Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Levi's  Voltar

Levi's

HISTÓRIA E PRINCIPAIS ACONTECIMENTOS DA MARCA

Levi Strauss, nasceu na Baviera francesa e chegou aos Estados Unidos em junho de 1847, em plena era do ouro. Foi trabalhar para os seus irmãos mais velhos, vendendo tecidos e objetos domésticos em Kentucky.

Dois anos depois, partiu para a Corrida do Ouro, na Califórnia. Começou a confeccionar calças para os mineiros com um tecido de lona marrom; usado pra fazer barracas e cobrir carroças; já que eles precisavam de tecidos bem resistentes.

Em 1850, contratou um alfaiate e transformou a sua lona em macacões, que foram vendidos rapidamente. Mais tarde abriu uma pequena confecção de calças em San Francisco.

E quando Levi trocou a lona pelo “tecido de Nimes”, mais resistente e durável, tingiu-o com índigo que foi batizado pelos americanos de denim (corruptela da expressão – de Nimes), passaram a chamar a calça de Levi’s blue denim ou blue jeans.

Levi's

levis2 Levis História e principais acontecimentos da marca / Clássicos da moda fotos

Na década de 1860, o alfaiate Jacob Davis associou-se a Levi para patentear um modelo com rebites de cobre nos pontos de maior tensão, á fim de reforçar os bolsos que se rasgavam facilmente.

O número 501 marcava o lote de tecido das primeiras calças jeans de que o mundo teve notícia. Por isso, o modelo foi chamado de Levi’s 501. Strauss morreu em 1902, mas a empresa continua sendo administrada pela família.

Levi's

A história

Levi's

“LEVI’S é uma lenda americana, como John Wayne, Abraham Lincoln e a parte do hino em que o país se autodefine como uma “terra de bravos”. Um objeto de consumo que iria revolucionar a maneira de se vestir da juventude.

Eleita pela revista norte-americana Time como “a vestimenta do século XX”. Ela é mais que uma marca forte e contestadora.

É um orgulho. Pode ser considerado o mais poderoso símbolo do estilo americano no planeta.

Levi's

Loeb Strauss, inventor de um dos símbolos da cultura americana, o Blue Jean, nasceu no pequeno vilarejo de Buttenheim, na região da Bavária, Alemanha.

Era o caçula de sete irmãos. Imigrou com sua família para Nova Iorque em 1847, indo trabalhar com seus irmãos mais velhos, Louis e Jonas, vendendo tecidos, botões, linhas, tesouras e outros objetos.

Em janeiro de 1853, já naturalizado americano, passou a adotar o nome de Levi, como era tratado tanto pela família como pelos clientes.

Com as primeiras notícias sobre a descoberta de ouro na Califórnia, foi para a cidade de San Francisco aproveitar o intenso comércio, abrindo uma pequena loja de tecidos e roupas, junto com seu cunhado David Sten, fundando assim a Levi Strauss & Company.

Levi's

O negócio começou a prosperar quando, por obra do destino, ele não conseguia desfazer-se de alguns rolos de lona.

Quis vendê-los como material para tendas ou para cobrir carroças, mas os mineiros queriam calças resistentes.

Então, contratou um alfaiate e transformou a sua lona em calças, colocando três bolsos, fundos para guardar as pepitas e as ferramentas, que se prendiam com tiras.

Um mineiro, entusiasmado, pagou-lhe US$ 6 em ouro.

Seu invento foi aceito imediatamente, não só pelos mineiros, como também pelos agricultores, ferroviários e vaqueiros.

Logo, começou a confeccioná-las. Apesar do sucesso, muitos reclamavam que as calças poderiam ter uma cor menos opaca, suja, da cor da terra.

Foi então, no ano de 1860, que Levi trocou a lona pelo serge de Nimes (tecido fabricado na cidade francesa de Nimes), um tecido de algodão resistente e grosseiro destinado à roupa dos escravos negros do Sul, e tingiu-o com índigo.

Levi's

Os americanos, que chamavam o tecido de Denim, passaram a chamar a calça de blue jeans devido a sua coloração azulada.” (Conheça história detalhada da Levi´s e a linha do tempo com os principais acontecimentos da marca no blog Marcas Poderosas)

A origem da palavra jeans

A raiz da palavra jeans foi notada pela primeira vez em 1567 como Genoese ou Genes, um termo usado na descrição das calças dos marinheiros da cidade de Gênova, na Itália.

Os rebites de reforço foram patenteados em 1873 por Levi Strauss e Jacob Davis. Tachinhas de cobre foram utilizadas para dar uma maior resistência aos bolsos que não estavam resistindo ao peso colocados neles.

Os pontos críticos das calças foram reforçados, tornando-as mais duráveis.

Modelagens do jeans

Tradicional cintura no lugar e pernas de corte afunilado. Já foi chamada de five pochets (cinco bolsos), três na frente e dois atrás, uma referência à pioneira 501 americana da Levi’s. Por seu corte acompanhar as linhas do corpo, costuma vestir bem a maioria das pessoas.

Antifit modelagem da 501, o primeiro modelo da Levi’s.Tem botões ou zíper, adaptada a silhueta do consumidor, com cintura baixa, quadril desestruturado e corte reto nas pernas.

Como o nome diz, não é um jeans de caimento perfeito; fica com pequenas sobras no quadril e cavalo.Tem pontos a favor: o conforto e o estilo.

Cut Boot (Corte para botas): uma variação do antifit, tem a perna um pouco mais larga do joelho para baixo, para facilitar o uso de botas para dentro da calça. Semibaggy: por ter cintura no lugar, quadril largo e corte da perna ligeiramente afunilado, de cintura fina e quadril largo.

Tigh Fit ou Slim Fit (caimento justo, apertado): com cintura baixa, tipo Saint-Tropez, marca bem os quadris e tem as pernas justas, com corte afunilado ou reto.


Cigarrete modelagem ajustada ao contorno do corpo, pernas justas e cintura baixa. Algumas versões usam a mistura de jeans com lycra. O resultado é uma calça ainda mais agarrada.

Oversized (tamanho exagerado) : é o jeans bem folgado. Suas formas amplas não favorecem as mais baixas (achatam a silhueta) nem as gordinhas (parecem ainda mais gordas). Base extra dimensionada de cintura larga, quadril desestruturado e pernas amplas.

SkinnyModelagem bem justa, principalmente abaixo do joelho. Parecida com a Legging, porém de tecido Jeans.

Fonte: www.fashionbubbles.com

Levi's

O blue jeans da Levi’s

LEVI’S – Estados Unidos. Jeans. 1873.

Dizem os entendidos de moda que se a pessoa usar calça jeans e camiseta ela estará bem vestida em qualquer lugar. Eu até concordo, mas o fato é que usar jeans antigamente não era coisa de gente cool, era coisa de marinheiro mesmo.

No século XVI, em Gênova, o pessoal dos barcos usava calças muito grosseiras, feitas de algodão e tingidas de azul índigo.

A roupa era grossa e resistente, perfeita para os marinheiros da época, que provavelmente só teriam grana para comprar uma única calça durante a vida toda.

Essas qualidades do tecido interessaram os franceses.

Lá a invenção era chamada de bleu de Genes, expressão que significa literalmente “azul de Gênova”, referência à origem e à cor comum da roupa.

Para azar de Gênova a França gostou tanto do jeans (termo inspirado na pronúncia de Genes) que logo passou a dominar seu processo de fabricação.

A cidade que tinha as indústrias mais desenvolvidas do setor era Nimes. Por causa disso, com o passar do tempo, o tecido até adquiriu outro nome: sarja de Nimes (serge de Nimes), mais tarde denominado apenas como Denim (de Nimes).

O Denim (jeans) fazia muito sucesso na Europa por causa de suas muitas qualidades e baixo preço.

Atraía principalmente trabalhadores braçais pobres, os quais precisavam contar com uma roupa resistente e que ao mesmo tempo oferecesse algum tipo de proteção ao corpo. Nesse tempo, já no século XVIII, o jeans não era muito popular como calça, mas sim vendido no formato de macacão.

As coisas começaram a mudar quando o ponto fraco das roupas feitas em jeans foi solucionado. Para entender o que aconteceu, antes é preciso revelar algo chocante. Por incrível que pareça, a pessoa que deu o nome à calça Levi’s não teve o papel mais importante no processo que revolucionou o uso do jeans.

a verdade outras três pessoas foram responsáveis por isso: Jacob Davis, James Dean e Calvin Klein.

Levis-LogoPrimeiro falaremos de Davis, um imigrante alemão que veio tentar a sorte nos EUA. Por muitos anos ele trabalhou na confecção de selas para cavalo.

Seus produtos eram muito bons, pois ele tinha inventado uma maneira bem inteligente de reforçar o material, usando rebites nas junções das selas.

Durante seu pesado serviço na oficina, Jacob vestia uma calça jeans vendida no armazém de um outro imigrante alemão, o senhor Levi Strauss.

Para complementar a renda de sua mercearia, Strauss primeiramente trouxe da Europa um tipo de tecido de algodão muito usado em lonas.

Ao perceber que os mineiros precisavam mesmo de calças, ele passou a fabricá-las. Acontece que o tecido era muito ruim, tão grosso que chegava a machucar quem o usava. Na intenção de solucionar o problema, Levi importou um tecido mais suave, o bem conhecido jeans.

Mesmo vendendo mais após a mudança na matéria-prima, Strauss ainda ouvia reclamações dos seus consumidores. As principais queixas eram em relação às costuras das calças e macacões, pouco resistentes.

Então, quem entra na história? Jacob Davis! Vendo o problema de Strauss, ele propõe uma sociedade e patenteia a primeira calça jeans do mundo reforçada com rebites. Notem que ao fazer calças jeans Strauss não propôs nada de novo.

Foi a inserção do rebite que mudou tudo. No entanto, uma vez que Jacob entrou com a idéia e Strauss com o dinheiro, o nome da marca ficou Levi Strauss, mais tarde mudando somente para Levi’s.

Daí para frente a Levi Strauss Company obtém grande aceitação com seus produtos. Sempre fazendo referência à resistência das calças (acima), a empresa cresce bastante dentro do mercado norte-americano de trabalhadores braçais. Naturalmente isso faz com que o jeans se torne estigmatizado, sendo usado especificamente por esse segmento da sociedade, sempre de forma funcional.

Isso começa a mudar quando James Dean aparece no filme Rebelde sem Causa usando um jeans azul.

O que hoje pode parecer corriqueiro, à época foi chocante, um camarada vestir jeans sem estar trabalhando.

Dado esse pontapé inicial, alguns aprimoramentos (zíper e tecido mais versátil) tornam o jeans mais popular, no entanto ele chega na década de setenta ainda com um uso muito restrito, marginal à moda.

Quinze anos se passam desde que Dean o usou no filme, mas vesti-lo ainda parecia coisa de gente rebelde. Quem muda essa idéia é Calvin Klein, estilista bastante conhecido.

Ele decide ser ousado suficiente para colocar um jeans na passarela, criando o conceito “calça jeans e camiseta”.

As pessoas adoram! E mesmo quase 40 anos depois, nenhuma outra vestimenta conseguiu tirar do jeans sua imensa popularidade.

Curiosidades de Sobremesa

1 – O nome real de Levi Strauss era Loeb Strauss, mas ele usava Levi para que os americanos pudessem entender. O mesmo com Jacob Davis, o qual tinha como nome verdadeiro Jacob Youphes.

2 – Claude Levi-Strauss, grande antropólogo, não era parente do Levi Strauss da Levi’s.

3 – Calvin Klein desenvolveu na moda o conceito de sportwear, popularizou o jeans, deixou as cuecas mais complexas e ainda vende perfumes. Fez tudo isso com sua genialidade e publicidades com enorme apelo sexual.

4 – Em 1890 a Levi Strauss Company lançou a calça conhecida como Levi’s 501, modelo que é visto por muitos como definitivo da marca. A origem do nome não tem qualquer explicação oficial.

A mais coerente diz que 201 calças dessas foram produzidas no primeiro lote. Na hora de escreve a quantidade na tampa da caixa, Strauss ou algum funcionário teria colocado o número 2 invertido, saindo um 5.

5 – O logo que vocês viram acima foi criado em 1886. Mostra dois cavalos puxando uma calça Levi’s, maneira de se referir à resistência da roupa. Em 1936 a marca muda para Levi’s, pois era assim que os consumidores chamavam o produto. A logo se torna um retângulo vermelho, com o objetivo era identificar a calça de longe, chamando a atenção de outros consumidores.

6 – Durante todo esse tempo (desde Gênova) o azul índigo foi ficando como cor oficial do jeans. Nenhuma outra cor é tão popular até hoje.

Fonte: www.sedentario.org

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal