Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Concepção  Voltar

Concepção

 

A definição de concepção é uma tarefa difícil, porque este não é estritamente um termo médico ou científico. Algumas pessoas acreditam que a concepção até o momento seja na qual o óvulo é fertilizado por um espermatozóide.

Para a maioria dos casais que experimentam a infertilidade, que podem precisar de um tratamento de fertilidade para ser capaz de ter um filho, a concepção é o objetivo final e eles tendem a defini-lo como 'engravidar'.

A concepção pode ser o início da gravidez, o conhecimento de que uma mulher concebeu só vem com o teste de gravidez positivo que é possível de 2-3 semanas após a fertilização, e alguns dias após o implante do embrião minúsculo.

A reprodução é necessário para a perpetuação de uma espécie, incluindo os seres humanos

A concepção (fertilização) é o início da gravidez, quando um óvulo é fertilizado por um espermatozóide.

Como parte do ciclo menstrual normal, um óvulo é liberado de um dos ovários aproximadamente 14 dias antes da menstruação seguinte.

A liberação do óvulo é denominada ovulação.

O óvulo é liberado e conduzido até a extremidade em forma de funil de uma das tubas uterinas, onde a fertilização pode ocorrer, e é transportado até o útero.

Quando a fertilização não ocorre, o óvulo degenera e é eliminado do útero juntamente com a menstruação seguinte.

Contudo, quando ele é penetrado por um espermatozóide, o óvulo é fertilizado e começa a crescer, tranformando-se em um embrião após uma série de divisões celulares.

Quando mais de um óvulo é liberado e fertilizado, ocorre uma gestação múltipla, normalmente gemelar. Neste caso, os gêmeos são fraternos.

Concepção
Fertilização

Os gêmeos idênticos são o resultado da separação de um óvulo já fecundado em duas células independentes na primeira vez em que ele se divide.

Na ovulação, a camada de muco do colo do útero (a parte inferior do útero que se abre para o interior do órgão genital feminino) torna-se mais líquida, permitindo que os espermatozóides penetrem no útero mais rapidamente.

Os espermatozóides podem movimentar-se desde o órgão genital feminino até a extremidade em forma de funil de uma tuba uterina (local onde geralmente ocorre a concepção) em 5 minutos.

As células que revestem a tuba uterina facilitam a fertilização e o posterior desenvolvimento do zigoto.

O zigoto divide-se repetidas vezes enquanto desloca-se através da tuba uterina e chega ao útero em 3 a 5 dias. No útero, ele transforma-se em blastocisto (uma bola oca de células).

Este é o método de reprodução utilizados por seres humanos.

Concepção - O que é

A partir da puberdade, o homem está constantemente a produzir nos testículos espermatozóides, enquanto a mulher quando nasce já contem todos os folículos que se irão transformar em óvulos, no interior dos seus ovários. Uma jovem na puberdade tem cerca de 300 a 400 mil folículos primordiais, no entanto, há-de ovular apenas 300 a 400 vezes na sua vida. Todos os meses, a partir da primeira menstruação (menarca), um óvulo é libertado dos ovários.

Afinal o que é isto da concepção?

A concepção é a união do espermatozóide com o óvulo, que vai dar origem a uma gravidez.

Então, e como é que isto acontece?

Quando um homem e uma mulher têm relações sexuais, o homem ejacula do pénis cerca de 3 a 4 centímetros cúbicos de esperma, o que equivale a mais ou menos 300 a 400 milhões de espermatozóides. Nesta corrida de espermatozóides, eles podem encontrar o óvulo libertado de um dos ovários, no período fértil, e que se encontra num movimento de descida.

Parece uma coisa muito grande, mas não, tudo isto é microscópico e rápido. Muitos espermatozóides são eliminados logo à entrada do circuito, na zona do órgão genital feminino, os outros continuam a sua corrida até um deles encontrar o óvulo. Penetra-o e é o momento da fecundação onde passa a existir o ovo ou zigoto.

A partir daqui estão reunidos elementos para a formação de um bebé. No caso dos gémeos, isso pode ser diferente pois pode acontecer que 2 espermatozóides fecundem 1 óvulo... gémeos verdadeiros, ou 2 espermatozóides 2 óvulos... gémeos falsos.

E depois o que é que acontece?

As células sexuais masculina e feminina, cada uma delas, contem só metade do número de cromossomas, em relação com todas as outras células do organismo.

Então, quando o espermatozóide consegue entrar dentro do óvulo, fundem-se os dois gerando uma só célula, o ovo Zigoto. Como cada uma destas células tem a informação que o outro precisa, ao fundirem-se, vão provocar o encontro dos cromossomas.

Quando isto acontece, as células de ambos juntam-se e vão completar a informação que faltava a cada um deles. A partir daqui, este ovo vai alojar-se nas paredes do útero, que entretanto se preparou, formando um género de ninho, para aconchegar esse novo ovo, deu-se então a nidação, que é a fixação do ovo nas paredes do útero.

Ok!, agora com as células completas o que é que vai acontecer?

Esta junção, possibilita que o ovo contenha agora todas as informações dadas pelos donos do óvulo e do espermatozóide, e por isso já estão definidas as características do futuro bebé, como a cor dos olhos, a cor do cabelo, e tudo o que o embrião necessita para se desenvolver.

Primeiro, é embrião, após acontecer as primeiras divisões das células passa a feto, e a partir daqui começam-se a desenvolver todos os órgãos de todos os membros, enfim tudo o que é necessário para a construção de um bebé. Ao fim de mais ou menos 36 a 40 semanas, ele nasce então.

E como é que se sabe se uma mulher está grávida?

O primeiro sinal, normalmente, é a ausência da menstruação. Assim que te surge uma dúvida, deves então fazer um teste de gravidez, para te certificares se estás efetivamente grávida.

Existem outros tipos de manifestações que poderão ser também indicadores de uma gravidez, como:

O aumento do volume dos seios

Náuseas

Vómitos

Sonolência

Palpitações

Nervosismo e

Vontade de fazer xixi constantemente, principalmente de manhã quando acordas.

É importante saberes que uma gravidez deve ser sempre vigiada e acompanhada por um técnico de saúde, que poderá ser o médico de família ou um obstetra.

A gravidez não é uma doença, mas quando uma mulher está grávida deve ter alguns cuidados, deve fazer exames regulares (ecografias por exemplo), deve cuidar os seus hábitos de higiene e saúde, ter vestuário e calçado confortável e adequado, bem como ter em atenção determinados esforços e ambientes poluídos a que por vezes os trabalhos e as profissões de cada um obrigam.

Porquê?

Porque está a entrar no que se chama trabalho de parto. O trabalho de parto pode ser preparado previamente. Para isso existem formas que a futura mãe pode aprender, de relaxamento e de controlo de respiração, que podem ajudar e facilitar o parto. É o chamado parto psico-profilático. Nesta preparação, é também possível a presença de uma outra pessoa, como por exemplo o pai ou uma avó, no sentido de ajudar a mãe neste trabalho.

É possível nos dias de hoje marcar o dia parto e, com a indicação e ajuda do médico, provocar o parto, como também é possível minimizar as dores de parto com recurso à anestesia local, a Epidural, que permite que a mãe esteja consciente na altura do nascimento do seu filho.

E o parto, como é?

O trabalho de parto tem duas fases, que se chamam período de dilatação e período de expulsão. No período de dilatação, a mulher sente umas contrações, primeiro curtas e raras, depois intensificam-se. Nesta altura é sempre bom que a mulher tenha aprendido a técnica de controlar a respiração para facilitar o parto, tornando-o menos doloroso. O que se está a passar é que as paredes do útero, que têm músculos fortes, vão provocando contrações que vão ajudar o bebé empurrando-o para a saída. O período de expulsão dá-se quando o colo do útero está completamente dilatado e o bebé é completamente empurrado para fora.

E pronto, já está, nasceu!

Muitas vezes, surgem dificuldades que não permitem que o bebé nasça desta forma. É então necessário fazer uma intervenção cirúrgica, que se chama Cesariana, para que o bebé possa sair de dentro da mãe. É então feito um corte na zona do baixo ventre da mulher, para que o médico possa tirar o bebé.

Quando nos partos se decide antecipadamente que se vai utilizar esta técnica, é possível combinar com o médico a data do parto, e, sendo assim, pode-se também escolher o dia do nascimento do filho. Também nas cesarianas, nos dias de hoje, é possível face a cada caso e tendo em conta a decisão da mulher e a indicação médica, recorrer ao uso da Epidural, ou, em casos em que é necessário, recorrer à anestesia geral.

Fonte: fertility.treatmentabroad.com/juventude.gov.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal