Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Mamona - Página 7  Voltar

Mamona

Lagartas

Diversas espécies de lagartas podem atacar a mamona, como: Spodoptera latifascia, Agrotis ipsilon, Elasmopalpus lignosellus e outras.

O controle pode ser feito com inseticidas sintéticos ou biológicos. Nem todas as lagartas observadas se alimentando das folhas da mamona podem ser consideradas pragas, pois muitas delas não causam prejuízo que justifique seu controle.

Lagarta na Mamona
Lagarta na Mamona

Ácaros (Tetranychus urticae)

Os ácaros não são insetos, mas sim aracnídeos. São pequenos, quase invisíveis a olho nu e são encontrados mais facilmente na face inferior da folha; alimentam-se da epiderme foliar, raspando a superfície da folha.

Os sintomas de seu ataque são inicialmente a perda de brilho e esbranquiçado da superfície da folha, evoluindo para pontos ou áreas amarelas e marrons, onde a folha seca. Com o auxílio de uma lupa, é possível ver os ácaros na face inferior da folha. Sob ataque muito intenso, ocorre formação de teias sob a folha ou até mesmo sob os cachos ou outras estruturas.

Ácaros na Mamona
Ácaros na Mamona

Controle de Plantas Daninhas

A mamoneira é muito sensível à competição das plantas daninhas e à alelopatia dessas ervas. Portanto, deve-se procurar deixar o campo sempre limpo para que se obtenha boa produtividade.

Deve-se procurar fazer o cultivo (a enxada ou com cultivador) o menos profundo possível, pois as raízes da mamoneira são muito superficiais e o corte dos implementos pode causar danos ao sistema radicular.

Há uma frase importante para o plantador de mamona: "deve-se plantar somente a área na qual se pode controlar as plantas daninhas".

Quer dizer, se um agricultor somente consegue controlar as plantas daninhas adequadamente em 3 hectares, não adianta plantar 6 hectares, pois a produção na área menor bem cuidada é maior que na área grande mal cuidada. Pelo menos duas limpas devem ser feitas, de preferência antes dos 60 dias após a emergência das plantas.

A tecnologia para controle de plantas daninhas com uso de herbicidas ainda não está bem estabelecida e não há produtos registrados para essa cultura no Brasil, embora já se estejam sendo conduzidos diversos experimentos sobre esse tema. Pelos resultados obtidos até o momento, herbicidas pré-emergentes, como trifluralina, são os mais recomendados.

Controle de plantas daninhas
Controle de plantas daninhas

Zoneamento da Mamona no Nordeste

A indicação dos municípios recomendados para o plantio da mamoneira (Zoneamento Agrícola) foi feita com base em três critérios:

a) altitude entre 300 e 1.500m sobre o nível do mar
b) precipitação pluviométrica de pelo menos 500mm
c) temperatura média do ar entre 20 e 30ºC

A inclusão de um município no Zoneamento Agrícola não é garantia da obtenção de boas produtividades e também não significa que os municípios não incluídos estejam proibidos de plantar mamona.

O Zoneamento Agrícola apenas aponta os locais onde esta espécie tem potencial para expressar seu potencial produtivo. O Zoneamento Agrícola é continuamente aperfeiçoado de forma a incluir as inovações tecnológicas, avanços científicos, novas cultivares etc. Analisou-se a ocorrência de chuvas em cada mês nos últimos 30 anos para sugerir uma melhor época de plantio para cada município zoneado.

Veja abaixo a lista dos municípios zoneados em cada estado:

Alagoas

Bahia

Ceará

Maranhão

Paraíba

Pernambuco

Piauí

Rio Grande do Norte

Sergipe

Fonte: www.cnpa.embrapa.br

Mamona

A mamoneira pertence à família Euphorbiaceae, que engloba vasto número de tipos de plantas nativas da região tropical. É uma planta de hábito arbustivo, com diversas colorações de caule, folhas, podendo ou não possuir cera no caule e pecíolo.

Os frutos, em geral, possuem espinhos e, em alguns casos, são inermes. As sementes apresentam-se com diferentes tamanhos, formatos e grande variabilidade de coloração.

Destas, extrai-se o óleo de mamona ou rícino, que contém 90% de ácido ricinoléico, o que representa uma fonte praticamente pura deste ácido graxo, fato raro na natureza.

Esse componente confere ao óleo de mamona ampla gama de aplicação industrial, inclusive como fonte alternativa de combustível, tornando a cultura da mamoneira importante potencial econômico e estratégico ao País.

Mamona

Cultivares

IAC 80 - cultivar de frutos deiscentes, porte alto, altura média de 2,50 a 3,50 m, ciclo vegetativo de 240 dias, potencial produtivo de 1.500 a 4.000kg/ha, quatro a cinco repasses de colheita, 47% de óleo nas sementes, peso de 100 sementes: 43 g; GUARANI - cultivar de frutos indeiscentes, porte médio, altura média de 1,80 a 2,00m, ciclo vegetativo de 180 dias, potencial produtivo de 1.500 a 4.000kg/ha, colheita única, 47% de óleo nas sementes, peso de 100 sementes: 43 g; IAC 226 - cultivar de frutos indeiscentes - porte alto, altura média de 2,50 a 3,50m, ciclo vegetativo de 180 dias, potencial produtivo de 1.500 a 4.000kg/ha, colheita única, 47% de óleo nas sementes, peso de 100 sementes: 34g.

Época de plantio: outubro a novembro. A medida que o plantio se afasta desse período há queda na produtividade.

Espaçamento

Variável conforme a altura da planta. Para cultivo de porte alto, cultura solteira, o espaçamento de 2,5 a 3,0m entre as plantas. A necessidade de sementes para um hectare de 3 a 4kg. O cultivar de porte médio Guarani deve ser plantado no espaçamento de 1 x 1 m ou 1,50 x 0,50m.

O gasto de sementes por hectare de 8 a 10kg. No espaçamento indicado, deve-se deixar, após a germinação, uma planta por cova.

Calagem e adubação: aplicar calcário dolomítico 90 dias antes do plantio, de acordo com a análise de solo, para elevar o índice de saturação por bases a 60% e o teor de magnésio a um mínimo de 4mmolc/dm3.

No plantio, aplicar 15kg/ha de N, 40 a 80kg/ha de P2O5 e 20 a 40kg/ha de K2O. Em cobertura, aplicar 30 a 60kg/ha de N, 30 a 40 dias após a germinação.

A mamona sensível à acidez do solo e exigente em nutrientes, apresentando boa resposta em produtividade à correção do solo com calcário e fertilizantes.

Controle da erosão

Plantio em nível

Tratos culturais

O crescimento da mamoneira lento, exigindo duas ou mais operações de cultivo mecânico ou manual para mantê-la livre de mato nos primeiros sessenta dias do desenvolvimento da cultura.

Sistema de produção

Os cultivares de porte alto são indicados para plantio em consorciação com culturas alimentícias e de ciclo curto, como milho, arroz, feijão, abóbora: plantar a mamoneira em fileira dupla, espaçando 1m entre as linhas e 1 m entre as plantas.

Deixar espaço de 4 a 5m entre as fileiras duplas de mamoneira, para outra cultura, de acordo com as recomendações técnicas. Esse sistema de produção possibilita aproveitamento racional da pequena propriedade, com aumento do rendimento por área.

Controle de pragas e doenças

Fusariose, bacteriose das folhas e mofo cinzento devem ser controlados com rotação de culturas, erradicação e queima das plantas. O mofo cinzento ocorre nas inflorescências e frutos e provoca o achatamento das sementes.

Pode ter a incidência diminuída quando se adotam espaçamentos mais largos em anos e/ou locais de pluviosidade alta, podendo também ser controlado com iprodione.

Quando se cultiva mamona em regiões em que predominam as culturas da soja e feijão, poder haver ocorrência do percevejo verde Nezara, porém não há inseticidas registrados até janeiro/95.

Colheita

No cultivar deiscente IAC 80, deve ser parcelada retirando-se os racemos do campo quando 70% dos frutos estiverem secos, completando-se a secagem no terreiro. Após a secagem, os frutos abrem deixando as sementes livres, e com abanação mecânica ou manual separam-se das cascas.

Os cultivares indeiscentes Guarani e IAC 226, possibilitam colheita única dos racemos já secos, dispensando a operação de secagem no terreiro. Entretanto, o descascamento obrigatoriamente mecânico, em descascadeira específica para este tipo de mamona.

Rotação de culturas

A mamoneira não deve ser plantada por mais de dois anos no mesmo local para se evitar aumento da incidência de doenças fúngicas, principalmente a fusariose, que quando ocorre durante a germinação, pode inutilizar a cultura. As culturas indicadas são: milho, amendoim, adubos verdes.

Recomendação geral

A mamoneira deve ser plantada em solos bem preparados, férteis e profundos, livre de compactação para possibilitar o desenvolvimento do sistema radicular profundo e denso.

A semeadura na profundidade de 5cm, semeando-se 2 sementes e deslocando-se uma planta após a germinação. A prática da capação ou desbrota da gema apical não deve ser realizada com os cultivares deiscentes, sob pena de queda na produtividade.

Fonte: www.agrov.com

voltar 123456789avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal