Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  gravidez nas trompas - página 5  Voltar

Gravidez nas trompas

Gravidez Ectópica

O que é?

É a gestação que se desenvolve fora da cavidade uterina. Numa gravidez ectópica, o embrião não se implanta no útero, como deveria, mas num lugar incapaz de agüentar eficazmente seu pleno desenvolvimento. Geralmente, estas gravidezes ocorrem na trompa de Falópio antes que o embrião chegue ao útero.

A gravidez ectópica trata-se de um quadro hemorrágico, que contribui com 3 a 4% da mortalidade materna. É também chamada de gravidez extra-uterina e tem incidência de 1%, esse número vem se elevando nas últimas décadas. Estima-se que cerca de 64% das gravidezes tubárias se solucionam espontaneamente, não sendo necessário fazer coisa alguma.

Sua recorrência é de aproximadamente 20%.

Os tipos de gravidezes ectópicas são vários (infundibular, tubária, ampolar, ístmica, intersticial, abdominal, ovariana, cervical e outras) mas a mais comum de todas é a tubária, representando cerca de 95% dos casos.

O embrião em desenvolvimento desgasta rapidamente o revestimento da trompa e cresce dentro das camadas adjacentes da trompa (crescimento luminal extra). Finalmente, isso ocasiona hemorragia e ruptura da trompa. O rápido crescimento do embrião num estado incapaz de agüentar isso tudo, acarreta a morte da criança e ameaça gravemente a vida da mãe, a não ser que ocorra alguma intervenção.

Qual a causa a gravidez ectópica?

As causas são ovulares e tubárias. As causas ovulares referem-se à nidificação precoce do blastocisto, que assim nidifica na tuba.

As causas tubárias podem ser anatômicas (malformações, tumores, sinéquias e cirurgias pélvicas) ou funcionais (alteração da motilidade ou endossalpingite após processo inflamatório), por endometriose ou ainda psicogênicas. Infecção é a causa mais frequente, como a clamídia.

A razão porque uma gravidez ectópica pode ser perigosa é pela hemorragia que pode ocorrer juntamente com ruptura das paredes tubais. A gravidez pode correr até 8 semanas antes da mulher começar a sentir dor e procurar ajuda médica. Se a tuba se romper antes que uma cirurgia seja feita, a mulher pode falecer devido à hemorragia interna (hemoperitônio).

Quais os sintomas?

Os sintomas da gravidez ectópica são similares aos de uma gravidez intra-uterina (normal) nos primeiros estágios: falta da menstruação, seios inchados e doloridos, náusea, vômitos e fadiga mas, dores no abdômem virão em seguida.

A dor começa devagar e vai se aprofundando com o passar dos dias até ficar insuportável. Pode ser sentida no lado esquerdo ou no lado direito inferior do abdômem.

A gravidez ectópica pode ser notada apalpando-se o lado esquerdo ou direito do abdômem mas o médico deve ser muito cuidadoso para não ajudar em uma possível ruptura.

O sangramento uterino é geralmente associado à uma gravidez ectópica bem como dores na região inferior do abdômem principalmente durante qualquer atividade física, relações sexuais ou ao abaixar-se. E também, se a mulher está com pulso rápido, pressão baixa e apresenta baixa contagem de hemoglobinas. A gravidez ectópica é a segunda causa de morte maternal nos Estados Unidos.

Estatísticas aproximadas para as causas de morte materna no Estado de São Paulo:

Quanto as causas, 27% das mortes tiveram como causa básica problemas diretamente ligados a síndrome hipertensiva da gravidez, 16% por causas hemorrágicas, 15% doenças infecciosas, 10% por aborto, restando 10% por outras causas diretamente ligadas à gestação. 22% das mortes se relacionaram a causas obstétricas indiretas.

Fonte: www.e-familynet.com

gRAVIDEZ NAS TROMPAS

O que é?

É quando a gravidez ocorre fora do seu lugar habitual (cavidade uterina) e dependendo do caso pode até causar a morte da mulher, por isso, é muito importante que ao surgirem alguns dos sintomas, o médico seja consultado o mais breve possível. Sabe-se que 98% dos casos de gravidez ectópica, ocorrem nas trompas.

Quais são os sintomas?

Alguns sintomas podem aparecer antes mesmo da mulher notar a ausência da menstruação, os mais freqüentes, além dos sintomas normais da gravidez (náuseas, vômitos, aumento do volume dos seios, etc) são:

Dores na parte inferior do abdômen que podem não ser intensas e podem estender- se para outros lugares, como por exemplo, o ombro.

Perdas sanguíneas irregulares.

Quando a mulher desconfia de uma gravidez ectópica, deve procurar imediatamente um médico, podendo assim confirmar o diagnóstico através de exames.

Riscos

Um diagnóstico tardio pode ter graves conseqüências, pois se houver uma complicação da gravidez ectópica, o óvulo pode romper-se causando uma hemorragia interna e conseqüentemente pode causar a morte da mãe.

Nenhuma mulher em idade fértil, deve excluir a possibilidade de ter uma gravidez ectópica.

Que fatores podem aumentar as chances?

- O fator mais freqüente é quando a mulher sofreu alguma inflamação pélvica anterior a gravidez.

- Outro fator menos freqüente são as operações nas trompas. Apesar de ser raro, as mulheres que realizaram a ligadura das trompas, não devem se considerar livres do risco de sofrer este tipo tipo de gravidez.

- Os casos de aborto seguidos de infecção das trompas.

- Operações gerais realizadas no abdômen, principalmente na área pélvica.

- Uso de anticoncepcionais hormonais.

- Falta de cuidado na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

- Mulheres que passaram por métodos de fertilização assistida.

- Mulheres que já tiveram uma gravidez ectópica, tem de 10 a 20% a mais de possibilidades de repetir o problema.

Como se prevenir?

- Eliminar os fatores principais que favorecem as inflamações pélvicas, como por exemplo, as sexualmente transmissíveis.

- Evitar manter mais de um parceiro sexual.

- Usar preservativos sempre, principalmente quando uma gravidez não está planejada, evitando assim os métodos de interrupção de gravidez.

- Exigir que os profissionais de saúde coloquem o DIU (dispositivos intra-uterinos) cumprindo as normas estabelecidas.

Com que freqüência ocorre a gravidez ectópica?

As informações sobre a freqüência são divergentes, mas os números giram em torno de 1 em cada 200 casos de gravidez.

Fonte: www.ultrasom3d.com

voltar 1 2 3 4 5 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal