Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Parto Cesariana  Voltar

Parto Cesariana

Parto Cesariana

Parto Cesariana

Cesariana: um parto seguro para o bebê que está sentado.

O número exagerado de partos cesáreos, num mundo todo, tem gerado muita polêmica. E isto merece, realmente, uma análise cuidadosa. Mas existem os casos em que esta é a opção mais segura. Nesta sequência dde fotos, o bebê estava sentado. E a indicação foi correta.

Parto Cesariana
A anestesia peridural está sendo aplicada na parturiente.
Esse anestésico tira a sensibilidade apenas da cintura para baixo, permitindo que a futura mamãe participe,
lúcida, de todos os momentos que antecedem o nascimento de seu filho

Parto Cesariana
Momento de grande emoção: a cesariana está prestes a começar.
O obstetra, com auxílio das chamadas pinças de Allis, marca o local onde será feita a incisão.
O corte,horizontal, é dado mais ou menos na altura do púbis

Parto Cesariana
O bebê está sentado e para retirá-lo será preciso muita técnica e perícia.
O médico terá que fazer três manobras delicadas.
A primeira é o chamado parto da cintura pélvica, ou seja, o parto das nádegas

Parto Cesariana
Com todo cuidado, o obstetra termina a primeira manobra do parto, retirando com delicadeza o bumbum da criança.
Apenas três por cento dos bebês estão sentados dentro do útero materno na hora do nascimento

Parto Cesariana
Esta é a segunda manobra, chamada de parto da cintura escapular.
Após a saída das nádegas, os ombros aparecem com ajuda das mãos experientes do obstetra

Apenas três por cento dos bebês estão sentados dentro do útero materno por ocasião de seu nascimento. Diz-se, então, que o bebê esta na chamada posição pélvica, que não deixa de ser anômala, já que é de cabeça para baixo - na posição cefálica - que 97 por cento dos bebês se posicionam, definitivamente, no final da gravidez. Isto geralmente ocorre por volta da 36ª semana de gestação - mais ou menos no final do oitavo mês - quando o pequenino, já sem espaço para grandes piruetas dentro do útero de sua mãe, acomoda-se de um jeito ou de outro e se prepara, então, para o grande, momento do seu nascimento.

Embora o fato do pequenino ter preferido sentar-se - e até hoje não se sabe, concretamente, por que isto acontece - não o prejudique em nada e nem seja sinal de que algo com ele não vai bem, uma coisa é certa: suas chances de nascer por parto normal diminuem consideravelmente. E, dependendo do caso, pode-se até afirmar que desaparecem. Bebê sentado, portanto, é uma das indicações mais precisas de cesariana.

Afim de que o colo do útero se dilate o bastante para permitir que por ele passe o pequenino no seu caminho para a vida, é preciso que dois fatores estejam atuando em conjunto. Em primeiro lugar, é preciso que o útero se contraia com ritmo, força e eficiência e - é o que se chama de retração -, em segundo lugar, é preciso que algo rígido como a cabecinha de um bebê pressione sistematicamente o colo uterino colaborando, assim, com a sua dilatação - é o que se chama de propulsão. Dilatação, portanto, é sinônimo de retração mais propulsão. Se o bebê está sentado, a tarefa de forçar o colo uterino fica por conta de suas nádegas.

Só que suas nádegas são partes macias e, portanto, não exercem, sobre o colo uterino, pressão das mais eficientes, atrasando bastante o período de dilatação.

Não é impossível que a dilatação acabe se completando, só que levará tempo e, enquanto isto, tanto mãe quanto filho estarão se cansando e até se prejudicando.

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal