Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Gengibre - Página 6  Voltar

Gengibre

Zingiber oficinale roscoe

Partes usadas: rizoma (raiz).

Família: zingiberáceas.

Características

Herbácea anual, de cerca de 1,3m de altura, de folhas verdes e flores verde-amareladas, com rizoma muito ramificado e um pouco achatado, de sabor picante e odor aromático.

Gengibre

Dicas de cultivo

Cresce em solos arenosos e secos à iluminação plena. O plantio é feito com pedaços de rizoma ou brotos. O transplante pode ser feito após um mês, no espaçamento de 0,3 x 0,8m.

Preparo e dosagem

Pulverizar o rizoma e ingerir contra vômitos.

Decocção

Preparar com 1 colher (chá) de raiz triturada em 1 xíc. de chá de água, tomar 4 xíc. de chá ao dia.

Flor de Gengibre

Cataplasmas

Preparar com gengibre bem moído ou ralado e amassado num pano, e deixar no local (para reumatismos e traumatismos na coluna vertebral e articulações).

Rizoma fresco

Mascar um pedaço (rouquidão).

Tintura

100 g do rizoma moído em 0,5 l de álcool, fazer fricções para reumatismos.

Xarope

Pode ser ralado e adicionado a xaropes, juntamente com outras plantas.

Princípio ativo

Óleo essencial rico em terpenos, fenóis (gingerol) responsável pelo sabor ardente, e resinas.

Propriedades

Descongestionante, tônico, expectorante, eupéptico, afrodisíaco, digestivo, carminativo, sudorífero.

Indicações

É usada para combater gripes, resfriados, tosses, fraquezas do estômago, rouquidão, bronquites, dores reumáticas, estimulante gastrintestinal, aperiente, vômitos, tônico e expectorante, nervo ciático e nevralgias. Impede a formação de gases no aparelho digestivo. Externamente é revulsivo, utilizado em traumatismos e reumatismos.

Toxicologia

Em doses altas produz gastrite. O uso da tintura (alcoólica) é desaconselhado por ser irritante para o estômago. O uso externo deve ser acompanhado para evitar possíveis queimaduras.

Fonte: www.psleo.com.br

Gengibre

História

O gengibre é uma planta asiática, originária da Ilha de Java, da Índia e da China, de onde se difundiu pelas regiões tropicais do mundo. É conhecido na Europa desde os tempos muito remotos, para onde foi levado por meio das Cruzadas.

No Brasil, o gengibre chegou menos de um século após o descobrimento. Naturalistas que visitavam o país (colônia, naquela época) achavam que se tratava de uma planta nativa, pois era comum encontrá-la em estado silvestre

Gengibre

O uso na Medicina

Como planta medicinal, o gengibre é uma das mais antigas e populares do mundo. Suas propriedades terapêuticas são resultado da ação de várias substâncias, especialmente do óleo essencial que contém canfeno, felandreno, zingibereno e zingerona

Popularmente, o chá de gengibre, feito com pedaços do rizoma fresco fervido em água, é usado no tratamento contra gripes, tosses, resfriado e até ressaca. Banhos e compressas quentes de gengibre são indicados para aliviar os sintomas de gota, artrite, dores de cabeça e na coluna, além de diminuir a congestão nasal, cólicas menstruais.

No Japão, massagens com óleo de gengibre são tratamentos tradicionais e famosos para problemas de coluna e articulações. Na fitoterapia chinesa, a raiz do gengibre é chamada de "Gan Jiang" e apresenta as propriedades acre e quente. Sua ação mais importante é a de aquecer o baço e o estômago, expelindo o frio.

É usada contra a perda de apetite, membros frios, diarréia, vômitos e dor abdominal. Aquece os pulmões e transforma as secreções. Na medicina Ayurvédica, o Zingiber officinale é conhecido como "medicamento universal".

Além desses benefícios, o gengibre também tem ação bactericida, é desintoxicante e possui poder afrodisíaco - onde seu óleo é utilizado para massagear o abdome, provocando calor ao corpo e excitando os órgãos sexuais. Na medicina chinesa tradicional, por sua reconhecida ação na circulação sangüínea, ele é utilizado contra a disfunção erétil. Uma pesquisa da Unicamp realizada em coelhos, comprovou os efeitos.

Recentemente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) reconheceu a ação dessa planta sobre o sistema digestivo, tornando-a oficialmente indicada para evitar enjôos e náuseas, confirmando alguns dos seus usos populares, onde o gengibre é indicado na digestão de alimentos gordurosos.

O uso na Culinária

Possui sabor picante e pode ser usado tanto em pratos salgados quanto nos doces e sob diversas formas, como: fresco, seco, em conserva ou cristalizado. O que não é recomendado é substituir uma forma pela outra, nas receitas, pois seus sabores são muito distintos: o gengibre seco é mais aromático e tem sabor mais suave.

Este último é amplamente utilizado na China, no Japão, na Indonésia, na Índia e na Tailândia. No Japão costuma-se usar o suco (com o gengibre espremido) para temperar frango e as conservas (beni shooga), feitas com os rizomas jovens, são consumidas puras ou com sushi. Já o gengibre cristalizado é um dos confeitos mais consumidos no Sudeste Asiático.

Fonte: www.cozinhajaponesa.com.br

voltar 123456789avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal