Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Mama-Cadela - Página 2  Voltar

Mama-Cadela

Brosimum gaudichaudii

Mama-Cadela

A mama-cadela (mamica-de-cadela, mururerana, irerê, algodão-doce, algodãozinho) pertencente à família das Moráceas é uma árvore encontrada nas regiões de Cerrado do Brasil. Possui tronco sinuoso e irregular com casca acinzentada e espessa podendo atingir

até 8 m de altura. As folhas são rígidas com manchas esbranquiçadas na face inferior. As flores são aglomeradas em uma haste de formato arredondadas presa no ponto de inserção das folhas, nos ramos. A floração é variável concentrando-se nos meses de agosto a novembro.

O fruto é pequeno, preso à haste carnosa formando uma estrutura globosa, de coloração alaranjada quando maduro. A árvore é de espécie silvestre e propaga-se através de sementes.

A mama-cadela é espécie espontânea e muito difundida no domínio dos cerrados do Brasil Central, ocorrendo em formações arbóreas de bom porte.

Recebe este nome pela maneira com que os frutos da mama-cadela ficam pendurados ao longo dos ramos da árvore: dispostos um ao lado do outro, em galhos compridos, quase horizontais, os frutos da mama-cadela fazem lembrar, na verdade, a disposição das tetas na barriga de uma cadela.

Para estreitar ainda mais essa semelhança, é freqüente verem-se pequenos animais do cerrado subindo sobre as patas traseiras para poderem alcançar e sorver do sumo da mama-cadela, cena que se assemelha à de filhotes querendo mamar.

Quando maduros, os frutos da mama-cadela passam de verde-escuro para amarelo forte, quase alaranjado, e contém uma boa quantidade de suco adocicado. Apesar de pequenos e de apresentarem uma polpa pegajosa, esses frutos são muito procurados por animais silvestres, especialmente pássaros e pequenos mamíferos.

As crianças, quando crescias em fazendas próximas a áreas de cerrado também costumam comer os frutos da mama-cadela, mastigando-os como goma de mascar até que reste apenas um resíduo macilento sem graça. Tal resíduo tem uma consistência e aparência semelhante às do algodão, da esponja ou da estopa e, por esse motivo, algodãozinho e algodão-doce são, também, outras de suas denominações populares.

ALMEIDA, S. P.; PROENÇA, C.E.B.; SANO, S.M.; RIBEIRO, J. F. Cerrado: espécies vegetais úteis. Planaltina: EMBRAPA –CPAC, 1998.

Fonte: www.4elementos.bio.br

Mama-Cadela

Nome popular: mamica- de- cadela; mururerana; irerê; algodão - doce; algodãozinho
Nome científico: Brosimum gaudichaudii Tréc.
Família botânica: Moraceae
Origem: Regiões de Cerrado do Brasil.

Mama-Cadela

Características da planta

Arvore com tronco sinuoso e irregular que pode atingir até 8 m de altura. Casca acinzentada e espessa. Folhas rígidas com pilosidade esbranquiçada na face inferior. Flores aglomeradas em uma haste de formato arredondado presa no ponto de inserção das folhas nos ramos. Floração variável concentrando-se nos meses de agosto a novembro.

Fruto

Pequeno, preso à haste carnosa formando uma estrutura globosa, de coloração alaranjada quando maduro. Frutifica de setembro a novembro.

Cultivo

Espécie silvestre, propaga-se através de sementes.

A mama-cadela é espécie espontânea e muito difundida no domínio dos cerrados do Brasil Central, ocorrendo em formações arbóreas de bom porte.

Essa fruta, também chamada de mamica-de-cadela, é pródiga de associações e lembranças, a começar por este seu nome, que é apenas mais uma entre suas várias denominações populares.

Para alguns autores, ao contrário do que poderia parecer, o nome mama-cadela não seria uma referência à semelhança de forma que esse fruto guardaria com a teta da cadela, uma vez que são bem diferentes.

Vegetal e animal aproximam-se pela maneira com que os frutos da mama-cadela ficam pendurados ao longo dos ramos da árvore: dispostos um ao lado do outro, em galhos compridos, quase horizontais, os frutos da mama-cadela fazem lembrar, na verdade, a disposição das tetas na barriga de uma cadela.

Para estreitar ainda mais essa semelhante, é freqüente verem-se pequenos animais do cerrado subindo sobre as patas traseiras para poderem alcançar e sorver do sumo da mama-cadela, cena que se assemelha à de filhotes querendo mamar.

Quando maduros, os frutos da mama-cadela passam de verde-escuro para amarelo forte, quase alaranjado, e contem uma boa quantidade de suco adocicado.

Apesar de pequenos e de apresentarem uma polpa pegajosa, esses frutos são muito procurados, especialmente pelas crianças, e costumam ser chupados, sorvidos e mastigados como goma de mascar até que reste apenas um resíduo macilento sem graça. Pimentel Gomes chega a afirmar que a mama- cadela é uma espécie de "chiclete natural".

Tal resíduo tem uma consistência e uma aparência semelhantes às do algodão, da esponja ou da estopa e, por esse motivo, algodãozinho e algodão-doce são, também, outras de suas denominações populares.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal