Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Jiló  Voltar

Jiló

 

Nome Popular: jiló

Nome científico: Solanum gilo Radd

Família: Solanaceae

Origem: África Ocidental, América do Sul ou Antilhas

Outros Nomes: Jinjilo.

Partes usadas: Fruto

 

Jiló
Jiló

Características da planta

Planta anual, herbácea, formando um arbusto bem ramificado, que pode atingir até um metro de altura.

Seus ramos são alongados, cilíndricos e verdes, com folhas de formato oblongo e recobertas por inúmeros pêlos, principalmente na página inferior.

O fruto do jiloeiro, produto comercial, possio coloração verde clara ou escura, e seu formato pode ser oblongo, quase esférico, ou alongado, dependendo da variedade.

Tais frutos possuem um acentuado e característico sabor amargo.

Características da flor

Jiló
Flor de Jiló

Flores brancas, dispostas em pequenos rácemos com pedúnculo curto. Embora sejam encontradas de 2 a 3 folhas por rácemo, em geral, apenas uma dela torna-se fértil.

Originário, provavelmente da Índia ou da África, da família Solanaceae, sua introdução no Brasil data do início do século XVII, com a vinda dos escravos para trabalhar nos canaviais de Pernambuco. Atualmente, sua produção está limitada aos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Cultivares: Morro Grande (São Paulo); Comprido Verde e Tinguá (Rio de Janeiro e Minas Gerais).

Época de plantio: Agosto a março; é bastante sensível ao frio. No litoral, pode ser cultivado o ano todo.

Espaçamento: 1,2 a 1,8 x 0,8 a 1,0 m.

Sementes necessárias: 10 g formam 1.000 mudas para transplante.

Calagem: Aplicar calcário para elevar a saturação por bases a 80% e o teor de magnésio a um mínimo de 8 mmolc/dm3.

Adubação orgânica: 10 a 20t/ha de esterco de curral curtido ou um quarto dessa quantidade em esterco de galinha curtido, 30 dias antes do plantio.

Adubação mineral de plantio: 40kg/ha de N, 160 a 600 kg/ha de P2O5 e 80 a 240kg/ha de K2O. Aplicar, juntamente, 1kg/ha de B, 3kg/ha de Zn e 10 a 30kg/ha de S.

Adubação mineral de cobertura: 80 a 120kg/ha de N e 80 a 120 kg/ha de K2O, parcelando em 4 a 6 vezes. As quantidades maiores ou menores dependerão das análises de solo e foliar, cultivar, produtividade esperada e sistema de cultivo (campo e/ou protegido).

Outros tratos culturais: é recomendável estaquear com bambu de 1 metro de altura; fazer desbrota, quando necessário.

Principal praga: Ácaro vermelho.

Principais doenças: antracnose e tombamento.

Colheita: 80 a 100 dias após o plantio e durante 3 a 6 meses. Colher o fruto com tesoura, enquanto verde e no tamanho máximo, uma ou duas vezes por semana.

Produtividade normal: 16 a 20 t/ha.

Fonte: www.agrov.com

Jiló

A origem do jiló é incerta, mas é encontrado em abundância principalmente no continente africano e no Brasil, onde foi introduzido no início do século 17.

O jiló é um fruto, geralmente confundido com legume, famoso por seu gosto amargo.

Atualmente, a produção brasileira mais significativa é encontrada nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

É uma planta anual que pode atingir até um metro de altura e caracteriza-se pelo acentuado sabor amargo, o que o afasta da maioria das mesas da população brasileira.

O jiló apresenta uma fonte razoável de carboidratos e proteínas, além de fornecer vitaminas A, C e do complexo B e minerais como cálcio, fósforo e ferro.

É considerado também um estimulante do metabolismo hepático e um regulador do sitema digestivo.

Nas áreas rurais do Brasil é utilizado para combater resfriados.

A planta é muito sensível ao frio, por isso a época de plantio ocorre de agosto a março e no litoral, devido ao clima mais quente, pode ser cultivado durante todo o ano.

A cultura do jiló se desenvolve melhor em solos areno-argilosos e com boa drenagem.

A colheita tem início de 80 a 100 dias após o plantio e pode se estender por três a seis meses.

O fruto deve ser colhido ainda verde, porém no tamanho máximo, e pode ser colhido uma ou duas vezes por semana.

O amadurecimento do fruto é indesejável e em temperaturas próximas a 20 graus Celsius ocorre em poucos dias.

Frutos já amadurecidos com cor vermelha e sementes endurecidas são imprestáveis para o consumo.

A produtividade normal varia de 16 a 20 toneladas por hectare.

As variedades mais comuns são Morro Grande, que apresenta frutos redondos e é a preferida do mercado paulista; já as cultivares Comprido Verde e Tinguá têm frutos mais alongados e sabor ligeiramente menos amargo – são as preferidas dos consumidores de Minas Gerais e Rio de janeiro.

A principal praga que ataca a cultura do jiló é o ácaro vermelho e as doenças mais incidentes são antracnose e tombamento.

Jiló
Jiló

Jiló
Jiló

Recomendado para regimes alimentares pelo baixo valor calórico, o jiló é uma hortaliça que contém quantidades apreciáveis de sais minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro, além das vitaminas B5 e C.

O Cálcio, o Fósforo e o Ferro participam da formação de ossos e dentes, construção muscular e ajudam na coagulação do sangue.

A vitamina B5 faz parte do Complexo B, que tem como principais funções evitar problemas de pele, do aparelho digestivo e sistema nervoso, além de reumatismos.

Já a vitamina C contida no jiló não é aproveitada pelo organismo, porque se perde com o cozimento normal.

O jiló deve ser conservado em geladeira, nas prateleiras mais baixas, longe do congelador. E, caso a família não aprecie o amargo característico dessa hortaliça, experimente fazê-lo frito.

Seu período de safra vai de janeiro a maio.

100 gramas fornecem: 78 calorias.

Fonte: www.jornalentreposto.com.br/www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br

Jiló

O jiló tem origem indefinida, mas é provável que tenha vindo da Ásia – Indonésia e Índia são os países mais cotados.

Famoso por seu gosto amargo, o fruto – que comumente é confundido com um legume – é rico em sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro, além das vitaminas C e B5.

Jiló (Solanum gilo) é na família Solanaceae e se assemelha a berinjela no hábito de crescimento.

Esta planta é originária da África e foi trazida para o Brasil com o comércio de escravos.

Ele ainda é cultivada na África Ocidental, onde em alguns países é conhecido como "ovos de jardim".

Benefícios do jiló para a saúde

A maioria das pessoas não apreciam o jiló, más isso também acontece porque não sabem os grandes benefícios que esse vegetal tem.

Quais são os benefícios do jiló?

O giló faz muito bem ao coração, é bom no combate ao mau hálito e também ajuda a perder peso e ajuda a controlar o colesterol. Mesmo sendo da mesma família da beringela e do pimentão, ele é um fruto e não legume.
Quais as vitaminas que o jiló contém?
O jiló contém cálcio, ferro ferro e magnésio entre outras.
Coloque o jiló na sua dieta e usufrua dos seus benefícios.

Jiló
Jiló

Como comprar

O jiló bom para consumo deve ser liso, brilhante, firme e sem picadas de insetos.Verifique se a cor está verde por igual, pois manchas amareladas indicam que o fruto já amadureceu e tem gosto muito amargo e desagradável.

Como armazenar

O jiló deve ser conservado em geladeira, nas prateleiras mais baixas, longe do congelador, sendo consumido rapidamente, porque amadurece facilmente.

Como preparar

O jiló deve ser conservado em geladeira, nas prateleiras mais baixas, longe do congelador, sendo consumido rapidamente, porque amadurece facilmente.

Curiosidades: Para perder um pouco do gosto amargo devemos cortar o jiló dentro de uma vasilha de água.

Princípio ativo: Cálcio, Fósforo e Ferro, além das vitaminas B5 e C, dentre outros.

Propriedades: Antidiarréicas, antifebrífugo, mineralizantes, hepática, eupéptica.

Indicações: É recomendado como um estimulante do metabolismo hepático e um regulador digestivo. Combate a dispepsia, resfriados, afecções febris e o colesterol alto.

VALOR NUTRICIONAL

Porção de 100g

Quantidade por porção
Valor energético 27Kcal
Carboidratos 6,2g
Proteínas 1,4g
Gorduras Totais 0,2g
Gorduras Saturadas 0g
Gorduras trans 0g
Fibra Alimentar 4,8g
Sódio Tr

Fonte: camponews.com.br/www.hortifruti.com.br

Jiló

Jiló
Jiló

O jiló é o fruto do jilozeiro e tem forma redonda, casca fina e lisa, de cor verde, que passa para o amarelo quando o fruto amadurece. A polpa do jiló é macia, porosa e com pequenas sementes brancas, que lembram a poupa da berinjela.

Para ser usado na culinária, o jiló é colhido ainda verde, quando apresnta sabor menos amargo.

É preparado cozido, em ensopados e frito. Em algumas regiões do Brasil, ele também é usado na medicina caseira no preparo de um infusão em aguardente que combate gripes, resfriados e febre.

Embora não seja muito rico em nutrientes, o jiló tem algumas vitaminas e alguns ácidos fortes que provocam a secreção dos sucos gástricos, ajudando na digestão de outros alimentos.

O jiló bom para o consumo deve ser liso, brilhante, firme e sem machucados. Veja bem a cor do jiló, que tem de que ser verde por igual, pois manchas amarelas indicam que o fruto já amadureceu e tem gosto muito amargo e desagradável. Quando for comprar calcule 1/2 kg de jiló para 4 pessoas.

Lave bem o jiló, coloque em saco plástico e guarde na gaveta da geladeira. Assim ele se conserva durante 4 dias.

Valor nutricional do Jiló, cru

Bastante popular pelo seu gosto amargo, o jiló ou jinjilo, como é conhecido em algumas regiões do Brasil, é o fruto de uma planta da família das solanáceas (Solanum gilo).

Semelhantemente à berinjela, o jiló é considerado equivocadamente por muitos, como um legume. Sua origem é desconhecida, mas pelo fato do fruto ser abundante no Brasil e na África, provavelmente seja proveniente dessas regiões.

O jiló é uma boa fonte de cálcio, fósforo e ferro. Com um baixo teor calórico, o fruto também possui significativas quantidades de vitaminas A, B e C.

O jiló é uma planta herbácea e anual, da família das solanáceas, muito cultivada no Brasil. Seu fruto, geralmente confundido com um legume.

Tabela Nutricional - Jiló, cru

Quantidade 100 gramas
Calorias (Kcal) 27
Proteína (g) 1,4
Carboidrato (g) 6,2
Fibra Alimentar (g) 4,8
Colesterol (mg) n/a
Lipídios (g) 0,2
Ácido Graxo Saturado (g) n/a
Ácido Graxo Mono insaturado (g) n/a
Ácido Graxo Poli insaturado (g) n/a
Cálcio (mg) 20
Fósforo (mg) 29
Ferro (mg) 0,3
Potássio (mg) 213
Sódio (mg) traços
Vitamina B1 (mg) 0,07
Vitamina b2 (mg) 0,04
Vitamina B6 (mg) traços
Vitamina B3 (mg) *
Vitamina C (mg) *

Fonte: www.informacaonutricional.net/www.horti.com.br

Jiló

Benefícios

Uma razoável fonte de carboidratos e proteínas.

Boa fonte de minerais como cálcio, fósforo e ferro.

Boa quantidade das vitaminas A, C e do complexo B.

Jiló
Jiló

Inconveniente: Possui um gosto muito amargo.

Geralmente considerado como um legume, o jiló é na realidade o fruto de uma planta da família das solanáceas, tal como a berinjela. sua origem é desconhecida, mas é muito abundante na África e no Brasil.

O jiló só deve ser consumido antes de amadurecer e deve ser cozido. Seu sabor amargo é apreciado apenas por um pequeno número de pessoas, mas apesar disso ele é uma razoável fonte de carboidratos e proteínas, além de uma boa fonte de minerais como cálcio, fósforo e ferro.

O jiló possui ainda uma boa quantidade de vitaminas A e C, além de vitaminas do complexo B, particularmente a niacina.

Na região sudeste, é comum alguns bares e botequins oferecem o jiló como um tira-gosto de bebidas alcoólicas.

Nesses casos, ele é uma boa alternativa porque, ao contrário dos demais acompanhamentos fritos em óleo (torresmos, lingüiças,sardinhas, etc.) oferecidos nesses tipos de estabelecimentos, ele é servido cozido e, portanto, possui muito menos calorias.

O jiló pode ainda entrar como ingrediente de cozidos, substituindo algum outro legume desse prato.

Terapeuticamente, o jiló é recomendado como um estimulante do metabolismo hepático e um regulador digestivo. Considera-se também que ele possua propriedades antidiarréicas e mineralizantes.

Nas áreas rurais do Brasil, onde também é chamado de jinjilo, o jiló cozido é utilizado como tratamento contra resfriados, gripes e estados febris.

Fonte: www.ufms.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal