Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Lisossomos  Voltar

Lisossomos

São compartimentos envoltos por membrana que contém um grupo de enzimas que digerem materiais introduzidos nas células ou elementos da própria célula (autofagia). Essas enzimas, cerca de 40 tipos, incluindo proteases, lípases, fosfatases, são todas ácidas, precisando de um ambiente com pH de valor próximo a 5 no seu interior. Por causa dessa diversidade, os lisossomos são organelas heterogêneas.

Lisossomos

 

Os lisossomos recebem enzimas para serem digeridas por três rotas:

Macromoléculas - captadas por endocitose por endossomos iniciais.

Autofagia – onde a célula elimina organelas envelhecidas. A organela é incorporada por membrana do RE, tornando-se um autofagossomo, que se funde com um lisossomo ou endossomo tardio onde recebe enzimas hidrolíticas provenientes do Golgi, degradando a organela.

Fagocitose – formação do fagossomo

Lisossomos

As hidrolases lisossômicas e proteínas de membrana do lisossomo são secretadas no RER e transportadas para a rede trans do complexo de Golgi. Depois as vesículas de transporte enviam aos endossomos tardios, que mais tarde formarão o lisossomo.

Algumas células contêm lisossomos especializados em armazenar substâncias. Os melanócitos produzem e estocam pigmentos em seus lisossomos (melanossomos), que são liberados por exocitose no espaço extracelular.

Lisossomos

As hidrolases lisossômicas e proteínas de membrana do lisossomo são secretadas no RER e transportadas para a rede trans do complexo de Golgi. Depois as vesículas de transporte enviam aos endossomos tardios, que mais tarde formarão o lisossomo.

Algumas células contêm lisossomos especializados em armazenar substâncias. Os melanócitos produzem e estocam pigmentos em seus lisossomos (melanossomos), que são liberados por exocitose no espaço extracelular.

Fonte: www.ufmt.br

Lisossomos

Todas as proteínas direcionadas para os lisossomos são glicoproteínas; inicialmente elas adquirem, na fase Cis do Complexo de Golgi, uma fosforila marcadora.

Uma fosfotransferase adiciona então uma fosfo-N-acetilglicosamina à 6-OH de uma manose. Finalmente uma fosfodiesterase remove a ose adicionada, gerando uma manose-6-fosfato no cerne oligosídico. A unidade manose-6-fosfato é reconhecida por receptores presentes na membrana do Complexo de Golgi favorescendo a ligação destas glicoproteínas aos receptores.

Lisossomos

Vesículas contendo glicoproteínas ligadas à receptores brotam da fase Trans do Complexo de Golgi e se ligam a vesículas pré-lisossomicas, as quais são mais ácidas que as provenientes do Complexo de Golgi. Esta diminuição do pH promove a dissociação da glicoproteína de seu receptor, estes pré-lisossomos se fundem a lisossomos maduros recebendo suas enzimas. Neste ponto os receptores de manose-6-fosfato retornam ao Complexo de Golgi através de grupo diferente de vesículas.

Lisossomos

Este receptor, como o Transportador Vesicular de Acetilcolina e outros, é reciclado podendo ser utilizado várias vezes. Caso não ocorra a acidificação das vesículas não há a dissociação do complexo enzima-receptor, consequentemente o receptor de manose-6-fosfato não retorna ao Complexo de Golgi. Na carência do receptor glicoproteínas que deveriam ter como destino os lisossomos continuam na via de secreção e são exportadas da célula.

Fonte: www.icb.ufmg.br

voltar 12345678avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal