Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Quando A Suprema Dor Muito Me Aperta, 1685-1668  Voltar

Quando a suprema dor muito me aperta (1685-1668)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

Quando a suprema dor muito me aperta,

se digo que desejo esquecimento,

é força que se faz ao pensamento,

de que a vontade livre desconserta.

Assi, de erro tão grave me desperta

a luz do bem regido entendimento,

que mostra ser engano ou fingimento

dizer que em tal descanso mais se acerta.

Porque essa própria imagem, que na mente

me representa o bem de que careço,

faz-mo de um certo modo ser presente.

Ditosa é, logo, a pena que padeço,

pois que da causa dela em mim se sente

um bem que, inda sem ver-vos, reconheço

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal