Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Jornalismo  Voltar

Jornalismo

 

Perfil do profissional

A função do profissional de Jornalismo ultrapassa os limites da busca e da divulgação dos fatos que mereçam notícia - ele deve aprofundar-se na interpretação dos acontecimentos, na análise de suas causas e conseqüências, na veracidade de suas fontes.

O jornalista moderno pesquisa, redige e edita reportagens, crônicas, artigos ou comentários, bem como presta assessoria de comunicação a empresas particulares e públicas.

Resumindo, tem de ser um empreendedor, capaz de gerenciar a sua carreira, buscando manter-se expert em todos os meios de comunicação e saber trabalhar com

Textos

Imagens

Áudio

Voz

Dados.

Mercado de trabalho

Revistas

Jornais

Canais de televisão

Internet

Rádios

Produtoras de vídeo

Editoras de livros

House organs

O jornalista pode também atuar na área de assessoria de imprensa ou como profissional liberal.

Fonte: www.estacio.br

Jornalismo

"O jornalista é um contador de boas histórias. Ele deve ter a capacidade de compreender a realidade mutante e fragmentária para, então, reportá-la. Com isso, democratiza a informação e permite ao leitor tomar posições que melhorem sua vida. A liberdade de expressão e a responsabilidade social do jornalismo são pilares de sustentação da democracia", afirma Luiz Egypto, editor-chefe do Observatório da Imprensa, site que acompanha o desempenho da mídia brasileira.

Essencialmente, o jornalismo é um serviço à sociedade, pois divulga informações de interesse público por meio de veículos de comunicação, como jornais, revistas, rádio, TV e internet. O profissional da notícia apura, redige e edita reportagens, entrevistas e artigos, adaptando o tamanho, a abordagem e a linguagem dos textos ao veículo e ao público a que se destinam.

Senso crítico, capacidade de expressão, domínio do português e de técnicas de redação são fundamentais. Além disso, ele pode atuar na assessoria de imprensa de empresas, ONGs e governo. A rotina do jornalista não é fácil e requer muito estudo. Egypto trabalha no Observatório com o conceito de redação virtual: a equipe que comanda está em seis cidades distintas, seu dia-a-dia é ler (virtual e fisicamente) e navegar na internet o dia todo. De domingo a terça-feira, ele fica por conta do fechamento do Observatório. Nos dias restantes, cuida da atualização do site e de outras atividades, como a edição de livros. "O ritmo de trabalho depende muito do veículo. Uma coisa é certa: trabalha-se em tempo integral. Isso não significa que não existe lazer. Mas, ao ler um livro na praia ou ao assistir a um DVD, o jornalista está trabalhando.

A profissão é um eterno estado de prontidão", afirma Luiz.

O mercado de trabalho

As ofertas de emprego para jornalistas têm-se mantido estáveis nos últimos anos, mas recentemente uma movimentação do jornalismo na TV brasileira aqueceu o setor. Além do investimento que algumas emissoras fizeram na montagem de equipes de seus telejornais, surgiram canais de notícias 24 horas. Canais ligados a assembléias legislativas e câmaras municipais de grandes cidades também contribuem com a abertura de novos postos de trabalho.

A internet continua como um veículo que oferece boas oportunidades aos jornalistas, sobretudo na atualização de notícias dos grandes provedores de internet. O campo para o segmento da assessoria de imprensa é favorável. "Órgãos públicos, ONGs e a maioria dos políticos têm hoje seu próprio assessor de imprensa, o que aumenta a procura pelo profissional", diz José Carlos Proença, coordenador do curso de Jornalismo da Universidade de São Paulo (USP).

Os maiores empregadores continuam nas capitais, principalmente em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, mas cresce o número de oportunidades em cidades do interior, sobretudo da região Sudeste. Além de trabalhar com carteira assinada, muitos jornalistas atuam como prestadores de serviço fazendo trabalhos esporádicos.

O curso

As disciplinas básicas são língua portuguesa, economia, teoria da comunicação, filosofia, história da arte e sociologia. Depois vêm as matérias específicas, como jornalismo interpretativo e informativo, técnicas de redação e edição de texto, novas tecnologias de comunicação e design gráfico. Há aulas práticas de fotojornalismo, jornalismo impresso e on-line, rádio e TV.

Em algumas escolas, o curso, com duração média de quatro anos, é oferecido como habilitação de Comunicação Social. Os alunos precisam apresentar um trabalho de conclusão de curso para receber o diploma. Já o estágio, embora não seja obrigatório, é recomendável, pois pode abrir portas do mercado de trabalho.

O que você pode fazer

Assessoria de imprensa

Promover o contato entre uma organização e a imprensa, a fim de divulgar o nome da empresa, seus valores e produtos. Elaborar publicações destinadas a funcionários, clientes e fornecedores.

Edição

Definir o enfoque e o tamanho da reportagem e escrever o texto final. Em veículos impressos e na internet, selecionar fotos e ilustrações que serão usadas. Em rádio e TV, combinar imagens e/ou sons numa mesma fita para dar forma final a documentários e noticiários.

Fotojornalismo

Fotografar cenas reais, pessoas e acontecimentos para reportagens em jornais, revistas ou internet.

Reportagem

Coletar informações e redigir textos para divulgação em rádio, televisão, jornais, revistas ou internet.

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

Jornalismo

Uma das profissões que mais têm despertado o interesse dos vestibulandos, o Jornalismo atravessa uma fase de mudanças. Os nichos clássicos de desenvolvimento profissional, como rádio, jornal e televisão, dividem espaço hoje com sites e portais de Internet, que se tornaram importantes fontes de informação. As atividades de assessoria de imprensa também oferecem boas oportunidades para os jornalistas.

O curso tem duração de quatro anos, e o currículo enfatiza a formação humanista do estudante. O objetivo é habilitar o jornalista a registrar os fatos e transmiti-los ao público em forma de notícias, reportagens, artigos de opinião, entre outros. As faculdades também fornecem disciplinas complementares, como noções de administração, economia e informática, conteúdos essenciais para um mercado de trabalho que também pode exigir empreendedorismo, como a abertura de uma empresa jornalística.

Mercado

A jornalista Daniela Madeira, diretora da Agência Radioweb, destaca que a Internet permite diversas possibilidades ao jornalista. "Os brasileiros são os que ficam mais tempo online. Audiência não é problema, o negócio mesmo é a diferenciação", afirma. Conforme Daniela, a opção por produzir para a web é atrativa também pelos custos menores se comparados aos veículos ¿físicos¿.

Permanecem como áreas importantes de atuação os jornais impressos, revistas, emissoras de televisão, de rádio e assessoria de imprensa em empresas públicas e privadas. Para a área de ensino, formação acadêmica mais específica, com mestrado e/ou doutorado, é exigida.

A remuneração salarial é diferenciada por Estados, conforme os sindicatos.

É pra você?

Entre as aptidões necessárias, especialistas destacam o interesse pela leitura, que deve ser reforçado constantemente. A curiosidade, uma das características essenciais do jornalista, faz com que o profissional esteja sempre em busca de um enfoque novo, o "furo", no jargão jornalístico. Também são essenciais ao jornalista a capacidade de observação, o raciocínio lógico, habilidade para escrever com clareza e concisão, e equilíbrio emocional diante de pressões.

O que vem por aí

A disseminação de novas tecnologias, como Internet e celulares, abriu novas vagas e tem promovido uma mudança no perfil do profissional. Não basta apurar e redigir bem uma reportagem, é preciso pensar em como torná-la atraente para Internet e outros meios. Dessa forma, o jornalista hoje deve acompanhar o desenvolvimento de novas ferramentas. Os blogs também vêm se disseminando como meio de informação. Em áudio e vídeo, podcasts e telejornais exibidos via Internet vêm ganhando espaço no mercado, que era dominado pelas mídias tradicionais.

Diferencial

Para se diferenciar ainda durante a faculdade, a participação em estágios é fundamental. Desde os primeiros semestres, a inserção gradual no mercado de trabalho ajuda o estudante a se familiarizar com as especificidades do trabalho. Estudante do oitavo semestre de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Guilherme Castelli salienta que, além dos estágios, é importante também se dedicar nos trabalhos acadêmicos. "Muitas vezes são eles que nos dão a prática que, mais tarde, o mercado irá exigir", diz.

Atualmente, ele estagia na assessoria de imprensa de uma empresa da comunicação, após ficar por um tempo na área de relações corporativas de um banco. "O trabalho em assessoria de imprensa surgiu como uma alternativa. Concordo com quem diz que é algo bem diferente do jornalismo praticado em veículos, quase o oposto. Em alguns quesitos, como remuneração e condições de trabalho, oferece vantagens", afirma Castelli.

Fonte: noticias.terra.com.br

Jornalismo

Responsável pela divulgação interna e externa dos projetos de ensino, pesquisa e extensão e das atividades complementares, mantendo a UFVJM na mídia e a comunidade universitária bem informada. Entre suas tarefas cotidianas está o trabalho de Assessoria de Imprensa, que nada mais é do que o contato com os diversos veículos de comunicação de Diamantina, Minas Gerais e outros que se fizerem necessários para a divulgação de notícias e o atendimento a jornalistas que nos procuram em busca de determinada fonte de informação, para entrevista, ou para saber mais detalhes de alguma iniciativa, algum projeto ou evento divulgados pela Ascom.

Outra atividade fundamental do dia-a-dia deste setor é o clipping, que atualmente consiste em um conjunto de serviços de recortes de jornais diários, semanários e publicações especializadas de periodicidade variada, para serem colocados à disposição do público em geral. Ainda para informar a comunidade interna e externa, o setor edita o Jornal da UFVJM.

A Ascom deve dar suporte à Comissão Permanente para o Processo Seletivo (Copese) na cobertura do vestibular pela imprensa, incluindo todas as reclassificações, e também aos concursos de transferência, reingresso e mudança de curso.

Fonte: www.ufvjm.edu.br

Jornalismo

Descrição

Profissão que é uma Especialização dentro da Comunicação Social. O estudo do Jornalismo reúne as técnicas e os conhecimentos necessários para elaborar e divulgar informações de interesse público. O Jornalista trabalha com todo o processo de produção e veiculação das informações. Na produção, o jornalista é o responsável pela apuração da veracidade das notícias, a redação , o planejamento e a organização de todas as etapas até que a notícia chegue ao público alvo. Pode atuar nos mais diversos meios de comunicação: rádio, jornal, televisão, internet e assessoria de imprensa.

Currículo Básico

Língua Portuguesa, Técnicas de Codificação, Planejamento Gráfico, Fotojornalismo, Teoria da Comunicação, Filosofia, Economia, História do Jornalismo, Informática.

Aptidões Desejáveis

Deve ter capacidade de transmitir os fatos com correção, de forma clara e concisa, gostar de ler, saber bem o Português, conhecer outra língua estrangeira, ser sociável, ter capacidade de concentração e boa memória, além de conhecimentos em informática.

Campos de Atuação

Empresas Jornalísticas: Rádio, Jornal, Televisão e Internet, empresas de assessoria e consultoria, agências de notícias, produtoras de vídeo, empresas privadas.

Duração

4 Anos

Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

Jornalismo

Perfil do curso

Formar bacharéis em jornalismo para desenvolverem suas atividades em empresas públicas ou privadas, nos diversos meios de comunicação e em áreas de pesquisa.

Perfil do profissional

Aptidão de sentir e relatar os fatos, bem como assumir um constante esforço de aperfeiçoamento técnico e ético. Domínio da língua portuguesa, hábito de leitura, desenvoltura ao lidar com o público, capacidade crítica e perceptiva.

Área de Atuação

Veículos de comunicação, tais como jornais, revistas, televisões e rádios. Pode ainda prestar serviços ligados à assessoria de comunicação, bem como divulgação de informações através de agências de notícias. Suas tarefas envolvem levantamento de informações, registro de imagens, redação e edição.

Fonte: www.uerj.br

Jornalismo

O QUE FAZ

Busca e transmite informações atualizadas e que sejam do interesse público, utilizando os veículos de comunicação (rádio, jornais, revistas, televisão e internet). Apura os fatos, sempre observando a autenticidade das informações. Redige e edita reportagens; coordena setores de comunicação de empresas e governos. Também presta assessoria a pessoas públicas, políticos e artistas

CAMPO DE TRABALHO

Assessoria de Imprensa

Promove a ligação entre empresas, personalidades e artistas com a imprensa, sendo o responsável pelas informações e pelo material de divulgação distribuídos.

Fotojornalismo

Fotografa pessoas e eventos com a finalidade de divulgação em jornais, revistas e internet.

Reportagem

Coleta informações e redige textos que apresentam a característica de notícia, com a finalidade de divulgá-los em jornais, revistas, rádio, televisão e internet.

Edição

Decide a estratégia a ser adotada na abordagem das reportagens, selecionando fotos e ilustrações que serão utilizadas nos veículos impressos e na internet, bem como as imagens e sons que formarão o conteúdo dos documentários e noticiários a serem veiculados em rádio e TV.

REGULAMENTAÇÃO

Decreto 83.384 de 13/03/1979. Deve registrar-se nas Delegacias Regionais do Ministério do Trabalho para poder exercer a profissão.

DURAÇÃO

4 anos

CONTEÚDO

O currículo visa uma boa formação geral e cultural do aluno e inclui as disciplinas de Língua Protuguesa, Economia, Teoria da Comunicação, Antropologia, Sociologia, Filosofia e História da Arte, além de Técnicas de Redação e linguagem específica de cada veículo. Há, também, aulas em laboratórios de fotografia e artes gráficas. O currículo é complementado com aulas de Rádio e Televisão. Algumas escolas apresentam, ainda, disciplinas voltadas para o trabalho na Internet.

TITULAÇÃO

Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo ou Jornalista.

Fonte: www.10emtudo.com.br

Jornalismo

Jornalista

"Profissional que busca informações, escreve e publica noticias"

O que é ser jornalista?

Jornalistas são profissionais que buscam notícias e informações nas mais variadas áreas e as transmitem ao público através de meios de comunicação como jornais, revistas, televisão, rádio e internet. Mantêm o público informado sobre todos os acontecimentos de interesse coletivo, como os rumos da economia e da política do país e do mundo, as novidades na ciência, nos esportes, na televisão e nas artes, o comportamento de grupos sociais, o dia-a-dia nas cidades. São várias as funções exercidas pelos jornalistas: pauteiro, repórter, chefe de reportagem, editor, redator, assessor de imprensa ou de comunicação social (de órgãos públicos, sindicatos e empresas), divulgador e apresentador de telejornais.

Quais as características necessárias para ser um jornalista?

Deve ter capacidade de transmitir os fatos com correção, de forma clara e concisa, gostar de ler, saber bem o Português, conhecer outra língua estrangeira, ser sociável, ter capacidade de concentração e boa memória, além de conhecimentos em informática.

Características desejáveis:

capacidade de comunicação
capacidade de improviso
capacidade de pensar e agir sob pressão
capacidade de síntese
criatividade
curiosidade
desembaraço
espírito de investigação
facilidade de expressão
gosto pela pesquisa e pelos estudos
habilidade para escrever
habilidade para trabalhar em equipe
iniciativa
interesse em adquirir conhecimento em diversas áreas
interesse por formas variadas de comunicação
objetividade
raciocínio rápido
sociabilidade

Qual a formação necessária para ser um jornalista?

Para se exercer a profissão de jornalista não é preciso ter diploma de curso superior, embora existam cursos de comunicação social com ênfase em jornalismo, que ensinam técnicas e métodos de trabalho interessantes. O curso tem duração de quatro anos, com estágio nem sempre obrigatório. Para o sucesso na carreira é necessário um alto interesse por temas atuais e uma cultura geral ampla. Conhecimentos específicos de outras áreas como economia, esportes e história enriquecem muito o currículo. O domínio absoluto da língua portuguesa é imprescindível para garantir um bom futuro na carreira. O mercado vem exigindo cada vez mais capacitação profissional, como o domínio de pelo menos uma língua estrangeira. A preferência tem sido dada a quem investe em cursos de reciclagem ou pós-graduação.

Principais atividades de um jornalista

As atividades dos jornalistas incluem:

Pauteiro

Organizar a lista de eventos a serem cobertos e que constituem a pauta do dia

Repórter

Entrevistar personalidades públicas ou cidadãos envolvidos em fatos de interesse coletivo; checar informações recebidas de suas fontes, de cidadãos ou de autoridades; investigar denúncias, com ajuda de suas fontes; examinar documentos; escrever, no caso de jornais, ou gravar, no caso de rádio e televisão, reportagens, artigos, colunas e editoriais, com base nas informações a que teve acesso

Chefe de reportagem

Chefiar as equipes de reportagem, orientando-as sobre a abordagem que cada assunto deve ter e sobre a forma de obter as informações desejadas

Editores

Avaliar reportagens, artigos e colunas que serão divulgados ao público, para verificar a qualidade dos textos, das imagens e a veracidade das informações; dar às reportagens de jornais, revistas, telejornais e programas de rádio o formato ideal para a perfeita compreensão do público

Redator e revisor

Revisar textos jornalísticos, eliminando erros de linguagem ou de informação; dar títulos às reportagens, artigos e colunas; fazer legendas para fotos ou ilustrações

Assessor de imprensa

Providenciar contatos com meios de comunicação para divulgar atividades de clientes, orientá-los sobre como proceder nas entrevistas e atender jornalistas para responder questões sobre eles.

Divulgador

Promover seus clientes, geralmente artistas, junto aos jornalistas, produzindo textos informativos sobre suas atividades.

Áreas de atuação e especialidades

Assessoria de imprensa

Promove o contato entre imprensa e empresas, clientes, entidades.

Consultoria

Presta serviços de comunicação. Auxilia entidades e empresários na busca de informações de mercado ou mídia.

Reportagem

Procura todas as informações sobre um determinado assunto, divulgando para todos os meios de comunicação.

Edição

Decide a abordagem de determinada matéria e quais reportagens serão veiculadas

Pauta

Orienta na escolha de assuntos que o veículo vai cobrir e designa os repórteres que para a cobertura.

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para jornalistas é muito competitivo. Há grande concorrência entre jovens profissionais e o mercado, que apresenta muito mais oportunidades no setor privado do que no público num país onde o hábito de ler não é muito cultivado, apresenta tendência de crescimento reduzida. Abrem-se mais vagas em São Paulo e Brasília do que no resto do país. No Rio de Janeiro, o mercado apresenta enorme concorrência. Para iniciantes, há demanda por websurfers - pesquisadores responsáveis pelo levantamento de sites e informações de interesse para determinado cliente - e para profissionais mais experientes oportunidades na área de criação e edição de textos para websites. Todavia, por conta da desaceleração dos investimentos nas empresas da chamada nova economia, as oportunidades de trabalho para jornalistas em projetos de internet vêm diminuindo bastante. O setor no momento está estável, e as contratações ou abertura de postos de trabalho são modestas e não acompanham o ritmo de ingresso de novos profissionais no mercado.

Curiosidades

A invenção da imprensa, por Johannes Genfleisch Gutenberg, em 1442 na Alemanha, possibilitou a impressão de livros e jornais.O primeiro livro imprimido em prensa foi uma edição da Bíblia, em 1455. Com a evolução das técnicas foi possível a inserção de figuras e ilustrações. Em 1486, os franceses começaram a produzir almanaques e revistas, em 1529 foi lançado o que seria o precursor do jornal: folhas soltas, que continham informações e notícias.

Em 1597, ao adotar periodicidade na produção dos exemplares, os suíços introduziram essa característica ao "folhetim". Ao somar as duas especificidades (notícias e periodicidade), em 1605, na Bélgica, foi lançado o primeiro jornal, que se espalhou pela Europa.

No Brasil, em 1747 a imprensa foi proibida pelos portugueses, apenas um ano após ter sido inaugurada no Rio de Janeiro. Com a vinda da família real portuguesa para o Brasil, em 1808 criou-se aqui, a Imprensa Régia, órgão exclusivo do governo. Diante dessa forma de repressão o primeiro jornal brasileiro foi produzido em Londres.

Em 1808 Hipólito da Costa inaugurou o Correio Braziliense, periódico que criticava o governo português, que impossibilitado de proibir sua impressão, aplicava penas a quem o lesse, e determinou a criação da Gazeta do Rio de Janeiro, que divulgava notícias favoráveis ao Reino Português.

Em 1822, com a conquista da independência o Correio Brasiliense foi fechado, 175 edições depois, pelo seu fundador que é considerado o patrono da imprensa no Brasil.

Em 1934 foi fundado o primeiro sindicato dos jornalistas, em Juiz de fora (MG), porém a regulamentação da profissão veio apenas em 1938 e a exigência de diploma de curso superior foi determinada em 1969.

Fonte: www.brasilprofissoes.com.br

Jornalismo

Jornalista é o profissional responsável por buscar, investigar e redigir as noticias e transmiti-la, através dos meios de comunicação (jornais, revistas, internet, televisão) a população. O Jornalista trabalha em todo o processo de produção das noticias: investigação, apuração, organização, resumo e redação.

Na carreira de Jornalismo dependendo do perfil do profissional, ele pode se especializar em diferentes áreas de atuação e atuar como: repórter, redator, assessor de imprensa, repórter investigativo, editor, pauteiro (pesquisa assunto para as reportagens), chefe de reportagem, redator chefe e âncora (apresentador de telejornal).

Regulametação da Carreira do Jornalismo

Para pode exercer a profissão de jornalista o profissional tem que ter cursado algum curso de Jornalismo ou Comunicação Social com enfase em Jornalismo, o registro é feito no Ministério do Trabalho. Alguns profissionais no entanto, tais como cinegrafistas, diagramadores e operadores de audio que auxiliam na imprensa também podem tirar o registro de Jornalista.

Jornais, Internet e Televisão: áreas distintas de atuação do jornalista moderno

Grade Básica do Curso de Jornalismo:

Língua Portuguesa
História Geral
Filosofia
Fotojornalismo
Teoria da Comunicação
História do Jornalismo
Informática Básica
Planejamento Gráfico
Economia Básica
Técnicas de Codificação

Carreira de Jornalismo: Aspectos Favoráveis

A área de atuação do jornalismo que mais cresce com certeza é a internet. Há boas oportunidades de trabalho nas versões virtuais dos grandes jornais impressos, em blogs que hoje se proliferam aos milhares e em sites de noticias independentes. Há uma grande procura também por bons reporteres e reporteres investigativos, principalmente nas pequenas e médias emissoras de TV regionais.

Carreira de Jornalismo: Aspectos Desfavoráveis

A competição por empregos de jornalistas nas áreas tradicionais ( telejornalismo e jornal impresso ) está muito grande, por isso a adaptação as novas mídias tais como a internet é imprecindível, quem não tem capacidade de adaptação fica para traz.

Fonte: www.guiadacarreira.com.br

Jornalismo

O PROFISSIONAL

Esse profissional registra os acontecimentos para informar a sociedade através de jornais impressos, teve, rádio, Internet. Hoje, o jornalismo está totalmente dependente das novas tecnologias, pois a notícia tem que chegar em tempo real.

O profissional pergunta, investiga, consulta e colhe informações. Redige, condensa e edita artigos, crônicas e comentários. Também pode coordenar serviços de comunicação de empresas, do governo, etc.

Presta assessoria a políticos e artistas no contato com a imprensa. Ele precisa ter garra e discernimento para selecionar a notícia, saber o que é uma informação relevante.

O MERCADO DE TRABALHO

O mercado de trabalho nas grandes cidades está saturado. Mas há um novo mercado, ainda que em fase de solidificação, a Internet. Como não existem jornalistas especializados nessa área, estão sendo procurados em redações de jornais e revistas. A maioria vai trabalhar em sites de notícias.

Para trabalhar na Internet, não basta conhecimentos de multimídia, é preciso muito talento, por isso alguns já estão se decepcionando. Os cursos de jornalismo ainda não preparam profissional que esse mercado exige, por isso estão surgindo cursos de pós-graduação em multimídia.

A profissão é reconhecida pelo Decreto 83284, de 13/03/1979. Os profissionais são representados pelos Sindicatos e pela ABI – Associação Brasileira de Imprensa.

O CURSO

“Hoje, as faculdades formam os profissionais generalistas, com adequação para a mídia impressa, o rádio e a teve. A especialização é feita na pós graduação e através de cursos complementares.

O jornalista precisa de profundos conhecimentos de história, geografia, sociologia, antropologia e psicologia de massas. Para esse profissional, com cultura tão vasta, há sempre emprego."

Prof. Roney Signorini – FIAM

O curso tem a duração de quatro anos. Entre as disciplinas do currículo: antropologia, psicologia, sociologia, português, comunicação comparada, economia, ciências políticas, estética, comunicação de massa, fotografia, técnicas de produção e difusão.

Fonte: educaterra.terra.com.br

Jornalismo

Sobre a profissão

O jornalista é o profissional encarregado de levar ao público as informações, notícias, pesquisas, fatos e principais discussões sociais. Esses profissionais, especializados na comunicação entre as pessoas, têm papel fundamental no desenvolvimento da sociedade.

O jornalista tem também uma função investigativa, muitas vezes acaba assumindo o papel de representante dos interesses públicos, denunciando circunstâncias que possam prejudicar a sociedade, como, por exemplo, negociatas políticas, uso irresponsável dos recursos naturais e desrespeito aos direitos humanos. Nesse sentido atua em parceria com a promotoria pública, levando ao conhecimento das autoridades informações que ainda não haviam sido levantadas.

A formação cultural do jornalista tem que ser generalista, mas ele pode se especializar em uma editoria específica como economia, política, meio ambiente, cultura, tecnologia ou ainda outras como editoria policial e colunismo social. Essa perspectiva abre um vasto campo de atuação, que pode representar uma boa alternativa para as pessoas que se interessam por assuntos variados.

Para se preparar para dar conta do recado, o jornalista tem sempre que estar em dia com todos os fatos importantes do desenvolvimento das sociedades, por isso tem uma formação multidisciplinar, com um currículo acadêmico variado e muitas disciplinas optativas.

E nem só de escrever textos vive o jornalista. Esse profissional também está habilitado para apresentar programas televisivos e de rádio, pode elaborar projetos gráficos para revistas, jornais e websites, ou se especializar em fotojornalismo. Pode também trabalhar na elaboração de roteiro para televisão e cinema ou ainda com planejamento e execução de projetos de assessoria de imprensa e comunicação empresarial.

O jornalismo é uma das vertentes da Comunicação Social, geralmente uma habilitação desse curso. Os profissionais que se interessam pela pesquisa em comunicação encontram um fértil terreno para o desenvolvimento de estudos nessa área, principalmente com o advento das novas tecnologias de comunicação e informação, que remodelaram o cenário da comunicação social.

Tipos de Curso

a) Nível Superior

Bacharelado

Duração média de 4 a 5 anos. Geralmente é encontrado como uma habilitação da Comunicação Social. As disciplinas básicas são português, inglês, teoria da comunicação, sociologia, psicologia, filosofia, história e semiótica. As disciplinas específicas dão conta das práticas de telejornalismo, fotojornalismo, projeto gráfico, técnica redacional, jornalismo especializado, novas tecnologia de comunicação e outras. O currículo varia de escola para escola, muitas faculdades oferecem disciplinas optativas que darão ênfase na formação específica como jornalismo econômico, político ou assessoria de imprensa.

b) Nível Superior

Tecnológico

O curso tem duração média de 2 anos. O curso que pode representar uma opção para os interessados na área é o de Comunicação Empresarial. O currículo engloba disciplinas de comunicação social e marketing como, por exemplo, produção de textos publicitários, redação e teoria da comunicação. As disciplinas específicas são psicologia organizacional, publicações empresariais, desenvolvimento interpessoal, linguagem audiovisual, multimídia e conteúdo para web, entre outras.

c) Cursos Livres

Existem diversos cursos que podem complementar a formação dos profissionais, principalmente na habilitação de competências específicas como diagramação, ilustração digital, webdesign, assessoria pessoal, Formação de porta-vozes, Jornalismo Esportivo para Televisão , Jornalismo on-line, Linguagem e Revolução no Jornalismo Esportivo, Oficina de Jornalismo Cultural , Oficina de Telejornalismo, Projeto Gráfico Editorial para Jornalistas , Redação Jornalística, Videorreporter , Marketing para Assessores de Imprensa, Oficina de Radiojornalismo, Assessoria de Imprensa para o Setor Privado e outros. Esses cursos também formam auxiliares para o profissional.

Mercado de Trabalho

Com a profissão regulamentada pelo Ministério do Trabalho, passou a ser exigido o diploma para a atuação como jornalista, isto representou uma reserva de mercado para os profissionais da área, e melhoria nas oportunidades de emprego. No entanto, essa exigência do certificado de conclusão de curso é muito controversa, vários setores profissionais a questionam e reclamam o direito de poder trabalhar com a divulgação de informações.

Tendo garantido por lei o privilégio de atuação na área, os jornalistas encontram boas oportunidades de trabalho em um mercado que tem se mostrado bastante estável, ainda que a concorrência entre os próprios jornalistas seja grande, devido ao grande número de cursos que formam esse profissional em todo o país.

A demanda sempre cresce em épocas de grandes acontecimentos sociais como eleições e copa do mundo. Recentes investimentos de emissoras como SBT, Record e Bandeirantes, em seus núcleos jornalísticos também aqueceram o mercado, assim como a Internet também abriu um novo ramo de atividades, absorvendo profissionais da área de comunicação, principalmente nos sites jornalísticos e ligados à educação e cultura.

Para garantir espaço no mercado de trabalho o jornalista deve manter seus conhecimentos sempre atualizados, estar antenado em todos os acontecimentos relevantes que se desenvolvem pelo mundo e também reciclar seus conhecimentos técnicos, investindo em cursos de informática aplicada e de técnica de produção de projetos de comunicação.

Ofertas de Emprego

Atualmente, o campo mais fértil de empregos para o jornalista é a assessoria de imprensa. Empresas de diversos ramos contratam esse profissional para fazer a ponte de comunicação entre a empresa e a mídia, trabalhando inclusive na divulgação de novas tecnologias e produtos.

Editoras de revistas também são grandes empregadores, apesar de, ultimamente, haver uma certa tendência na contratação de serviços terceirizados para esse setor, o que também acontece nos meios de comunicação digital, que geralmente recorrem ao trabalho do profissional liberal.

Os jornais e redes de televisão, por sua vez, oferecem empregos fixos e mais estáveis, no entanto a competitividade por uma dessas vagas é bem maior.

O jornalista pós-graduado também pode seguir a carreira acadêmica, trabalhando com pesquisa em comunicação ou então como professor dos cursos de Jornalismo, Radio e TV, Comunicação Empresarial, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas.

Existem vagas em todas as regiões do país, principalmente nas capitais e cidades interioranas de médio e grande porte. As melhores oportunidades em termos salariais estão na região Sul e Sudeste, principalmente na Assessoria de Imprensa de grandes empresas, que se concentram nessas localidades.

Fonte: www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal