Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Herança Biológica  Voltar

Herança Biológica

 

 

O que é

A herança biológica é o processo no qual uma célula torna-se predisposta a descendência das características da sua célula mãe. Através desta, a evolução pode ocorrer como como variações.

As variações que são exibidos pelos indivíduos podem causar uma espécie em evolução através da herança.

O que Mendel determina como herança biológica?

Mendel concluiu que a herança biológica é determinada por fatores que são passados de uma geração para a seguinte.

Mendel também concluiu que o princípio da dominação afirma que alguns alelos são dominantes e outros são recessivos.

Quais são as unidades que determinam a herança de características biológicas?

Genes

Qual é o estudo da herança biológica?

Genética

Definição

A aquisição de traços geneticamente transmitida de pais para filhos.

O que é herdada de pais para filhos.

Hereditariedade

A hereditariedade é a passagem de características para a descendência de seus pais ou antepassados.

Este é o processo pelo qual uma descendência da célula ou organismo adquire ou torna-se predispostos para as suas características de células-mãe ou organismo.

Através de hereditariedade, variações exibidas pelos indivíduos podem acumular-se e causar algumas espécies de evoluir. O estudo da hereditariedade em biologia é chamado genética.

Herança Biológica
Mendel

As leis da hereditariedade sobre as quais a moderna ciência da genética está baseada foram descobertas por um monge austríaco chamado Gregor Mendel.

Apesar de sua importância, as descobertas de Mendel permaneceram virtualmente desconhecidas por mais de 30 anos após ele ter completado os seus experimentos - embora seus artigos científicos tenham estado disponíveis nas maiores bibliotecas da Europa e dos Estados Unidos da América.

Johann Mendel nasceu em 22 de julho de 1822, em Heinzendorf, Áustria. Ele recebeu o nome de Gregor quando ele entrou para o monastério em Brünn, Moravia (agora Brno, República Tcheca) em 1843. Ele estudou por dois anos no Philosophical Institute em Olmütz (agora Olomouc, República Tcheca), antes de ir para Brünn. Ele tornou-se padre em 1847. Pela maior parte dos próximos 20 anos ele ensinou em uma faculdade vizinha, exceto por dois anos em que ele estudou na University of Vienna (1851-53). Em 1868 Mendel foi eleito abade do monastério.

Os famosos experimentos de Mendel com as ervilhas de jardim iniciaram-se em 1856 nos jardins do monastério onde ele vivia. Ele propôs que a existência de características tais como as cores das flores é devido a ocorrência de um par de unidades elementares de hereditariedade, agora conhecidas como genes. Mendel apresentou seu trabalho para uma sociedade de ciência natural local em 1865 em um artigo intitulado "Experiments with Plant Hybrids." As tarefas administrativas após 1868 manteve-o tão ocupado que ele não pode dar continuidade as suas pesquisas. Ele viveu o resto da vida em relativa obscuridade, morrendo em 6 de janeiro de 1884. Em 1900, pesquisas independentes realizadas por outros pesquisadores confirmaram os resultados de Mendel.

Fonte: www.geocities.com

Herança Biológica

Religioso e botânico austríaco cujo nome completo era Gregor Jonhann Mendel (1822-1884). No dia 6 de janeiro de 1884 morreu o obscuro abade de um obscuro mosteiro na cidade de Brno, na Morávia. Os monges lamentaram-no, pois fora um homem bom. E muitas pessoas o tinham na conta de um grande cientista. Mas se perguntassem por que, pouco saberiam responder. Para ciência oficial, o abade Mendel era um desconhecido. Sua obra sobre hereditariedade cobria-se de poeira na biblioteca local, desde quando publicada em 1866, nas atas da Sociedade de Ciência Naturais. E assim ficou por 34 anos, até que em 1990, agindo independentemente, três botânicos - K. Correns, na Alemanha, E. Tcherrmak, na Áustria, e H. De Vries, na Holanda - redescobriram seu trabalho e proclamaram as leis de Mendel, desenterraram seu trabalho e proclamaram sua importância.

Johann Mendel nasceu a 22 de julho de 1822, em Heinzendorf, na parte da Silésia que então pertencia à Áustria. Na fazenda do pai costumava observar e estudar as plantas. Sua vocação científica desenvolveu-se paralela à vocação religiosa. Em 1843 entrou no Mosteiro Agostiniano de São Tomás, em Brno (então Brünn), onde foi ordenado padre com o nome de Gregório, tornou-se abade e passou o resto da vida.

Só saiu dali entre 1851 e 183, enviado à Universidade de Viena por seu superior, que queria dar ao jovem clérigo uma oportunidade de desenvolver seu interesse pela ciência. Após três anos de dedicação à física, química, biologia e matemática, voltou a província. E dividiu o tempo entre lecionar numa escola técnica e plantar ervilhas no jardim no mosteiro. Com alguns colegas de magistério, fundou em 1862 a Sociedade de Ciências Naturais.

E paradoxalmente, enquanto tentava ser aprovado oficialmente como professor de Biologia - o que nunca conseguiu - Mendel fez descobertas que criaram um novo ramo dentro das ciências biológicas: a genética, ciência da hereditariedade.

Apesar da paixão de Mendel por botânica e zoologia, lá por 1868 seus deveres administrativos no convento cresceram tanto, que ele abandonou por completo o trabalho científico. Quando morreu, querelava com o governo por uma questão de tributos exigidos do convento.

Os seus dois grandes trabalhos, hoje clássicos, são: Ensaios sobre a Hibridação das Plantas e Sobre Algumas Bastardas das Hieráceas Obtidas pela Fecundação Artificial. As leis de Mendel (ou mendelismo) são a base da moderna genética e foram estabelecidas a partir do cruzamento de ervilhas.

Suas observações também o levaram à criação de dois termos que continuam sendo empregados na genética moderna: dominante e recessivo.

LEIS DE MENDEL

Princípios da transmissão hereditária das características físicas. Foram formulados em 1865 pelo monge agostiniano Gregor Johann Mendel.

Ao realizar experimentos com sete características diferentes de variedades puras de ervilhas, Mendel deduziu a existência de unidades hereditárias, que atualmente chamamos de genes, os quais expressam, freqüentemente, caracteres dominantes ou recessivos. Seu primeiro princípio (a lei da segregação), afirma que os genes se encontram agrupados em pares nas células somáticas e que se separam durante a formação das células sexuais (gametas femininos ou masculinos).

Seu segundo princípio (a lei da segregação independente) afirma que a atuação de um gene, para determinar uma característica física simples, não recebe influência de outras características. As leis de Mendel forneceram as bases teóricas para a genética moderna e a hereditariedade.

Como as características são transmitidas de pais para filhos

Cada ser vivo possui características que o diferencia dos outros. Essas características são chamadas caracteres hereditários, pois são transmitidas de pais para filhos. O conjunto de caracteres hereditários de um indivíduo está contido nos cromossomos presentes em todas as células. É sua informação genética. Quando um indivíduo se reproduz, transmite uma cópia de seus cromossomos – uma cópia de sua informação genética – a seus descendentes. Essa herança possibilita o surgimento de filhos com características similares àquelas dos pais e assegura a perpetuação das espécies.

Fonte: members.tripod.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal