigues de Figueiredo

Bibliografia

Endocrinologia Ginecológica – Lucas Vianna Machado.
Reprodução Humama- José Aristodemo Pinotti.
Ginecologia Endócrina e da Reprodução- Mário Gáspare Giordano

Fonte: www.portaldeginecologia.com.br

Galactorréia

Galactorréia

Secreção mamária anormal de leite fora do período da amamentação. Pode ser produzida por distúrbios hormonais ou por medicamentos.

Níveis elevados de prolactina podem provocar a liberação de leite pelas mamas (galactorréia) num período fora da gestação ou amamentação.

A galactorréia raramente pode ocorrer em homens. A prolactina tem a capacidade de inibir a secreção do hormônio luteinizante (LH) e do folículo-estimulante (FSH) pela hipófise, que são os hormônios que agem estimulando as gônadas (testículo e ovário).

Com a diminuição do LH e do FSH, e conseqüente deficiência dos hormônios sexuais, pode ocorrer diminuição do desejo sexual (libido), impotência, infertilidade, menstruações irregulares (oligomenorréia) ou ausência de menstruação (amenorréia). Denomina-se síndrome galacto-amenorréia o conjunto de sinais e sintomas decorrentes do aumento nos níveis sangüíneos de prolactina.

A prolactina é um hormônio polipeptídico produzido pelas células da hipófise anterior. A dosagem de prolactina tem interesse no diagnóstico de tumores hipofisários (prolactinomas), na avaliação da amenorréia secundária, nos distúrbios menstruais associados ou não a galactorréia, nos casos de impotência no sexo masculino e hipogonadismo.

Durante a gravidez se verifica hiperplasia das células produtoras de prolactina da hipófise com resultante aumento do hormônio prolactina responsável pela produção de leite.

Sob determinadas condições a mulher pode apresentar a produção de leite fora do período de amamentação. Esse fato recebe o nome de galactorreia.

O excesso de produção do hormônio prolactina pode aparecer nos casos de tumores da glândula hipófise, os prolactinomas ou como efeito colateral de alguns medicamentos como os antieméticos e os procinéticos.

Fonte: www.endoclinicasp.com.br

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal