Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Oh Como Se Me Alonga, De Ano Em Ano (Sonetos De Luís Vaz De Camões)  Voltar

Oh como se me alonga, de ano em ano

Sonetos de Luís Vaz de Camões

Oh! como se me alonga, de ano em ano,

a peregrinação cansada minha!

Como se encurta, e como ao fim caminha

este meu breve e vão discurso humano!

Vai se gastando a idade e cresce o dano;

perde se me um remédio, que inda tinha;

se por experiência se adivinha,

qualquer grande esperança é grande engano.

Corro após este bem que não se alcança;

no meio do caminho me falece,

mil vezes caio, e perco a confiança.

Quando ele foge, eu tardo; e, na tardança,

se os olhos ergo a ver se inda parece,

da vista se me perde, e da esperança

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal