Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Bonsai  Voltar

Bonsai

 

Há várias referências antigas no Egito e na Índia para conservar as plantas em bandejas, prática que foi mantida por razões decorativas e medicinais.

A primeira referência para o que nós chamamos bonsai remonta da China durante a Dinastia Tang (618-907).

Nessa época, eles desenvolveram a miniatura de jardinagem e de árvores chamada Penjing que literalmente traduzido é paisagem de bandeja. Uma lenda chinesa afirma que na Dinastia de Han (206 a.C. - 220 d.C.) um imperador montou em seu pátio uma paisagem completa com colinas, vales, rios, lagos e árvores que representavam todo o império. Ele organizou a paisagem de forma que pudesse contemplar seu império inteiro da janela do seu palácio.

Essa forma de arte da paisagem em miniatura somente ele possuia. Quem ousesse imitá-lo, caracterizaria uma ameaça e seria morto. A primeira prova documentada sobre bonsai foi descoberta na tumba do Príncipe Zhang Huai que morreu em 706 durante a Dinastia Tang.

Descobriram um espetáculo de pinturas de plantas na parede da tumba que se assemelham ao bonsai. Em uma das pinturas, observa-se um criado levando uma paisagem em miniatura e, em outra pintura, um criado carrega uma bandeja que contém uma árvore.

O Penjing na Bonsai japonêsChina desfrutou do desenvolvimento artístico vigoroso durante a Dinastia Song (960-1279) e, antes dos primeiros anos da Dinastia de Qing (1644-1911), a arte se tornou mais popular e apareceram os primeiros manuais.

Com popularidade crescente, tanto na área comercial quanto no caráter folclórico, o Penjing transformou-se em formas artísticas mais sofisticadas. Além do esteticamente refinado Penjing, a pessoa poderia encontrar árvores nas quais tinham sido enrolados calções de banho para representar dragões e animais, ou abrigo de quem pintava camadas de nuvens, ou árvores amoldadas para se assemelhar aos golpes de caráter fortuitos.

No Japão, a arte de desenvolver árvore em miniatura foi provavelmente introduzida durante o período Heian(794-1191). Nesse tempo, o Japão enviou embaixadores à China para estudar artes, arquitetura, idioma, literatura, leis e Budismo fazendo com que o japonês importasse cultura e artes chinesas em uma grande escala.

O chamado Bonsai no Japão (árvore em uma panela ou bandeja), foi inicialmente um tipo de arte limitado à classe nobre da elite e assim permaneceu até a Era de Muromachi no décimo quarto século, enquanto prosperava juntamente com a cerimônia de chá verde para se tornar parte da cultura japonesa.

Antes da era de Edo no décimo sexto século, todo cidadão de toda as classes, do Daimyo (o senhor feudal) até os comerciantes, não hesitaria perante uma chance de desfrutar juntos a arte do bonsai, e foram realizadas várias competições na época. Durante esse período, o japonês desenvolveu uma paixão crescente por plantas e jardins e estilos de bonsai apareceram em impressões e ilustrações junto com eventos de vida e paisagens.

Considera-se que as artes do bonsai japonesas alcançaram o auge da sua prática antes do décimo oitavo século. O japonês demorou muito tempo para refinar a arte do bonsai. Os refinamentos que eles desenvolveram fizeram do bonsai o que é hoje, e alguns consideram ainda que o melhor bonsai está sendo desenvolvido no Japão.

Assim como o homem ocidental teve de algum modo sido exposto ao bonsai, igualmente já no décimo sexto século pelos comerciantes marítimos e missionários, o bonsai antecipadamente veio do oeste do Japão e da China. A exibição do bonsai em Paris em 1878, 1889, 1900, e a primeira e principal exibição do bonsai ocorrida em Londres em 1909 aumentaram o interesse ocidental pelo bonsai. Tem-se notícia que em 1904 mais de seiscentas plantas foram leiloadas num período de três dias na cidade de Nova Iorque.

Nesses primeiros anos, muitos ocidentais sentiam que as árvores se aparentavam torturadas e expressavam bem abertamente o desgosto pelo modo como as árvores estavam sendo tratadas por mestres do bonsai. Somente em 1935 as opiniões mudaram e o bonsai foi classificado finalmente como uma arte no oeste.

Com o fim da SEGUNDA GUERRA MUNDIAL, o bonsai começou a ganhar popularidade no oeste com soldados que voltavam do Japão com bonsai em reboque refletindo o interesse ocidental na arte.

O conhecimento deles sobre a arte do bonsai era de grande interesse para muitos americanos que aprenderam a arte. Hoje, bonsais são vendidos em lojas de departamentos, centros de jardim, berçários e muitos outros lugares. Porém, a maioria desses são cortados ainda verdes e não são o verdadeiro bonsai produzido por mestres de bonsai. A maioria das árvores compradas hoje é conhecida como pré-bonsai e a maior parte só é usada como um ponto de partida.

Um bonsai de boa qualidade demora muitos anos para crescer e desenvolver e às vezes pode ser comprado de mestres especialistas ou de coleções privadas.

Bonsai
Juniperus Procumbens Nana Bonsai

Bonsai
Hawaian Umbrella Bonsai

Fonte: www.guianikei.com

Bonsai

Um bonsai não é apenas uma

planta pequena em um vaso raso. Para ser considerada um bonsai a planta precisa posuir, entre outros atributos, a semelhança com uma árvore natural, replicada em miniatura com um redução proporcional na escala de 50 a 100.

Objetivo

Um dos objetivos do bonsai é criar uma composição de verdadeiras árvores, e buscando simular os padrões de crescimento, efeitos da gravidade sobre os galhos e a ação das intempéries que a planta teria em habitat e tamanho natural.

Essencialmente, o bonsai pode ser resumido como uma obra de arte produzida através de cuidados especializados.

Estilos de Bonsais

Podem ser encontrados bonsais de vários tamanhos, sendo que a maioria fica entre 5 cm e 80 cm. Os bonsais medindo até aproximadamente 25 cm podem ser chamados shohin. Costuma-se chamar os bonsai menores que 7 cm de mame.

Podemos encontrar, na natureza, árvores que crescem em formas bastante variadas.

Essas formas são imitadas através de "treinamento" (aramação e poda). Os estilos abaixo são os básicos tradicionais.

Existem outros que são considerados subtipos dos descritos abaixo.

Chokan: Estilo ereto formal. Árvore com tronco reto, que vai diminuindo de espessura gradualmente, da base ao ápice. Os ramos devem ser simétricos e bem balanceados.

Moyogi: Estilo ereto informal. Tronco sinuoso, inclinando-se em mais de uma direção A medida que progride para o Ápice, embora mantendo uma posição geral mais ou menos ereta. A Árvore deve dar a impressão de um movimento gracioso.

Shakan: Estilo inclinado. Tronco reto ou ligeiramente sinuoso, inclinando-se predominantemente em uma direção.

Kengai: Estilo cascata. A árvore se dirige para fora da lateral do vaso e então se movimenta para baixo, na direção da base do vaso, ultrapassando a borda do mesmo. Os vasos nesse estilo são estreitos e profundos.

Han-kengai: Estilo semi-cascata. Semelhante ao anterior, com a Árvore se dirigindo para fora da lateral do vaso, mas não segue para a base do vaso.

Fukinagashi: Varrido pelo vento. Árvore com ramo e tronco inclinados como que moldados pela força do vento.

Bonsai
Bonsai de um ano

Bonsai
Bonsai de dois anos

Fonte: www.geocites.com

Bonsai

História

É uma longa história cujo início, na China, remonta a 200 A.C.. As formas básicas no entanto foram estabelecidas no período da Dinastia Tang (618-907 D.C.), evolução que continuou até a Dinastia Qing (1616-1911 D.C.) quando a Arte Penjing começou a declinar.

Tem sido novamente apreciada a partir de algumas décadas. Na China, o Penjing é dividido em duas categorias: Árvore Penjing e Paisagem Penjing.

Árvore Penjing é o que conhecemos por bonsai e era, na China, conhecida como a técnica de reduzir o dragão a uma polegada. Aqui começa a Arte Bonsai conhecida por todos nós.

No Japão os primeiros registros datam da Era Kamimura ( 1192 a 1333 ). Nos pergaminhos de um sacerdote chamado Honen, que viveu neste período, aparecem ilustrações de árvores miniaturizadas. Na Era Edo (1615-1867), o desenvolvimento de plantas em vasos era bastante popular. Observamos, pelas informações, que a arte bonsai já tem um longo caminho.

Em 1914 com o interesse do público em geral para com o bonsai, foi realizada a primeira Exposição Nacional de Bonsai no Japão. Alguns anos depois, 1934, o Museu Metropolitano de Arte de Tóquio instituiu uma exposição anual que acontece até os dias de hoje.

No Brasil, o Bonsai surgiu com a vinda dos imigrantes japoneses no início do século ficando por muitos anos restrito aos seus descendentes o exercício desta arte. O Bonsai é, entre outras, mais uma arte desenvolvida pelo homem e não há como muitos acreditam, nenhuma conotação mística envolvendo esta prática.

Significado

Bon - Vaso ou Recepiente Raso Sai - Planta ou Plantar

Portanto, bonsai são árvores ou plantas em miniatura, plantadas em vaso. Sua estética de características únicas expressa pelo vigor, pela forma e pela estrutura da planta. Bonsai é um ideograma (Kanji), por isso, não tem plural.

Assim devemos dizer: " Tenho 50 Bonsai." Mais complexo que a tradução do ideograma, Bonsai, é todo o envolvimento que nos rodeia a partir do instante em que nos apaixonamos por esta arte. Vamos aprendendo uma infinidade de conceitos filosóficos e artísticos. Conceitos artísticos nos ensinam a escolher a árvore, a bandeja, a composição e cores.

Conceitos filosóficos nos surpreendem quando nos ensinam que uma árvore inclinada em sua direção é sinal de reverência, acolhimento, mas, um galho apontado em sua direção tão deselegante quanto um dedo apontado para você. Vamos aprender com o tempo e com a natureza, pois são os melhores mestres.

Tipos

Vejamos abaixo as formas típicas dessas árvores:

Bonsai 
Tchokkan: árvore vertical

Bonsai 
Bunjinghi: forma graciosa e curva

Bonsai
Ishizuki: bonsai cujas raízes agarram-se às rochas. Certos bonsai formam raízes nas rochas dessa maneira

Bonsai
Kengai: árvore que parece pender de um penhasco para um desfiladeiro

Os mistérios do bonsai

O significado da palavra bonsai é "cultivar árvore em vaso". Por isso, para ser considerada um bonsai, a planta precisa representar a árvore como ela é na natureza. Assim, deve ser realmente uma árvore em miniatura, de qualquer espécie, produzindo flores e frutos normalmente como a de tamanho natural.

Costuma se falar muito em bonsais verdadeiros e falsos. Essa diferença nada mais é do que em relação à idade da planta. "Não basta ser um galho de árvore plantado. Um galho não é uma árvore em miniatura.

Ele pode vir a ser um bonsai, mas para começar a ter forma de árvore, com o tronco mais grosso, precisa ter no mínimo 15 anos", diz Marcio Azevedo, do Bonsai kai, organização que vende, presta assistência e dá cursos sobre como cuidar de bonsais.

Ele explica que muita gente vende um galho plantado, não presta assistência à planta e ela acaba morrendo. "Com seis anos, a planta já está bem enraizada e pode ser cultivada normalmente. Antes disso, requer cuidados especiais e não deveria ser vendida", diz.

História - O bonsai entrou na vida dos ocidentais no começo do século através de uma grande exposição realizada em Londres. Sua origem no oriente parece ser do século III a.C., na China. Os chineses acreditavam que as montanhas eram o ponto de encontro entre o homem e Deus e, por isso, traziam para casa pequenas árvores do local para se sentirem mais próximos da presença divina. Quem se aprofundou na técnica foram mesmo os japoneses e assimilaram-na em sua cultura não só como uma manifestação artística, mas também como um objeto de culto e meditação.

Um vaso com bonsai costuma ser caro e às vezes chega a custar o preço de um automóvel, porque é vendido como obra de arte. Há bonsais que chegam a séculos de idade, o que significa que pessoas de gerações diferentes tiveram um cuidado todo especial com aquela planta.

Cuidados especiais

O que Marcio Azevedo, da Bonsai kai, faz questão de frisar é que o bonsai é uma planta como outra qualquer e por isso requer os mesmos cuidados que as demais. "Cuidar de um bonsai não é nada complicado. A atenção adicional é com relação à estética", diz.

O primeiro passo para quem quer ter um bonsai em casa é conhecer um pouquinho sobre a espécie de árvore. Nada que um pequeno manual não ensine. Basta saber se ela prefere sol da manhã ou da tarde, muita ou pouca água. O vaso deve ser colocado em locais onde possa receber sol, ventilação, chuva e o orvalho noturno. Terraço, varanda, jardim ou mesmo o peitoril de uma janela são os melhores locais. Um detalhe importante é que ele deve ser protegido de altas temperaturas e geadas para não queimar suas folhas.

Se você quiser exibir seu bonsai dentro de casa, é preciso adaptar as condições do ambiente para poder receber o vaso. O melhor local será próximo de uma janela grande, sem cortinas e bem iluminada, em uma sala fresca, longe de lareiras e eletrodomésticos que transmitam calor. As espécies que mais se adaptam ao cultivo caseiro são as de árvores tropicais como Ficus, Sagerétia, Serissa, Carmona.

As menos resistentes às condiçoes de interior são aquelas mais acostumadas com o sol na natureza, caso das coníferas (as sementes não se abrigam em frutos), como os pinheiros, juníperus e ulmus.

O pinheiro é uma das espécies mais sensíveis e mais procuradas, porque obtém o formato de árvore mais rapidamente. Se você quiser tê-la em casa, deve mantê-la sempre no sol e com muita umidade. Mesmo depois de seco, ele mantém a cor verde por mais de um mês.

Depois de se informar um pouquinho sobre a espécie desejada, basta observar os cinco cuidados básicos para ter um bonsai saudável: rega, insolação, adubação, troca de terra e poda.

Bonsai

Rega e cuidados com o sol

Esse é o único cuidado diário que se tem com um bonsai. Por isso, o dono de uma arvorezinha deve ser disciplinado e não se esquecer de manter sempre a terra úmida. Basta tocar a terra do vaso com o dedo e verificar a umidade da superfície. Se a terra estiver seca, com uma aparência pálida, deve ser regada novamente, não importa quantas vezes por dia. Mesmo seco, o bonsai ainda se mantém verde por algum tempo. Por isso, não se engane. O que importa é verificar o estado da terra.

Não é possível prever quantas vezes por dia ele deve ser regado. Tudo depende do local onde o vaso é colocado e da espécie. Toda a terra do vaso deve receber água. Rega-se superficialmente uma vez para que a umidade abra os poros da terra. Alguns minutinhos depois, rega-se de novo até que água saia pelos orifícios de drenagem do vaso. Não se deve deixar nenhum tipo de bandeja que acumule água embaixo do bonsai para que a terra possa respirar.

Nunca regue o bonsai com pulverizadores, pois só servem para aumentar a umidade da copa e do tronco. As folhas podem ser pulverizadas de vez em quando caso elas não recebam orvalho e para ficarem limpas. "Seu bonsai nunca deve ficar seco. É como um animal de estimação. Se o dono for viajar, deve pedir para alguém regar, contratar um serviço de hotel para plantas ou deixar em uma floricultura. Depois de seco, dificilmente é possível recuperá-lo", alerta Marcio.

Bonsai

Insolação - Bonsai de sombra não existe. As árvores, na natureza, ficam sempre expostas ao tempo. As árvores mais altas, recebem mais sol. As espécies menores, ficam à sombra das maiores e recebem menos sol, mas recebem. Por isso é importante saber qual espécie você possui.

Adubação - Toda planta se alimenta de sais nutritivos retirados do solo. Com o bonsai não é diferente. E como ele vive em um vaso pequeno, esse alimento se esgota mais rapidamente, aumentando a necessidade de repô-lo por meio de adubos. A adubação é simples e qualquer adubo pode ser utilizado. Basta seguir estritamente as recomendações e modo de usar do fabricante. É melhor adubar o bonsai em pequenas quantidades, mas com freqüência, do que esporadicamente e em excesso. Não se deve tratar o bonsai doente com adubos, pois eles podem atrair pragas num período em que a planta está mais sensível.

Também não se pode adubá-lo após a troca de terra ou quando ele está ressecado por falta de água.

Cuidados com a terra

Troca da terra - Para realizar a troca de terra, é preciso conhecer a espécie da planta. Isso se faz em um período entre dois e sete anos. Em geral os bonsai jovens crescem mais do que os maduros e precisam de uma transplantação mais freqüente. A melhor época para se transplantar um bonsai é o fim do inverno, preparando a planta para iniciar o seu período de crescimento na primavera.

Para transplantar:

1) Separe todo o material - vaso, terra e ferramentas. O vaso deve ser de cerâmica e a parte interna porosa, não esmaltada. Ele precisa ter furos na parte de baixo para drenar água.

2) Levante a árvore do vaso, tire a terra velha desembaraçando as raízes com a ajuda de um raque (ferramenta de ferro que aparenta um garfo). Se for preciso, utilize um jato de água como esguicho.

3) Com a maior parte das raízes livres de terra velha, corte aproximadamente um terço de todas as raízes.

4) Replante a árvore com terra nova, colocando a terra entre as raízes, fazendo todo o possível para não ficar bolsas de ar.

5) Coloque o vaso dentro de uma bacia com água para que saia todo o ar da terra .

6) Deixe o vaso descansar por cinco minutos dentro da bacia e depois escorra a água em excesso.

Transplante

Após a troca da terra, é necessário um período de resguardo, de aproximadamente vinte dias. Nesse tempo, proteja-o do vento e do sol até que ele comece a brotar, pulverizando as folhas com freqüência. Se você achou muito complicado fazer a troca de terra, procure um local especializado em bonsais para que eles realizem o trabalho. Não sai caro e garante vida longa sua planta.

Poda - Podar nada mais é do que deixar seu bonsai com o formato de árvore. A melhor época para a poda é no final do inverno, quando a árvore está em repouso (não está no período de crescimento) e não sai tanta seiva pela ferida do corte. As ferramentas utilizadas são tesoura, alicate e pinça e devem proporcionar um corte côncavo, de cicatrização mais fácil. Quando as feridas da poda são de grande tamanho, é conveniente cobri-las com pasta de selagem para garantir sua perfeita cicatrização. Pode-se usar clara de ovo ou tinta PVA.

Doenças e pragas - O bonsai, como qualquer outra planta, está sujeito às doenças e pragas. As doenças mais comuns são as causadas por fungos, bactérias e vírus. Elas se manifestam deixando as folhas amarelas ou com outra coloração e murchas. O bonsai pode ser recuperado. Basta levar o vaso a um especialista assim que você perceber qualquer alteração para que ele possa descobrir qual a causa e o aplicar o melhor tratamento. As pragas mais comuns são os pulgões, larvas e lagartas. Assim que você percebê-las, compre um inseticida para plantas ornamentais e o utilize de acordo com a orientação do fabricante.

Renata Costa, do Paralela

Fonte: www.portalmeioambiente.org

Bonsai

Cuidados Básicos com o bonsai

1 - O Local adequado ( Insolação )

O bonsai deve receber sol diretamente em suas folhas. Dependerá de cada espécie se muitas ou poucas horas deexposição ao sol.

Após pesquisar o guia de cuidados da espécie da árvore do seu bonsai, procure um local ventilado e que possa receber sol. Normalmente algumas espécies como Buxus, Carmona, Ficus, Podocarpus, Sagerétia ou Serissa podem permanecer no interior de ambientes, junto a uma janela. As outras espécies só poderão permanecer em ambientes internos por curtos períodos.

Uma sacada ou quintal onde os bonsai possam receber raios solares por um período maior do que seis horas, geralmente é suficiente até para espécies chamadas de exterior. Os pinheiros devem receber o maximo de sol possível.

2 - Rega

Há duas coisas que uma pessoa precisa saber para regar um bonsai:

2.1. Como Regar ?

Regar um bonsai é molhar toda a terra que esta dentro do vaso. Coloque água potável por cima da terra em toda a superfície até que esta comece a sair por baixo nos orifícios do vaso.

No Calor pode-se molhar também a copa e Galhos.

2.2. Com que Freqüência ?

As árvores no Geral NÃO gostam de muita umidade na terra. Por isso geralmente devemos regar os bonsai somente quando a terra do vaso estiver quase seca.

No geral, para vasos pequenos ( Até 30cm de comprimento ), regar todos os dias quando a umidade do ar estiver baixa e a temperatura acima de 20oC.

Abaixo desta temperatura regar dia sim dia não.

Vale muito nossa "observação constante", tanto do clima quanto da umidade da terra. A verificação da umidade da terra pode ser feita facilmente tocando-se a terra com os dedos.

3 - Adubagem

Todos nós comemos diariamente, os alimentos são imprescindíveis para se viver. As plantas alimentam-se dos sais nutritivos que extraem do solo. Como os bonsai vivem em vasos pequenos, a árvore poderá consumir todos os nutrientes da terra depois de um tempo, teremos então que ir repondo estes nutrientes por meio de adubos.

É preciso adubar principalmente nas épocas de grande crescimento das plantas, esta adubação deve ser feita sem exageros.

É muito melhor adubar em pequenas quantidades mas com maior freqüência do que fazê-lo esporadicamente em grandes quantidades.

4 - Troca da terra ( transplantar )

As raízes de todas as árvores crescem para encontrar água que precisam para viver. Assim sendo, quando uma árvore cresce num vaso, as raízes crescem até ocupar a totalidade desse espaço limitado, ao mesmo tempo a terra vai se esgotando e perde a faculdade de proporcionar os nutrientes que a árvore necessita.

A freqüência de transplantação ou troca de terra varia segundo a espécie e idade do bonsai. A freqüência pode variar muito, desde as frutíferas que, regra geral, devem ser transplantadas anualmente, até os pinheiros que podem ser transplantados a cada 5 ou 7 anos.

Dentro do Guia de Cuidados da espécie de sua árvore, você terá a informação do período de transplantação do seu bonsai. Agende para trocar a terra regularmente dentro desta freqüência. É importante lembrar que existe época adequada do ano para a transplantação, que variará também de acordo com cada espécie de árvore.

A Bonsai Kai oferece serviço de troca de terra, contate-nos.

5 - Como dar forma aos Bonsai

Deixe a copa do seu bonsai sempre bem podada, imagine-o como uma "árvore gigante". Com exceção dos pinheiros e coníferas não existem grandes complicações em cortar os ramos, que normalmente crescem muito principalmente na primavera. Visualize a forma de uma "mini árvore" e não tenha medo de podar. A poda, que deve ser feita com uma tesoura bem afiada, estimula novas brotações, preenchendo copa e deixando-a mais bonita.

A Arte bonsai possui muitas técnicas de modelagem o que torna nosso hobby um dos mais interessantes. Em certas condições é possível transformar algumas árvores, até mesmo bem velhas, em belíssimos bonsai.

Bonsai

A palavra bonsai tem origem japonesa e pode ser considerada como um verbo: Cultivar árvores em vasos ( Bon=Vaso + Sai=Arvore).

O Bonsai teve seu início na China, por volta do século. III A.C., mas foram os japoneses que aprimoraram a técnica, incluindo-a em sua cultura como arte e objeto de culto e meditação.

Não se trata de uma planta específica, mas sim de uma técnica utilizada em árvores com o objetivo de "miniaturizá-la" inspirando-se em formas existentes na natureza. Não há árvore de Bonsai, mas árvores que se transformam pelo processo de Bonsai. Na prática, é a arte de selecionar e transformar árvores que tenham potencial para se assemelhar a uma réplica na natureza.

Através da observação percebe-se que as árvores têm tendências de comportamento e estilos próprios. No Bonsai também encontramos uma classificação de estilos e formas mais tradicionais baseado no estilo natural das árvores. Suas principais categorias se baseiam principalmente nas formas e no número total de árvores na composição.

Apesar de seu tamanho reduzido, a árvore mantém sua saúde e características naturais produzindo flores e frutos normalmente. A princípio qualquer árvore pode ser utilizada para confecção de Bonsai, devendo-se procurar um conjunto estético e harmonioso. Algumas árvores já possuem a tendência natural para se transformar num Bonsai, outras devem ser mais trabalhadas através de modelagem, podas, etc..., onde a habilidade e criatividade do artista são freqüentemente colocadas a prova, respeitando-se os limites diante da natureza.

CRESCIMENTO PLANEJADO, NOBREZA, ESTILO, COMPROMISSO, PERSEVERANÇA, SERENIDADE, QUIETUDE, CONCENTRAÇÃO e SERIEDADE.

Bonsai

A preocupação estética é fundamental na execução de um bonsai. A importância estética é sem duvida muito maior do que a botânica, apesar desta ser fundamental. O objetivo da Arte bonsai é criar uma composição artística utilizando a natureza das árvores como matéria prima, transformando-os em arte através de harmonia estética.

São dois os fatores que determinam o visual de um bonsai de qualidade:

Fatores Estéticos:

Linha e forma; equilíbrio e Harmonia; Escala de Composições; Perspectiva e Profundidade; Movimento; Vitalidade; Evidenciamento do centro das atenções; A composição da árvore como um todo; Cor e Textura.

Fatores Orgânicos:

Tronco; Ramos; Raízes; Folhas; Frutos; Flores e Vaso.

Em resumo a composição dos bonsai deve se assemelhar a árvores encontradas na natureza, ter estilo bem definido, possuir algum atrativo evidente como frutos, flores, raízes expostas, exuberância em folhagens, folhagens com cores diferentes, texturas de tronco majestáticas e vasos adequados.

Dicas e Curiosidades

Sabe-se que na China e Japão existem exemplares com mais de mil anos de idade, verdadeiras relíquias, com valores ultrapassando a casa do quatrocentos mil dólares.

No Japão os primeiros indícios desta arte surgem no período de Kamakura, séculos XII a XIV.

Os elementos indispensáveis para a saúde do Bonsai são: Sol, Ar, Água e Temperatura, evitando sempre os extremos.

Criar um Bonsai é fazer uma obra de arte, porém a diferença de outras formas artísticas é que esta nunca está terminada, é viva, e muda ao longo da vida.

Aparecendo na silhueta da árvore todos os tratamentos, bons e maus, que o artista desempenhou.

O ideograma japonês Bonsai significa literalmente: “cultivar árvore em um vaso raso ou bandeja”.

Os Bonsai são classificados em vários estilos, os quais se baseiam em condições encontradas na própria natureza.

O bonsai deve permanecer o máximo possível em ambiente externo. Sua saúde depende exclusivamente do contato com o ambiente natural.

A palavra Bonsai, justamente por ser um ideograma, não possui plural.

De maneira geral as regas devem ser diárias e os melhores horários são: de manhã cedo ou ao final da tarde. A rega deve ser feita em toda a extensão do vaso, inclusive por sobre a planta, deixando alguns segundos de intervalo para que a água possa penetrar na terra e sair pelos furos do vaso.

No Japão até um tempo atrás, uma família para se considerar com tradição deveria possuir um Bonsai de pelo menos 300 anos.

Sol é a fonte de energia da árvore

O Bonsai esteticamente perfeito é aquele que se pode encontrar um similar na natureza,em sua forma e tamanho originais.

Antigamente, o cultivo do Bonsai era considerado elitizado.

Hoje, no entanto, ele é visto como arte e hobby pelo público em geral.

Tornou-se popular nas grandes cidades, onde as pessoas têm pouco contato com a natureza.

Se os Bonsai não fossem fortes e saudáveis,como é que alguns exemplares poderiam ter sobrevivido por centenas de anos ?

Muitas espécies de rara beleza se desenvolvem melhor em clima frio, principalmente as coníferas e as caducifólias.

No frio, como a evaporação da água é menor, uma rega cada dois dias geralmente é suficiente.

A manutenção do bonsai consiste basicamente em:

Conservar a terra úmida.

Manter em local ventilado e com incidência de luz solar direta, geralmente por meio período.

Podar os galhos para a manutenção do formato desejado.

Adubar a terra.

A cada três anos em média, dependendo da espécie, será necessária a troca de terra, processo muito simples, que leva aproximadamente meia hora.

Por suas características muito singulares é cada vez maior, em todo mundo, o número de pessoas interessadas em aprender a arte do Bonsai.

A arte do bonsai esta intimamente relacionada com a contínua observação. Talvez o mais fácil e importante meio de proteger-se de problemas é inspecionar as plantas regularmente e estar consciente do fato de que insetos e doenças geralmente não atacam plantas saudáveis e bem cuidadas.

Os arames têm a função de modelar ou direcionar o crescimento dos galhos.

Os mesmos permanecem no Bonsai por um período geralmente não maior do que oito meses, até que a plantas e acomode na posição desejada.

A primeira menção da arte do Bonsai data do século III A.C., na China.

Os fertilizantes podem ser orgânicos ou químicos:

No caso dos adubos orgânicos podemos utilizar farinha de osso, torta de mamona ou esterco de frango curtidos.

No caso dos adubos químicos, é importantíssimo o conhecimento das dosagens. O Excesso geralmente é fatal para o bonsai.

Muitas das coisas belas deste mundo se criam a partir da própria destreza ou são transmitidas de geração em geração. A arte se baseia na sensibilidade, na visão e no tato. O bonsai mescla estes três sentidos e inspira paz e tranqüilidade.

Fonte: www.pimentas.info

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal