Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Hiperidrose  Voltar

Hiperidrose

A hiperidrose é uma condição comum em que uma pessoa transpira excessivamente, e muito mais do que o corpo necessita, a fim de regular sua temperatura.

A transpiração excessiva não costuma representar uma séria ameaça para a saúde de uma pessoa, mas pode ser embaraçoso e angustiante. O inconveniente de ele também pode ter um impacto negativo em sua qualidade de vida.

Não existe uma forma definida de definir a transpiração excessiva, mas se a transpiração está a interferir com a sua vida diária e atividades normais, você pode ter hiperidrose. Leia mais sobre os sintomas da hiperidrose.

Muitas pessoas com a doença têm vergonha de procurar ajuda médica ou acreditar que nada pode ser feito para melhorar os seus sintomas. No entanto, não há ajuda disponível.

Quando consultar o seu médico

Visite o seu médico se você sentir que sua transpiração está a interferir com suas atividades diárias.

Se de repente você começa a suar excessivamente, visite o seu médico para que a causa de sua transpiração pode ser investigado.

Também visite o seu médico se você está tendo suores noturnos, porque às vezes pode ser um sinal de uma doença grave.

Tratamento

A transpiração excessiva pode ser um desafio para o tratamento e isso pode demorar um pouco para encontrar um tratamento certo para você.

Os médicos geralmente recomendam iniciar o tratamento menos invasivo, como anti-transpirantes. Se isso não funcionar, você vai passar a tratamentos como a medicação para bloquear as glândulas sudoríparas e cirurgia.

A maioria das pessoas experimentam uma melhora significativa de seus sintomas com o tempo.

Os sintomas da hiperidrose

A hiperidrose é definida como suando mais do que o necessário para regular a temperatura do corpo.

Nos casos de hiperidrose focal (onde apenas certas partes do corpo são afetadas), as partes mais comuns do corpo a ser afetados são o seu:

axilas
palmas das suas mãos
solas dos seus pés
rosto e no peito

Algumas pessoas podem ter apenas uma área do corpo afetada pela hiperidrose, enquanto que para outros vários domínios pode ser afetada. Ambas as partes do corpo são geralmente igualmente afetadas - por exemplo, ambos os pés ou ambas as mãos.

A maioria das pessoas com hiperidrose focal têm pelo menos um episódio de transpiração excessiva por semana. A freqüência de transpiração em pessoas com hiperidrose secundária (onde o estado tem uma causa subjacente) vai depender do que a causa subjacente é.

Não há diretrizes para determinar o que constitui "a transpiração normal", mas se você sentir que você suar excessivamente e ele começou a interferir com as atividades diárias do cotidiano e da vida social, você poderá ter hiperidrose.

Por exemplo, você pode ter hiperidrose se:

Você está relutante em apertar a mão de alguém ou ter outro contato físico devido ao sentimento de auto-consciente sobre sua transpiração.
Você está relutante em participar em atividades, como dança ou exercício, por medo de que eles vão fazer o seu suor pior.
Você está achando que a transpiração excessiva está a interferir com o seu trabalho - por exemplo, você tem dificuldade para manter ferramentas ou usando um teclado de computador.
Você está tendo problemas com atividades diárias normais, como dirigir.
Sua tentativa de lidar com a transpiração ocupa uma quantidade significativa de tempo - por exemplo, você precisa ter banhos diários freqüentes e trocar de roupa duas ou três vezes por dia.
Você se torna socialmente retraída e auto-consciente.

Tipos de hiperidrose

A hiperidrose pode:

afetam apenas certas partes do corpo, mais comumente as axilas, mãos, pés ou rosto, o que é conhecido como hiperidrose focal
afetar todo o corpo, conhecido como hiperidrose generalizada

A maioria dos casos de hiperidrose generalizada tem uma causa subjacente, tais como:

ele pode ser um efeito colateral de tomar medicação
pode estar relacionada a uma outra condição, como uma hiperatividade da glândula tireóide.

Os médicos podem se referir a este como hiperidrose secundária.

A maioria dos casos de hiperidrose focal têm nenhuma causa óbvia, embora muitos especialistas acreditam que os problemas com o sistema nervoso pode ser responsável. Os médicos às vezes se referem a isso como hiperidrose primária.

Causas da hiperidrose

A hiperidrose primária

A maioria dos especialistas acreditam que a hiperidrose primária é causada por problemas com o sistema nervoso simpático.

O sistema nervoso simpático

O sistema nervoso simpático controla a maioria das funções do seu corpo que não necessitam de pensamento consciente, como o movimento do alimento através do seu corpo e do movimento de urina fora de seus rins e na bexiga.

O sistema nervoso simpático usa o suor como um termostato. Se ele sente que está ficando muito quente, ele irá enviar um sinal de seu cérebro para os milhões de glândulas sudoríparas em seu corpo para produzir suor. O suor arrefece em sua pele e reduz a temperatura do seu corpo.

Glândulas sudoríparas, conhecidas como as glândulas écrinas, parecem estar envolvidos na hiperidrose. Glândulas écrinas estão presentes nas maiores números em suas axilas, mãos, pés e face, o que pode explicar por que essas áreas são frequentemente afetados por hiperidrose.

Pensa-se que nos casos de hiperhidrose primária, há um problema com a parte do cérebro que regula o processo de transpiração, que resulta no cérebro enviar sinais para as glândulas ecrinas, mesmo embora não haja necessidade de arrefecer o corpo.

A hiperidrose nas famílias

Casos de hiperidrose primária pode funcionar nas famílias, com 1 em 4 de todos aqueles afetados ter um parente próximo da família que era (ou é) afetados pela doença. Isso sugere que uma mutação genética é responsável.

A mutação genética é onde as instruções que são realizadas em todas as células vivas se tornam mexidos, de alguma forma, o que pode perturbar o funcionamento normal do corpo. Algumas mutações genéticas podem ser transmitidas de pais para seus filhos.

Hiperidrose secundária

As causas mais comuns de hiperidrose secundária (onde há uma causa subjacente) incluem:

menopausa - quando os períodos mensais de uma mulher parar, geralmente em torno de 52 anos de idade
glândula tireóide sobre-ativo
estar bêbado de álcool ou "alto" sobre as drogas - especialmente estimulantes, como a cocaína ou ecstasy
retirada de álcool ou drogas (em pessoas que se tornaram viciadas para eles)

Alguns tipos de medicamentos também podem causar sudorese excessiva em algumas pessoas.

Por exemplo:

antidepressivos - em particular, um antidepressivo venlafaxina chamado
tamoxifen - que muitas vezes é usado para tratar o câncer de mama
gonadotropina antagonista da hormona libertadora - que é utilizado para tratar a infertilidade em mulheres e cancro da próstata nos homens

Causas menos comuns de hiperidrose secundária incluem:

alguns tipos de infecções, tais como o HIV ou tuberculose
Doença de Parkinson - uma condição que afeta a forma como o cérebro coordena os movimentos do corpo
distúrbios que se desenvolvem no interior das células do sangue ou da medula óssea, tais como a leucemia ou linfoma (ambos os quais são cancros das células brancas do sangue)

Depressão

Depressão é quando você tem sentimentos de extrema tristeza, desespero ou inadequação que duram por muito tempo.

Obesidade

A obesidade é quando uma pessoa tem uma quantidade anormalmente elevada de gordura corporal.

Glândula tireóide

A glândula tireóide na garganta produz hormônios para ajudar a controlar o crescimento e metabolismo (o processo que transforma os alimentos que ingerimos em energia).

Quem é afetado?

A hiperidrose é uma condição comum. Pensa-se que existem atualmente mais de um milhão de pessoas na Inglaterra que são afetadas por ele.

A hiperidrose primária geralmente começa durante a infância e piorar após a puberdade . Homens e mulheres são igualmente afetados pela doença.

Hiperidrose secundária pode começar em qualquer idade.

A hiperidrose pode ser uma condição muito perturbador e às vezes pode ser debilitante. Pessoas com a doença podem experimentar sentimentos de depressão e ansiedade.

Fonte: www.nhs.uk

Hiperidrose

O que é a hiperidrose?

O suor é necessário para controlar a temperatura do corpo durante os períodos de exercício e no ambiente quente / quente, e é uma resposta normal a um aumento da temperatura ou da ansiedade. Sudorese é regulada pelo sistema nervoso simpático. Em cerca de 1% da população, este sistema é acelerado e trabalha-se a um nível muito elevado, fazendo com que ocorra a transpiração em momentos inapropriados, muito superior à quantidade necessária para manter a temperatura corporal normal. Pode ocorrer em diversas áreas do corpo, e a condição é conhecida como hiperidrose, que significa "transpiração excessiva. Ela afeta igualmente ambos os sexos e todas as raças.

Hiperidrose não é uma condição temporária. Muitas pessoas que sofrem com isso sofreram por muitos anos, muitas vezes desde a infância ou, por vezes, a partir da adolescência. Quente ou frio, a sudorese é constante, bem como o impacto da hiperidrose pode ser grave. Umidade e coloração de roupas, mãos úmidas e sapatos fedorentos encharcadas, incapacidade de segurar objetos, como canetas, aperto de mão frio e úmido, danos aos teclados e dificuldade de lidar com papel e metais, pode fazer uma existência miserável. Você pode constantemente se preocupar em mudar de roupa, de se refrescar, usando absorventes ou furando com roupas pretas ou brancas soltas, e pode evitar fazer amizades ou interagir com as pessoas no trabalho. Os pacientes relatam que eles estão mesmo vergonha de segurar nas mãos daqueles que amam. Solidão, depressão e diminuição da confiança pode resultar.

A transpiração excessiva também pode causar problemas irritantes ou dolorosas na pele.

Fonte: www.hyperhidrosisuk.org

Hiperidrose

Definição

Hiperidrose é a sudorese excessiva que ocorre mesmo quando a temperatura não está quente e você não está se exercitando. Em algumas pessoas que têm hiperidrose, o suor escorre literalmente fora de suas mãos.

Hiperidrose afeta geralmente as palmas das mãos, plantas dos pés e axilas. Além de interromper as atividades diárias normais, a hiperidrose pode causar ansiedade social ou constrangimento.

Uma das primeiras opções para o tratamento envolve o uso de antitranspirantes prescrição-força sobre as áreas afetadas. Em casos graves, o médico pode sugerir a cirurgia ou remover as glândulas sudoríparas ou desconectar os nervos responsáveis pela produção excessiva de suor.

Sintomas

A maioria das pessoas suam quando exercem ou exercer-se, está em um ambiente quente, ou estão nervosos, ansiosos ou sob estresse. A transpiração excessiva experiência com hiperidrose ultrapassa tais transpiração normal.

Hiperidrose afeta geralmente as mãos, pés, axilas e às vezes o rosto. Raramente, todo o corpo é afetado. O suor excessivo pode absorver através da roupa ou escorrer de suas mãos. Episódios geralmente ocorrem pelo menos uma vez por semana, sem uma razão óbvia.

Quando consultar um médico

Consulte o seu médico se:

Suando atrapalha sua rotina diária
De repente você começa a suar mais do que o habitual
Você experimenta suores noturnos, sem motivo aparente

Causas

CausasSuar é um mecanismo do corpo para refrescar-se. Seu sistema nervoso aciona automaticamente suas glândulas sudoríparas quando a temperatura do corpo aumenta. Suar também ocorre normalmente, especialmente nas palmas das mãos, quando você está nervoso.

Na hiperidrose, os nervos responsáveis por desencadear suas glândulas sudoríparas se tornar hiperativa e pedem mais transpiração, mesmo quando não é necessário. O problema se agrava se você está sob estresse ou nervoso.

O tipo de hiperidrose, que ocorre principalmente nas palmas das mãos e plantas dos pés podem ter um componente genético, porque, por vezes, grupos de famílias.

Se você tem sudorese excessiva em todo o corpo, pode ser causado por um fator de saúde subjacente, tais como:

Certos medicamentos
Menopausa afrontamentos
Baixo nível de açúcar no sangue
Hiperfunção da glândula tiróide
Alguns tipos de câncer
Ataque cardíaco
Doenças infecciosas

Complicações

As complicações da hiperidrose incluem:

Infecções. Pessoas que suam em bicas são mais propensos a infecções de pele. Estas infecções podem variar de micose de verrugas.
Outras condições de pele. Determinadas condições de pele, como eczema e erupções cutâneas, ocorrem mais frequentemente em pessoas com hiperidrose. A transpiração excessiva pode piorar a inflamação da pele.
Os efeitos sociais e emocionais. Tendo as mãos úmidas ou gotejamento e roupas encharcadas de suor pode ser embaraçoso. Palma suor pode mergulhar em papelada, afetando atividades ocupacionais e educacionais.

Fonte: www.mayoclinic.com

Hiperidrose

Hiperidrose (Excesso de Suor)

O que é?

Hiperidrose é um excesso desagradável de suor, em uma ou várias partes do corpo. A Hiperidrose definida como sudorese que ultrapassa a necessidade de termoregulação ( controle da temperatura corporal) , é uma condição benigna, mas que pode trazer desagrado a seus portadores. É uma afecção não muito rara, atingindo até 1% da população. Pode-se imaginar que numa cidade como São Paulo, com 12 milhões de habitantes, existam 120.000 pessoas com esse problema. Provavelmente todos têm em seu círculo familiar, profissional ou de amizade alguém que apresente Hiperidrose. Às vezes isso não é tão visível , porque por constrangimento ou desconhecimento , as pessoas não gostam de revelar a sua presença. As pessoas que tem Hiperidrose podem apresentar um aumento de sudorese em situações inexplicáveis e sem qualquer causa aparente. Este aumento pode aparecer na axila, nas mãos, nos pés, no rosto ou em qualquer outra parte do corpo. Às vezes, embora nem sempre, emoções podem piorar o processo de Hiperidrose. As pessoas podem se tornar inseguras, achando que está tensa, ou que os outros pensem que está sob forte tensão emocional. Embora a Hiperidrose possa se manifestar e piorar pela presença da emoção, é errado dizer que ela ocorre por motivos psicológicos. Em outras palavras, para uma mesma emoção , uma pessoa sem Hiperidrose não apresentaria excesso de sudorese, enquanto outra com Hiperidrose pode manifestar este excesso. Entretanto, a presença de Hiperidrose ao longo dos anos , acaba gerando tensão emocional e que realimenta o processo, em um ciclo vicioso, onde as alterações emocionais começam a se intensificar , tornando o convívio com a Hiperidrose uma condição difícil para muitas pessoas. Mas a Hiperidrose pode também aparecer sem que tenha ocorrido qualquer emoção, ou mesmo sem qualquer motivo aparente, o que é causa de constrangimento emocional, passando a imagem de um grande descontrole emocional, quando na realidade ele não existe em tal grau. Em algumas pessoas aparece em baixas temperaturas ambientais e em outras em altas temperaturas.

Sinais e Sintomas

A maioria das pessoas, que não tem Hiperidrose, e mesmo alguns profissionais de saúde e familiares, não sabem quantificar o tamanho do incômodo que ela causa aos seus portadores. Embora não configure um problema de saúde grave, só os que a tem podem aquilatar o grau de desagrado por ela provocado, e a maioria se refere ao excesso de suor como um grande problema.   A Hiperidrose atinge homens e mulheres e se manifesta em várias idades. As pessoas que apresentam Hiperidrose geram suor nas mesmas condições e sob os mesmos estímulos que os outros pacientes, só que em quantidade maior. Por outro lado, podem gerar suor, mesmo em condições onde outras pessoas não o apresentariam, como com pequenas emoções e mesmo com temperatura normal. Isso acaba gerando um processo de ansiedade que realimenta a Hiperidrose. O que ocorre na verdade, é que a Hiperidrose é um grande incômodo para os seus portadores, e isso provoca problemas psicológicos, que são, então, conseqüência e não causa da Hiperidrose. . Muitos pacientes referem que a Hiperidrose se manifestou ou piorou quando submetidos a pressões de responsabilidade profissional e/ou afetiva, quando adultos jovens ou na adolescência. Os portadores de Hiperidrose Axilar (axilas) se queixam de roupas excessivamente molhadas, manchadas e danificadas, aspecto de má higiene, impressão de descontrole emocional e falta de adaptação aos trajes necessários para o trabalho. Os portadores de Hiperidrose Palmar (mãos) se queixam de dificuldades para manusear papéis, em trabalhos manuais de diversos tipos, tocar instrumentos, digitar computadores, cumprimentar com um aperto de mão, no contato afetivo, para dirigir e para a prática de esportes. . Os portadores de Hiperidrose Plantar (pés) se queixam de umidade exagerada,, facilidade para adquirir micoses (frieiras) e sensação de que os pés escorregam por dentro do sapato.

Tratamentos

Tratamento eficientes para a Hiperidrose,  é a Toxina Botulínica . Uma nova técnica, muito moderna, sem riscos, a Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport ), foi adicionada ao tratamento da Hiperidrose. A aplicação da Toxina Botulínica na mão, na axila ou em outros locais elimina completamente o suor. O procedimento é realizado sem internação, no ambiente do consultório médico, e o paciente pode retornar as suas atividades normais no mesmo dia. O Tratamento com a Toxina Botulínica não e definitivo , mas reaplicações podem ser feitas, em media a cada 6/12 meses, dependendo do caso, o que mantém a região tratada sem sudorese. A vantagem da a Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport ) , é que apresenta quase nenhum risco, e não é cirurgia, a desvantagem é que não é definitivo. Considerando a ausência de risco e complicações e facilidade do procedimento, preferimos a Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport ) à Simpatectomia em nossa Clínica. A Toxina Botulínica tem vantagens inegáveis sobre as técnicas cirúrgicas. Pode ser aplicado nas mãos e axilas, na região frontal do rosto, em regiões do pescoço e em pequenas áreas do tórax , com riscos praticamente desprezíveis. O grupo Médico da Clínica Naturale apresentou no Brasil, os primeiros trabalhos científicos à respeito da Toxina Botulínica e Hiperidrose.

Nosso Tratamento

Melhor opção é a a Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport ) , o que nós preferimos,

O Tratamento com Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport )

Apesar de desagradável, a Hiperidrose é uma afecção benigna, e quaisquer procedimentos que envolvam riscos desproporcionais ao problema devem ser descartados como forma de tratamento. Em anos recentes, a Toxina Botulínica , começou a ser dominada, e vem sendo utilizada, com segurança, com amplas indicações, entre elas o controle da Hiperidrose. A Toxina Botulínica parece ser uma alternativa segura e simples para o controle da sudorese excessiva. O primeiro relato de abolição de sudorese por uso de Toxina Botulínica farmacológica foi feito em um estudo dos EUA, de 1995, onde um voluntário médico, se auto -injetou 1 unidade de toxina botulínica A no subcutâneo do antebraço e conseguiu com isso abolição da sudorese. Atualmente a Toxina Botulínica vem sendo utilizada para controle da Hiperidrose palmar e axilar e de outras localizações. O Tempo de ação varia de 4 à 12 meses, dependendo do caso e do local aplicado.As reaplicações repetem os resultados na imensa maioria das vezes. A  O BOTOX® já é um produto muito conhecido, embora existam outros como o Dysport e o Myoblock. É uma substância já utilizada pela medicina há muito tempo. Em grandes doses é um poderoso veneno , em pequenas doses é um maravilhoso medicamento. A a Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport ) é utilizado para o tratamento de contrações musculares, rugas, cefaléia, espasmos, paralisias espasticas, hiperatividade de esfincters e muitas outras aplicações. Recentemente se descobriu uma outra utilidade, que é o controle da Hiperidrose.

Quando aplicado na pele, a Toxina Botulínica desliga o nervo da glândula sudorípara. É como se desligasse a luz no interruptor da parede. O nervo fica absolutamente normal e a glândula de suor também, mas não há passagem do estímulo que provoca o suor. Como a Hiperidrose é apenas uma abundância de suor, a Toxina Botulínica é capaz de abolir temporariamente a Hiperidrose. Como o nervo fica íntegro e a glândula de suor também, após um período de tempo, que depende do local onde a Toxina Botulínica foi aplicada no corpo, ocorre uma religação do nervo na glândula, e o estímulo nervoso volta a agir e o suor retorna. Mas a a Toxina Botulínica ( BOTOX® / Dysport ) pode ser reaplicada, que o desaparecimento da Hiperidrose vai novamente ocorrer

Fonte: www.marciafino.com.br

Hiperidrose

A produção de suor é regulada pelo sistema nervoso autônomo simpático e tem relação direta com o controle da temperatura do organismo. Sudorese excessiva e constante provocada por hiperatividade das glândulas sudoríparas caracteriza os quadros de hiperidrose, que podem aparecer na infância, adolescência ou na idade adulta.

A hiperidrose pode ser primária, também chamada de essencial, ou secundária, quando aparece em decorrência de outras doenças, entre elas hipertireoidismo, diabetes, obesidade e alterações hormonais.

Elevação da temperatura-ambiente, prática de exercícios físicos, reações emocionais e psicológicas podem explicar o aumento na produção de suor, mas não a hiperidrose primária, uma doença com características genéticas e diretamente relacionada com o estresse e a instabilidade emocional. A incidência é maior em pessoas da mesma família.

A enfermidade parece acometer mais as mulheres (60%) do que os homens (40%). Esses números, porém, são questionáveis, uma vez que elas costumam procurar atendimento com mais frequência do que os homens.

Sintomas

A hiperidrose pode manifestar-se nas mãos, pés, axilas, rosto, sob as mamas, na região inguinal e no couro cabeludo, partes do corpo que contém maior número de glândulas sudoríparas. Nas hiperidroses primárias de fundo emocional, os sintomas desaparecem durante o sono ou sedação.

Diagnóstico

O diagnóstico é clínico baseado nos sintomas, na história do paciente e deve avaliar a hipótese de hiperidrose secundária provocada por alguma doença de base.

Tratamento

O tratamento costuma ser clínico ou cirúrgico. Nos casos mais leves, podem ser indicados medicamentos por via oral e de uso tópico. A aplicação de toxina botulínica (botox) também ajuda a controlar a sudorese excessiva.

Quadros mais graves, porém, podem exigir intervenção cirúrgica para a retirada das glândulas sudoríparas das axilas, ou de gânglios da cadeia simpática (simpatectomia) por via videoendoscópica.

Recomendações

A hiperidrose não é uma doença grave, mas pode comprometer qualidade de vida e ter implicações nas atividades sociais, escolares ou profissionais. Procure assistência médica para fazer o tratamento indicado para seu caso;

Tratar a hiperidrose é uma forma de corrigir a produção excessiva de suor, mas não vai acabar com o estresse nem com a instabilidade emocional. Não se recuse a encarar um acompanhamento psicoterápico;

A cirurgia para controle da hiperidrose é realizada através de duas pequenas incisões, quase não deixa cicatrizes e pode representar a cura definitiva para os casos graves da doença.

Fonte: drauziovarella.com.br

Hiperidrose

Conceito, Incidência, Quadro Clínico

O suor é necessário para o controle da temperatura corpórea, especialmente durante o exercício ou sob temperaturas mais elevadas do ambiente. A sudorese é regulada pelo sistema nervoso autônomo simpático. A hiperatividade das glândulas sudoríparas levam à perspiração excessiva. Esta condição é conhecida como hiperidrose.

A hiperidrose é situação relativamente freqüente, com incidência relatada entre 0,6 a 1 % da população. Não se tratando de doença grave, quanto a risco de vida, trata-se de situação extremamente desconfortável, que causa profundo embaraço social e transtornos de relacionamento e psicológicos no portador, que freqüentemente se isola socialmente e adquire hábitos procurando esconder o seu problema. Curiosamente, por diversos fatores, uma parcela ínfima dos pacientes tem seu problema resolvido e tratado de forma eficaz e duradoura.

A hiperidrose pode ser primária ou secundária a uma doença de base como hipertiroidismo, distúrbios psiquiátricos, menopausa ou obesidade. No presente trabalho focalizamos a abordagem terapêutica da hiperidrose primária.

O início dos sintomas pode ocorrer na infância, na adolescência ou somente na idade adulta, por razões desconhecidas. Eventualmente podemos encontrar história familiar.

Os pacientes referem sudorese constante, as vezes inesperada, mas a maioria deles relata fatores agravantes. Os fatores desencadeantes da sudorese excessiva são o aumento da temperatura ambiente, o exercício, a febre, a ansiedade e a ingestão de comidas condimentadas. Geralmente há melhora dos sintomas durante o sono. O suor pode ser quente ou frio, mas a sudorese é constante. Pode afetar todo o corpo ou ser confinada à região palmar, plantar, axilar, inframamaria, inguinal ou cranio-facial.

A sudorese excessiva e constante é uma condição constrangedora, desagradável, que dificulta as atividades do dia-a-dia e interfere no trabalho, no lazer e nas atividades sociais. Atividades diárias como escrever, apertar a mão de outra pessoa, segurar papéis, e outras atitudes simples podem ser adversamente afetada pela hiperidrose. Quando o quadro de hiperidrose é grave, ocorre gotejamento espontâneo na região afetada. Nos casos mais graves, a pele pode ficar macerada ou mesmo fissurada. Quando a sudorese é mais intensa na região axilar, outros sintomas desagradáveis são relatados. O exsudato pode causar odor fétido (bromidrose). O odor fétido é causado pela decomposição do suor e debris celulares de bactérias e fungos. Assim, pode contribuir para o aparecimento e manutenção de outras doenças de pele como infecções piogênicas, fúngicas, dermatite de contato, etc.

Opções de tratamento clínico

Classicamente, a hiperidrose foi tratada de diversas formas, dependendo da intensidade dos sintomas.

As opções de tratamento clínico incluem:

Uso de antiperspirantes e adstringentes (cloreto de alumínio em álcool etílico, solução de glutaraldeído 2%, etc.). Estes produtos devem ser aplicados sobre a pele seca, após banho frio, imediatamente antes de deitar-se. Apresentam o inconveniente de causar dermatite de contato ou deixar a pele com coloração amarelada.

Uso de talco ou amido de milho natural (para os casos mais leves): deve ser aplicado entre os dedos, sob as mamas ou em pregas da pele.

Banho com sabonete desodorante: seu uso prolongado pode levar à dermatite.

Não calçar o mesmo par de sapatos por dois dias seguidos; utilizar palmilhas absorventes, que devem ser substituídas freqüentemente.

Tratamento medicamentoso sistêmico, com drogas antidepressivas, ansiolíticas e anticolinérgicas: estas drogas proporcionam apenas alivio parcial e apresentam efeitos colaterais importantes e indesejáveis, como alteração da visão, boca seca, problemas urinários, sedação, etc.

Iontoforese, "biofeedback" e psicoterapia.

Injeções locais de toxina botulínica ("Botox") duração de 4-6 meses e com uso limitado a áreas de pequena extensão, o que é raro.

Como podemos notar, as opções de tratamento clínico são pouco satisfatórias, as vezes desconfortáveis e necessitam ser utilizadas por um período indeterminado.

Recentemente, a introdução da Simpatectomia Torácica por Videotoracoscopia revolucionou o tratamento da hiperidrose. Em pouco tempo, esse procedimento assumiu a posição de tratamento seguro, definitivo e pouco invasivo no tratamento dessa condição.

Simpatectomia Torácica Videotoracoscópica

Histórico

Há muitos anos sabe-se que a simpatectomia cervico-torácica poderia eliminar os sintomas da hiperidrose palmar. A presença de complicações sérias após a operação convencional principalmente a Síndrome de Horner causada pela lesão do gânglio estrelado ( ptose palpebral, enoftalmia, miose) fez com que esse procedimento fosse pouco utilizado no tratamento da hiperidrose. A simpatectomia torácica convencional foi pouco utilizado pois envolvia a realização de uma toracotomia tradicional, posterior, aberta, invasiva (cirurgia de porte considerável) com todos os seus riscos, para o tratamento de uma condição benigna. Esta via de acesso apresenta desvantagens como a necessidade de internação hospitalar mais prolongada, com demora no retorna às atividades habituais, dor no período pós operatório e resultado estético pouco satisfatório.

Na década de 90, com o advento da videotoracoscopia e a sistematização de suas indicações possibilitou que esse procedimento fosse indicado e utilizado com significante benefício para os pacientes. Com a videotoracoscopia, através de pequenas incisões, o cirurgião pode retirar ou destruir a porção da cadeia simpática que interessa no tratamento da afecção. É método seguro, pois permite a abordagem precisa, sob visão direta, poupando as estruturas vizinhas, particularmente o gânglio estrelado. O resultado é imediato e duradouro. O paciente recebe alta no dia seguinte à operação e retorna rapidamente a suas atividades habituais.

Indicação Cirúrgica

A simpatectomia torácica pode ser utilizada no tratamento da hiperidrose palmar e axilar, na distrofia simpática reflexa, em casos selecionados de isquemia grave de membro (doença vascular periférica embólica ou aterosclerótica), doença de Raynaud e causalgia. Os melhores resultados são encontrados no tratamento da hiperidrose primária. Os pacientes portadores de hiperidrose primária grave, geralmente já tentaram inúmeros tipos de tratamento conservador, prescritos por vários clínicos, dermatologistas e até psiquiatras.

O procedimento está contra-indicado nos pacientes portadores de hiperidrose secundária, nos pacientes portadores de insuficiência respiratória ou cardiovascular grave (impossibilidade de ventilação monopulmonar durante o procedimento) e nos pacientes com seqüela de doença pleural (tuberculose, empiema).

Técnica Operatória

O paciente pode ser internado na véspera ou no próprio dia da operação.

A simpatectomia toracoscópica é realizada na sala de operação, onde o paciente é inicialmente monitorizado e anestesiado. Utilizamos a anestesia geral e intubação brônquica, com o paciente em decúbito dorsal horizontal. Durante todo o procedimento, o paciente é monitorizado com pressão arterial média não invasiva, cardioscópio, saturômetro de pulso e capnógrafo.

O procedimento operatório pode ser realizado com o paciente em decúbito lateral ou dorsal horizontal com abdução dos membros superiores, de maneira a formar um ângulo de 90º com o tórax (casos de abordagem bilateral).

No procedimento clássico, com ressecção da cadeia simpática de T2 a T4, o equipamento necessário para a operação consiste de uma óptica rígida de 5 a 10 mm de diâmetro, com ângulo de 0º, câmera e o monitor de vídeo para visibilização do campo operatório.

Os instrumentos utilizados são: uma tesoura tipo Metzenbaum de 5mm de diâmetro acoplada ao termocautério, uma pinça hemostática (dissector) curva de 5 mm de diâmetro e um aspirador/irrigador. Utilizamos por vezes aplicadores de clip laparoscópico e um afastador retrátil.

Na operação clássica, após o bloqueio pulmonar, três pequenas incisões são realizadas nos espaços intercostais da região axilar. Por uma das incisões é introduzido o endoscópio para visualizar o campo operatório, e pelo outros dois orifícios são introduzidos os instrumentos necessários para realizar a operação. Após a realização da primeira incisão (3º ou 4º espaço intercostal, linha axilar média), a câmera é inserida, para visualizar a abertura e introdução dos outros ports e instrumentos.

O procedimento começa com exploração da cavidade pleural e liberação de eventuais aderências. A cadeia simpática é então visibilizada sob a pleura parietal que reveste da 1º a 4 º costela. Pode-se então identificar os gânglios responsáveis pela área afetada por hiperidrose. Estes gânglios serão removidos, após abertura da pleura parietal e dissecção dos mesmos. Para revisão da hemostasia, utilizamos lavar o leito operatório com soro fisiológico. Um dreno pleural 20 ou 24F é colocado por um dos "ports" e posicionado endoscopicamente. Os instrumentos são retirados, o pulmão é insuflado e as incisões são fechadas com fio absorvível. O procedimento é repetido no outro hemitórax.

Hiperidrose

Esse procedimento dito "convencional" tem sofrido diversas modificações, sempre tentando tornar o procedimento mais simples e rápido. No nosso grupo, temos utilizado de rotina apenas duas incisões de 5mm, dissectores mais finos e a dremagem pleural tem sido dispensada. A disponibilidade de opticas de 2mm com qualidade de imagem bastante aceitável (Minisite, USSC) fez com que alguns cirurgiões desenvolvessem técnica com único orifío, como uma perfuração de agulha ("needlescopic sympathicotomy"). Claro que com esta técnica, o cirurgião apenas destroi com eletrocoagulação, ou laser, o gânglio T2.

Hiperidrose

Pós Operatório

Ao término do procedimento, o paciente é encaminhado a sala de recuperação anestésica, onde é realizado radiografia de tórax. Após alta da recuperação anestésica, o paciente é encorajado a deambular no quarto, e a iniciar dieta liquida. Administramos analgésicos por via oral nos primeiros dias do período pós-operatório.

O paciente é orientado para exercícios respiratórios inspiração profunda e sustentada.

Na ausência de complicações, o paciente pode receber alta no dia seguinte à operação.

O paciente pode retornar a suas atividades habituais dentro de poucos dias, no máximo dentro de 7 a 10 dias.

As cicatrizes são muito pequenas, quase imperceptíveis e não há pontos na pele para serem retirados.

Resultados Cirúrgicos

Os resultados são dramáticos. As extremidades superiores (membros superiores e axilas) encontram-se secos e quentes assim que o paciente recupera-se da anestesia em 95% dos casos. Os pacientes referem que pela primeira vez, em muitos anos, as mãos estão secas e quentes. Em 70% das vezes, o mesmo ocorre em relação à hiperidrose plantar e craniofacial. Podemos notar ainda, melhora em relação à palpitações e taquicardia. Os resultados são geralmente permanentes.

A melhora na qualidade de vida é indiscutível.

Efeitos Colaterais e Complicações

Em 20 a 50% dos pacientes, pode ocorrer hiperidrose compensatória. Trata-se de um aumento da sudorese em outras partes do corpo, geralmente no dorso e coxas. Provavelmente representa uma resposta termo-reguladora do organismo (GJERRIS & OLESEN, 1975).

Esta condição é tolerável para maioria dos pacientes: cerca de 10% apenas queixam-se desta perspiração excessiva, mas a toleram melhor que a sudorese palmar. Na maioria dos casos, o quadro melhora com o passar do tempo (aproximadamente 6 meses) ou o paciente aprende a conviver com ela (ADAR 1994, LEAO et al, 1999). Acredita-se que a ressecção mais econômica da cadeia simpática possa resultar em hiperidrose compensatória menos acentuada (GOSSOT, 1995, KAO et al., 1996).

A nevralgia intercostal esta relacionada ao trauma de costelas e feixe vasculo-nervoso por trocaters, lesão térmica ou uso de dreno pleural pós operatório.

A síndrome de Claude- Bernard-Horner (ptose palpebral, miose, enoftalmia) é complicação rara, relacionada à lesão do gânglio estrelado. Sua ocorrência é extremamente baixa nas mãos de um cirurgião experiente.

O pneumotórax residual pós operatório é uma complicação possível, que na maioria das vezes, resolve-se espontaneamente (é absorvido), não necessitando intervenção específica.

O hemotórax, a lesão do parenquima pulmonar, do plexo braquial e a infecção da ferida operatória também são complicações possíveis, embora bastante raras.

Conclusão

A simpatectomia videotoracoscópica tem se mostrado o único método eficaz para curar a hiperidrose moderada e grave de mãos e faces. É o método de escolha, especialmente se outras opções terapêuticas já foram testadas, sem resultado satisfatório. Constitui-se também em método eficaz para o tratamento do "blushing facial".

A técnica endoscópica é extremamente segura e eficaz, pois conduz à cura definitiva em quase 100% dos casos.

Perguntas mais frequentes

O que é a Hiperidrose Palmar?

É uma situação clínica onde existe uma sudorese excessiva, principalmente nas palmas das mãos e nas plantas dos pés. O portador da doença tem as mãos sempre molhadas, geralmente, chega a pingar suor e tem a planta dos pés molhadas, situação extremamente desconfortável, que impede o uso de meias comuns.

Pode haver perda significante de líquido.

Qual a causa da doença?

A "causa" da hiperidrose primária é desconhecida. Sabe-se que a transpiração (sudorese) é essencial para a vida. O controle das glândulas sudoríparas é feito pelo sistema nervoso autônomo. Na hiperidrose parece ocorrer uma hiperestimulação das glândulas sudoríparas pelo sistema nervoso autônomo, simpático.

Quem pode ser acometido pela doença?

Ocorre em ambos os sexos e desde a infância. Parece que a incidência da hiperidrose situa-se entre 0,6 a 1% da população. Ocorre em todas as raças, mas há evidências também de incidência um pouco maior em judeus e orientais.

Como é a cirurgia?

A operação toracoscópica é feita sob anestesia geral , são feitos dois ou três pequenos orifícios no tórax, por onde são introduzidas a óptica e o material de trabalho. A vídeo toracoscopia permite identificar por dentro do tórax a cadeia simpática, e nos permite retirar ou destruir seletivamente a porção que interessa (geralmente T2 a T4 na hiperidrose). O risco de lesão do gânglio estrelado (e síndrome de Horner como complicação - que era o grande problema da cirurgia "aberta") é praticamente nulo. Não há necessidade de uso de drenos torácicos no pós operatório. A cirurgia pode ser realizada em ambos os lados em uma única sessão e os pacientes têm tido alta no dia seguinte à operação.

Os resultados são imediatos?

A técnica da simpatectomia videotoracoscópica tem propiciado resultados excelentes na sudorese palmar (98%); em cerca de 70% dos casos também melhora a sudorese na planta dos pés. A melhora é imediata, já observada na sala de operação. No pós operatório, é impressionante a felicidade dos pacientes. Na verdade, parece que depois de tanto tempo experimentando de tudo, já não acreditavam que teriam seu problema resolvido. Não há evidências de recidiva do problema, desde que a técnica adequada seja utilizada.

Há complicações da operação?

Apesar de tratar-se de operação com anestesia geral, os riscos são os normais para operações desse porte. No passado, o grande temor da simpatectomia cervico toracica era a lesão do ganglio estrelado (T1) que produzia a Síndrome de Horner, com queda da pálpebra, pupilas contraídas, etc. Com a moderna técnica videotoracoscópica, essa complicação virtualmente desapareceu, pois apenas região responsável pela sudorese excessiva é destruída com precisão.

Cerca de 50% dos pacientes operados apresentam no pós operatório a chamada "sudorese compensatória", geralmente no dorso e o abdômen. A maioria dos pacientes acostuma-se rapidamente com essa situação, que tende a normalizar-se dentro de 6 meses.

A cirurgia deixa marcas anti-estéticas?

Do ponto de vista estético as incisões da videotoracoscopia são bastante pequenas, geralmente sob a axila. Mais recentemente, com o advento de ópticas e equipamento de menor diâmetro, a simpatectomia torácica toracoscópica está sendo realizada com incisões ainda menores, que nem necessitam sutura na pele.

Fonte: www.unifesp.br

Hiperidrose

Transpiração excessiva (hiperidrose)

A transpiração excessiva é um problema comum, especialmente das palmas das mãos, axilas e plantas dos pés. Ele pode ser angustiante e pode ter um sério impacto sobre sua vida. Em alguns casos, as pessoas afetadas evitar o contato social com os outros por causa do constrangimento sobre o problema.

No entanto, a condição é normalmente tratável.

Qual é a transpiração excessiva?

Transpiração normal ajuda a manter a temperatura corporal constante no tempo quente, durante uma febre, ou durante o exercício. A transpiração excessiva (hiperidrose) significa que você suar muito mais do que normal. Mesmo quando você não está quente, ansioso, ou o exercício, você fazer um monte de suor.

A transpiração excessiva é classificada em três tipos (como se segue). É importante saber qual o tipo que você tem, como as causas e os tratamentos são muito diferentes.

Primária (idiopática) hiperidrose focal

Isto significa que a transpiração excessiva ocorre em um ou mais dos seguintes locais focais: palmas das mãos, plantas dos pés, axilas (axilas); face / couro cabeludo.

Está suar normalmente no resto do corpo. Ela tende a ser simétrica - isto é, as palmas das mãos, os dois pés, as duas axilas, etc, são afetados. A causa exata não é conhecida e não está associada a outras condições. (A palavra significa idiopáticas de causa desconhecida). Parece apenas que as glândulas sudoríparas nestas áreas são hiperativa ou mais sensível do que o normal. Em algumas pessoas, pode ser de família então pode haver algum fator genético envolvido em causar-lo. É geralmente primeiro se desenvolve sob a idade de 25 anos, mas pode ocorrer em qualquer idade. Homens e mulheres são igualmente afetados. É comum e afeta cerca de 3 em cada 100 pessoas.

A severidade pode variar ao longo do tempo. Pode ir e vir e pode ser agravada por desencadeia tais como ansiedade, emoção, alimentos picantes e calor. A ansiedade sobre o próprio suor pode torná-lo pior. No entanto, para a maior parte do tempo, nada evidente desencadeia a transpiração. Ele tende a ser uma doença de longa duração, mas os sintomas melhorarem, em alguns casos, ao longo do tempo.

Se você tiver os sintomas típicos da hiperidrose focal primária, você geralmente não precisa de quaisquer testes. O seu médico pode sugerir um ou mais tratamentos (abaixo) se antitranspirantes normais não funcionam bem.

Hiperidrose focal secundário

Isso é incomum. Isso significa que a transpiração excessiva ocorre numa determinada parte central do corpo. Mas, ao contrário de hiperidrose focal primária, não há uma causa conhecida ou provável. Por exemplo, uma doença da coluna vertebral ou lesão pode provocar a transpiração numa perna. Qualquer transpiração focal que não é simétrico (isto é, em apenas um lado, ou uma perna, etc) podem sugerir uma causa secundária, em vez de hiperidrose focal primário, que é geralmente simétrica. O seu médico pode sugerir alguns testes para procurar uma causa subjacente, se um é suspeito.

Hiperidrose generalizada

Isso significa que você suar mais do que o normal por toda parte. Isso é menos comum do que a hiperidrose focal primária. No entanto, é normalmente causado por uma condição médica subjacente. Uma série de condições podem causar um aumento da sudorese generalizada.

Por exemplo: transtornos de ansiedade, vários problemas cardíacos, danos aos nervos na medula espinhal, os efeitos secundários a determinados medicamentos, vários problemas hormonais (incluindo uma hiperatividade da glândula tireóide), infecções, certos tipos de câncer, etc Se você tem hiperidrose generalizada seu médico É provável que examiná-lo e fazer alguns testes para descobrir a causa. O tratamento depende da causa.

Quais são as possíveis complicações da hiperidrose focal primária?

Apesar de não ser uma condição médica grave, sudorese excessiva pode ser angustiante e constrangedora. Por exemplo, se você tem mau palma suando você tende a ter um frio aperto de mão suada eo suor pode escorrer das mãos para trabalhar os documentos, para teclados de computador, etc Se você tem mau transpiração nas axilas, você pode tornar-se envergonhado pela mancha úmida freqüente que se desenvolve em roupas em seus braços. Você pode precisar de trocar de roupa durante o dia. Você pode evitar o contato social ou evitar a prática de esportes por causa de embaraço sobre a doença.

Outras complicações são incomuns. Em alguns casos, a pele pode tornar-se afetado ferida, irritada e propenso a infecção. Existe o risco de desenvolver um eczema na pele afetada.

Opções de tratamento inicial para a hiperidrose focal primária

Dicas gerais e conselhos

A seguir, pode ser tudo que você precisa, se a condição é leve. Eles podem ajudar a adição a outros tratamentos nos casos mais graves.

Se você achar que os sabonetes irritar a pele afetada, usar um substituto de sabão suave, como uma pomada emoliente (hidratante) ou creme.

Se possível, evitar os gatilhos que podem tornar as coisas piores, como o calor ou comida picante.

Se você tiver axila sudorese:

Tente usar antitranspirantes normais regularmente. (Nota:.... Existe uma diferença entre antitranspirantes e desodorantes antitranspirantes reduzir a liberação de suor, desodorantes máscara odores desagradáveis ??do suor não tem cheiro É apenas roupas suadas que não são alterados, que pode tornar-se mau cheiro)

Evite roupas que mostram mais facilmente se marcas de suor. Como regra geral, roupas brancas e pretas são menos perceptíveis quando molhado que as outras cores.

Use roupas folgadas nas axilas. Evite roupas feitas com fibras sintéticas ou artificiais, como Lycra ® e nylon.

Considere o uso de escudos vestido (também conhecido como axila ou escudos de suor) para absorver o excesso de suor e proteger a roupa delicada ou caro. Estes podem ser obtidos através da Internet ou do Grupo de Apoio Hiperidrose (detalhes de contato abaixo).

Se você tem os pés sudorese excessiva, pode ajudar a:

Troque suas meias, pelo menos, duas vezes por dia.
Use um pó absorvente pé duas vezes por dia.
Usar um par de sapatos diferentes em dias alternados. Isto permite-lhes secar completamente.
Evite tênis ou botas. Estes são muitas vezes menos respirável do que sapatos normais são, por isso são mais propensos a manter o suor dentro

O cloreto de alumínio - um antiperspirante forte

Se antitranspirantes normais não funcionam, vale a pena tentar um antiperspirante que contém cloreto de alumínio. Este é um forte anti-transpirante. Acredita-se que funcionam bloqueando as aberturas dos dutos de suor. Ela tende a funcionar melhor nas axilas. No entanto, também pode funcionar para a transpiração das palmas das mãos e plantas dos pés. Embora possa também trabalhar na face, alguns médicos não recomendam o uso deste no rosto, pois pode causar irritação ocular grave se ele fica em um olho.

Existem várias marcas de alumínio baseados em cloreto de antitranspirantes.

Por exemplo: Driclor ® e Anhydrol Forte ® vêm em uma garrafa com um aplicador roll-on. Zeasorb ® é um pó fino que contém cloreto de alumínio. Você pode comprá-los em farmácias. Alguns também estão disponíveis mediante receita médica. É importante a utilização de alumínio à base de cloreto de antitranspirantes corretamente. Leia as instruções que vêm com o produto que você usa.

Estas geralmente incluem o seguinte:

Aplique sobre a pele limpa e seca. (É mais provável que cause irritação na pele molhada ou úmida.) Por isso, limpe a pele seca com uma toalha ou flanela seca antes de aplicar. Algumas pessoas usam um secador de cabelo para garantir que a pele está seca antes de aplicar.
Idealmente, aplicar durante a noite (dormir) quando as glândulas sudoríparas são menos susceptíveis de ser tão ativo.
Lave-a na manhã seguinte.
Não raspar a área 24 horas antes ou depois da utilização.
Evite ficar nos olhos, e não se aplicam sobre a pele irritada ou inflamada.
Alguns médicos não recomendam que você aplique este tratamento para o seu rosto.
Aplicar a cada 24-48 horas, até que a condição melhora. Em seguida, aplique uma vez a cada 1-3 semanas, dependendo da resposta. (Pode demorar algumas semanas para construir o seu efeito. Isso é porque ele é pensado para obstruir gradualmente o glândulas sudoríparas que provoca uma redução gradual na transpiração.)
Se for bem sucedido, o tratamento pode ser continuado indefinidamente. Você só precisa aplicá-lo uma vez a cada 1-3 semanas para manter a transpiração sob controle.

Nota: antiperspirantes de cloreto de alumínio, muitas vezes causar irritação na pele ou inflamação. Se isso ocorrer, é muitas vezes ainda vale a pena perseverar, se a irritação é tolerável que o benefício pode superar a irritação.

Para reduzir os efeitos de qualquer inflamação ou irritação da pele que podem ocorrer:

Reduzir a freqüência de uso, e / ou
Aplicar um emoliente (hidratante) todos os dias depois da aplicação do cloreto de alumínio, e / ou
Aplicar um curso breve de um creme esteróide suave, tal como a hidrocortisona 1% na área afetada duas vezes por dia durante um máximo de 14 dias. (Cremes esteróides reduzem a inflamação).

Outros tratamentos para hiperidrose focal primária

Se as medidas gerais acima e tratamentos antitranspirantes não funcionam, o seu médico pode sugerir que encaminhá-lo para ver um dermatologista (um especialista da pele). O especialista pode sugerir um dos seguintes tratamentos.

Iontoforese

Este é um tratamento que utiliza a estimulação eléctrica. Ele é usado principalmente para tratar a transpiração das palmas das mãos e / ou plantas dos pés. Ele também pode ser usado para tratar a transpiração nas axilas. Ele funciona bem na maioria dos casos. O tratamento envolve a colocação das áreas afetadas (geralmente mãos e / ou dos pés) para dentro de um pequeno recipiente cheio de água. Uma pequena corrente eléctrica é então feita passar através da água de uma máquina especial. Não é perigoso, mas pode causar algum desconforto ou uma sensação de alfinetes e agulhas. A forma exata o que ajuda a tratar a transpiração não é conhecido. Ela pode ajudar a bloquear as glândulas sudoríparas de alguma forma.

Você geralmente precisa de 3-4 sessões de tratamento por semana. Cada sessão de tratamento dura 20-40 minutos. A maioria das pessoas vê uma melhora depois de 6-10 sessões. A manutenção do tratamento é, então, geralmente necessária uma vez a cada 1-4 semanas para manter os sintomas de distância. Se o tratamento não funciona com água da torneira, uma droga chamada brometo glycopyrronium é adicionada à água. Isto pode melhorar a taxa de sucesso. No entanto, a iontoforese não funciona em todos os casos. Além disso, algumas pessoas desenvolvem efeitos colaterais do tratamento, como uma boca e garganta seca ou inflamada, e tonturas, por até 24 horas após cada episódio de tratamento.

Até recentemente, a desvantagem para iontoforese que é necessária uma viagem ao hospital para cada sessão de tratamento. Isso pode ser demorado e pouco prático para alguns. No entanto, as máquinas modernas são menores e podem agora ser comprados para uso doméstico. Então, se você achar que esse tratamento funciona para você, talvez você queira considerar a compra de uma máquina para usar em casa. No entanto, você deve seguir o conselho do especialista que recomendou iontoforese para você antes de comprar uma máquina.

Você não deve ter iontoforese se estiver grávida, ou ter um implante de metal (como um pino para corrigir uma fratura), ou se você tiver um pacemaker.

Injeções de toxina botulínica

Esta é uma opção que geralmente funciona bem para a transpiração nas axilas. O tratamento consiste de muitas pequenas injeções sob a pele nas áreas afetadas.

A toxina botulínica deixa os nervos na pele que controlam as glândulas sudoríparas de funcionar. A toxina botulínica não está licenciado para tratar a transpiração das palmas das mãos e no rosto. Isto é porque existe um risco de que as injeções pode parar de alguns dos pequenos músculos nas proximidades das mãos ou face de trabalho.

A desvantagem da toxina botulínica é que o efeito geralmente desaparece após 4-12 meses. Portanto, para continuar a trabalhar, o tratamento deve repetir quando o efeito desaparece.

Algumas pessoas têm sintomas leves de gripe em um ou dois dias após o tratamento. Além disso, os locais das injeções pode ser dolorido por alguns dias após o tratamento. Raramente, uma severa reação alérgica pode ocorrer após uma injeção. Também é muito caro e geralmente não disponível no NHS.

Medicação

Os medicamentos que bloqueiam o efeito dos nervos que estimulam as glândulas sudoríparas são por vezes utilizados. Por exemplo, brometo de propantelina.

Estes medicamentos não são usados com muita freqüência. Isto é porque o sucesso destes medicamentos é variável. Além disso, os efeitos colaterais comumente ocorrem - por exemplo, a boca seca e visão turva. No entanto, para algumas pessoas que trabalham bem e os efeitos colaterais são menores.

Cirurgia

Uma operação é uma opção para as pessoas que não foram ajudados muito por outros tratamentos, ou se outros tratamentos causar efeitos colaterais ou problemas inaceitáveis.

Para a transpiração nas axilas - uma opção é retirar as glândulas de suor na axila. Existem várias técnicas. Por exemplo, uma operação é para cortar a zona da pele na axila que contém as glândulas sudoríparas. Isso geralmente funciona para reduzir a transpiração, mas um número de pessoas que tiveram problemas após esta operação, devido à formação de cicatrizes e perda de toda a gama de movimento do braço. Uma técnica mais recente é o de raspar as glândulas sudoríparas da face inferior da pele através de um corte pequeno orifício na pele. Isto parece dar bons resultados com menos risco de complicações. Uma inovação recente foi a de usar um laser para destruir as glândulas de suor na axila - ablação a laser suor (LSA). Isto pode resultar na formação de cicatrizes menos do que outras técnicas cirúrgicas.

Para a transpiração da palma - uma opção é ter uma operação para cortar alguns dos nervos que correm para o lado da medula espinhal. Esses nervos controlam as glândulas sudoríparas nas mãos. A operação é chamada de simpatectomia torácica. Isso é feito por cirurgia guiada, usando um telescópio especial para localizar o nervo, e, em seguida, para cortar o nervo. A maioria das pessoas está satisfeita com o resultado da operação. No entanto, uma complicação que ocorre frequentemente em consequência desta operação é um aumento compensatório no suor em outras partes do corpo (tal como no peito ou virilhas). Isso pode ser pior do que o problema original em mãos. Devido a este efeito, um número de pessoas que têm esta operação dizer que lamento tê-lo feito.

Antes de se submeter a cirurgia, você deve ter uma ampla discussão com o cirurgião. Ele ou ela vai explicar os prós e contras das diferentes técnicas cirúrgicas, a chance de sucesso (geralmente alta), e os possíveis riscos e complicações. Por exemplo, como em qualquer outro tipo de cirurgia, há um pequeno risco de o anestésico. Além disso, infecção da ferida e danos a outras estruturas vizinhas, embora incomuns, são outras possíveis complicações.

A cirurgia não é normalmente feito para a transpiração das plantas. Embora o corte dos nervos ao lado da coluna vertebral na região lombar pode curar o problema da transpiração, existe um elevado risco de esta função sexual afetando também.

Fonte: www.patient.co.uk

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal