Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Lipídios  Voltar

Lipídios

 

Lipídios

O que são

Os Lipídios são substâncias caracterizadas pela baixa solubilidade em água e outros solvente polares e alta solubilidade em solventes apolares.

São vulgarmente conhecidos como gorduras e suas propriedades físicas estão relacionadas com a natureza hidrófoba das suas estruturas, sendo todos sintetizados a partir da acetil-CoA.

Na verdade, todas a relevância do metabolismo lipídico advém desta característica hidrófoba das moléculas, que não é uma desvantagem biológica (mesmo o corpo possuindo cerca de 60% de água). Justamente por serem insolúveis, os Lipídios são fundamentais para estabelecer uma interface entre o meio intracelular e o extracelular, francamente hidrófilos.

Todos os seres vivos possuem a capacidade de sintetizar os Lipídios, existindo, entretanto, alguns Lipídios que são sintetizados unicamente pelos vegetais, como é o caso das vitaminas lipossolúveis e dos Ácidos Graxos essenciais.

CLASSIFICAÇÃO

Muitas classificações são propostas dependendo do ponto de vista, se químico ou biológico. Desta forma, encontra-se na literatura especializada, várias formas de organizar os Lipídios de acordo com a abordagem, o que pode complicar a compreensão do assunto. Entretanto, todas as classificações propostas baseiam-se em características comuns às diversas moléculas de Lipídios existentes na natureza, sendo apenas uma forma didática de agrupá-las.

Assim sendo, vamos agrupar os Lipídios em dois grandes grupos para melhor entendê-los: aqueles que possuem Ácidos Graxos em sua composição e aqueles que não possuem.

Os Lipídios com Ácidos Graxos em sua composição são saponificáveis, pois reagem com bases formando sabões. São as biomoléculas mais energéticas, fornecendo acetil-coA para o ciclo de Krebs.

1) Acilgliceróis (glicerídeos): compostos por 1 a 3 moléculas de Ácidos Graxos estereficado ao glicerol, formando mono, di ou tri-acil-gliceróis (mono, di ou triglicerídeos.
2) Ceras:
Ácidos Graxos de 16 a 30C e álcool mono-hidroxilíco de 18 a 30C.
3) FosfoLipídios: Ácidos Graxos + fosfato
4) EsfingoLipídios:
ácido graxo + esfingosina
5) GlicoLipídios:
ácido graxo + glicerol + açúcar

Os Lipídios que não contêm Ácidos Graxos não são saponificáveis. As vitaminas lipossolúveis e o colesterol são os principais representantes destes Lipídios que não energéticos porém desempenham funções fundamentais no metabolismo.

1) Terpenos: possuem unidades isoprenóides como unidades básicas. As vitaminas E e K são os representantes mais importantes, além de vários óleos aromáticos de vegetais.
2) Esteróides:
o núcleo ciclo-pentano-per-hidro-fenantreno é a estrutura básica. O colesterol (e seus derivados) e a vitamina D são os mais importantes representantes deste grupo.
3) Carotenóides:
um tipo de terpeno, geralmente álcool (Figura 5-4). A vitamina A é o representante mais importante deste tipo de lipídio.
4) Prostaglandinas, tromboxanas e leucotrienos:
são eicosanóides derivados do ácido aracdônico.

FUNÇÕES

Os Lipídios possuem funções importantíssimas para o metabolismo celular tanto de eucariotas como procariotas, podendo-se relacionar como principais as seguintes:.

Componentes das membranas celulares, juntamente com as proteínas (fosfoLipídios e colesterol)
Composto bioquímico mais calórico em animais e sementes oleaginosas sendo a principal forma de armazenamento (tri-acil-gliceróis) e geração de energia metabólica através da ß-oxidação de Ácidos Graxos
Componentes de sistema de transporte de elétrons no interior da membrana mitocondrial (umbiquinona)
Formam uma película protetora (isolante térmico) sobre a epiderme de muitos animais (tecido adiposo)
Funções especializadas como hormônios e vitaminas lipossolúveis.

São vários os usos dos Lipídios, seja na alimentação (óleos de grãos, margarina, manteiga, maionese), seja como produtos manufaturados (sabões, resinas, cosméticos, lubrificantes).

Várias pesquisas nacionais recentes, indicam os Lipídios como importantes combustíveis alternativos, como é o caso do óleo vegetal transestereficado que corresponde a uma mistura de Ácidos Graxos vegetais tratados com etanol e ácido sulfúrico que substitui o óleo diesel, não sendo preciso nenhuma modificação do motor, além de ser muito menos poluente e isento de enxofre.

Metabolismo dos Lipídios

DIGESTÃO E ABSORÇÃO

Apesar da identificação de uma lipase lingual secretada pelas células da base da língua, não há a digestão salivar dos Lipídios devido a não haver um refluxo para a boca. Dessa forma, a identificação de uma lipase gástrica provavelmente corresponde àquela secretada pela língua.

Porém, o pH extremamente ácido do estômago não possibilita a ação integral desta lipase gástrica, diminuindo a velocidade de sua ação enzimática, havendo apenas a quebra de algumas ligações de ésteres de Ácidos Graxos de cadeia curta. Em crianças lactentes, entretanto, o pH gástrico aproxima-se bastante da neutralidade o que indica que a lipase gástrica pode ter ação na digestão das gorduras do leite. Esmo assim, esta digestão não é eficiente devido as gorduras não estarem emulsificadas, o que dificulta a ação desta enzima hidrolítica.

A ação gástrica na digestão dos Lipídios, portanto, está relacionada com os movimentos peristálticos do estômago, produzindo uma emulsificação dos Lipídios, dispersando-os de maneira equivalente pelo bolo alimentar.

A chegada do bolo alimentar acidificado no duodeno induz a liberação hormônio digestivo colecistocinina (um peptídeo de 33 aminoácidos, também denominado pancreozimina) que, por sua vez, promove a contração da vesícula biliar, liberando a bile para o duodeno.

Os ácidos biliares são derivados do colesterol e sintetizados no fígado. São denominados primários (ácido cólico, taurocólico, glicocólico, quenodesoxicólico e seus derivados) quando excretados no duodeno, sendo convertidos em secundários (desoxicólico e litocólico) por ação das bactérias intestinais. A bile, ainda, excreta o colesterol sanguíneo em excesso, juntamente com a bilirrubina (produto final da degradação da hemoglobina).

A colecistocinina possui, ainda, função de estímulo do pâncreas para a liberação do suco pancreático, juntamente com outro hormônio liberado pelo duodeno, a secretina. O suco pancreático possui várias enzimas digestivas (principalmente proteases e carboidratases) sendo a lipase pancreática a responsável pela hidrólise das ligações ésteres dos Lipídios liberando grande quantidades de colesterol, Ácidos Graxos, glicerol e algumas moléculas de mono-acil-gliceróis.

Os Lipídios livres são, então, emulsificados pelos sais biliares em micelas e absorvidos pela mucosa intestinal que promove a liberação da porção polar hidrófila (sais biliares) para a circulação porta hepática e um processo de ressíntese dos Lipídios absorvidos com a formação de novas moléculas de tri-acil-gliceróis e ésteres de colesterol, que são adicionados de uma proteína (apo-proteína 48, ou aop-48) formando a lipoproteína quilimíocron, que é absorvida pelo duto linfático abdominal, seguindo para o duto linfático torácico e liberada na circulação sangüínea ao nível da veia jugular.

Fonte: www.geocities.com

Lipídios

O que são

Os Lipídios são substâncias muito abundantes em animais e vegetais. Compreendem os óleos, as gorduras, as ceras, os Lipídios compostos (fosfoLipídios, por exemplo) e finalmente os esteróides, que, apesar de estruturalmente diferentes dos outros Lipídios, ainda assim são considerados Lipídios.

Lipídios simples

São sempre originados da reação entre um álcool e um ácido graxo. Nos óleos e gorduras, chamados glicerídeos, o álcool é sempre glicerol; nas ceras, o álcool é uma molécula de cadeia longa, e não o glicerol. Óleos e gorduras constituem substâncias de reserva em plantas e animais. Mesmo quando armazenados no tecido adiposo, os Lipídios são constantemente removidos e repostos em curto espaço de tempo.

Lipídios compostos

Na formação de um lipídio composto, além de ácido graxo e álcool, entra uma substância adicional, como o fósforo, por exemplo, nos fosfoLipídios. Os fosfoLipídios são componentes importantes das membranas de células animais e vegetais.

Esteróides

Os esteróides têm estrutura química bastante diferente do resto dos Lipídios. São todos semelhantes à molécula de colesterol, da qual derivam. Além de componentes das membranas animais, funcionam como hormônios importantes no metabolismo animal. Os hormônios sexuais e os corticosteróides fabricados pela supra-renal, por exemplo, são esteróides. A própria vitamina D, anti-raquítica, é produzida na pele a partir de um composto semelhante ao colesterol, pela ação de raios ultravioleta da luz solar.

Fonte: www.conhecimentosgerais.com

Lipídios

O que são

Os lipídeos, mais conhecidos como gorduras, são um grupo de heterogêneos de compostos que incluem os óleos e gorduras normais, ceras e componentes correlatos encontrados em alimentos e corpo humano.

Eles têm as propriedades de serem:

1. insolúveis em água
2.
solúveis em solventes orgânicos (éter, clorofórmio) e
3.
capacidade de ser usado por organismos vivos.

A maioria das gorduras naturais consiste se aproximadamente de 95% de triglicerídeos ou triacilgliceróis. Os outros 5% são traços de monoglicerídeos e diglicerídeos, Ácidos Graxos livres, fosfolipídeos e esteróis.

Funções do tecido adiposo (gordura)

Por fornecer energia para o corpo, esse tecido poupa proteínas para a síntese de tecidos ao invés destas serem utilizadas como fonte de energia. Auxiliam a manter órgãos e nervos em posição e protegê-los contra choques e lesões traumáticas. A camada subcutânea de gordura isola o organismo, preservando o calor e mantendo a temperatura do organismo. As gorduras auxiliam no transporte e absorção de vitaminas lipossolúveis. Deprimem as secreções gástricas e tornam mais lento o esvaziamento gástrico. Além disso, as gorduras adicionam o paladar da dieta e produzem uma sensação de saciedade após a refeição.

Conhecendo um pouco mais

Triacilglicerídeos

Contém uma molécula de glicerol (um álcool triidrico) e um a três Ácidos Graxos ligados a essa molécula. Devido à sua lata densidade energética e baixa solubilidade, os triacilgliceróis do tecido adiposo são a maior forma de armazenamento de energia do organismo.

Ácidos Graxos

Quimicamente, Ácidos Graxos são cadeias retas de hidrocarbono terminado em um grupo carboxila em uma terminação e um grupo metil na outra.

São classificados como:

Ácidos Graxos saturados (SFA): Estão concentrados em alimentos animais como a carne bovina, frango, porco, laticínios) e alimentos vegetais (palmeira e sua semente e óleo de coco).
Ácidos Graxos monoinsaturados (MUFA):
Ácidos oléicos. Azeite, óleo de canola, óleo de amendoim, amendoins, nozes, peçã, amêndoas e abacate.
Ácidos Graxos poliinsaturados (PUFA):
Predominante na dieta é o ácido linoléico. Sementes vegetais e os óleos que eles produzem. Os óleos de coco, palmeira e manteiga de cacau são pobres nesse ácido.

Existem duas principais famílias desse grupo de Ácidos Graxos: ômega 3 e ômega 6.

Estes têm funções ainda não muito bem conhecidas no tratamento de muitas doenças do organismo, como por exemplo: esclerose múltipla, artrite reumatóide e dermatite atípica, assim como na prevenção de aterosclerose.

Ácidos Graxos essenciais

Ômegas 3 e 6 são conseguidos apenas através da dieta e não são produzidos pelo organismo e por isso são essenciais.

Fontes de w-3: margarinas, óleos de canola e soja, óleo de peixes e mariscos, peixes.

Ácidos Graxos trans ou cis

É uma forma diferente na posição dos hidrogênios nas cadeias dos MUFA´s. Estão presentes nas margarinas que são preparadas na forma de hidrogenação (transformação de óleos líquidos em semi-sólidos e mais estáveis, como as margarinas, frituras comercializadas, produtos de panificação, ricos em gorduras e lanches salgados.

Colesterol

Componente essencial das membranas estruturais de todas as células dos mamíferos, é o principal componente do cérebro e das células nervosas. É encontrado nas glândulas supra-renais, aonde os hormônios adrenocorticais são sintetizados e no fígado onde é sintetizado e armazenado. O colesterol é participa na formação do ácido biliar, hormônios adrenocorticais (aldosterona) e hormônios sexuais (estrogênios, testosterona e progesterona). É encontrado em apenas alimentos de origem animal.

Fonte: www.nutrimais.com

Lipídios

Os Lipídios são compostos por um grupo heterogenio de substâncias que apresentam como propriedade comum a insolubilidade na água e a solubilidade nos solventes orgânicos como etanol , éter , benzeno e acetona e capazes de reagir formando ésteres com os Ácidos Graxos ( de alto peso molecular ) .

Os Lipídios são compostos de carbono , hidrogênio e oxigênio , porém em proporções diferentes das dos hidratos de carbono .

Os Lipídios representam de 35 a 45% da dieta americana . A ingestão de gorduras tende a aumentar nas classes abastadas . É preferível usar o termo Lipídios , ao invés de gorduras , porque abrange não só as gorduras , como os óleos .

Os óleos são líquidos à temperatura ambiente , enquanto as gorduras são sólidas a esta mesma temperatura .

Os Lipídios são classificados como:

Simples

São ésteres de glicerol e Ácidos Graxos . Um éster é um composto formado por alcoól e Ácidos Graxos , com remoção de água . O glicerol é um alcoól formado por 3 carbonos e 3 grupos oxidrilas ( OH ) , cada um dos quais pode combinar com um ácido graxo . Exemplo de Lipídios simples são os monoglicerídeos , os diglicerídeos , os triglicerídeos e os cerídeos ( as cêras ) .

Compostos

São formados por ésteres de glicerol , Ácidos Graxos e outras substâncias , tais como hidratos de carbono , fosfatos ou compostos nitrogenados.

Exemplo de Lipídios compostos: fosfoLipídios , lipoproteínas e glicoLipídios .

Derivados

São substâncias gordurosas obtidas de gorduras simples e compostas , através da ação de enzimas ou hidrólises . Incluem Ácidos Graxos , glicerol , esteróis , carotenóides e as vitaminas A , D , E e K.

Exemplo de Lipídios derivados: colesterol , hormônios esteróides ( sexuais ) e ergosterol .

Os triglicérides constituem aproximadamente 98% das gorduras contidas nos alimentos e 90% da gordura contida no organismo humano . Os triglicérides são classificados como simples ou mistos . Um triglicéride simples contém três Ácidos Graxos iguais . Um triglicéride misto contém pelo menos dois Ácidos Graxos diferentes .

Os Ácidos Graxos podem ser

Saturados

Insaturados » Cis ou Trans

Os Ácidos Graxos “trans” no organismo humano podem tornar-se extremamente tóxicos . Assim , na hidrogenação da margarina há a formação abundante de Ácidos Graxos “trans”que podem inclusive inibir enzimas importantes como a delta 6 desaturase .

Hidrogenação é o processo pelo qual os átomos de hidrogênio são adicionados aos Ácidos Graxos para torná-los mais sólidos e saturados .

No campo da medicina , é crescente o aumento do interesse a respeito do nível de saturação dos Ácidos Graxos , em relação com os níveis sanguíneos de colesterol . Um ácido graxo saturado contém o número máximo de átomos de hidrogênio de que pode se apoderar . Um ácido graxo insaturado pode formar uma ligação com outro átomo de hidrogênio . Um ácido graxo poliinsaturado pode ainda receber mais de um átomo adicional de hidrogênio . Os Ácidos Graxos insaturados e poliinsaturados apresentam mais baixo ponto de fusão e são líquidos à temperatura ambiente . Os Ácidos Graxos saturados parecem elevar os níveis sanguíneos do colesterol . Os Ácidos Graxos insaturados parecem não afetar apreciavelmente os níveis sanguíneos do colesterol . Os Ácidos Graxos poliinsaturados parecem baixar os níveis do colesterol sanguíneo .

A maioria das gorduras animais é saturada , enquanto a maioria dos óleos vegetais e de peixes contém grandes quantidades de Ácidos Graxos insaturados e poliinsaturados . O óleo de coco , o de dendê e o chocolate , embora sendo produtos vegetais , contém maiores quantidades de Ácidos Graxos saturados do que insaturados e poliinsaturados .

Há um ácido graxo que o organismo é incapaz de sintetizar e por isso ele se torna um componente essencial da dieta . É o ácido linoléico que é considerado ácido graxo essencial . É um ácido graxo poliinsaturado , encontrado nos óleos de açafrôa , soja , milho , semente de algodão e de amendoim .

Aspectos metabólicos dos lípides

Os principais lípides para o ser humano são: Ácidos Graxos , colesterol , triglicérides e fosfoLipídios .

Estas moléculas constituem a porção lipídica das lipoproteínas ( que é a forma de transporte dos lípides na circulação sanguínea ).

A maioria dos Ácidos Graxos pode ser sintetizada pelo fígado , com exceção do linoléico e de seu metabólito, o ácido araquidônico ( Ácidos Graxos essenciais ) a outra parte das lipoproteínas é constituída de proteínas especiais , denominadas apolipoproteínas ou apoproteínas ( apo ).

Estas têm as seguintes funções:

a) transporte dos lípides na corrente sanguínea .
b)
ligação com os receptores celulares .
c)
ativação de determinadas enzimas .

O colesterol é importante para a formação e função das membranas celulares e para sintese de sais biliares , de hormônios esteróides ( sexuais ) e da vitamina D.

Os triglicérides têm papel energético , para utilização imediata ou após armazenamento , enquanto os fosfolípides são importante para manter a integridade das membranas celulares e a solubilidade dos ésteres de colesterol e dos triglicérides no interior das lipoproteínas .

As fontes de lípides do organismo são a síntese interna ( endógena ) e a alimentação ( exógena ) .

Ciclo exógeno

A gordura ( triglicérides ) proveniente da alimentação , é hidrolisada (“quebrada”) pela Lipase Pancreática a diglicerídeo e monoglicerídeo que junto com os Ácidos Graxos e os sais biliares , formam as micelas que permitem o transporte dos Lipídios através da parede intestinal . Nestas , os monoglicerídeos são reesterificados ( “rejuntados” ) a triglicérides que unindo-se a uma porção proteica ( apoproteína ) vão formar os quilomicrons. Estes vão circular no sangue e, nos capilares do tecido gorduroso ou muscular eles são metabolizados pela Lipase LipoProteica ( LLP ) a qual hidrolisa os triglicérides , retirando os Ácidos Graxos dos quilomicrons . Estes se tornam de menor tamanho e são rapidamente removidos da circulação pelo fígado .

Ciclo endógeno

Tem início com a formação pelo fígado de uma lipoproteína denominada VLDL ( very low density lipoprotein ) ou lipoproteína de muito baixa densidade , a qual contém como lípides principalmente os triglicérides . No capilar sanguíneo eles entram em contato com a enzima Lipase LipoProteíca (LLP ) e são absorvidos pelo fígado ou sofrem ação da Lipase Hepática dando origem às LDL ( “low density lipoprotein” ) ou lipoproteína de baixa densidade . As LDL são retiradas da circulação por células principalmente do fígado , fragmentadas e , liberam colesterol livre e aminoácidos na circulação . O colesterol livre é utilizado imediatamente ou armazenado após esterificação .

Parte do material liberado pela ação da LLP sobre os quilomicrons e as VLDL é utilizado na fabricação de outra lipoproteína: a HDL ( “high density lipoprotein” ) ou lipoproteína de alta densidade , sintetizada no intestino e no fígado.

É responsável pelo chamado transporte reverso do colesterol: retira-o das células e troca-o com outras lipoproteínas ( principalmente as VLDL ) ou leva-o diretamente para o fígado .

A única maneira que o organismo dispõe para eliminar colesterol é através da bile , como colesterol livre ou como ácido biliar .

Sendo a gordura insolúvel , ela circula no sangue sob a forma de lipoproteínas . De grande interesse para a comunidade médica é a relação entre as lipoproteínas de alta densidade e as doenças cardiacas . . As lipoproteínas de alta densidade contém uma alta proporção de proteína , fosfoLipídios e colesterol e não parecem ser grandemente afetadas pela dieta ou idade . As lipoproteínas de baixa densidade são compostas de triglicérides , colesterol , fosfoLipídios e prote ínas e parecem estar relacionadas com a dieta e com a idade . Tem sido verificada uma proporção inversa entre altos níveis de lipoproteínas de alta densidade no sangue e as doenças cardíacas .

A gordura é a forma de armazenamento de energia do organismo.

A porção glicerol da gordura pode ser convertida em glicose pelo processo de gliconeogênese. Todas as células do organismo , exceto as do sistema nervoso central e as células vermelhas do sangue , podem oxidar Ácidos Graxos para produzir energia. Embora as células do sistema nervoso central necessitem de glicose como fonte de energia , após um período de desnutrição, elas podem adaptar-se ao uso de aminoácidos e de corpos cetônicos , obtidos das gorduras , para suas necessidades energéticas.Os produtos finais do metabolismo das gorduras são os Ácidos Graxos e o glicerol . Estes produtos podem ser anabolizados em tecido gorduroso ou catabolizados em dióxido de carbono , água e energia .

Fonte: drcarlosaugusto.vilabol.uol.com.br

Lipídios

Os Lipídios ou lípides são substâncias orgânicas largamente encontradas na matéria viva. Quantitativamente, só perdem para a água e para as proteínas.

Representam a segunda fonte de energia para o consumo da célula, depois dos glicídios.

Na verdade, os Lipídios fornecem mais calorias por grama do que os glicídios , mas a célula "prefere" metabolizar estes últimos, por serem mais facilmente oxidados.

Os Lipídios resultam da combinação de Ácidos Graxos com álcoois. São, portanto, ésteres (os ésteres são produtos da combinação dos ácidos com álcoois).

Os Ácidos Graxos são ácidos orgânicos monocarboxílicos, podendo ser saturados ou insaturados, apresentando número par de átomos de carbono.

Observações:

Ácidos Graxos saturados com até 10 átomos de carbono e Ácidos Graxos; insaturados são líquidos.
Ácidos Graxos saturados com mais de 10 átomos de carbono são sólidos.
Os óleos vegetais (insaturados) são hidrogenados e tornam-se saturados modificando sua consistência e são transformados em margarina vegetal.

Características

São de coloração branca ou amarelada.
São untuosos ao tato.
Possuem densidade menor do que a da água.
Apresentam alto teor energético.
São insolúveis na água e solúveis nos solventes orgânicos como álcool, éter, clorofórmio e benzeno.

Lipídios Complexos ou Compostos

Na formação de um lipídio composto, além dos Ácidos Graxos e do álcool, participa uma substância adicional, como o fósforo no caso, por exemplo, dos fosfoLipídios.

0 papel metabólico dos fosfoLipídios é pouco conhecido; encontram-se, no entanto, em qualquer célula viva, em proporções que variam de tecido para tecido. 0 cérebro é o tecido de maior concentração de fosfolipidios (25 a 30 % do peso seco).

Observação - As esfingomielinas são fosfoLipídios presentes em determinados neurônios (células nervosas), onde se relacionam com o aumento da velocidade de condução do impulso nervoso.

Nota - Os fosfolipidios participam da constituição das membranas celulares.

Exemplos de fosfoLipídios: lecitina, cefalina e esfingomielina.

Terpenóides

Os terpenóides constituem um grupo grande e importante de Lipídios que derivam de um hidrocarboneto (composto formado apenas de carbono e hidrogênio) denominado isopreno. Entre os terpenóides mais importantes sob o ponto de vista biológico, estão os esteróides e os carotenóides.

Esteróides

Os esteróides formam um grupo bem diferente dos outros lipidios na estrutura química, fato que leva alguns autores a considerá-los um grupo à parte dos Lipídios. Têm estrutura qtúmica bastante diferente do resto dos Lipídios. São todos semelhantes à molécula de colesterol, da qual derivam. Funcionam como hormônios importantes no metabolismo animal.

São exemplos de esteróides:

Sais biliares
Hormônios sexuais
Pró-vitamina D
Corticóides ou corticosteróides

Notas

0 colesterol é um componente das membranas celulares juntamente com os fosfoLipídios e as proteínas e dá origem a hormônios como os do córtex, das glândulas supra-renais e os sexuais. Trata-se, portanto, de uma substância muito útil, mas quando aparece em taxas altas nos animais vertebrados, pode trazer más conseqüências. Uma delas é a deposição de seus derivados nas paredes dos vasos sangüíneos, tornando-os mais estreitos e dificultando a passagem do sangue (arteriosclerose).

Os sais biliares são muito importantes na emulsificação dos óleos e gorduras, no tubo digestivo, facilitando a ação das lipases, durante a digestão dessas substâncias.

Os corticosteróides produzidos pelas supra-renais são muito utilizados como anti-alérgicos e anti-inflamatórios.

Fonte: www.icb.ufmg.br

Lipídios

Os Lipídios são substâncias caracterizadas pela baixa solubilidade em água e outros solvente polares e alta solubilidade em solventes apolares.

São vulgarmente conhecidos como gorduras e suas propriedades físicas estão relacionadas com a natureza hidrófoba das suas estruturas.

Na verdade, todas a relevância do metabolismo lipídico advém desta característica hidrófoba das moléculas, que não é uma desvantagem biológica (mesmo o corpo possuindo cerca de 60% de água). Justamente por serem insolúveis, os Lipídios são fundamentais para estabelecer uma interface entre o meio intracelular e o extracelular, francamente hidrófilos.

Função

Componentes das membranas celulares, juntamente com as proteínas
Reserva de energia
Combustível celular
Funcionam como isolante térmico sobre a epiderme de muitos animais (tecido adiposo)
Isolamento e proteção de órgãos
Funções especializadas como hormônios e vitaminas
Sinalização intra e intercelulares.

Classificação

A melhor classificação para os Lipídios é aquela baseada na presença ou não de Ácidos Graxos em sua composição.

Lipídios com Ácidos Graxos em sua composição

São saponificáveis, pois reagem com bases formando sabões. São as biomoléculas mais energéticas, fornecendo acetil-coA para o Ciclo de Krebs.

Ácidos Graxos

São ácidos orgânicos, a maioria de cadeia alquila longa, com mais de 12 carbonos. Essa cadeia alquila pode ser saturada ou insaturada;

Representação: R - COOH , onde R é uma cadeia alquila longa.

Ácidos Graxos Saturados

Não possuem duplas ligações
São geralmente sólidos à temperatura ambiente
Gorduras de origem animal são geralmente ricas em Ácidos Graxos saturados

Exemplos

Ácido Palmítico - Ch2(CH2)14COOH
Ácido Esteárico
- Ch2(CH2)16COOH
Ácido Araquídico -
Ch2(CH2)18COOH

Ácidos Graxos Insaturados

Possuem uma ou mais duplas ligações sendo mono ou poliinsaturados
São geralmente líquidos à temperatura ambiente
A dupla ligação, quando ocorre em um ácido graxo natural, é sempre do tipo "cis".
Os óleos de origem vegetal são ricos em Ácidos Graxos insaturados.
Quando existem mais de uma dupla ligação, estas são sempre separadas por pelo menos 3 carbonos. As duplas ligações nunca são adjacentes e nem conjugadas

Exemplos

Ácido Palmitoléico - Ch2 - (CH2)5 - HC = CH - (CH2)7 - COOH
Ácido Oléico -
Ch2 - (CH2)7 - HC = CH - (CH2)7 - COOH
Ácido Linoléico -
Ch2 - (CH2)3 - (CH2 - HC = CH)2 - (CH2)7 - COOH
Ácido Linolênico -
Ch2 - (CH2 - HC = CH)3 - (CH2)7 - COOH
Ácido Araquidônico -
Ch2 - (CH2)3 - (CH2 - HC = CH)4 - (CH2)3 - COOH
EPA - Ch2 - (CH2 - HC = CH)5 - (CH2)3 - COOH

Propriedades

O ponto de fusão dos Ácidos Graxos aumenta com o aumento da cadeia, mas diminui com o aumento do número de insaturações. Isso ocorre porque a configuração "cis" das duplas ligações provoca uma dobra de 30o na cadeia, o que dificulta a agregação das moléculas.

Lipídios

Os Ácidos Graxos podem sofrer reações de hidrogenação, halogenação, saponificação esterificação e oxidação.

Hidrogenação: é a reação do ácido graxo insaturado + H2, formando ácido graxo saturado.
Halogenação:
é a reação do ácido graxo insaturado com um halogênio, formando ácido graxo saturado halogenado.
Saponificação:
é a reação de um ácido graxo + base, formando sal (sabão).

Trialcigliceróis

Os Triacilgliceróis são Lipídios formados pela ligação de 3 moléculas de Ácidos Graxos com o glicerol, um triálcool de 3 carbonos, através de ligações do tipo éster. São absolutamente hidrofóbicos, sendo também chamados de "Gorduras Neutras", ou triglicerídeos. Os Ácidos Graxos que participam da estrutura de um triacilglicerol são geralmente diferentes entre si.

A principal função dos triacilgliceróis é a de reserva de energia, e são armazenados nas células do tecido adiposo, principalmente. São armazenados em uma forma desidratada quase pura, e fornecem por grama aproximadamente o dobro da energia fornecida por carboidratos.

Lipídios

Fosfoglicerídeos

São Lipídios que por hidrólise liberam 1 mol de glicerol, 2 mols de Ácidos Graxos e 1 mol de ácido fosfórico. O glicerol geralmente está ligado a uma base nitrogenada (grupamento X), através de ponte fosfodiéster, o que faz desses compostos moléculas anfipáticas de caudas apolares (por conter Ácidos Graxos) e cabeças polares (fofatidil-X).

Os fosfoglicerídeos são o principal componente lipídico das membranas biológicas.

O grupamento X pode ser:

O hidrogênio, formando o fosfoglicerídeo mais simples, o ácido fosfatídico
Colina, formando a fosfatidilcolina ou Lecitina
Serina formando a Fosfatidilserina
Etanolamina formando a Fosfatidiletanolamina
Inositol formando o fosfatidilinositol

EsfingoLipídios

São formados por uma molécula de um aminoálcool de cadeia longa , a esfingosina cujas ligações duplas possuem configuração "trans". Este aminoálcool é ligado aos Ácidos Graxos através de uma ligação amida.

São Lipídios também importantes na estrutura das membranas biológicas devido ao seu caráter claramente anfipático.

Os derivados de Ácidos Graxos da esfingosina são conhecidos com ceramidas, as quais são precursoras dos Lipídios mais abundantes:

As Esfingomielinas: são ceramidas cujo grupo polar pode ser tanto uma fosfocolina como uma fosfoetanolamina.
Os Cerebrosídeos:
são ceramidas cujas cabeças polares consistem de um único resíduo de açúcar. Eles não possuem grupo fosfato e são, portanto, não iônicos
Os Gangliosídeos:
são ceramidas ligadas a oligossacarídeos que incluem pelo menos um resíduo de ácido siálico.

Lipídios

Ceras

São Lipídios que por hidrólise liberam 1 mol de ácido graxo de cadeia longa e 1 mol de álcool alifático de cadeia longa.

Possuem estrutura linear o que facilita a agregação entre as moléculas, formando cadeias hidrofóbicas que configuram sua função impermeabilizante.

Lipídios sem Ácidos Graxos em sua Composição:

Não são saponificáveis. As vitaminas lipossolúveis e o colesterol são os principais representantes destes Lipídios que não são energéticos porém desempenham funções fundamentais no metabolismo.

Esteróides

São Lipídios que não possuem Ácidos Graxos em sua estrutura. São derivados do ciclopentanoperidrofenantreno, um composto que consiste de quatro anéis não-planares fusionados.

Lipídios
Ciclopentanoperidrofenantreno

O esteróide mais importante é o colesterol, que possui um grupamento OH na posição C3. Esse grupamento polar OH confere-lhe um fraco caráter anfipático, permitindo que este esteróide seja um componente majoritário das membranas plasmáticas animais; enquanto que seu sistema de anéis fusionados lhe fornece uma rigidez maior do que outros Lipídios de membrana.

Lipídios
Colesterol

O colesterol é o precursor metabólico dos hormônios sexuais, do glicocorticóides, mineralocorticóides, ácidos e sais biliares e vitamina D.

O colesterol pode também ser esterificado a cadeias longas de Ácidos Graxos formando ésteres de colesterol, os quais são totalmente hidrofóbicos, não fazendo parte da constituição da membranas biológicas.

Terpenos

Possuem unidades isoprenóides como unidades básicas. As vitaminas E e K são os representantes mais importantes, além de vários óleos aromáticos de vegetais.

Lipoproteínas

São associações entre proteínas e Lipídios encontradas na corrente sanguínea, e que têm como função transportar os Lipídios no plasma e regular o seu metabolismo.

A fração lipídica das lipoproteínas é muito variável, e permite a classificação das mesmas em 5 grupos, de acordo com suas densidades e mobilidade eletroforética:

Quilomícron: é a lipoproteína menos densa, transportadora de triacilglicerol exógeno na corrente sanguínea
VLDL (Very loa Density Lipoprotein):
"Lipoproteína de Densidade Muito Baixa", transporta triacilglicerol endógeno.
IDL:
"Lipoproteína de Densidade Intermediária", é formada na transformação de VLDL em LDL
LDL (Low Density Lipoprotein):
"Lipoproteína de Densidade Baixa", é a principal transportadora de colesterol; seus níveis aumentados no sangue aumentam o risco de infarto agudo do miocárdio. Por ser uma lipoproteína aterogênica, o LDL ganhou a "fama" de mau-colesterol.
HDL (High Density Lipoprotein):
"Lipoproteína de Densidade Alta"; atua retirando o colesterol da circulação. Seus níveis aumentados no sangue estão associados a uma diminuição do risco de infarto agudo do miocárdio. Por essa razão é considerado uma lipoproteína de proteção contra a aterosclerose coronariana, sendo denominado, vulgarmente, como o bom-colesterol.

Fonte: www.dbm.ufpb.br

Lipídios

Lipídios
O ovo é um alimento rico em Lipídeos

Os Lipídeos são substâncias orgânicas hidrofóbicas que podem ser extraídos de células e tecidos por solventes não polares como clorofórmio e éter. Fazem parte as gorduras, óleos, ceras, esteróides e outros. Em contato com a água, alguns lipídeos podem vir a formar micelas, devido ao fato de possuírem caráter anfipático, ou seja, um grupo carboxila em uma de suas extremidades, o que confere certo grau de hidrofilia à molécula de lipídeo, e um grupo apolar na outra.

Essas biomoléculas possuem diversas funções tais como serem fonte de armazenamento de energia química, participam da constituição das membranas celulares e ajudam na manutenção da umidade e temperatura em animais, o que nas plantas acontece pela formação de uma capa cerosa. Além dessas funções, quando presentes em quantidades relativamente pequenas, têm papéis cruciais como co-fatores enzimáticos, transportadores de elétrons, pigmentos que absorvem radiação luminosa, âncoras hidrofóbicas, agentes emulsificantes, hormônios e mensageiros intracelulares. São armazenados no tecido adiposo e a localização deste no corpo confere proteção contra choques mecânicos.

Os principais lipídeos são os triacilglicerídeos, as ceras, os glicerofosfolipídeos, os esfingolipídeos e os esteróis e seus ésteres de ácidos graxos.

Fonte: www.biomania.com.br

Lipídios

Os lipídios constituem um grupo de diversos compostos orgânicos, que possuem como principal característica química o fato de serem praticamente insolúveis em água. Na alimentação são conhecidos como importantes fontes de energia.

Características

Juntamente com as proteínas e carboidratos, os lipídios são os principais constituintes dos alimentos.
São consumidos na forma visível de gordura (manteiga) e óleo (azeite) ou como componentes básicos dos alimentos, caso do leite, queijo ou
carne.

Funções

Fornecem energia
Proteção dos orgãos contra choques mecânicos
Isolamento contra o frio
Componentes da membrana celular
São utilizados para síntese de hormônios
Servem para transportar e e armazenar vitaminas
Sensação de saciedade (Controle da fome)
Nutrientes essenciais (ácidos graxos essenciais)

Curiosidade: As aves migratórias realizam vôos com duração de até 3 dias de duração. Para isso utilizam os lipídios como fonte de energia. Ao término da jornada apresentam redução de 25 a 40% do peso corporal.

Propriedades Funcionais dos Lipídios nos Alimentos

Os lipídios contribuem essencialmente para as características sensoriais dos alimentos, como textura, aroma, cor e sabor atribuindo palatibilidade aos produtos.

Por sua lenta digestão, os lipídios conferem a sensação de plenitude gástrica, espaçando, por conseguinte, as refeições.

Existe diferença entre óleos e gorduras?

Os lipídios são popularmente conhecidos como óleos e gorduras.

A distinção entre óleos e gorduras consiste basicamente no estado físico em que se encontram sob temperatura ambiente - 35ºC (CNNPA).

Gorduras são sólidas (35ºC)
Óleos são líquidos (35ºC)

Por que as gorduras são sólidas enquanto os óleos são líquidos? Há diferenças estruturais?

Sim!!! As duplas ligações (insaturações) promovem ?dobras? na estrutura dos ácidos graxos. Quanto mais insaturações menos próximos os ácidos graxos se encontram e as cadeiras estarão menos atraídas. Assim, menor quantidade de calor já é suficiente para promover a fusão (derrentimento) do óleo. As gorduras por serem menos insaturadas apresentam estrutura mais retilínea, maior atração entre as cadeias e assim apresentam maior ponto de fusão. O tamanho do ácido graxo também influencia o ponto de fusão, ácidos graxos de cadeia longa precisam de maior temperatura para derreter.

Conteúdo de lipídios em alguns alimentos

Alimento Gramas de
gordura/100 gr
Maionese 70-75
Toucinho defumado 70-75
Carne de porco 40-60
Chocolate 30-40
Leite em pó integral 35
Carne bovina 20-30
Ovo 11
Carne de frango 10

Definição de ácidos graxos

Ácidos Graxos são ácido carboxílico de cadeia aberta que pode ser liberados pela ?quebra? de gorduras naturais.

Os ácidos graxos diferem quanto:

Tamanho da cadeia carbônica:

Cadeia curta: 4 a 8 átomos de carbono (gordura de leites)
Cadeia média:
8 a 12 carbonos (óleo de côco e de palmeira)
Cadeia longa:
mais de 12 carbonos (gorduras de origem animal)

Ligações existentes entre os carbonos

Saturados: apenas ligações simples entre os átomos de carbono. Gordura de origem animal (carne de vaca, porco, carneiro, gema de ovo, manteiga), óleo de côco, chocolate, margarina, etc.
Insaturados:
pelo menos uma ligação dupla na cadeia carbônica
Monoinsaturados:
uma única dupla ligação (óleo de oliva, de amendoim ou canola).
Poliinsaturados:
duas ou mais duplas ligações (óleo de girassol, óleo de soja e óleo de milho)

Posição das duplas ligações

Ômega 3 (w-3) - dupla ligação posicionada no terceiro carbono de trás para frente na cadeia do ácido graxo (devem ser obtidos da dieta)
Ômega 6 (w-6)
- dupla ligação posicionada no sexto carbono de trás para frente na cadeia do ácido graxo (devem ser obtidos da dieta)
Ômega 9 (w-9) -
dupla ligação posicionada no nono carbono de trás para frente na cadeia do ácido graxo (podem ser sintetizados pelos mamíferos)

Configuração (cis ou trans)

Os ácidos graxos insaturados podem apresentar conformação "cis" ou "trans".

Lipídios

Na natureza apenas são encontrados em concentrações elevadas ácidos graxos na forma "cis".

A gordura vegetal hidrogenada é obtida através de reações de hidrogenação (adição de átomos de hidrogênio e quebra das duplas ligações). A adição de gorduras hidrogenadas aos alimentos pode promover a presença de gorduras do tipo "trans" no produto. O consumo de gordura trans está associado ao aumento de colesterol e a ocorrência de doenças.

As gorduras saturadas fazem mal à saúde?

Nas dietas ocidentais há um consumo exagerado de gorduras principalmente do tipo saturado. O aumento do consumo de gorduras saturadas está intimamente relacionado com a ocorrência de doenças cardiovasculares.

Razão entre o consumo de gorduras poliinsaturadas: saturadas

Valor ideal 2:1
Valor recomendado 1:1
Valor médio da dieta ocidental 0,43:1

Alimentos de origem animal como leites integrais e as carnes de bovinos, suínos e ovinos leites apresentam grande concentração de gordura saturada quando comparadas aos outros alimentos.

As carnes de aves e peixes são mais insaturadas quando comparadas às carnes às outras carnes. No entanto, a pele das aves apresenta elevada concentração de colesterol.

Alimentos de origem vegetal e seus óleos apresentam de forma geral apresentam maior concentração de gorduras saturadas.

A gordura tipo trans apesar de ser insaturada também promove aumento dos níveis de colesterol. A legislação exige que a presença de gordura trans seja indicada no rótulo dos alimentos. Fique de olho no rótulo dos alimentos!!!

Ácidos Graxos Essenciais

Ácidos graxos essenciais têm o mesmo valor energético dos ácidos graxos comuns. No entanto, os ácidos essenciais tem efeitos fisiológicos fundamentais para o funcionamento do organismo. Devem ser obrigatoriamente providos a partir da dieta.

A carência de ácidos graxos promove:

Peles com escamas
Lesões no sistema urinário
Prejuízo no transporte de lipídios
Danos cerebrais
Comprometimentos de membranas biológicas

Os seguintes ácidos graxos podem ser considerados essenciais:

Ácido Linoléico
Ácido Linolênico
Ácido Araquidônico (essencial na infância)

A importância dos ácidos graxos essenciais teve início com a pesquisa dos hábitos dos esquimós.

Observou-se que a dieta destes indivíduos estava baseada no consumo de peixes e animais marinhos de ambientes frios. Embora a dieta destes indivíduos fosse rica em gordura animal eles apresentavam reduzidos problemas cardiovasculares.

Outra importante fonte de pesquisas foi o Japão. Até a Segunda Guerra Mundial era verificado um pequeno índice de doenças cardiovasculares naquele país.

Após a guerra, o país adquiriu hábitos alimentares parecidos com os orientais e a incidência de doenças cardiovasculares aumentou.

Os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 apresentam funções fisiológicas benéficas protegendo o organismo das doenças cardiovasculares através da redução da pressão arterial, dos processos inflamatórios e da agregação plaquetária. Estes ácidos graxos essenciais estão presentes em grande quantidade nos peixes e animais marinhos de regiões frias. Como estes animais são a base da alimentação dos esquimós e eram consumidos pelos japoneses em maior quantidade até a Segunda Guerra seu consumo dói associado à ingestão de ácidos graxos essenciais e à proteção contra as doenças cardiovasculares.

Os ácidos graxos ômega-3 e ômega-6 (são insaturados!!!) apresentam efeitos contrários.

Por exemplo: enquanto o ácido graxo ômega-3 promove aumento da pressão arterial o ômega-6 promove sua redução. Assim, seu consumo deve ser realizado de forma equilibrada.

PROBLEMA!!!!!

O ideal seria um consumo de 1-4:1 para w3:w6
Nas dietas ocidentais verificamos um consumo de 1:20-30 para w3:w6

Oxidação de Lipídios (rancidez oxidativa)

Os lipídios são compostos sujeitos às reações de oxidação. A oxidação lipídica ocorre quando os lipídios sob a ação de um catalisador reagem com o oxigênio, gerando uma reação em cadeia e formando compostos oxigenados como álcoois, aldeídos, cetonas e peróxidos que irão conferir gostos e odores desagradáveis aos alimentos.

Catalisadores da oxidação lipídica:

Calor
Luz
NaCl
Metais (ferro e cobre)

* Processos como moagem e cocção favorecem as reações de oxidação

Alternativas tecnológicas para evitar a oxidação lipídica:

Embalagem a vácuo (ausência de O2)
Uso de embalagens com atmosfera modificada (substituição do O2 por outro gás)
Proteção da luz
Uso de antioxidantes.

Para que servem os antioxidantes utilizados na indústria de alimentos?

Os antioxidantes são substâncias utilizadas para preservar os alimentos retardando a deterioração, o surgimento de odores rançosos ou descoloração devido à oxidação. Os antioxidantes podem atuar impedindo a ação dos catalisadores (antioxidantes primários) ou estabilizando os radicais livres formados durante as reações de oxidação (antioxidantes secundários).

Atenção!!!

Os ácidos graxos essenciais (w-3 e w-6) são especialmente sujeitos às reações de oxidação em razão do grande número de duplas ligações que apresentam em sua estrutura.

Carlos Eduardo R. Garcia

Fonte: www.td.utfpr.edu.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal