Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Letras  Voltar

Letras

Os destinos podem ser muitos para os estudantes que escolherem o versátil caminho das Letras. Ser adepto de muita leitura e gostar de escrever são pré-requisitos para os alunos desse curso interdisciplinar, que tem a biblioteca como seu principal laboratório.

Sobre o curso

O objeto de estudo do curso de Letras é a linguagem. Durante o curso, o aluno desenvolve habilidades de leitura, análise, interpretação e produção de textos em língua portuguesa ou em língua estrangeira de sua escolha. Estuda as teorias literárias e autores brasileiros e estrangeiros. Nos estudos linguísticos, aprende os sons da língua, sua história, sua gramática, seus usos em diversas situações e suas manifestações artísticas, entre outros aspectos. Analisa, ainda, as relações entre a linguagem e a História, a Sociologia, a Educação, a Psicanálise, a Neurologia e as Artes em geral.

O curso de Letras da UFMG caracteriza-se pelo seu currículo flexibilizado. Isso significa que o aluno tem uma pluralidade de opções e decide, com maior autonomia, sobre sua trajetória acadêmica.

O curso de Letras é oferecido nas modalidades:

Licenciatura

Voltada especificamente para a formação de professores, é exigida para o exercício do magistério nos ensinos Fundamental e Médio.

Bacharelado

Prepara o aluno para atuar em outras esferas do mercado de trabalho – como Ensino Superior, Tradução e Editoração.

O aluno que cursa a Licenciatura escolhe entre estas habilitações: Português, Alemão, Espanhol, Francês, Inglês e Italiano. No Bacharelado, são oferecidas as habilitações em Português, Alemão, Grego, Inglês, Latim e Linguística. As disciplinas obrigatórias do curso são Linguística e Teoria da Literatura.

Laboratórios

A Faculdade de Letras (FALE) conta com laboratórios de Informática e um Laboratório de Fonética, equipado com o que há de mais moderno na área. No entanto o principal “laboratório” do curso de Letras é a biblioteca, que conta com um acervo de cerca de 50 mil livros e ambiente adequado para o estudo individual ou em grupo. O Acervo de Escritores Mineiros, pertencente à FALE, mas localizado no segundo andar da Biblioteca Central, reúne livros, manuscritos e objetos dos escritores Murilo Rubião, Henriqueta Lisboa, Oswaldo França Júnior e Abgar Renault, entre outros.
Um pouco de história

O curso de Letras da UFMG existe desde a década de 1940, quando foi fundada a Faculdade de Filosofia da, então, Universidade de Minas Gerais. Funcionou, primeiramente, onde, hoje, se encontra o Colégio Marconi; depois, transferiu-se para o Edifício Acaiaca; em seguida, para o antigo prédio da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, na Rua Carangola; e, finalmente, em 1984, para o Campus Pampulha. No início da década de 1970, o curso passou por uma grande reformulação, com a implantação de diplomas em diferentes línguas.
Área de atuação

Grande parte dos profissionais formados em Letras atua como professores dos ensinos Fundamental, Médio e Superior, além de terem oportunidades de trabalho em Cursos de Línguas. Ao contrário do que muitos acreditam, porém, o campo de atuação é aberto e não está restrito à sala de aula.

Eles também exercem as seguintes atividades:

  • Tradução
  • Preparação de textos para edição
  • Crítica literária
  • Revisão, geralmente em editoras
  • Consultoria em empresas de comunicação.
  • Na área de fonética e aquisição da linguagem também há demanda por profissionais formados em Letras.

    Vida de profissional de Letras

    A FALE tem sede no Campus Pampulha. O curso é oferecido nos turnos matutino e noturno e, a cada semestre, são admitidos 70 estudantes no curso da manhã e 80 no noturno. As Licenciaturas em Francês e Italiano e os Bacharelados em Grego, Latim e Linguística são oferecidos apenas no turno diurno. As Licenciaturas em Alemão e Espanhol e o Bacharelado em Português, apenas no noturno. A Licenciatura em Português existe nos dois turnos, bem como a Licenciatura e o Bacharelado em Inglês.

    Fonte: estacio.br

    Letras

    O Curso de Letras objetiva formar profissionais interculturalmente competentes, capazes de refletir criticamente sobre temas e questões relativas aos estudos linguísticos e literários, a fazer uso de novas tecnologias e a compreender sua formação profissional como processo contínuo, autônomo e permanente.

    Pretende-se construir um Curso de Letras com competência, voltado para os verdadeiros interesses da sociedade maranhense e brasileira, a partir de uma política educacional capaz de transformá-la em uma sociedade mais livre, mais igual, mais justa e, afinal, mais humana, sem perder de vista os princípios definidos na LDB e também nas Diretrizes Curriculares para os Cursos de Letras, que enfatizam o desenvolvimento do entendimento do homem e do meio em que vive, através da comunicação do saber pelo ensino e outras formas de comunicação.

    A nova sociedade, decorrente da revolução tecnológica e seus desdobramentos na produção e na área da informação, apresenta características capazes de assegurar à educação uma autonomia ainda não alcançada.

    O novo paradigma mundial emana da compreensão de que, cada vez mais, as competências desejáveis ao pleno desenvolvimento humano aproximam-se das necessárias à inserção no processo produtivo.

    A educação deve ser compreendida como um meio de superação da dualização da sociedade, que gera desigualdades cada vez maiores.

    No contexto da globalização, a educação passa a responder às exigências impostas pelos órgãos internacionais, a partir do aspecto das necessidades de mercado mundial de trabalho. Assim, a educação passa a desempenhar um novo papel nessa sociedade que tem como termômetro regulador do mercado as relações sociais. Historicamente, a educação tem executado algumas funções básicas nas sociedades. As várias teorias sociológicas apontam este fato. Como diz Émile Durkheim (2002), o objetivo da educação era obter a harmonia, o consenso, a conservação. Em Bourdieu, Passeron (1970), Althusser (1983), Baudelot, Establet (1970), citando apenas alguns estudiosos franceses, a idéia é a que a educação reproduz as relações sociais de produção, principalmente através da ideologia difundida. Para Henry Giroux (1983), a formação da educação é de resistência, de impedimento, para que dessa reprodução se dê. Para Adorno, um dos membros da Escola de Frankfurt e criador da Teoria Crítica, a educação é antes de tudo esclarecimento, emancipação. Esclarecimento dos mecanismos da alienação e de manipulação ideológicas presentes no sistema. Paulo Freire (1979) vê a educação como transformação, mudança, e possibilidade de colocar o homem como ser histórico capaz de ser sujeito do e no mundo.

    A informatização e a automação reduzem o trabalho humano, mas possibilitam a ampliação do desemprego, do subemprego e da falta de oferta no mercado de trabalho dos jovens. Agregada a esse fenômeno está a reorganização da economia em base transnacional, processando uma verdadeira mundialização do capital. Tudo isso leva a uma revisão completa dos paradigmas existentes e das concepções pedagógicas vigentes. Sabe-se que a educação é um processo social, portanto, deve acompanhar a dinâmica da sociedade.

    Dessa forma, os movimentos socioculturais e econômicos colocam em interação todos os povos do mundo, acordando alguns ainda adormecidos. O homem testemunhando objetivamente sua história acaba por despertar sua consciência ingênua, para identificar-se como personagem desse processo de evolução e é chamado para assumir seu papel na sociedade. Assim, Paulo Freire (1979) comenta que: A consciência do mundo e a consciência de si crescem juntas e em razão direta; uma é a luz interior da outra, uma comprometida com a outra.

    Fonte: www.letras.uema.br

    Letras

    Os destinos podem ser muitos para os estudantes que escolherem o versátil caminho das Letras. Ser adepto de muita leitura e gostar de escrever são pré-requisitos para os alunos desse curso interdisciplinar, que tem a biblioteca como seu principal laboratório.

    Sobre o curso

    O objeto de estudo do curso de Letras é a linguagem. Durante o curso, o aluno desenvolve habilidades de leitura, análise, interpretação e produção de textos em língua portuguesa ou em língua estrangeira de sua escolha. Estuda as teorias literárias e autores brasileiros e estrangeiros. Nos estudos linguísticos, aprende os sons da língua, sua história, sua gramática, seus usos em diversas situações e suas manifestações artísticas, entre outros aspectos. Analisa, ainda, as relações entre a linguagem e a História, a Sociologia, a Educação, a Psicanálise, a Neurologia e as Artes em geral.

    O curso de Letras da UFMG caracteriza-se pelo seu currículo flexibilizado. Isso significa que o aluno tem uma pluralidade de opções e decide, com maior autonomia, sobre sua trajetória acadêmica.

    O curso de Letras é oferecido nas modalidades:

    Licenciatura

    Voltada especificamente para a formação de professores, é exigida para o exercício do magistério nos ensinos Fundamental e Médio.

    Bacharelado

    Prepara o aluno para atuar em outras esferas do mercado de trabalho – como Ensino Superior, Tradução e Editoração.

    O aluno que cursa a Licenciatura escolhe entre estas habilitações: Português, Alemão, Espanhol, Francês, Inglês e Italiano. No Bacharelado, são oferecidas as habilitações em Português, Alemão, Grego, Inglês, Latim e Linguística. As disciplinas obrigatórias do curso são Linguística e Teoria da Literatura.

    Laboratórios

    A Faculdade de Letras (FALE) conta com laboratórios de Informática e um Laboratório de Fonética, equipado com o que há de mais moderno na área. No entanto o principal “laboratório” do curso de Letras é a biblioteca, que conta com um acervo de cerca de 50 mil livros e ambiente adequado para o estudo individual ou em grupo. O Acervo de Escritores Mineiros, pertencente à FALE, mas localizado no segundo andar da Biblioteca Central, reúne livros, manuscritos e objetos dos escritores Murilo Rubião, Henriqueta Lisboa, Oswaldo França Júnior e Abgar Renault, entre outros.

    Um pouco de história

    O curso de Letras da UFMG existe desde a década de 1940, quando foi fundada a Faculdade de Filosofia da, então, Universidade de Minas Gerais. Funcionou, primeiramente, onde, hoje, se encontra o Colégio Marconi; depois, transferiu-se para o Edifício Acaiaca; em seguida, para o antigo prédio da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, na Rua Carangola; e, finalmente, em 1984, para o Campus Pampulha. No início da década de 1970, o curso passou por uma grande reformulação, com a implantação de diplomas em diferentes línguas.
    Área de atuação

    Grande parte dos profissionais formados em Letras atua como professores dos ensinos Fundamental, Médio e Superior, além de terem oportunidades de trabalho em Cursos de Línguas. Ao contrário do que muitos acreditam, porém, o campo de atuação é aberto e não está restrito à sala de aula.

    Eles também exercem as seguintes atividades:

  • Tradução
  • Preparação de textos para edição
  • Crítica literária
  • Revisão, geralmente em editoras
  • Consultoria em empresas de comunicação
  • Na área de fonética e aquisição da linguagem também há demanda por profissionais formados em Letras.

    Vida de profissional de Letras

    “Entre as várias habilitações do curso, a mais procurada é o Português. Não é preciso dizer que, entre as possíveis áreas de atuação do profissional graduado em Letras – como tradução, revisão, redação e pesquisa – há o ensino de Línguas Estrangeiras e de português para estrangeiros. Justamente aí aparece o Centro de Extensão da Faculdade de Letras (CENEX/FALE), que oferece cursos de idiomas clássicos e modernos à comunidade em geral. O CENEX cumpre, ainda, o papel de formação de professores, já que seus professores são alunos da FALE, que, assim se preparam para o ofício do ensino. Trabalhei como estagiário do Centro por oito semestres, dando aulas de alemão, que é a habilitação em que me formei. Atualmente, sou professor substituto de alemão na UFMG.”

    Fonte: www.ufmg.br

    Letras

    Perfil do profissional

    O profissional das letras domina a norma culta da língua portuguesa, instrumento preferencial de cultura, de comunicação e de exercício da cidadania. Para tanto, capacita-se a entender suas variações, que vão das diferenças regionais a outros níveis, como o coloquial, o popular, o técnico, etc. O curso de Letras da Estácio forma professores, capacitando os alunos para o ensino de língua portuguesa, inglesa, espanhola e respectivas literaturas, além de qualificá-los para as funções de redator, revisor, tradutor, comentarista de livros e agente literário.

    Mercado de trabalho

    O licenciado em Letras atua como professor, crítico literário, pesquisador, resenhista, tradutor, agente literário, revisor de textos e atividades de domínio conexo ou assemelhadas, dada a grande abrangência de atuação para quem domine bem a norma culta da língua portuguesa, de que são exemplos as contribuições de profissionais das letras no cinema e na televisão. Na área empresarial, pode atuar como produtor de discursos e consultor para as diversas modalidades da linguagem.

    Fonte: www.estacio.br

    Letras

    As Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras, públicas e privadas, e os Institutos de Letras das Universidades Federais, das Universidades Privadas e dos Centros universitários de ensino, públicos e privados, lançam, anualmente, no mercado de trabalho, alguns milhares de diplomados em Letras. Esses diplomados se distribuem pelas áreas de língua portuguesa, de línguas estrangeiras, de línguas e literaturas clássicas, de literaturas vernáculas e estrangeiras, de teoria da literatura, de literatura comparada, de tradução, de interpretação de línguas estrangeiras, de secretariado executivo, de história literária, de linguística, de filologia, de lexicologia, de português para estrangeiros, e ainda pelas áreas de teoria da linguagem, de semiologia, hermenêutica, metodologia e técnicas de pesquisa em Literatura, de teoria e prática do texto e por outras áreas pertencentes ao quadro de Letras. Trata-se de um número vultoso, importante e não podemos assistir indiferentes a esse fenômeno anualmente repetido, desde há muitos anos, no mercado brasileiro de trabalho.

    Não sabemos ainda muito bem como é tratada essa mão de obra, mas acreditamos que grande parte dela é absorvida a nível de subemprego sem que os pares disso tomem conhecimento ou saibam exatamente sobre a realidade profunda que esses dados demonstram.

    ALGUMAS REFLEXÕES PRELIMINARES E A NECESSIDADE DE FUNDAÇÃO DE UMA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DIPLOMADOS EM LETRAS

    A primeira reflexão importante que este fenômeno nos oferece é certamente a necessidade de aprofundar a natureza dos cursos de Letras no país e quais as habilitações e o leque de ofertas de trabalho que potencialmente oferecem.

    A segunda reflexão que importa desenvolver é verificar em que estágio de conhecimento nos encontramos e como podemos evoluir em direção a uma defesa dos próprios direitos.

    A terceira diz respeito a uma restauração da dignidade profissional e do orgulho da classe, levando esta a uma conscientização crítica para lutar, a nível individual e associativo, político e sindical, para colocar a área no centro de atenções em relação ao mercado, como acontece com as demais áreas de trabalho.

    Em setembro de 1977 apresentamos num seminário organizado pela Câmara dos Deputados os primeiros pontos de vista sobre o mercado de trabalho dos diplomados em Letras. Em 30 anos de vida candanga, verificamos, nos vários locais de trabalho que conhecemos, que a maioria dos diplomados saídos da Universidade de Brasília, do CEUB e da Universidade Católica de Brasília foram absorvidos pelas instituições de ensino da capital e das cidades satélites para exercerem o magistério. Em virtude disso, o magistério tornou-se o emprego mais estável e mais acessível para aqueles que têm preparo no curso que lhes deu o diploma.

    Observamos, entretanto, que o magistério não é uma opção exclusiva.

    Há diplomados absorvidos como tradutores em órgãos públicos, em embaixadas e empresas. Outros, organizam sua própria empresa de consultoria de língua portuguesa; outros, ainda, criam micro-empresas para treinamento de língua portuguesa, de redacção, línguas estrangeiras destinadas à preparação de candidatos para concursos públicos do Congresso, dos tribunais, dos bancos estatais, e também para auditores da Receita federal, do Tribunal de Contas da União e do Distrito Federal, assim como para candidatos ao magistério na Fundação Educacional. Por fim, outros, ainda, dedicam-se a preparar grupos que desejam aprimorar-se em redacção, em língua portuguesa ou literatura na época dos vestibulares.

    O mercado é amplo e, por isso mesmo, é necessário estar atento seja às necessidades sociais da demanda, seja à carência dos órgãos públicos. A capacidade de desempenho dos candidatos pode ser oferecida ao mercado, sempre que não houver manifestação direta por parte do empresariado. Letras não pode esquecer que tanto a rádio e a televisão, como a produção de teatro e de cinema, as assessorias do Congresso e da Câmara Legislativa, as assessorias de empresas públicas e privadas, e também a movimentada produção editorial e gráfica de Brasília, as variadas empresas de consultoria, as empresas que promovem traduções, as empresas de turismo, e outras, têm um rico leque de oferta de trabalho.

    A evidência básica que devemos reter em nossa mente é a de que o campo de trabalho dos diplomados em Letras, seja em nível de bacharelado e licenciatura, seja em nível de Mestrado ou Doutorado, está aberto e, por conseguinte, o candidato não tem senão que estar preparado para responder aos desafios do mercado.

    Vamos supor, dentro da atual conjuntura do Mercosul - onde as fronteiras econômicas do Brasil e de seus parceiros do Sul, se tornam fronteiras comuns - que alguém se propõe fazer uma pesquisa de emprego na área de Letras voltada para os mercados dessa região econômica. A pesquisa não deixaria de revelar que os diplomados dos Estados do Sul (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo), pela proximidade do acontecimento em si, têm enormes chances de obter boas ofertas por parte de várias empresas, com níveis salariais compensadores, seja para ensinar a língua portuguesa, seja para mostrar a arte da boa expressão, tanto a empresários, quanto a executivos de segundo e terceiro escalões, ou a grupos comprometidos com a dinâmica do mercado em todos os níveis.

    A pesquisa mostrará também a parcela do mercado interessada em traduções de espanhol para português e vice-versa, em atividades de redação, de revisão de originais, assim como em assessorias de língua portuguesa, em consultorias tanto de língua pátria quanto de língua estrangeira, em elaboração de súmulas e de resumos de livros e de artigos, em levantamento de dados de informação oferecidos pela imprensa, etc. Essa ação poderia estender-se à criação de revistas de serviço necessário às áreas de mercado, à colaboração em periódicos, a assessorias de formação e atuação de grupos de teatro popular, a cursos amplos de português e de espanhol, a assessorias alfandegárias, etc.

    O que desejamos revelar é que, no meio de tudo, há uma linha visível no horizonte. Mas, para encontrá-la, cada profissional necessitará de uma orientação básica. Essa orientação consistirá na argúcia de cada um em descobrir que sua pesquisa deverá ser dirigida, antes de mais nada, para a evidência do mercado, o qual dita as leis de oferta e procura. É por isso que é importante orientar, desde já, os alunos da área, enquanto força potencial do mercado, a ficarem atentos à preparação geral e específica da área em que desejam atuar: linguística, literatura, tradução ou outras. Na prática, todos os problemas do mercado de suas áreas, reais e virtuais, são importantes.

    Por isso mesmo, é possível dizer que aqueles que se formam em Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Língua Inglesa só terão desemprego se o quiserem: o mercado é pródigo de oferta embora exija qualidade. Há em todo o país numerosos postos de trabalho na área, com faixas salariais melhores em alguns Estados. A garantia de emprego ficará certamente ligada ao curso e à qualidade com que o candidato se apresenta para exercer essas funções específicas, seja no magistério, seja na tradução, na assessoria ou na consultoria. Face a esta evidência, importa que, desde agora, o estudante de Letras tome seu curso a sério, profissionalmente, como se já estivesse assinando contrato de garantia de emprego.

    Como informação para uma reflexão mais profunda sobre o tema que nos ocupa, achamos da maior importância traçar um quadro de conjunto das opções modernas que são próprias da área de Letras e que se coadunam com o horizonte do leque dos vários diplomas.

    I. ATUAÇÃO NA ÁREA DE MAGISTÉRIO.

    Os profissionais preparados na área de Língua e Literaturas de língua portuguesa, Linguística, História da literatura, Redação, Produção de textos, Ensino de línguas estrangeiras e Tradução, têm seu mercado de trabalho imediato nos Institutos e Departamentos de Letras e Linguísticas das Universidades, nos Departamentos de Línguas Estrangeiras e de Tradução das Universidades oficiais e particulares, nas Faculdades de Filosofia Ciências e Letras das cidades interioranas, nas próprias Faculdades de Educação, nos centros de treinamento de pessoal administrativo, nos centros e estabelecimentos pré-universitários e de vestibulares, nas escolas oficiais e colégios particulares de primeiro e segundo graus, nos colégios militares, nas escolas de formação agrícola, escolas industriais e comerciais, escolas normais, centros de educação em cujo currículo estejam assinaladas essas áreas de ensino.

    II. ASSESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA

    As grandes empresas modernas têm uma assessoria para cuidar da comunicação social, da publicação de uma revista ou de um boletim, assim como de cursos de treinamento de funcionários e da redacção correta dos documentos da instituição. Ao lado dessa preocupação, existe a orientação e a vontade tácita de preservar, junto ao público externo, a figura de seus executivos, com destaque para o Presidente e figuras mais representativas. É claro que interessa ao presidente e a todo o executivo de uma empresa aparecer publicamente com um discurso bem elaborado que possa ser notado ou elogiado por seus pares. Ao mesmo tempo, é de extrema utilidade haver um profissional especializado com quem os executivos possam tirar dúvidas de português, sem passarem pela vergonha de serem autores de erros crassos de ortografia ou de construções sintáticas e concordâncias incorretas notadas pelo público.

    Esta situação desenha e projeta tecnicamente a figura do assistente ou do assessor de língua portuguesa. Hoje, as grandes e médias empresas, querem conhecer o uso correto da língua portuguesa e fazem questão de o exigir nos documentos oficiais , nos relatórios, na correspondência e nas atas da empresa,etc. Urge, por isso mesmo, uma atenção especial por parte dos diplomados em Letras, e também uma certa ousadia e agressividade em elaborar propostas de trabalho nas empresas com determinadas características e com dinheiro, havendo necessidade, para isso, de se usar a criatividade e o convencimento, pertencendo ao jovem diplomado, saber descobrir os vários aspectos da aplicação de conhecimentos em sua área.

    III. ASSISTENTE DE DIRETOR DE PRODUÇÃO

    Um campo pouco explorado até hoje e timidamente considerado como campo possível de atuação para diplomados em Letras, é o de assistente de produção nos programas de rádio, de televisão , de cinema, de vídeos e de cd-rons.

    Esta assistência pode concentrar-se no acompanhamento, assessoramento, informação e ajuda técnica em vários campos: no estabelecimento da roteirização de textos literários de literatura brasileira ou de textos literários traduzidos de outras línguas, selecionados para montagem de novelas ou de espetáculos de teatro, para produção de clips, de filmes, de vídeos e slides com texto. O conhecimento deve ser valorizado em todos os campos. Ora, se a sociedade tecnicizada busca os melhores especialistas, é bom habituar os mentores desta mesma sociedade, a reservar os lugares certos para as várias especialidades oferecidas pelas escolas e pelas universidades, incluindo Letras. De igual modo, esta assistência e assessoria pode ter seu campo estendido também à integração de um técnico de Letras numa equipe de redação de uma revista da empresa, normalmente conduzida por jornalista profissional, a fim de caminharmos para o cientificamente justo que é abrir as portas de certas áreas da comunicação para a colaboração dos diplomado em língua portuguesa.

    IV. REDATOR E REVISOR

    Sabemos que a vida cultural de um país não se passa apenas na produção de programas de televisão, teatro, cinema e folclore.

    Verificamos que a comunicação também se faz através da escrita. Toda a empresa almeja ter sua revista, seu jornal ou seu boletim. Por vezes dispõe de orçamento para fazer suas publicações, seus relatórios, seus livros e cadernos, regidos pelas exigências sociais e departamentais da documentação e divulgação. Para cobrir esta necessidade empresarial e estatal, há sempre espaço para novos redatores e revisores. Há pessoas que embora tenham estudado língua portuguesa, não ganharam ainda o hábito de escreverem corretamente e de fazerem uma revisão rigorosa do texto, segundo os padrões exigidos pelo ofício. Também é verdade que este ofício, a nível de serviço público, foi abocanhado pelo jornalismo, e os profissionais que o executam chamam-se técnicos de comunicação social.

    Trata-se, evidentemente, de uma fatia ampla, que ultrapassa a necessidade das redações dos jornais. A realidade da informação e da comunicação levou-a aos gabinetes dos ministérios e das grandes empresas assim como às redações das revistas e às salas das editoras e das gráficas.

    Os diplomados em Letras têm hoje, pela frente, um enorme desafio. Trata-se do desafio de tomarem consciência de que a Comunicação está sozinha com o bolo oficial da Redação e da Revisão e que é preciso estudar uma forma diplomática de dividir esse bolo em dois, cabendo parte à Comunicação e parte aos diplomados em Letras.

    O direito de dividir esse bolo assenta em várias várias razões: a primeira é de que, em termos de conhecimentos, o aluno de Letras-Português tem uma formação formal e própria, em princípios teóricos de redação e prática de produção de textos. A segunda, porque a comunicação nasce da expressão e o Curso de Português das Universidades percorre um longo caminho para dotar o aluno de uma adequada maneira de produzir formas de expressão oral e escrita. A terceira, porque tradicionalmente, a redação e revisão, sempre foram ofício de letrados, e só modernamente a redação e revisão passou a ser privativa dos profissionais em comunicação, apenas por dispositivo de lei, e não necessariamente por exclusividade de competência. Entendemos, por este motivo, que há uma necessidade urgente de se fundar uma Associação de diplomados em Letras no Distrito Federal e, a partir da vida associativa, abrir uma negociação com a Associação e Sindicato de Jornalistas a fim de que paulatinamente os diplomados em Letras participem do bolo da redação e revisão. É inevitável, para sucesso da causa,o estabelecimento paralelo de uma luta sindical, por um lado, e, por outro, um trabalho bem dirigido e diplomático, junto a deputados e senadores para que, após os devidos reajustes da lei, de técnico em comunicação social, seja admitido e equiparado, na prática, o trabalho das duas categorias de profissionais nos campos da redacção e da revisão

    V. CENSOR FEDERAL

    A censura federal é uma área pouco conhecida e de pouca demanda por parte dos diplomados em Letras. Mas foi até agora, curiosamente, uma área de grande consumo social e do maior interesse. Oriunda dos tempos dos governos militares, a tarefa do censor federal,passou a ser controlada pela Polícia Federal. A instituição abre, de tempos a tempos, para provisão de vagas, concursos públicos para exercício da profissão, a qual consiste essencialmente em avaliar textos artísticos destinados a espetáculos públicos, letras de música popular, fitas de cinema,etc, tudo avaliado do ponto de vista da moral social brasileira. - É um dos cargos acessíveis a pessoas bem preparadas e tem bons salários. Estaria em fase de extinção.

    VI. EDITORAÇÃO

    Dirigir um programa editorial, a nível oficial, é também um privilégio dos profissionais formados em Comunicação social. Mas deve-se lembrar que existem outros profissionais necessários ao trabalho a ser desenvolvido na preparação dos textos para publicação, na pesquisa textual para preparação da edicão, no trabalho lexicográfico e linguístico, no aparato técnico das obras literárias, na ecdótica ena condução de toda a instrumentação técnica necessária para levar o texto ao prelo. Fica evidente que é também um interessante campo para pessoas interessadas da área de Letras. Neste tipo de trabalho, serão selecionados naturalmente aquele que tiverem maior vocação para a crítica textual e para a preparação de edições de textos literários nacionais e estrangeiros, havendo ainda um grande campo para a editoração de traduções originadas em textos de literatura estrangeira.

    VII. PESQUISA LITERÁRIA

    Normalmente nota-se pouca disposição das pessoas em ousarem programas novos. Entretanto são estes que proporcionam obras interessantes e garantem o ganha-pão de muitos. A verdade é que dispomos de ricas fontes nacionais de literatura, seja a nível nacional, seja a nível regional. Pertence à pesquisa literária, fazer levantamentos de bibliografia especializada de literatura, de crítica literária, de linguística, de língua portuguesa, etc. É trabalho promissor que exige muita organização, competência e persistência. Através destes profissionais podem ser ousados o lançamento de enciclopédias, de coletâneas de textos, de séries críticas em literatura, de textos de cordel, dicionários sobre escritores, dicionários de literatura brasileira, de literatura estrangeira, de linguística, de termos literários, de redação, histórias da literatura, biografias literárias, dicionários de língua portuguesa e de línguas estrangeiras. Este é um espaço amplo e a aberto para se trabalhar em equipe sob o comando de um coordenador e se bem repararmos, são hoje os eruditos de outras áreas que os vão realizando,como Aurélio Buarque de Holanda, Afrânio Coutinho, António Houaiss, pessoas muito competentes, embora de outras áreas.

    VIII. EDIÇÃO DE VÍDEOS E CD-RONS LITERÁRIOS, HISTÓRICO-LITERÁRIOS E LINGUÏSTICOS

    Entremos agora em outro campo interessante.

    Para quem deseja ser moderno e vanguardista, não pode esquecer a realidade tecnológica atual e sua aplicação a nossa área. Na era da informatização e do cinema, o vídeo é um espaço imenso que não devemos cessar de explorar. Seria imprescindível um planejamento e de uma programação em grupo, feita por pessoas da área de Letras, competentes,e audazes, sem intuitos de picaretagem, fazendo-se assessorar, desta vez, em co-equipe, por profissionais da comunicação. Uma série de autores brasileiros que possam interessar a população acadêmica das escolas superiores de ensino, as escolas de segundo grau, videos infantis ou cd-rons sobre escritores brasileiros, voltadas para a literatura infantil, para as lendas e mitos brasileiros, para as grandes figuras folclóricas e tradições, heróis, artistas, líderes. Dependendo da qualidade do planejamento e da capacidade de execução, verbas federais, estaduais, bancárias, municipais e empresariais, podem abrir uma frente interessante que mobiliza pessoas adestradas e preparadas, para apresentar, com nível cultural, pedagógico e didático a história literária e o ensino da língua materna ou língua estrangeira. O vídeo é uma forma alternativa e agradável de difundir a cultura e os letrólogos deverão se adaptar aos novos tempos, associando a palavra à imagem, e explorar o sistema.

    IX. REDAÇÃO PARLAMENTAR.

    Estamos em Brasília, capital política, de grande expressão cultural e não devemos perder de vista a presença do Congresso Nacional em nossa cidade. De vez em quando, o Congresso, seja através do Senado, seja através da Câmara dos Deputados, realiza seus concursos para selecionar candidatos às várias áreas de atuação do Parlamento. Entre essas áreas, está a redação parlamentar, aberta àqueles que têm maior domínio da expressão, da língua portuguesa e da escrita vernácula. O redator parlamentar é encarregado de elaborar discursos parlamentares, relatórios ligados à atividade legislativa. minutas de indicações, de requerimentos e de pareceres, de pronunciamentos parlamentares ou legislativos em especial. Além do Congresso Nacional, as assembleias legislativas dos Estados e a Câmara dos Vereadores dos municípios oferecem este tipo de concurso e de emprego.

    X.PLANEJADORES,COORDENADORES, ORGANIZADORES DE CURSOS E CONGRESSOS, AUTORES E DIRETORES EDITORIAIS

    A transmissão dos conhecimentos obtidos através da pesquisa é uma das alternativas ao alcance dos especialistas em Letras. Esse trabalho porém, pode ser compensado e ampliado, quando os profissionais dos vários compartimentos da área se lançam no planejamento agressivo de obras de grande alcance acadêmico, didático, cultural e social e conseguem, nessa linha organizar planos de obras colaboradas por especialistas, como manuais escolares, em toda a abrangência temática, dicionários de língua portuguesa, dicionários ou publicações em fascículos ou em volumes de literatura brasileira, dicionários de linguística, dicionários de etimologia, dicionários históricos de língua portuguesa, dicionários de termos literários, dicionários de latim, dicionários de grego, dicionários de inglês, de alemão, de francês e de outras línguas estrangeiras modernas publicações monotemáticas de crítica literária, de hermenêutica, antologias de textos, ciclos de conferências, organização de congressos, de seminários e de semanas de Letras. É este um campo muito fértil e requer boa preparação técnica, capacidade de organização, talento, visão e pesquisa. É, certamente, um rendoso mercado de trabalho.

    XI. TRADUTOR E INTÉRPRTE

    Quando frequentamos uma boa livraria internacional ou nacional, entendemos razoavelmente o que significa o volume de traduções que surgem no mercado editorial, no Brasil e no exterior. Esse volume advém sobretudo a partir do inglês, do francês, do alemão, do espanhol e do italiano. Por outro lado, quando frequentamos congressos, simpósios, encontros, semanas, datas comemorativas e conferências percebemos também a importância da interpretação e o campo de trabalho que tem o intérprete de línguas estrangeiras no mundo industrializado.

    O mundo da tradução e da interpretação representa hoje uma área superiormente especializada. Esse detalhe indica-nos que uma e outra devem ser tratadas com muito carinho e que o trabalho a ser exercido na área só pode ser feito com profissionalismo. Editoras e empresas nem sempre têm o cuidado de buscar os melhores profissionais. Algumas delas dão guarida a pessoas que não demonstram cuidado profissional em traduzir bem, sem atraiçoar o texto. O resultado disso são os serviços de má qualidade. Tradução e interpretação representam, efetivamente, um trabalho ao mesmo tempo criativo e prático, ou seja, um trabalho de competência e de viabilidade prática.

    Há mercado para a tradução. Inicialmente, para entrada no mercado, torna-se necessária uma pesquisa cuidadosa junto aos dadores de trabalho. Em Brasília, existem boas oportunidades. Algumas instituições estatais estão dotadas de tradutores próprios, como o Senado, a Câmara, a Secretaria de Assuntos Estratégicos, a Presidência da República, o Itamaraty. Apesar disso, há sempre novos espaços nas embaixadas estrangeiras de Brasília, na Presidência e Vice-Presidência da República, na Câmara Legislativa do Distrito Federal, Justiça Federal, Junta Comercial, Companhias aéreas internacionais, multinacionais, Polícia Federal, editora da Universidade de Brasília, principais empresas de importadores e exportadores, empresas de representação internacional. Além disso, existe ainda a classe dos tradutores juramentados, promovidos por concurso pela Junta Comercial de Brasília.

    Sente-se a necessidade da atuação de uma Associação de tradutores em Brasília para defesa dos interesses profissionais do tradutor; indispensável seria também estabelecer em Brasília uma filial atuante da ABRATES, (Associação Brasileira de Tradutores), a fim de que o tradutor possa ter a ajuda trabalhista necessária.

    O ofício da tradução deve ser profissional e mentalizado, a ponto de todos os profissionais se convencerem de que traduzir bem pressupõe uma habilidade treinada nos segredos da língua de partida e um conhecimento prático e treinamento na elaboração da boa linguagem vernácula, na língua de chegada. O mesmo devemos dizer do intérprete. Para ele atuar com sucesso, pressupõe-se um trabalho montado no conhecimento de duas ou mais línguas, uma segurança de conhecimentos, praticidade para aliar conhecimentos, relações humanas e público, e uma habilidade técnica especial. Diríamos que o mercado potencial é amplo e que merece ser pesquisado com cuidado na cidade de Brasília. Para além das instituições acima citadas e de campo especializado para tradutores juramentados, centrado na Junta Comercial, existe um mercado submerso, possível, entre profissionais liberais, universidades, escritórios de advocacia, organizadores de eventos internacionais, empresas,etc.

    XIII. BELETRISMO

    Durante muito tempo, o homem erudito, das sociedades clássicas e modernas, cultivava a figura do "letrado", do poliglota, do humanista versado nas Belas-Letras, do professor culto que tinha orgulho em sua preparação docente, em sua suficiência linguística, conhecimento de línguas clássicas e línguas estrangeiras, capaz de traduzir, saber, pesquisar e ter conhecimentos gerais sobre várias áreas afins, etc. Uma figura dessas é rara hoje.

    A verdade é que os campos de conhecimento se extremaram. A tendência predominante do mercado é ter um especialista, alguém versado num ramo: professor numa área de conhecimento, tradutor, intérprete, linguísta, teórico da literatura, historiador literário, semioticista, etc.

    Os jovens de hoje dirigem suas aspirações para um campo prático demandando um diploma que lhe dê entrada bem remunerada no mercado de trabalho. No caminho da vida, estes jovens nem sempre têm orientação ou preparação adequada para escolherem, desde cedo, a profissão mais condizente com suas qualidades.

    Para um jovem estudante de Letras, porém, há sempre um eixo possível, que importa descobrir enquanto o curso é feito. Pensando bem, a garantia de emprego vai-se desenhando na medida em que o estudante se prepara em suas matérias curriculares: ou seja, em língua portuguesa, em literatura brasileira e línguas estrangeiras, obedecendo a uma escala de mercado. Em qualquer escolha, uma rigorosa vigilância se impõe sobre o preparo técnico para o exercício da profissão. Possuir as habilidades práticas para colocar os conhecimentos ao alcance da clientela e das empresas que os demandam - eis a fórmula de chegada para o sucesso e a sobrevivência profissional. Com esta fórmula se constrói um bom currículo que vai render dividendos a curto e médio prazo.

    XIV - CURSOS DE TREINAMENTO PROFISSIONAL

    Uma das características da sociedade atual é o consumo, que se desdobra num amplo mapa de demandas. Na área cultural e docente, o diplomado em Letras terá de ficar atento para perceber como se movimenta a sociedade em Brasília e aquilo que toca seu emergente campo de trabalho. Hoje, na capital Federal, o volume de concursos e de eventos nacionais e internacionais é tão intenso, que surgiram várias microempresas com a intenção explícita de oferecer cursos de treinamento para funcionalismo público, Congresso, Bancos, tribunais, Polícia federal, Fundação educacional, vestibulares, etc. Esse volume de eventos e concursos coloca na praça muitas possibilidades de emprego, especialmente para o pessoal da área de português e de literatura brasileira (gramática, redacção, interpretação de texto e análise de obras literárias), de inglês ou de francês.

    Em virtude dessa oferta, os próprios diplomados em Letras poderão se organizar em novas microempresas que explorem esse campo de trabalho ou então virarem trabalhadores dos planos de trabalho já existentes. Num plano econômico onde a margem de emprego está aumentando, é necessário buscar as oportunidades múltiplas que se abrem em leque, com chances para muitos. Para tudo, o essencial, no momento, é mostrar uma boa preparação técnica que possibilite assumir tarefas e um decoro profissional que garanta a tranquilidade e o respeito no mercado em que o candidato atua.

    Além da atuação em fundação de micro-empresas e no magistério em grupos de preparação para concursos e treinamento, existe paralelamente, outro setor. É aquele que redige, seleciona e prepara os originais das apostilas necessárias ao curso. Isso pode representar uma boa entrada financeira para os que as elaboram.

    O diplomado em Letras não pode simplesmente ficar assistindo a este movimento na cidade ou no país. Tem que organizar-se em Associação e logo a seguir cuidar do específico mercado de trabalho, em conjunto com os colegas da área, estabelecendo-o, defendendo-o, participando, na certeza de que muita mão de obra é atualmente explorada por pessoas que não são do setor, como médicos, pediatras, cientistas, biólogos e engenheiros ensinando ou traduzindo inglês, isto é, usando uma experiência linguística que adquiriram quando estiveram no exterior fazendo estágios ou graus de mestrado, de doutorado ou especialização

    XV. SECRETARIADO EXECUTIVO

    A empresa moderna caracteriza-se em seus quadros pela figura da secretária-executiva, que muitas vezes se transforma em chefe de gabinete do diretor ou do Presidente da empresa. Essa figura pode ser uma secretária com prática em redação oficial, com experiência em redação e experiência administrativa, e sobretudo secretária bilíngue, trilíngue e até em multinacionais mais sofisticadas uma secretária com conhecimentos em 4 línguas. Esta constatação mostra o quadro dinâmico da sociedade comercial e industrial, o mundo do "bussiness". A secretária-executiva é o motor e o traço de união entre a empresa e a clientela da empresa.

    De olho nesta realidade, muitas Faculdades no país criaram seus cursos de graduação em secretariado executivo dentro do próprio curso de Letras. É portanto um mercado que interessa também e enormemente, sobretudo nas cidades maiores como S.Paulo, Rio, Porto Alegre, Brasília, Salvador, Recife, Fortaleza, Curitiba, Belém, Manaus e outras, para os diplomados em Letras. O mercado está nas empresas e é necessário buscar uma informação precisa para delinear o mapa do emprego. Em Brasília, de um modo especial, as embaixadas, os ministérios, os órgãos públicos mais importantes e os grandes bancos absorvem uma mão-de-obra qualificada. As jovens formadas em inglês, em português e em tradução devem aperfeiçoar, desde a Faculdade, sua aptidão para este tipo de trabalho, normalmente, promessa de bons salários. Tudo depende, evidentemente, da empresa, da preparação técnica, da adaptação pessoal e da complexidade do emprego.

    XVI. CONTADORES DE HSITÓRIAS E DE OUTRAS ATIVIDADES ARTÍSTICAS

    Além das atividades naturalmente decorrentes do perfil profissiográfico do diplomado em Letras, restaria ainda apelar para outros projetos criativos próprios de quem não se satisfaz com a cara formal do mercado. É justo pensar que na variedade pessoal e psicológica dos diplomados há sempre alguém que vê mais longe e capta idéias que ultrapassam o cardápio comum da formação profissional, idéias capazes de triunfar entre a população. Por isso mesmo, o letrólogo não pode deixar de criar novas idéias de mercado e de tentar novas atividades que ocupem espaços culturais desejados e aplaudidos pela sociedade.

    Neste sentido, seria muito natural para pessoas formadasem Letras, criar, por exemplo, um grupo voltado para a leitura de textos dramatizados para crianças, adultos e idosos, tipo grupo de contadores de histórias, conectado com outras atividades artísticas. Esse grupo poderia ser também companhia de teatro infantil, ou uma equipe apta a compor textos de teatro infantil, e a criar um elenco teatral para apresentações cênicas de textos e a desenvolver uma atividade na faixa do variado mundo das crianças.

    Se a alternativa fosse a criação de um grupo profissional de contadores de histórias, a novidade poderia estar em estender essa atividade para além do público infantil. O contador de histórias, bem treinado, poderá atingir todas as faixas de público, desde que saiba selecionar um bom elenco e organizar uma programação em teatros e salas que despertem o interesse entre as várias camadas sociais. Neste caso, é fundamental que o grupo tenha uma programação profissional: em primeiro lugar é necessário estudar a técnica da dramatização para apresentação da história; em seguida, deve cuidar da atualização e renovação, buscando novas histórias para enriquecer o elenco, introduzindo-as na programação; em terceiro lugar ter uma noção correta da programação, dos locais agradáveis de exibição, dos preços e da duração do espectáculo. - Este mercado existe organizado no Rio de Janeiro desde 1989 pelo Grupo Manifesto, formado por quatro professoras e um músico, grupo que trabalha com um repertório de mais de 50 histórias. Numa entrevista publicado pelo jornal “O Globo” em 8/11/98 observava-se: - “Esse é um mercado que está crescendo muito e há grandes oportunidades para quem realmente gosta de trabalhar a apalvra e passar a emoção por meio de histórias. É o tipo de atividade na qual se pode conciliar, sem qualquer conflito, emoção e meio de ganhar a vida”.

    Outra alternativa ainda é a formação de grupos destinados à organização de shows poético-musicais. Não se trata de shows musicais, uma vez que esse mercado já está ocupado e é específico de cantores e músicos profissionais. Trata-se sim, da veiculação da poesia, da declamação, de espetáculos para divulgação de mensagens humans e de poetas significativos que calem fundo na alma popular : Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes, Fernando Pessoa, Sá-Carneiro, Cecília Meireles, José Régio, Castro Alves.

    CONCLUSÃO

    Os dados e o raciocínio que acabamos de desenvolver visam tão somente produzir uma informação básica e criar uma atitude de espirito voltada para a realidade do mercado do trabalho em Letras. De tudo o que se disse, uma coisa parece evidente: a de que, além do mercado tradicional do magistério, sempre interessante e acessível, outros caminhos se abrem para os recém-formados. Esses caminhos porém, pressupõem uma fecunda imaginação, que provoque “visão”, “intuição”", e leve a bolar "novas formas de trabalho latentes no mercado, como criação de microempresas para treinamento e oferta de cursos, incluindo as tradicionais "explicações” ou aulas particulares em português, língua estrangeira e redação". O uso da imaginação certamente que pode produzir e encontrar novas formas de aplicação de conhecimentos numa sociedade consumista que nos traz variedade de formas de vida e complexos desafios, até profissionais.

    Se é verdade que há uma legião infinita de diplomados em Letras, também é verdade que parte dessa legião pode ser direcionada para um mercado informal que se abre e se anuncia ou, dentro do mercado formal, criar opções próprias. Se há fornadas contínuas saídas das universidades e demais instituições superiores de ensino em Brasília, o número pode significar disponibilidade de mão-de-obra para muitas coisas que podem ser feitas na esfera de uma boa intuição, de conhecimentos adquiridos e na linha de demandas concretas da sociedade.

    A pesquisa diz-nos que muitos companheiros de formação estão, em Brasília, subaproveitados, trabalhando como digitadores em ministérios, bancos, embaixadas e empresas, como secretários em repartições, como assistentes em micro-empresas comerciais, como empregados de balcão em livrarias, como ajudantes de creche, como cabeleireiros, como modelos, como gerentes de bar e até de minimercados. Os diplomas conquistados com sacrifício têm por vezes estes destinos pouco divulgados pela mídia, nada tendo a ver com a formação específica do universitário que frequentou os bancos da Academia em nível superior.

    João Ferreira

    Fonte: www.usinadeletras.com.br

    Letras

    O licenciado em Letras, por sua formação de caráter científico-humanista com vistas ao senso holístico do ensinar e aprender, por desenvolver o processo ensino e aprendizagem, levando em consideração as tendências sócio-político-culturais do mundo globalizado e um sistema de valores onde a potencialidade humana possui significado relevante, exerce ou pode vir a exercer no âmbito da sociedade e nas diversas aplicações profissionais de seus conhecimentos uma multiplicidade de papéis.

    O mercado de trabalho do licenciado em Letras concentra-se,dentre outras,em atividades como :docência no ensino fundamental e médio de escolas públicas e privadas, mercado editorial,organizações ligadas à imprensa, a consulados, ao turismo,ONGs...

    Duração: O tempo do curso é de 36 meses

    Tempo padrão de integralização curricular: 7 semestres

    OBJETIVO GERAL

    Oportunizar ao aluno do Curso conhecimento de nível acadêmico-científico, no âmbito das línguas e suas respectivas literaturas e culturas, que lhe permitam atuar no universo pragmático da docência de ensino fundamental e médio nos diferentes espaços educativos e no fomento da atividade intelectual comprometida com a formação ético-moral da sociedade contemporânea.

    OBJETIVOS ESPECÍFICOS

    Os objetivos específicos do Curso de Letras são:

    Integrar

    Ensino, pesquisa e extensão para a aquisição de recursos científicos, tecnológicos e culturais como instrumentos na formação de cidadãos qualificados para o exercício profissional e empenhados na busca de soluções democráticas para os problemas sociais

    Cultivar

    Relações de cooperação com a comunidade científica nacional e internacional, promovendo intercâmbio de pessoal, recursos e experiências, com vistas à difusão e socialização do saber, sem discriminação de qualquer natureza

    Trabalhar o ensino e a aprendizagem em Letras, incorporando os valores que dêem à vida seu verdadeiro sentido.

    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

    O Curso de Letras da ULBRA, através de seus eixos temáticos, trabalha o ensino, a pesquisa e a extensão de forma a efetivar as competências e habilidades, previstas nas Diretrizes Curriculares de Letras/2001, item 26, as quais são:

    Descrever e justificar as peculiaridades fonológicas, morfológicas, lexicais, sintáticas e semânticas do português, inglês e espanhol com especial destaque para as variações regionais e para as especificidades da norma padrão

    Compreender, avaliar e produzir textos de tipos variados em sua estrutura, organização e significado

    Apreender criticamente as obras literárias sobremaneira aquelas pertinentes à sua formação (ensino fundamental e médio)

    Estabelecer e discutir as relações dos textos literários com outros tipos de discurso

    Relacionar os textos literários com problemas e concepções da época em que foram escritos, bem como com os problemas e concepções do presente

    Interpretar textos de diferentes gêneros e registros linguísticos

    Pesquisar e articular informações linguísticas, literárias e culturais.

    Promover a criação e a divulgação de conheciemtnos culturais através de produções artísticas.

    PERFIL DO EGRESSO

    Considerando a multiplicidade de papéis que o licenciado em Letras exerce ou pode vir a exercer no âmbito da sociedade e nas diversas aplicações profissionais de seus conhecimentos, o egresso do Curso deve apresentar condições de trabalho, tendo:

    Conhecimentos linguísticos necessários ao desempenho profissional, com domínio teórico e descritivo dos componentes fonológicos, morfossintático, léxico e semântico da língua portuguesa, língua inglesa e língua espanhola

    Capacidade de compreender os fatos da língua e de conduzir investigações de língua e linguagem, por meio de análise de diferentes teorias, bem como da aplicação das mesmas a problemas de ensino e aprendizagem da língua materna e/ou estrangeira

    Domínio de diferentes noções de gramática e (re)conhecimento das variedades linguísticas existentes, bem como dos vários níveis registros de linguagem

    Capacidade de analisar, descrever e explicar, diacrônica e sincronicamente, a estrutura e o funcionamento de uma língua, em particular da língua portuguesa, inglesa e espanhola

    Domínio ativo e crítico de um repertório representativo de literatura em língua portuguesa, inglesa e espanhola.

    Compreensão histórico-teórica necessária para refletir sobre as condições sob as quais a escrita se torna literatura

    Criatividade e criticidade para o desenvolvimento profissional, inclusive com potencial de organização didático-pedagógica

    Entendimento de que deve haver coerência entre o discurso e a prática no processo de trabalho

    Iniciativa e autonomia para formulação, gestão e administração de projetos

    Compreensão de que a ação solidária é determinante para o sucesso profissional

    Compreensão acerca do significado do sistema de avaliação no processo de ensino e aprendizagem

    Percepção de que a prática da avaliação deve ser condizente com a proposta do projeto de ensino (em que vier a atuar), e que os resultados dessa avaliação devem ser usados, sistematicamente, para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem

    Ciência de que todo o processo de ensino e aprendizagem também supõe a existência de um sistema de auto-avaliação

    Aceitação de que sua formação implica compromisso ético e sociocultural.

    MERCADO DE TRABALHO

    O Graduado em Letras dispõe de um potencial genérico de atuação profissional em muitos e variados campos das línguas e das literaturas, vernácula e estrangeiras.

    Este potencial aborda o trabalho com praticamente todas as facetas da linguagem humana, incluindo:

  • ensino fundamental e médio
  • cursos livres, aulas particulares e de reforço
  • auxiliar de ensino em nível superior
  • produção e / ou revisão de textos
  • editoração
  • terminologia (descrição e padronização dos jargões técnicos e científicos)
  • tradução, incluindo sua vertente oral
  • interpretação de obras literárias
  • pesquisa, pela condução de uma carreira acadêmica (mestrado e doutorado)
  • produção de material de apoio às demais áreas do conhecimento pela pesquisa aplicada
  • Crítica de cinema.
  • Crítica literária.
  • Fonte: www.ulbra.br

    Letras

    Ler, ler, ler. E gostar de comunicação. O profissional de Letras precisa ter amor ao estudo da língua - seja a materna ou outra estrangeira. Ele pode se dedicar à tradução, à literatura ou ao ensino. Mas não ache que a faculdade de Letras forma escritores: ali é lugar de aprender sobre a estrutura da língua. Talento literário não se ensina. Além dessas duas áreas, é possível dedicar-se à tradução. Em ambas as habilitações - licenciatura e bacharelado -, a formação inclui, no geral, o estudo do português e uma língua moderna, como inglês, espanhol ou francês, e suas respectivas literaturas. É possível, ainda, estudar línguas clássicas, como latim e grego. "Em qualquer área escolhida, é necessário ter familiaridade com o texto, boa redação e conseguir dissertar bem idéias próprias ou não. Como a língua é viva e se modifica o tempo todo, é preciso estudar muito", diz Julia Medrado, coordenadora de projeto da Intellibiz Traduções Empresariais, em São Paulo. A rotina de Julia é intensa. Geralmente, o material chega em cima da hora e as empresas exigem agilidade e qualidade. Ela analisa o projeto, estabelece prazos, seleciona os tradutores qualificados para aquele trabalho e supervisiona o andamento. Com prazos curtos, é fundamental ter minúcia e organização. "Trata-se de um trabalho artesanal, muito humano. É gratificante fazer a ponte entre pessoas que não falam a mesma língua. Isso amplia a possibilidade de comunicação e de aprendizado entre os povos", afirma Julia. Além da tradução empresarial, há também espaço em editoras, para fazer a preparação de originais e revisar ou traduzir textos, e nas áreas de interpretação e secretariado bilíngue.

    O mercado de trabalho

    O profissional com licenciatura dificilmente fica sem emprego. Ele é requisitado por escolas das redes pública e particular para lecionar português, espanhol ou inglês. Quem tem título de mestre ou doutor se credencia para dar aulas em universidades e desenvolver projetos de pesquisa acadêmica. "Para quem opta por outras áreas além do magistério, o mercado de tradução é o mais aquecido", afirma Ronaldo Teixeira Martins, coordenador do curso de Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo. "O bacharel encontra oportunidades como tradutor em jornais, revistas, editoras de livros e empresas que organizam eventos internacionais. Faz, também, tradução e legendagem para televisão e cinema", diz. Revisores com bom domínio da norma culta da língua portuguesa também são profissionais valorizados nesses segmentos. Editoras de livros contratam os formados em Letras para fazer produção editorial e preparação de obras didáticas. O especialista é procurado por empresas para treinar os funcionários na fluência de idiomas ou ensinar português para estrangeiros. É possível atuar como intérprete em eventos ou para grupos estrangeiros em visita ao Brasil. Um segmento em ascensão é o de "localização" - tradução dos comandos e manuais dos programas de computador importados.

    O curso

    O aluno opta logo no início por um idioma estrangeiro - como inglês, francês, espanhol e italiano - para estudar e treinar em laboratório e sala de aula. Análise literária, produção de textos, tradução e pesquisa sobre a evolução e o uso dos idiomas ocupam boa parte da carga horária. Entre as matérias teóricas estão teoria literária, semântica e fonologia, além de língua portuguesa e literaturas portuguesa e brasileira. Para lecionar é preciso fazer licenciatura. Algumas faculdades oferecem as duas formações, a de bacharel e a de licenciado. Há instituições que oferecem, como parte da graduação, programas especiais, como o de formação de escritores, uma série de oficinas que ensina ao aluno as principais técnicas de redação literária. A duração média do curso é de quatro anos.

    O que você pode fazer

    Editoração

    Trabalhar na preparação de textos, da seleção dos originais à tradução, padronização e revisão..

    Ensino

    Lecionar em classes de ensino fundamental, médio e superior ou em escolas de idiomas. Treinar funcionários de empresas na fluência de idiomas estrangeiros.

    Tradução

    Verter textos do português para línguas estrangeiras, ou vice-versa, em editoras, agências de publicidade, empresas estrangeiras e em laboratórios de dublagem e legendagem de filmes e vídeos

    Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

    Letras

    A baixa remuneração salarial dos profissionais recém-formados em Letras que optam por ser professores já fez muitos desistirem da carreira. Por outro lado, nichos como revisão de textos e tradução são boas alternativas. A formação em Letras se divide em duas: o curso de licenciatura habilita o profissional a dar aulas para 1º e 2º graus; já o bacharel em Letras pode dar aulas em faculdades, além de se dedicar à pesquisa da língua.

    Mercado

    O licenciado em Letras atua como professor, crítico literário, pesquisador, resenhista, tradutor, agente literário e revisor de textos. Hoje, faltam professores no País, mas a remuneração pouco atraente para profissionais em começo de carreira afugenta os estudantes da área. Os salários variam conforme a atividade. Para os professores, por exemplo, a carga horária de trabalho e a política da escola onde trabalham fazem com que a média de pagamento fique entre R$ 600 e R$ 2.000 (com mais tempo de carreira). Cursos de especialização, mestrado e doutorado também contam pontos.

    É pra você?

    É preciso, em primeiro lugar, gostar de ler. O futuro profissional de Letras deve também ter uma boa capacidade de análise, redação e habilidade para traduzir ou modificar textos. É preciso ainda bom conhecimento gramatical, domínio verbal, criatividade e objetividade.

    "Mulheres ainda são maioria nos cursos, mas, principalmente no horário noturno, vem aumentando o número de rapazes a cada semestre. Não há uma faixa etária em destaque", diz Deonísio da Silva, coordenador-geral do curso de letras da Universidade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro.

    O que vem por aí

    A globalização econômica e o aumento no turismo mundial abrem novos caminhos para a profissão. Quem opta pelo bacharelado com ênfase em inglês e espanhol ainda tem prevalência no mercado. Mas outras línguas também se destacam, como o mandarim e o japonês. O francês, o italiano e o alemão também oferecem boas oportunidades de trabalho. "Futuramente, quem souber bem português, inglês e mandarim, escolherá o lugar do mundo onde trabalhar", aposta Silva.

    A disseminação da Internet e das tecnologias da informação também trouxeram novos campos de atuação, como a revisão e tradução de sites, supervisão na área de telemarketing e consultoria de empresas para questões ligadas à língua portuguesa e línguas estrangeiras, por exemplo.

    Diferencial

    O estudante de Letras deve dedicar muito tempo aos livros e a textos avulsos, inclusive na Internet. Deve dedicar o máximo de horas à leitura, à pesquisa e ao estudo. No estágio supervisionado, obrigatório na licenciatura, o diferencial é mostrar dedicação. "Temos vários alunos cujo desempenho melhora muito durante o estágio supervisionado e fazem o que podem para cooperar com os professores e com a direção das escolas do ensino médio envolvidas nessa importante preparação do profissional", explica Silva, da Estácio de Sá.

    Fonte: noticias.terra.com.br

    Letras

    Formar-se em Letras significa ter amor pela profissão, pois todos sabem das dificuldades que os professores passam. Preparar aulas, corrigir provas e salários baixos fazem parte da vida desse profissional.

    Porém, cada vez mais aumenta a importância do professor de línguas. Atualmente, conhecer muito bem o português e saber um idioma estrangeiro é importantíssimo para o mercado atual.

    O profissional nessa área precisa estudar, pesquisar e ensinar todo o universo de uma língua, e dessa forma ele começa a entender a forma de pensamento de um povo, sua história e cultura.

    Normalmente, a formação nessa área acontece com uma língua moderna, como inglês, francês, espanhol, alemão, árabe e japonês. Alguns preferem se especializar em línguas mortas como o latim e o grego.

    Fazendo o curso você pode optar pelo bacharelado ou pela licenciatura. Só fazendo esta última que você pode ser professor de português ou algum outro idioma. No bacharelado a área de atuação abrange desde projetos de pesquisa até trabalhar como tradutor e intérprete. Ah, e prepare-se para ler muito durante o curso. Literatura brasileira e, principalmente, da língua escolhida estarão no decorrer de todo o curso.

    Dica

    É muito importante o candidato ter o hábito de ler e se sentir bem fazendo isso, pois o curso inteiro se baseia na leitura. Dedicação também é importante para ser um bom profissional.

    Quais funções posso exercer?

    O profissional de Letras pode trabalhar como tradutor e intérprete, professor, revisor de texto, fazer pesquisas, projetos de ensino escrever verbetes em dicionários, fazer crítica literária e trabalhar em áreas como centros culturais, planejando eventos, feiras de livros e palestras.

    E o mercado?

    Quem oferece o maior número de vagas são as escolas de nível médio e fundamental, porém o desenvolvimento das escolas de idiomas vêm trazendo novas vagas nesse setor. Há ainda a possibilidade de ser professor particular. As áreas de crítica literária, assessoria e consultoria, tradução e interpretação e até jornalística utilizam esses profissionais.

    Duração

    4 anos. Currículo mínimo: Língua e literatura brasileira, literatura brasileira, cultura brasileira, língua estrangeira moderna ou morta, literatura correspondente à língua escolhida e linguística.

    Fonte: www.vestibular1.com.br

    Letras

    Descrição

    O profissional de Letras estuda , pesquisa e ensina língua portuguesa, literatura brasileira, ou outras línguas como: Inglês , Latim , Grego, Alemão ou Francês, e suas literaturas específicas, como por exemplo, a Americana ou a Francesa. O curso de licenciatura habilita a dar aulas para 1º e 2º graus. Já como Bacharel em letras faz a pesquisa da língua de sua opção.

    Currículo Básico

    Língua Portuguesa, Literatura Portuguesa, Literatura Brasileira, Língua Latina, Linguística, Teoria da Literatura.

    Aptidões Desejáveis

    É preciso gostar muito de leitura, ter capacidade de análise, de redação, de tradução e habilidade para a versão de textos. Exige aptidão verbal , bom conhecimento gramatical, facilidade para a transmissão de idéias, criatividade, clareza, objetividade.

    Campos de Atuação

    Magistério, Pesquisa Acadêmica, Revisão de Textos, Crítica Literária.

    Fonte: www.guiadasprofissoes.com.br

    Letras

    A Carreira em Letras

    No curso de Letras o profissional estuda e pesquisa a lingua portuguesa, a literatura relativa ( literatura Brasileira e Portuguesa ), e também uma ou mais linguas extrangeiras, tais como Inglês, Alemão, Francês e suas literaturas. Uma vez formado, o Bacharel em Letras estará apto a dar aula em módulos escolares básicos ( 5ª à 8ª series ) e também no ensino médio.

    Na carreira de Letras há algumas especializações e rumos que o profissional pode tomar: além da Licenciatura onde ele dará aulas de lingua portuguesa ou literatura, ele também poderá lecionar Aulas de Língua e Literatura Extrangeira, se especializar e trabalhar como Tradutor ou então se especializar para trabalhar como Professor em Cursinhos pré-vestibular.

    Letras

    Sem ciência não podemos sobreviver, mas sem arte, literatura e beleza não podemos viver.

    Grade Básica do Curso de Letras

    Cultura Brasileira
    Técnicas de Redação
    Gramática
    Literatura Brasileira e Portuguesa
    Literatura Extrangeira ou Mundial
    Língua Estrangeira
    Língua Portuguesa
    Literatura Grega e Clássica
    Teoria Universal da Literatura
    Linguistica

    Aspectos Favoráveis da Carreira em Letras

    Há oportunidades para professores de lingua portuguesa em praticamente todo o Brasil, em especial, há boas oportunidades de trabalho para professores de Literatura Geral e Literatura Brasileira em cursinhos pré-vestibular.
    Aspectos Desfavoráveis da Carreira em Letras:

    Em algumas regiões do Brasil os salários para professores, não só de lingua portuguesa, mas professores em geral, são baixos o que pode desistimular os profissionais.

    Fonte: www.guiadacarreira.com.br

    Letras

    O PROFISSIONAL

    Esse profissional estuda a história, o desenvolvimento, as técnicas e a literatura de um idioma. Trabalha em pesquisa de línguas antigas e modernas, incluindo sua gramática e literatura.

    Ajuda a desenvolver a capacidade de análise de comunicação e expressão dos estudantes.

    Para lecionar, tem que fazer a licenciatura. Como professor, planeja e ministra aulas. Também pode trabalhar como tradutor.

    O MERCADO DE TRABALHO

    O mercado cresceu muito com a valorização dos professores de idiomas. Esses professores são contratados por escolas especializadas, por empresas em que são formados grupos de estudos, mas os maiores empregadores continuam sendo as escolas de ensino fundamental e médio.

    Há trabalho em editoras, na tradução de livros e artigos. Em assessorias para grupos de executivos, para Internet, etc.

    O CURSO

    Esse curso tem a duração de quatro anos. O bacharelado prepara para o trabalho em editoras, na tradução de textos, como escrevente especializado. Para lecionar é preciso fazer a licenciatura.

    Entre as disciplinas: língua e literatura portuguesa, linguística, cultura brasileira, teoria da literatura, língua estrangeira moderna, literatura latina, filosofia românica, língua e literatura grega, semântica, língua estrangeira e sua literatura.

    Fonte: educaterra.terra.com.br

    Letras

    Estuda, pesquisa e ensina língua portuguesa e estrangeiras, assim como a literatura e a cultura de diferentes países.

    O Bacharel em Letras

    Dá aulas de Português e Literatura Portuguesa / Brasileira ou de uma língua estrangeira com sua respectiva literatura. (Ensino).

    Ajuda a desenvolver a capacidade de análise, de comunicação e de expressão, o senso crítico e a criatividade do aluno. (Ensino).

    Desenvolve estudos e teses em áreas como Filologia, Linguística e Literatura em universidades e institutos de pesquisas.(Pesquisa).

    Prepara, revê e corrige textos, trabalhando em editoras ou órgãos de imprensa.

    Faz a versão, de um idioma para outro, de textos literários e técnicos.

    Atua, também, em conferências ou reuniões, traduzindo oralmente e quase simultaneamente o que é dito pelo orador e pelos participantes. (Tradução e Interpretação).

    Pode ensinar empresários a preparar relatórios e fazer pautas, atuando como secretário bilíngue.

    Está apto a fazer críticas literárias.

    Onde Pode Trabalhar

    Magistério — ensino de 1.º e 2.º graus, cursos de línguas estrangeiras.

    Editoras e empresas jornalísticas.

    Assessoria a empresários, advogados e outros profissionais.

    O Curso

    No currículo existem disciplinas destinadas a familiarizar o aluno não apenas com as línguas escrita e falada, mas também com suas respectivas Literaturas, Linguística e conteúdos que envolvem pedagogia e ciências humanas.

    Para a formação adequada do profissional, procura-se formar no aluno uma consciência da própria linguagem e o hábito de intensa leitura. Dá-se ênfase a uma visão histórica da evolução nas correntes do pensamento Linguístico e da produção artístico-literária. Para isso, são ofertados conteúdos como Linguística, Língua Portuguesa, Língua Latina, Literatura Grega, Literatura Brasileira, Filologia Românica, Psicologia da Educação, Estrutura e Funcionamento do Ensino de 1.º e 2.º graus, Didática, Literatura Infanto-juvenil, Literatura Portuguesa, entre outros, quando o idioma escolhido é o Português.

    Existe a possibilidade do aluno cursar uma língua dupla, que o torna apto a lecionar o Português e um outro idioma pelo qual tenha feito sua opção.

    São ofertadas as “Sete Línguas Clássicas”— Inglês, Francês, Espanhol, Italiano, Alemão, Grego e Latim.

    DURAÇÃO

    04 anos e meio (09 semestres)

    Fonte: www.cfh.ufsc.br

    Letras

    Sobre a profissão

    Esses profissionais estudam os idiomas e suas respectivas literaturas nacionais. As faculdades que oferecem os cursos de Letras preparam o profissional para a pesquisa e o ensino do Português e de pelo menos um idioma estrangeiro, assim como para os estudos das literaturas nacional e internacional.

    A especialização em idioma estrangeiro pode ser em línguas modernas, como francês, espanhol, inglês, alemão, japonês, ou ainda em uma língua clássica como latim ou grego. A maior vocação do profissional de Letras é o magistério no ensino fundamental e médio, ou ainda em escolas de idiomas. Mas pode, também, trabalhar com a assessoria na tradução de textos para empresas multinacionais e em editoras, na revisão de textos.

    Existe apenas um curso de bacharelado específico para o ensino de Estudos Literários. A faculdade forma profissionais capacitados para a crítica, reflexão e pesquisa dos vários gêneros literários. O bacharel também é habilitado para a produção de textos. Ele é um especialista em literatura.

    Tipos de Curso

    a) Nível Superior

    Bacharelado (Letras)

    Duração média de 4 anos. Em geral os cursos de bacharelado formam tradutores e intérpretes para um idioma estrangeiro e também especialistas em português. O segundo idioma é escolhido já na matrícula para o curso, que pode apresentar ainda habilitação como Tradução e Interpretação, Secretariado executivo, Linguística ou Criação Textual. Dentre as disciplinas destacam-se teoria literária, semântica, fonologia, língua portuguesa e brasileira, literatura portuguesa e brasileira.

    b) Nível Superior

    Licenciatura (Letras)

    Duração média de 4 a 5 anos. O curso de licenciatura é semelhante ao de bacharelado, incluindo-se as disciplinas pedagógicas que habilitam o profissional para o magistério. Em algumas escolas o aluno pode optar pelo bacharelado e depois complementar a formação com as disciplinas pedagógicas, ficando também apto para dar aulas.

    c) Nível Superior

    Bacharelado (Estudos Literários)

    Duração média 4 anos. O curso oferece uma formação básica que prepara o aluno para a produção e análise de textos em prosa, poesia e outros gêneros literários. A grade curricular oferece disciplinas como teoria literária, história da literatura, língua portuguesa, metodologia de pesquisa. A faculdade oferece várias disciplinas optativas que complementam a formação transdisciplinar do profissional, possibilitando ao aluno o livre trânsito por outras áreas do conhecimento como a linguística, artes e sociologia.

    d) Nível Superior

    Licenciatura (Letras)

    Duração média de 4 a 5 anos. O curso é semelhante ao bacharelado, diferenciando-se nas disciplinas pedagógicas que possibilitam ao profissional o exercício do magistério.

    e) Cursos Livres

    Existem cursos de redação, interpretação de textos e idiomas que podem melhorar o desempenho de profissionais de diversas áreas que lidam com a produção literária.

    Mercado de Trabalho

    O mercado de trabalho para profissionais especialista em línguas está muito relacionado ao mercado de produções literárias. Com o crescimento do mercado editorial, expansão das feiras de livro e melhoria nos índices de leitura, esse profissional viu crescer também os postos de emprego para avaliação e tradução de livros.

    Os profissionais formados em Letras encontram um forte mercado no magistério, tanto para trabalhos em escolas regulares de ensino fundamental e médio, quanto para o trabalho em escolas de idiomas e cursos livres de produção literária.

    Existem também vagas para a produção de conteúdo para produtos de comunicação como sites. Outra boa oportunidade pode surgir em empresas multinacionais que necessitam de tradutores e intérpretes e de secretárias bilíngues.

    Ofertas de Emprego

    Para os licenciados, o magistério oferece vagas de emprego por todo o território nacional. O governo realiza frequentes concursos para complementar os quadros funcionais nas escolas públicas. As escolas particulares também empregam em boa parte do país, no entanto, se concentram mais nas capitais e cidades interioranas de médio e grande porte.

    Para o trabalho com tradução e interpretação as vagas surgem concentradas nas regiões de maior movimentação financeira, como São Paulo e Rio de janeiro, que reúnem o maior número de empresas com relações internacionais.

    A produção literária e a avaliação editorial empregam mais nas regiões Sul e Sudeste, que reúnem o maior número de editoras e empresas midiáticas que possam necessitar dos préstimos desse profissional.

    Para quem fez pós-graduação, a pesquisa cientifica e o ensino universitário são outra opção de trabalho. As vagas se espalham pelas capitais que sediam faculdades da área como Porto Alegre, Curitiba, Santa Catarina, Distrito Federal, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória, Salvador, Recife e outras.

    Fonte: www.cursocerto.com.br

    Letras

    O profissional colocado no mercado pela Universidade tem uma formação ampla, o que lhe permite grande versatilidade nos diferentes campos possíveis de trabalho.

    Esse especialista cuida da análise e concepção histórica da linguagem escrita e falada e do desenvolvimento de técnicas e conhecimentos relativos à linguagem.

    Como a língua é o principal instrumento de expressão, o curso de Letras torna-se fundamental ao estudo das ciências humanas, das expressões literárias e do desenvolvimento cultural de uma sociedade.

    Atividades Principais

    Atuar no ensino das línguas portuguesa e inglesa, das literaturas portuguesa, brasileira, inglesa e norte-americana

    Trabalhar na elaboração, revisão e correção de textos em editoras e órgãos de imprensa

    Fazer versões de um idioma para outro de textos técnicos e literários, bem como atuar em conferências e simpósios, efetuando interpretações simultâneas ou consecutivas

    Desenvolver pesquisas, estudos, análises e teses de linguística e literatura.

    Mercado de Trabalho

    O profissional dessa área pode atuar em empresas jornalísticas, editoras, escolas públicas de ensino fundamental, universidades, empresas privadas e também como autônomo preparando relatórios, pautas e atas para reuniões importantes do empresariado.

    No caso da habilitação em tradutor/intérprete, este profissional pode também atuar em editoras, congressos, aeroportos, agências de turismo, escritórios de comércio exterior, embaixadas e empresas multinacionais. Esta habilitação encontra o mercado em franca expansão.

    Duração do Curso

    4 anos

    Fonte: www.curso-objetivo.br

    Letras

    Falar e escrever bem é fundamental para o sucesso no mercado de trabalho. Melhor que ter facilidade de expressão, é expressar-se adequadamente. Além disso, falar um segundo idioma é requisito básico para muitos profissionais.

    Nesse cenário globalizado, o ensino de idiomas é uma excelente oportunidade de negócios para quem leciona, seja em escolas especializadas ou no ensino público e particular, em colégios e universidades.

    Ao contrário do que muitos pensam, o curso não trata somente de gramática dos idiomas escolhidos, mas conta com muito estudo de linguística, dentro do qual é feita a análise da criação e evolução de determinado idioma, além dos estudos de literatura. Hoje, o curso oferece as habilitações Inglês/Português, Espanhol/Português e Licenciatura em Alemão.

    Diferenciais do Curso

    Corpo docente altamente qualificado

    Nas habilitações Inglês/Português, Espanhol/Português desenvolvimento de competências em revisão de textos em língua portuguesa; tradução, revisão e participação em outros eventos; preparação para o magistério na área de Línguas.

    Na Licenciatura em Alemão desenvolvimento de competências em tradução, revisão e participação em outros eventos; preparação para o magistério na área de Língua Alemã.

  • Aprimoramento do saber literário desde a sua origem até a atualidade.
  • Experiência em Projetos de Pesquisa e Extensão.
  • Participação em grupos de estudo e de pesquisa.
  • Intercâmbio de experiências com escolas de todos os níveis.
  • Oportunidade de intercâmbio internacional.
  • Permanente atualização bibliográfica.
  • Campo Profissional

    Atuação no Ensino Fundamental e Médio, como professor de Língua Portuguesa e Língua Inglesa ou Espanhola e respectivas literaturas; em assessoria linguística e literária; como revisor de textos em gráficas, revistas, jornais, editoras, empresas públicas; em órgãos governamentais de educação e como tradutor.

    Fonte: www.furb.br

    Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal