Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Gana  Voltar

Gana

 

Capital: Accra
Área (km) ²: 230 020
Independência: 1957
Moeda: cedi

Gana país do leste da África Ocidental dividido em dez regiões.

A língua oficial é o Inglês, mas também falam o Akan, Ewe, Hausa, Mossi, o Mamprusi eo dagbandi. A maioria da população é cristã ou muçulmana.

Gana

História

A história da Costa do Ouro antes do último trimestre do século 15 é derivada principalmente de tradição oral que se refere a migrações dos antigos reinos do Sudão ocidental (a área da Mauritânia e Mali).

Costa do Ouro foi rebatizado Gana após a independência, em 1957, por causa de indícios de que hoje em dia os habitantes descendentes de migrantes que se mudaram para o sul de antigo reino de Gana.

O primeiro contato entre a Europa ea Costa do Ouro remonta a 1470, quando um grupo de Português desembarcado.

Em 1482, o Castelo de Elmina Português construído como base de negociação permanente. A viagem comercial registrado pela primeira vez para a costa Inglês foi feita por Thomas Windham em 1553.

Durante os próximos três séculos, os alemães Inglês, dinamarqueses, holandeses, e Português controlavam várias partes das áreas costeiras.

Em 1821, o governo britânico assumiu o controle dos fortes comerciais britânicos na Costa do Ouro.

Em 1844, Fanti chefes na área de assinado um acordo com o britânico, que se tornou o trampolim legal para a situação colonial para a área costeira.

De 1826 a 1900, os britânicos travaram uma série de campanhas contra a Ashantis, cujo reino foi localizado no interior.

Em 1902, eles conseguiram estabelecer um controle firme sobre a região de Ashanti e fazendo os territórios do norte um protetorado. Togolândia britânico, o quarto elemento territorial, eventualmente, para formar a nação, era parte de uma ex-colônia alemã administrada pelo Reino Unido a partir de Accra como um mandato da Liga das Nações, após 1922.

Em dezembro de 1946, Togoland britânico tornou-se um território sob tutela da ONU, e em 1957, após um plebiscito de 1956, as Nações Unidas aprovaram que o território se tornaria parte de Gana quando o Gold Coast conseguiu a independência.

As quatro divisões territoriais foram administrados separadamente até 1946, quando o governo britânico determinou-los como uma única unidade.

Em 1951, foi promulgada uma constituição que chamou de uma legislatura muito alargada composta principalmente por membros eleitos por voto popular, direta ou indiretamente. Um conselho executivo foi responsável pela formulação de políticas, com a maioria dos membros africanos retirados do Legislativo e incluindo três membros ex-officio nomeados pelo governador.

A nova Constituição, aprovada em 29 de abril de 1954, estabeleceu um gabinete composto por ministros africanos provenientes de uma legislatura todo-Africano escolhido por eleição direta.

Nas eleições que se seguiram, o Partido Popular Convenção (CPP), liderado por Kwame Nkrumah, ganhou a maioria dos assentos na nova Assembléia Legislativa.

Em maio de 1956, o primeiro-ministro do governo de Nkrumah Gold Coast emitiu um documento contendo propostas de ouro independência Coast.

O governo britânico afirmou que iria concordar com uma data para a independência se uma maioria razoável para tal medida foram obtidos na Assembleia Legislativa Gold Coast depois de uma eleição geral.

Esta eleição, realizada em 1956, voltou a CPP ao poder com 71 dos 104 assentos na Assembléia Legislativa. Gana tornou-se um Estado independente em 6 de março de 1957, quando o Reino Unido renunciou a seu controle sobre a Colônia de Gold Coast e Ashanti, o Territórios do Norte Protetorado, e Togoland britânico.

Em reestruturações subseqüentes, o país foi dividido em 10 regiões, que atualmente são subdivididas em 110 distritos.

A Colônia Costa ouro original agora compreende a Europa Ocidental, Central, Oriental e Regiões Greater Accra, com uma pequena porção na foz do rio Volta atribuído à Região do Volta, a área Ashanti foi dividido em Ashanti e Brong-Ahafo Regiões; Territórios do Norte para o Norte, Leste Superior, e Upper-Oeste, e Togoland britânico é essencialmente a mesma área que a Região do Volta.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br

Gana

GANA, ANTIGO IMPÉRIO

O nome de Gana foi tomado do ancestral e sofisticado império do Sudão que floresceu no ocidente da África entre os séculos IV e X a.C. Trata-se de um jovem país que guarda em seus territórios belezas naturais espetaculares ao longo de suas costas e nas elevações do interior.

Sua arquitetura é uma mistura rara de restos bem conservados de diversas edificações da época colonial e núcleos africanos, onde ainda convivem algumas povoações que preservam suas crenças tradicionais entre o cristianismo, o islamismo e as religiões animistas. São famosas suas festas e eventos culturais.

Gana soube explorar suas zonas naturais para converte-las em um atrativo singular para os visitantes, que são tratados com afeto e cordialidade, entre festivais artísticos, musicais e cerimoniais.

Localização Geográfica

Gana ocupa uma superfície de 238.5333 quilômetros quadrados. Está situado na África Ocidental e limita-se ao norte com Burkina Faso e Níger, ao sul com o Oceano Atlântico, ao leste com Costa de Marfim, e ao oeste com Togo.

Sua morfologia é relativamente plana. Na costa predominam as planícies e no interior a savana, os bosques e os cultivos de algodão e cacau. Pode-se ver montanhas de pouca altitude na área da Região do Volta, onde acha-se o lago do mesmo nome, o lago artificial mais extenso do mundo.

Os rios que regam Gana são o Volta Preto e o Volta Branco.

Flora e Fauna

clima do Gana é diverso; enquanto que nas zonas costeiras é úmido e caloroso, no norte é seco e com temperaturas mais radicais. Este contexto favorece a existência de grandes extensões de bosques e áreas de reserva natural, onde a vida selvagem se reproduz com facilidade.

Isto também tem determinado a economia do país que baseia-se em três atividades centrais: a agricultura (plantações tropicais como o cacau); a mineração (ouro, diamantes e minerais); e a exploração de recursos florestais (vastas plantações de árvores de madeira comercial).

No Gana existem numerosos centros de conservação tanto da flora como da fauna selvagem. Há mais de 500 espécies de borboletas e mais de 200 variedades de aves como loros, come-abelhas, come-plantas, hornbills e kingfishers, entre outras espécies. Podemos encontrar parques naturais, jardins botânicos e zonas de conservação de espécies de terra e ar.

História

Até o Século XV

A história do Gana estava muito estreitamente relacionada à dos vizinhos. Desde Guiné até Nigéria partilharam-se longos anos de civilização em comum.

No século XIII vários reinos foram à região e trouxeram consigo a influência Saheliana: os Songaï, Kanem-Bornu e Hausa. Os primeiros destes estabeleceram-se em Bono e Banda ao norte. Gradualmente foram-se expandindo para o sul ao longo do curso do Rio Volta. A penetração nas zonas florestais chuvosas não aconteceu até o século XV.

Comércio de Escravos

Entrado o século XVII a força do reino de Shanti concretou-se na maioria dos estados e começou o controle da costa. A capital, Kumasi, foi organizada para ter todos os serviços de qualquer cidade europeia.

O líder conhecido como Asanthene, empregava segretários muçulmanos do norte para administrar as zonas e manejar o comércio com os reinos de Sahelian.

Por séculos o comércio na África Ocidental esteve focalizado fora das costas em uma zona correspondida entre as ribeiras do Rio Níger e o fim do Sahara; marfim, ouro, escravos e sal foram os principais recursos.

O comércio de escravos para América mudou o esquema geopolítico. Assim as costas começaram ser importantes devido aos constantes barcos de escravos rumo às colônias de outros continentes.

As forças dos impérios começaram a construir fortes costeiros para assegurar os negócios.

A primeira a faze-lo foi Portugal, no século XV e foi seguido pelo Reino Unido, França, Holanda, Suécia e a Dinamarca. Quando a escravatura foi abolida no começo do século XIX os europeus procuraram novamente outras zonas de comércio e exploração no interior do país.

Presença britânica

Depois que as posses holandesas foram transferidas aos britânicos em 1868, o Reino Unido converteu-se na principal força de dominação da Gold Coast ou "Costa do Ouro", como era conhecida Gana.

O poderio britânico foi enfrentado basicamente pelas forças da Confederação Fante (uma aliança de reinos da costa) e os Ashanti.

Kumasi foi saqueada em 1874 e a Guerra com os Ashanti não terminou até o ano de 1900. No fim do ano 1920, os partidos dedicados a promover a independência africana expandiram-se e foi no ano de 1947 quando tiveram força real, junto com a United Gold Coast Conventiom (UGCC), cujas forças básicas eram os movimentos nacionalistas.

O Secretário desta coligação, Kwame Nkrumah, separa-se em 1948 para formar seu próprio partido chamado People´s Party (CPP). Logo iria converter-se na voz do povo e pela primeira vez dirigir o curso da política nacional sob o lema "o auto-governo agora". No ano de 1951 ganha as eleições.

A Independência

Gana obteve sua independência em março de 1957 e converteu-se no primeiro país africano a ganhar seu próprio estado frente as forças colonizadoras européias. A consolidação do governo ao longo do país custou anos de esforços.

Nkrumah fortaleceu-se como o principal líder das nascentes forças do continente africano. Suas denúncias sobre o imperialismo e neo-colonialismo serviram de inspiração a outros países da África.

Infelizmente, os governos do continente viram-se envolvidos em uma série de conflitos de corrupção e enfrentamentos entre grupos diferentes quanto às crenças.

Em fevereiro de 1966, Nkrumah foi deposto por um golpe militar. Porém, o regime imposto sob o mandato de Kofi Busia, também não pode conter a onda de corrupção e conflitos sociais em seus três anos de governo.

O coronel Acheampong fez um novo golpe de estado no ano de 1972. Os anos que seguiram a seu mandato também viram-se envolvidos nos mesmos enfrentamentos sociais.

Últimos Anos

Em maio de 1979, outro militar, Jerry Rawlings chama a uma confrontação para botar ordem entre os responsáveis das corrupções. Meses depois cederia o governo a poderes civis, provocando uma "limpeza" nas principais elites.

Novos conflitos beiraram novamente no golpe de estado em dezembro de 1981 por parte do Conselho Revolucionário formado por Rawlings. As políticas adotadas nesses momentos foram de restrições econômicas, apoiadas por organismos internacionais como o Banco Mundial e o fundo Monetário Internacional.

No início de 1990 Rawlings, pressionado pelas forças políticas, assume a reforma democrática da zona e em 1992 anuncia um referéndum para uma nova constitução e promove a atuação dos partidos políticos. As forças ideológicas estiveram divididas e enfrentadas, sem um rumo certo no caminho.

Por isso, em novembro de 1992 as eleições presidenciais foram ganhas novamente por Rawlings com um 60% da votação, establecendo-se um Congresso Democrático Nacional. Jerry Rawlings permanece a frente do governo até nossos dias.

Arte e Cultura

As tradições do Gana são excepcionalmente interessantes nas artes, festivais e rituais. As vilas artesanais são popularmente conhecidas pela produção de téxtis e prendas de variadas cores e desenhos como o Kente, o traje típico dos reis da região central.

Ao longo do país encontrará numerosos assentamentos tribais que ainda praticam suas crenças religiosas tradicionais.

Não é estranha a existência de tótens e túmulos sagrados para os moradores, que não encerram apenas um místico elo de história africana, mas uma beleza artística inigualável.

As esculturas geralmente têm forma de animais, frutas ou vegetais que guardam uma importância particular no modo de vida tribal.

A literatura do Gana é uma das mais brilhantes e ancestrais de todo o continente africano. Entre os escritores que viveram após do período independentista destacam Ayi Kwei Armah e seu romance "Os belos ainda não nasceram"; Kofi Awoonor e "Esta terra, minha irmã"; Amu Djoleto e "Furacão de Poeira" e Kojo Laing com "Buscar o doce País".

Além do romance, em Gana tem-se cultivado o teatro e a poesia.

Gastronomia

Entre os pratos mais típicos de Gana destaca o Fufu (casabe fermentado), uma entrada acompanhada de algum molho a base de amenduim ou uma mistura viscosa de quingombó.

Pode-se degustar principalmente nos chamados "chop bar". As frituras são típicas comidas de rua, enquanto o pintade (aves guineanas) são servidas nos restaurantes do norte.

Aconselhamos que experimente o arroz com peixe defumado. Bebidas Pode-se beber a cerveja produzida localmente chamada Pito, servida em vasos de cabaça tradicionais da zona nordeste. Seu sabor é singular e agradável. Lembre-se beber sempre água engarrafada.

Compras

Em diversas zonas do país poderá comprar esculturas talhadas em madeira e pedra (Ahwiaa), vestimenta de variadas cores e estilos (Ntonso), tecidos tradicionais (Bonwire), objetos elaborados em metais (Kirofuforum), pinturas a mão (Adinkra), cerâmica, trabalhos em prata e ouro e artigos de pele, especialmente bolsas e sandálias.

População e Costumes

Gana tem uma população de 18 milhões de habitantes, o 32% são cristãos, 30% muçulmanos e 38% praticantes de cultos tradicionais africanos. A maioria fala inglês, embora coexistem perto de 75 línguas e dialetos africanos como o akan, wl twi, o fante, o eweou o dagbeni, entre os principais.

Um detalhe característico do modo de falar dos povoadores é que geralmente pronunciam o som da letra "r" como "l". Assim por exemplo, Accra pronuncia-se "accla".

Um costume muito popular entre a etnia, na Costa de Gana, é enterrar seus mortos em imaginativos ataúdes que refletem o status social do falecido e a razão de seu sucesso na terra.

Para isso utilizam as mais variadas produções artesanais: talhas de madeira, pinturas e inclusive objetos e alimentos como sementes de cacau, etc.

Entretenimento

Ao longo da costa do Atlântico há quilômetros de praias de palmeiras onde poderá praticar diversos esportes náuticos como o mergulho, a natação, ou simplesmente um longo passeio pelas beiras.

Existem, inclusive, algumas praias apreciadas pela altitude das onds para praticar o surfing. Tem estabelecimentos com o material necessário para realizar a pesca esportiva com os elementos contemporâneos ou o indispensável para a pesca tradicional em canoas elaboradas a mão.

Nas zonas do interior também pode-se realizar trekkings ou passeios em embarcações ao longo dos rios e lagoas.

Festividades

Os feriados oficiais são o 1 de Junho e o 6 de Março, datas para celebrar o Dia da Independência. Também celebram o Dia do Trabalho, Natal, Ano Novo, Sexta-feira Santa e Segunda-feira de Páscoa, assim como as festividades muçulmanas, que variam ano com ano dependendo do calendário lunar.

Transportes

Avião

A linha aérea nacional é Gana Airways e é a que melhor comunica as principais cidades dos estados da costa. Existem conexões desde Accra a Kumasi e Tamale. O Aeroporto Internacional de Kotoka encontra-se a 10 quilômetros do centro da capital.

Barco

Existem barcos de carga que atravessam o Lago Volta. Os horários de partida e chegada não são exatos, pois demoram o tempo necessário para carregar a embarcação correspondente.

Trem

As vias de trem formam um triângulo entre as cidades de Accra, Kumasi e Takoradi. Os vagões são confortáveis mas lentos e ainda são impulsionados por velhas locomotivas.

As passagens vendem-se o mesmo dia da viagem, pelo que é necesário organizar bem o tempo. Os de primeira classe são limitados, os de segunda são mais numerosos. Em temporadas altas existem verdadeiras dificuldades para conseguir vaga nas rotas.

Por Terra

Os caminhos no país variam de qualidade. Alguns são bons e seguros e outros estão em condições muito ruins. Há numerosos postos de controle militar, pelo que debe-se viajar com a documentação e licenças necessários.

Os serviços de ônibus são cômodos e têm dispostas diversas rotas aos principais pontos do país. Os mini-ônibus chamam-se "tro-tros" e operam nas principais rotas a ligarem as cidades com as zonas rurais. Geralmente viajam lotados e são algo incômodos.

Fonte: www.rumbo.com.br

Gana

Gana é um país da África Ocidental.

A capital é Accra.

As principais religiões são o Cristianismo e crenças indígenas.

A língua nacional é o Inglês, outras línguas principais são o Kwa e o Gur.

Formada a partir da fusão da colônia Britânica da Costa Dourada e do território sob tutela da Togolandia, Ghana, em 1957, tornou-se o primeiro país sub-Saariano na África colonial à ganhar a sua independência.

Gana sofreu uma longa série de golpes antes que o Tenene Coronel Jerry Rawlings tomasse o poder em 1981 e proibisse os partidos políticos.

Depois de aprovar uma nova Constituição e restaurar o pluripartidarismo em 1992, Rawlings venceu as eleições presidenciais em 1992 e 1996, mas foi constitucionalmente impedido de concorrer para um terceiro mandato em 2000.

John Kufuor sucedeu-o e foi reeleito em 2004. John Atta Mills assumiu como chefe de Estado no início de 2009.

Gana pode muito bem ser chamado de um país de festivais. Nas mais remotas aldeias e nas cidades maiores, os Ganenses se reúnem para celebrar grandes eventos históricos, excepcionais feitos de guerra, o início da colheita, e a abundância dos alimentos. O destaque de cada festival é a batucada e a dança.

Tambores enormes, esculpidos a partir dos troncos ocos de grandes árvores e cobertos com peles do antílope negro, são geralmente acompanhados de cornetas e trombetas. As pessoas dançam, usando os passos tradicionais de seu grupo étnico como base.

Lentamente, estes passos têm sido desenvolvidos em formas de cativante dança popular. Originária em um festival de pequeno vilarejo em Ghana, essa dança, a highlife, tornou-se uma favorita de todos os Ganenses, e sua popularidade se espalhou para muitas partes da África e países do mundo ocidental.

Terra

A República de Gana é composta da ex-colônia Britânica chamada de Costa Dourada; dos protetorados interiores de Ashanti e dos Territórios do Norte; e do território de tutela do Togoland Britânico.

O país tem uma área de 92.432 milhas quadradas (239.460 km²). Situada no Golfo da Guiné na África Ocidental, Gana faz fronteira com a Burkina Faso ao norte; no leste com o Togo; e a Costa do Marfim a oeste.

Praias de areia com palmeiras e mangues correm ao longo da costa ocidental. Atrás da faixa arenosa, a planície costeira se estende cerca de 60 milhas (97 km) interior. Este é o interior sinuoso, coberto de mato e grama.

Mais para o interior a folhagem torna-se mais densa, transformando-se em colinas arborizadas e eventualmente em floresta tropical. O cinturão da floresta tropical se estende por toda a região centro-sul do país. Ele é quebrado ocasionalmente por colinas arborizadas e rios.

A região, chamada de Ashanti, é uma área de madeira valiosa e é a principal fonte da riqueza agrícola e mineral de Ghana. Ao norte da floresta tropical, a folhagem se afina, e a terra se torna gradualmente de planícies sinuosas.

Gana não tem grandes cadeias de montanhas. O ponto mais alto no país está localizado ao longo da fronteira oriental, onde a altitude chega a 2.887 pés (880 m) no Monte Afadjato. Grande parte do país é inferior a 500 pés (150 m) acima do nível do mar.

Rios

Há muitos rios e córregos em Ghana. Durante a estação das chuvas, alguns rios se tornam torrentes furiosas, enquanto nos meses de seca, eles não são mais do que pequenos riachos.

O rio mais importante é o Volta, que tem dois ramos principais: o Volta Branco e o Volta Negro. Entre os pequenos rios de importância estão o Tano, o Ankobra e o Pra.

Em 1965, a conclusão de uma grande represa através do Rio Volta criou um enorme reservatório logo ao norte de Akosombo. Conhecido como Lago Volta, este reservatório é um dos maiores corpos de água feitos pelo homem no mundo.

Ele estende-se por 250 milhas (400 km) de comprimento, e cobre uma área de 3.500 milhas quadradas (9.065 km²). A eletricidade do projeto da hidrelétrica do Lago Volta fornece quase todas as necessidades de energia da nação.

O Lago Bosumtwi, um grande lago natural, provavelmente de origem vulcânica, fica a sudeste de Kumasi.

Clima

O clima de Gana é geralmente tropical. A precipitação varia de cerca de 30 polegadas (80 cm) ao longo da faixa costeira do sudeste deGana à 80 polegadas (200 cm) na região sudoeste do litoral. De Dezembro a Janeiro, o harmattan, um vento quente de nordeste, sopra do Saara, e um pó fino vermelho cai sobre a terra.

No norte de Gana o vento dura por um longo período de tempo e é mais severo do que no sul. O harmattan provoca uma marcante queda de umidade, e os dias são geralmente frios e as noites ainda mais friorentas.

Cidades

Accra, capital e maior cidade de Ghana, está situada na costa do Golfo da Guiné. Durante as últimas décadas, Accra mudou de uma pequena cidade provincial para uma agitada metrópole e centro comercial. As ruas largas e avenidas de Accra estão lotadas com ônibus, caminhões, automóveis e táxis.

Há muitos edifícios modernos, governamentais bem como comerciais, prédios de apartamentos, museus, e hotéis. As grandes lojas de departamento da cidade estão bem abastecidas com produtos feitos e fabricados em Ghana, assim como em muitas outras partes do mundo.

Os jardins públicos de Accra dão à cidade uma aparência tropical e verdejante. Árvores frutíferas, como coco, mamão, manga, e goiaba podem ser vistas por toda a cidade.

O Castelo Christiansborg, a sede oficial do governo de Ghana, é uma das principais atrações de Accra. O castelo, uma magnífica estrutura branca desconexa, foi construído em 1657 no local de um entreposto comercial estabelecido primeiro pelos Portuguêses em 1578.

Accra tem um aeroporto internacional e é o terminal de um extenso sistema ferroviário.

Kumasi é a segunda-maior cidade de Ghana. Localizada nas profundezas das florestas da região centro-sul, Kumasi foi certa vez a capital do antigo Reino Ashanti. Ao mesmo tempo uma cidade de casas de barro com telhado de palha, Kumasi ao longo dos anos se transformou em um grande centro comercial e de transportes.

Nos últimos anos o governo tem concentrado seus esforços na construção de instalações modernas de habitação, hospitais e fábricas.

Um dos locais mais animados em Kumasi é o mercado ao ar livre, pensado ser o maior da África Ocidental. Todos os dias, centenas de mulheres, conhecidas como as mulheres do mercado devido à sua capacidade como comerciantes varejistas, se reúnem no mercado para fazer as suas compras.

Com cestas de produtos equilibrados em suas cabeças, as mulheres correm de vendedor para vendedor, buscando a melhor compra.

Sekondi-Takoradi, anteriormente duas cidades distintas, está situada ao longo da costa de Ghana, no Golfo da Guiné. As cidades foram fundidas em um município em 1946. Sekondi foi fundada pelos Holandeses no século 16.

Hoje é basicamente uma área residencial e comercial. Takoradi é uma comunidade moderna, com novos edifícios governamentais, um hospital moderno, e lojas de departamento.

O primeiro porto artificial de Gana foi construído em Takoradi em 1928. Agora uma cidade, Sekondi-Takoradi tornou-se um importante centro comercial e da indústria de Ghana.

Tema

Até a década de 1960, Tema, localizada a cerca de 18 milhas (30 km) leste de Accra, era apenas uma pequena vila de pescadores. No entanto, em 1961, um enorme porto artificial foi concluído em Tema.

O governo, percebendo a importância deste porto, construiu uma nova cidade ao redor da antiga. Instalações residenciais foram construídas para acomodar o fluxo de trabalhadores.

As indústrias - tais como uma refinaria de petróleo, uma fábrica de sabão, um moinho de farinha, e uma fundição de alumínio - se mudaram para a área, e logo Tema se tornou o principal centro industrial de Ghana.

No entanto, muitos dos moradores de Tema ainda dependem da pesca para sua subsistência, e um grande porto de pesca foi concluído.

Outras cidades

Duas outras cidades importantes são Cape Coast, localizada no Golfo da Guiné, e Tamale, o centro administrativo da região norte.

População

Há mais de uma dúzia de grupos étnicos em Ghana.

A maioria das pessoas pertencem a seis grupos principais: os Ashanti e os Brong-Ahafo na região da floresta tropical central; os Fanti no litoral e na região centro-sul; os Ga e os Ewe no sul e sudeste; e os Dagomba e Mamprusis, que vivem no norte. Culturalmente, cada grupo mantém um forte senso de identidade, falando línguas distintas e praticando diferentes costumes e tradições.

Modo de Vida

Nos últimos anos, tem havido um movimento de jovens das vilas e cidades no norte do país para os grandes centros urbanos. Ali eles trabalham em escritórios e indústrias e freqüentam a escola. No entanto, a maioria dos Ganenses são agricultores de subsistência.

Normalmente, os homens caçam, limpam a terra, e pescam, e as mulheres mantêm a casa e fazem o mercado. Tanto homens como mulheres participam no cultivo de suas terras. Alguns grupos de pessoas mantêm ovelhas, galinhas, cabras, galinhas-d'angola, porcos e algumas cabeças de gado.

A maioria dos Ganenses vivem em pequenas vilas e cidades no interior do país. Suas casas são geralmente de forma retangular, com paredes de barro e telhados planos muitas vezes feitos de palha ou de ferro corrugado.

As cidades pequenas são geralmente divididas em bairros empresariais e compostos da família.

Os Ashanti são famosos por sua produção de obras de arte em bronze e ouro. No passado, os Ashanti faziam pequenos objetos de bronze contra os quais o pó de ouro podia ser pesado em pagamento de mercadorias.

Nas cidades Ashanti, há lojas de escultores de madeira, trabalhadores de couro, e de fabricantes de instrumentos musicais, bem como para uma variedade de outros artesãos, muitos dos quais se especializam em fazer bonitos têxteis.

Freqüentemente os pais passam essas tradições para os filhos de modo que a habilidade permanecerá na família.

Um provérbio Ashanti diz: "Quando você segue no caminho de seu pai, você aprende a andar como ele".

Roupa

Nas cidades de Ghana, a maioria dos homens e mulheres usam roupas de estilo ocidental. No entanto, para usar à noite, em ocasiões formais, e em festivais, os Ganenses vestem a graciosa e pitoresca kente, que é considerado o traje nacional.

Estes panos são muito bem modelados à mão a partir de fios de seda e de algodão. As tiras de pano são então costuradas para fazer metros de material que os homens drapejam sobre si mesmos em um estilo tipo toga.

As mulheres geralmente moldam o pano em uma saia e blusa de corpo inteiro com uma estola ajustada.

Educação e Linguagem

Quase todas as crianças frequentam a escola primária gratuita.

Desde 1948 Gana desenvolveu três instituições de ensino superior: a Universidade de Ghana, em Legon, um subúrbio de Accra; a Universidade Kumasi de Ciência e Tecnologia; e o Colégio Universitário de Cape Coast.

Gana também tem um número considerável de institutos técnicos. Bolsas são disponibilizadas para os estudantes de Gana para estudar no exterior. O governo está se esforçando para reduzir o analfabetismo (hoje cerca de 60%) pela manutenção de aulas para adultos nas cidades em todo o país.

O Inglês é a língua oficial do país, embora os muitos grupos étnicos diferentes falem suas próprias línguas também. Entre as mais importantes estão o Fanti, o Twi, o Ga, o Dagbani, o Ewe, e o Hausa.

Religião

O Cristianismo foi introduzido séculos atrás por missionários Europeus. Hoje cerca de 63% do povo de Gana são nominalmente Cristãos. Uma parte substancial da população (21 por cento), principalmente aqueles que vivem em pequenas cidades rurais, mantêm as tradicionais crenças animistas.

O papel dos antepassados na religião é fundamental e importante em quase todos os aspectos da vida. Cerca de 16% das pessoas praticam o Islamismo, que foi trazido para esta parte da África por viajantes do norte da África.

Economia

Desde a sua independência em 1957, Gana fez grandes avanços na modernização da sua agricultura e no desenvolvimento da indústria. No entanto, apesar desse progresso, o povo de Gana são na maior parte agricultores de subsistência. Inhame, mandioca, arroz, sorgo, milheto, e nozes são cultivados para uso local.

Um dos principais produtores mundiais de cacau, Gana deriva mais de 45% da receita de exportação dessa commodity. Gana também cultiva muitos outros produtos de exportação, como a borracha, óleo de palma, e nozes de cola. O cinturão da floresta tropical no centro de Gana fornece madeira para a indústria madeireira.

Por causa do mar, lagos e muitos rios de Ghana, a pesca é outra ocupação principal.

O ouro é uma exportação tradicional de Ghana, e continua a ser o mineral economicamente mais importante, seguido pelos diamantes industriais. O país tem grandes depósitos de manganês e bauxita, mas a produção desses minerais diminuiu drasticamente na década de 1980. O Projeto do Rio Volta, uma represa e usina hidrelétrica em Akosombo no Rio Volta, foi concluído em 1965. O projeto provê o país com energia hidrelétrica barata e abundante.

Em 1983, em um esforço para reanimar a economia vacilante, o governo introduziu uma série de reformas de livre-mercado. Aos agricultores foram pagos mais dinheiro por suas culturas, e a produção agrícola aumentou. O dinheiro também foi gasto para trazer novas estradas e eletricidade às áreas rurais.

No entanto, o fim dos subsídios do governo que manteve os baixos preços dos alimentos nas cidades, juntamente com cortes nos empregos no setor público, trouxeram dificuldades para muitos. A ajuda externa ajudou a atenuar os efeitos das reformas.

Gana tem sido um dos principais destinatários do mundo de ajuda externa per capita. A descoberta de reservas significativas de petróleo offshore em 2007, no entanto, fez com que as receitas do petróleo se esperassem em breve ultrapassar a ajuda externa como uma fonte de receita.

Economia - visão geral:

A economia de Gana foi reforçada por um quarto de século de gestão relativamente sólida, um ambiente de negócios competitivo, e as reduções sustentadas nos níveis de pobreza.

Gana é bem dotado de recursos naturais e agricultura representa cerca de um quarto do PIB e emprega mais da metade da força de trabalho, os proprietários, principalmente de pequeno porte. O setor de serviços responde por 50% do PIB.

Ouro e cacau produção e remessas individuais são as principais fontes de divisas. A produção de petróleo no offshore de Gana Jubileu campo começou em meados de dezembro de 2010, e espera-se impulsionar o crescimento econômico. Presidente Mills enfrenta desafios na gestão das receitas do petróleo novo, mantendo a disciplina fiscal e resistindo a acumulação da dívida.

Reservas de petróleo estimadas ter saltado para quase 700 milhões de barris. Gana assinou um Millennium Challenge Corporation (MCC) Compacto em 2006, que tem como objetivo auxiliar na transformação do setor agrícola de Gana.

Gana optou por alívio da dívida na Países Pobres Altamente Endividados (HIPC), em 2002, e também está se beneficiando da Iniciativa Multilateral de Alívio da Dívida, que entrou em vigor em 2006.

Em 2009, Gana assinou a Redução da Pobreza de três anos e Crescimento com o FMI para melhorar a estabilidade macroeconômica, a competitividade do setor privado, o desenvolvimento de recursos humanos e da boa governação e responsabilidade cívica.

Gestão macro-econômica, juntamente com os altos preços do ouro e cacau ajudaram a sustentar o crescimento do PIB em 2008-11.

História

Muito pouco se sabe sobre o período pré-histórico da região agora chamada Ghana. Muitos artefatos antigos foram encontrados, mas não o suficiente para dizer aos historiadores muito sobre as pessoas que viviam nesta área da África durante estes primeiros tempos.

Começando no início do século 13, e continuando até meados dos 1600s, vários grupos migratórios criaram pequenos reinos no território que é hoje em dia Ghana.

A maioria desses grupos originalmente vieram da região do Sudão ocidental da África. Eles falavam a mesma língua, o Akan, e se estabeleceram na floresta tropical de Ghana. Em 1695 os Ashanti unificaram a maioria dos grupos em um poderoso reino.

A capital Ashanti estava em Kumasi. Seus reis governaram sobre a Gana central por cerca de dois séculos, até que o território Ashanti foi anexado pelos Britânicos em 1901.

Exploração Européia

Os exploradores Portugueses desembarcaram na costa da atual Gana em 1471, e começaram a negociar com os povos que viviam ao longo da costa. No início, o comércio era principalmente em marfim, pimenta e pó de ouro.

Devido à grande quantidade de ouro disponível, os Portuguêses chamaram o território de Costa Dourada. Os lucros deste comércio se tornaram tão grandes que logo atraíram outros Europeus.

Ingleses, Holandeses, e comerciantes Suecos seguiram os Portuguêses, e, por volta do século 18, uma longa cadeia de fortes Europeus tinham sido estabelecidos ao longo da Costa do Ouro.

O comércio do ouro logo se tornou secundário ao tráfego de seres humanos. Como a vida nas plantações nas Américas exigia um trabalho mais barato, a escravidão cresceu em importância.

Em 1672, a Real Companhia Africana foi fretada para assumir o comércio de escravos dos Holandeses e enviar escravos para as plantações de açúcar das Índias Ocidentais. Os Europeus brigaram entre si pela sua quota no mercado de escravos.

Eventualmente, os Holandêses expulsaram os Portuguêses da Costa Dourada, e em tempo os Holandeses venderam suas participações para os Britânicos.

A Inglaterra proibiu o comércio de escravos em 1807. Levou muitos anos para o comércio parar completamente, e os danos causados à sociedade Africana foram incalculáveis. Reinos se desintegraram, guerras foram incentivadas, e a insegurança e o medo substituíram uma existência em geral ordenada e pacífica.

Ao longo do século 19, os Britânicos, que estavam bem estabelecidos ao longo da costa de Ghana, foram envolvidos em uma série de guerras com a poderosa nação Ashanti no interior. Em 4 de Fevereiro de 1874, os Britânicos saquearam Kumasi, a capital do Reino de Ashanti, levando todo o ouro, prata e outras riquezas da cidade.

As tropas Britânicas entraram em Kumasi novamente em 1896, desta vez conquistando os Ashanti e exilando o chefe, ou asantehene, Prempeh I, para as Seychelles, um grupo de ilhas no Oceano Índico.

Período Colonial

Em 1901, o Reino Ashanti se tornou uma colônia Britânica, e a área ao norte se tornou um protetorado. A região costeira tinha sido feita uma colônia em 1850.

Após as Guerras Ashanti, os Britânicos estabeleceram-se como mestres da Costa do Ouro, embora ocasionalmente houvesse um surto de resistência por parte dos Ashanti.

A Grã-Bretanha percebeu que seria de seu interesse trabalhar com os Africanos, usar seus sistemas políticos para manter a ordem, e, eventualmente, trazer Africanos treinados para o governo.

A Grã-Bretanha tentou governar pelo princípio hoje conhecido como administração indireta, em que as suas decisões deveriam ser feitas através dos governantes tradicionais. Em 1924, Prempeh I foi trazido de volta do exílio, e em 1935 os Britânicos restauraram o estado Ashanti.

Gana se move em direção da Independência

Lentamente, os Africanos foram agraciados com uma maior voz no governo, e uma variedade de organizações, como a Associação dos Jovens Ashanti, foram formadas para exercer pressão política. Em 1947, um movimento político dinâmico, a Convenção Unida da Costa Dourada, foi fundada.

Enquanto estudava direito em Londres, Kwame Nkrumah tornou-se um líder no movimento Pan-Africano. Quando a oportunidade foi oferecida para ele voltar ao seu país para organizar a reforma política, ele prontamente aceitou.

Durante 1948, "auto-governo agora" se tornou o slogan de Nkrumah e seus partidários nacionalistas. Este grupo se separou e formou o seu próprio, mais radical, partido político, o Partido da Convenção Popular, em 1949. Nkrumah começou uma "ação positiva" de movimento de desobediência civil, e foi preso pelos Britânicos como resultado.

Em Fevereiro de 1951, na primeira eleição geral, o Partido da Convenção Popular conquistou a maioria dos assentos na Assembleia. Era só uma questão de tempo até a Grã-Bretanha concordar com o auto-governo. Nkrumah foi libertado da prisão para se tornar líder das empresas do governo e, em Março de 1952, ele foi nomeado primeiro-ministro.

A Grã-Bretanha insistiu em novas eleições para se certificar de que Nkrumah realmente tinha o apoio do povo. Em 1954, e novamente em 1956, o Partido da Convenção Popular venceu esmagadoramente.

Independência

Em 6 de Março de 1957, à Costa do Ouro (rebatizada Gana após o grande império que floresceu no Sudão durante o século 11) foi concedida a independência.

Foi um dia emocionante para a África, e os movimentos nacionalistas em muitos outros países cresceram mais fortes. Em poucos anos, haveriam muitas mais nações independentes Africanas. Mas a independência não ia trazer soluções para todos os problemas que enfrentavam o continente.

A pobreza da agricultura de subsistência, as economias de uma-cultura, a falta de indústrias, a falta de instalações de saúde, o transporte deficiente, e muitas inadequações mais foram desafios para os novos governos.

Em Ghana, a situação não era tão ruim. Mais de $ 500 milhões haviam sido acumulados, principalmente com a venda de cacau no mercado mundial. Nkrumah queria fazer de Gana um modelo de Estado Africano. Ele construiu estradas, escolas, hospitais, fábricas e casas; e, através de seu partido político, ele tentou estimular a lealdade à nova nação.

O grande Projeto do Rio Volta foi iniciado; uma companhia aérea foi criada; ferrovias foram melhoradas; e os investimentos estrangeiros foram incentivados. Todo esse progresso parecia indicar que Gana estava no caminho certo para o desenvolvimento. Mas o poder cada vez mais estava centrado nas mãos de Nkrumah e seus associados.

Nos assuntos internos, certos centros de oposição estavam se desenvolvendo. Nkrumah tinha tentado tirar o poder dos governantes tradicionais, como o rei dos Ashanti. As pessoas que viviam no extremo norte sentiam-se negligenciadas pelo forte governo central, em Accra.

Em vez de tomar medidas para aliviar essas queixas, o governo promulgou novas medidas duras para reprimir a oposição. Em 1960 uma nova Constituição foi aprovada que fez de Gana uma república e Nkrumah seu primeiro presidente.

Em 24 de Fevereiro de 1966, enquanto o Presidente Nkrumah estava visitando a China Comunista, houve uma revolta liderada pelo exército e a polícia contra o regime de Nkrumah. Um Conselho de Libertação Nacional foi estabelecido, e o Tenente General Joseph A. Ankrah foi feito presidente, e, assim, o novo chefe de Estado. Nkrumah morreu no exílio na Guiné em 1972.

O General Ankrah foi acusado de irregularidades financeiras, e renunciou em 1969. O novo chefe de Estado foi o Brigadeiro Akwasi Afrifa, um membro do Conselho de Libertação Nacional, que anunciou planos para retornar ao estado civil.

Eleições foram realizadas em 1969, com o Partido do Progresso, liderado pelo Dr. Kofi A. Busia, ganhando uma maioria legislativa. Em 1972, o governo do Primeiro Ministro Busia foi derrubado em um golpe militar sem sangue liderado pelo Coronel Inácio Acheampong.

Governo

Após o golpe de 1972, oficiais militares formaram o Conselho Nacional da Redenção para governar Ghana. A Constituição e a Assembléia Nacional foram suspensas. Em 1975, o governo foi reorganizado. O Supremo Conselho Militar foi criado como o executivo-chefe e autoridade legislativa.

Em 1979, o governo militar foi derrubado, e eleições livres foram realizadas para um novo governo civil. A nova Constituição prevê um presidente como chefe de Estado, e por um parlamento de uma-casa.

No final de 1981, no entanto, um jovem oficial militar, o Tenente Brigadeiro Jerry Rawlings, assumiu o governo, governando como chefe do Conselho de Defesa Nacional Provisório.

Uma nova Constituição, aprovada em Abril de 1992, provia para um presidente como chefe de Estado, e por uma Assembléia Nacional eleita. Rawlings e seu partido venceram as eleições presidenciais e legislativas no final daquele ano, e Gana regressou ao governo civil em 7 de Janeiro de 1993.

Rawlings foi reeleito em 1996, mas ele estava constitucionalmente limitado a dois mandatos. A era Rawlings terminou quando o candidato da oposição John Kufuor ganhou a presidência nas eleições de Dezembro de 2000 e foi reeleito em Dezembro de 2004.

Em Janeiro de 2009, o candidato da oposição, John Atta Mills foi declarado o vencedor de um apertado segundo turno presidencial. Ele prometeu ser o presidente de todos os povos e preservar a reputação de Gana como uma vibrante democracia.

Edward H. Schiller

Fonte: Internet Nations

Gana

Com forte tradição tribal, esse país da África Ocidental serviu como porto de embarque da maioria dos escravos levados para os EUA nos séculos XVIII e XIX.

Hoje é uma das nações economicamente mais estáveis do continente. Seu principal produto de exportação é o cacau, que corresponde a 15% da produção mundial. 

Gana também se destaca como um dos dez maiores produtores de ouro e extrai grande quantidade de manganês e diamante. Em contrapartida, sofre de problemas ambientais, como rios poluídos e devastação florestal, provocados pela mineração.

Fatos Históricos

O atual território de Gana começa a ser explorado em 1471 pelos portugueses, que o denominam Costa do Ouro, por causa das reservas desse metal.

O tráfico de escravos tem início no século XV, quando o povo ashanti, que migrara do centro-norte da África para a região, no século anterior, passa a capturar nativos de Gana e vendê-los a mercadores estrangeiros em troca de tecidos e outros bens.

Nos séculos XVI e XVII, a região é ocupada por traficantes europeus de escravos. Em 1850, o tráfico é abolido pelo Reino Unido, que adquire o controle da região. Em 1946, os britânicos promulgam uma Constituição pela qual os africanos obtêm a maioria das cadeiras no Legislativo. Kwame Nkrumah torna-se primeiro-ministro em 1952.

Golpes militares

O país adota seu nome atual em 1957, ano da independência. Nkrumah, eleito para presidente, reprime opositores e começa a industrializar a nação, com a ajuda dos países comunistas. Em 1964, um referendo dá poderes ditatoriais a Nkrumah, que instaura um regime de partido único.

Dois anos depois, ele é deposto pelas Forças Armadas. Em 1979, um golpe de Estado leva ao poder o tenente Jerry John Rawlings, que mantém as eleições previamente convocadas.

Hilla Limann é eleito para presidente e Rawlings retira-se, voltando ao poder em outro golpe de Estado, em 1981, quando instala um governo de inspiração comunista. O fracasso de sua política econômica, porém, gera insatisfação e várias tentativas de golpe.

Governo Rawlings

Em 1992, pressões dos EUA e do Reino Unido, principais parceiros comerciais de Gana, levam Rawlings a legalizar os partidos de oposição. Ele vence as eleições para presidente em 1992.

A oposição contesta o resultado (aprovado por observadores internacionais) e boicota as eleições legislativas realizadas no mesmo ano. O plano econômico implantado em 1993, sob exigência do FMI, derruba a inflação, mas o desemprego atinge quase um terço da população ativa.

Entre maio e junho de 1995, a repressão a protestos contra o governo deixa cinco mortos. Em janeiro de 1996, a oposição exige a renúncia de Rawlings.

No mês seguinte, três jornalistas são processados por denunciar o envolvimento de funcionários do governo no tráfico de drogas. Em dezembro, Rawlings vence novamente as eleições e assume novo mandato presidencial.

O esforço de Gana para reduzir a dependência econômica do cacau e do ouro leva ao incremento substancial das exportações de outros produtos e possibilita a concessão, pelo FMI, de um crédito de US$ 1,6 bilhão para o biênio 1997-1999.

No início de 1998, Rawlings demite o ministro de Estado, Ebenezer Kwabena Fosu, acusado de improbidade na administração de projetos de defesa.

Fonte: www.mulheresnegras.org

Gana

Nome Oficial: República do Gana
Área: 238 540 km²
População: 23.382.848 habitantes.
Capital: Accra
Principais cidades: Accra
Língua Oficial: Inglês
Moeda: Cedi
Dia Nacional: 06 de março - Declaração de Independência em 1957

História

A atual Gana toma o seu nome do reino de Gana, apesar de seu território não corresponde à do antigo estado medieval. O desenvolvimento do país está ligada às rotas comerciais trans-saariana, a penetração do Islã na África negra e migração de vários povos, incluindo os do Mande, Hausa e Akan (XIII-XVI c.).

Europeus (Português e Inglês, Holandês, Sueco, Dinamarquês, prussiano), fundada no final do século XV, as mensagens comerciais na costa, atraídos pelas grandes jazidas de ouro na região.

A área de floresta foi dominada no século XVIII pelo império Ashanti poderosa cujos governantes que residem em Kumasi resistiu colonização britânica até 1901. O britânico criado em 1874 a colônia de Côte-de-Or e desenvolveu-se o cultivo de cacau.

No centro e norte do território, as populações foram caçados durante o tráfico de escravos, de modo que a floresta do sul era, no final do século XIX, mais populoso, mais estruturado e mais dinâmico do que as regiões norte e central.

Este acordo, que foi incorporada ao ex-ministro britânico Togo, obteve sua independência em 6 de Março de 1957 e tomou o nome de Gana, ampliando o orgulho histórico da África Ocidental. Gana é o primeiro território Africano, enquanto a sua independência no século XX, e os países mais prósperos do Golfo da Guiné.

Em 1960, foi proclamada a república, Gana continua a ser um membro da Commonwealth. Kwame Nkrumah, líder carismático, campeão do Pan-africanismo eo caminho socialista Africano de original é colocado na cabeça do país, Gana tornou-se um símbolo e um exemplo.

De 1957 a queda de Nkrumah em fevereiro de 1966, a situação econômica se deteriora. Durante este mesmo período, o sistema se envolve em um estatismo progressiva, reforçando o peso do CPP (Partido Popular Convenção) sobre o funcionamento políticos.

A derrubada marcou o início de um período de instabilidade, lutas em curso, entre civis e militares. Depois de breves intervalos de governo civil (1969-1972 e 1979), o golpe de 30 de dezembro de 1981 trazendo o tenente Jerry Rawlings ao poder.

Constituição aprovada por referendo 28 de abril de 1992 estabelece os princípios democráticos, e 3 de Novembro, 1992, Jerry Rawlings, foi eleito Presidente do Gana por sufrágio universal. Gana veio em 1993, com a Quarta República.

O colapso do governo de coalizão em 1995 ea renúncia de Kwesi ajuste chave homem Botchwey financeiro, no entanto, mostram que as reformas econômicas são uma forte linha divisória. Se Jerry Rawlings foi eleito presidente em 1996, o candidato à sua sucessão, o vice-presidente John Atta Mills, foi derrotado nas eleições de Dezembro de 2000, John Kufuor, o candidato NPP, principal partido da oposição.

Geografia

País costeira na África Ocidental cercado pela Costa do Marfim, Burkina Faso e Togo, Gana, Costa do Ouro ex-britânica, abrange 238.540 km ².

Cedo desenvolveu, especialmente enmilieu floresta úmida particularmente favorável para o mercado de árvore, o país sofreu uma grave crise econômica e política em que seus líderes estão tentando extrair desde 1984.

Base de países abrangidos, em parte, especialmente sedimentos arenosos primária, Gana consiste de planícies e planícies baixas, entre 300 e 500 m. Apenas Escarpa Kwahu planalto arenito central, drenado pela drenagem da Volta e os alinhamentos Leste Togo limítrofes têm elevações acima de 500 m.

Devido ao estiramento na latitude, entre 5 e 12 molhado sul paralelo subequatorial opõe Norte sudanês. Chuvas diminui a partir do sul, mais de 2.000 mm anuais para o norte, 1.000 mm, mas chuvas, sudoeste forte onde a precipitação superior a 1500 mm mais do que em qualquer lugar, é mitigada a leste de Cape Three Points.

Planícies costeiras, ainda subequatorial receber apenas 700 a 750 mm por ano. Norte do mundo paralelo 8 começa savana e floresta floresta, mas a floresta tropical sul não se sobrepõe ao savanisée mais seco área costeira.

População

Com uma população estimada de 18,1 milhões, Gana terá provavelmente 20 milhões em 2000. A taxa de crescimento natural muito alta entre 1980 e 1997 (2,8% por ano) vai ser abrandado, mas a taxa de fecundidade total ainda é alto 6.

A densidade populacional média é estimada em 75,8 h./km² é um dos mais altos da África Ocidental, mas a distribuição da população é muito desigual. Norte do Planalto Kwahu Escarpa (Dagomba país, Gourmantché), densidades de cair abaixo de 20 h./km², exceto no extremo norte-leste, enquanto o Sul (Asante, Akwapim, Krobo, adangme) campanhas são mais de 80 h./km².

Ainda em grande parte rural, Gana teve apenas 35,8% da população urbana em 1995. O Grande Accra, a capital, 1,5 milhão de pessoas se reúnem e se concentrar um pouco mais de 8% do total da população, um número muito menor do que outras capitais da África Ocidental.

A rede urbana é bastante equilibrada, com importantes capitais regionais, em Kumasi (345.117 hrs.), Sekondi-Takoradi (160.868), e da população das cidades é rápido (4,1% por ano desde 1980).

Economia

Segundo maior produtor de grãos de cacau (340 milhões de toneladas) atrás da Costa do Marfim, Gana é um país onde a agricultura ainda fornece 48% do PIB, contra 16% para a indústria e os serviços 36%.

Na altura da independência, quase um em cada dois vida de Gana na árvore de cacau, e que o Estado poderia dispor de renda de ouro (Tarkwa-Obwasi-Bibiani), o manganês Nsuta, diamantes Vale Birim e da bauxita Sewfi-Bekwai.

Para promover a industrialização, Nkrumah apostar em recursos hídricos e de mineração. Ele financiou grandes projetos - Akosombo Barragem no Lago Volta, com a maior restrição global, artificial (8.500 km²), a produção de alumínio - graças às receitas do cacau, perfurado por um estatismo aumentada.

Não diversificação de culturas foi realizada e os habitantes da cidade foram favorecidos sobre os agricultores. Após a queda de Nkrumah em 1966, a árvore estava em declínio os governos e sucessivas têm sido incapazes de travar o declínio da produção.

Em 1981, Gana produziu menos cacau, arroz e milho para a independência. A deriva, o país foi devastado. Pesca de mar só, praticada fora das águas territoriais, foram relativamente mantidos.

Agricultura

Recuperação da produção agrícola está no centro da nova política econômica desde 1984. A Recuperação Econômica Programm (1984-1989) estimulou a recuperação, mas ainda é dependente do cacau no Gana.

Áreas plantadas com cacau (mais de um milhão de hectares) e produção supera todas as outras culturas, café (menos de 2.000 t / ano), óleo de palma (87.000 t) e no Norte de produção, algodão é reduzida (10.000 t / ano). Liberalização dos preços tem impulsionado a produção de alimentos, especialmente milho (700 mil t, em média) e mandioca (mais de 4.000.000 t).

Programas de diversificação (frutas e legumes Volta Delta, arroz irrigado exemplo de várzea) foram multiplicadas.

Recursos minerais e energia

A nova política industrial focada na produção de mineração. Potencial de Gana é importante. O conteúdo dos depósitos de ouro de Tarkwa (operado pelo Estado Gold Mining Corporation) e Obwasi (Ashanti Goldfield) é comparável à de sites Sul Africano, e as reservas conhecidas de bauxita (520 milhões de t) e ferro (620 milhões de t) são ativos, enquanto os colocadores aluviais de Birim pode manter o atual ritmo de produção de diamantes por 50 anos.

Gana tem apenas modestos recursos do petróleo, mas a Akosombo hidrelétrica e Kpong pode produzir mais de 1 bilhão de kWh. Com a produção de ouro aumentou (26 t), Gana está a tentar diversificar as suas exportações desde 1994, o ouro é o valor das exportações em primeiro lugar.

O país produz alumínio a partir da alumina importada (planta Tema fornece 175.000 t para os Estados Unidos, Japão e países da Europa), mas a sua bauxita (Awaso) é exportado em bruto para Escócia.

Para construir uma indústria mais integrada nacional, um importante programa de reestruturação foi lançado em 1985 com o apoio do Banco Mundial (liquidação ou privatização de apoio do Estado às PME locais).

Os resultados são baseados em medidas macro-econômicas de ajuste difíceis (incluindo desvalorizações sucessivas do CEDI) levou acompanhar originalidade Gana, um programa para ajudar as vítimas das reformas (PAMSCAD). Long considerado um bom aluno do FMI, Gana se beneficiou de melhoria econômica entre 1985 e 1993, mas desde 1994, a sua situação financeira se deteriora.

Fonte: www.afrique-planete.com

Gana

Nome completo: República do Gana
População: 25 milhões (ONU, 2011)
Capital: Accra
Área: 238.533 km ² (92.098 milhas quadradas)
Principais idiomas: inglês, línguas africanas, incluindo Akan, Ewe
Grandes religiões: Cristianismo, crenças indígenas, o Islã
Expectativa de vida: 64 anos (homens), 66 anos (mulheres) (ONU)
Unidade monetária: Cedi
Principais exportações: ouro, cacau, madeira, atum, bauxita, alumínio, minério de manganês, diamantes
RNB per capita: EUA 1.410 dolares (Banco Mundial, 2011)
Domínio da Internet:. Gh
Código de discagem internacional: 233

Perfil

Gana foi o primeiro lugar na África subsaariana, onde os europeus chegaram ao comércio - a primeira de ouro, depois de escravos.

Foi também a primeira nação negra Africano na região para conseguir a independência de uma potência colonial, neste caso, a Grã-Bretanha.

Apesar de ser rico em recursos minerais, e dotado de um bom sistema de ensino e do serviço público eficiente, Gana foi vítima de corrupção e má gestão logo após a independência em 1957.

Em 1966, seu primeiro presidente e pan-Africano herói, Kwame Nkrumah, foi deposto em um golpe de Estado, anunciando anos de domínio na maior parte-militar. Em 1981 tenente Jerry Rawlings fez seu segundo golpe. O país começou a se mover para a estabilidade econômica e democracia.

Em abril de 1992 uma constituição permitindo um sistema multi-partidário foi aprovado em um referendo, dando início a um período de democracia.

Um país bem administrado pelos padrões regionais, Gana é muitas vezes visto como um modelo para a reforma política e econômica na África.

Exportações de cacau são uma parte essencial da economia; Gana é o maior produtor mundial é a segunda maior.

A descoberta de grandes reservas de petróleo offshore foi anunciado em junho de 2007, incentivando expectativas de um grande impulso econômico.

Produção começou oficialmente no final de 2010, mas alguns analistas expressaram preocupação com a capacidade do país para gerir a sua nova indústria, como as leis que regem o setor de petróleo ainda não tinha sido aprovada.

Em julho de 2009, Gana garantiu um dólar 600 milhões de três anos do empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI), em meio a preocupações sobre o impacto da recessão global sobre os países mais pobres. O FMI disse que a economia de Gana provou ser relativamente resistente por causa dos altos preços do cacau e ouro.

Gana tem um papel de manutenção da paz de alto perfil, as tropas foram mobilizados na Costa do Marfim, Libéria, Serra Leoa e República Democrática do Congo.

Embora Gana tem escapado da guerra civil que assola outros países do Oeste Africano, em 1994-95 disputas de terra no norte acabaram em violência étnica, resultando na morte de 1.000 pessoas e no deslocamento de um mais 150.000.

Uma cronologia dos principais eventos:

1482 - Português configurar liquidação negociação.

1874 - British proclamar zona costeira uma colônia da coroa.

1925 - Primeiras eleições do Conselho Legislativo ter lugar.

1957 Março - Gana torna-se independente com Kwame Nkrumah como primeiro-ministro.

1960 - Gana proclamou uma república; Nkrumah eleito presidente.

1964 - Gana torna-se um estado de partido único.

1966 - Nkrumah deposto em golpe militar; técnicos russos e chineses expulsos.

1969 - Nova Constituição facilita a transferência do poder para um governo civil liderado por Kofi Busia.

1972 - Busia deposto em golpe militar liderado pelo coronel Inácio Acheampong.

1978 - Acheampong forçado a renunciar; Geral Frederick Akuffo assume.

Era Rawlings

1979 - Akuffo deposto em golpe liderado pelo tenente Jerry Rawlings. Acheampong Akuffo e executado.

1979 Setembro - Rawlings mãos o poder a um presidente eleito, Hilla Limann.

1981 - Limann deposto em golpe militar liderado pelo Rawlings após dois anos de governo fraco e estagnação econômica.

1983 - Rawlings adota política econômica conservadora, subsídios e controles de preços abolição, a privatização de empresas estatais muitas e desvalorizar a moeda.

1992 - Referendo aprova nova Constituição introdução de um sistema multipartidário. Rawlings eleito presidente.

1994 - Mil pessoas são mortas e uma ainda mais 150.000 estão deslocadas na Região Norte após confrontos étnicos entre os Konkomba ea Nanumba pela posse da terra.

De junho de 1994 - Sete grupos étnicos envolvidos na violência no norte da Região acordo de paz sinal.

1995 - Governo impõe toque de recolher na Região Norte como renovadas resultados violência étnica em mais 100 mortes.

1996 - Jerry Rawlings reeleito presidente.

Kufuor eleito

2000 - Dezembro - John Kufuor bate vice-presidente John Atta Mills na eleição presidencial.

2001 Fevereiro - Os preços da gasolina aumente cerca de 60%, após a decisão do governo de retirar os subsídios aos combustíveis.

Abril de 2001 - Gana aceita o alívio da dívida no âmbito de um esquema desenhado pelo Banco Mundial e do FMI.

2001 Maio - dia de luto nacional depois do futebol debandada estádio deixa 126 mortos. Inquérito acusa polícia de exagerar a problemas multidão.

Junho de 2001 - Governo recados feriado celebra golpe militar Rawling, em um esforço para acabar com o legado de seu governo.

Junho de 2001 - Inundações hit Accra, causando 10 mortes e forçando 100 mil a fugir de suas casas.

De abril de 2002 - Estado de emergência é declarado no norte depois de um chefe tribal e mais de 30 outros são mortos em violência clã. Estado de emergência é levantado em agosto de 2004.

Maio de 2002 - Presidente Kufuor inaugura reconciliação comissão para analisar violações de direitos humanos durante o regime militar.

Outubro de 2003 - Governo aprova fusão de duas empresas de mineração de ouro, criando gigante de mineração de ouro novo.

Fevereiro de 2004 - O ex-presidente Jerry Rawlings atesta a comissão que investiga crimes de direitos humanos durante os primeiros anos de seu governo.

Outubro de 2004 - Grupo de atuais e ex-militares detidos por suspeita de planejar a desestabilizar o governo antes das eleições.

Dezembro de 2004 - Enquete Presidencial: Encarregado John Kufuor ganha um segundo mandato.

Abril-Maio de 2005 - Milhares de refugiados togoleses chegar, fugindo da violência política em seu país de origem.

Abril de 2006 - Um barco vira no Lago Volta reservatório; mais de 100 passageiros são temidos afogado.

Junho de 2006 - Visiting chinês, Wen Jiabao promete emprestar cerca de US $ 66 milhões de Gana para financiar projetos de desenvolvimento. Ele está em uma turnê Africano destinada a abrir novos mercados de exportação para a economia chinesa e em garantir o fornecimento de energia e minerais.

Março de 2007 - Gana comemora 50 anos de independência da Grã-Bretanha.

Petróleo descoberto

Junho de 2007 - descoberta de petróleo off-shore, anunciou. Presidente Kufuor diz óleo vai virar Gana em um "tigre Africano".

De setembro de 2007 - A pior enchente em mais de 30 anos causa grande devastação, destruindo grande parte da colheita anual.

De dezembro de 2007 - Presidente Kufuor diz reservas off-shore de petróleo totalizar 3 bilhões de barris.

De dezembro de 2008 - John Atta Mills eleito presidente.

De julho de 2009 - presidente dos EUA, Barack Obama visita.

Gana garante um empréstimo de US $ 600 milhões em três anos a partir do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Outubro de 2009 - A controvérsia sobre venda de rede de comunicações nacional Gana Telecom, alegadamente por menos que valeu a pena.

Dezembro de 2010 - A produção de petróleo Offshore começa.

2011 Julho - Presidente John Atta Mills escolhido como candidato decisão Congresso Democrático Nacional do partido para a eleição presidencial de 2012, derrotando Nana Konadu Agyemang-Rawlings, esposa do ex-presidente Jerry Rawlings.

2011 Agosto - britânica de exploração de petróleo Tullow Oil empresa, diz que vai gastar pelo menos US $ 4 bilhões para desenvolver campos de petróleo na costa de Gana.

2012 Junho - Milhares de pessoas estão deslocadas pela violência comunal no leste, desencadeada pela exumação do corpo de um clérigo muçulmano.

2012 Julho - Presidente Mills morre. John Mahama torna-se chefe de Estado interino.

Setembro-outubro de 2012 - Costa do Marfim fecha suas fronteiras com o Gana por duas semanas depois de um ataque mortal em um posto de controle do exército culpou exilados sobre os apoiantes do presidente deposto Laurent Gbagbo.

2012 Outubro - Gana torna-se envolvido em uma disputa com a Argentina após a captação de um navio de treinamento naval argentina em nome dos credores.

Um menino chinês é morto e cerca de 100 chineses estão detidos em uma operação contra a mineração ilegal de ouro.

2012 Dezembro - O presidente John Mahama ganha reeleição.

Fonte: news.bbc.co.uk

Gana

História

Os reinos de Gana: Se ele deu seu nome ao estado atual, o antigo império de Gana realmente foi localizado mais ao norte na região do Sahel, do Senegal, da Mauritânia e do Mali.

Os mais antigos estados no território do Gana, os reinos foram Fagomba e Mamprusi no norte, o décimo segundo e décimo terceiro séculos próspero.

Foi nessa época que os imigrantes de língua akan, cujo Ashanti e Fanti, apenas deixar o cerrado e estabelecer sua supremacia sul da floresta, formando uma série de pequenos Estados.

No início do século XV: Estes reinos exercer um comércio ativo com subsaarianos povos que vivem mais ao norte.

Segunda metade do século XV: A cidade de Begho tem um desenvolvimento significativo através de ouro comércio.

Os primeiros europeus a entrar na área eram os exploradores Português, que dão a esta área o nome da Côte-de-Ouro (Gold Coast), como eles estão impressionados com os ornamentos usados ??pelos reis Ashanti e dignitários.

1482: os europeus criam primeiro comercial de São Jorge da Mina, no site do Elmina presente. A região tornou-se o fornecedor de ouro primeira na Europa antes da descoberta dos ricos recursos da América Latina.

Mas o ouro não está nas quantidades que se esperam, os governantes Ashanti concessão de um valor de mercado menos um significado simbólico. O comércio de escravos é uma importante fonte de lucros para os comerciantes europeus. O comércio de escravos, praticado desde o século XVI, desperta o interesse de vários países europeus.

A partir do século XVIII: Mais de 30 contadores foram construídas pelos europeus, Inglês, Holandês, Dinamarquês, etc.

Desde 1642: O holandês levou o Português. Europeu comércio favorece o domínio dos Ashanti, que gradualmente se moveu para ficar no cruzamento de rotas comerciais ao redor de Kumasi. Eles se tornam senhores do comércio com o Sul eo Norte.

Meados do século XVIII: O reino Ashanti tem hegemonia incontestada sobre os povos vizinhos, que pagam seus tributos em escravos.

Rivalidade domínio britânico entre as potências européias para o controle do comércio de ouro e escravos encontrados em favor do britânico, que gradualmente deslocar os seus concorrentes.

1807: O comércio de escravos foi abolido pelo Parlamento britânico.

1850: A coroa britânica adquiriu os fortes dinamarqueses.

1871: Os holandeses assentamentos também são transferidos para a Grã-Bretanha.

1874: A região costeira é totalmente controlado pelos britânicos, declarou então uma colônia da Coroa.

O Ashanti, no entanto, com um aumento constante para a região costeira habitada pelos Fanti, representam uma ameaça para os fortes britânicos. Ao longo do século XIX, o Ashanti ferozmente resistiu à colonização britânica.

1901: Os limites da colônia é estabelecida, o Ashanti território e do Norte são submetidos e anexado à colônia.

1922: Parte do Togo alemão, habitada pelos Ewe, é adicionado para a colônia.

A Gold Coast é o tema de uma política de recuperação econômica em curso. Politicamente, o britânico aplicou dois regimes diferentes. Enquanto a maior parte do território está sob administração direta, o território da Ashanti Norte e beneficiar de administração indireta.

1925: as primeiras eleições são realizadas a fim de estabelecer um conselho legislativo de chefes. A vida política se desenvolve, no entanto, após a Segunda Guerra Mundial. Os britânicos, confrontados com agitação nacionalista implacável, adotar medidas que promovam a autonomia interna, antes da introdução gradual de um estado independente.

1951: As eleições legislativas viu a vitória da Convenção Popular (Partido Popular Convenção, CPP), fundada em 1949 pelo Dr. Kwame Nkrumah. Este último, que foi formado na Grã-Bretanha e os Estados Unidos, dirigiu o governo local. Ele colabora com as autoridades britânicas para se preparar para a independência.

Janeiro de 1957: Proclamação da Independência.

6 de março de 1957: O novo Estado foi rebatizado Ghana. Nkrumah quis recordar o passado glorioso da África Negra. Gana veio nos dias seguintes das Nações Unidas.

Nkrumah anos

1 de julho de 1960: A República é proclamada. Nkrumah foi eleito presidente. Líder carismático do país primeiro negro independente em África, é a voz de Pan, a única maneira, segundo ele, para evitar o colapso de países criadas artificialmente pela colonização. Ele não pode, no entanto, afirmar sua tese: que o sindicato está tentando operar entre Gana, Guiné e Mali é um fracasso.

Figura do movimento não-alinhado, aplica-se a política econômica inspirado no planejamento estatal socialista do bloco comunista. Ela levou o país à falência.

Manter um certo prestígio fora, Nkrumah é cada vez mais contestada pela sua gestão e métodos autoritários em seu país.

A oposição está gravemente limitado, seus líderes foram presos sem julgamento.

1961 e 1962: O governo declarou estado de emergência.

Fim de 1963: Nkrumah começa a limitar o poder judiciário.

1964: Um regime de partido único foi estabelecido.

Mensagem Nkrumah

24 de Fevereiro de 1966: Nkrumah, que está em visita oficial na China, é deposto por um golpe militar. Ele encontra refúgio na Guiné, mas os seus apoiantes foram presos e técnicos de Gana soviético e chinês trouxe foram expulsos do país. Os próximos três anos, Gana é dirigida por um Conselho de Libertação Nacional.

1969: A energia é transferida sob uma nova constituição, um governo civil liderado por Kofi Busia.

1972: Kofi Busia foi derrubado em um golpe de estado liderado pelo coronel Inácio Acheampong. Ele suspende a Constituição proíbe a atividade política e limitar a liberdade de imprensa e as atividades sindicais.

1974: Redução de controle militar ea criação de um conselho de assessoria civis assuntos políticos, bem como um conselho de planejamento econômico.

1978: Acheampong foi forçado a demitir-se e dar lugar ao Frederick Geral Akuffo, que permanece no cargo menos de um ano.

1979: Um jovem tenente da aviação, Jerry Rawlings tomou o poder. Acheampong e Akuffo, bem como vários militares de alta patente outros são acusados ??de corrupção e executado.

Setembro de 1979: Rawlings retirou-se em favor de um presidente civil eleito, Hilla Limann.

31 de dezembro de 1981: A situação econômica se deteriorou cessar, Rawlings toma o poder em um golpe.

Governante como chefe do Conselho de Defesa Nacional Provisória, Rawlings impor um plano de austeridade que ajuda a controlar a inflação e para reunir doadores ocidentais e do FMI e do Banco Mundial. Melhorar a produção agrícola e Rawlings consegue reescalonamento de dívidas mais urgentes.

Década de 1980: Apesar de sua popularidade, o regime Rawlings enfrenta várias tentativas de golpe.

Abril de 1992: Depois de 11 anos de governo autoritário, uma constituição aprovada por referendo, abrindo caminho para um sistema multipartidário.

Rawlings, que aparece como um civil, foi eleito presidente em um eleições multipartidárias, em novembro do mesmo ano. As eleições parlamentares do próximo mês, boicotadas pelos quatro principais partidos de oposição, garantir o partido no poder, o Congresso Nacional Democrático, uma esmagadora maioria.

Junho de 1994: Desafios dos territórios no norte de Gana degenerar em violência étnica entre sete comunidades diferentes. O estado de emergência foi declarado e acordo de paz temporária é negociado entre os participantes.

1995: O ano foi marcado por protestos violentos contra o aumento do custo de vida. Eles são duramente reprimida por um regime que demonstra os limites da democratização começou.

Dezembro de 1996: Na eleição geral, Rawlings é reeleito presidente da República e seu partido, o Congresso Nacional Democrático ganhou a maioria dos assentos na Assembleia Nacional. Estas eleições, o primeiro em que os ganenses pode decidir sobre a política de um governo chegou ao fim do seu mandato, são consideradas livres e justas por observadores internacionais, marcou um passo no sentido da democracia no país.

Se os anos 1993-1998 foram anos de crescimento, o milagre de Gana continua frágil eo país continua presente. O governo privatizou as minas de ouro e deixou a superexploração floresta para assumir a dívida e despesas. Cabeceiras baixas Akosombo levou à grave escassez de energia também afeta exportação para Gana.

Estabilidade política e personalidade Jerry John Rawlins ("JJ") ea eleição do ganês Kofi Annan como secretário-geral da ONU ajudou a fornecer uma boa imagem de Gana no exterior. Além disso, o desaparecimento do rei Ashanti Opoku Ware II em março de 1999, mostrou a importância da África ainda mantêm líderes tradicionais na vida social e política.

Fonte: www.africa-onweb.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal