Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Goiaba  Voltar

Goiaba

Goiaba

Nome popular: goiabeira
Nome científico: Psidium guajava L
Família botânica: Myrtaceae Origem: América Tropical

Características da planta

Árvore com até 7 m de altura, tronco com casca escamante e avermelhada. Folhas pilosas na face superior quando jovens. Flores brancas que surgem de setembro a novembro.

Fruto

Forma ovóide, de coloração verde-amarelada quando maduro, muito aromático. Polpa abundante que envolve muitas sementes, duras, pequenas e de formato reniforme. Surgem de dezembro a marco.

Cultivo

Propagação por enxertia. Planta rústica que prefere regiões de clima quente e suporta até geadas leves. Não é exigente quanto ao solo, porém desenvolve-se melhor em terrenos férteis, drenados e profundos.

Pimentel Gomes nos diz que a goiabeira é originária da América tropical, em especial da região do Brasil e das Antilhas, onde pode ser encontrada em grande variedade. Sua enorme dispersão no continente americano teria ocorrido, provavelmente, em virtude da atração irresistível que os pássaros e outros pequenos animais têm por seu delicado e penetrante perfume. Da América do Sul e Central, a goiaba foi levada pelos navegantes europeus para as colônias africanas e asiáticas, espalhando-se por todas as regiões tropicais do globo.

Planta rústica que cresce em todo tipo de solo graças à sua extrema vitalidade e resistência, a goiabeira pode ser cultivada até mesmo em regiões subtropicais. Hoje em dia, a goiaba é bastante comum na África, na Ásia e na Oceania, locais onde ocorre de maneira subespontanea ou cultivada, ocupando extensas áreas como em suas terras de origem.

Eurico Teixeira afirma que a diversidade de nomes indígenas existentes para designar o fruto da goiabeira demonstra que a goiaba é planta de distribuição vasta e bastante antiga: xaixocotl, no México; shuinto na língua quéchua do Peru; guayaba ou guava nas Antilhas; araçaíba, araçá-guaçu, araçá-goiaba ou goiaba no Brasil.

Aliás, as denominações dadas à fruta, no Brasil, fazem lembrar a grande semelhança existente entre a goiaba e o araça. De fato, a goiabeira e o araçazeiro têm certa proximidade e o sabor de seus frutos é muito semelhante.

No Brasil, as folhas e os botões florais da goiabeira são de ampla utilização na medicina caseira, sendo a sua infusão comumente aplicada no tratamento de desarranjos intestinais, especialmente infantis. A espessa, porém tenra, casca de seus frutos contém altos teores de tanino, o que a torna indicada para a indústria cosmética, em formulações destinadas ao cuidado de peles oleosas e em preparados antitranspirantes.

De polpa branca ou vermelha, contendo as vitaminas A, B e C, a goiaba, quando amadurece, é fruta doce.

Antigamente, no tempo da infância de nossos pais e avós, a goiaba era a dona absoluta dos pastos, dos quintais e dos pomares caseiros. Suas árvores, que frutificam em abundância, produziam em tamanha quantidade que sobravam frutas para os insetos, para os passarinhos, para os animais e para as brincadeiras da criançada. E ainda dava para fazer uma infinidade de doces, compotas e geléias.

Goiaba

Clique na imagem para ampliar

Nascidos provavelmente nas casas grandes dos engenhos nordestinos, onde se deu o encontro formidável da fruta com o açúcar, os doces feitos com a goiaba transformaram-se em símbolo da arte da doceira no país. Combinação tão "saborosamente brasileira", como diz Gilberto Freyre, o doce de goiaba ou a goiabada-cascão, acompanhadas de queijo branco ou de requeijão, transformam-se em iguarias e alimentos de consistência e são, de longe, as sobremesas brasileiras populares por excelência.

Mas, foi apenas nos anos 70 que se iniciou, no Brasil, a produção de goiabas em escala industrial. Cultivada em grandes pomares voltados para o comércio, para a exportação e para a indústria de doces e sucos, a produção da goiaba se sofisticou. A qualidade e a produtividade das árvores aumentaram consideravelmente, permitindo a adequação da produção aos padrões e às necessidades dos consumidores internacionais.

Com o manejo adequado da planta e com a poda das árvores nos períodos certos, passou-se a obter uma fruta muito maior e mais carnuda do que aquelas provenientes de pomares caseiros, além de permitir a produção contínua e volumosa das árvores. Além disso, uma goiabeira, planta naturalmente generosa, quando faz parte de um pomar bem formado, de idade adulta e tecnicamente conduzido, pode chegar a render a considerável quantia de 100 Kg de frutas por ano.

E, assim, a fruta singela e nativa ganhou status de nobreza, até chegar a uma produção de grandes quantidades anuais, especialmente obtidas nos pomares bem cuidados do sudeste do Brasil, onde se destaca a região de Ribeirão Preto em São Paulo, e das superplantações irrigadas do Vale do Rio São Francisco, na Bahia e em Pernambuco.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Goiaba

Goiaba

A goiaba é uma fruta nativa da América tropical e fácil de encontrar em todas as regiões do Brasil. Tem forma arredondada ou ovalada, casca lisa ou ligeiramente enrugada e a cor pode variar entre o verde, o branco ou o amarelo. Conforme o tipo, a cor da polpa também varia entre o branco e o rosa-escuro ou entre o amarelo e o laranja-avermelhado.

A goiaba pode ser consumida ao natural, mas também é excelente para se preparar doces em pastas, sorvetes, coquetéis e a tão conhecida goiabada. Ao natural contém bastante vitamina C e quantidades razoáveis de vitaminas A e do complexo B, além de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

De modo geral, não tem muito açúcar e quase nenhuma gordura, sendo indicada para qualquer tipo de dieta e, de preferência, deve ser comida crua, pois é a forma em que conserva todas as suas propiredadees nutritivas, principalmente a vitamina C. É contra-indicada apenas para pessoas que tenham o aparelho digestivo delicado ou com problemas intestinais.

A goiaba quando é de boa qualidade, tem formato regular, não apresenta machucados nem marcas de insetos, a casca não deve estar amassada nem ter cortes, e deve ser firme, sem chegar a ser dura. A fruta não deve estar nemmuito verde nem muito madura, pois em ambos os casos perde o sabor rapidamente e seu valor nutritivo diminui.

Para guardar, lave bem as goiabas e enxugue. Depois, coloque na gaveta da geladeira, pois a fruta se estraga com muita facilidade. Se a goiaba não for consumida logo e começar a ficar passada, use-a para fazer doces.

DICAS CULINÁRIAS

Goiaba

A goiabada combina muito bem com queijo-de-minas.

Para que a compota de goiaba branca não escureça, descasque as frutas sob água corrente ou dentro de uma bacia com água.

Para comprar doce de goiaba em lata,veja se ela não está enferrujada, amassada ou estufada, sinais de que o produto pode estar em mau estado.

Em geral, para se fazer doces com goiaba, constuma-se retirar a casca (o mais fino possível), cortar a fruta ao meio e retirar as sementes com uma colher. Depois, prepara-se segundo a receita.

Prestamos serviços de consultoria e assessoramento em Hortifruticultura através de cursos, paletras, layout de lojas, treinamentos e outros.

Com a nossa experiência no mercado e contando com uma equipe de profissionais altamente qualificados, nosso objetivo é colaborar para o sucesso das suas atividades, atingindo-se a plena satisfação do cliente.

Estamos preparados para serví-lo cada vez melhor e com um atendimento diferenciado, que é a nossa meta. Consulte-nos sem compromisso, através de e-mail, que iremos elaborar um plano de trabalho para sua Empresa.

Fonte: www.geocities.com

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal