Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Louis Pasteur  Voltar

Louis Pasteur

Louis Pasteur
Louis Pasteur

Louis Pasteur nasceu em Dôle, parte oriental da França, em 27 de dezembro de 1822.

Em 1847 completou seus estudos de doutorado na Escola de Física e Química em Paris.

Em 1848 foram anunciadas suas primeiras descobertas sobre assimetria dos cristais.

Em 1854 tornou-se Professor de Química e Reitor da Faculdade de Ciências de Lille.

Em 1857 iniciou manuscritos sobre a fermentação láctea e recebeu a medalha da Sociedade Real de Londres por seus estudos sobre cristalografia. Pasteur também pesquisou muito sobre a geração espontânea.

Em 1861 recebeu um prêmio da Academia de Ciências por seus estudos sobre fermentação.

Em 1865 iniciou estudos sobre o processo que mais tarde levaria seu nome - a pasteurização.

Em 1880 Pasteur começou seus estudos sobre a raiva, lançando no ano seguinte os primeiros manuscritos sobre essa zoonose.
Em 1881 publicou estudos sobre a vacina contra o antrax e contra a cólera aviária.

Em 1884 apresentou, em Copenhagen, um trabalho sobre "Patogenia microbiana e vacinas". Iniciou estudos sobre vacinação anti-rábica em animais.

Em 1885 efetuou o primeiro tratamento contra a raiva humana. Os primeiros pacientes foram Joseph Meister e Jean Baptiste Jupille.

Em 1886 obteve licença internacional para fundação do Instituto Pasteur, devotado ao estudo e tratamento de raiva, assim como a outros estudos microbiológicos.

Em 14 de novembro de 1888, o Instituto Pasteur de Paris foi inaugurado.

Em 1892 o Jubileu de Pasteur (70 anos) foi comemorado na Sorbonne de Paris, com grandes solenidades.

Louis Pasteur faleceu aos 73 anos, em 28 de setembro de 1895, em Chateau de Villeneuve l'Etang, perto de Paris.

Fonte: www.pasteur.saude.sp.gov.br

Louis Pasteur

Louis Pasteur
Louis Pasteur


“A imaginação deveria dar asas aos nossos pensamentos, mas nós sempre precisamos de uma prova experimental decisiva, e no momento de refletir, interpretar nossas observações e concluir, a imaginação deve ser verificada e documentada pelos resultados do experimento”, desta forma Louis Pasteur mudou a nossa vida.

Cada descoberta no conjunto dos trabalhos de Pasteur representa um elo de uma corrente que não se interrompeu, iniciando pela assimetria e terminando pela vacina anti-rábica.

Louis Pasteur nasceu em 27 de dezembro de 1822 em Dole na região de Jura na França. Suas descobertas tiveram um impacto muito grande na medicina, seus trabalhos tornaram-se o início do que chamamos de microbiologia. Sua Teoria Germinal das doenças infecciosas diz que a maioria das doenças infecciosas são causadas por germes, sendo uma das mais importantes na história da medicina. Segundo Pasteur, era necessário estudar e identificar cada micróbio responsável por cada doença infecciosa, pois somente assim seria possível desenvolver métodos e técnicas para combater este agente infeccioso.

Em 1847, o jovem químico com apenas com 26 anos de idade realizou seu primeiro trabalho que já revolucionou o que hoje conhecemos por estereoquímica, ao estabelecer relações entre a cristalografia, a química e a óptica falando sobre assimetria molecular.

Pasteur já se destacava por seus trabalhos quando foi incumbido de examinar o porquê da contaminação do álcool durante o processo de fermentação. Foi assim que demonstrou que cada tipo de fermentação está relacionado com a existência de um microorganismo ou fermento específico, um ser vivo que poderia ser estudado por meio do cultivo em um meio de cultura apropriado.

“A fermentação é uma conseqüência da vida sem oxigênio” foi uma afirmação de Pasteur, durante seus trabalhos em que descobriu que seres vivos podem viver por processos anaeróbicos, onde não necessitam de oxigênio para sobreviver, e por este caminho, estudando os germes, descobriu a causa de muitas infecções. Assim foi possível desenvolver técnicas que eliminariam micróbios sendo possível controlar as contaminações. O próprio Pasteur se engajou em uma campanha para que os médicos dos hospitais militares fervessem seus instrumentos e bandagens que seriam utilizados em procedimentos cirúrgicos.

Mais de uma vez Pasteur foi solicitado para investigar as “doenças” que atacavam os vinhos e que estavam causando enormes prejuízos aos fabricantes. Fruto destes estudos, ele sugere que para combater este problema causado por microorganismos, o vinho deveria ser aquecido a 55 0C por alguns minutos para destruir estes microorganismos. Este processo foi também aplicado na cerveja e no leite e denominado pasteurização em sua homenagem, processo este utilizado até hoje e que se propagou pelo mundo todo.

Pasteur em seu laboratório
Pasteur em seu laboratório

Em 1865, Pasteur iniciou um estudo sobre a doença do bicho da seda que estava dando prejuízos aos fabricantes de seda na França. Neste estudo ele descobriu o agente infeccioso e também a maneira como este agente era transmitido e inclusive como prevenir. Dando prosseguimento aos trabalhos sobre fermentação, ele confirmou que cada doença é causada por um micróbio específico e que estes micróbios eram agentes externos. Com esses conhecimentos Pasteur foi capaz de estabelecer as noções básicas de esterilização e assepsia, com conseqüências na prevenção de contaminações e infecções na cirurgia e obstetrícia.

Cada vez mais engajado em pesquisas de doenças infecciosas, entre 1877e 1887 Pasteur descobriu três bactérias responsáveis por doenças nos homens: estafilococos, estreptococos e pneumococos.

Pasteur descobriu que formas fracas de micróbios poderiam ser usadas como agente imunizante contra uma forma mais virulenta deste micróbio, o que resultou nas técnicas de vacinação como forma de prevenção de doenças. Outra contribuição muito importante dada por Pasteur, foi a descoberta do agente transmissor da raiva que na época não podia ser visto no microscópio mostrando assim o mundo dos vírus.

Em março de 1886, Pasteur apresentou os resultados para o tratamento da raiva na Academia de Ciências Francesa e foi então convidado a criar um centro para produção de vacina anti-rábica. Foi construído o Instituto Pasteur, idealizado para ser um centro de tratamento da raiva, de doenças infecciosas e educação.

O trabalho de Pasteur não foi somente a soma de seus estudos e descobertas. Este trabalho representou uma revolução na metodologia científica. As principais características que marcaram o seu legado e ficaram de herança para a Ciência foram a liberdade de pensamento na utilização da imaginação e criatividade e a necessidade de uma experimentação rigorosa. Pasteur dizia que “Não prossiga em seus trabalhos se você não pode prová-los com a experimentação”.

O que mais motivava Pasteur era seu caráter humanista, todo seu trabalho foi desenvolvido com o intuito de melhorar a condição humana. Ele é tido com um benfeitor da Humanidade, pois seus esforços mudaram o mundo, por isso é um dos mais reconhecidos cientistas da história.

Sua genialidade estava em sua habilidade de estudar e aprender com o conhecimento existente e estabelecer relações com suas hipóteses, com paciência e muita dedicação com seus experimentos rigorosos ele brilhantemente encontrou as respostas para seus questionamentos.

O Museu Pasteur está localizado no primeiro prédio onde foi construído o Instituto Pasteur inaugurado em novembro de 1888, onde Pasteur trabalho até 1895, quando faleceu. O museu inclui uma coleção de objetos científicos ilustrando o trabalho do cientista e também uma capela bizantina onde Pasteur foi sepultado. Este museu vai além de uma homenagem ao grande cientista, ele mostra a luta da humanidade pela sobrevivência, luta esta que teve uma contribuição única de Louis Pasteur.

Fonte: www.cdcc.usp.br

Louis Pasteur

Inventor do processo conhecido como pasteurização, o químico e biólogo francês Louis Pasteur realizou uma obra científica notável, que não só abriu novos caminhos aos estudos sobre a origem da vida como contribuiu de forma decisiva para a evolução da indústria.

Contam-se entre suas realizações as pesquisas sobre doenças infecciosas, meios de contágio, prevenção e controle.

Pasteur nasceu em 27 de dezembro de 1822, em Dole, Jura. Doutor em química e física pela École Normale Supérieure, de Paris, lecionou química na Universidade de Estrasburgo e em 1854 assumiu a cadeira de química da Universidade de Lille, onde também foi decano da faculdade de ciências.

Em sua primeira pesquisa importante, publicada em 1848, Pasteur associou a cristalografia, a química e a óptica e estabeleceu o paralelismo entre a forma exterior de um cristal, sua constituição molecular e sua ação sobre a luz polarizada.
estudar os cristais simétricos e dissimétricos, constatou que os produtos da natureza viva são dissimétricos e ativos sobre a luz polarizada, enquanto o contrário ocorre com os produtos de natureza mineral.

Esse trabalho, que forneceu a base da estereoquímica, revelou a linha de demarcação entre o mundo orgânico e o mineral.
Entre 1857 e 1863, Pasteur interessou-se pelo estudo dos fermentos e descobriu que uma substância inativa torna-se ativa sob a influência de uma fermentação.

Concluiu então que, se toda substância ativa provém da natureza viva, a fermentação é uma obra da vida. Analisou os processos de fermentação de diversas substâncias, entre elas o leite e o álcool, e constatou em definitivo que eram causados pela ação de microrganismos presentes no ar.
Rejeitou, assim, a tradicional teoria da geração espontânea e concluiu que as substâncias não se alteram quando protegidas do contato com os microrganismos que impregnam o ar.

Ao pesquisar as alterações do vinho e da cerveja, descobriu que o vinho se transforma em vinagre sob a ação do fermento Mycoderma aceti.
Para evitar a degeneração, criou o processo chamado pasteurização, que consiste em aquecer o líquido a 55o C, temperatura letal para a maioria dos microrganismos encontrados mas na qual se mantêm as propriedades da bebida.

O processo de pasteurização passou a ser usado na conservação de cerveja, leite e outras substâncias (com temperaturas variáveis segundo sua natureza), e tornou-se de importância fundamental para a indústria de alimentos e bebidas fermentadas.

A partir de 1865, Pasteur voltou-se para o estudo das moléstias contagiosas, também causadas pela ação de microrganismos.
Descobriu os agentes da pebrina, doença do bicho-da-seda que causava grandes prejuízos aos sericicultores franceses, e do carbúnculo hemático, doença infecciosa do gado e transmissível ao homem, contra a qual obteve imunidade mediante a inoculação de microrganismos com virulência atenuada.

Nos últimos anos de pesquisa, Pasteur obteve os mais importantes resultados de sua produção científica. Identificou a bactéria estafilococo como causadora da osteomielite e dos furúnculos, e a estreptococo, da infecção puerperal.

Após 1889 produziu duas vacinas essenciais para proteger o homem de agentes patogênicos: contra a raiva ou hidrofobia, uma doença mortal, e contra a cólera das galinhas.

Sua contribuição foi essencial na evolução da medicina preventiva, dos métodos cirúrgicos (com a prevenção das infecções), das técnicas de obstetrícia e dos hábitos de higiene.

O cientista fez carreira acadêmica brilhante. Membro da Academia das Ciências, da Academia de Medicina e da Academia Francesa, fundou e dirigiu em Paris o Instituto Pasteur que, criado em 1888 por subscrição internacional, se tornou um dos mais importantes centros mundiais de pesquisa científica.

Pasteur foi um constante defensor da adoção de medidas profiláticas para evitar doenças contagiosas causadas por agentes externos e viu vitoriosas muitas de suas idéias antes de morrer em Saint-Cloud, nos arredores de Paris, em 28 de setembro de 1895.

Fonte: www.enciclopediaescolar.hpg.com.br

Louis Pasteur

A família mudou-se para Arbois quando Pasteur tinha de três a cinco anos de idade. Ele foi uma criança normal sem prenúncios de vir a ser um grande e respeitado cientista. Além dos estudos, ocupava-se, também, com pinturas e desenhos para as quais demonstrava ter grande habilidade. No colégio Real Besançon completa sua educação secundária. Em seguida foi estudar em Paris, no famoso "Liceu Saint-Louis" e também assistir as famosas palestras proferidas por Monsieur Dumas na Universidade de Sorbonne. Em 1842 é admitido na Escola Superior de Paris e em 1843 na "École Normale" onde iniciou seus estudos sobre os cristais. Em 1847 completa o curso de doutorado e no ano seguinte divulga as primeiras descobertas sobre a assimetria dos cristais, recebendo mais tarde um prêmio de 1.500 francos pela síntese do ácido racêmico. Em 1848 desencarna Jeanne Etiennette, sua mãe.

Em 1849 é nomeado Conferencista de Química da Universidade de Estrasburgo e casa-se com Marie Laurent. Em 1850 nasce sua primeira filha Jeanne, em 1851 seu filho Jean-Baptiste e em 1853 sua filha Cecile. Em 1854 foi nomeado Prof. e Diretor da Faculdade de Ciências de Lille. Nessa cidade começa estudos sobre a fermentação Láctea e os problemas que envolviam a fabricação do álcool, do vinho e do vinagre.

Em 1857 foi nomeado Administrador e Diretor dos Estudos Científicos da "École Normale", manteve o cargo até 1867. Em 1858 nasceu sua filha Marie Louise. Montou seu primeiro laboratório na "École Normale". A bondade intrínseca de Pasteur. Sua crença no Infinito. Os ataques dos antagonistas. A cooperação da esposa.

No ano seguinte inicia estudos sobre a geração espontânea e descobre a vida anaeróbia. Em 1862 é eleito membro da Academia de Ciências de Paris. No ano seguinte nasce sua filha Camille. Pasteur perdeu três dos cinco filhos nascidos. Continua estudos sobre os vinhos, pasteurização e sobre a doença do bicho-da-seda. Jean Joseph, seu pai, o seu melhor amigo, desencarna em 1865. Divulga " Estudos sobre os Vinhos". Em 1867 é indicado como Professor de Química da Sorbonne. Invenção da Pasteurização. Em 1868 sofre um derrame cerebral. Continua estudos sobre os bicho-da-seda. Em 1871 inicia estudos sobre os problemas da cerveja. Dois anos depois é eleito para a Academia de Medicina. Os microorganismos, os micróbios e as doenças específicas. As descobertas de Robert Koch. Outros cientistas. Princípios da soroterapia.

Em 1877 Pasteur divulga os primeiros trabalhos sobre o antraz. Em 1878 realiza estudos sobre a gangrena, septicemia e febre puerperal. Publica sua Teoria dos Germes e suas aplicações na medicina e na cirurgia. Em 1879 estuda a cólera das galinhas. Descoberta das culturas atenuadas. O incansável cientista no ano de 1880 inicia seus estudos sobre a raiva, um dos mais difíceis para ele e sua equipe.

Pasteur começa a colher os frutos dos seus esforços, dos seus trabalhos. As vacinas atenuadas são grande vitória. Em 1881 é eleito membro da Academia Francesa. "Ser um dos quarenta parecia-lhe honra excessiva". Vigiava-se para não se deixa empolgar pelas vitórias. Sessão solene para a recepção de Pasteur na Academia Francesa no dia 27 de abril de 1882. Dia de emoção. Experiência na fazenda Pouilly-le-Fort com a vacina contra o antraz. Vacinação contra a cólera das galinhas e a febre esplênica. Continua estudos sobre a raiva. Pasteur no Congresso de Medicina em Londres onde é ovacionado.

Continua os estudos sobre a cólera e as experiências sobre a vacinação anti-rábica nos anos de 1883 e 1884. Em 1885 vacina o menino Joseph Meister, de 9 anos e Jean Baptiste Jupille o jovem herói que lutou e matou um cão com a raiva, que o atacara. Foram os primeiros seres humanos vacinados contra a raiva. Vitória de Pasteur, os dois foram salvos. Em 1886 trata de dezesseis russos mordidos por um lobo com a raiva.. Todos foram salvos.

Em 1887 Pasteur sofre um segundo derrame. Em 1888 foi inaugurado o Instituto Pasteur de Paris. Em 1889 a nova Sorbonne é inaugurada.

Sem nunca ter parado de trabalhar Pasteur chega aos seus 70 anos. Jubileu comemorado na Sorbonne. Joseph Lister, cirurgião inglês, o homenageia. Presidente da França, Sadi Carnot, presente. O discurso do homenageado. Elogios, aplausos, discursos, presentes.

Em 1894 nos laboratórios do Instituto Pasteur é descoberta a vacina contra a difteria.

Desencarnação de Pasteur, em Villeneuve l'Etang, no dia 28 de setembro de 1895, com 72 anos de idade. Seu corpo repousa na "Chapelle Funéraire" do Instituto Pasteur de Paris.

Pasteur retorna à Pátria Espiritual. Partiu da sua querida França em busca das recompensas celestes e de novos trabalhos, de novos afazeres. A estatura espiritual de Pasteur. Mensagem do "Irmão Humilde". A chegada do Espírito Pasteur à Federação Espírita do Estado de São Paulo - FEESP. A implantação dos Trabalhos a partir de 1936.

Todos os trabalhos fundamentados nos ensinos do Cristo Jesus.

As Escolas da FEESP. Bezerra de Menezes, na Espiritualidade prepara os trabalhadores espirituais para os avanços da medicina, que estavam por chegar. Como Patrono da CASA, é responsável pelo seu bom andamento de modo geral e com a ajuda de MARIA, sua grande protetora vem alcançando os seus mais importantes objetivos. É o Grande Mentor das Escolas da Federação. Edgar Armond, o grande colaborador.

Em 1940 são criados os Trabalhos Especializados denominados PASTEUR. Esses trabalhos cobrem com a Assistência Espiritual uma gama imensa de necessidades. A especificação de cada um deles.

As necessidades humanas. A importância de aprender com Jesus e o respeito às Diretrizes Divinas. Os trabalhos do DEPOE e do DEPASSE. O amparo de Jesus. Manancial de Recursos e o trabalho de Pasteur. Uma vida dedicada aos semelhantes.

Fonte: www.feesp.com.br

Louis Pasteur

A primeira descoberta científica de Louis Pasteur

O físico francês Jean Baptiste Biot descobriu que alguns líquidos eram opticamente ativos, isto é, giravam a direção da polarização da luz que passava por eles. Em analogia com o caso do quartzo, Biot supôs que isso se devia a uma assimetria nas moléculas do líquido. Aí, surgiu um caso intrigante com o ácido tartárico, que é obtido das uvas (coisa de francês). Algumas soluções de ácido tartárico eram opticamente ativas mas, outras não eram. Essas soluções inativas (não modificavem a polarização da luz) eram chamadas de "racêmicas". Do ponto de vista de todas as outras propriedades físicas e químicas, porém, os dois tipos de solução eram inteiramente idênticos.

Louis Pasteur em seu laboratório
Louis Pasteur em seu laboratório

Quem resolveu esse enigma foi o jovem Louis Pausteur (22 anos, na época), que depois ficaria famoso por suas vacinas. Primeiro ele evaporou o material para obter um precipitado com cristais de ácido tartárico. Olhando esses cristaizinhos no microscópio ele descobriu algo surpreendente. Os cristais que vinham da solução opticamente ativa eram todos iguais. Mas, os cristais que vinham da solução racêmica, opticamente inativa, eram de dois tipos. Examinando com cuidado, ele viu que esses cristais eram enantiomorfos - um tipo era a imagem do outro.

Tipo L | Tipo D
Tipo L | Tipo D

Com muita paciência e cuidado, Pasteur conseguiu separar os dois tipos de cristais obtidos na solução racêmica. Depois, preparando uma solução de cada tipo de cristal, separadamente, obsrvou que ambas eram opticamente ativas. Só que uma girava a polarização da luz em um sentido e a outra girava no sentido oposto! Dai, foi fácil concluir que a solução racêmica não era ativa porque continha cristais, em igual número, girando a polarização em sentidos opostos. Uns anulavam o efeito dos outros.

O velho Biot, ao saber desse resultado, levado a ele pelo próprio Pasteur, ficou emocionado. Sua hipótese fora brilhantemente comprovada pelo jovem cientista. Essa foi a primeira grande descoberta de Louis Pasteur e tornou seu nome conhecido na comunidade científica. Dez anos depois ele faria outra descoberta na mesma área e avançaria no entendimento da quiralidade das moléculas biológicas. É o que veremos na seção seguinte.

Fonte: www.seara.ufc.br

voltar 1234avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal