Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Televisão  Voltar

Televisão

 

Do preto e branco à TV de alta definição

A televisão é um dos eletroeletrônicos mais populares do Brasil.

Segundo a PNAD 2005 (Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geogrfia e Estatística), 92% dos domicílios brasileiros têm pelo menos um aparelho de TV.

Desde que chegou ao País, em 1950, a televisão passou por diversas etapas até se tornar popular. Começou tímida, como artigo de luxo e presente apenas em alguns lares. Ganhou cores e tornou-se, novamente, objeto de desejo, graças aos modelos de plasma e LCD, que, de tão finos, até parecem quadros para pendurar na parede.

A próxima grande mudança será a chegada da TV Digital. Quando o sistema estiver implantado, quem tiver um aparelho de TV HDTV (High Definition Television) poderá transformar a telinha da televisão em uma telona de cinema, tamanha será a qualidade de imagem. Confira, a seguir, a evolução da TV.

1950 No dia 18 de setembro é inaugurada a televisão no Brasil, trazida por Assis Chateaubriand. Com o lançamento da TV Tupi, o Brasil foi o quarto país a ter uma emissora de televisão.
1950
Chateaubriand importou 200 aparelhos e os colocou em praças públicas, padarias, museus e outros lugares estratégicos. Os primeiros modelos domésticos começaram a ser vendidos no Brasil.
1950
Apresentado o primeiro controle remoto (com fio).
1954
Surge o primeiro modelo semi-portátil com fabricação nacional. Era feito em São Paulo pela ERGA. Era feita de madeira.
1955
Já são mais de mil TVs vendidas no Brasil.
1956
Brasil registra 1,5 milhão de telespectadores no mesmo ano em que é criado o controle remoto que dispensa fios.
1963
É feita a primeira transmissão experimental em cores no País.
1970
25% dos lares brasileiros já têm TV. A Copa do Mundo é transmitida ao vivo, via satélite.
1972
É feita a primeira transmissão oficial em cores no País. A responsável pela façanha foi a TV Difusora de Porto Alegre, em março. Era a inauguração da Festa da Uva, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.
1974
A mudança das televisões preta e branca para as em cores ganha força.
1980
Surgem as primeiras televisões portáteis leves o suficiente para serem carregadas e ligadas nos mais variados locais.
1980
Popularização do controle remoto.
1982
- Chegada dos vídeos cassetes.
1987
Surgem os modelos de TV estéreo. A Rede Manchete fez a primeira transmissão experimental.
1992
Primeira tela de plasma full color é apresentada ao mundo.
1996
O mundo chega a marca de 1 bilhão de aparelhos televisivos.
1997
Pioneer lança primeiras televisões de plasma no mundo.
2000
TVs de plasma começam a ser vendidas no mercado brasileiro.
2005
Telas com tecnologia LCD de 40 e 45 polegadas são oferecidas ao mercado.
2006
Cai muito o custo das TVs de plasma e LCD.
2006
Definido padrão de TV Digital no Brasil: o padrão japonês foi escolhido

Características dos equipamentos de TV

Preta e Branca

Era feita em madeira.
Possuía sintonizador manual. Botão rotatório.
Não tinha sintonizador de canal em UHF o que limitava o número de canais.
Era necessário deixar o equipamento esquentar.
O som chegava antes da imagem.
A maioria usava tubo de imagem e era bem larga

Colorida

Som e imagem já chegavam simultaneamente.
Começou a usar diversos tipos de material. Até imitação de madeira.
Painel de botões passou a ser sensível ao toque.

LCD

Os tamanhos variam de 13 a 45 polegadas.
Pode ser vista a um ângulo de até 175º.
É mais leve e menos espessa que as TVs de Plasma.
Funciona bem em ambientes com muita luz.
Gasta pouca energia elétrica.
Funciona como monitor para computadores.
Respondem rapidamente a mudanças de cor.

Plasma

Vai de 32 a 63 polegadas.
Pode ser vista a um ângulo de até 160º.
É mais barata que o LCD.
Tem mais contraste que as telas LCD.

Fique por dentro

HDTV "High Definition Television" (Televisão de alta definição)

Leve o cinema para sua casa: diferente das TVs comuns, mais quadradas e na proporção 4:3, o HDTV funciona na proporção 16:9, o chamado widescreen.

Nesse padrão, a largura da imagem é maior que a altura criando uma sensação de imagens cinematográficas.

A qualidade da imagem é mais de duas vezes superior aos monitores analógicos atuais.

Nitidez na imagem: graças à tecnologia Progressive Scan, a resolução vertical da imagem é duplicada, o que a torna mais nítida, estável e com maior riqueza de detalhes.

Widescreen: a expansão 4x3 permite a exibição de filmes widescreen em tela convencional. Chega daquelas barras escuras no alto e embaixo dos filmes. Elas viraram coisa do passado;

Alta qualidade em áudio: Graças ao sistema áudio Virtual Dolby Surround que vem integrado aos televisores HDTV, o nível do som do equipamento é semelhante ao de uma sala de cinema

Setop Box: Além de ser fisicamente parecido com os decodificadores das televisões a cabo, o set-top box tem função semelhante. Como boa parte das TVs não está pronta para receber e converter os sinais digitais em imagens, o cabo que trará este sinal deve passar por esse conversor chamado de set-top box que o transformará em um sinal de imagem compreensível a todos os televisores, sejam eles prontos ou não para TV de alta definição.

Se a sua tela de plasma ou LCD é "HDTV Ready", você não precisará de um setop box o que não garante, porém, que as imagens serão reproduzidas em alta definição. Existem TVs de LCD e plasma no mercado que não têm 768 linhas progressivas ou 1080 linhas entrelaçadas de definição índices que devem ser atingidos para que a imagem seja considerada de alta definição.

Fonte: www.wnews.uol.com.br

Televisão

Televisão (TV) é um meio de telecomunicações utilizado para a transmissão e recepção de imagens e som em movimento.

A televisão pode transmitir imagens que são monocromática ( preto-e-branco ), em cores, ou em três dimensões.

Televisão também pode referir-se especificamente a um aparelho de televisão, programa de televisão, ou transmissão de televisão.

Primeiro comercialmente disponível em uma forma muito rudimentar, em caráter experimental, no final de 1920, então popularizado em uma forma muito melhor logo após a Segunda Guerra Mundial, a televisão tornou-se comum em casas, empresas e instituições, particularmente como um veículo para entretenimento , publicidade e notícias.

Durante os anos 1950, a televisão tornou-se o principal meio para moldar a opinião pública.

Etimologia

A palavra vem de televisão grego antigo (Tele), que significa "agora", e em Latim Visio, que significa "vista".

Televisão

A televisão é sem dúvida um dos inventos que mais modificou a nossa sociedade, pois permite o acesso fácil e rápido a um manancial de informação.

Mas este processo evolutivo está ainda longe de se poder dar como terminado, pois a procura incessante por maior qualidade de imagem e mais possibilidades a nível de interatividade leva ainda hoje a muita investigação nesta área.

Com este trabalho pretendemos dar a conhecer um pouco da sua história, como apareceu, quais os principais inventores que participaram na formação daquilo a que hoje chamamos televisão.

As várias técnicas de transmissão e os vários aparelhos usados para visualizar o sinal recebido fazem também parte deste trabalho.

Hoje em dia assiste-se a uma pequena revolução nesta área com o aparecimento da Televisão Digital, que está ainda a dar o seus primeiros passos, mas promete trazer melhor qualidade de imagem e som. Mas esta mudança vai implicar a troca dos aparelhos convencionais por outros compatíveis com as novas normas, desde os emissores a receptores, aos próprios televisores, o que implica que esta mudança terá que ser gradual e prolongada.

Evolução Tecnológica

Os primeiros passos para a invenção da televisão foram dados ainda no séc. XIX. O trabalho de Joseph Henry e Michael Faraday, na década de 30, no campo do eletromagnetismo, inicia a era da comunicação eletrônica. Na década de 70, as experiências com o selénio e a luz, assim como a construção do protótipo do primeiro tubo de raios catódicos, abre as portas para a construção dos CRTs, base das televisões convencionais.

Em 1884, Paul Nipkow conseguiu enviar imagens através de fios usando um disco de metal giratório, criando assim o conceito de varrimento de imagem.

Nessa altura criaram-se dois caminhos no desenvolvimento dos sistemas de televisão: a televisão mecânica e a televisão eletrônica.

Televisão mecânica

Em 1884 o alemão Paul Nipkow criou o primeiro sistema eletromecânico de televisão, que consistia num disco com um conjunto de buracos em espiral que era colocado entre a cena a digitalizar e uma célula de selénio. À medida que o disco girava, a luz passava pelos buracos e era captada pela célula.

Devido às propriedades elétricas do selénio, a condutividade elétrica deste varia com a luminosidade captada. O sinal eléctrico produzido era conduzido por um fio até ao receptor.

O receptor era composto por uma lâmpada e um disco igual ao primeiro que girava à mesma velocidade. A luz produzida pela lâmpada variava de acordo com a intensidade da corrente recebida, produzindo assim a imagem original.

A resolução da imagem era de apenas 18 linhas. Este sistema é a base da televisão mecânica.

Foi só em 1928 que John Baird construiu a primeira televisão mecânica, um aparelho baseado nos discos de Nipkow.

Televisão eletrônica

Existe uma grande controvérsia acerca de quem inventou a televisão eletrônica. Em 1927, Philo Taylor Farnsworth, com apenas 14 anos demonstrou o primeiro sistema eletrônico para televisão, mas só com a idade de 21 anos é que conseguiu construir um sistema que funcionasse. Esse sistema é a base de todas as televisões atuais de raios catódicos.

Mas há quem diga que o pai da televisão eletrônica é Vladimir Zworykin, devido à sua invenção do iconoscópio, em 1923, e do kinoscópio, em 1929.Com o aparecimento deste tipo de televisão, a televisão mecânica foi posta de parte na década de 30.

Televisão a cores

Em 1940, os investigadores da CBS (Columbia Broadcasting System), umas das maiores emissoras comerciais de televisão nos USA, inventaram uma televisão mecânica a cores.

Esse sistema tinha a desvantagem de ser incompatível com os antigos televisores a preto e branco. O sistema baseava-se num disco rotativo que continha três filtros, um para a cor vermelha, outro para a verde e um terceiro para o azul.

No lado do receptor as cores eram exibidas sequencialmente e dependia da retenção do olho humano para juntar a três cores numa só imagem.

Apesar de ser um sistema prático tinha uma grande desvantagem: para manter a qualidade da televisão monocromática era necessária uma largura de banda três vezes maior.

A CBS só começou a emitir a cores em 1951.

Entretanto a RCA (Radio Corporation of America) começou a desenvolver um sistema sequencial de pontos. Pontos vermelhos, verdes e azuis de fósforo eram depositados numa tela. A existência de três canhões de eletróns, um para cada cor, fazia iluminar os pontos de fósforo. Este processo era sequencial e processava-se a grande velocidade, normalmente a 3,6 MHz.

Como se pode ver pela figura acima, a saída desse sistema era um conjunto de impulsos com uma amplitude proporcional à amplitude da correspondente cor. A venda de aparelhos deste tipo começou em 1954.

Tipos de Televisão

Televisão

CRT

História

Existem vários tipos de aparelhos usados para a visualização do sinal de televisão recebido, mas a tecnologia CRT é sem dúvida a mais usada no momento. O CRT (Cathode Ray Tube) ou tubo de raios catódicos, foi inventado em 1897, pelo físico alemão Karl Ferdinand Braun. Este primeiro CRT é conhecido por Oscilóscopio de raios catódicos.

A tela emitia uma luz quando atingido por um feixe de eletrón. Em 1907, um cientista Russo de nome Boris Rosing usou um CRT num sistema de recepção de televisão para transmitir formas geométricas para a tela , mas foi só em 1929 que surgiu o cinescópio, um tipo específico de tubo de raios catódicos, que iria ser usado para os primeiros sistemas práticos de televisão, desenvolvido por Vladimir Zworykin. Este cientista Russo inventou ainda o iconoscópio em 1923, um tubo usado nas câmaras para transmissão de televisão.

Principio de funcionamento

É introduzida uma corrente nos filamentos existentes no cátodo para os aquecer. Como dentro do cátodo temos vácuo, os eletróns são libertados em forma de feixe. Esse feixe é posteriormente defletido por campos magnéticos para varrer a superfície no ânodo, que está alinhado com material fluorescente.

Quando os eletróns atingem este material, a luz é emitida, formando assim a imagem. Nas televisões e monitores modernos a intensidade no feixe de electrões é modificada para produzir pontos mais ou menos escuros. No caso das televisões a cores, temos três canhões de electróns, uma para cada cor, que depois faz incidir o feixe nos pontos específicos dessa cor. A combinação dos três pontos resulta na imagem final a cores, que estamos habituados a ver nas nossas televisões.

LCD

História

Os LCDs, de cristais líquidos, são dos tipos de tela mais usado hoje em dia, desde as mais básicas telas monocromáticos de 7 segmentos, aos novos e mais evoluídos usados nos monitores mais recentes. Tem a vantagem de ser mais leves e finos que um monitor CRT e gastam muito menos.

A primeira demonstração prática de uma tela LCD aconteceu em 1968 pela mão de George Heilmeier, numa tela baseado na tecnologia DSM (Dynamic Scattering Mode).

Em 1969 James Fergason descobriu o efeito do campo twisted nematic nos cristais líquidos. Em 1971 a sua empresa ILIXCO produziu a primeira tela com esta tecnologia e obteve grande sucesso, pois este novo tipo de tela apresentava uma qualidade de imagem bastante superior à imagem produzida pelos DSMs.

Principio de funcionamento

Esse tipo de ecrã consiste num líquido polarizável, controlado eletronicamente, dentro de células no meio de placas polarizadoras. Antes de se aplicar o campo eléctrico, as moléculas do líquido encontram-se no estado relaxado. Ao aplicar-se um campo elétrico, a orientação dessas moléculas varia de acordo com a intensidade do campo, controlando assim a passagem da luz.

Existem dois modos de funcionamento para os LCDs: o modo transmissivo e o modo refletivo.

Um LCD transmissivo é iluminado num dos lados por uma luz florescente. Deste modo as células ativas bloqueiam a luz enquanto as células inativas deixam passar. Esse tipo de LCD é usado em ambientes com pouco luz.

No modo refletivo, um espelho na parte traseira do LCD reflete a luz ambiente. Esse tipo tem a vantagem de gastar menos energia.

A seleção das células a polarizar é feita por intermédio de uma matriz de contatos, usada para endereçar a coluna e a linha correspondente à célula. Mas este sistema tem uma desvantagem.

Como só um pixel pode ser endereçado de cada vez, esse tem que se lembrar do seu estado até ser endereçado novamente. Isso resulta num contraste reduzido e de fraca resposta em imagem com movimento. A este tipo de matriz dá-se o nome de matriz passiva.

Para LCDs de grande resolução é necessário outro tipo de sistema, denominado por matriz ativa. Esse tipo de LCD é constituído, para além do já indicado em cima, por uma camada de transístores (thin-film transistor). Esse sistema também é conhecido por TFT. Esse sistema tem a capacidade de armazenar o estado de cada pixel até que ele seja endereçado novamente.

Esse tipo de LCD produz imagens mais nítidas e brilhantes. Devido à sua qualidade de imagem e elevada resposta, este tipo de LCD adequa-se ao visionamento de imagens em movimento e é muito usado em monitores de computador e receptores de televisão.

Plasma

O primeiro protótipo de uma tela de plasma foi criado em 1964 na Universidade de Illinois (USA). Inicialmente as telas eram pequenos e a imagem de fraca qualidade. Mas o desenvolvimento tecnológico dos materiais e do seu fabrico, assim como a capacidade de processamento digital, permitiram criar telas de plasma com imagens de grande qualidade.

A grande vantagem desse tipo de tela é a possibilidade de construir televisões de grandes dimensões com uma espessura de apenas alguns centímetros.

As telas de plasma são compostos por um array de células, ou pixéis, cada um formado por 3 sub-pixéis correspondente às cores vermelho, azul e verde. Essas células contêm um gás, normalmente Xeon ou Néon e estão cobertas por fósforo.

A ionização do gás é conseguida aplicando-lhe uma diferença de potencial. Quando isso acontece ocorre a libertação de fotões de luz (na banda do ultravioleta) por parte do gás, que vão interagir com o fósforo contido nas células.

Essa excitação produz a libertação de fotões de luz por parte do fósforo. Variando a intensidade da excitação, varia-se a intensidade da cor do respectivo sub-pixel. Deste modo e combinando várias intensidades de vermelho, azul e verde consegue-se reproduzir cores ao longo de todo o espetro visível.

Ionização do gás

Esse tipo de tela é um possível substituto da tela de televisão convencional que usa o CRT. Esse tipo de tecnologia permite combinar o tamanho e a resolução necessários para o uso do HDTV (High-definition television).

Fonte: www.img.lx.it.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal