Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Luta Greco-Romana  Voltar

Luta Greco-Romana

 

Luta Greco-Romana
Luta Greco-Romana

História

O homem sempre teve de defender sua paz de terra, rio, lago, animal, etc. mortos até a luta no sentido utilitário sempre foi um meio de sobrevivência, auto-defesa.

Em tempos mais recentes a luta começou a desempenhar um papel crucial na aplicação da preparação física dos guerreiros.

As lutas atingiram verdadeiro desenvolvimento na Grécia antiga.

Tem sido amplamente exibido na literatura grega e nas obras de arte.

O fato das lutas, após a execução, na Grécia foi incluída no programa de algumas das primeiras (pouco depois do ano 776 aC).

Os Jogos Olímpicos também comprova a importância e popularidade deste tipo de esporte.

Em pentatlo grego clássico (corrida, lançamento do dardo, disco, saltos, lutas) era apenas lutas que tornou um tipo do programa original dos esportes.

Mais tarde, luta entrou no Pancrácio - uma conexão com brigas de combate - como já é o terceiro de seu tipo nos Jogos Olímpicos antigos.

O amor das pessoas para competições na Grécia antiga gerou enormes óculos.

Apareceu em competições profissionais específicos (correr, saltar, lutas, brigas de batalha). O profissionalismo foi vividamente demonstrado especialmente em lutas, porque a luta livre foi o espetáculo mais popular, e os lutadores - profissionais treinados em escolas especiais.

Tendo conquistado a Grécia, Roma dominou a cultura grega.

As lutas em Roma também se tornaram um dos espetáculos circenses mais populares, e os vencedores se tornaram ídolos da torcida.

A luta foi mostrado em Roma, também em conjunto com brigas, e de batalhas de gladiadores - com luta armada.

Com o advento do cristianismo esses tipos de luta veio gradualmente a diminuir, no final do século IV aC escolas de todos os gladiadores públicas foram fechadas e os Jogos Olímpicos deixaram de existir.

Apesar disso, as lutas permanecerem um entretenimento amado e popular durante os anos sombrios da Idade Média.

No final do XVIII - início do século XIX moderna luta greco-romana começou a sua formação.

As principais regras foram estabelecidas na França, onde luta naquela época era especialmente popular em áreas rurais e urbanas.

Por causa do grande interesse causado por competições 'lutadores, os atletas começaram a agir em circos itinerantes, jardins de verão, lugares para passeio e entretenimento.

Mais tarde, em toda a cidade, na França, e, em seguida, campeonatos mundiais foram organizadas.

Boa organização do campeonato estabeleceram uma ampla publicidade da luta profissional e um sucesso extraordinário.

Em 1848, em Paris apareceu as primeiras fases, em que lutadores profissionais atuaram.

Lutadores de outros países (alemães, italianos, turcos, russos ...) começou a vir para a França, para participar nestes campeonatos, para se familiarizar com a sua organização, as regras de concorrência.

Posteriormente, eles começaram a organizar este tipo de competição em seus próprios países.

Como resultado, a luta francesa ganhou reconhecimento internacional, mas em seu título soou o nome do país que tem feito este tipo de luta.

Naturalmente, luta no mundo vem sendo desenvolvido em diferentes direções.

Na Europa ampla disseminação receberam a luta Francês (greco-romana), na Ásia, Leste, na América - luta livre.

Em 1896 a luta francesa foi incluído no programa dos primeiros Jogos Olímpicos da era moderna.

O Comitê Olímpico Internacional deu um nome oficial - luta greco-romana, para mostrar a natureza internacional deste tipo de desportos.

Os primeiros Jogos foram 5 pessoas, que representavam quatro países (dois eram da Grécia, três para a Alemanha, Hungria e Grã-Bretanha).

Não houve divisão dos lutadores em categorias de peso nesses Jogos.

Desde então, a luta greco-romana, com excepção de dois Jogos Olímpicos (1900 e 1904 anos) sempre foi uma parte das competições olímpicas.

Em 1912 combate federação internacional (FILA) foi fundada. Hoje é uma das maiores e mais influentes organizações desportivas.

Em relação ao título, em diferentes anos, este tipo de luta livre foi dado muitos nomes: profissionais conhecidos como sua "luta francês", amantes - "greco-romanos".

Em nosso país, em 1948, o Comitê All-União de Cultura Física e Esporte aprovou os seguintes nomes para certos tipos de desportos de combate: luta francês ou greco-romana ficou conhecido como "estilo clássico".

Em greco-romana aquisições delutas limitados parte superior do corpo, e os participantes não têm o direito de usar truques com as ações das pernas.

Na tomada estilo livre de qualquer parte do corpo é permitido, também detém perna e recortes.

Até 1950 em competições internacionais na luta greco-romana dos mais bem sucedidos eram representantes da Finlândia e da Suécia, os lutadores da Hungria e Turquia têm procurado repetidamente o sucesso.

Quando em 1952 os lutadores soviéticos entraram na arena, especialistas tradicionalmente começou a chamá-los os mais fortes, os atletas russos agora (apesar da declaração infeliz em Atlanta). Também fortes são Cuba, Alemanha, Ucrânia e Polônia.

O programa dos Jogos Olímpicos em 1996, em competições de luta greco-romana passou a essas categorias de peso: até 48 kg, a 52 kg, para 57 kg, para 62 kg, 68 kg, 74 kg para, a 82 kg, para 90 kg, a 100 kg, a 130 kg.

Como é determinado o vencedor?

Rodada termina quando a queda é contado, o lutador coloca o adversário em ambas as asas sobre o tapete (pelo menos para metade de um segundo). A vantagem de 10 pontos de um dos lutadores também leva para acabar com a luta.

Além disso, a vitória é contado se o lutador marcou mais pontos no final do jogo cinco minutos ou o seu adversário foi ferido ou desqualificado.

Se nenhum dos lutadores não teve mais de três pontos, ou que têm um número igual de pontos, tempo adicional é dada.

Depois de uma perda de o atleta se aposenta da luta pelo "ouro", mas poderia, eventualmente, ser o candidato a uma medalha de bronze.

A luta como uma forma de entretenimento e expressão de força e coragem sempre foi popular na Rússia. Foi a diversão mais bela em todos os feriados.

Ao longo do tempo, estas espécies deram lugar ao modo principal da luta livre russa - a luta cinto.

Nesta forma de luta livre, segurando com as duas mãos sobre o cinturão do adversário, um teve que jogar o oponente de costas sem o uso de plataformas e recortes.

O desenvolvimento amplo da luta profissional que recebeu durante a emergência da Rússia mostra que viajam, faziam parte do circo.

Desde 1860 que as lutas de cinto se tornou uma parte integrante do programa de circo, os lutadores competiram não só na luta, mas também em vários exercícios com gravidade.

Como em outros países, as lutas se tornaram um esporte na Rússia e foi reconhecida no final do século XIX.

Em 1885, no primeiro "clube de fãs de esportes de levantamento de peso" de São Petersburgo Rússia foi fundada.

Seguindo os clubes St. Petersburg de fãs de luta livre foram criados em Moscovo, Kiev, Riga e outras cidades da Rússia.

Em 1896 A sociedade Atlético Carta Petersburg foi aprovado, e um ano mais tarde, em 1897, em São Petersburgo, o primeiro campeonato amador de lutas amador russo foi realizada, e esta data é considerada o início do desenvolvimento da luta livre desporto amador na Rússia .

Um grande papel no desenvolvimento da luta amadora foi jogado por luta profissional.

A própria luta profissional foi quase desprovida de conteúdos desportivos.

Os resultados das lutas e da distribuição de prêmios durante campeonatos foram principalmente pré-planejado pelos empresários.

Participantes para os campeonatos foram escolhidos para que eles interessava seus espectadores e apaziguar seus gostos não muito exigentes.

A luta profissional foi em geral um desempenho teatral e um bom meio de agitação de fãs.

A partir da lista de lutadores profissionais se tornou especialmente famoso Ivan Poddubny, seis vezes campeão do mundo, também eram populares tais lutadores como Ivan Shemyakin, Ivan Zaikin, Nikolai Vahturov etc.

Por um longo período de tempo, a luta como uma espécie de esportes na Rússia não foi apresentado por qualquer organização.

Realizada em 1897, 1898, 1899 os campeonatos da Rússia foram suspenso, e desde 1900-1912 os campeonatos na Rússia não teve lugar.

Só em 1913 uma União halterofilismo russo foi criado e reuniu o trabalho de 16 cidades na Rússia. É cultivada a luta.

Esta União retomou o campeonato do país.

Em 1913, em Riga foi realizado o quarto campeonato da Rússia.

Os próximos campeonatos foram realizados em 1914, em janeiro de 1915, e no final de 1915, em Moscou, o último - foi realizada sétimo campeonato da Rússia pré-revolucionária.

Lutadores russos, que primeiro tomaram parte nos Jogos Olímpicos IV em 1908, em Londres, alcançou um sucesso notável.

Na luta greco-romana N. Orlov (Welterweight, 25 participantes de 10 países), ganhou uma medalha de prata olímpica, A. Petrov (peso pesado, 7 participantes de 4 países) também o II ocorreu. Pela primeira vez, a Rússia participou oficialmente no seguinte, Jogos Olímpicos de V em 1912 em Estocolmo.

Estes jogos para a Rússia foram infelizes, apenas M. Klein (peso médio 38 participantes de 14 países) ganhou o "prata" Olympic.

Até o início da Primeira Guerra Mundial, havia cerca de 20 organizações desportivas na Rússia, cultivando luta, o número total de fãs era de cerca de 250-300 pessoas. Após a Primeira Guerra Mundial, a Revolução de Outubro e da guerra civil o primeiro campeonato da URSS na luta clássica foi realizada apenas em 1924. 40 atletas participaram. Um dos campeões foi Vladimir Ivanov, o autor de um dos primeiros livros didáticos, que foi chamado de "A luta Francês" e foi emitido em 1929. V. Ivanov foi também um dos primeiros professores de luta no Instituto Central de Cultura Física em Moscou (agora a Academia de Cultura Física). B. Ivanov fez subir famoso na década de trinta lutadores G. Pylnov e A. Katulin.

Também deve ser mencionado o fato de que o desenvolvimento de cada esporte está intimamente ligado com as regras da concorrência. Só em 1914 halterofilismo russo União aprovou a luta internacional, e desde esse ano todas as competições foram realizadas em cinco características de peso (leve, leve, médio, meio-pesado e pesado). Antes disso não havia regras uniformes, e até mesmo nas mesmas competições cidade poderia ocorrer de diferentes maneiras.

As primeiras novas regras foram URSS foi aprovado e publicado em 1924 e que no mesmo ano o primeiro campeonato de países realizou-se, na URSS as competições de luta clássico começou regularmente tomar lugar apenas a partir de 1933.

Na história das relações internacionais e competições de nossos lutadores havia dois períodos - o primeiro - 1924-1946, quando houve a participação ocasional em competições internacionais na Finlândia, Suécia e outros países escandinavos.

Após a entrada oficial da Federação Soviética em FILA em 1947, na equipe nacional o mesmo do país ano teve lugar no primeiro campeonato europeu na luta clássica em Praga.

Em 1952, XV nos Jogos Olímpicos de Helsínquia lutadores soviéticos em um golpe ganhou quatro medalhas de ouro olímpicas, uma de prata e duas de bronze.

Isto permitiu-lhes tomar as classificações lugar da equipe do premier. No total, a partir de 1952, representantes da URSS e, em seguida, a Rússia ganharam 38 medalhas de ouro olímpicas na luta greco-romana. O mais titular - bicampeão olímpico e campeão mundial cinco Valery Ryazantsev, bicampeão olímpico Alexander Kolchinsky, um triplo campeões olímpicos e campeões mundiais Anatoly Kolesov e Mikhail Mamiashvili, campeão olímpico e campeão mundial cinco Nikolay Balboshin, o único campeão olímpico triplo e seis mundiais Alexander Karelin campeão, premiado com um herói condecorações estatais da Rússia.

Luta Greco-Romana
Luta Greco-Romana

Origem da luta livre

Todas as histórias que envolvem as origens das diversas artes marciais e lutas (antigas), curiosamente se iniciam da mesma maneira.

Assim, dizem os textos: "...a luta livre, a mais antiga de todas..."

Aparecendo sempre um período de clandestinidade, de luta pela sobrevivência com todos os ingredientes de um épico, que consegue ultrapassar os séculos e chega até os dias de hoje.

Tudo é muito parecido, sendo os relatos mais antigos da faixa de 3000 anos ( 1000 a.c ). Com a luta livre, a origem é bem diferente ( a única modalidade de luta que nasceu no ocidente), não existem regiões escondidas, príncipes e guerreiros e nem influências, inspirações etc. A história é muito mais simples, a luta nasceu em cada lugar onde o homem apareceu.

E junto com ele se desenvolveu ela nasce " livre" como diz o próprio nome, sem adereços ou complementos em consonância com a própria natureza; o homem sempre lutou e continuará lutando até o fim dos séculos.

No começo da história humana os homens primitivos, a semelhança dos animais também "brincavam" de lutar como até hoje fazem os filhotes de felinos, por exemplo.

Além do componente lúdico, existia também um aprendizado imprenscindível, a sobrevivência onde os mestres eram aqueles que os haviam gerado...portanto não pode haver dúvida que a luta é o mais antigo desporto e especificamente a "luta livre", a "mãe" de todas as outras modalidades de combate corporal.

Assim, em cada canto da terra a luta surgia se adaptando as condições e costumes locais aos quais se rendia para poder sobreviver e continuar seu inexóral destino.

A primeira menção escrita ( em caracteres cuneiformes) que se tem registro, data da época dos sumérios aproximadamente 4000 a.c. onde no " poema de gilgamesh" um rei descreve uma luta em detalhes.

mais tarde no antigo egito, nas tumbas da 5a dinastia 2470 a.c. aparecem muitos desenhos de luta onde modelos ás vezes eram crianças, o que garante o componente esportivo e didático da atividade e pasmem ( ! ) as posições mostradas são muito parecidas com as de hoje...

" a luta ( submission grappling ) praticamente foi amassada pelo imenso sucesso das "olímpicas", tendo vivido no mundo alternativo durante muito tempo. Naquele mundo se apoiou também nos praticantes da chamada luta profissional ( catch, pró - luta, etc. ) a famosa " marmelada" e de amadores das lutas de kimono que eventualmente treinavam sem o "paletó"; um dos maiores centros de prática da luta era o brasil onde entretanto não havia aquelas condições necessárias ao perfeito desenvolvimento.

As condições são bastante claras e simples: existirem pessoas que possam viver da luta e haver competições, mesmo assim as coisas caminharam e o brasil se tornou uma força na luta mundial embora até hoje sem a organização que se faria necessário.

Japão e estados unidos, caminharam juntos também sem entretanto atingir o nível do brasil; um dos fatores que mais alavancaram a luta, foi o ressurgimento do "vale tudo" ( no holds barred" ou "mixed martial arts" ) com diversos eventos importantes no brasil, estados unidos e japão.

No brasil, observei que até 1960 o conhecimento da luta livre era incipiente ou deformado, pois mais de 80% dos praticantes eram halterofilistas ou remadores, só eram conhecidas umas poucas técnicas como chaves de braço, gravatas de frente ( atualmente guilhotina ) etc...

Em vinte anos ficou patente que a situação mudou e novas escolas surgiram, com novos métodos de ensino.

A " inteligência", e a " habilidade, a verdadeira técnica começaram a ocupar o seu espaço e naquela oportunidade eu graças a minha compleição física ( pequeno, leve, embora forte ) tive a imensa felicidade de poder colaborar efetivamente com aquele desenvolvimento.

O " truque" foi enfrentar os fisicamente privilegiados com sucesso, pois os praticantes daquela época só entendiam a linguagem " do fazer", por outro lado aquela fase foi um excelente laboratório que dá frutos até hoje.

Mais dez anos se passaram e o brasil começou a exportar seus talentos, sendo o grande catalisador do desenvolvimento os outros centros; a luta livre nestes últimos 15 anos cresceu em técnica reduzindo o impacto da força e condicionamento físico, consequentemente aumentando o seu refinamento exatamente no sentido contrário do que aconteceu com outras modalidades, especialmente a praticada com kimono ( jiu- jitsu, judo ) .

Para comprovar é só conhecer os campeões atuais daquelas modalidades e constatar a compleição física de cada um e como eles atuam. A história de " arte suave", " caminho suave" já ficou para trás e os próprios dirigentes confirmam o que estou dizendo ao classificar de "master" um atleta de apenas 30 anos( ! ).

Felizmente na luta livre, a história é outra cada vez mais os praticantes se interessam pela técnica procurando se apoiar nela para poder enfrentar aqueles que se apoiam exclusivamente no vigor físico e na violência...

 

Luta Greco-Romana
Luta Livre

Tem-se registro de que a Luta Livre era praticada na antiga Babilônia e no Antigo Egito.

Tem-se registro também de que a luta livre era praticada no antigo Japão, China e na Antiga Pérsia.

E temos alguns historiadores que dizem que desde 1300 A.C. Já se praticava Luta Livre.

Foram os gregos que foram responsáveis pela arte marcial Pancrácio, que após adaptada a esporte olímpico, popularizou a Luta Livre como um esporte competitivo. Por isso a Luta Olímpica Antiga é hoje conhecida como Luta Greco-Romana.

Estilo

O estilo de luta Olimpica que foi difundido no fim do século 19 nos USA e no Reino Unido é o estilo conhecido como Catch-as-Catch, algo que se traduzissimos seria “agarra-agarra” mesmo. Surgindo como um estilo não ortodoxo da luta Greco-Romana elas se diferem pelo estilo de agarrões que são permitidos.

Enquanto na luta Greco-Romana você não pode agarrar abaixo da linha da cintura, no estilo Catch-as-Catch você pode fazer agarrões em qualquer lugar do corpo podendo ser agarrada até as pernas do oponente. Tanto o Catch-as-Catch como a Luta Greco-romana foram considerados esportes legítimos tanto profissionalmente como em critérios amadores.

No século XIX uma forma modificada do Catch-As-Catch foi introduzida é o que conhecemos hoje como Luta Livre Profissional ou como é chamada aqui no Brasil o Tele-Catch. Porém essa mudança não foi significativa até o final da Segunda Guerra Mundial, e ainda hoje podemos ver lutas com variações do Catch-as-Catch e da Luta Greco-Romana na Luta Livre atual.

O que é

A luta livre é o termo utilizado no Brasil para o Wrestling.

No Brasil, o termo pode significar-se também Luta Livre Esportiva. Uma variação popular existente entre o Wrestling e a Luta livre é a MMA.

A Luta Livre é disputada oficialmente desde 1904.

Ao contrário do que acontece na luta greco-romana, a primeira a fazer parte do programa olímpico, na Luta Livre os lutadores podem usar também as pernas e segurar os adversários acima ou abaixo da cintura.

São basicamente estas as diferenças entre os dois tipos de luta:

O tapete (ou tatame) tem 12 metros de largura por 12 de comprimento, mas a luta ocorre numa área de 7 metros de largura por 7 metros comprimento. Os pontos são ganhos de acordo com cada golpe dado ao lutador adversário.

Os "golpes baixos" (pisar o pé, segurar o pescoço do adversário, dar cotoveladas, joelhadas, puxar o cabelo, pele, orelhas, genitais ou roupa do oponente) são punidos com perda de pontos.

A luta é travada em 3 "rounds" de três minutos com um intervalo de 30 segundos entre eles. Vence quem alcançar mais pontos no final dos dois "rounds". Além da vitória por pontos, os lutadores podem terminar a luta se conseguirem levar os ombro do adversário ao chão por 10 segundos.

História e Filosofia

A luta livre tem sua origem na Grécia Antiga. Assim como o pancrácio, a luta livre também era um esporte importante nos festivais gregos. Era parte do Pentatlo na Grécia Antiga, um campeonato atlético que também incluía corrida, saltos, lança e lançamento de discos. Os gregos reconheciam a luta livre como uma excelente forma de desenvolver a destreza física e mental. Este apreço pela modalidade fez com que passasse a ser um esporte oficial nos Jogos Oímpicos a partir de 704 b.C. As competições de luta livre são até mencionadas na literatura grega, incluindo a Odisséia de Omero, que data de 800 a. C.

A moderna luta greco-romana foi desenvolvida na França no início do século 19, e era parte do treinamento dos soldados de Napoleão. Em sua versão moderna, a luta livre é mais um esporte que uma arte marcial. Não se deve confundi-la com a luta livre, pois a luta grego-romana segue um estilo rigidamente centrado na parte superior do corpo, em que o competidor pode usar somente os membros superiores e atacar o oponente acima da cintura. O objetivo é imobilizar os dois ombros de um adversário até a rendição.

A luta greco-romana integra os Jogos Olímpicos modernos desde 1896, mas a luta livre e a greco-romana têm entrado em declínio nos últimos anos. Muitas escolas e faculdades retiraram o esporte do currículo, e a técnica corre o risco de ser eliminada dos Jogos Olímpicos devido à modificações em sua estrutura.

Movimentos da luta greco-romana

A luta greco-romana tem um estilo e uma técnica únicas, quando comparada a outras formas de luta.

Uma característica da luta greco-romana são seus golpes espetaculares. A luta com as mãos – a habilidade de controlar e manipular as mãos e braços do adversário – assim como os golpes com os punhos, ou a luta para ganhar vantagem durante uma contração dos membros superiores, são movimentos empregados pelos lutadores greco-romanos durante uma disputa.

Qual a diferença entre a luta Greco-Romana e a Livre?

A resposta é bem simples, a única diferença é que na Greco-romana, só se pode agarrar o oponente da cintura para cima; na livre, como seu nome já diz, vale o corpo inteiro.

Fonte: www.discoverybrasil.com/sparta-club.org/capivaravoadora.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal