Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  James Bradley  Voltar

James Bradley

James Bradley nasceu em Sherborn em Gloucesteshire, na Inglaterra, em Março de 1693.

Ele estudou Teologia no Balliol College, Oxford e por volta de 1715 passou a dedicar-se exclusivamente a astronomia.

Ele foi iniciado em astronomia observacional pelo seu tio, James Pound, um hábil astrônomo amador e que o apresentou ao famoso astrônomo Edmond Halley.

James BradIey
James Bradley

Em 1718 ele foi eleito para Royal Society por recomendação de Halley.

Em 1721 tornou-se professor de astronomia de Oxford e, mais tarde, em 1724 com a morte de Halley, o substitui tornando-se astrônomo do observatório de Greenwich. Bradley é reconhecido devido sua descoberta da aberração de estrelas fixas, que foi anunciada no An Account of a New Discovered Motion of Fixed Stars, publicado na Philosofical transactions, em 1728.

Sua descoberta foi uma evidência observacional direta de que a terra estava orbitando ao redor do sol. Para explicar a aberração, ele assumiu que a luz tinha uma velocidade finita e, pela primeira vez, consegue medir a velocidade da luz com a melhor precisão até a época.

O valor obtido por ele foi de 295000 km/s que apresenta um erro de 2% em relação ao valor atual aceito. Esta descoberta decorreu de observações realizadas a partir de 1725, sobre a posição exata da estrela gama Draconis. "Quase tão importante quanto essa descoberta foi à verificação de que, para a exata determinação da posição de uma estrela, devem ser consideradas as precessões dos equinócios, já conhecidas dos astrônomos da Antiguidade, a aberração da luz e, bem assim, a ação da Lua sobre a posição do eixo terrestre no espaço".(Enc. Mirador - pág. 1524) Bradley morreu em Chalford em 13 de Julho de 1762.

Fonte: www.conviteafisica.com.br

James Bradley

1693 - 1762

Astrônomo inglês nascido em Sherborne, Gloucestershire, descobridor da aberração da luz das estrelas (1728) e da Nutação de Bradley, variação periódica da inclinação do eixo terrestre sob a ação gravitacional da Lua (1748), cujo período é 18,6 anos, provando a evidência da revolução da Terra em volta do Sol. Formou-se em teologia na Universidade de Oxford (1715), obteve o M.A. no Balliol College, Oxford (1717), foi eleito fellow para a Royal Society (1718), por indicação de Edmond Halley, e vigário de Bridstow (1719).

Professor de astronomia em Oxford (desde 1721), com o fim de comprovar o fenômeno da paralaxe, registrou um desvio não previsto na posição da estrela gama-Draconis (1725) que só depois de três anos de pesquisas interpretou o fato como um desvio aparente provocado por um efeito do deslocamento da Terra em sua órbita, em velocidade não desprezível em relação à da luz.

Com base nessa explicação, pôde calcular melhor a velocidade da luz e calculou-a em 183.000 milhas por segundo ou 295.000 quilômetros por segundo (1728). Sucedeu a Halley no cargo de astrônomo real no Observatório de Greenwich (1742), por suas técnicas de precisão em medidas astronômicas e morreu em Chalford, Gloucestershire. Seus trabalhos foram reunidos na obra Observações astronômicas no observatório real de Greenwich. Ganhou a Copley Medal by Royal Society of London (1748).

Fonte: www.dec.ufcg.edu.br

James Bradley

James Bradley
James Bradley

James Bradley (Março de 1693, Sherboren, Inglaterra – 13 de julho de 1762, Chalford) foi um astrônomo inglês, Astrônomo Real Britânico a partir de 1742. Ele é mais conhecido por ter descoberto o fenômeno chamado aberração da luz.

Vida e obra

Bradley nasceu em Sherborne, Gloucestershire, perto de Cheltenham, em março de 1693. Entrou no Balliol College, Oxford, em 25 de março de 1711, e obteve títulos de B.A. and M.A. em 1714 e 1717 respectivamente. Suas primeiras observações foram feitas em Wanstead, em Essex, sob a tutela de seu tio, o reverendo James Pound (também astrônomo) e foi eleito para a Royal Society em 6 de novembro de 1718.

Preparou-se para ser vigário de Bridstow no ano seguinte, e uma pequena sinecura no País de Gales foi-lhe oferecida por seu amigo Samuel Molyneux. Renunciou à vida eclesiástica em 1721, quando foi indicado à cadeira de Astronomia na Universidade de Oxford após, como leitor em Filosofia experimental (1729 - 1760), ter proposto 79 cursos de leituras no Museu Ashmolean.

Sua memorável descoberta da aberração da luz foi anunciada à Royal Society em janeiro de 1729 (Phil. Trans. xxxv. 637). As observações nas quais era baseada sua descoberta fora feitas em Molyneux’s house , em Kew Green. Ele não anunciou a detecção suplementar de nutação até 14 de fevereiro de 1748 (Phil. Trans. xlv. I), quando ele testou sua existência através de observações detalhadas durante uma revolução completa (18,6 anos) dos nódulos lunares. Em 1742, Bradley foi indicado para a sucessão de Edmund Halley como Astrônomo Real Britânico; sua reputação ajudou-o a fazer um pedido por um conjunto de instrumentos a um custo de mil libras esterlinas; e com um quadrante de oito pés realizado para ele em 1750 por John Bird, ele acumulou em Greenwich, em dez anos, materias de valor inestimável para a reforma da Astronomia. Uma pensão real de 250 libras esterlinas por ano foi-lhe concedida em 1752.

Ele aposentou-se com uma saúde debilitada, nove anos mais tarde, na cidade de Chalford, em Gloucestershire, onde morreu em Skiveralls House em 13 de julho de 1762. A publicação de suas observações foi retardada por disputas sobre sua propriedade, mas elas foram finalmente publicadas por Clarendon Press, Oxford, em dois volumes folio (1798, 1805). O interesse e o trabalho de Friedrich Wilhelm Bessel foram, no entanto, necessários ao desenvolvimento de sua importância fundamental.

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal