Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Goiaba  Voltar

Goiaba

 

Nome popular: goiabeira

Nome científico: Psidium guajava L

Família botânica: Myrtaceae

Origem: América tropical

Goiaba

A goiaba (Psidium guajava) é uma fruta nativa da América tropical e fácil de encontrar em todas as regiões do Brasil.

Tem forma arredondada ou ovalada, casca lisa ou ligeiramente enrugada e a cor pode variar entre o verde, o branco ou o amarelo. Conforme o tipo, a cor da polpa também varia entre o branco e o rosa-escuro ou entre o amarelo e o laranja-avermelhado. 

A fruta pode ser consumida ao natural, mas também é excelente para se preparar doces em pastas, sorvetes, coquetéis e a tão conhecida goiabada.

Ao natural contém bastante vitamina C e quantidades razoáveis de vitaminas A e do complexo B, além de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. De modo geral, não tem muito açúcar e quase nenhuma gordura, sendo indicada para qualquer tipo de dieta e, de preferência, deve ser comida crua, pois é a forma em que conserva todas as suas propriedades nutritivas, principalmente a vitamina C.

É indicada para pessoas de todas as idades, podendo constar de qualquer tipo de dieta. Só deve ser evitada por aqueles que possuem aparelho digestivo delicado, ou que tenham problemas intestinais (diarréias, estomatites). Sob a forma de chá, é eficiente em gargarejos, nas infecções da boca e garganta, ou para lavagens de úlceras e irritações vaginais.

A maioria das pessoas não sabe, mas a goiaba contém mais vitamina C do que o limão, constituindo-se em uma ótima fonte desta vitamina, sem falar que á mais doce e mais saborosa. A vitamina C atualmente é uma das vitaminas mais conhecidas e utilizadas pela população em geral, e não é para menos, a vitamina C tem propriedades como auxiliar na produção de colágeno, melhorar a absorção de ferro, aumentar a imunidade contra doenças bacterianas e virais, entre outras.

A goiaba vermelha é benéfica na redução do colesterol e da pressão sangüínea. Isso porque a fruta é rica em Licopeno e em fibras solúveis. Este tipo de fibra possui a capacidade de se ligar aos ácidos biliares interferindo na absorção de gorduras. A ingestão de um pedaço de goiaba vermelha por dia pode reduzir consideravelmente os níveis de pressão arterial, do colesterol e triglicérides.

É considerada pelos nutricionistas como uma das frutas mais completas e equilibradas, por apresentar altos teores de fibras, sais minerais e vitaminas,
principalmente a C. Na medicina popular é recomendada no combate ao escorbuto e diarréia. O consumo da fruta in natura ainda é pequeno, estimado em 300 g/per capita/ano, embora a goiabada seja um dos doces mais apreciados pelos brasileiros.

Características da planta

Árvore com até 7 m de altura, tronco com casca escamante e avermelhada. Folhas pilosas na face superior quando jovens. Flores brancas que surgem de setembro a novembro.

Fruto

Forma ovóide, de coloração verde-amarelada quando maduro, muito aromático. Polpa abundante que envolve muitas sementes, duras, pequenas e de formato reniforme. Surgem de dezembro a marco.

Cultivo

Propagação por enxertia. Planta rústica que prefere regiões de clima quente e suporta até geadas leves. Não é exigente quanto ao solo, porém desenvolve-se melhor em terrenos férteis, drenados e profundos.

Pimentel Gomes nos diz que a goiabeira é originária da América tropical, em especial da região do Brasil e das Antilhas, onde pode ser encontrada em grande variedade. Sua enorme dispersão no continente americano teria ocorrido, provavelmente, em virtude da atração irresistível que os pássaros e outros pequenos animais têm por seu delicado e penetrante perfume. Da América do Sul e Central, a goiaba foi levada pelos navegantes europeus para as colônias africanas e asiáticas, espalhando-se por todas as regiões tropicais do globo.

Planta rústica que cresce em todo tipo de solo graças à sua extrema vitalidade e resistência, a goiabeira pode ser cultivada até mesmo em regiões subtropicais.

Hoje em dia, a goiaba é bastante comum na África, na Ásia e na Oceania, locais onde ocorre de maneira subespontanea ou cultivada, ocupando extensas áreas como em suas terras de origem.

Eurico Teixeira afirma que a diversidade de nomes indígenas existentes para designar o fruto da goiabeira demonstra que a goiaba é planta de distribuição vasta e bastante antiga: xaixocotl, no México; shuinto na língua quéchua do Peru; guayaba ou guava nas Antilhas; araçaíba, araçá-guaçu, araçá-goiaba ou goiaba no Brasil.

Aliás, as denominações dadas à fruta, no Brasil, fazem lembrar a grande semelhança existente entre a goiaba e o araça. De fato, a goiabeira e o araçazeiro têm certa proximidade e o sabor de seus frutos é muito semelhante.

No Brasil, as folhas e os botões florais da goiabeira são de ampla utilização na medicina caseira, sendo a sua infusão comumente aplicada no tratamento de desarranjos intestinais, especialmente infantis. A espessa, porém tenra, casca de seus frutos contém altos teores de tanino, o que a torna indicada para a indústria cosmética, em formulações destinadas ao cuidado de peles oleosas e em preparados antitranspirantes.

De polpa branca ou vermelha, contendo as vitaminas A, B e C, a goiaba, quando amadurece, é fruta doce.

Antigamente, no tempo da infância de nossos pais e avós, a goiaba era a dona absoluta dos pastos, dos quintais e dos pomares caseiros. Suas árvores, que frutificam em abundância, produziam em tamanha quantidade que sobravam frutas para os insetos, para os passarinhos, para os animais e para as brincadeiras da criançada. E ainda dava para fazer uma infinidade de doces, compotas e geléias.

Goiaba

Nascidos provavelmente nas casas grandes dos engenhos nordestinos, onde se deu o encontro formidável da fruta com o açúcar, os doces feitos com a goiaba transformaram-se em símbolo da arte da doceira no país. Combinação tão "saborosamente brasileira", como diz Gilberto Freyre, o doce de goiaba ou a goiabada-cascão, acompanhadas de queijo branco ou de requeijão, transformam-se em iguarias e alimentos de consistência e são, de longe, as sobremesas brasileiras populares por excelência.

Mas, foi apenas nos anos 70 que se iniciou, no Brasil, a produção de goiabas em escala industrial. Cultivada em grandes pomares voltados para o comércio, para a exportação e para a indústria de doces e sucos, a produção da goiaba se sofisticou. A qualidade e a produtividade das árvores aumentaram consideravelmente, permitindo a adequação da produção aos padrões e às necessidades dos consumidores internacionais.

Com o manejo adequado da planta e com a poda das árvores nos períodos certos, passou-se a obter uma fruta muito maior e mais carnuda do que aquelas provenientes de pomares caseiros, além de permitir a produção contínua e volumosa das árvores. Além disso, uma goiabeira, planta naturalmente generosa, quando faz parte de um pomar bem formado, de idade adulta e tecnicamente conduzido, pode chegar a render a considerável quantia de 100 Kg de frutas por ano.

E, assim, a fruta singela e nativa ganhou status de nobreza, até chegar a uma produção de grandes quantidades anuais, especialmente obtidas nos pomares bem cuidados do sudeste do Brasil, onde se destaca a região de Ribeirão Preto em São Paulo, e das superplantações irrigadas do Vale do Rio São Francisco, na Bahia e em Pernambuco.

Goiaba

1. CLASSIFICAÇÃO BOTÂNICA

A goiaba (Psidium guajava L. ) pertence à família Myrtaceae, que é composta por mais de 70 gêneros e 2.800 espécies, distribuídas nas regiões tropicais e sub-tropicais do globo, principalmente na América e na Austrália.

2. ORIGEM

A goiabeira é originada nas regiões Tropicais Americanas, onde aparece vegetando desde o México até o sul do Brasil. Atualmente, é cultivada em todas as regiões tropicais e sub-tropicais do mundo.

3. BIOLOGIA

Árvore de porte pequeno a médio, geralmente de 3-5 m de altura, tortuosa, esgalhada, às vezes atingindo 8m de altura, de casca lisa, delgada, castanho arroxeada, que, quando velha, se desprende em lâminas. Os ramos do ano, com comprimento médio de 60-150 cm, direcionam-se paralelamente ou perpendicularmente ao solo.

Apenas destes ramos surgem as inflorescências, o que caracteriza a goiabeira como planta que produz em “ramo do ano”. As flores são hermafroditas, sem glândulas nectaríferas, com androceu formado por numerosos estames (cerca de 350). O gineceu, com ovário ínfero, é tri ou tetra locular, com numerosos óvulos.

O fruto é uma baga globosa. Internamente, apresenta um mesocarpo de textura firme e quatro a cinco lóculos, cheios por uma massa de consistência pastosa, onde estão numerosas sementes.

Goiaba Paluma

Nome Científico: Psidium guajava L.
Família Botânica: Myrtaceae
Origem: Brasil

Características Gerais

Desenvolvida no Brasil, mais exatamente na UNESP de Jaboticabal, a híbrida Paluma, variedade da goiaba vermelha, oferece um fruto de cor vermelha profunda e sabor mais intenso que as variedades Pink cultivadas em outros países.

Ela é, provavelmente, uma das frutas mais saudáveis para consumo do planeta. Comparada com outras frutas normalmente ingeridas, a goiaba vermelha oferece níveis excepcionais de licopeno, vitamina C e fibras, entre outros. É também uma boa fonte de beta-caroteno, folato e das vitaminas B niacina e piridoxina.

Um artigo publicado pelo Centro para a Ciência no Interesse Público (Center for Science in the Public Interest), em 1998, descreveu a goiaba como a “Superfruta”. Quando comparada com as frutas mais comumente consumidas, ela mostra a mais excepcional combinação de nutrientes.

A goiabeira é uma planta tropical e oferece condições ótimas de cultivo em quase todas as regiões do Brasil.

Não existem goiabas modificadas geneticamente.

A goiabeira é uma árvore perene e produz frutos comercialmente por pelo menos 15 anos. Pelas características próprias de seu cultivo, a goiabeira permite o respeito ao período de carência da pequena quantidade de agrotóxicos empregados no seu cultivo. Assim, por ocasião da colheita, já não haverá risco para o consumidor por esse motivo, sejam as goiabas consumidas na mesa ou levadas para processamento industrial.

Existem plantações de goiaba que oferecem excelentes frutos sem a necessidade de irrigação, sobre tudo na região sudeste do País (ainda a maior produtora brasileira).

Em verdade, a goiaba constitui uma planta digna de uma cultura preocupada com a manutenção do meio ambiente.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br/www.emater.df.gov.br

Goiaba

A goiaba é uma fruta nativa da América tropical e fácil de encontrar em todas as regiões do Brasil. Tem forma arredondada ou ovalada, casca lisa ou ligeiramente enrugada e a cor pode variar entre o verde, o branco ou o amarelo. Conforme o tipo, a cor da polpa também varia entre o branco e o rosa-escuro ou entre o amarelo e o laranja-avermelhado.

A goiaba pode ser consumida ao natural, mas também é excelente para se preparar doces em pastas, sorvetes, coquetéis e a tão conhecida goiabada. Ao natural contém bastante vitamina C e quantidades razoáveis de vitaminas A e do complexo B, além de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

De modo geral, não tem muito açúcar e quase nenhuma gordura, sendo indicada para qualquer tipo de dieta e, de preferência, deve ser comida crua, pois é a forma em que conserva todas as suas propiredadees nutritivas, principalmente a vitamina C. É contra-indicada apenas para pessoas que tenham o aparelho digestivo delicado ou com problemas intestinais.

A goiaba quando é de boa qualidade, tem formato regular, não apresenta machucados nem marcas de insetos, a casca não deve estar amassada nem ter cortes, e deve ser firme, sem chegar a ser dura. A fruta não deve estar nemmuito verde nem muito madura, pois em ambos os casos perde o sabor rapidamente e seu valor nutritivo diminui.

Para guardar, lave bem as goiabas e enxugue. Depois, coloque na gaveta da geladeira, pois a fruta se estraga com muita facilidade. Se a goiaba não for consumida logo e começar a ficar passada, use-a para fazer doces.

A goiaba

A goiaba pertence à família das murtáceas e figura entre as plantas tropicais. A goiabeira é aclimatada ao calor, solos bem drenados e ricos em húmus. Ela se reproduz por sementes, atingindo produção plena no terceiro ano.

A goiaba é uma fruta tropical pequena, oriunda do México e da América Central. Atualmente, é cultivada no Caribe, na América do Sul, na Flórida, na Califórnia, no Havaí, no sudeste da Ásia e em partes da África. A fruta pode ser redonda, oval, com formato de pera e pode variar de 2,5 a 10 cm de diâmetro.

A casca fi na tem uma cor que varia do verde-amarelado ao amarelo-claro e tem um gosto ligeiramente amargo. A cor da polpa pode ser rosa-escuro, amarela, vermelha ou branca.

Goiabas maduras são doces e exalam aroma forte. Elas contêm quase o dobro a mais de vitamina C do que a laranja. Por exemplo, uma goiaba média contém 165 mg de vitamina C, comparada com os 75 mg da laranja fresca. Uma goiaba também contém 256 mg de potássio e 5 g de fi bra solúvel, que reduz o colesterol do sangue e auxilia as funções digestivas. Também é uma boa fonte de ácido fólico, fósforo e caroteno.

Como cada fruta fresca tem apenas 60 calorias, é uma sobremesa prática, gostosa e que não engorda. Basta cortá-la ao meio, remover as sementes e servir a polpa. Colocar um pouco de suco de limão por cima cria um ótimo contraste com seu sabor adocicado.

Reconhecemos que está madura quando a casca cede um pouco ao ser pressionada e, como qualquer outra fruta, fi ca mais saborosa quando amadurece no pé.

Quando apanhada verde, amadurece em temperatura ambiente sem nenhum problema. Guardar a fruta em um saco de papel junto a maçãs ou a bananas acelera o processo de amadurecimento.

A cada dia, temos mais ofertas no mercado com produtos à base de goiaba, como: geleias, sucos, goiabada, goiaba cristalizada, polpa, goiaba seca, catchup etc.

O sabor agridoce e o aroma acentuado da goiaba evocam imagens de paraísos tropicais. Aproveite a safra, prepare um delicioso sorvete e curta o verão.

Propriedades

Tendo um sabor forte, a goiaba é consumida fresca, em conserva ou como geléia. É rica em sais minerais como o cálcio, fósforo e ferro. Tem alto teor de vitamina C, o que a torna eficaz no combate às infecções e hemorragias. é ótima para o fortalecimento dos ossos e dentes, e cicatrização de cortes e queimaduras. Rica em vitamina A, ela é excelente para a vista, saúde da pele e mucosas.

A goiaba é também rica em vitamina B1, por isso ajuda na regularização do sistema nervoso e aparelho digestivo. Tonifica o músculo cardíaco e auxilia no crescimento. As folhas da goiabeira podem ser empregadas contra inchação das pernas, hemorragias uterinas e gastrite.

Indicações Terapêuticas

Cólera – Fazer chá das folhas da goiabeira.
Diarréia e Desinteria - Tomar o cha das folha da goiabeira. Cozinhar goiaba verde e tomar o caldo.
Problemas Gastrintestinais - Recomenda-se fazer refeições exclusivas de goiaba. Ou fazer chás dos brotos da goiabeira juntos com as folhas da laranjeira azeda.
Pernas, pés inchados – Fazer chá das folhas e brotos da goiabeira.
Hemorragia uterina, Incontinência urinaria - Fazer chá das folhas e brotos da goiabeira.
Tuberculose - Fazer chá das folhas e brotos da goiabeira.

Utilização da Goiaba

A goiaba pode ser consumida em forma de geleia, goiabada, compotas (doce) sucos, sorvetes e comer a fruta natural. De todas as utilização a melhor é em forma de suco e comer a fruto, assim teremos mais proveito dos seus benefícios.

Tabela de valor nutricional da goiaba vermelha

Você sabia que a goiaba é a campeã em vitamina C, ela tem o dobro da concentração do limão, por exemplo. Sendo a goiaba branca a que possui a maior concentração de vitamina C.

Para manter os níveis de vitamina C é interessante comer a fruta “in natura”.

Além dessa importante vitamina, a goiaba também possui vitamina A, B1, B2 e B6.

A goiabeira (Psidium guajava) é um arbusto ou árvore pequena da família das mirtáceas, nativa de regiões tropicais das Américas, produtora do fruto chamado goiaba.

Tal espécie possui casca tanífera, folhas obovadas, utilizadas como antidiarréicas e de que se extrai óleo essencial, flores pequenas, brancas.

Seu fruto é em forma de bagas verdes ou amarelas com polpa aromática, branca, rósea, avermelhada ou arroxeada, muito consumidas ao natural ou em compotas, doces, sorvetes e geléias.

Também é conhecida pelos nomes de araçá-guaçu, araçaíba, araçá-mirim, araçauaçu, goiaba, goiabeira-branca, goiabeira-vermelha, guaiaba, guaiava, guava, guiaba, mepera e pereira.

DICAS CULINÁRIAS

A goiabada combina muito bem com queijo-de-minas.
Para que a compota de goiaba branca não escureça, descasque as frutas sob água corrente ou dentro de uma bacia com água.
Para comprar doce de goiaba em lata,veja se ela não está enferrujada, amassada ou estufada, sinais de que o produto pode estar em mau estado.
Em geral, para se fazer doces com goiaba, constuma-se retirar a casca (o mais fino possível), cortar a fruta ao meio e retirar as sementes com uma colher.

Fonte: www.geocities.com/www.fmo.org.br

Goiaba

Goiaba

A goiaba é uma fruta tropical nativa da América do Sul e do Caribe. A fruta varia quanto à cor da polpa que pode ser rosa-escura, amarela, vermelha ou branca.

As goiabas maduras exalam um aroma forte e são doces.

A goiaba tem grande valor nutritivo, principalmente pelo seu alto teor de vitamina C, importante no combate às infecções, hemorragias, fortalecimento dos ossos e dentes, cicatrização de cortes e queimaduras.

Possui também vitamina A, boa à vista, conserva a saúde da pele e das mucosas e auxilia no crescimento e, vitamina B1, que ajuda na regularização do sistema nervoso e aparelho digestivo, tonificando, ainda, o músculo cardíaco.

Contém também sais minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro que contribuem para a formação dos ossos, dentes e sangue.

É indicada para pessoas de todas as idades, podendo constar de qualquer tipo de dieta. Só deve ser evitada por aqueles que possuem aparelho digestivo delicado, ou que tenham problemas intestinais (diarréias, estomatites).

Sob a forma de chá, é eficiente em gargarejos, nas infecções da boca e garganta, ou para lavagens de úlceras e irritações vaginais.

De preferência, a goiaba deve ser consumida ao natural, quando conserva todos os seus princípios nutritivos, principalmente a vitamina C.

Para conservar goiabas, o melhor é limpá-las e guardá-las na geladeira, pois se estragam com facilidade. Quando não são consumidas logo, começam a ficar passadas. Mesmo assim, servem para fazer deliciosos doces. Em boas condições, as goiabas se conservam por uma semana na geladeira.

Seu período de safra vai de janeiro a maio.

Fonte: www.ebarbrasil.com.br/www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br

Goiaba

É chamada popularmente de, goiabeira. Sua denominação científico é Psidium guajava L. É da família botânica, Myrtaceae. Sua origem é América Tropical, em especial na região do Brasil e das Antilhas.

A característica da goiabeira é que sua estrutura retrata uma árvore com até 7 m de altura, tronco com casca escamante e avermelhada. Folhas pilosas na face superior quando novas. Flores brancas que surgem de setembro a novembro.

Sua enorme dispersão no continente americano teria ocorrido, provavelmente, em virtude da atração irresistível que os pássaros e outros pequenos animais têm por seu delicado e penetrante perfume.

Da América do Sul e Central, a goiaba foi levada pelos navegantes europeus para as colônias africanas e asiáticas, espalhando-se por todas as regiões tropicais do globo.

Tem grande utilidade na cura de resfriados, infecções e diarréias. Aumenta a resistência orgânica. Assim como o fruto, a polpa de goiaba Doce Mel contém cálcio, fósforo, ferro, carboidrato e vitaminas A, B, C e PP.

Informações Nutricionais - Polpa de 100g:

Calorias 60 kcal
Proteínas 1 g
Carboidratos 15 g
Gorduras Totais 0 g
Gorduras Saturadas 0 g
Colesterol 0 mg
Fibra 5 g
Cálcio 0 mg
Ferro 1 mg
Sódio 0 mg

 

Quantidade por Porção % VD (*)
Valor Energético 28,1 Kcal = 118,2 Kj 1
Carboidratos 6,4 g 2
Proteínas 0,7 g 1
Gorduras Totais 0,0 g 0
Gorduras Satur. 0,0 g 0
Gorduras Trans. 0,0 mg 0
Fibra Alimentar 3,6 g 14
Cálcio 14,7 mg 1
Ferro 0,5 mg 3
Sódio nd 0
Fósforo 17,4 g 2
Vitamina A 53,6 g 9
Vitamina B1 0,0067 mg 1
Vitamina B2 0,0268 mg 2
Niacina 0,804 mg 5
Vitamina C 30,552 mg 68
* Valores Diários com base em uma dieta de 2.500 Kcal ou 8.400 Kj seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas. *ND = Não Disponivel

Goiaba vermelha com casca crua

TACO - Tabela Brasileira de Composição de Alimentos

Tabela de valor Nutricional

Porção de 100 gramas

  % VD*
Valor energético 54.2kcal = 228kj 3%
Carboidratos 13,0g 4%
Proteínas 1,1g 1%
Gorduras saturadas 0,1g 0%
Gorduras poliinsaturadas 0,3g -
Fibra alimentar 6,2g 25%
Fibras solúveis 0,0g -
Cálcio 4,5mg 0%
Vitamina C 80,6mg 179%
Piridoxina B6 0,0mg 0%
Fósforo 15,4mg 2%
Manganês 0,1mg 4%
Magnésio 6,9mg 3%
Lipídios 0,4g -
Ferro 0,2mg 1%
Potássio 197,6mg -
Cobre 0,0ug 0%
Zinco 0,1mg 1%

* % Valores diários com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8.400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades.

A goiaba

A goiaba é uma fruta tropical nativa da América do Sul e do Caribe. A fruta varia quanto à cor ad polpa que opde ser rosa-escura, amarela, vermelha ou branca.

As goiabas maduras exalam um aroma forte e são doces.

As goiabas têm quase 5 vezes mais vitamina C do que as laranjas. Aproximadamente 100 g de goiaba contêm 275 mg de vitamina C, comparado com 57mg da mesma quantidade de laranja.

A fruta ainda é uma boa fonte de potássio e ferro. Por conter apenas 60 calorias, a goiaba é uma sobremesa prática, deliciosa e que não engorda. Pode ser consumida inteira, em pedaços ou em saladas de frutas.

Importante

Compre goiabas frescas, selecionando-as de acordo com a sua firmeza. A fruta deve estar firme, mas não dura. Ela está madura quanda a casca cede um pouco ao ser pressionada.

Fonte: www.docemel.com.br

Goiaba

Goiaba

Fruto

Os frutos da goiabeira são bagas com tamanho, forma e coloração de polpa variável em função da cultivar. Possui um dos mais altos teores de vitamina C (ácido ascórbico) entre as frutas, superada apenas pela acerola.

A frutificação começa no segundo ou terceiro ano após o plantio se as mudas são provenientes de sementes. Nas mudas obtidas por propagação vegetativa (estaquia ou enxertia), a floração se inicia com 7 ou 8 meses de idade. Em geral, a primeira florada deve ser eliminada, pois não possui valor comercial, o que favorece a formação da copa e reduz o desgaste de plantas muito jovens.

Planta

A planta é um arbusto ou árvore de pequeno porte, que pode atingir de 3 a 6 metros de altura. As flores são brancas, hermafroditas, eclodem em botões isolados ou em grupos de dois ou três, sempre nas axilas das folhas e nas brotações surgidas em ramos maduros.

Dentre as frutas tropicais brasileiras, a goiaba ocupa lugar de destaque, não só pelo seu aroma e sabor como também pelo seu valor nutricional. O Brasil é o maior produtor de goiabas vermelhas, enquanto a Índia está em primeiro lugar na produção de goiabas brancas.

Cultivo

A escolha da variedade a ser plantada depende do mercado de destino da produção. Para o mercado interno, tanto para o consumo “in natura” como para a indústria, as variedades de polpa vermelha são preferidas. No mercado internacional, as variedades de polpa branca são preferidas.

No Brasil, em condições de sequeiro, a safra de goiabas ocorre entre os meses de janeiro e abril, com maior concentração em fevereiro, épocas em que o produto alcança os menores preços no mercado, e a oferta varia tanto em volume quanto em qualidade, em conseqüência do regime de chuvas que ocorre antes e durante o período da safra.

A poda de frutificação é economicamente viável, pois possibilita a colheita em períodos de menor oferta no mercado. A sua execução pode ser programada, distribuindo melhor os tratos culturais do pomar e conferindo maior flexibilidade à comercialização. São necessárias, o entanto, pesquisas de âmbito regional, para o conhecimento do comportamento produtivo e da qualidade dos frutos produzidos sob esta forma de condução.

As principais pragas da goiabeira são as moscas das frutas (Anastrepha fraterculus, A. obliqua e Ceratitis capitata), o besouro amarelo (Costalimaita ferruginea vulgata), o psilídeo (Trizoida sp.) e o gorgulho (Conotrachelus psidii). As principais doenças são a ferrugem (causada pelo fungo Puccina psidii), verrugose (causada pelo fungo Elsione pitangae) e antracnose (causada pelo fungo Sphcelona psidi).

Um pomar bem conduzido não irrigado produz em média, a partir do 6º ano de idade, de 20 a 60 kg de goiabas/planta /ano. A média em pomares irrigados é de cerca de 120 kg/planta/ano.

Usos

A goiaba é consumida “in natura” e, principalmente, industrializada, na forma de goiabada, geléias, pastas, fruta em calda, purê, alimentos para criança, base para bebidas, refrescos, sucos e xaropes.

Mercado

Um novo produto, o guatchup (catchup de goiaba), está em desenvolvimento com a colaboração da Associação Brasileira dos Produtores de Goiaba (GOIABRAS). Apresenta alto valor nutricional, é rico em licopeno, betacaroteno, vitamina C, ferro, cálcio e fibras e é menos calórico em relação ao seu concorrente feito de tomate.

O consumo interno da fruta “in natura” ainda é pequeno, estimado em 300g/habitante/ano, embora a goiabada seja um dos doces mais apreciados pelos brasileiros.

Fonte: www.sebrae.com.br

Goiaba

Goiaba - Psidium guajava

Goiaba

Nativa do Brasil, a goiaba é uma das frutas mais populares no país, tanto pelo consumo in natura quanto pelas delícias feitas a partir de sua polpa, a exemplo de geléias, sucos e doces.

Um dos nomes populares e poético é: araçá-das-almas. O mais conhecido, porém, é "goiaba", palavra indígena, que significa "sementes amontoadas". É uma fruta saborosa, um tanto ácida. Além de gostosa, faz bem.

A goiaba é uma fruta nativa da América tropical e fácil de encontrar em todas as regiões do Brasil. Tem forma arredondada ou ovalada, casca lisa ou ligeiramente enrugada e a cor pode variar entre o verde, o branco ou o amarelo. Conforme o tipo, a cor da polpa também varia entre o branco e o rosa-escuro ou entre o amarelo e o laranja-avermelhado.

A goiaba pode ser consumida ao natural, mas também é excelente para se preparar doces em pastas, sorvetes, coquetéis e a tão conhecida goiabada. Ao natural contém bastante vitamina C e quantidades razoáveis de vitaminas A e do complexo B, tanino, além de sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

De modo geral, não tem muito açúcar e quase nenhuma gordura, sendo indicada para qualquer tipo de dieta e, de preferência, deve ser comida crua, pois é a forma em que conserva todas as suas propriedades nutritivas, principalmente a vitamina C. É contra-indicada apenas para pessoas que tenham o aparelho digestivo delicado ou com problemas intestinais.

A goiaba quando é de boa qualidade, tem formato regular, não apresenta machucados nem marcas de insetos, a casca não deve estar amassada nem ter cortes, e deve ser firme, sem chegar a ser dura. A fruta não deve estar nem muito verde nem muito madura, pois em ambos os casos perde o sabor rapidamente e seu valor nutritivo diminui.

Para guardar, lave bem as goiabas e enxugue. Depois, coloque na gaveta da geladeira, pois a fruta se estraga com muita facilidade. Se a goiaba não for consumida logo e começar a ficar passada, use-a para fazer doces.

Goiaba

Ocorrência: De ocorrência espontânea em quase todo o Brasil.

Outros nomes: Guava, goiaba, goiabeira branca, goiaba pêra, goiaba branca, goiaba vermelha, araçá goiaba, araçá guaçu, guaiaba, guaiava, araçá guaiaba

Características

Planta pioneira, indiferente às condições físicas do solo. Tolera bem tanto os solos mais úmidos, quanto os mais secos. Apresenta intensa regeneração natural devido, principalmente, à dispersão das sementes pelas aves. Arvoreta de 3 a 10 m de altura. Tronco tortuoso e ramificado, muito liso e descamante em placas, de coloração cinza-avermelhada ou castanha.

Copa irregular e rala. Folhas simples, opostas, oblongas, ápice arredondado ou levemente agudo, base arredondada, pecíolo curto e canaliculado, pilosas na face inferior e glabras na superior, nervura proeminente na face inferior, com até 13 cm de comprimento. Perde parcialmente as folhas secas.

Flores solitárias, brancas, terminais ou axilares, vistosas. Fruto baga, casca amarelada ou verde amarelada quando madura, polpa branca ou vermelha, mucilaginosas, sementes numerosas, pequenas e muito duras. Um kg de sementes assim preparadas contém cerca de 71.400 unidades.

Habitat: formações florestais do complexo atlântico

Propagação: Sementes , mas principalmente por enxertia e estaquia.

Madeira: Moderadamente pesada, dura, muito elástica, compacta, moeradamente durável

Utilidade

Os frutos da goiabeira são apreciados pelo homem, consumidos intensamente pela avifauna e por muitas espécies de peixes que também se alimentam das larvas neles encontradas.

Seu plantio na beira dos rios é de grande importância. Seus frutos são consumidos ao natural ou como doces, compotas e geléias. É bem conhecido o seu doce artesanal denominado de “goiabada”, muito apreciado em todo o interior do país há séculos.

Dela pode-se fabricar também um molho saboroso substituto do catchup, batizado de goiachup. O tronco é utilizado para utensílios rurais, dada a elevada resistência e durabilidade. Muito usada em recuperações de áreas degradadas por atrair a fauna.

Florescimento: Setembro a novembro

Frutificação: Dezembro e março

Cuidados

A goiaba é uma fruta bastante acometida pela mosca-das-frutas, assim como outras Myrtáceas, o que rendeu o nome popular "bicho-da-goiaba" à larva deste inseto. Durante o crescimento do fruto, este deve ser ensacado para proteção contra a mosca-das-frutas. Frutos rachados, podres e caídos devem ser enterrados para evitar a disseminação da praga. Por ser frágil, a goiaba é uma fruta de difícil armazenamento e transporte.

DICAS CULINÁRIAS

A goiabada combina muito bem com queijo-de-minas.
Para que a compota de goiaba branca não escureça, descasque as frutas sob água corrente ou dentro de uma bacia com água.
Para comprar doce de goiaba em lata,veja se ela não está enferrujada, amassada ou estufada, sinais de que o produto pode estar em mau estado.
Em geral, para se fazer doces com goiaba, costuma-se retirar a casca (o mais fino possível), cortar a fruta ao meio e retirar as sementes com uma colher. Depois, prepara-se segundo a receita.

Partes utilizadas: Broto das folhas, casca do caule e fruto maduro.

Propriedades medicinais da goiaba

Entre as muitas frutas brasileiras, a goiaba é uma das mais comuns. É uma fruta de grande valor nutritivo. Possui quantidade razoável de sais minerais, como cálcio e fósforo.

Ajuda a tratar de: Diarréias, disenterias, excesso de ácido úrico, feridas, ferimentos diversos, gripes, resfriados, retenção de líquidos.

Cicatrizante de feridas e usada no combate à diarréia.

Ajuda a prevenir à acidez do estômago.

Utilidades Medicinais

Diarréia: Tomar o chá das folhas tenras da goiabeira ou macerar bem a goiaba verde, cozer, coar em pano fino e aplicar clisteres com este líquido.
Distúrbios da digestão:
Recomenda-se fazer refeições exclusivas de goiaba fresca. Pode-se também preparar um chá com os brotos da goiabeira e as folhas da laranjeira azeda.

Fonte: www.vivaterra.org.br/www.frutas.radar-rs.com.br

Goiaba

Entre as muitas frutas brasileiras, a goiaba é uma das mais comuns. É uma fruta de grande valor nutritivo.

Possui quantidade razoável de sais minerais, como cálcio e fósforo. É rica em vitaminas. Possui vitaminas A, B1 (Tiamina) e B2 (Riboflavina), e, possivelmente, também proporção razoável de vitamina B6 (Piridoxina). Em matéria de vitamina C, tem poucos rivais.

A goiaba branca e a amarela são mais ricas que a vermelha.

O conteúdo de vitamina C vai decrescendo de fora para dentro do fruto. Nessas condições, a casca é mais rica do que a polpa externa e esta mais do que a polpa interior. Porém, devido ao uso de inseticidas, convém descascar as goiabas.

Grande é a concentração de vitamina C na goiaba desidratada. 1800 gramas de pó são suficientes, afirma-se, para proteger um explorador ártico contra o escorbuto, durante cerca de 90 dias.

Uso Medicinal

A goiaba e a goiabeira encerram ricas virtudes medicinais.

As folhas da goiabeira, em decocção, empregam-se contra as hemorragias uterinas, a incontinência da urina, a inchação das pernas e pés, a cólera infantil, a gastrenterite. Usam-se 30g de folhas para um litro de água.

A goiaba é muito adstringente, sendo aconselhada por alguns para curar as diarréias mais rebeldes. Essa propriedade do fruto se observa também no seu doce natural ou goiabada caseira.

Com os grelos ou folhas tenras de seus ramos, especialmente quando misturados com grelos e folhas de laranjeira azeda, prepara-se um chá medicinal de pronto efeito no tratamento das indigestões.

A goiaba verde bem amassada, cozida em água, sendo coado o respectivo cozimento, dá um caldo que, tomado em clisteres, juntamente com banhos de cozimento de suas folhas, combate de modo eficaz as diarréias renitentes.

Valor Alimentício

Goiaba

Goiaba

A goiaba é verdadeiramente útil à nossa alimentação pelos elementos nutritivos que oferece. Contém, como já mencionamos, cálcio, fósforo e ferro. Possui também as vitaminas A, B1, B2 a alto teor de vitamina C, cuja proporção é diferente em cada variedade de goiaba.

A goiaba poderá conservar boa parte desse teor vitamínico se na sua preparação forem observadas certas normas indispensáveis. O mesmo não se dá com outros doces de goiaba (geléia, goiaba em calda), que são pobres em vitamina C. A goiaba cristalizada perde quase toda a vitamina C. As preparações domésticas da goiaba apresentam maior proporção de ácido ascórbico que as industriais.

A nossa preferência deve ser sempre sobre a goiaba ao natural, apesar de ser bastante usada em forma de goiabadas, doces em calda e geléias.

Propriedades

A goiaba contém 17% de carboidratos, proteínas e sais minerais como cálcio e fósforo, vitaminas A, B1, B2, B6, e C. É uma das maiores fontes naturais de vitamina C em frutas, impregnada na casca. Portanto, não despreze a casca, mas lave-a bem antes de ingeri-la.

É também uma mas maiores fontes naturais de licopeno, substância que previne o câncer de prostata e age diretamente beneficiando a próstata. O licopeno está presente na goiaba vermelha.

O suco da goiaba vermelha (sem adoçar) é ótimo para os problemas da próstata (até como preventivo), além de diarreia, alergias, fadiga, hemorragias e nos estados de convalescênça.

O chá das folhas (infusão) é indicado para hemorragias uterinas e incontinência urinária (sem adoçar).

Uma xícara 3 vezes ao dia (sem adoçar) do chá das folhas (decocção) é recomendada para diarreia.

Já os frutos são indicados na falta de vitamina C e para tuberculose, principalmente a goiaba branca, na qual a concentração de vitamina C é bem maior.

100 gramas de goiaba contém 40 calorias, 81 mg de vitamina C na goiaba branca e 46 mg na goiaba vermelha.

A goiaba branca também é utilizada contra o bruxismo (ranger os dentes durante o sono) e mal de Parkinson, em forma de suco (sem adoçar) ou ao natural, podendo tomar 2 copos por dia do suco da fruta. Mas não ingerir as sementes.

Um suco de goiaba apresenta nutrientes superiores ao suco de laranja.

Resumo das Utilidades Medicinais

Cólera Infantil: Recomenda-se tomar o chá da folha da goiabeira.
Diarréia:
Tomar o chá das folhas tenras da goiabeira. Ou macerar bem a goiaba verde, cozer, coar em pano fino e aplicar clisteres com este líquido.
Digestão, distúrbios da:
Recomenda-se fazer refeições exclusivas de goiaba fresca. Pode-se também preparar um chá com os brotos da goiabeira e as folhas da laranjeira azeda.
Disenteria:
Proceder como indicado em diarréia.
Dispepsia:
Ver digestão, distúrbios da.
Enterite:
Proceder como indicado em gastrenterite.
Escorbuto:
Incluir goiaba na alimentação.
Fermentações gastrintestinais:
Proceder como indicado em digestão, distúrbios da.
Gastrenterite:
Recomenda-se tomar o chá da folha tenra da goiabeira.
Hemorragia uterina:
Ver metrorragia.
Incontinência da urina:
Tomar o chá da folha tenra de goiabeira. É indicado especialmente para crianças. Mas não tomar próximo à hora de dormir. Se a criança for nervosa, acrescentar a este chá um pouco de valeriana ou camomila.
Inchação das pernas e pés:
Tomar o chá da folha da goiabeira. Para produzir melhor resultado, acrescentar cavalinha (erva) a este chá.
Metrorragia:
Tomar o chá forte da folha tenra da goiabeira.
Pés, inchação dos: Tomar o chá da folha tenra da goiabeira.
Tuberculose: Recomenda-se a inclusão da goiaba na dieta.

Fonte: www.portalnatural.com.br

Goiaba

A goiaba é considerada pelos nutricionistas como uma das frutas mais completas e equilibradas, sendo uma das mais ricas em vitaminas A, C, E e do complexo B, em zinco, fibras, niacina e licopeno, além de concentrar altos teores de fósforo, magnésio, cálcio, ferro, ácido fólico. Suas excelentes propriedades organolépticas a tornam aproveitáveis tanto para o consumo ‘in natura’ quanto para a industrialização. Sua polpa, de alto rendimento, pode ser transformada e comercializada na forma de doces, geléias, sorvetes, coquetéis, compotas, sucos e bebidas (CHOUDBURY et al., 2001).

Os mais recentes estudos acrescentaram um elemento fundamental às propriedades nutricionais da goiaba vermelha: o licopeno, carotenóide que confere cor vermelha à polpa. É evidente que, quanto mais vermelha a fruta, maior o teor de licopeno.

No Brasil, as condições de iluminação, solo, temperatura, etc. conferem à polpa da goiaba vermelha brasileira o mais intenso tom de vermelho.

O teor de proteína varia de 0,8 a 1,0% considerando valor satisfatório, sendo normalmente superior à maioria das frutas cultivadas comercialmente.

Fibras: a presença de fibras nos alimentos é considerada imprescindível à saúde humana. A porcentagem de fibra úmida de ótima qualidade (de 3,0 a 6,0%) encontrada na goiaba faz com que a fruta se destaque como fonte deste elemento.

Açúcares Totais: os teores encontrados na goiaba, embora variem de acordo com o cultivar e o ponto de colheita, são considerados bons quando comparados à maioria dos frutos.

Goiaba

Goiaba
Goiaba Branca

Elementos Minerais: A importância do Cálcio, Fósforo e Potássio para o organismo humano são amplamente difundidos. O Cálcio é elemento constituinte dos ossos, promove o equilíbrio das células, contribui para ativar enzimas e também na assimilação da Vitamina D, tem ação na contração muscular, na transmissão do impulso nervoso, na coagulação do sangue e apresenta ação hormonal.

O Fósforo participa do desenvolvimento e endurecimento dos ossos e dentes e é elemento constituinte dos ácidos nucléicos e dos compostos ricos em energia.

O Potássio regula o equilíbrio de água no organismo, sendo que sua carência provoca fraqueza muscular e confusão mental. Prisão de ventre, falta de reflexos e ressecamento da pele também estão relacionados à falta de Potássio no organismo.

Vitaminas: Embora com destaque para as vitaminas A e C, a goiaba apresenta teores satisfatórios de vitaminas do complexo B, especialmente a Tiamina (B1), Riboflavina (B2) e Niacina. A Vitamina A, cuja deficiência é responsável pela xeroftalmia e cegueira noturna, reduz o risco de câncer de mama, próstata, útero, ataques cardíacos e derrames. As goiabas de polpa vermelha apresentam quantidades apreciáveis de Vitamina A e devem ser indicadas como importante fonte natural de suprimento.

A Vitamina C (ácido ascórbico), cuja deficiência provoca o escorbuto, é responsável pela redução do risco de câncer e ataques cardíacos e aumento da resistência a viroses. Os valores elevados desta vitamina encontrados na goiaba são bastante superiores aos das frutas cítricas, constituindo-se em importante fonte de Ácido Ascórbico.

O Licopeno, carotenóide recentemente pesquisado, que confere cor vermelha aos alimentos e presente na goiaba vermelha brasileira em elevados níveis, é poderoso antioxidante que mantém a juventude das células por mais tempo, previne vários tipos de câncer e de doenças degenerativas. Há pouco tempo, o alimento citado como fonte de licopeno era o tomate. Contudo, verificou-se que a goiaba vermelha brasileira oferece aproximadamente o dobro dos valores observados no tomate.

Uma goiaba Paluma média (200g) oferece 367 mg de vitamina C ( 3 vezes a necessidade diária), 10 mg de fibras naturais (metade da necessidade diária) e 13 mg de licopeno ( duas vezes a necessidade diária).

Em comparação com o tomate, até agora considerado a melhor fonte de licopeno, as pesquisas demonstraram que a goiaba vermelha apresenta o dobro dessa substância.

Em relação à laranja, são necessárias 4 frutas para oferecer a quantidade de vitamina C de uma goiaba. Para os que se preocupam com a saúde e com as calorias, isso significa que, para ingerir a mesma quantidade de vitamina C, pode-se consumir uma goiaba de 43 kcal (ou dois copos do suco), em vez de 4 laranjas (um copo de suco) que somam 184 kcal, ainda enriquecendo a alimentação com fibras e pró-vitaminas que auxiliam na absorção das vitaminas C e B6, do cálcio e do licopeno e uma efetiva sensação de saciedade.

Goiaba

Goiaba

Os benefícios proporcionados pela goiaba

Tratamento de diarréias;
Ajuda a prevenir a acidez do estômago;
Cicratizante de feridas;
Retenção de líquidos;
Fortifica os ossos e os dentes;
Melhora o aspecto da pele, retardando o envelhecimento;Regula o aparelho digestivo;
Benéfica na redução do colesterol;
Auxilia no emagrecimento;
Dá maior resistência física;
Reduz os níveis de pressão arterial e de triglicérides;
Auxilia na prevenção de doenças cardíacas;
Eficiente em gargarejos, e no tratamento de infecções de boca e garganta;Ajuda na cura de irritações vaginais;
Ajuda a fortalecer o sistema imunológico.

Curiosidades da goiaba

O consumo em excesso de goiaba pode não ser muito bem recomendado para pessoas que tenham o aparelho digestivo delicado ou com problemas de intestino preso;
Para não perder o sabor e seu valor nutritivo, ela nao deve ser consumida muito verde ou muito madura;
Existe aproximadamente 2.800 espécies de goiaba;
Para fazer com que o doce de goiaba branca em compota não escureça, descasque as frutas sob água corrente ou dentro de uma bacia com água;
A indigestão de um pedaço de goiaba vermelha por dia pode reduzir consideravelmente os níveis de pressão arterial, do colesterol e triglicérides.
Seu período de safra vai de janeiro a maio, porém pode ser encontrada durante o ano todo.

Carolina Chuichmam

Fonte: www.nutricionistacarol.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal