Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Inquilinismo  Voltar

Inquilinismo

Inquilinismo

O inquilinismo é uma relação entre indivíduos de espécies diferentes.

No inquilinismo, apenas uma espécie se beneficia sem, no entanto, prejudicar a outra espécie associada.

O inquilino (espécie beneficiada) obtém abrigo ou ainda suporte no corpo da espécie não beneficiada.

Um exemplo desse tipo de relação é o das bromélias e orquídeas que se fixam no tronco das árvores.

Conceito

Inquilinismo

O inquilinismo é a associação em que apenas uma espécie (inquilino) se beneficia, procurando abrigo ou suporte no corpo de outra espécie (hospedeiro), sem prejudicá-lo. Exemplos: peixe-agulha e pepino-do-mar; árvore e epífitas.

O que é

Inquilinismo

Inquilinismo é um tipo de relação ecológica entre organismos de diferentes espécies. O inquilinismo é definido como uma associação interespecifica harmônica, na qual apenas uma espécie é beneficiada sem, entretanto, existir prejuízo para a outra espécie associada. O inquilino obtém abrigo (proteção) ou ainda suporte no corpo da espécie hospedeira. Inquilinismo também pode ser definido como um caso específico do comensalismo.

Um exemplo clássico é o caso da interação existente entre orquídeas ou bromélias e as árvores em cujo tronco se instalam (não há postura de parasitismo). Estas plantas são classificadas como epífitas (epi = em cima), esse tipo de inquilinismo é denominado epifitismo.

Um outro exemplo de inquilinismo é a interação existente entre o peixe-agulha (gênero Fierasfer) e as holotúrias ou pepinos-do-mar (Equinodermos). Esse pequeno peixe, quando perseguido por algum inimigo natural, procura uma holotúria e penetra em seu ânus, abrigando-se no tubo digestivo desse equinodermo.

Também no mar há o exemplo das rêmoras que se prendem no dorso dos tubarões.

Conceito

Assim com no caso do comensalismo, também no inquilinismo, apenas uma espécie beneficia-se, sem no entanto prejudicar a outra. As bromélias (gravatás) e as orquídeas são um bom exemplo desta relação

Conceito

Inquilinismo

O Inquilinismo é uma associação positiva para um dos seres e neutra (sem prejuízo e sem ganho) para o outro (o que "aloja", o "dono da casa").

Quando um ser, o inquilino (espécie beneficiada), obtém proteção ou suporte, nunca alimento, no corpo da espécie hospedeira. É típica das plantas epífitas (bromélias e orquídeas) que aderem a um local alto no caule de uma árvore para um ótimo em luminosidade, nem o excesso da copa nem a luminosidade reduzida ao nível do solo.,

Conceito

Inquilinismo

O Inquilinismo assim com no caso do comensalismo, também no inquilinismo, apenas uma espécie beneficia-se, sem, que a outra espécie seja prejudicada.

Conceito

O inquilinismo é um tipo de relação ecológica entre dois organismo, apenas um sai beneficiado, mas o outro não sofre nenhum dano. Diferencia do comensalismo propriamente dito, porque no comensalismo um organismo se relaciona com outro para obter alimento, já no inquilinsmo o objetivo principal é a proteção e/ou moradia. A designação usada para relações desse tipo entre plantas é epifitismo. Por exemplo: bromélias que vivem sobre árvores (o objetivo central das bromélias é captar os raios solares).

Em animais também ocorre o inquilismo o exemplo mais conhecido é a relação entre o pepino-do-mar e o peixe agulha ou fieraster, o fieraster esconde-se na cavidade abdominal do pepino-do-mar que por sua vez perdeu parte das vísceras para despistar um predador que se aproximava. O fieraster se esconde dentro do pepino para poder ficar protegido de predadores, o peixe não causa nenhum dano ao Echinodermata (o pepino-do-mar) e o Echinodermata serve de abrigo temporário para o peixe.

O que é

O inquilinismo é uma relação ecológica intra-específica harmônica em que apenas uma das partes obtém benefício, sem prejuízo da outra. Geralmente essa associação ocorre como mecanismo de proteção, vivendo uma espécie (inquilina) sobre a superfície ou no interior da outra (hospedeira). Esse termo é normalmente empregado para associações de espécies vegetais, contudo também aplicável a organismos animais.

São exemplos de inquilinismo:

Em vegetais, especialmente entre as epífitas (plantas que vivem sobre outras plantas: as bromélias, as samambaias e as orquídeas), se desenvolvem sobre os galhos das árvores de grande porte. Este posicionamento favorável permite a considerável captação luminosa necessária ao processo de fotossíntese.

A existência dessas plantas, encontradas em extratos arbóreos elevados, ocorre a partir de eventos naturais relacionados à dispersão das estruturas de reprodução ( sementes ou gêmulas), por meio do hábito nutricional de alguns animais ou através do vento. Nesta relação não ocorre parasitismo com fornecimento de seiva elaborada ou bruta. Contudo as espécies inquilinas absorvem os nutrientes (partículas suspensas no ar e dissolvidas na chuva), armazenados em adaptações foliares (receptáculos) ou também através de raízes absorventes.

Nos animais, uma interação bem evidente, é a situação de inquilinismo existente entre o peixe-agulha e os pepinos-do-mar (Equinodermos). Quando em perigo estes pequenos peixes procuram abrigo no aparelho digestório desses equinodermos. Ainda no meio aquático marinho, também é possível a observação de quimeras (peixes cartilaginosos), fixados no dorso dos tubarões e arraias.

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal