Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Galactorréia  Voltar

Galactorréia

A galactorreia define-se como a produção de leite pelas mamas nas mulheres que não estão em período de lactação ou nos homens.

Em ambos os sexos, a causa mais frequente de galactorreia é um tumor na hipófise que produz prolactina (prolactinoma).

Em geral, os prolactinomas são muito pequenos quando se diagnosticam pela primeira vez. Por outro lado, tendem a aumentar de tamanho mais nos homens do que nas mulheres.

Os medicamentos, tais como as fenotiazinas, alguns dos fornecidos para tratar a hipertensão (sobretudo a metildopa) e os narcóticos, aumentam a produção de prolactina e, por conseguinte, causam galactorreia. O hipotiroidismo (diminuição da função da tiróide) também pode provocar esta perturbação.

Sintomas

Apesar de a produção de leite pelas glândulas mamárias poder ser o único sintoma de um prolactinoma, muitas mulheres deixam de ser menstruadas ou começam a ter períodos menstruais anómalos. As mulheres com prolactinomas começam a sofrer ondas de calor e secura vaginal, o que causa incómodos durante uma relação sexual.

Os homens tipicamente sofrem dores de cabeça ou perdem a visão periférica. Cerca de dois terços dos homens perdem o interesse pelo sexo e tornam-se impotentes.

Diagnóstico

Para determinar a causa de uma produção anómala de leite, utiliza-se uma combinação de análises de sangue e tomografia axial computadorizada (TAC) ou ressonância magnética (RM).

Os sinais da deficiência de estrogénios são óbvios num exame físico, enquanto os valores da prolactina e outras hormonas, como a luteinizante e a foliculoestimulante, exigem uma análise de sangue. Os exames com TAC ou RM podem revelar pequenos prolactinomas e, se o tumor for grande, o oftalmologista efectua exames dos campos para detectar defeitos da visão.

Tratamento

Os prolactinomas são tratados por meio de diversas técnicas. Quando a concentração de prolactina no sangue de um paciente é muito alta e o exame com TAC ou RM detecta apenas um pequeno tumor hipofisário ou absolutamente nada, o médico pode prescrever a administração de bromocriptina ou inclusive não recomendar qualquer tratamento. Nas mulheres, a bromocriptina tem a vantagem de aumentar os valores de estrogénios (muitas vezes baixos naquelas que apresentam valores elevados de prolactina), o que as protege de desenvolver uma possível osteoporose.

A bromocriptina deve ser recomendada às pacientes com prolactinomas que pretendam ficar grávidas, além de que também contribui para interromper o fluxo de leite. Prescrever-se-ão estrogénios ou contraceptivos orais que contenham estrogénios às mulheres com pequenos prolactinomas, já que não existem provas de que os estrogénios provoquem uma aceleração anormal do crescimento dos tumores pequenos. A maior parte dos especialistas recomenda um exame anual com TAC ou RM, no mínimo durante 2 anos, para assegurar que o tumor não cresça demasiado.

Os médicos tratam em geral com bromocriptina ou cirurgia os doentes que apresentam tumores grandes (macroadenomas), depois de terem efectuado um estudo do sistema endócrino. O tratamento é coordenado com um endocrinologista, um neurocirurgião e um radioterapeuta. Se a bromocriptina faz diminuir a concentração de prolactina e os sintomas desaparecem, a cirurgia é, com frequência, desnecessária. Mesmo quando se recorre à cirurgia, a administração de bromocriptina pode reduzir o tumor antes da operação.

Apesar de a intervenção cirúrgica inicialmente normalizar a concentração de prolactina no sangue, a maior parte dos prolactinomas reaparece.

A radioterapia só se utiliza quando os sintomas se agravam e o tumor cresce apesar do tratamento com bromocriptina. As concentrações de outras hormonas da hipófise podem diminuir durante vários anos depois de se aplicar a radioterapia.

Fonte: www.manualmerck.net

Galactorréia

O QUE É?

Galactorréia ou descarga de mama, é a secreção do leite através das mamas das mulheres fora do período de gestação e lactação. O muco pode vir de uma das mamas ou as duas mamas e pode variar na cor, composição e consistência.

Este distúrbio pode afetar os mais velhos e mulheres jovens, que nunca foram mães, que não estejam amamentando e mesmo para os homens, embora isso seja raro.

A produção de leite na glândula mamária é estimulada por um hormônio chamado prolactina ou lactogen produzido pela placenta, segue-se que galactorréia é devido a uma alteração na produção desse hormônio.

CAUSAS

Vários fatores podem causar galactorréia, e às vezes você não consegue encontrar a causa do mesmo.

Estes incluem:

Doenças ginecológicas,
Adenomas ou prolactinomas
Desequilíbrios hormonais (por excesso ou por defeito)
A função anormal da tireóide (hipertireoidismo)
Malformações vasculares do cérebro
Consumo de medicamentos para contracepção ou tratamento da depressão, pressão arterial e epilepsia.
Uso de drogas como o ópio e da maconha.
Traumáticas ou processos inflamatórios no cérebro.
Ansiedade, esporte competitivo, o esforço físico extenuante.
Algumas doenças como insuficiência renal crônica, doença de Cushing, doença crônica do fígado (cirrose), lúpus, sarcoidose, entre outros.

Sintomas

Além de secreção do leite através do mamilo, pode haver alguma causa relacionados com os sintomas causados pela descarga, tais como: dores de cabeça, visão turva ou visão dupla, sonolência excessiva, prisão de ventre e pele seca.

Também poderia ocorrer: a menstruação anormal ou falta dela, flashes quentes, drenagem vaginal, infertilidade, perda do desejo sexual, impotência (nos homens).

FATORES DE RISCO

As mulheres têm maior risco de galactorréia, estresse, uso de roupas que irrita o mamilo ou tornar-se uma análise diária da mama freqüentemente, também podem ser fatores de risco.

PREVENÇÃO

Para reduzir o risco de galactorréia, evite usar roupas muito apertadas, do auto de mama, exame muitas vezes (uma vez por mês é suficiente), evitar a estimulação sexual excessivo das mamas e não usam drogas ilícitas.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

O diagnóstico foi baseado em pesquisa cuidadosa dos sintomas que acompanham. Inclui exame físico, história detalhada. Ele descartou a presença de lesões no tórax e medicamentos que o paciente consome.

O médico pode pedir exames, como análises ao sangue para verificar os níveis de hormônio, teste de gravidez, exames de imagem para descartar qualquer tumor na glândula pituitária do cérebro, ressonância magnética, tomografia computadorizada, campimetria visual

POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES

O tratamento será destinada a corrigir as causas que provocaram galactorréia.Por exemplo, se a pessoa é uma droga, a suspensão imediata da diminuição níveis elevados de prolactina.

Se o medicamento não pode ser suspensa porque as conseqüências seriam piores ainda, pode ser objecto de recurso para a administração da bromocriptina como terapia adjuvante.

Se o culpado é um tumor como prolactinoma, o tratamento pode ser cirurgia ou tratamento com base em bromocriptina.

PROGNÓSTICO

Galactorréia pode ser pouco importante ou pode ser um sintoma de uma doença grave.

Fonte: www.saudedicas.com.br

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal