Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Império Macedônico  Voltar

Macedônia

O nome

Macedônia

A posição oficial do governo grego é que a palavra Macedónia é grega e só devia ser usada para designar a região do histórico reino da Macedónia, que se encontra quase inteiramente no território da Grécia. No entanto, a Bulgária e a Antiga República Jugoslava da Macedónia, referem-se à parte da Macedónia que faz parte do território grego como "Macedónia Egeia" ou "Macedónia Grega, implicando que a parte grega é apenas uma porção da Macedónia e não a sua totalidade.

História

A história da antiga cultura da Macedônia está vinculada à Grécia e à Anatólia. Segundo estudos arqueológicos, os antepassados dos macedônios se situam no começo da Idade do Bronze. A partir do ano 700 a.C., o povo denominado macedônio emigrou para o leste, a partir de sua terra natal às margens do rio Aliakmón. Aegae foi a capital do reino que, com Amyntas I, se extendeu além do rio Axión até à Península de Calcídica.

A Macedônia alcançou uma posição hegemônica dentro da Grécia durante o reinado de Filipe II, o caolho (359-336 a.C.). Alexandre III (O Grande), filho de Filipe e aluno do filósofo Aristóteles, venceu o Império Persa e levou os exércitos da Macedônia ao norte da África, península Arábica, passando pela Mesopotâmia e chegando até a Índia.

Construído num curto período de 11 anos, o Império Macedônico contribuiu com a difusão da cultura grega no Oriente. Alexandre fundou uma grande quantidade de cidades e promoveu a fusão da cultura grega com a dos povos conquistados, dando origem ao que se conhece por helenismo.

A seguir segue-se um breve resumo da história macedônia:

280 a.C. - invasão de grupos gálatas. Três anos depois Antígono II derrotou os gálatas e retomou a coroa macedônia.
Aprox. 200 a.C. - conquista da Ilíria, estado romano e das cidades romanas de Rodas e Pérgamo. Em 197 a.C. Roma derrotou Filipe V, reconquistando-lhe os territórios perdidos e anexando a Tessália, que em seguida foi reconquistada pelos Macedônios.
168-146 a.C. - conquista romana da Macedônia, trnaformando-a em província do Império Romano.
Idade Média - submissão do território macedônio aos diversos impérios que se sucederam na região (romano, bizantino, búlgaro).
1371-1389 - conquista dos Bálcãs pelos turcos-otomanos.
1864 - divisão da Macedônia pelo Império Otomano em três províncias: Salônica, Monastir e Kosovo.
1893-1897 - desenvolvimento de movimentos nacionalistas macedônios.
1903 - levante macedônio apoiado pela Bulgária foi rechaçado violentamente pelos turcos com a destruição de 105 vilas de macedônios eslavos.
1912-1913 - Guerras dos Balcãs, primeiro contra a Turquia pela divisão dos territórios e depois entre si (Bulgária contra Grécia, Sérvia, Romênia e Turquia, que a derrotaram), o que resultou na divisão do território macedônio entre gregos (região costeira) e sérvios (região central e norte da Macedônia).
Período entre guerras - a macedônia passou a fazer parte do reino sérvio, croata e esloveno.
1945 - criação da República da Iugoslávia. A Macedônia integrou o novo estado como uma de suas seis repúblicas constitutivas.
1991 - em 8 de setembro, um plebiscito decidiu pela separação da Macedônia da Iugoslávia.
1993 - foi admitida em abril como membro das Nações Unidas.

Fonte: pt.wikipedia.org

Macedônia

Depois de submeter a Grécia a seu domínio, o grande império macedônio estendeu sua conquista até a África e a Ásia e levou ao Oriente antigo, em grande escala, a influência da Cultura Helênica. Antigo país, situado ao norte da Grécia, entre a Trácia, a Ilíria e a Peônia, o reino da Macedônia conquistou a hegemonia do mundo grego no século IV a.C. A Macedônia pré-histórica manteve ligações culturais principalmente com a Grécia e a Anatólia. Os primeiros povos a se autodenominarem macedônios remontam ao século VIII a.C., quando partiram de sua região natal, às margens do Rio Haliacmon (Aliakmon), na direção leste, sob a liderança do rei Perdicas I e seus sucessores.

Atuando como súdito da Pérsia, Alexandre I (498-454 a.C.), filho de Amintas I, apoiou a invasão da Grécia e estendeu o poder macedônio até a Trácia, cujas minas financiaram as primeiras moedas da Macedônia. Perdicas II, filho de Alexandre I, travou uma série de guerras civis contra seus irmãos Alcetas e Felipe I, durante às décadas de 440 e 430 a.C.

O apoio ateniense a Felipe I forçou-o a auxiliar os rebeldes de Potidéia, antes de estabelecer um acordo de paz com Atenas, em 431 a.C. Dois anos depois, impediu a invasão da Macedônia por Sitalces, rei da Trácia, e no ano 424 apoiou Brásidas. Outro tratado com Atenas ocorreu em 422 a.C. O controle ateniense das regiões costeiras forçou os governantes macedônios a se concentrarem na unificação dos planaltos e planícies da Macedônia, tarefa completada por Amintas III, que reinou de 389 a 369 a.C. A maior parte do que se conhece da monarquia Macedônia, contudo, deriva do reinado de Felipe II, filho de Amintas III, que governou de 359 a 336 a.C.

Felipe II derrotou atenienses e tebanos na Batalha da Queronéia (338 a.C.) e incorporou a Grécia ao reino da Macedônia. O filho de Felipe, Alexandre III, ou Alexandre o Grande (336-323 a.C.), derrotou o império aquemênida da Pérsia e levou suas tropas até às margens do Nilo e do Indo. Com a morte de Alexandre, seus generais dividiram as satrapias (províncias) de seu império entre si e usaram-nas como base na disputa pelo poder total, que durou de 321 a 301 a.C. A Macedônia, no entanto, continuou como coração do império, e seu controle, bem como o da Grécia, foi objeto de grandes disputas. O regente de Alexandre na Europa, Antípatro, conquistou o controle da Macedônia e da Grécia, que foi mantido por seu filho Cassandro até sua morte, em 297 a.C., quando a Macedônia mergulhou de novo na guerra civil.

Após seis anos sob o comando de Demétrios I Poliorketes (306-283), o reino entrou novamente em crise interna, agravada pela invasão de hordas gálatas vindas do norte. Em 277 a.C., Antígonos II Gonatas, filho de Demetrios, repeliu os Gálatas e foi proclamado rei pelo exército. A Macedônia alcançou finalmente uma monarquia estável com a dinastia antigônida, que dirigiu o país de 277 a 239 a.C. No reinado de Felipe V, de 221 a 179 a.C., e no de seu filho Perseus (de 179 a 168) a Macedônia enfrentou Roma e perdeu a independência.

Os romanos dividiram o país em quatro repúblicas com fronteiras comuns. Depois, a Macedônia passou a província romana e as quatro repúblicas transformaram-se em unidades administrativas. Por volta do ano 400 da era cristã, a província foi dividida em Macedônia e Macedônia Secunda (ou Salutaris).

Fonte: www.nomismatike.hpg.ig.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal