Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia da Saudade  Voltar

Dia da Saudade

 

30 de Janeiro

A palavra Saudade traz em si, diversos significados que podem ser interpretados de acordo com o contexto onde é aplicado. Sua origem encontra-se no Latim, Solitate, e se pesquisada, descobriremos que a conotação contemporânea distanciou-se da original. Saudade não mais se refere ao sentimento de solidão preservado em variações de línguas românicas como o espanhol: soledad e soledat.

Sobre a saudade, podemos encontrar definições como "Sentimento mais ou menos melancólico de ausência, ligado pela memória à situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável"; ou "Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoa ou coisa distante ou extinta. Pesar pela ausência de alguém que nos é querido". Como sinônimos, encontramos Lembrança e Nostalgia.

Em 30 de janeiro celebra-se o "Dia da Saudade". Na gramática Saudade é substantivo abstrato, tão abstrato que só existe na língua portuguesa. Os outros idiomas têm dificuldade em traduzi-la ou atribuir-lhe um significado preciso: Te extraño (castelhano), J'ai regret (francês) e Ich vermisse dish (alemão).

No idioma inglês encontramos várias tentativas: homesickness (equivalente a saudade de casa ou do país), longing e to miss (sentir falta de uma pessoa), e nostalgia (nostalgia do passado, da infância). Mas todas essas expressões estrangeiras não definem o que sentimos.

São apenas tentativas de determinar esse sentimento que nós mesmos não sabemos exatamente o que é. Não é só um obstáculo ou uma incompatibilidade da linguagem, mas é principalmente uma característica cultural daqueles que falam a língua portuguesa.

Saudade

Saudade não tem cor, mas pode ter cheiro. Não podemos ver nem tocar, mas sabemos o quanto é grande. Pode ser o sentimento que alimenta um relacionamento amoroso ou apenas o que sobra dele. Pode ser uma ausência suave ou um tipo de solidão. Pode ser uma recordação daquele momento e daquela pessoa, que um dia, mesmo sabendo ser impossível, ousamos querer reviver e rever. É a dor de quem encontrou e nunca mais encontrará, de quem sentiu e nunca mais voltará a sentir. A saudade se combina com outros sentimentos e procria-se. A soma da saudade com a solidão é igual a Dor. O resultado da saudade com a Esperança é a Motivação.

Saudade é uma só, em diferentes palavras. É comum encontrá-la grafada nas lápides em alusão a dor da ausência provocada pela morte. Mas na Literatura e na Música é um tema crônico. É quem arquiteta a estrofe e conduz o tom. Não importa o gênero literário ou o estilo musical, não importa o autor, a época ou a situação.

Casimiro de Abreu versificou sua saudade da infância: "Oh! que saudades que eu tenho / Da aurora da minha vida / Da minha infância querida / Que os anos não trazem mais!". Álvares de Azevedo antecipou a saudade mortal: "Se eu morresse amanhã, viria ao menos / Fechar meus olhos minha triste irmã / Minha mãe de saudades morreria / Se eu morresse amanhã!". A poetisa portuguesa, Florbela Espanca, também registrou sua saudade: "E a esta hora tudo em mim revive / Saudades de saudades que não tenho... / Sonhos que são os sonhos dos que eu tive...".

O Rock brasileiro transformou a saudade numa de suas bandeiras. Renato Russo cantou: "nessa saudade que eu sinto / De tudo que eu ainda não vi". Ainda nas canções de Renato: "dos nossos planos é que tenho mais saudade". Entre o Rock e a MPB, Cazuza, declarou: "Saudade do que nunca vai voltar / E dos amigos que se foram / Eu hoje estou com saudade". Tom Jobim e Vinícius de Moraes compuseram: "Chega de saudade / A realidade é que sem ela não há paz...".

Saudade é um registro fiel do passado. É a prova incontestável de tudo que vivemos e ficou impresso na alma. Ao confessarmos uma saudade, na verdade, estamos nos vangloriando de que, ao menos uma vez na vida, conhecemos pessoas e vivemos situações que foram boas, e serão eternas em nossa alma. Nutri-la, é alimentar o espírito e a própria existência.

Se há tantas e, ao mesmo tempo, tão imprecisas definições de saudade, resta-nos apenas cultivá-la e alimentá-la com pensamentos, músicas, perfumes, fotografias, lugares, fins de tarde e madrugadas. Saibamos viver plenamente o presente, pois ele será a saudosa lembrança de amanhã.

Saudade - Crônica de Miguel Falabella

Trancar o dedo numa porta dói.

Bater com o queixo no chão dói.

Torcer o tornozelo dói.

Um tapa, um soco, um pontapé, doem.

Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.

Mas o que mais dói é a saudade.

Saudade de um irmão que mora longe.

Saudade de uma cachoeira da infância.

Saudade de um filho que estuda fora.

Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.

Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu.

Saudade de uma cidade.

Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa.

Doem essas saudades todas.

Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.

Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.

Saudade da presença, e até da ausência consentida.

Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.

Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.

Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.

Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.

Saudade é basicamente não saber.

Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio.

Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia.

Não saber se ela ainda usa aquela saia.

Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.

Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada; se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial; se ela aprendeu a estacionar entre dois carros; se ele continua preferindo Malzbier; se ela continua preferindo Margarita; se ela continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados; se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor; se ela continua cantando tão bem; se ela continua detestando o Mc Donald's. Se ele continua amando; se ela continua a chorar até nas comédias.

Saudade é não saber mesmo!

Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos;

Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;

Não saber como frear as lágrimas diante de uma música;

Não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.

Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.

É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...

É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.

Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer;

Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler...

Fonte: www.spectrumgothic.com.br

Dia da Saudade

30 de Janeiro

No dia 30 de janeiro se comemora o Dia da Saudade. A palavra vem do latim solitate, que na tradução literal quer dizer solidão. Mas em nossa língua ela adquiriu um significado bem mais romântico, como nos mostra o Dicionário Aurélio:

Saudade: Substantivo feminino

Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoas ou coisas distantes ou extintas, acompanhada do desejo de tornar a vê-las ou possuí-las; nostalgia.

Este sentimento sempre foi tema de músicas, poemas, filmes e não há quem já não o tenha sentido.

Temos saudades de pessoas, de momentos, de situações, de lugares. Sentimos falta de tudo o que nos faz bem. E, como dizem que relembrar é viver, a saudade nos transporta para um tempo em que fomos mais felizes, trazendo, muitas vezes, lembranças doloridas.

E para desejar a todos um Dia da Saudade cheio de boas lembranças, nos apropriamos de um poema do grande Mário Quintana:

Saudade

Na solidão na penumbra do amanhecer.
Via você na noite, nas estrelas, nos planetas,
nos mares, no brilho do sol e no anoitecer.

Via você no ontem , no hoje, no amanhã...
Mas não via você no momento.

Que saudade...

Mário Quintana

Fonte: www2.portoalegre.rs.gov.br

Dia da Saudade

30 de Janeiro

ORIGEM DE SAUDADE

Foram criadas tantas comemorações, tantos dias e homenagens, só não foi criado até agora o "dia da saudade". Estamos devendo essa à nossa língua, pois só nela pode ser expresso este sentimento e, segundo Bastos Tigre, nas suas trovas, por "ela valeu a pena inventar-se o português".

Pode-se refutar o argumento dizendo que em outras línguas pode-se expressar o mesmo com outra forma como "I miss you", "tengo nostalgias de usted", "je languis de toi". Mas nenhuma tem o mesmo conteúdo semântico de tristeza e vontade de rever, resumido em uma única palavra que pode ser assim definida: "Saudade não é lembrança, nem mesmo recordação, saudade é a dor da ausência, maltratando o coração".

Também pode ser dito que o Dia de Finados já é uma data da saudade, mas nós não temos saudades apenas de quem partiu para sempre. Temos saudades até de nós mesmos, das faces que perdemos nos vários espelhos que refletiram nossa imagem e, às vezes, temos saudade e não sabemos nem de quê, como dizem os versos: "Eu hoje estou com saudade não sei ao certo de quê. de um dia de claridade, de um carinho de verdade, de ouvir a voz de você/ Eu sinto uma falta louca de um sonho bom que morreu, da alegria que foi pouca... de um olhar que não se vê... pois não há maior saudade que essa estranha ansiedade não sei ao certo de quê".

Saudade

Fernando Pessoa tomou-a como mote constante, sentimento emblemático de seu povo: "Saudades, só portugueses/ Conseguem senti-las bem/ Porque têm essa palavra/Para dizer que as têm".

Porém, não são apenas os portugueses, e sim todos aqueles que usam a língua portuguesa, que com o termo exprimem o sofrido sentimento. A vida vai tecendo laços e tudo que tece são pedaços do vir-a-ser que se transforma em ser. Assim, a saudade aportou no Brasil com a colonização e, sendo o Recife um dos primeiros, senão o primeiro porto a ser tocado na rota, ela aqui aportou e fez sua morada em nosso Pernambuco.

Na nossa poesia, ela é dominante, ora representada pela "cotovia" em Bandeira, saudade da terra natal e da perdida alegria da infância, ora representada pela "noite de São João", junto com os entes queridos que estão "dormindo profundamente".

Olegário Mariano, ligando-a ao "amor" na encruzilhada do "Destino", diz que "ela veio ao mundo para ser boa e dar o seu sangue a quem a queira". Outros dizem ser "parte de nós que alguém leva, parte de alguém que nos fica". O sábio e saudoso Luiz Gonzaga avisava que a saudade é boa quando "a gente lembra só por lembrar, porém se vive a sonhar com alguém que se deseja rever, saudade aí é ruim", e eu digo isso por mim. É também, paradoxalmente, um dos temas recorrentes no tempo da folia, nas letras do frevo canção e de bloco - "a dor de uma saudade vive sempre no meu coração" -, a cantar as saudades do amor perdido ou da terra natal. Os versos emocionam lembrando que "a saudade é tão grande que até me embaraço ou ainda que é tão grande a saudade que até parece verdade que o tempo ainda pode voltar".

Grande ilusão! De etimologia incerta, as formas arcaicas primeiras foram "suidade, soedade e soidade", na fase do galego-português. Teria vindo assim de "soledade", solidão. Também foi levantada a hipótese de vir de "salutate", uma saudação bastante usada nas despedidas das cartas romanas. Até a influência de "saúde" já foi aventada. A dificuldade de explicar a mudança fonética fez João Ribeiro opinar que saudade tem origem no árabe "saudá", profunda tristeza. A outra hipótese (meio fantasiosa) é ter derivado de "Ceudda", forma bérbere de dizer Ceuta, fortaleza distante onde os soldados passavam longo tempo ausentes da terra natal.

O que fica, na verdade, é que com esta palavra, marca-se um estado de espírito que outras línguas não exprimem com precisão, sentimento muito próprio dos que usam o português como língua materna.

Porém, como diz o poeta, "uma coisa é cantá-la e outra coisa é senti-la". Bem que a saudade mereceria um dia para ser comemorada, entre nós, falantes do português, seus eternos cantores e cultores. Mas, enquanto esse dia improvável não vem, cada um escolha seu dia pessoal e intransferível, para comemorar todas as saudades que sentiu, sente e carrega consigo pela vida afora, seja ela longa ou ainda curta.

Nelly Carvalho

Fonte: intervox.nce.ufrj.br

Dia da Saudade

30 de Janeiro

saudade é a memória de algo ou alguém ausente - lembrança nostálgica e suave -, que vem junto com a vontade de ver novamente a pessoa ou o lugar que nos falta. É comum se manifestar entre parentes, amigos, casais enamorados, casados ou não.

Quando viajamos, e depois retornamos, a sensação de nostalgia em relação aos novos lugares que conhecemos - principalmente aqueles de que mais gostamos - se faz muito presente, como no início de um amor.

Ou, ao contrário, acontece de viajarmos e sentirmos saudade de nossa terra, nossa casa, travesseiro e cobertor ou simplesmente do pôr-de-sol visto de nossa própria janela.

É... te extraño em espanhol, I miss you em inglês, j'ai regret em francês, ich vermisse dish em alemão...

Uma apologia da saudade

Saudade

O educador Gilberto Freyre, em excelente artigo sobre saudade, faz, digamos assim, uma espécie de elogio a esse sentimento tão cantado em prosa e verso pela literatura universal. Ele mesmo cita Camões para explicar o porquê de ser um simpatizante da saudade.

De acordo com ele, a saudade do passado, aliada à fé no futuro, podem se completar de maneira brilhante, para erguer ou reerguer os valores de um povo ou nação.

E afirma: "A saudade do Brasil fez com que José Bonifácio renunciasse às vantagens que lhe eram oferecidas pela Europa e viesse ser, em sua terra (...) o campeão da independência nacional e o primeiro organizador do futuro do Brasil. (...) A saudade do Brasil fez com que Gonçalves Dias escrevesse no exílio os, há mais de um século, popularíssimos versos "Minha terra tem palmeiras".

Os homens criativos, portanto, têm encontrado na saudade do passado - individual ou coletivo -, os estímulos necessários para as inovações de que precisam para o futuro.

Luís de Camões, poeta português, escreveu o livro "Os Lusíadas", fortemente marcado por um sentimento de saudade dos tempos gloriosos de Portugal (das conquistas marítimas portuguesas).

Quem tem medo da saudade?

Dizem que todo encontro traz em si a possibilidade da separação. E que daí viria certo sentimento de tristeza ou melancolia experimentada pelos enamorados, quando estão juntos.

Quem já não se deparou ou se viu nessa cena? O casalzinho sentado de mãos dadas, cabisbaixos, tristes de amor: tristes de uma possível saudade. Seria, assim, uma forma de saudade antecipada. Que, talvez, jamais venha, mas está ali, entre os dois, como algo que pode ser, pode acontecer, pode vir.

A saudade, enfim, faz parte do nosso dia-a-dia, sem nem nos darmos conta. Terminais rodoviários, aeroportos, estações de trem e mesmo e-mails enviados pela rede internet no mundo inteiro são ambientes onde a saudade, em alguns casos, também se manifesta.

E a pergunta se repete: quem tem medo da saudade? A saudade é sempre saudade de coisas boas que vivemos ou vimos, ninguém sente saudade de tragédia, não é, mesmo?

E como no encontro, a possibilidade da separação é presente, da mesma forma, na saudade, a possibilidade do encontro nos rodeia.

Nada de temores, então. Se tiver que sentir alguma coisa sobre o que se viu e viveu, que seja saudade.

Fonte: Planeta Educação

Dia da Saudade

30 de Janeiro

O QUE É SAUDADE

Saudade, é levar dentro do coração 
a presença de um ausente querido...
é sentir a emoção 
de um amor perdido...
é ter a sensação
daquele beijo sentido...
saudade, é simplesmente,
sentir como permanente,
aquele alguém ausente,
cuja presença se pressente,
é aquele passado,
sempre lembrado, 
que queremos de presente
no momento presente...
Esperamos que se apresente,
voltando em caráter permanente...
É um doce sentimento,
lembrado sem lamento,
de um momento de felicidade,
a ser lembrado apenas... com saudade..

Marcial Salaverry

Saudade

SAUDADE

Me perguntas o que é Saudade...

Saudade, eu te juro, é verdade ! 
É tristeza sem fim, um vazio...
Presença distante, 
um olhar suplicante,
um mundo sombrio!

Saudade é a esperança sofrida,
um coração já sem vida 
que a nostalgia amortalha... 
Bem maior do que a dor, 
a saudade é como a flor 
que o orvalho da noite agasalha...

Saudade é isto, não me iludo. 
Um vento frio, 
um olhar perdido, distante e mudo...
Uma sombra que a alma acaricia... 
Saudade é como o vento, 
que rasga o espaço e deixa seu sopro por traço...
É como a noite surgindo sempre após o dia...

Saudade é mesmo um simples beijo, 
uma lembrança fagueira, uma criança trigueira, 
um soluço no peito represado, 
um grito na garganta sufocado...
Saudade é um vestido cor de rosa, 
um laço de fita no cabelo que se agita,
uma angústia dolorosa.

Saudade é muitas vezes 
a flor que nasce de um botão, 
o mar bravio, a imensidão, a noite fria, 
uma canção, e até os versos que te fazia...
Saudade é a tarde fugindo, 
é a noite surgindo, 
trazendo a dor que consome...

Saudade é a lua saindo, 
do fundo do mar emergindo, 
riscando em prata teu nome! 
Me perguntas o que é saudade... 
Saudade, eu te digo: 
É como a dor inclemente, 
só sabe mesmo é quem sente...

Nelson de Medeiros Teixeira

Fonte: www.meu.cantinho.nom.br

Dia da Saudade

30 de Janeiro

Saudades!!!!

Palavra composta de quatro vogais e quatro consoantes, que quer dizer tudo e não diz nada.

Na saudade está o silêncio... será que se escreve saudades com S de silêncio?

Quem inventou está palavra?

Será que sabia quantos sentimentos existia neste conjunto de letras?

Por que não vontade louca de saber de ter de ver?
Por que não medo, insegurança, incerteza?
Por que não desejo de voltar....?

Será que o A de saudades é o A de Até breve?

Será que saudade é para rimar com felicidade?
Não!!!, Saudade rima com dor..., se rimar com felicidade seria a de reencontrar, mas aí já não é saudade, aí vira realidade...

E o U da saudade?
Será de ultimamente?
Será de únicamente?
Ou será um U de um urro de dor?

Saudades!!!!!!!
Palavra pequena para transmitir tantos sentimentos.
Não descreve nosso amanhecer sem você.
Não descreve as horas das refeições, nem daquele gostoso papos de fim de noite.
Não descreve tua cama vazia, nem meus sonhos em conflitos.

E o D da saudade?
Será de quanto em quanto tempo?
Será que por isto ele se repete?
Ou será o D do Dedo de Deus?

Mas que palavra é essa, que não descreve nada!!!!!
Não fala em afago, em carinho, em você
Não reflete teu rosto, nem teu sorriso bonito, com tuas covinhas na face que o fazia mais doce, mais perfeito.

E o E da saudades?
Será de estar junto?
Será de esperança?
Ou será de eu te amo?

Saudades, palavra tão pequena... mas poderia ter um acróstico, que cada vogal ou consoante teriam infinitas explicações, descreveria infinitos sentimentos, que molhariam lenços e fronhas....

Saudades!!!!!
Será de novo o S do silêncio?
Ou o S de sofrer?
Ou o S de Será?

Será que a palavra saudades, esta relacionada com sonhar?
Será que significa voltar?
Ou saudades é um eterno esperar........

Fernanda Queiroz

Saudade

Fonte: www.poemas-de-amor.net

Dia da Saudade

30 de Janeiro

A PALAVRA SAUDADE

Segundo Bess Sondel, as palavras podem suscitar todas as emoções; pasmo, terror, nostalgia, pesar... As palavras podem desmoralizar uma pessoa até a apatia ou espicaçá-la até o deleite, podem exaltá-la a extremos de experiência espiritual e estética.

As palavras têm um poder assustador.

E tudo isso é muita verdade, não acredito haja alguém que duvide. As palavras têm uma força, uma resistência, um poder que suplantam quase tudo que existe no mundo.

Passam exércitos, passam impérios, passam repúblicas, mas as palavras não passam. Elas são permanentes, mais firmes do que os granitos dos palácios e dos monumentos.

As palavras de Sócrates, escritas por intermédio de Platão, suplantaram todos os governos gregos e suas obras militares ou civis. Passarão as pirâmides e a esfinge do Egito, mas as palavras do "Livro dos Mortos" não desaparecerão.

Deve ser por isso que nós dispomos, na Língua Portuguesa, de uma palavra que não tem igual no mundo em sentido, em significado, em força, tanto no aspecto denotativo (se isso é possível!) como no conotativo.

É a palavra saudade, de origem tão obscura como o fundo dos mares portugueses, tão misteriosa como a virgindade das selvas brasileiras, ou tão cheia de calor como as terras de Angola ou Moçambique, também de linguajar lusitano.

De onde veio realmente o vocábulo saudade? Do latim solitate (soledade, solidão)?

Do árabe saudah. Dos arcaísmos soydade, Até Antenor Nascentes, que foi nosso melhor estudioso da etimologia, não é convincente na explicação da origem. Influência da palavra saúde, como pode parecer uma analogia fonética? Dificilmente.

Não sendo possível definir a matriz de onde sai esta filha tão grata a todos nós, resta-nos apenas a satisfação e a honra de tê-la em nosso vocabulário, sem o perigo de competição por parte de qualquer língua de dentro ou de fora de nossa família latina.

O francês solitude está longe de ter o mesmo significado. Mesmo do esperanto (re)sopiro e rememoro estão longe de alcançar nossa expressividade. São termos que passam a quilômetros de distância da riqueza semântica do que usamos.

E o que é mesmo saudade? Um sentimento que deve existir no coração de toda criatura humana, seja ela de qualquer raça, de qualquer parte do mundo, seja pobre, seja rica.

A saudade não escolhe, não discrimina, não se faz de rogada para existir. Ela vem de mansinho ou vem fortemente, chegando quando menos se espera.

A saudade é amiga da solidão, companheira inseparável do amor, visita invisível da amizade, às vezes pedaço de paixão, em muitos casos suave perfume de momentos de carinho e ternura.

Realmente, não é fácil definir o sentimento da saudade. E é talvez por isso que ela só exista, como palavra, na Língua Portuguesa, na mística do povo de nossa raça, principalmente no brasileiro, esta maravilhosa mistura de sangue tropical, fruto de três origens: a branca, a negra e a tupi.

Saudade é dor que sufoca o coração e alegra a alma. Saudade é presença do ausente, é lembrança do bem-querer, um doce convívio com a distância, uma alegre e agradável tristeza do ver-não-vendo, do amar sem o objeto do amor...

Wanderlino Arruda

O QUE É SAUDADE?

Saudade é sentir falta, mesmo quando se está perto.

Saudade é sentir a presença ausente mesmo quando se está longe.

É sentir a alma chorar de solidão, de tristeza...

Saudade é gritar por dentro um nome.

Um grito surdo lançado aos céus numa busca vã mesmo sabendo que não será ouvido e, ainda assim, sonhar que foi e esperar resposta.

Saudade é morrer um pouco a cada dia e renascer do desespero, da ansiedade pela simples possibilidade de uma presença desejada...

É morrer de alegria nos raros momentos juntos e viver sabendo que esse momento só servirá para enriquecer o arsenal de tristeza, de ausência, de falta, do mais puro e torturador desejo de ver, de ouvir, de fitar o olhar, de sentir, de tocar, de possuir e depois, como uma maldição eterna, novamente perder e lamentar e causar uma enchente de lágrimas no coração.

Jose Dias

Fonte: recantodasletras.uol.com.br

Dia da Saudade

30 de Janeiro

Frases Sobre Saudade

A alegria de saber que você existe faz-me forte para suportar a tristeza de sua ausência. (Anônimo)

A ausência diminui as paixões medíocres e aumenta as grandes, assim como o vento apaga as velas, mas atiça as fogueiras. 
(Anônimo)

A ausência torna o coração mais amante. (Sexto Aurélio Propércio - Poeta latino - 47/ 15 a.C.)

A casa da saudade chama-se memória: é uma cabana pequenina a um canto do coração. (Henrique Maximiliano Coelho Neto - Romancista e contista brasileiro - 1864/ 1934)

A distância, a saudade e a sua falta me fizeram amar você ainda mais. (Anônimo)

A distância impede que eu te veja, mas não impede que eu te ame. (Luiz Carlos Ijalbert)

A distância pode causar saudades, mas nunca o esquecimento! (Anônimo)

A distância pode separar dois olhares, mas nunca dois corações. (Anônimo)

A saudade é a luz viva que ilumina a estrada do passado. (Anônimo)

A saudade é um lago transparente a refletir sempre a imagem da pessoa ausente. (Anônimo)

A saudade é um sentimento do coração que vem da sensibilidade e não da razão. (Dom Duarte)

A saudade não mata, mas martiriza um sincero coração. (Anônimo)

A saudade precisa de distância para crescer. (Pedro Bloch)

A sua ausência nos causa profunda tristeza, mas relembrar as alegrias que você gerou entre nós é como se você aqui estivesse presente. (Anônimo)

Apesar da distância, saiba que podemos estar tão próximos quanto as pessoas possam imaginar. (Anônimo)

Aquele que inventou a distância não conhecia a dor da saudade... (Anônimo)

Como é bom contemplar o céu, interrogar uma estrela e pensar que ao longe, bem longe, um outro alguém contempla este mesmo céu, essa mesma estrela e murmura baixinho: "Saudade!". (Anônimo)

Debruço-me na sua ausência como se o vazio dotado fosse de ombros largos, cor, calor e pudesse me ouvir ao relento roçar o ponto mais sensível da imensa falta que você faz. (Antonio Carlos Mattos)

Depois de mandar-te embora foi que - cego! - percebi, que eras a felicidade que eu tinha em mãos, e perdi. (Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti - Advogado, professor, jurista, magistrado e poeta brasileiro - 1888/ 1963)

Em cada ato, um momento; em cada momento, um pensamento; em cada pensamento, uma saudade; em cada saudade, você... (Anônimo)

Faça da sua ausência o bastante para que alguém sinta sua falta, mas não prolongue-a demais para que esse alguém não aprenda a viver sem ti. (Anônimo)

Guarda estes versos que escrevi chorando como um alívio a minha saudade, como um dever do meu amor; e quando houver em ti um eco de saudade, beija estes versos que escrevi chorando. (Joaquim Maria Machado de Assis - Escritor brasileiro -1839/ 1908)

Longe de ti, o meu coração se esvai, e, aos poucos, se perde dentro de tua saudade. E fico perguntando as coisas quando chegarás... É preciso que venhas para que meu olhar se encha de luz e meu coração faça para ti uma canção de alegria... (Anônimo)

Nada pode substituir o calor de um cumprimento face a face. Mesmo assim, pensamentos podem cruzar a distância e levar sorrisos e abraços, de lembrança... (Anônimo)

Não importa se você está perto ou longe, o que importa é que você existe para que eu possa sentir sua falta. (Anônimo)

Num deserto sem água, numa noite sem lua, numa terra nua, por maior que seja o desespero, nenhuma ausência é mais profunda que a tual (Sophia de Mello Breyner Andreseno)

Para sempre é muito tempo. O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo... (Mário Miranda Quintana -Jornalista e poeta brasileiro - 1906/ 1994)

Preciso de um antídoto para diminuir a saudade e só você o possui. (Anônimo)

Quando a saudade é demais, não cabe no peito: escorre pelos olhos. (Anônimo)

Quando as pessoas inventaram a distância, esqueceram que existia saudade. (Anônimo)

Quando uma brisa leve tocar teu rosto não se assuste: é apenas a minha saudade que te beija em silêncio. (Anônimo)

Saudade: doce poema que ninguém entendeu! Vontade de ter de novo aquilo que se perdeu! (Anônimo)

Saudade é a dor da ausência. (Silva Lobato)

Ter saudade é melhor do que caminhar sozinho. (Peninha - Cantor brasileiro)

A saudade é a memória do coração. (Henrique Maximiliano Coelho Neto - Romancista e contista brasileiro - 1864/ 1934)

Saudade, não sei de onde veio nem para onde vai; só sei que da minha vida, sua lembrança não sai. (Anônimo)

Saudade são águas passadas que se acumulam em nossos corações, inundam nossos pensamentos, transbordam por nossos olhos, deslizam em gotículas de lembranças que por fim, morrem na realidade de nossos lábios. (Anônimo)

Se olhares para o céu prestes a chover Lembre-se que são meus olhos que choram por não te ver! (Anônimo)

Se meus suspiros pudessem a teus ouvidos chegar, verias que uma saudade é bem capaz de matar (Trova Popular)

Viva de maneira que sua presença não seja notada, mas que sua ausência seja sentida. (Padre Mustafa)

Fonte: www.casadobruxo.com.br

Dia da Saudade

30 de Janeiro

Raul Seixas
Composição: Raul Seixas e Jay Vaker

Hoje é o dia da saudade, é!
Hoje é feriado é o dia da saudade (3x) 
Hoje eu vou beber para celebrar 
O aniversário de seu Gaspar 
Deve ter festa em algum lugar...

Hoje é feriado é o dia da saudade (2x)

Hoje não tem aula pra garotada 
Velhas de varizes na calçada, 
Só na saudade 
Para o campeão do melhor glutão
Um pé de macarrão 
O palhaço que come lixo
Limpa a avenida para o bloco 
Do chorão passar

Hoje é feriado é o dia da saudade (2x)

Para o campeão do melhor glutão
Um pé de macarrão pra ele 
O palhaço que come lixo, 
Limpa a avenida para o bloco do chorão passar
Hoje é feriado é o dia da saudade (6x)

Dia da Saudade

AMOR QUE FICA

 

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal