Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Jerivá  Voltar

Jerivá

 

Nome Cientítico: Syagrus romanzoffiana

Nome popular: Jerivá e coquinho

Jerivá
Coqueiro Jerivá

Jerivá
Coqueiro Jerivá

Jerivá
Fruto da Palmeira Jerivá

Jerivá e coquinho são dois nomes vulgares do Syagrus romanzoffiana, uma palmeira nativa da Mata Atlântica no Brasil, mas que pode ser encontrada em diferentes tipos de florestas, como restinga, floresta ombrófila densa, floresta estacional semidecidual, mata ciliar, mata paludosa, floresta estacional decidual, cerrado.

Esta planta pioneira ocorre em solos muito úmidos, brejosos ou inundáveis.

Também é chamado de baba-de-boi, coco catarro, coqueiro, coqueiro-gerivá, gerivá, coquinho ou jeribá.

Folhas de 2-3 m de comprimento, espádice (cacho) de 80-120 cm de comprimento. A madeira é moderadamente pesada, dura e altamente resistente. Com grande durabilidade em água salgada. É utilizada localmente no preparo de estivados sobre os solos brejosos, pinguelas e trapiches em água salgada. É também altamente decorativa, que aliada a facilidade do transplante quando adulta, a transformaram na palmeira mais empregada na arborização urbana.

Características Gerais

Palmeira solitária de até 30m de altura, nativa do Paraguai, Uruguai, Argentina e Brasil (BA até MG,RS e GO), de estirpe ereta e cilíndrica, folhas pinadas verde-escuras e crespas, usada como cobertura; inflorescências amarelas e frutos drupáceos comestíveis; o palmito é amargo e comestível, e dos frutos abtém-se xarope expectorante.

O fruto

O fruto é amarelado e ovalado, avidamente procurado por diferentes espécies de animais, o que a torna recomendável para o plantio em agrupamentos mistos de áreas degradadas de preservação permanente.

Além disso, os frutos são muito apreciados pelo ser humano, principalmente pelas crianças, sendo uma lembrança comum aos interioranos, a quebra destes coquinhos batendo com pedras, para alcançar as suas amêndoas.

Floresce quase o ano inteiro, porém com maior intensidade nos meses de setembro à março. A maturação dos frutos ocorre predominantemente nos meses de fevereiro à agosto. Os frutos maduros, podem ser colhidos diretamente na árvore ou no chão e sem despolpá-los podem ser utilizados para germinação de novas mudas.

Devem ser semeados assim que colhidos, utilizando canteiros sombreados contendo substrato organo-argiloso. Cobrir os frutos com 0,5 cm do substrato, regar diariamente e, cobrir os canteiros com palha. A germinação é lenta, podendo durar de 3 a 5 meses. A taxa de germinação é superior a 60%.

Jerivá
Fruto da Palmeira Jerivá

É da família Palmae, a fruta, amarela, que é ovalada, não passa de 3 centímetros na sua parte maior, tanto que são cerca de 100 unidades por quilo, chegando à produzir cerca de 140 kg.

A parte externa, carnosa, é composta de uma mucilagem adocicada muito apreciada por algumas animais, como papagaios e maritacas, ou mesmo pelo humano principalmente a criançada, sendo uma lembrança comum aos interioranos, a quebra destes coquinhos batendo com pedras, para alcançar as suas amêndoas.

Floresce e frutifica em diferentes meses do ano, dependendo da região em que se encontra. Internamente possui uma pequena castanha bem parecida com a do coco-da-baía.

Jerivá - Cacho com coquinhos

A semente germina em cerca de 100 a 150 dias, tendo um potencial de germinação de 50 a 79%. A folha tem a forma perenifólia e é usada como ração para o gado.

A árvore fornece também o palmito para alimentação humana.

A madeira foi (ainda é) muito usada nas construções rurais como por exemplo o madeiramento de telhados, é utilizado para paisagismo ornamental e também para fazer reflorestamentos em áreas degradadas, preservação permanente, plantios mistos.

Tem um crescimento moderado, com uma altura média de 10 a 12 metros, alguns exemplares até mais e de 30-60 centímetros de espessura.

Pode ser encontrado em vários estados do Brasil, como: ES, GO, MG, MS, MT, PR, RJ, RS, SC, SP.

Jerivá
Palmeira Jeribá

Palmeira

Uma palmeira nativa da Mata Atlântica no Brasil. Também chamado de baba-de-boi, coco catarro, coqueiro, coqueiro-gerivá, gerivá, coquinho ou jeribá.

A fruta, amarela, que é ovalada, não passa de 3 centímetros na sua parte maior, tanto que são cerca de 100 unidades por quilo.

A parte externa, carnosa, é composta de uma mucilagem adocicada muito apreciada por algumas animais.

Tem uma altura média de 10-12 metros, alguns exemplares até mais e de 30-60 centimetros de espessura.

No Brasil ocorre principalmente de São Paulo ao Rio Grande do Sul.

Como Cuidar

Por ser uma planta bem rústica e nativa do sudeste do brasileiro, o Jerivá geralmente se desenvolve muito bem, mesmo com poucos cuidados. Para otimizar seu crescimento podemos adicionar ao solo antes do plantio bastante fertilizante orgânico, além de um pouco de areia para melhorar sua drenagem.

Por ser uma planta de metabolismo bem acelerado durante os primeiros anos de vida, é aconselhável que se regue em abundancia, assim ela terá um crescimento vertiginoso até atingir um bom porte. Anualmente lembre de reforçar a dose de fertilizante, assim ela se desenvolverá ainda melhor.

Fonte: www.jardinagempaisagismo.com/www.naturezadivina.org

Jerivá

PlantaSonya - Coqueiro-gerivá – (Syagrus romanzoffiana)

Nome cientifico: Syagrus romanzoffiana

Família: Arecaceae

Nomes populares: Palmeira jerivá

Onde é encontrada: Encontrada tanto em campos e regiões degradadas como no paisagismo urbano.

Características: Palmeira de médio porte, 8 a 15 metros, tronco fino e alto. Floração amarelada em cacho, frutos bem amarelos quando maduros, 5 cm, semente única envolta por polpa fibrosa comestível, de sabor adocicado, muito grudenta e fibrosa.

Utilidades: Frutos muito procurados pela fauna, e comestíveis pelo homem. Muito melífera.

Época de floração e frutificação: Floresce em Dezembro a Fevereiro, frutos em Julho a Setembro.

O Jerivá

O Jerivá, conhecido também como coco-de-cachorro, coco-de-porco, pindó e cheribão, é uma frutinha apreciada principalmente por crianças e animais.

Trata-se de coquinho ovalado, de até 3 cm de comprimento, com casca mamarelo-pardacenta, contendo polpa amarelada e fibrosa, suculenta e adocicada, envolvendo um asemente

Típica no planalto meridional e na região do Chaco, seu uso não é restringido apenas ao paisagístico, já que é muito utilizada em jardins públicos e residenciais, mas também, no caso do tronco, a construções rurais e piers para atracação de embarcações.

As folhas são usadas em cestaria e os frutos além de comestíveis são aproveitadas na fabricação de sabão.

Mas é nos jardins onde o jerivá tem luzimento, apenas deve-se tomar cuidado com suas folhas, pesadas e grandes, que ao cair sobre uma residência pode quebrar as telhas.

O escudo da Província del Chaco, Argentina, ostenta um pindó, como é conhecido naquele país, no centro da imagem, deixando claro a importância histórica-econômica dessa palmeira.

Características

A Syagrus romanzoffiana, popularmente conhecida como palmeira Jerivá, Gerivá, Jeribá ou coquinho, graças as seus frutos, é uma palmeira de grande porte originária do Brasil que chega a cerca de quinze metros de estatura, sendo bastante utilizada para adornar casas na praia ou estabelecimentos que querem reproduzir um ambiente de clima tropical, como bares temáticos.

Família: Arecaceae.
Porte: de 8 a 20 m de altura.Na mata densa pode alcançar 25 m.
Fenologia: atemporal (depende da região)mais freqüente no verão.
Cor da flor: amarelada.
Cor da folhagem: verde-escuro.
Origem: Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia e nordeste da Argentina até o delta do Paraná.
Clima: tropical / subtropical (tolera geadas).
Luminosidade: sol pleno.

Jerivá ou “coquinho” (Syagrus romanzoffiana) – uma palmeira nativa da Mata Atlântica no Brasil, mas pode ser encontrada em diferentes tipos de florestas, como restinga, floresta ombrófila densa, floresta estacional semidecidual, mata ciliar, mata paludosa, floresta estacional decidual, cerrado.

Também chamado de: baba-de-boi, coco catarro, coqueiro, coqueiro-gerivá, gerivá, coquinho ou jeribá. É da família Palmae, a fruta, amarela, que é ovalada, não passa de 3 centímetros na sua parte maior, quando maduros, muito apreciados pela fauna e produzidos durante quase o ano todo.

A parte externa, carnosa, é composta de uma mucilagem adocicada muito apreciada por algumas animais, como papagaios e maritacas, ou mesmo pelo humano principalmente a criançada. Floresce e frutifica em diferentes meses do ano, dependendo da região em que se encontra.

Internamente possui uma pequena castanha bem parecida com a do coco-da-baía. A semente germina em cerca de 100 a 150 dias, tendo um potencial de germinação de 50 a 79%. A folha tem a forma perenifólia e é usada como ração para o gado.

A árvore fornece também o palmito para alimentação humana. A madeira foi (ainda é) muito usada nas construções rurais como por exemplo o madeiramento de telhados, é utilizado para paisagismo ornamental e também para fazer reflorestamentos em áreas degradadas, preservação permanente, plantios mistos.

Tem um crescimento moderado, com uma altura média de 10 a 15 metros, alguns exemplares até mais e de 30-60 centímetros de espessura. Possui grande resistência no transplante, mesmo quando adulta.

Jerivá
Coqueiro-gerivá, jerivá, jeribá baba-de-boi, coco-de-catarro, coquinho, coco-babão

Fonte: www.plantasonya.com.br

Jerivá

Coqueiro-jerivá

Nome científico: Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman

Família: Arecaceae

Coleta de sementes: diretamente da árvore quando começar a queda espontânea dos frutos ou recolhê-los do chão.

Época de coleta de sementes: Fevereiro a agoto.

Fruto: Amarelo, em cachos onde cada fruto tem aproximadamente 2 cm.

Flor: Amarela

Crescimento da muda: Médio

Germinação: Demorada, a partir de seis a oito meses.

Observação: A semeadura desta espécie é feita através de pré-germinação em canteiros com serragem.

Plantio: Mata ciliar, área aberta, solo degradado.

Jerivá
O verde intenso das folhas do Coqueiro-jerivá

Jerivá
Palmeira Jerivá

Jerivá
Palmeira Jerivá

As palmeiras ou coqueiros, como são popularmente conhecidas, são da família Aracaceae, compreendem 207 gêneros e 2.675 espécies. Só na Mata Atlântica ocorrem 40 espécies de Palmeiras, sendo que muitas dessas são endêmicas, ou seja, só ocorrem nesse bioma.

O Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman ou coqueiro-jerivá, como é conhecida popularmente, ocorre na Mata Atlântica desde o sul da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais e Goiás até o Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Devido ao conjunto de suas características botânicas, constituem grupo vegetal muito peculiar, além de possuírem grande valor ornamental, econômico e nutricional.

Estudos descrevem que os frutos de Palmeiras são utilizados por uma ampla variedade de animais como papagaios, periquitos, jacus, tucanos, morcegos e primatas. Os frutos também são importantes na dieta alimentar do esquilo, ele faz a abertura dos cocos da palmeira, segurando com as mãos, enquanto come.

Os frutos do coqueiro-jerivá também são muito apreciados pelo humano, principalmente pela criançada, sendo uma lembrança comum no interior, a quebra dos coquinhos. Eles eram deixados para secar e depois abertos com pedras para retirar a amêndoa.

Não se pode deixar de lembrar também as brincadeiras com as “canoas” feitas com as grandes brácteas secas dos coqueiros e que eram usadas para descer os pastos íngremes, que viravam verdadeiras pistas de corrida. Tudo isso, claro, com direito a tombos e cambalhotas, mas certamente com muita diversão.

O jerivá tem entre 10 e 15 metros de altura, e frutifica durante todo o ano, porém com pico de maturação entre fevereiro e agosto. Suas folhas são grandes, de cor verde intenso, com até 4,0 m de comprimento.

Desde o sul até o centro-oeste do Brasil, é a palmeira mais freqüente na natureza e em cultivo, sendo uma das espécies de palmeiras indicadas para a produção de palmito, podendo ser utilizado em plantios comerciais e também no enriquecimento de florestas secundárias.

Fonte: www.apremavi.org.br

Jerivá

Jerivá
O verde intenso das folhas do Coqueiro-jerivá

Ocorrência: Sul da Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul até o Rio Grande do Sul

Outros nomes: Gerivá, coqueiro jerivá, jeribá, coqueiro, coco de catarro, coco catarro, coco babão, baba de boi, coco de cachorro, cheribão, coco de Santa Catarina, coqueiro de juvena, pindó, imburí de cachorro, patí

Características

Espécie com 7 a 15 m de altura, estipe liso, anelado, com 30 a 50 cm de diâmetro. Folhas pinadas, em número de 8 a 15, arqueadas, pinas dispostas em diferentes planos sobre a raque, pendentes, com 2 a 3 m de comprimento.

Planta monóica. Inflorescências interfoliares em cacho de até 1,5 m de comprimento, bráctea peduncular lenhosa, profundamente frisada na parte externa de coloração creme. Frutos globosos ou ovóides, amarelos ou alaranjados, com 2 a 3 cm de comprimento, mesocarpo fibro-carnoso e adocicado.

Habitat: Quase todas as formações florestais

Propagação: Coco-semente

Utilidade

Os frutos proporcionam alimento farto para muitos pássaros, principalmente para os psitacídeos.

De igual modo os frutos são comestíveis para o homem.

As flores são muito visitadas por abelhas.

As folhas têm 16% de proteína bruta, em algumas regiões constituem um ótimo alimento para cavalos, tendo sido outrora utilizada para cavalos de corrida, devido ao seu alto valor energético.

Indicada para recomposição vegetal e paisagismo.

Florescimento: Setembro a março

Frutificação: Fevereiro a agosto

Fotos

Jerivá
Palmeira Jerivá

Jerivá
Muda de Jerivá

Jerivá
Folha de Jerivá

Fonte: www.vivaterra.org.br

Jerivá

Nomes populares: Jerivá, gerivá, coqueiro-jerivá, jeribá, coqueiro, coco-de-catarro, coco-babão, baba-de-boi, coco-de-cachorro

Distribuição: Brasil, sul da BA, ES, MG, GO, MS até RS. Também ocorre no Paraguai, Argentina e Uruguai.

Algumas características

Jerivá
Palmeira Jerivá

Jerivá
Palmeira Jerivá

Planta solitária, 7-15m de altura; estipe liso, anelado; folhas pinadas, arqueadas, pinas dispostas em diferentes planos sobre a raque e pendentes; inflorescências interfoliares de até 1,5m de comprimento, bráctea peduncular lenhosa, profundamente frisada na parte externa; frutos globosos ou ovóides, amarelos ou alaranjados, 2-3cm de comprimento, mesocarpo fibro-carnoso e adocicado.

Jerivá
Fruto

Jerivá
Jerivá

Fonte: www.rc.unesp.br

Jerivá

Jerivá, gerivá, coqueiro, coquinho

Hábito: Árvores

Nome Popular: Jerivá, gerivá, coqueiro, coquinho

Nome Científico: Syagrus romanzoffiana (Cham.) Glassman

Detalhes: Família Palmae

Origem: Nativa

Características gerais

Palmeira alta, com 8 a 15 m de altura, com estipe delgado, cilíndrico, ereto, liso, regularmente anelado, na coloração grisácea.

As folhas são pinadas, arqueadas, em número de 8 a 15, com 2 – 4 m de comprimento na coloração verde-escuro brilhante.

As flores são amarelas desabrocham com a abertura da espata de consistência lenhosa em forma de canoa. Os cachos (racemos) chegam a medir mais de um metro de comprimento, sendo que as flores masculinas ocupam o ápice e as femininas a parte inferior.

Frutos amarelos quando maduros de formato globoso com polpa doce e fibrosa, muito apreciado pelo homem e pela fauna.

Fotos

Jerivá
Coqueiro Jerivá

Jerivá
Folhas Jerivá

Jerivá
Frutos Jerivá

Jerivá
Caule
  Jerivá

Jerivá
Sementes Jerivá

Jerivá
Flores Jerivá

Fonte: w3.ufsm.br.

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal