Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Jaca - Página 6  Voltar

Jaca

Jaca

Nome popular: Jaca.

Nome cientifico: Artocarpus integrifolia L.

Luminosidade: Pleno sol ou meia sombra.

Porte: Até 20 metros de altura.

Frutos: Quase o ano todo.

Para saber se a jaca está madura e boa para o consumo, veja se as saliências estão bem desenvolvidas e amarelas. Quando pressionada com os dedos, deve ter consistência firme.

O fruto é de forma ovalada, irregular, com casca grossa e áspera com pequenas saliências, verde, ou amarelada. Nascem diretamente do tronco e dos galhos mais grossos e chegam a pesar até 15 Kg. e medir até 40 cm. É um sincarpo, ou seja, infrutescência produzida pela fusão dos frutos formados pelos ovários de flores vizinhas.

A parte comestível da jaca são os frutículos encontrados no interior dos grandes sincarpos. O interior do fruto é formado por vários gomos, sendo que cada gomo contém um grande caroço recoberto por uma polpa cremosa e branca, suculenta, viscosa e cheiro forte e característico, muito aromática.

Os gomos podem ser de consistência um pouco endurecida ou mole, conhecidas popularmente de jaca-mole e jaca-dura. As sementes, que são tóxicas cruas, são comestíveis quando assadas, grelhadas ou cozidas.

Para saber se a jaca está madura e boa para o consumo, veja se as saliências estão bem desenvolvidas e amarelas.

Quando pressionada com os dedos, deve ter consistência firme.

Fonte: www.brasilpaisagismo.com.br

Jaca

Jaca

Jaqueira (Artocarpus heterophillus) é uma árvore tropical cujo fruto é conhecido como jaca.

Sinonímia botânica: A. integer (Thunb.) Merrill, A. integrifolius auct. non L.f.

Etimologia

O nome científico Artocarpus deriva dos vocábulos gregos artos = pão e karpos = fruto, e o epíteto específico heterophyllus deriva dos vocábulos também gregos heteron = distinto e phyllus = folha, relativo às folhas que são distintas (sem lobos) às da planta da fruta-pão. O nome popular do fruto "jaca" foi dado pelos índios e vem do Tupi, significa "cesta".

O nome da fruta tem sido usado na expressão "enfiar o pé na jaca", para designar algum tipo de excesso ou extravagância promovida por alguém.

Ocorrência

Árvore originária da Índia e cultivada em todos os países tropicais do mundo. Foi introduzida no Brasil por volta do século XVIII através da Bahia e por essa razão algumas vezes é denominada de “jaca-da-bahia”.

Atualmente é cultivada em toda a região Amazônica e toda a costa tropical brasileira, do Pará ao Rio de Janeiro. Pela facilidade com que se dissemina, prolifera espontaneamente nas regiões mais quentes do país.

Outra versão tem a jaqueira como natural da América do Sul, por se tratar de uma árvore com alta incidência nos trópicos. Também foi denominada Artocarpus brasilienses pelos botânicos que primeiramente analisaram a flora brasileira (Chaves 1967).

Está registrada como árvore nativa do Brasil na única documentação legal que ainda existe, o livro "Flora Brasiliensis", resultado do trabalho do botânico alemão Carl Friedrich Philipp von Martius (1794-1868).

Características gerais

Árvore perenifólia, lactescente, de cerca de 20 m de altura, provida de copa mais ou menos piramidal e densa, com tronco robusto, de 30-60 cm de diâmetro, revestido por casca espessa. Folhas simples, alternas, inteiras (lobadas apenas nos indivíduos jovens), afixadas aos ramos através de um curto pecíolo de cerca de 1 cm de comprimento.

Planta cauliflora e monóica, ou seja, as flores masculinas e femininas estão separadas em diferentes inflorescências na mesma planta. As flores masculinas estão agrupadas em espigas claviformes e as femininas em espigas compactas.

O fruto é um sincarpo de forma ovalada originada do desenvolvimento da inflorescência feminina. Estes nascem diretamente do tronco e dos galhos mais grossos e chegam a pesar até 10 kg e medir até 40 cm de comprimento. A literatura cita pesos (acima de 30 kg) e tamanhos muito maiores, contudo nunca encontramos no país frutos maiores que isso.

A parte comestível da jaca são os frutículos encontrados no interior dos grandes sincarpos, em grande número, ultrapassando a centena. Estes nada mais são do que o desenvolvimento dos ovários das flores, constituindo os “bagos”, de cor amarelada, envoltos por uma camada grudenta, sabor doce e cheiro forte e característico, reconhecível a longa distância.

Os bagos podem ser de consistência um pouco endurecida ou totalmente mole, daí a distinção de duas variedades muito conhecidas e denominadas popularmente de “jaca-mole” e “jaca-dura”.

Utilidades

Jaca
Jaca

A maior utilidade da jaqueira são seus deliciosos frutos largamente consumidos nas regiões tropicais do Brasil, chegando em algumas regiões, como no Recôncavo Baiano, a constituir-se em alimento básico para comunidades rurais.

Geralmente são consumidos no estado in natura, contudo são freqüentemente transformados em doces e geleias caseiras. Também pode ser consumida cozida como se fosse um vegetal.

Na Índia sua polpa é fermentada e transformada num tipo de aguardente. As sementes também podem ser consumidas depois de assadas ou cozidas, possuindo sabor semelhante a castanha européia e sendo inclusive consideradas ligeiramente afrodisíacas.

Disseminação

Introduzida no Brasil, a jaqueira demonstrou excelente adaptação, convertendo-se atualmente em um problema. A planta apresenta grande fecundidade, alto índice de crescimento e grande porte, além de absorver grande quantidade de água.

A jaqueira tem se reproduzido em alta velocidade, sessenta por cento das sementes vingam, ocupando o espaço de plantas nativas. Isto tem representado um problema para as áreas de conservação ambiental.

Disseminação

No Brasil, o Major Archer utilizou a jaqueira no Reflorestamento do Maciço da Tijuca, simplesmente porque não havia água no local e nenhuma outra arvore desenvolvia. Foram utilizadas mudas da fazenda do Major, trazidas do interior do Estado do Rio de Janeiro.

A jaqueira foi a primeira arvore a conseguir florescer dentro dos limites do Parque Nacional da Tijuca.

Jaca Dura
Jaca Dura

Propagação e Formação de mudas:

A propagação da jaqueira pode dar-se via vegetativa - borbulhia em janela aberta e encostia (produzem mudas para plantios comerciais) e via sexuada (utilizando-se de sementes).

Formação de mudas via sementes: Sementes - os frutos fornecedores das sementes devem ser obtidos de árvores precoces, vigorosas, sadias e de boa produção; as sementes devem ser retiradas do fruto e mergulhadas em água fria por 24 horas e semeadas, a seguir (baixa viabilidade).

Folha de jaqueira
Folha de jaqueira

Recipientes: podem ser sacos de polietileno preto, dimensões 20cm. x 30cm. , cheios com mistura de terra areno-argilosa ou terra de mata (3 partes) e esterco de curral bem curtido (1 parte).

Os sacos podem ser colocados em fileiras duplas espaçadas de 60-80cm. e o viveiro deve ser coberto com folhas de palmeiras para proporcionar, inicialmente, 50% de sombra; a medida que as mudas desenvolvem-se vai-se permitindo entrada de mais luz.

O semeio é feito colocando-se 2 a 3 sementes, em posição horizontal, a 3 a 5cm. de profundidade; quando mudinhas tiverem 5cm. de altura efetuar o desbaste deixando a mais vigorosa. Alcançando 15 a 20cm. de altura a muda estará apta a ser plantada em local definitivo. As irrigações devem ser feitas sem excessos.


A jaqueira não necessita de muita água, mas não pode ter sombra de outras árvores para se desenvolver.

Fonte: pt.wikipedia.com.br

voltar 123456avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal