Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Lichia  Voltar

Lichia

 

Nome científico: Litchi chinensis
Nome: Lichia
Família: sapindáceas
Origem: Ásia, China.
Porte: árvore de até 10 metros.
Flores: primavera
Frutos: verão.
Partes usadas:
Frutos.

Lichia
Lichia

A lichia geralmente tem o tamanho de um limão galego, mas, na China, alguns medem 35 a 40 milímetros de comprimento. Pelo aspecto, assemelha-se a um morango.

A casca, coriácea, áspera, quebradiça, avermelhada, passa a castanho-escuro quando está maduro. A polpa ou arilo é translúcida, sucosa, algo semelhante à jabuticaba, deliciosa.

O sabor lembra da uva moscatel. Algumas variedades produzem, de flores não fecundadas, frutas cujas sementes são pequenas, enrugadas e sem poder germinativo. Noutras variedades, cujas flores são fecundadas, as frutas têm sementes grandes, escuras e germinam bem durante alguns dias. Perdem depressa o poder germinativo.

As lichias, no Brasil, as pouquíssimas que temos, são deliciosas, tão boas quanto as de Cantão e Pequim, e consumidas em natureza. Na Índia, ocorre o mesmo.

Mas na China também as comem secas, sob a forma de passa, e em compota. São saboresíssimas as compotas e as passas de lichia.

As lichias secas ao Sol são mais perfumadas e saborosas do que as secas ao fogo. Cantão exporta grande quantidade de lichias frescas, em natureza, bem como secas e em compota. Guardadas em geladeiras, as lichias duram mais semanas. Resistem a longos transportes.

Conforme Popenoe, a composição química média das lichias colhidas em Havaí é a seguinte: sólidos, 20,92%; cinzas, 0,54%; ácidos, 1,16%; açúcares, 15,3%.

Variedades

No sudeste asiático, quente e úmido, há muitas variedades, algumas quase desprovidas de sementes. No Brasil, principiamos e muito lentamente. Pouco, quase nada se sabe a respeito. Há, porém, lichias com sementes grandes e outras quase sem sementes.

Origem

A lichia (Litchi chinensis Sonn.), originária da China, é considerada como a rainha das frutas pelo seu sabor e aroma delicados, além do aspecto atraente.

Quanto à botânica, pertence à família Sapindaceae, que tem representantes importantes no Brasil, como o guaraná (Paulinia cupana) e a pitomba (Talisia esculenta).

Climas

A lichieira encontra sua ecologia de predileção nos climas tropical e subtropical úmidos. Teme as geadas e os verões secos. Os verões secos e as geadas são fatores limitantes –informa W.B.Hayes em Fruit Growing in Índia. Algumas variedades resistem a geadas não muito fortes. Se a pluviosidade é pequena e mal distribuída, a irrigação é indispensável.

O ideal é uma pluvisidade igual ou superior a 1.500 milímetros mais ou menos bem distribuída. Acomoda-se a uma pluviosidade igual a 1.500 milímetros.

Solos

Os solos sílico-argilosos e argilo-silicosos, férteis, profundos, são ótimos para a lichieira. Prefere os solos ácidos. Não lhe convêm os solos calcários.

Multiplicação

A multiplicação pode ser sexuada e assexuada ou agâmica.

No Brasil, em regra a lichieira é multiplicada por meio de sementes, embora este processo, muito prático e barato, tenha dois defeitos:

a) não transmite integralmente as qualidades da árvore mãe;
b)
as mudas custam a frutificar, cerca de 10 a 15 anos.

Na China e na Índia, só se usa uma multiplicação sexuada para produzir porta-enxertos. A lichieiras se multiplica por mergulhia, alporquia e enxertia. A mergulhia, embora lenta e custosa, é o processo mais usado na China e na Índia. A alporquia tem os mesmos defeitos, talvez agravados.

Ambos os métodos, porém, produzem plantas idênticas à árvore-mãe e que frutificam com uns três a seis anos. Tem, em compensação negativa, um sistema radicular relativamente pouco desenvolvido e vivem menos do que os pés-francos. Na enxertia, usam-se como cavalos pés-francos de lechieira. Enxerta-se por borbulhia e garfagem. A pega não é fácil.

Plantio

Se possível, ara-se e gradeia-se todo o terreno e faz-se uma adubação verde. Abrem-se covas de 50 centímetros de comprimento, largura e profundidade, com o espaçamento de 10 x 10 metros.

Convém adubar cada cova com 20 litros de estrume de curral ou composto, misturado com 200g de nitrocálcio-petrobrás ou sulfato de amônio, 300g de farinha de ossos, 200g de superfosforo e 150g de cloreto de potássio. Plantam-se as mudas em dias úmido, no início da estação chuvosa.

Tratos culturais: Fazem-se as carpas indispensáveis, de preferência com a grade de discos ou o cultivador.

Culturais consorciados: São possíveis e aconselháveis nos primeiros anos, desde que não abafem as fruteirinhas. Preferem-se as leguminosas de curto ciclo vegetativo.

Podas: Não há podas de formação. Podem fazer-se podas de limpeza, retirando-se galhos secos ou doentes, galhos maus colocados e ladrões.

Adubações: A lechieira precisa ser adubada para frutificar regular e fartamente. Reage muito as adubações.

Colheita

A colheita é fácil e pode ser farta se a ecologia for favorável e se as lechieiras, descendentes de árvores muito frutíferas, forem convenientemente tratadas. Tendo florado em agosto-setembro, o que ocorre no planalto paulista, a colheita se realiza em dezembro-janeiro. A safra varia bastante de um ano para outro.

Fonte: www.agrov.com

Lichia

Lichia (Litchi chinensis Sonn)

A Rainha das Frutas

Chamada de rainha das frutas em alguns países, a fruta ainda é pouco consumida no Brasil.

Considerada a fruta nacional da China, de onde é originária, a lichia ainda é pouco conhecida no Brasil, mas, de um tempo para cá, começa a ganhar mais espaço entre as frutas consumidas pelos brasileiros nesta época de final de ano.

A lichia, conhecida no mundo todo como a rainha das frutas, é uma cultura milenar da china, onde se originou , e que a poucos séculos foi disseminada para outros países como: índia tailândia, taiwan, áfrica do sul, madagascar, israel, estados unidos (hawaii e flórida), vietnã e finalmente o brasil.

É uma fruta arredondada, com casca vermelha brilhante (muito fácil de ser descascada com as mãos ), envolvendo sua polpa branca que se destaca pelo seu paladar doce, leve e muito refrescante.

A lichieira é uma árvore de grande porte, podendo atingir até 12 metros de altura e se adapta bem a diversos tipos de solo, desde que seja profundo e bem drenado. Trata-se de uma cultura de clima subtropical, porém apresenta certa tolerância a geadas não muito rigorosas.

A produção comercial de frutos tem início, em média, a partir do quinto ano após o plantio das mudas e por ser uma planta de grande longevidade pode produzir por mais de cem anos. A floração tem início entre junho e julho, seguido pelo aparecimento da fruta verde entre agosto e setembro, finalizando com o amadurecimento e colheita entre novembro e dezembro.

Este ciclo de produção pode sofrer variação de um a dois meses, de acordo com as condições climáticas da região. A produtividade média varia de 40 a 50 quilos anuais por planta.

No Brasil, são conhecidas três variedades de lichieiras: “americana” - sua produção se apresenta uniforme, porém sem formação de cachos , o que dificulta a colheita e diminui a produção; seu fruto possui casca menos rugosa , sabor mais adocicado e um caroço bem pequeno, o que torna a lichia americana mais atraente ao paladar; “brewster” - como a americana, sua produção é uniforme por toda a árvore, porém em maior quantidade e a casca de seu fruto é mais rugosa e seu caroço maior; e “bengal” - esta é a grande produtora de lichia , sua produção ocupa a árvore toda , formando cachos que podem superar três quilos e seus frutos são semelhantes aos da brewster , porém um pouco maiores.

Do ponto de vista comercial, a lichieira do tipo bengal é a mais atraente, pois na fase adulta pode atingir até 300 quilos de frutas por ano. A rusticidade da lichieira a torna bastante resistente a doenças.

Quanto às pragas, eventualmente podem ocorrer brocas de tronco, ácaros e abelhas nos frutos.

Região de origem: China, província de Cantón.

Foi introduzida no Brasil em 1810.

Descrição Botânica Planta subtropical.

Família: Sapindaceae

Espécie: Litchi chinensis Sonn

Subespécies: Chinensis Phillippenis (não comestíves) Javanensis (pequeno valor comercial) Litchi chinensis chinensis é de interesse econômico.

Clima frio e seco antes do florescimento e quente e úmido no resto do ano.

Temperatura ideal: 28-38ºC

Precipitação:1500mm A produção inicia-se do 3º ao 5º ano, mas somente á partir do 8º atinge a produção máxima.

A produtividade normal da lichieira é de 30 a 45 Kg por planta.

Planta com grande longevidade, e com presença de alternância de produção.

A planta atinge de 10-12 metros de altura, sistema radicular pivotante e superficial;
Inflorescência tipo panícula;
Folhas alternadas compostas;
3 tipos de flores, que se abrem consecutivamente na mesma panícula:
indução floral favorecida por temperaturas baixas e estresse hídrico.

Fruto é uma drupa, podendo ser redondo oval ou cordiforme.

Polpa branca, translúcida, e não aderente ao caroço, e semente marrom brilhante com tamanho de 10-18% do tamanho do fruto.

Lichia
Lichia

Lichia
Lichia

Presença de vitaminas do complexo B, Vitamina C, E quantidade considerável de K.

Variedades

Há um grande número de variedades que são definidas por características, como: Maturação, vigor da planta, forma, tamanho, coloração dos fruto, produtividade, textura da casca, tamanho da semente e porcentagem de “Língua de galinha”( aborto das sementes).

No Brasil as mais plantadas são: Bengal e Brewster.

Lichia
Bengal

Lichia
Brewster

A propagação é normalmente por Alporquia.
Enxertia, garfagem, borbulhia e estaquia, são pouco utilizados devido a baixa porcentagem de pegamento.
A propagação por semente não é viável devido ao longo período juvenil e alta variabilidade genética.
Não se costuma fazer poda de formação, usa-se poda de limpeza e aeração.
Por apresentar sistema radicular superficial, não tolera plantas daninhas, tendo que controlá-las mecânica ou quimicamente.
Uso de anelamento para evitar alternância de produção.
Uso de reguladores de crescimento na propagação vegetativa, estimular crescimento, florescimento e frutificação.
As principais pragas são:
Ácaro; cochonilhas; mosca-das-frutas e lagarta do fruto.
Não sendo comum doenças, por ser uma cultura muito rústica.

Colheita e Comercialização

A colheita é feita manualmente.
Alta perecibilidade e perda da cor vermelha da casca, são os principais problemas de comercialização da fruta.
Comercializadas com temperaturas baixas, para aumentar sua vida de prateleira.
Comercialização dos frutos no Brasil é dado na entresafra.

Fonte: www.esalq.usp.br/www.jornalentreposto.com.br

Lichia

História

Segundo Pimentel Gomes em  seu livro  "Fruticultura Brasileira", no Brasil  as primeiras lichieiras  chegaram  em  1810  procedentes  da  China e foram plantadas no Jardim Botânico do Rio de Janeiro e acredita-se que  naquele local  ainda  haja  descendentes  destas  plantas.  Foram  plantas  originadas de sementes e não serviram para desenvolver  cultivos comerciais no Brasil  pois  os exemplares obtidos  por  este  método  de  propagação  demoram muitos  anos  para  iniciar  a  frutificação  devido  à  segregação  e  ainda  variam muito na qualidade dos frutos.

A  empresa  Dierberger que  foi a pioneira na introdução de cultivares de diversas  frutíferas no Brasil  que  até então  propagava  mudas de sementes  das lichieiras  que  haviam  plantadas na Fazenda Citra  em Limeira  sentiu a necessidade  de  procurar cultivares  selecionados desta frutífera que começava a despertar interesse comercial  em  produtores  regionais  devido  às inúmeras qualidades da fruta.

Em  1956  quando  viajou  para  os Estados  Unidos  para  passar  um período  na Flórida  conhecendo  o que  se cultivava  naquele  estado  considerado o mais importante na fruticultura americana, João Ernesto Dierberger, trouxe   as   primeiras  variedades  comerciais  de Lichia em  mudas  obtidas por alporquia,  principal  método de propagação da lichieira até  a atualidade.

As  3  variedades  que   foram   trazidas  foram   Bengal,  Brewster  e Americana , este  último  cultivar  recebeu  este nome  devido ao fato  de ser nome chinês  e  de difícil pronúncia.

Ao longo dos anos de atividade frutícola  a empresa Dierberger introduziu  também  outros cultivares  mas  mantém  um carinho especial pela variedade Bengal  que foi  a  responsável  pelo  início do cultivo  comercial  da Lichia no Brasil e a variedade de maior produtividade dentre todas. 

Apesar  de  apresentarem  semelhança entre si os  cultivares apresentam características bem distintas tais como: coloração externa, formato dos frutos, tamanho das sementes, casca mais lisa ou mais  áspera,  alguns  com coloração menos atrativa porém com polpa de qualidade superior, épocas de maturação diferenciadas, alguns com menor alternância  na  produção , etc.

Lichia
Lichia

Variedades

AMERICANA: Frutos médios e cordiformes de coloração vermelho-escuro e individuais . Alta incidência de sementes abortadas. Maturação precoce e pouco produtiva.

BENGAL: Frutos grandes e cordiformes de coloração vermelho-brilhante. Cachos com 8 a 30 frutos com sementes grandes. Maturação precoce. A variedade de maior produtividade e a mais plantada no Brasil.

KWAI MAI PINK: Frutos de tamanho médio e arredondados de coloração vermelho-alaranjado. Cachos com 8 a 20 frutos com sementes médias. Maturação meia-estação. De todas as variedades é a considerada de menor alternância.

Lichia
Lichia

BREWSTER: Frutos de tamanho médio a grande, elípticos e de coloração vermelho-brilhante. Cachos com 6 a 20 frutos com sementes grandes. Maturação precoce. É a segunda variedade mais cultivada no Brasil.

EMPEROR: Frutos grandes e cordiformes de coloração vermelho-escuro. Cachos com 3 a 8 frutos com sementes grandes. É a variedade defrutos maiores e mais resistentes ao manuseio e transporte. O porte da planta é menor em relação às outras variedades. Maturação meia-estação.

Lichia
Lichia

GROFF: Frutos pequenos e arredondados de coloração vermelho-escuro. Cachos com 20 a 40 frutos com sementes pequenas. Maturação bastante tardia.

Lichia
Lichia

HAK IP: Frutos de tamanho médio de coloração vermelho-escuro com uma leve tonalidade marron. Cachos com 15 a 25 frutos com sementes médias.

Maturação precoce. Também chamada de “Folha Preta”, a mais consumida na China.

Lichia
Lichia

KAIMANA: Frutos grandes arredondados de coloração vermelho-brilhante.

Cachos com 15 a 25 frutos com sementes médias. Maturação precoce. É originária da Hak Ip e considerada a de polpa com melhor qualidade.

Lichia
Lichia

MAURITIUS: Frutos de tamanho médio a grande, ovóides a cordiformes e de coloração vermelho-brilhante com leve tonalidade marron e com sementes grandes. É a variedade mais precoce . Também conhecida como Comores.

Lichia
Lichia

Luis Benedito Bacher

Fonte: www.fazendacitra.com.br

Lichia

Litchi chinensis - Família Sapindaceae

Originária da China onde é considerada a fruta nacional, a lichieira e uma árvore subtropical com até 12 metros de altura e de grande longevidade.

Em muitos países e considerada a rainha das frutas.

Perfeitamente adaptada as condições de clima do Estado de São Paulo, as Culturas pioneiras estão produzindo excelentes safras, com resultados econômicos compensadores.

A colheita ocorre de novembro e janeiro, atendendo o mercado na época das festas natalinas, quando a procura e o preço são maiores.

O Brasil em futuro próximo poderá dominar o mercado mundial, porque a produção das outras regiões produtoras ocorre de maio a agosto. Assim, sem concorrência, o Brasil poderá abastecer o mercado mundial com lichias na época do natal.

Lichia
Lichia

Devido ao seu belo porte, atraente formato, folhas verde escuro e permanentes e principalmente devido a beleza da frutificação a lichieira é a árvore favorita para os jardins de residência no Hawaii, e em cidades da Califórnia como San Diego, San Francisco, Los Angeles, Monterey, Alhambra, etc.

Os frutos produzem em cachos, a casca é rugosa e de cor vermelha e fácil de ser destacada. A polpa é gelatinosa, translúcida sucosa e de excelente sabor, lembrando ao de uva itália e não é aderente ao caroço. Se presta para consumo ao natural, para a fabricação de sucos, compostas e ainda para a passa.

Variedades de Lichia

No Brasil dispomos das variedades BENGAL, AMERICANA e BREWSTER e no Hawaii são recomendadas a GROFF, KAIMANA e KWAIMI.

Produção de Mudas

As mudas oriundas de sementes não são indicadas para a formação de pomares comerciais, porque as plantas não são uniformes e demoram acima de 12 anos para iniciar a produção. Para a formação de pomares comerciais, as mudas devem ser de propagação vegetativa das plantas vigorosas e produtivas. O sistema mais utilizado é a alporquia, resultando em mudas de qualidade.

Clima

A lichia é uma planta de clima sub-tropical, entretanto, em nossas condições tem-se verificado que plantas novas não suportam geadas muito rigorosas. Por ser um planta de grande valor é viável a sua proteção com telhados ou de outro material, durante o inverno, evitando-se danos com frio.

Espaçamento

É mais interessante uma planta isolada, recebendo a luz solar de todos os lados para a plenitude de sua produção, à duas a três árvores encostadas uma na outra.

Árvores com livre crescimento, sem o emprego de podas, necessitam espaçamentos adensado de 7 metros entre plantas e linhas, utilizando-se podas constantes, visando o controle do tamanho das árvores.

Colheita e Embalagem

Conforme a região a colheita ocorre de novembro a janeiro e são colhidos os cachos de frutos e a embalagem é feita em pequenas caixas de plásticos transparente.

Mercados

O fruto de lichia ainda é desconhecida do consumidor brasileiro e o mercado potencial é enorme devido as qualidades de frutos e da época de comercialização no fim do ano. Entretanto, o fruto de lichia tem boa aceitação em todo o mundo e há interesses inclusive de países produtores, devido a oferta de frutos fora de época ou na entre safra.

Lichieira

A planta é longeava e rústica, necessitando pouco ou nenhum tratamento fitassanitário. As doenças não são problemas e com relação as pragas, eventualmente pode ocorrer brocas de tronco, a mariposa oriental nos ponteiros, ácaros, abelha arapuá ou irapua nos frutos. Praticamente não é usado agrotóxico e os frutos são colhidos insetos de produtos químicos.

Produção

A lichia inicia a produção comercial a partir do 5º ano após o plantio das mudas. Algumas plantas chegam a produzir de 150 a 200 Kg, sendo considerada uma produção boa a média anual de 40 a 50 Kg por planta.

Preços

Os melhores preços ocorrem no inicio da safra de 15 a 31 de Dezembro devido as festa de fim de ano.

O mercado brasileiro ainda é inexplorado porque a lichia considerada a rainha das frutas, ainda é desconhecida do consumidor brasileiro. Atualmente o preço da fruta é muito alto e futuramente o ideal é o estabelecimento de um preço médio, de valor mais baixo, favorecendo a comercialização. O preço muito alto limita o número de consumidores.

Tratos Culturais

É bastante simples com a manutenção das plantas do limpo através de roçadas e herbicidas, de adubações e de irrigação que é fundamental, conforme a região.

Lichia
Lichia

Lichia
Lichia

Nova Cultivar Tailandes:

Regias Tropical Características Regularidade de Produção. Fruta de excelente aparência, entre 20 e 25 gramas por fruto.
Diferencia-se dos demais cultivares pois, para consumir sua polpa, basta apertar vagamente e o fruto se abre. (característica única nas lichias).
Panículas de excelente conformação, cachos com 15 a 22 frutos.

Rambutan

Nephelium lappaceum - Família Sapindaceae.

Originário do Arquipélago Malário, o Rambutan é muito semelhante à Lichia (Litchi chinensis), tanto em beleza quanto ao paladar, pois pertencem à mesma família (Sapindacea). Seus frutos são maiores que o da Lichia, e tem várias vantagens sobre a mesma. Suas sementes são 30 a 50% menores, possuem casca firme cobertas com pelúcia maciae coloração vermelho carmim, destaca-se facilmente da polpa. Produzem em pencas com 15 a 30 frutos, sendo estes ovalados com 5cm de comprimento.

Também sua resistência ao transporte é maior, pois sua polpa é mais firme e a pelucia que recobre a casca evita atrito entre os frutos amortecendo impactos.

Sua polpa é doce, pouco ácida semelhante à uva podendo ser utilizada em conservas e sucos, aceita também congelamento mantendo as características originais. A maturação dos frutos ocorre de junho a outubro, sendo mais concentrada em julho e agosto, sua produtividade é grande, podendo chegar a mais de 200Kg por planta.

Ë uma árvore tropical que atinge 12m de altura, muito ornamental e por sua beleza de folhagem, floração e frutificação pode ser palntadas em alameda e jardins.

Desenvolve-se bem onde cresce o café, não suportando geadas nem temperaturas negativas. Gosta de umidade no solo principalmente na época da florada, ocorrendo seca prolongada é necessário que se irrigue a planta. Esta furta é muito popular no Hawaí, Tailândia, Vietnã, Indonésia, sendo artigo de exportação com grande aceitação na América do Norte e Europa.

O início da produção das mudas por nós comercializadas ocorre em 4 ou 5 anos, estando as mudas já com 24 meses de idade.

A distância do plantio recomendado é de 8m entre plantas por 10m entre linhas.

Utilização

O arilo é consumido fresco, cozido, enlatado ou em geléias. O sabor da polpa (arilo) é sub-ácido a adocicado, lembrando o da lichia ou da uva, com açúcares em torno de 10 a 12%.

Em temperatura ambiente, a melhor aparência externa dos frutos dura entre 3 e 4 dias, quando os espinhos começam a murchar, embora polpa não sofra alteração. O arilo (parte comestível), que cobre a semente pode variar de estação para estação e entre cultivares de 28 a 54%.

Fonte: www.herbario.com.br

Lichia

Lichia
Lichia

O Brasil é um mercado potencial para essa fruta exótica, mas sua exploração depende de planejamento e organização comercial

Nome popular da fruta: Lichia
Nome científico: Litchi chinensis Sonn.
Origem: Ásia (China)

Fruto

O fruto da lichieira é uma drupa, com polpa translúcida (arilo), normalmente codiforme ou oval e disposto em cachos.
A casca é vermelho-brilhante (quando maduro), delgada, coriácea e quebradiça. Atinge até 5 cm de comprimento por 4 cm de largura.
O peso varia de 10 a 35 g. A polpa é branca, rica em vitamina C, potássio, cálcio, fósforo e ferro. A semente é marrom-brilhante, com tamanho aproximado de 10 a 18% do fruto.

Planta

É uma planta subtropical de grande porte, com altura de 10 a 15 m, semelhante à mangueira. Apresenta tendência de desenvolver ramos direcionados para o solo. A produção se inicia entre o terceiro e quinto anos, para mudas propagadas vegetativamente, e após os dez anos em plantas obtidas por sementes. A inflorescência é em panícula, produzida em ramo do ano e composta de centenas de pequenas flores brancas.

As variedades plantadas no Brasil são Bengal, Brewster (frutos e caroços grandes) e Americana (frutos e caroços pequenos).

Bengal: Originada a partir de seleção da variedade indiana Purbi. A planta apresenta moderado vigor, frutificação irregular e maturação precoce. Os frutos são cordiformes (em forma de coração), com peso médio de 21 g, coloração vermelho-brilhante, polpa firme e de boa qualidade e 65% do fruto, semente grande e com cerca de 20% a 35% de abortos.

Brewster: Tem origem na província chinesa de Fujian, onde a variedade é chamada de ‘Chen Zi’. A planta é vigorosa, de crescimento ereto, apresenta frutificação irregular e maturação mais precoce que a ‘Bengal’. Os frutos são elípticos, com peso médio de 23 g, coloração vermelho brilhante, polpa macia, de qualidade aceitável. Cerca de 74% de sabor ácido, a menos que esteja bem madura. Semente de tamanho mediano a grande e com 30% a 50% de abortos. Frutos com aspecto bastante semelhante aos da ‘Bengal’, mas não se apresentam em cachos tão compactos.

Americana: Variedade desenvolvida no Brasil, a partir de sementes selecionadas da variedade ‘No Mai Tszé’ trazidas dos EUA. Apresenta fruto cordiforme, com cerca de 18 g e coloração vermelho-intensa. Cerca de 30 a 50% de sementes são naturalmente abortadas. A produção é de excelente qualidade, entre regular e alternante, com rendimento moderado.

Cultivo

As mudas de lichieria devem ser obtidas em viveiros fiscalizados. A propagação deve ser vegetativa (alporquia, enxertia, garfagem ou outro método), reduzindo o prazo para o início do ciclo produtivo das plantas.

A propagação por sementes é utilizada principalmente no melhoramento genético e na produção de porta-enxertos. No entanto, é dificultada pela longevidade das sementes que, mal armazenadas, perdem a viabilidade em 24 horas após a extração do fruto. Conservadas úmidas e em baixa temperatura (10ºC a 15ºC), as sementes podem manter a viabilidade por até oito semanas.

A lichia é bastante exigente com relação ao clima, desenvolve-se bem, mas não produz satisfatoriamente em regiões tropicais, adaptando-se melhor em regiões onde o clima é frio e seco antes do florescimento e, no resto do ano quente e úmido. A precipitação ideal encontra-se entre 1.250 e 1.700 mm anuais. A exigência em água é maior nas plantas novas e naquelas em produção.

A floração ocorre entre os meses de junho e julho. A colheita ocorre em um período muito curto, de meados de dezembro a início de janeiro.

A produtividade normal da lichieira é de 30 a 45 kg/planta. Nas condições brasileiras e em cultivos tecnificados são observadas produtividades de 200 a 300 kg/planta por ano.

A alta perecibilidade dos frutos de lichia e a rápida perda da cor vermelha da casca, um de seus atrativos, após a colheita são os principais problemas na comercialização da fruta. O ideal é que a fruta seja comercializada e mantida sob frio, com temperaturas que aumentem sua vida de prateleira.

Diversos estudos sobre embalagens e temperaturas de armazenamento e transporte estão sendo realizados no país, mas os produtores enfrentam dificuldades na comercialização e perdas de produtos, o que exige uma boa organização e logística adequada até os pontos de venda.

Usos: A lichia é consumida fresca ou industrializada, na forma de doces, geléias e polpas.

Mercado: A lichia é considerada uma fruta exótica no Brasil. Tem como destino o mercado “in natura”, pois alcança altos preços nos principais mercados. Não há empresas no país processando a fruta, devido ao baixo volume disponível.

Pierre Vilela

Fonte: www.sebrae.com.br

Lichia

Lichia
Lichia

Talvez você já tenha visto, mas não prestou atenção.

A lichia passou despercebida pois parece com o morango, por isso é chamada morango chinês, pela aparência e porque a fruta é originária da China. Sua casca é firme, mas a polpa lembra a textura da uva itália.

Doce e muito saborosa, a fruta fica no ponto quando a cor avermelhada se torna bem intensa, bordô. No Vale do Ribeira, a lichia começa a ganhar popularidade, principalmente entre os produtores rurais, já que a fruta é bastante valorizada. Elizabeth e Akira Shimada foram talvez os primeiros a cultivar a lichia na Região. Eles plantam há 15 anos, mas só há 4 começaram a comercializar.

É o tempo necessário para que a lichieira comece a dar frutos em quantidade. Dona Elizabeth lembra com detalhes do vendaval que aconteceu três anos atrás, no dia 17 de maio. "O vento destruiu quase tudo, vai demorar para os pés começarem a dar frutos novamente", conta. Na primeira colheita, que ocorre sempre em dezembro, os galhos estavam arcados tamanha a quantidade de lichia que deu.

No ano passado, as 500 árvores do Sítio Shimada renderam uma tonelada da fruta. "A produção mal deu para cobrir as despesas", lamenta-se Seo Akira.

Dona Elizabeth não sabe explicar o que aconteceu. "Enquanto algumas árvores não deram nada, outras ficaram carregadas, a chuva também veio na quantidade certa, acho que foi o clima, não sei". Segundo ela, na época de florescer, entre agosto e setembro, a lichieira não pode tomar muita chuva porque as flores acabam apodrecendo.

"É lindo de ver as árvores todas floridas, as abelhas zumbindo ao redor, parece um canto", orgulha-se Dona Elizabeth. De uma alegria contagiante e muita disposição, não se intimida ao precisar subir escadas e enfrentar galhos para colher as lichias.

Ela e o marido se dividem entre a residência na Capital e o sítio em Registro. "Lá eu faço doces japoneses para vender na Liberdade, mas gosto muito de cuidar da plantação, de ver as árvores carregadas de lichias".

A fruta

A lichia (Litchi chinensis), da Família Sapindaceae, é originária da China onde é considerada a fruta nacional. A lichieira é uma árvore subtropical com até 12 metros de altura e de grande longevidade. Em muitos países é considerada a rainha das frutas. Perfeitamente adaptada às condições de clima do Estado de São Paulo, as culturas pioneiras estão produzindo excelentes safras, com resultados econômicos compensadores.

A colheita ocorre de novembro a janeiro, atendendo o mercado na época das festas natalinas, quando a procura e o preço são maiores. O Brasil tem condições de dominar o mercado mundial, pois a produção em outras regiões produtoras ocorre de maio a agosto. Sem concorrência, o Brasil poderá abastecer o mercado mundial com lichias na época do natal.

Os frutos produzem em cachos, a casca é rugosa e de cor vermelha e fácil de ser destacada. A polpa é gelatinosa, translúcida sucosa e não é aderente ao caroço.

Pobre em gorduras e calorias, a polpa também é rica em água e ajuda a repor o líquido perdido pelo organismo nos dias mais quentes.

Variedades

Aqui no brasil , são conhecidas 3 variedades de lichieiras:

Americana
Brewster
Bengal

A lichia, conhecida cientificamente como Litchi chinensis Sonn, é uma fruta de clima subtropical originária do sudeste da Ásia (RUENROENGKLIN et al., 2008). O cultivo desta fruta é conhecido desde 1500 A.C. pelo povo da Malaia e tem crescido durante centenas de anos no sudeste da China (GHOSH;2001).

Recentemente, a produção de lichia tem aumentado em todo mundo (RUENROENGKLIN et al., 2008). Os frutos são normalmente codiformes ou ovais, vermelhos e dispostos em cachos. A polpa é branca, translúcida, rica em vitamina C, potássio, cálcio, fósforo e ferro. Podem ser consumidos ao natural, e também podem ser utilizados para compotas (INSTITUTO AGRONÔMICO, 1998).

Segue abaixo a composição nutricional da lichia:

Porção de 100g (aproximadamente 10 unidades sem casca)

Valor energético

66 kcal

Carboidratos

16,53

Proteínas

0,83g

Gorduras

0,44

Fibras

1,3g

Cálcio

5mg

Fósforo

31mg

Ferro

0,31mg

Potássio

171mg

Vitamina C

71,5mg

Tiamina

0,01mg

Riboflavina

0,065mg

Niacina

0,6mg

Rica em vitamina C (ácido ascórbico) a lichia pode ser considerada um alimento antioxidante, já que auxilia na prevenção das doenças cardiovasculares.

Acredita-se que o ácido ascórbico atua na proteção contra a peroxidação lipídica e ainda parece ter influência sobre outros fatores relacionados ao risco cardiovascular, como integridade do tecido vascular, tônus vascular, metabolismo lipídico e pressão arterial. Pode ainda, interferir na elasticidade e integridade estrutural da matriz vascular, por ser um co-fator essencial na formação molecular do colágeno, além de apresentar efeito vasodilatador e anticoagulante (RIQUE et al., 2002).

A vitamina C também pode auxiliar no tratamento do câncer por bloquear a ativação metabólica de carcinógenos. Supõe-se ainda que esta vitamina pode alterar a expressão de genes envolvidos na resposta inflamatória, apoptose e diferenciação celular, indiretamente por meio de alteração da expressão de alguns tipos de genes, modulando a ligação de alguns fatores de transcrição ao núcleo (CERQUEIRA et al., 2007).

Em termos de minerais, o potássio é o micronutriente predominante no fruto, e sua ingestão é de extrema importância uma vez que ele é um dos eletrólitos que participam do equilíbrio osmótico e do equilíbrio ácido-base do organismo, além de fazer parte da bomba de sódio e potássio, essencial para as trocas de substâncias através das nossas membranas celulares. O cálcio, fósforo e magnésio também estão presentes em quantidades significativas, sendo os dois primeiros essenciais à formação e manutenção da estrutura óssea, o cálcio importantíssimo na contração muscular, o fósforo indispensável à formação de DNA, RNA (constituintes do código genético) e ATP (principal forma de energia presente nas células), e o magnésio participante das reações de mais de 300 enzimas, entre outras importantes funções metabólicas (KRAUSE, 2002; SALOMÃO e col., 2006).

Veja abaixo o quadro comparativo nutricional da lichia com a laranja e o limão, por exemplo:

Porção de 100 gramas

  Lichia Laranja Limão
Valor energético 66 Kcal 65 Kcal 60 Kcal
Proteínas 0,83 g 0,60 g 1,00 g
Gorduras 0,44s g 1,000 g 0,70 g
Fosforo 31 mg 21 mg 21 mg
Ferro 0,31 mg 0,20 mg 0,35 mg
Potássio 171 mg 36 mg 127 mg
Vitamina C 71 mg 48 mg 31 mg

Curiosidade:

O pericarpo (casca) da lichia pesa em média 15% do peso da fruta e contem quantidades significantes de compostos fenólicos, antocianinas que são os principais polifenóis.  As antocianinas desempenham uma função farmacológica importante contra varias doenças, como doenças cardiovasculares, câncer, inflamações e alergias. Alguns estudos indicam que o pericarpo da lichia é um potente “varredor” de radicais livres e possuem uma forte atividade antioxidante, o que sugere seu uso como uma fonte natural de antioxidante. (RUENROENGKLIN et al., 2008).

Mudas

As mudas oriundas de sementes não são indicadas para a formação de pomares comerciais, porque as plantas não são uniformes e demoram acima de 12 anos para iniciar a produção. Para a formação de pomares comerciais, as mudas devem ser de propagação vegetativa das plantas vigorosas e produtivas. O sistema mais utilizado é a alporquia, resultando em mudas de qualidade.

A lichia é uma planta de clima sub-tropical, mas as plantas novas não suportam geadas muito rigorosas. Em regiões de clima frio, é aconselhável protegê-las debaixo de telhados ou de outro material.

O ideal é que a árvore receba luz solar de todos os lados para a plenitude de sua produção. Árvores com livre crescimento, sem o emprego de podas, necessitam espaçamentos adensados de 7 metros entre plantas e linhas, utilizando-se podas constantes.

Lichieira

A planta é longeava e rústica, necessitando pouco ou nenhum tratamento fitossanitário. As doenças não são problemas e com relação às pragas, eventualmente pode ocorrer brocas de tronco, a mariposa oriental nos ponteiros, ácaros, abelha arapuá ou irapua nos frutos. Praticamente não é usado agrotóxico e os frutos são colhidos isentos de produtos químicos.

A lichia inicia a produção comercial a partir do quinto ano após o plantio das mudas. Algumas plantas chegam a produzir de 150 a 200 quilos, sendo considerada uma produção boa a média anual de 40 a 50 quilos por planta. Os melhores preços ocorrem no início da safra, de 15 a 31 de dezembro, devido as festa de fim de ano.

O mercado brasileiro é praticamente inexplorado porque a lichia, considerada a rainha das frutas, ainda é desconhecida pela maioria. Atualmente o preço da fruta é muito alto o que também limita o número de consumidores.

Fonte: www.rgt.matrix.com.br/www.rgnutri.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal