Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Lituânia - Página 2  Voltar

Lituânia

A Lituânia é um país da Europa Oriental.

A capital é Vilnius.

A principal religião é o Cristianismo (Catolicismo).

A língua nacional é o Lituano. Outras línguas principais são o Russo e Polaco.

As terras Lituanas foram unidas sob Mindaugas em 1236; durante o próximo século, através de alianças e conquistas, a Lituânia estendeu seu território para incluir a maior parte da atual Bielorrússia e Ucrânia. Pelo final do século 14 a Lituânia era o maior estado na Europa. Uma aliança com a Polonia em 1386 levou os dois países à uma união através da pessoa de um governante comum. Em 1569, a Lituânia e a Polonia formalmente se uniram em um único estado dual, a Comunidade Polaco-Lithuana. Esta entidade sobreviveu até 1795, quando seus restos foram divididos pelos países vizinhos. A Lituânia recuperou a sua independência após a Primeira Guerra Mundial mas foi anexada pela URSS em 1940 - uma ação nunca reconhecida pelos Estados Unidos e muitos outros países. Em 11 de Março de 1990, a Lituânia tornou-se a primeira das repúblicas Soviéticas a declarar sua independência, mas Moscou não reconheceu esta proclamação até Setembro de 1991 (na sequência do fracasso do golpe de Moscou). As últimas tropas Russas se retiraram em 1993. A Lituânia posteriormente reestruturou sua economia para a integração nas instituições Europeias ocidentais; ela se juntou à OTAN e à União Européia na Primavera de 2004.

No final de 1980, os Lituanos, orgulhosos descendentes de uma grande potência medieval, lideraram as três repúblicas Bálticas em sua luta pela libertação da soberania Soviética. Após 50 anos como uma das repúblicas da União Soviética, a Lituânia - liderada pelo movimento nacionalista Sajudis - foi a primeira à declarar a soberania, em Março de 1990. A independência total veio em 1991.

Os anos desde então têm visto um progresso significativo, mas a transição para a prosperidade e a plena democracia estão longe de terminar.

No início de 2004, os Lituanos comemoraram duas ocasiões especiais: no final de Março o país aderiu à OTAN, e em 1 de Maio tornou-se um membro da União Europeia (UE).

Terra

Lituânia é o maior e mais populoso dos três países Europeus conhecidos como os Estados Bálticos. A atual Lituânia é do tamanho da Virgínia do Oeste (EUA), e sua paisagem é constituída principalmente de planícies e colinas. Ela faz fronteira ao norte com a Letonia; a leste pela Bielorrússia, ao sul pela Polonia e o enclave Russo de Kaliningrado, e a oeste pelo Mar Báltico. O enclave de Kaliningrado, uma zona altamente militarizada e a base da Frota Russa do Báltico, está encravado entre a Lituânia e a Polonia. Embora o governo Lituano esteja descontente com essa presença militar Russa, ele tem vindo a negociar com Moscou para estabelecer um corredor através da Lituânia para o transporte de militares Russos.

O maior rio da Lituânia é o Nemunas (Neman), e há cerca de 3.000 lagos, principalmente no leste e sudeste. O clima é muito úmido, com mais chuva caindo em Agosto. Em Julho, o mês mais quente, a temperatura média chega a 63 °F (17 °C). O mês mais frio é Janeiro, com uma temperatura média de 23 °F (-5 °C).

População

Os Lituanos representam 84 por cento da população de 3,5 milhões; os restantes 16 por cento consistem de Russos, Poloneses e Bielorrussos. Os Lituanos são, juntamente com os Letões, os únicos povos sobreviventes do Báltico. Sua língua contém muitos elementos Eslavos e Alemães, mas ela pertence ao grupo separado de línguas Indo-européias do Baltico. Este grupo incluía também a língua original dos Prussianos, que foi extinta na Idade Média.

Os Lituanos tendem a ser mais vivazes e emocionais do que seus vizinhos Bálticos. Mais de 66% das pessoas são moradores da cidade; um número de novos centros urbanos, como Alytus, Kapsukas e Utena, foram estabelecidas durante o período Soviético. Os acontecimentos da história da Lituânia no século 20 forçaram muitas pessoas a emigrar, principalmente para a América do Norte. Hoje há cerca de 1 milhão de Lituanos étnicos vivendo nos Estados Unidos.

Religião

A maioria dos Lituanos são Católicos Romanos, em contraste com seus dois vizinhos do norte, Letões e Estonianos, que são predominantemente Luteranos. Esta filiação cresceu a partir da longa relação da Lituânia com a Polônia e fora dos laços culturais e emocionais para a Europa Central.

A vida cultural

Durante a era Soviética, as tradições culturais Lituanas persistiram apesar da presença esmagadora dos Russos. Muitos jornais e revistas continuaram a ser publicados em Lituano, e a consciência das raízes culturais Lituanas era bastante difundida. As canções, contos de fadas e lendas do país estão entre as mais antigas da Europa. Os eventos musicais e festivais são realizados em todo o país, e dezenas de milhares participam dos festivais nacionais de canções, que são realizados a cada cinco anos. A música ocidental moderna, como o rock e jazz, tem sido popular por muitos anos.

Cidades

Vilnius

A mais colorida, vibrante e agradável das três capitais Bálticas, Vilnius tem uma população de mais de meio milhão. Cerca de 10 por cento das pessoas são Poloneses. O impacto Católico sobre a história de Vilnius é evidente em suas muitas igrejas e em outros edifícios e monumentos, incluindo o palácio clássico construído como residência dos bispos de Vilnius, e a universidade fundada como um colégio Jesuíta em 1570.

Estabelecida provavelmente no início dos 1300s por Gediminas, Vilnius floresceu no século 15, após a derrota da Ordem dos Cavaleiros Teutônicos em 1410.

No século 16, com uma população de 25.000 a 30.000, Vilnius foi uma das maiores cidades da Europa Oriental. Muitos edifícios do fim do estilo Gótico e Renascentista são remanescentes dessa época.

Durante a Primeira Guerra Mundial, a cidade foi ocupada pelos Alemães por mais de três anos, e a luta posterior reduziu sua população em quase a metade. Em 1921, Vilnius foi localizada dentro das fronteira Polonesa e foi um importante centro Judaico. Após a Segunda Guerra Mundial estourar, a cidade voltou a sofrer terrivelmente. Outra ocupação Alemã resultou em uma maior redução da população e uma acirrada batalha de seis dias em 1944, quando o Exército Vermelho retomou a cidade e destruiu muitos edifícios. Na era Comunista, Vilnius tornou-se um centro das indústrias de manufatura de alta tecnologia.

Outras cidades

A segunda maior cidade é Kaunas, localizada na junção dos rios Neman e Neris. Datando do século 11 A.D., Kaunas foi capital da Lituânia entre as guerras mundiais, e tem servido como um centro do nacionalismo Lituano. Klaipeda (Memel em Alemão) é a terceira maior cidade e um velho porto Báltico.

Economia

A Lituânia foi uma das mais prósperas repúblicas Soviéticas, com bem-desenvolvida indústria e agricultura relativamente eficiente. Os recursos minerais incluem giz, gesso, calcário, argila, cascalho e turfa, bem como algum minério de ferro e depósitos de petróleo. As indústrias tradicionais incluem o processamento de alimentos e a fabricação de bens de consumo.

A agricultura concentra-se na produção de carne e leite e no cultivo de forragens. Os produtos alimentares são exportados para a Rússia em troca do petróleo Russo.

A economia experimentou um forte crescimento de 2004 até 2008, em seguida diminuiu drasticamente em 2009 na esteira da crise financeira global. Ela gradualmente pegou em 2010.

Economia - visão geral:

A Lituânia tornou-se membro da Organização Mundial do Comércio e aderiu à UE em Maio de 2004. Pese embora a adesão da Lituânia, o comércio da Lituânia com seus Central e Oriental vizinhos europeus, e da Rússia, em particular, é responsável por uma parte significativa do comércio total. Investimento estrangeiro e de apoio às empresas ajudaram na transição da economia de comando antigo para uma economia de mercado. Economia da Lituânia cresceu em média 8% ao ano para os quatro anos anteriores a 2008 impulsionado pelas exportações e da procura interna. No entanto, o PIB caiu quase 15% em 2009 - os três ex-repúblicas soviéticas do Báltico estavam entre os mais atingidos pela crise financeira 2008-09. Os esforços do governo para atrair investimento estrangeiro, desenvolvimento de mercados de exportação, e para perseguir amplas reformas econômicas tem sido fundamental para a recuperação rápida da Lituânia a partir de uma profunda recessão Lituânia fazendo uma das economias que mais crescem na UE. No entanto, o desemprego - de 15,8% em 2012 - ainda continua alta.

Dificuldades da Independência

O desenrolar econômico da União Soviética e a desintegração das antigas estruturas e laços economicos trouxeram incontáveis dificuldades para as ex-repúblicas Soviéticas; a Lituânia não é excepção. Seus laços economicos com a Rússia e outras ex-repúblicas Soviéticas permanecem fortes. Aproximadamente 40 por cento das exportações da Lituânia vão para a Rússia, enquanto mais da metade das necessidades de matéria-prima e energia elétrica da Lituania são importados da Rússia. Em 2004 o país aderiu à União Europeia, juntamente com seus vizinhos Bálticos.

Nos primeiros anos de independência, nenhum dos governos foram capazes de empurrar por uma transformação radical da economia. No final dos 1990s o país enfrentou um momento muito difícil, tanto econômica como politicamente, como uma conseqüência direta da crise financeira Russa. Desde então, tem havido uma grande melhoria, graças a um significativo investimento estrangeiro e à venda de empresas estatais a investidores privados.

No final de 2008, a Lituânia começou a sentir o impacto da desaceleração econômica global. Em Janeiro de 2009, as preocupações econômicas e a insatisfação com a corrupção levou a violentos distúrbios.

História

A Lituânia foi a última grande nação Europeia a aceitar o Cristianismo. Enquanto a Ordem Teutônica Alemã subjugou seus vizinhos do norte, os Lituanos resistiram à pressão. Em meados do século 13 A.D., um nobre muito capaz chamado Mindaugas criou o Estado da Lituânia. Ele se permitiu ser batizado, e foi posteriormente confirmado como rei pelo Papa Inocêncio IV. Vários anos depois, no entanto, ele renunciou ao Cristianismo.

O governante mais famoso pré-Cristão da Lituânia foi Gediminas, que governou de 1315-1341. Ele lutou com a Ordem Teutônica, e ele também se envolveu em negociações diplomáticas com os governantes Europeus e até com o papa. Gediminas convidou artesãos estrangeiros para se estabelecerem na Lituânia, e ele expandiu os territórios de seu país. Segundo a tradição, Gediminas sonhou certa vez com um poderoso lobo de ferro e, em seguida, decidiu construir uma cidade - Vilnius - que seria tão inexpugnável como o uivo de 100 lobos.

Um dos netos de Gediminas, Jogaila, aceitou o Cristianismo Latino e se casou com a herdeira da Polonia, Jadwiga. Esta "união pessoal" com a Polônia teve lugar em 1386. Jogaila, em seguida, assumiu o nome Wladyslaw e se tornou o fundador de uma dinastia governante Polonêsa chamada os Jagellonianos.

Pouco tempo depois, a Lituânia teve a sua idade dourada durante o reinado de Vytautas o Grande (1392-1430). Ele expandiu o território da Lituânia, e em 1410, juntamente com seu tio Jogaila, derrotou a Ordem Teutônica na célebre Batalha de Grünwald (Tannenberg).

Em 1569, a Polonia e a Lituânia criaram uma união política, e a aristocracia da Lituânia se tornou Polonizada. Pelo final do século 18, quando a Polônia foi dividida entre a Rússia, Áustria e Alemanha, a maior parte da Lituânia já havia caído sob o domínio Russo.

Entre as duas guerras mundiais, a Lituânia se tornou independente, beneficiando-se da fraqueza da Rússia, mas quando a União Soviética assinou seu tratado de não-agressão com a Alemanha em 1939, o destino da Lituânia para os próximos 50 anos foi selado. O protocolo secreto ao tratado, de fato, deu a Lituânia à União Soviética, e quando a guerra eclodiu em Setembro de 1939, Moscou começou a efetivamente reduzir a independência da Lituânia. Em Agosto de 1940, a Lituânia foi declarada uma república constituinte da União Soviética.

Pós-Independência

Juntamente com seus dois vizinhos Bálticos, o país tornou-se um Estado soberano e internacionalmente reconhecido em Setembro de 1991. A emoção da luta pela liberdade gradualmente diminuiu e deu lugar à sóbrias preocupações sobre a construção de um novo sistema econômico, político e social. A Lituânia foi o primeiro país do Báltico de onde partiram as tropas Russas (em Agosto de 1993).

A nacionalista União da Pátria, formada a partir do movimento Sajudis e liderada pelo musicólogo Vytautas Landsbergis, perdeu nas eleições parlamentares de 1992, principalmente por causa do descontentamento popular com os padrões de vida em declínio. Vários meses depois, Landsbergis perdeu a presidência para Algirdas Brazauskas do Partido Democrático Trabalhista (ex-Comunista). O controle do governo oscilou para trás e para frente entre os Nacionalistas e os antigos Comunistas pelos próximos oito anos.

Após as eleições de 2000 os partidos mais centristas vieram à tona. Brazauskas, que agora liderava o Partido Social Democrata (uma fusão do Partido Democrático Trabalhista e o Partido Social-Democrata Lituano) tornou-se primeiro-ministro em 2001. Ele permaneceu no cargo até 2006. Depois de uma nomeação por cooptação, ele foi sucedido por Gediminas Kirkilas.

Nas eleições de Outubro de 2008, a coalizão de centro-esquerda de Kirilas foi derrotada pela União da Pátria. Ela foi liderada por Andrius Kubilius e tomou posse em uma coalizão com outros três partidos conservadores. Kubilius anteriormente tinha servido como primeiro-ministro em 1999-2000. O novo governo enfrentou uma severa recessão, à qual ele respondeu com cortes no orçamento e aumentos de impostos dolorosos. Apesar dos protestos iniciais, suas políticas foram geralmente aceitas pela oposição. Por 2010 a economia estava se recuperando.

Em Maio de 2009, Dalia Grybauskaite, uma ex-ministra das Finanças, foi eleita a primeira mulher presidente da Lituânia. Ela sucedeu Valdas Adamkus, que tinha servido como presidente de 1998-2003 e novamente de 2004 a 2009.

Governo

A Lituânia é uma democracia parlamentar. O parlamento unicameral (uma-casa) é a de 141-membros (Seimas), que foi criada pela Constituição de 1992. O presidente é eleito diretamente por 5 anos. Ele ou ela nomeia o primeiro-ministro, que deve ser aprovado pela Seimas. O presidente pode ser contestado por violações da Constituição. Isso aconteceu com o presidente Rolandas Paksas, que esteve no cargo de 2003-04. Ele foi considerado culpado e deposto do cargo.

Irina Rybacek

Edward W. Walker

Fonte: Internet Nations

Lituânia

História

As opiniões de historiadores estão divididos quanto às origens da população da Lituânia. Alguns pensam que Balto-eslavos tribos se estabeleceram na região desde antes de 2500 aC. BC, os outros como eles vieram para o Mar Báltico apenas no início do primeiro século dC. AD De qualquer forma, o primeiro livro de mencionar o nome de lituanos é um manuscrito vezes prussianos medievais, a crônica Quedlinburg.

Sua posição geográfica fez Lituânia uma espécie de zona tampão, constantemente ameaçado e conquistou pela Prússia, no oeste, no norte escandinavo, os mongóis, tártaros e os russos, no leste.

No século XIII, os príncipes das tribos lituanas concordar, para fins defensivos, para unir sob a liderança de um deles, Mindaugas (c. 1200-1263), que se tornou o primeiro governante da Lituânia em 1239. Isto lhes permite resistir com êxito os ataques em 1260 pelos Cavaleiros Teutônicos no sudoeste e os Cavaleiros da Espada, no norte.

Gediminas, o Grão-Duque 1316-1341, é considerado o verdadeiro fundador do Estado lituano moderna. Com estruturas sólidas, ele embarcou em uma política de conquista territorial, ocupando a Bielorrússia ea Ucrânia ocidental. A expansão continuou com o Grão-Duque Olgierd (1345-1377), que conquistou os territórios situados entre a Ucrânia e do Mar Negro.

Jogaila, seu filho, sucedeu-o em 1377. Em 1386, casou-se com Hedwig, Rainha da Polônia, em seguida, convertido ao cristianismo. Sua ascensão ao trono da Polônia com o nome de Wladyslaw II Jagiello, marca o nascimento da dinastia Jagiellonian e inaugurou a ligação entre os destinos dos dois povos, que durou quatro séculos. Nomeado vice-regente em 1392, Vytautas, o primo de Ladislau, o Grão-Ducado é um estado próspero e tornou-se grão-duque em 1401.

Juntos, eles Cavaleiros Teutônicos triunfar novamente, em julho de 1410, durante a Batalha de Grunwald-Tannenberg. Lituânia e Polônia juntam forças em 1447 durante o reinado de Casimiro IV, filho de Ladislau II. Alexander I estabeleceu Jagiellonian durante o seu reinado (1501-1506), a união entre os dois países que já não têm um único soberano, embora a Lituânia mantém suas instituições.

A União de Lublin, realizada em julho de 1569, incluindo, por razões estratégicas, deve conduzir à integração da Lituânia e Polônia. Se João III Sobieski, rei da Polônia e da Lituânia (1674-1696), conseguiu repelir os ataques dos suecos, ele não pode resistir à pressão russa. As partições sucessivas da Polônia em 1772, 1793 e 1795 representam a maior parte da Lituânia para a Rússia. O resto é dedicado a Prússia. Submetido a uma política intensiva de russificação, lituanos organizado escala insurreições nacionalistas em 1830-1831, em 1863-1864 e em 1905.

Geografia

O país é formado por uma vasta peneplanície inclinada em direção ao mar é limitado pela Letônia 610 km, a leste pela Bielorrússia km 720, da fronteira sul e sudoeste é compartilhada entre a Polônia de 110 km eo enclave russo de Kaliningrado em 303 km. Sua fronteira marítima é de 99 km.

Rios

O país plano é atravessada de norte a sul por duas cadeias de montanhas, restos de morena glacial, cujo pico mais alto é o "Monte" Juozapine (294 m), localizada no sudeste do país. Enquanto o centro do país é ocupada por uma grande planície ricamente irrigado. Em todos os lugares descarga de água, formando pequenos rios ou lagos, o maior é o Druksiai (45 km2), o mais profundo dos Tauragnas (60 m).

O Nemunas rio (Neman), juntamente 937 quilômetros, flui sobre 475 km no coração do progresso da Lituânia em forma de Z, flui primeiro na Bielorrússia para o oeste a Grodno (Gardinas) volta-se abruptamente para o norte para Kaunas, e depois recomeça a sua direção para o oeste que flui para o mar na lagoa chamado Curonian Lagoon (Curlândia).

Lituânia
Paisagem da Lituânia

Esta lagoa formada por uma faixa de areia trazido da costa por ventos prussiano comunica com o mar através do Estreito de Klaipeda, 390 metros de largura.

Os Nemunas recebe em sua margem direita de muitos afluentes: o Neris (235 km), o Sesupe (299 km), os Nevezis (209 km). La Venta-lo, fluem para o norte e deságua no mar na Letônia.

Clima

Clima da Lituânia é dominada pela influência do Mar Báltico, especialmente no oeste, onde os verões são mais frios e invernos mais amenos. As condições climáticas tornam-se mais continental, na parte oriental.

A precipitação média anual varia de menos de 600 mm no centro do país, mais de 850 milímetros no oeste. A Lituânia é um país plano, que nunca ultrapassa 250 metros. O norte eo leste você também obervez pântanos importantes. Fronteiras da Lituânia com a Bielorrússia, Polônia e Letônia.

Economia

Primeiro-república soviética têm procurado superar os laços com a União Soviética, a Lituânia sofreu particularmente as convulsões econômicas resultantes da proclamação da sua independência e do colapso do bloco oriental. Exemplo, o produto interno bruto (PIB) caiu quase 50 por cento. 100 entre 1991 e 1995.

O país recuperou um crescimento positivo em 1997 (6,0 p. 100 e 4,5 p. 100 em 2001) e seu PIB totalizou 29,8 bilhões dólares em 2006, representando um PIB per capita de 8 768,90 dólares.

De 8,4 por cento. 100, em 1997, a taxa de inflação caiu para 1,3 por cento. 100 em 2001 e os investimentos estrangeiros estão aumentando, o que favorece o programa de privatização. No início de 2000, está em fase de conclusão com relação ao setor financeiro, particularmente na agricultura e ativo durante o setor de energia, enquanto a adesão à União Europeia (UE) em 1 maio 2004 abre novas perspectivas na Lituânia.

O setor primário foi em 2006, 5,3 por cento. 100 do PIB e empregou 14 por cento. 100 da força de trabalho. Os bovinos (800.286 cabeças) e suínos (1.114.647 cabeças) e predominam a produção de leite.

Lituânia
Agricultura na Lituânia

Trigo (809 800 t), cevada (743 800 t), batata (457 100 t), beterraba (717 100 t) e linho são as principais culturas, mas os rendimentos são mal elevada e atingir apenas 50 por cento. 100 médias europeias.

Indústrias

A Lituânia, cuja mineral recursos são muito limitados, tem algumas jazidas de petróleo e gás natural perto da costa. Suponha que as zonas costeiras contêm reservas maiores. Outros recursos minerais são limitadas a gesso, argila e turfa.

A produção doméstica de energia atende a uma grande parte da demanda do país. Os dois reatores nucleares da central de Ignalina, na Lituânia, construídas no mesmo modelo como o de Chernobyl, foram as únicas instalações nucleares civis nas repúblicas do Báltico e cobriu quase metade das necessidades de energia do país.

Desde a independência, dificuldades técnicas parou várias vezes de produção, ea nova liderança russa fará combustíveis fósseis pagar o preço de mercado tornou mais difícil a oferta.

Tendo em vista a adesão da Lituânia à União Europeia (UE), com vigência 01 de maio de 2004, as autoridades de Bruxelas exigiu o fechamento: este é o caso para os dois reatores em dezembro de 2004. Pequenos campos de petróleo descobertos no Klaipea região deve ajudar a manter refinaria Mazeikiai operacional, a única refinaria nos Estados Bálticos. Ele foi forçado a fechar por várias semanas devido à falta de petróleo, mas desde que também fornece o enclave russo de Kaliningrado, os russos para que o fornecimento de óleo é mantido.

Lituânia
Indústrias na Lituânia

Hoje, a indústria continua a ser um setor importante da economia da Lituânia, uma vez que esta atividade contribuiu em 2006 para cerca de 35,3 por cento. 100 PIB e empregou cerca de 29,1 por cento. 100 ativos. No entanto, é realmente desabou após a independência, registrando uma queda de mais de 50 por cento.

Produção = 100 em 1992, e mais de 40 por cento. 100 em 1993. Em 1997, o índice de produção se recuperou crescimento ligeiramente positivo (0,7 p. 100).

Setores industriais são o processamento de alimentos mais importante, a construção naval, engenharia, cimento, têxteis e artigos de papelaria.

Fonte: www.voyagesphotosmanu.com

Lituânia

Situada no centro da Europa, a Lituânia é a mais ocidental das repúblicas bálticas. De toda a ex-União Soviética, os lituanos foram os primeiros a proclamar a república. A agricultura e a produção industrial formam a base da economia do país.

Relevo

O território lituano apresenta relevo baixo, com dunas e lagunas. É caracterizado por sua extensa planície centrais e pelas cadeiras de colinas, onde se localizam lagos.

Clima

Seu clima é tipicamente continental, influenciado pelo mar. Na porção oriental, as condições são mais variáveis, enquanto na região oeste o verão é mais frio e o inverno mais ameno.

História

Século XIV e XVI - os domínios da Lituânia se estendem, transformando-o em um dos países mais ricos do Leste Europeu;

Século XVI - é dominado pela Polônia para defender-se da Rússia;

Em 1991, é proclamada a independência. A URSS não aceita o processo de nacionalização, impondo ao país um bloqueio econômico como forma de pressão, a fim de retomar o poder por militares pró-soviéticos. Em agosto de 1991, o presidente russo Boris Yeltsin reconhece a independência lituana. Em dezembro do mesmo ano, é aprovada a Lei da Cidadania, que impõe duras condições às minorias polonesa e russa, habitantes do país.

População

Os lituanos constituem 80% da população do país. São encontrados russos, ucranianos, judeus e bielorussos. As relações entre as variadas etnias são relativamente boas. É uma sociedade bastante urbanizada.

A Lituânia é um país fortemente católico, mas onde encontramos outras religiões como o protestantismo e o islamismo. Seus habitantes foram os últimos europeus a se converterem ao Cristianismo.

Economia

A produção industrial aumentou nestes últimos anos, apesar da falta de energia e de matéria-prima. O petróleo, o gás natural e produtos industriais precisam ser importados da Rússia. Estão instaladas no país indústrias químicas e têxteis, havendo recursos minerais, porém bastante limitados, entre os quais estão a argila e o gesso. A agricultura é uma atividade econômica muito desenvolvida, sendo as principais safras agrícolas a batata e cereais.

Política

A Lituânia é uma república parlamentarista. É dividida em 11 cidades e 44 distritos rurais.

REPÚBLICA

Área: 65 000 quilômetros quadrados

Capital: Vilnius

Idiomas: lituano (oficial), russo

Maiores cidades: Vilnius , Kaunas , Klaipeda ,

População: 3 700 000

Religião: Católica

Unidade monetária: litas

A Lituânia é ocupada pela Alemanha durante a Primeira Guerra Mundial. Ao final do conflito, em 1918, a nação passa a ser controlada pelos soviéticos. Tal domínio, entretanto, dura muito pouco pois, já em 1919, as tropas soviéticas deixam o país. Até 1926, então, a Lituânia é uma república democrática. É neste ano que um golpe põe fim à democracia.

Em 1939, o Pacto Russo-Alemão de Não-Agressão dá à União Soviética o direito de exercer influência sobre a Lituânia. No ano seguinte, o território é anexado à União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.

Com a derrocada da URSS, no início da década de 90, a Lituânia passa a recorrer à devolução de seu status de nação independente. Isso ocorre em 1990, com a retirada das últimas tropas soviéticas em 1993. Um ano antes, porém, ex-comunistas venciam esmagadoramente as eleições.

Fonte: canadat.vilabol.uol.com.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal