Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  História da Inglaterra  Voltar

História da Inglaterra

Origem da Inglaterra

O nome Inglaterra e uma corruptela do nome inglês England, que se pronuncia Ingland e que significa pais dos Anglos, povo que no século V ao procederem da Alemanha o invadiu e conquistou.

A Bandeira da Inglaterra

História da Inglaterra
Bandeira da Inglaterra

A Bandeira da Inglaterra é composta de três pavilhão, o primeiro era do tempo das cruzadas, ou seja, a bandeira de São Jorge que tinha uma cruz vermelha em campo branco. Depois reuniu-se-lhe a bandeira escocesa de Santo André, uma espécie de cruz diagonal branca sobre o fundo azul, e mais tarde a bandeira de São Patrício, irlandesa, cruz diagonal vermelha em fundo branco. Desta maneira na bandeira britânica todas as riscas brancas e vermelhas representam as três nações: Inglaterra, Escócia e Irlanda.

Guerras e Expansão das Dinastias

Os sucessores de Guilherme de um modo geral continuaram a desenvolver o poder real reprimindo energicamente todas as tentativas de rebelião por parte de seus súditos, com isto os habitantes da Inglaterra que viviam oprimidos aos pouco foram se unindo num movimento instintivo de defesa sem distinção de classe ou de raça.

História da Inglaterra

O seu filho Guilherme e que era denominado como O Ruivo ao morrer em conseqüência de uma flecha disparada acidentalmente por um companheiro de caçada, ele foi sucedido pelo seu irmão Henrique I O Sábio que contou com o precioso auxilio de sua esposa a rainha Margarida da Escócia em seu reinado quando procurou remediar os desacertos cometidos pelos domínios opressivos dos nobres. E no correr de seu reinado, quando tudo parecia augurar um futuro tranqüilo e ditoso para o rei Henrique I, pois o seu único filho Guilherme ao regressar da Normandia acabou morrendo afogado no canal da Mancha, a partir desse momento o rei Henrique I foi acometido de uma profunda tristeza e passou a se desinteressar pelo seu governo. E quando da morte do rei Henrique I, abriu-se uma luta pela sucessão do trono entre a sua filha Matilde e o seu sobrinho Estevão, que levou a explodir uma guerra civil entre os espanhóis com imediata conseqüência negativa, pois como reerguimento das influencias dos barões, eles começaram a construir algumas fortalezas e de se apoderarem das propriedades privadas, e devido aos saques por eles praticados no país, a obra regeneradora de Henrique I acabou sendo anulada, com isto as terras ficaram incultas, e a fome e a miséria começaram a afligir tanto os opressores como os oprimidos e após uma longa batalha sangrenta o trono inglês ficou em poder de Estevão que ainda teve que guerrear contra o rei da Escócia que era tio de Matilde.

História da Inglaterra

Com a morte de Estevão o trono da Inglaterra foi ocupado por Henrique II que era filho de Matilde, e que ao se casar com a herdeira de três grandes províncias da França: o Anjou, o Maine e a de Touraine, e por ser o duque da Normandia ele viu seus domínios se estenderem do norte da Inglaterra até os Pirineus e após restabelecer a ordem interna no país ao destruir as fortalezas, restaurar o poder judicial e ter dominado os barões, Henrique II obrigou que o rei da Escócia restituísse os condados de Northumberland, Cumberland e Westmoreland, e ao receber a doação por parte do papa Adriano IV das terras da Irlanda, Henrique II teve sérios problemas com o povo irlandês que não aceitaram se tornarem súditos ingleses apesar do soberano ter conseguido impor a sua autoridade sobre a parte mais próxima da Inglaterra, e nesta época o arcebispo de Canterbury Tomás Becket teve um serio desentendimento com Henrique II em virtude da maneira como deveriam ser punidos os delitos do clero, fato este que enfureceu sobremaneira o soberano que não admitia oposição à sua vontade absoluta, e levado por um momento de exasperação Henrique II disse que desejava ver-se livre do odioso arcebispo, com isto a sua palavra foram seguido por quatro homens de sua corte que acabaram assassinando o arcebispo dentro da catedral. Em virtude do fato, Henrique II acabou sendo responsabilizado pelo assassinato do arcebispo pelo papa que não lhe concedeu perdão enquanto não comparecesse descalço e de cabeça descoberta na catedral para prosternar-se ante os restos do santo e ser açoitado pelos monges que haviam sido reunidos para esse fim. E antes de morrer, Henrique II dividiu entre os seus filhos os seus extensos domínios que acabaram gerando uma acirrada contenda entre os seus familiares que atingiu violentamente o monarca em virtude de ter tomado conhecimento da inimizade nutrida contra ele pelo seu filho João, e ao maldiçoar a sua prole ingrata ele se retirou para o castelo de Chinon onde acabou os últimos dias de sua vida.

E ao ser sucedido pelo seu filho Ricardo que era chamado de Coração de Leão que era um grande guerreiro e um modelo da cavalaria, porém sem grandes qualidades para ser um bom rei, e que durante o seu reinado esteve ausente de seu país a maior parte do tempo, e que teve em sua esposa como a única rainha da Inglaterra que nunca pisou no território inglês e que no momento em que assumiu o trono inglês os santos lugares haviam caído em poder dos islamitas, com isto os povos cristãos da Europa resolveram se organizarem em expedições a que chamaram de cruzadas e marcharam contra os islamitas a fim de resgatarem tão precioso tesouro, então Ricardo Coração de Leão se incorporou à terceira cruzada.

História da Inglaterra

E para custear esta guerra e para pagar o seu resgate quando caiu prisioneiro de Leopoldo duque da Áustria, ele sacrificou o povo inglês com pesados impostos. E após a sua morte, o trono inglês foi ocupado pelo seu irmão João sem Terra que logo no inicio de seu reinado perdeu o domínio sobre a Normandia cujo título ducal deixou de ser usado pelos reis da Inglaterra e logo a seguir ele também perdeu os territórios que mantinha na França, e devido ao desentendimento que manteve com o papa Inocêncio III por não querer reconhecer a nomeação do cardeal Langton como arcebispo de Canterbury, a Inglaterra sofreu um interdito por parte do papa pelo qual foram suspenso todos os serviços religiosos e fechada todas as igrejas da Inglaterra, e ao excomungar o rei o papa eximiu o povo de seu juramento de fidelidade, como o rei João sem Terra persistisse em sua obstinação, o papa o depôs e ofereceu a coroa da Inglaterra ao rei da França Filipe II.

Em vista dos fatos, o monarca João sem Terra imediatamente mudou a sua atitude radicalmente, e por conta disto ele recebeu o arcebispo e restituiu os bens eclesiásticos de que se havia apossado e humilhou-se a ponto de entregar sua coroa ao legado do papa para que ele fosse coroado.

História da Inglaterra

Em vista dos acontecimentos, o povo inglês que havia suportado a opressão da realeza durante os reinados de Henrique II e de Ricardo Coração de Leão que tinha sido enérgico, temidos e vitoriosos nos campos de batalha, não concordaram com a fraqueza, com a crueldade, a corrupção e a humilhação de João sem Terra e por isto em 24 de Maio de 1215 os grandes do reino, os barões e os bispos com a apoio da nação ocuparam a cidade de Londres e obrigaram o rei a assinar a magna carta da qual as disposição mais importantes eram que o rei não poderia lançar nenhum imposto sem o consentimento do grande conselho do reino, e que qualquer homem livre só poderia ser detido em virtude de um julgamento regular lavrado pelos seus pares conforme as leis do país, e se o rei violasse a magna carta ele perderia seus castelos e suas terras até que o mal fosse reparado, e para assegurar a execução das cláusulas estabelecida foram eleitos vinte e cinco barões.

O rei João sem Terra apesar de estar furioso e despeitado, acabou assinando a magna carta forçado pelas circunstancia em uma ilha do rio Tamisa de Runnimede perto de Windsor, e após prestar juramento o monarca pediu autorização para não respeitar a magna carta.ao papa Inocêncio III que de imediato lhe concedeu, com isto os nobres ingleses se revoltaram contra o rei João sem Terra que ao morrer em conseqüência de uma febre acabou salvando a coroa para sua família que elevou ao trono Henrique III, que por ter um animo fraco, acabou se deixando influenciar pelos franceses que iam à Inglaterra em busca de fortunas, e devido a sua má administração ele foi vencido na Alemanha pelo rei da França Luis IX por ocasião de sua preensão em tornar o seu irmão como imperador, e na Sicília onde queria elevar o seu filho ao trono, e por causa de suas preensões e de suas fraquezas que custavam muito dinheiro da Inglaterra através de pedidos ao grande conselho o qual convocava todos os anos desde 1239. E devido à recusa do parlamento em ceder mais dinheiro ao monarca, iniciou-se uma grande contenda entre o rei os súditos, até que em 1258 os nobres tendo como líder Simão de Montfort impuseram a Henrique II a saída dos estrangeiros da Inglaterra e uma série de disposição de Oxford na qual o governo passava de fato para as mãos dos nobres, com o parlamento se reunindo três vezes ao ano para aconselhar o rei em seu governo.

História da Inglaterra

E no ano de 1265 por ter violado os estatutos Henrique III acabou sendo feito prisioneiro por Simão de Montford quando da convocação do parlamento em sessão extraordinária, e na presença dos bispos, dos barões, dos cavaleiros, dos burgueses, dos habitantes das cidades e dos burgos que foram convidados a elegerem os deputados, e na reunião destes deputados e dos cavaleiros foi constituída a câmara dos comuns e da reunião dos condes, barões e dos bispos foi constituída a câmara dos lordes que começou o seu funcionamento regular em 1295 durante o reinado de Eduardo I quando se estabeleceu o governo representativo.

E após ter conseguido recuperar a liberdade e reinar com tranqüilidade, Henrique III até ao fim de seus dias ele foi sucedido pelo seu filho Eduardo I que se tornou um rei justo e inteligente ao dar boas leis ao seu povo, e que logo no inicio de seu reinado se envolveu com serias lutas com os galeses que se mantinham independentes, porém após sangrentas batalhas Eduardo I acabou por submetê-los e assenhorear-se do País de Gales, e ao se apropriar da coroa de Lewellyn que foi o último príncipe Gales, Eduardo I prometeu dar ao povo como futuro governante um rei nascido no País de Gales, e para isto ele apresentou o filho recém nascido no castelo de Carnarvon, e a partir desta data o primogênito do rei da Inglaterra recebe o título de príncipe de Gales. E ao tentar unir os reinos da Inglaterra com o da Escócia, Eduardo I propôs o casamento de seu filho com a virgem da Noruega, cuja mãe era filha do rei da Escócia, porém com a morte da jovem Margarida no mar do norte o rumo dos acontecimentos mudou. E no momento em que surgiram violentas contendas entre os pretendentes à coroa da Escócia, Eduardo I se viu obrigado a interferir com árbitro, porém devido ao fato dos escoceses terem se apresentado para a luta no propósito de combater as ambiciosas intenções do rei da Inglaterra, ele se viu obrigado a empreender no período de dez anos três grandes campanhas na Escócia onde acabou encontrando a morte ao dar o golpe decisivo, e ao ser sucedido pelo filho Eduardo II o mesmo deu continuidade à guerra iniciada pelo seu pai, porém em virtude de suas qualidades guerreiras ele foi batido em Bannockburn pelas forças do rei da Escócia Robert Bruce que com a sua vitória não só assegurou a independência do seu país, como também o enriquecimento do seu país com os tesouros que o soberano inglês abandonou no campo de batalha, e que o fez abdicar em favor de seu filho Eduardo III que após casar com Filipa de Hainault prosseguiu a luta vitoriosa contra Escócia que havia se aliado com a França, com isto Eduardo III ao alegar os seus direitos por parte de sua mãe ao trono francês, imediatamente declarou guerra a Filipe de Valois.

E desta maneira iniciou-se a luta que ficou conhecida como guerras dos cem anos na qual se feriram diversas e sangrentas batalhas, e que podemos destacar a batalha naval ocorrida em 1340 em Edusa nas costas de Flandres onde os franceses saíram derrotados ao perderem duzentos e trinta navios, e seis anos mais tarde deu-se na França a batalha de Crecy onde o exército francês foi severamente castigado pelas flechas dos arqueiros ingleses que o obrigaram a se retirarem da batalha de forma desordenadamente, e nestas batalhas o filho primogênito de Eduardo III se distinguiu de forma brilhante nos campos de batalhas, e por utilizar uma armadura totalmente preta, ele ficou conhecido como o príncipe negro, e que na batalha de Crecy adquiriu a divisa alemã com a inscrição ICH Diene e três penas de avestruz que eram da cimeira do capacete de João O Bravo rei da Boêmia que apesar de sua avançada idade, se fez conduzir ao ponto onde a batalha era mais intensa aonde encontro à morte com seus fieis cavaleiros, e a partir desta data os príncipes de Gales ostentam as três penas em suas armas. E a batalha de Crecy, seguiu-se o cerco de Calais que resistiu bravamente durante onze meses até capitular, fato este que irritou profundamente ao rei inglês que mandou que lhe fosse entregue seis dos principais burgueses para serem sacrificados em favor da vida dos restantes, e no momento em que Eustaquio de São Pedro e sus cinco companheiros se apresentaram ante ao rei Eduardo III e lhe entregaram as chaves da cidade, então o encolerizado monarca mandou chamar o verdugo, porém a rainha Filipa ao interceder a favor deles quando conseguiu abandar a ira do rei e salvou a vida daqueles cinco heróis, e com a continuidade da guerra, grandes levas de soldados ingleses atravessavam o canal e iam morrer longe da pátria em belos campos da França, com isto acarretou a falta de braços para cultivar as terras o que precipitou a fome e a manifestação de descontentamento do povo, e através de uma grande vitória que o príncipe negro alcançou em Poitiers sobre o rei João O Bom que na oportunidade foi feito prisioneiro, e ao ser levado à presença do rei Eduardo III o monarca vencido foi tratado com grande respeito, e por ser merecedor dessa atenção o valente e brioso e honrado rei da França voltou ao seu país para conseguir a avultada quantia que os ingleses exigia para o seu resgate, e por não ter alcançado o valor estipulado, o rei João tornou a entregar-se como prisioneiro na Inglaterra, onde acabou os seus dias.

E como sucessor de Eduardo III foi coroado o seu neto Ricardo II filho do príncipe negro, que nos primeiros tempos do seu reinado foram assinalados pelas lutas dos grandes senhores e por tumultos dos camponeses provocados pela miséria e por quererem um governo sem o parlamento, por este motivo ele abdicou o trono e acabou os seus dias na prisão, com isto o trono inglês foi ocupado por Henrique IV que lutou com grande dificuldade para manter a paz e a ordem na Inglaterra e no País de Gales e ao ser sucedido pelo seu filho Henrique V a Inglaterra reuniu um grande exército e atravessou o canal da mancha e alcançou uma vitória decisiva em Azincourt sobre o exército francês, e ao aproveitar a guerra civil que dividia os franceses Henrique V procurou obter a mão de Catarina que era filha de Carlos VI para ser reconhecido como herdeiro da coroa francesa em detrimento ao delfim Carlos que seu pai deserdara, todavia os seus planos não puderam se realizar em virtude de sua morte, e com isto ele deixou como único herdeiro do trono inglês o seu filho Henrique VI que foi coroado quando contava com nove meses de idade, com isto em sua menoridade a Inglaterra foi governada pelos seus tios que perderam todos os domínios que tinham na França com exceção de Calais.

E para isto os franceses contaram com a valiosa contribuição da célebre donzela de Orleans Joana Dárc que ao vestir uma armadura, montou a cavalo e pôs-se à frente de um exército e alcançou significativas vitórias até cair nas mãos do inimigo, que a fez perecer entre as chamas de uma fogueira.

Entretanto o exemplo estava dado e o patriotismo dos franceses fez com que a guerra se prolongasse por alguns anos e a França se libertasse do domínio estrangeiro até alcançar vitória final na guerra que ficou conhecida como a dos cem anos, com isto teve inicio na Inglaterra a guerra das duas rosas, que explodiu devido à rivalidade das famílias Lancaster que pertencia ao rei Henrique V e que tinham uma rosa vermelha por distintivo, e a York que pertencia a Eduardo, filho do duque de York que por descender de um filho de Eduardo III e que escolheram uma rosa branca como distintivo e que alegava ter direitos a ocupar o trono inglês, e durante os trintas anos de guerra foram travadas onze batalhas entre o rei e os nobres em diferente ponto do país, e das quais o duque de York saiu vencedor e se tornou o primeiro rei desta dinastia com o nome de Eduardo IV.

Henrique VI ao ser derrotado, acabou sendo aprisionado na torre de Londres onde acabou os seus últimos dias totalmente abandonado, e a sua esposa a princesa Margarida de Anjou fez o quanto pode para conservar a coroa para seu filho que foi assassinado e acabou sendo aprisionada em Tewkesbury e depois levada a torre de Londres onde esteve encarcerada por quatro anos até ser resgatada pelo rei da França Luis XI, e devido à fuga da Inglaterra do rei Eduardo IV em virtude do receio de cair nas mãos dos partidários da rosa vermelha, o trono deveria ser ocupado pelo seu filho primogênito de treze anos de idade, contudo ele não chegou a ser coroado em virtude de seu tio Ricardo o ter encerrado na torre de Londres e tempos depois o seu irmão acabou lhe fazendo companhia.

E com desaparecimento dos filhos de Eduardo IV da torre de Londres , Ricardo III foi proclamado rei da Inglaterra e de imediato convocou o parlamento e colocou muitas coisas em ordem e fomentou o comércio com intuito de agradar o povo que sentia o mais vivo horror pelo assassínio dos príncipes, e por governar a Inglaterra tiranicamente ele acabou sendo vencido e morto na batalha de Brosworth no ano de 1485 por Henrique de Tudor da família de Lancaster que por este motivo subiu ao trono com o nome de Henrique VII e que ao se casar com a filha de Eduardo IV ele fundiu as famílias de York e Lancaster em uma só família e as duas rosas vieram a formar uma dupla flor, chamada de a Rosa de Tudor que se tornou o emblema da Inglaterra e fez surgir uma nova era no país.

A Volta ao Mundo

Um dos navegadores ingleses mais notáveis foi Francis Drake que era filho de um pobre pastor inglês que desde muito jovem gostava de ir para a costa para contemplar os navios que atravessavam o oceano ou então ir até ao porto para conversar com os marujos sobre as estranhas terras que tinham visitado.

História da Inglaterra

Fêz-se marinheiro ainda criança e aos dezoito anos já era proprietário e capitão de um navio, no qual começou a sua viagem quando chegou ao istmo do Panamá e vislumbrou o oceano Pacifico onde os navios espanhóis navegavam abarrotados de ouro e ao regressar a Inglaterra Francis Drake pediu auxilio a alguns amigos poderosos que lhe equiparam cinco navios que partiram em Novembro de 1577 de Plymouth para avistarem as costas do Brasil, onde desembarcou após quarenta dias de navegação e ao se dirigir para o sul à esquadra de Francis Drake teve que retroceder após perder dois navios em virtude da violência dos ventos e em Agosto de 1578 ao penetrar no estreito de Magalhães Francis Drake acabou perdendo ouros dois navios, e ao chegar ao oceano Pacifico ele caiu sobre os estabelecimentos espanhóis do litoral da América, em Valparaiso tomou quatrocentas libras de ouro em barras e a ourivesaria da igreja, em Tarapacá um carregamento de lingote de prata, em Arica cinqüenta barras de prata.

História da Inglaterra

Perto de Lima Francis Drake praticou uma grande proeza ao atacar o galeão Nossa Senhora da Conceição de bandeira espanhola que transportava para o Panamá oitenta libras de ouro e esmeralda do Peru.

Ao retornar ao longo da costa do Chile, Francis Drake não encontrou nenhum navio de guerra espanhola e ao seguir pelo oceano Pacifico em retorna a Inglaterra ele se dirigiu para o norte e aportou no ponto onde esta situada à cidade de São Francisco e permaneceu algum tempo junto aos índios e seguiu viagem sem ver terra durante sessenta e oito dias para tocar nas Filipinas, nas Celebes, nas Malucas, no cabo da Boa da Esperança e finalmente chegou a Inglaterra em Novembro de 1580 após três anos depois de ter iniciado a sua viagem.

Formação da Inglaterra

As ilhas britânicas, no período glacial intermediário entre as épocas terciárias e quaternárias estavam ligadas ao continente, e quando de seu termino ela ocasionou uma sensível mudança no nível das terras e acarretou o surgimento dos primeiros homens que eram rudes e que viviam na mais absoluta ignorância sem cultivarem o solo, habitando as cavernas e as margens dos rios, usando instrumentos e armas feitas de pedras.

História da Inglaterra

Quando das invasões efetuadas pelos Celtas em dois grupos que se diferenciavam apenas pela linguagem, pois pertenciam à mesma raça e tinham os mesmos costumes, esses grupos eram os goidel que falavam gaélico e se estabeleceram principalmente na Irlanda na ilha de Man e nas montanhas do norte, os brython que se espalharam pelo resto do território e foram designados como os bretões ou britânicos que designaram a região que ocupavam como britânia e com o passar do tempo esses grupos se dividiram e mais tarde se subdividiram de tal forma que ao se iniciar o período histórico eles estavam divididos em quarenta tribos aproximadamente onde se destacavam os siluros, os icenos e os caledonicos.

História da Inglaterra

Em estado quase bárbaro os britânicos dividiam-se em numerosos grupos governados por um chefe e que se reuniam para enfrentar algum comum, dedicavam pouco interesse ao cultivo da terra, vestiam-se de peles e viviam em choças, as suas alimentações eram na base de caça e do leite de seus rebanhos e seu comércio consistia unicamente na exportação de couros e de estanhos que os mercadores da Gália iam buscar em suas praias, a religião dos britânicos misturava-se com o governo onde os chefes do culto os druidas eram muitos respeitados e gozavam de grandes prestígios e nos altares formados de quatro pedras que recebiam os sacrifícios de vidas humanas.

Em meados do século I A.C o grande general Julio César empreendeu a conquista da região para a grande potencia de Roma quando no ano de 55 A.C desembarcou na Britania e derrotou os que se lhe opunham e contentou-se em exigir altos tributos dos governantes britânicos, e no século seguinte quando o trono romano era ocupado por Cláudio, foi organizada uma expedição sobre o comando do general Pláucio que atacou com suas tropas constituída por legiões disciplinadas e bem armadas os britânicos que ofereceram uma forte resistência apesar das diferenças de armas e de organização militar.

E na oportunidade a rainha dos bretões Boadiceia resistiu com grande tenacidade aos soldados de Roma até o exato momento em que ao ver que seria vencida à frente de suas tropas ela preferiu suicidar-se a cair em poder dos vencedores, Caractaco outro grande herói britânico que combateu valentemente aos invasores até ser vencido e aprisionado junto a sua família, e ao ser conduzido a Roma Caractaco se dirigiu ao imperador Cláudio e pronunciou que tu lutas para conquistar o mundo inteiro e tornar todos os homens teus escravos, eu luto para defender minha pátria e minha liberdade.

História da Inglaterra

E durante quatro séculos a Britania se constituiu numa província romana e nesse longo espaço de tempo se distinguiram alguns generais romanos que dedicaram seus esforços para consolidar a conquista e entre eles encontramos Julio Agrícola que ordenou a construção da muralha do norte para impedir as incursões dos pictos no território sujeito aos romanos, Adriano e Sétimo Severo que tomaram importantes medidas em benefícios dos habitantes daquela província que sob o domínio romano receberam a civilização do mundo latino com as construções de estrada, cunhagem de moedas, fundação de escolas, ereção de monumentos, inclusive nos nomes geográficos, e quando começou a declinar o poderio do império romano, os pictos tornaram-se cada vez mais audazes, com isto as costas da região sul oriental passou a ser periodicamente visitadas pelos piratas que desembarcavam e semeavam o terror nas povoações.

Em vista das ondas de bárbaros e das constantes revoltas dos povos subjugados que forçavam as fronteiras do império, por este motivo os imperadores romanos diminuíram a extensão de suas fronteiras e fizeram retornar à Itália as legiões de veteranos que ocuparam a Britania, com isto os Pictos que assaltaram e transpuseram a muralha e saquearam e incendiaram as povoações, e ao se internarem para o interior eles forçaram aos Britânicos a abandonar as suas habitações e fugirem para as montanhas para não se tornarem escravos dos novos senhores da terra.

História da Inglaterra

Os Pictos que pertenciam à raça germânica e que eram denominados como os saxões ao fixarem as suas aldeias, as tribos invasoras davam nome aos locais onde se estabeleciam, com os Billing nasceu a cidade de Billingham, com os Harling ficou o nome de Harlington, e os Jutos que se estabeleceram na ilha de Wight e em Kent com quatro grupos de saxões denominados meridionais, orientais, centrais e ocidentais e que ao fixarem as comarcas elas tomaram os nomes de Sussex, Essex, Midlessex e Wessex, os Anglos ficaram na Estanglia em Norfolk e Suffolk e deram nome ao país quando passou a se chamar Terra dos Anglos ( Angleland ) e posteriormente Inglaterra que ficou dividido em sete reinos independente que eram os Kent, Sussex, Essex, Wessex, Estanglia, Mércia e Northumberland que formaram a heptarquia Anglo-Saxônia e devido às lutas ocorridas entre eles no século VIII apenas restaram os reinos de Northumberland ao norte, Mércia no centro e wessex ao sul do Tamisa e no seculo IX o rei de Wessex Egberto conseguiu ser reconhecido como soberano por todos os demais chefes.

E no pontificado de Gregório Magno foi enviado para a Inglaterra o missionário Agostinho que conseguiu converter o rei de Kent Egberto que fez com que seus súbitos abraçassem a nova religião, com isto os ídolos saxões Odim, Thor e Freya foram descidos de seus altares, e com o decorrer do tempo Agostinho foi designado como bispo de Canterbury quando a cidade passou a ser a capital religiosa da Inglaterra, e após a sua morte Agostinho foi canonizado ao ser venerado pelos católicos ingleses juntamente com São Columbano e São Patrick que converteram os escoceses e irlandeses, e entre os primeiros reis cristãos figura Edwin que fundou a cidade de Edimburgo pela necessidade de uma fortaleza que protegesse as férteis terras ao sul de Forth, e nesta ocasião surgiu o primeiro poeta inglês Cedmon que vivia no mosteiro de Whitby em Yorkshire, e um pouco mais ao norte em Yarrow viveu e morreu o erudito universalmente conhecido como o venerável Beda.

E no ano de 787 chegou a Inglaterra três barcos provenientes da Dinamarca conduzindo pelos hábeis navegadores Vikings com seus exércitos de pagões bem organizados militarmente que ao desembarcarem mataram o chefe da aldeia e dominaram Northumberland, Mércia e parte de Wessex apesar da resistência imposta pelo príncipe Alfredo que apesar de vencido não desanimou.

No ano seguinte após reorganizar suas forças, ele cercou e derrotou os dinamarqueses que foram forçados a se render enquanto os seus chefes eram batizados e convertidos ao cristianismo, e após o acordo firmado os vikings se retiraram de Wessex e foram se estabelecer ao norte e a leste da parte saxonica e em pouco tempo o rei Alfredo O Grande tornou o seu pequeno reino mais forte quando procurou desenvolver a instrução entre os seus súditos e os organizou em classes militares quando passaram a prestar serviços militares por um determinado tempo, e dentre os seus sucessores o que mais se distinguiu foi o rei Atelstano que durante o seu reinado completou a expulsão dos dinamarqueses da Inglaterra.

História da Inglaterra

Entretanto os vikings se lançaram novamente ao mar e voltaram a invadir a Inglaterra no reinado de Ethelred, que devido a sua fraqueza propôs pagar um tributo aos invasores para que se retirassem, e para conseguir a quantia estabelecida ele lançou um imposto territorial denominado danegeld, e após a morte do monarca Ethelred o trono inglês foi ocupado pelo seu filho Edmundo Ironside que também veio a falecer logo após assumir o trono e para ocupar o seu lugar os chefes saxões resolveram oferecer ao seu irmão Canuto, que apesar de ser muito jovem ao assumir o poder mostrou-se um sábio governante ao anunciar que não faria nenhuma distinção entre dinamarqueses e saxões e no ano de 1018 ele convocou uma grande assembléia em Oxford na qual os nobres dinamarqueses e saxões juraram obedecer às antigas leis anglo-saxônicas.

E devido ao falecimento de seu irmão, Canuto tornou-se rei da Dinamarca e em 1030 conquistou a Noruega e foi reconhecido pelos escoceses descendentes dos antigos Pictos e Caledônios que se haviam reunido em um só grupo, e com o falecimento de Canudo no ano de 1032 seus filhos começaram a lutar entre si, fato este que levou o conselho a entregar o poder a Eduardo que era cognominado O Confessor, e que ao transportar-se para a Inglaterra acabou levando consigo um grande número de nobres normandos que receberam os principais cargos no reino.

Fato este que acabou desgostando profundamente aos saxões e levou ao poderoso chefe Godwin a obrigar o monarca a expulsar os normandos e passou a governar a Inglaterra e em 1066 com a morte do rei Eduardo o conselho elegeu para rei o conde Haroldo que foi coroado na famosa abadia e Westminster, com isto o duque da Normandia Guilherme baseando-se em uma promessa verbal que seu primo Eduardo fizera de lhe deixar como herança o trono inglês, resolveu invadir o norte da Inglaterra para combater o rei Haroldo em uma batalha sangrenta que foi travada em Hastingsna qual o rei Haroldo perdeu a vida e milhares de anglo-saxões morreram.

Com a vitória alcançada Guilherme ficou sendo o senhor da Inglaterra ao se apropriar de numerosos castelos e dividir as terras em feudos que foram distribuídos aos homens de sua expedição. E após três dias da vitória alcançada na batalha de Hastings, Guilherme foi coroado na abadia de Westminster e passou os restos de sua vida na Inglaterra onde faleceu no ano de 1087 e ao ser sucedido por diversos reis normandos eles reinaram por três séculos na Inglaterra.

Arquitetura da Inglaterra

No período gótico, na Inglaterra desenvolveu-se uma arquitetura de muito bom acabamento e que era mais adequada a catedrais do que a qualquer outra espécie de construção, porém muitos séculos foram necessários para se atingir o Maximo no tocante a habitações imponentes e no momento em que cessou a necessidade das fortificações, o solar ampliou-se mais e foram acrescentado pátios, alas, salões de verão e de inverno e muitos outros aposentos.

História da Inglaterra

E no reinado de Henrique VIII foi construído o ultimo edifício antes da penetração do renascimento italiano através do cardeal Wolsey que construiu o palácio Hampton para si, porém em virtude do rei ter apreciado de tal modo o palácio, o cardeal julgou de bom alvitre fazer-lhe o presente.

E durante o reinado da rainha Elizabeth, na história arquitetônica esses anos entre o gótico e o renascimento ficou conhecido como o caos Tudours, pois foram erguidos magníficos edifícios com estilos confusos e excessivamente ornamentados e decorados à italiana pelos operários alemães e flamengos então muitos numerosos na Inglaterra, e ao ultrapassarmos uma linha divisória do tempo encontramos na arquitetura inglesa dois grandes nomes que foram Inigo Jones que ainda muito jovem fez duas viagens à Itália de onde voltou como um profundo conhecedor da arquitetura italiana, e no ano de 1615 foi nomeado para o cargo de supervisor geral das obras de sua majestade, e no ano de 1619 iniciou o seu primeiro trabalho importante que foi a reconstrução do palácio Whitehall que foi planejado e construído dentro do estilo renascimento e que por dificuldades financeiras do rei Carlos I somente o salão de banquete ficou acabado.

Depois dessa construção, ele se manteve empenhado em sua arte e o seu mais famoso trabalho que se seguiu, foi o plano do grupo atualmente conhecido como Greenwich Hospital

História da Inglaterra

E o segundo outro grande arquiteto do século na Inglaterra foi Chistopher Wren que até a idade de trinta anos ocupou-se com problemas científicos e com a astronomia quando efetuou varias invenções e no ano de 1661 foi nomeado como assistente de supervisor geral das obras de sua majestade, e os seus primeiros trabalhos foram a catedral de Pembroke College em Cambridge e o Sheldonian Theatre em Oxford. E durante a sua curta estada em Paris ele se encontrou com Bernini, o italiano e com outros dos melhores arquitetos da época, e junto a eles participou na construção do Louvre e ao retornar a Inglaterra, a cidade de Londres foi tomada por um grande incêndio que proporcionou a Christopher Wren a extraordinária oportunidade de construir igrejas, colégio, edifícios de varias espécies e palácios. E quando o gigante morreu, ele tinha muito imitadores que não tinham condições de ofuscar a sua gloria, e a partir dessa ocasião o renascimento entrou em decadência na Inglaterra.

E durante o século XVIII houve um enorme interesse pela arquitetura para reconstrução da cidade de Londres não só de arquitetos como de pedreiros e carpinteiros.

E entre eles estão John Vanbrugh cujos trabalhos o mais conhecido são Castle Howard e Blenhain Palace, Nicholas Hawksmoor que por diversas vezes foi assistente de Wren e Vanbrugh encontramos a sua obra na igreja São Jorge em Bloomsbury, dos irmãos Adm encontramos edifícios que marcaram época com seus pórticos e lareiras espetaculares, e William Chambers o construtor de Somerset House, e durante a primeira metade do século XIX a arquitetura na Inglaterra passou por um período caótico em conseqüência do reaparecimento do estilo gótico e do clássico, e que dividiu o interesse do país quando uma quantidade enorme de edifícios foram feitos sem serenidades e, sobretudo sem o aspecto típico inglês.

Grandes Heróis

Horacio Nelson nasceu em Burnhan Thorpe, pequena povoação inglesa e desde pequeno era muito debilitado fisicamente, porém muito corajoso e resoluto, e que ao seguir a carreira naval teve como seu primeiro feito notável na época em que os espanhóis haviam-se aliado aos franceses e formado uma esquadra mais poderosa que a inglesa para conquistarem o domínio dos mares.

História da Inglaterra

E no momento em que o almirante Jervis resolveu atacar uma grande esquadra espanhola antes que o resto dos navios viesse em seu auxilio do corpo principal nas alturas do cabo São Vicente em Portugal e para isto o comodoro Nelson executou uma manobra que deixou a esquadra inimiga impedida de atacar o almirante Jervis, com isto Nelson foi promovido ao posto de contra almirante, e no momento em que Napoleão Bonaparte embarcou o seu exercito para o Egito, Nelson estava cruzando com sua esquadra em frente à cidade de Toulon para impedir a partido dos navios franceses, porém em virtude de ter que se recolher a um porto para reparar as avarias do navio almirante, Napoleão Bonaparte conseguiu fazer-se ao mar. Após repara as avarias do navio, Nelson saiu em perseguição à esquadra francesa em meio a um nevoeiro que o fez perder esquadra de Napoleão Bonaparte que desta maneira conseguiu desembarcar o seu exercito e conquistar o Egito.

Entretanto no momento em que Nelson descobriu a maior parte da esquadra francesa fundeada na baia de Aboukir, ele dividiu a sua esquadra e atacou por dois lados em um violento combate que ao final da mesma todos os navios franceses tinham sido metido a pique ou apressados. Com a vitória alcançada por Nelson, os navios franceses deixaram de navegar pelo mar mediterrâneo em virtude de se exporem aos grandes riscos.

E com isto Napoleão Bonaparte deixou de receber os suprimentos necessários da França para as suas grandes conquistas projetadas, ou de transportar seu exército para a Europa e ao retornar a Paris, Napoleão Bonaparte chegou com grande popularidade e apoiado nessa popularidade e na admiração e fidelidade do exército, ele modificou a constituição e fez-se nomear como primeiro cônsul o que lhe tornou senhor absoluto da França, e no momento em que os austríacos invadiram a Itália, Napoleão Bonaparte se deslocou para frente de batalha com seu exército pelos alpes para conseguir uma magnífica vitória enquanto que Moreau ganhava a batalha de Hohenlinder e obrigava aos austríacos a pedir a paz, mas antes que ela se fizesse de novo o almirante Nelson interveio na contenda para impedir que os dinamarqueses cedessem a sua esquadra a França para que Napoleão Bonaparte atacasse a Inglaterra. E na impossibilidade de atacar os ingleses através de sua esquadra, Napoleão Bonaparte resolveu preparar um plano de invasão aos ingleses na sua própria ilha, quando o almirante francês Villeneuve procurou iludir ao almirante Nelson ao fingir que se dirigia às Antilhas e retornou para unir as suas forças com as de outra esquadra francesa para dominar o canal da mancha para permitir que Napoleão Bonaparte atravessasse com o seu exército, todavia no momento em que o almirante Nelson descobriu o plano de Napoleão Bonaparte imediatamente partiu em perseguição aos navios franceses até alcança-los na altura do cabo de Trafalgar onde os mesmos foram atacados quando foi içado no tope de seu navio o famoso sinal "A Inglaterra espera que cada um cumpra o seu dever, e após uma manobra semelhante a que fora executada na batalha de Aboukir, ele alcançou uma grande vitória que cortou por completa as esperanças de Napoleão Bonaparte de invadir a Inglaterra.

História da Inglaterra

E o almirante Nelson que muitas glorias havia dado a Inglaterra, acabou sendo gravemente ferido na batalha de Trafalgar, porém viveu o bastante para ver coroado o seu esforço contra a esquadra inimiga que ficou irremediavelmente destruída.

História da Inglaterra

Napoleão Bonaparte ao se convencer que não era possível invadir a Inglaterra, imediatamente ordenou que fosse efetuada uma proibição aos países europeus de comercializar qualquer mercadoria com a Inglaterra e com a intenção de dominar inteiramente o continente europeu ele colocou os seus irmãos nos tronos da Holanda, Itália, Espanha e na Alemanha com o título de reis e encarregou um de seus marechais para invadir Portugal cujo rei Dom João VI havia se refugiado no Brasil, com isto a população portuguesa e espanhola que não se conformava com a invasão acabaram se revoltando e passaram a agir em forma de pequenas guerrilhas contra o exército francês. Então o governo inglês ao aproveitar a resistência oferecida aos invasores enviou em auxilio de Portugal um exército comandado pelo então Sir Arthur Welleskey e posteriormente duque de Wellinghton que já havia combatido na Índia contra Tippu Sahib e os Maharattas na famosa batalha de Assaye e que ao desembarcar em Buarcos combateu contra Vitor Massena, Marmont, Junot, Jourdan e Soult que eram ilustres marechais de Napoleão Bonaparte.

História da Inglaterra

Na guerra peninsular Wellinghton ordenou ao general Beresford que recrutasse os camponeses de Portugal e com eles obteve significativa vitória em Bussaco nas linhas Toares na serie de batalhas que obrigaram o exército francês a fugirem através dos Pirineus para se juntarem a novos elementos na França onde Napoleão Bonaparte abdicava a coroa imperial após ser derrotado na encarniçada batalha de Leipzig e se retirava para pequena ilha de Elba no Mediterrâneo.

E após ter decorrido um ano de seu desembarque os seus antigos soldados agruparam-se em volta das suas bandeiras e partiram na missão de aniquilar o rei Luis XVIII do trono francês e atacou o exército prussiano comandado pelo marechal Blucher que foram derrotados na batalha de Ligny e colocou em perigo o exército comandado por Wellinghton em Quatre Brás, que após uma excelente manobra se colocou em posição de combate em Waterloo no dia 18 de Junho e resistiu os ataques das tropas de Napoleão Bonaparte até a chegada das tropas de Blucher ao campo de batalha, quando os franceses tentaram uma ultima carga que foi repelida de forma inevitável para os franceses sob o comando de Napoleão Bonaparte que se viu obrigado a se render aos ingleses.

Pintores da Inglaterra

No século V a Inglaterra recebeu da Irlanda as suas primeiras lições de pintura quando os mosteiros passaram a ser escolas e estúdios artísticos dos monges irlandeses que possuíam um extraordinário talento para a iluminação de manuscritos e que induziram os monges escoceses e ingleses a imitarem-lhes a técnica que tem no livro de Kells como a obra por excelência, e com o tempo os iluminadores britânicos desenvolveram características própria que o tornaram a mais importante do que outra qualquer do gênero em toda a Europa

História da Inglaterra

No ano de 1526 Holbein chegou a Inglaterra e se tornou o pintor da corte e após a sua morte em 1543 a geração que lhe sucedeu até a vinda de Van Dyck para Londres em 1632 assinala-se de modo mais débil os nomes de George Gower, Nataniel Bacon e Cornélio Johnson. Ao se tornar o artista da corte e da aristocracia de Carlos I ele não só criou a moda de uma espécie de pintura muito diferente de estilo que Holbein introduzira na Inglaterra como fundou uma escola das primeiras manifestações de uma arte nacional, e de todos aqueles que sofreram a influencia de Van Dyck sobressai como o mais importante, o artista Peter Lely que se tornou o pintor de Carlos II, com seus quadros que refletem a leviandade e o artificialismo da restauração, Kneller um alemão que seguiu a obra de Lely e que não se importava em produzir um bom trabalho, pois a sua preocupação era dar às pessoas que para ele posavam um ambiente agradável e faze-las formosa numa época em que a Inglaterra não possuía uma tradição nativa na pintura que pudesse limitar ou criar obstáculos à atividade de um artista dotado de idéias originais.

História da Inglaterra

Foi que entrou em cena de maneira assombrosa no momento oportuno os quadros de Hogarth que era um pintor dramaturgo, satírico e pregador que revelou um gosto tão natural na composição, na luz e na escolha dos ambientes de suas pinturas.

Thomas Gainsborough negligenciou os estudos por amor ao desenho e ao mundo exterior que lhe tornou um eterno sonhador e impulsivo nas suas tendências, nas suas expressões e no traço e na espontaneidade das cores. George Romney cujo talento se rivalizava com o de Reynolds porem não possuía a firme vontade e a resolução necessária para aproveitar o seu dom na elevação da perfeição, embora não fizesse planos muito cuidadosos de composição, pois ele aproveitava a sua aptidão natural para colocar as figuras de maneira a obter um belo conjunto de massas e linhas. Allan Ramsay ao pintar retratos de muitos cavaleiros e damas que lhe tornaram famoso não só na Escócia como na Inglaterra usando um duro e opaco colorido. Henry Raeburn quando era aprendiz de um ourives aprendeu as artes da miniatura e da pintura a óleo e ao aperfeiçoar o seu conhecimento e a sua técnica as suas pinturas se tornaram retratos fiéis e expressivos de grandes dimensões devido ao seu vigor e poder de caracterização. John Constable e considerado como o pai da paisagem moderna, cujas telas que pintou registra o tipo que na França dão o nome de paysage intime que é uma escola muito comum na pintura moderna, e quando a sua tela a carroça de ferro foi exibida na França em 1824, John Constable recebeu uma medalha de ouro que foi oferecida pelo rei da França. Joseph Mallord Willian Turner foi um pintor que viu o mundo natural numa espécie de apoteose de luz ao pintar a luz como nenhum outro fizera, como se os liquido que usava fossem substancias viva saturada pela luz e cor do universo, e com o correr do tempo ele se dedicou em produzir mais efeitos mágicos graças às cores que usava do que em procurar pintar quaisquer formas reais de natureza.

Escritores da Inglaterra

História da Inglaterra

A literatura inglesa começa na verdade com Chancer, pois o que aparece antese pertence mais à história, pois a própria língua inglesa era desprezada, pois nesta época os poetas utilizavam muito o francês, e na obra prima de Chancer As histórias de Chanterbury não e constituída de versos e sim de contos, nas quais aparecem peregrinos fazendo curiosas narrativas locais.

No século XV legou-se grande quantidade de baladas populares de caráter épico e semelhante aos "Rimances" medievais, e no século XVI estavam em grande moda os sonetos a Petrarca da renascença italiana e que na Inglaterra teve em Thomas Wyatt e Henry Howard com suas grandes obras, e por esta ocasião surgiu Thomas More para dominar a literatura inglesa incipiente como um grande humanista e entre outros poetas da idade Isabelina podemos observar Philip Sidney, Spenser e o aventureiro Walter Raleigh que após cair em desgraça junto à rainha acabou passando doze anos na torre de Londres quando escreveu a sua obra História do Mundo e nesta época em que o teatro na Inglaterra como em toda a Europa baseava-se nos milagres medievais inspirados nas histórias bíblicas ou na vida de Cristo surgiu Marlowe que ao morrer deixou uma importante obra que o poeta alemão Goethe se baseou para confeccionar a sua grande obra Fausto.

E no principio do século XVII marca o ponto da literatura inglesa com a primeira obra de Shakespeare que de geração em geração vêm assistindo com permanente interesse em todo mundo, peças como Romeu e Julieta, Sonho de uma Valsa de Verão, Hamlet, Otelo e inúmeras outras peças.

História da Inglaterra

Milton além de poeta, foi um enérgico panfletário que lutou pela liberdade e que pelo fato ia lhe custando à vida no cadafalso na época em que era secretario de Cromwell, e ao abandonar a vida política se consagrou ao confeccionar poemas, e ao ficar cego ditou o poema Paraíso Perdido que tem como tema à criação do mundo e que foi desenvolvido em um inglês tão excepcional que se constitui o modelo de pureza da língua.

História da Inglaterra

Os ensaios constituíram uma modalidade literária que teve muitos cultores na Inglaterra e que teve em Bacon o primeiro a se notabilizar, e com Dryden estabeleceu-se os ensaios de estilos literários e a ele se seguiram Defoe, Swift, Addison, Steele, Johnson, Goldsmith e outros mais que escreveram com uma linguagem rígida com uma preocupação constante de elegância.

História da Inglaterra

Com Addison e Steele surgiram os primeiros triunfo da imprensa quando tomaram para si a tarefa de entreter e instruir os seus compatriotas ao escreverem sobre toda espécie de assuntos que eram publicados em forma periódica nos jornais The Tatler ( O tagarela ) e The Spectator ( O Espectador ), e ao surgir a prosa inglesa, foi que se destacou Swift com sua literatura infantil que teve como obra prima a Viagem de Gulliver que despertou grande interesses com as crianças e que despertou nos adultos a graça, o humor e a malicia do escritor. Samuel Richardson com o romance Clarissa foi o primeiro do sentimento humano com isto obteve uma grande popularidade na Inglaterra, porém Tom Jones do romancista Fielding foi considerado como o primeiro romance inglês em virtude da forma, da técnica e da vibração do autor que tinha um temperamento forte e sedutor, generoso e compreensivo ainda que irônico. Samuel Johnson imortalizou-se em virtude de sua personalidade forte e pitoresca do que propriamente pelos seus escritos, e que no ano de 1747 recebeu uma encomenda de um grupo de livreiro para escrever o célebre Dicionário da Língua Inglesa. Com o aparecimento das baladas líricas de Coleridge e Wordsworth em 1798 a poesia inglesa ainda apresentava as características clássicas tradicionais e com elas ia iniciar-se uma nova era com o romantismo quando Byron publicou os dois primeiros contos do Child Harold que lhe tornaram famosos apesar de não ser um artista na verdadeira acepção da palavra.

E ao combater pela independência da Grécia ele acabou encontrando a morte e deixando o poema Dom Juan não terminado que iria fixar-lhe o nome para a prosperidade.e ao aparecer Shelley que era um sonhador e um lutador pela liberdade do homem e cuja delicadeza lírica jamais foi ultrapassado.

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal