Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Manga  Voltar

Manga

 

Nome popular da fruta: Manga
Nome popular:
mangueira
Nome científico: Mangifera indica L.
Família botânica: Anacardiaceae
Origem: Ásia
Frutificação:
de outubro a março.

Manga
Manga

Características da planta

Árvore de grande porte que pode chegar até 30 m de altura com copa densa e frondosa.

Folhas coriáceas, de coloração avermelhada quando jovem e verde-escura posteriormente.

Flores pequenas alvas, róseas ou esverdeadas.

Fruto

De forma alongada, ovóide ou arredondada, casca esverdeada com manchas pretas, amarelas ou róseas quando maduro. Polpa carnosa, suculenta comestível, de coloração amarela ou amarelo-alaranjada, fibrosa em algumas variedades. Semente achatada de tamanho variável.

Cultivo

Aceitam qualquer tipo de solo, adaptando-se melhor em regiões de clima quente e chuvoso. O período ideal para o plantio é na estação chuvosa. A propagação é por sementes, mudas enxertadas ou alporque.

"No século XVI, quando os pomares não passavam de algumas raras fruteiras em torno de casas rurais, o imperador Akbar Mogul quereinou no norte da índia de 1556 a 1605, plantou mil mangueiras perto de Darbhanga. É um fato que demonstra o valor que, há tantosséculos, já merecia a mangueira num país de civilização várias vezes milenar. O pomicultor inglês Charles Maries, três séculos após,encontrou algumas daquelas árvores vivas e vigorosas. É um atestado insofismável da extraordinária longevidade da mangueira." FRUTICULTURA BRASILEIRA - Pimentel Gomes

A manga é fruta nativa da Ásia, mais precisamente da Índia, do sudeste do continente asiático e das ilhas circunvizinhas sendo, sem dúvida, um dos melhores e mais largamente aproveitados frutos de origem tropical.

Apesar de ser cultivada em suas regiões de origem há mais de 4 mil anos, sua introdução em outras terras foi muito lenta: a viagem das mangas pelo mundo iniciou-se apenas com a descoberta das rotas comerciais marítimas entre a Europa e a Ásia, no início do século XVI. Foram os portugueses, mais uma vez, que fizeram esse trabalho, levando as mangas, primeiro, para as costas leste e oeste da África trazendo-a, depois, para a América.

Apenas por volta de 1700, segundo Pimentel Gomes, o Brasil, ou melhor, a Bahia, recebeu as primeiras mudas de mangueiras indianas. Dali, foram para o México no século XIX, de onde atingiram a região da Flórida.

Os deliciosos e excelentes frutos das mangueiras são cultivados, atualmente, em todos os países da faixa tropical e equatorial do globo.

No Brasil, a fruta foi amplamente disseminada. De acordo com Pio Corrêa, a mangueira foi a árvore asiática que melhor se adaptou ao clima brasileiro, produzindo inúmeras variedades, tornando-se quase obrigatória na paisagem do norte e do nordeste do país, e sendo facilmente encontrada em cultivo na Amazônia e nas regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Quem nunca viu no Brasil, por exemplo, um pé carregado de mangas ser o alvo predileto das traquinagens da molecada, levando seus proprietários ao desespero? Qual a criança do interior do Brasil que nunca se fartou de chupar deliciosas mangas até o bagaço? Qual delas, depois disso, não ficou com as mãos, o rosto e o peito completamente lambuzados pelo suco perfumado? Qual delas, também, não teve de lutar para se livrar dos fiapos que lhe sobraram nos dentes, denunciando sua arte?

Diferentes árvores que produzem diferentes mangas, podem ser encontradas, aos montes, em chácaras e fazendas, em pomares e quintais urbanos e rurais, em pequenas e médias propriedades, além de estarem presentes em espaços públicos como parques, pragas, ruas e avenidas por todo o país.

A cidade de Belém é um exemplo eloqüente dessa abundância, tendo se tornado famosa por suas mangueiras.

Noutro extremo do país, na cidade do Rio de Janeiro, as mangueiras também eram tantas que acabaram dando o nome a um bairro, a uma parada de trem e a uma escola de samba: a "verde e rosa" Estação Primeira de Mangueira.

Se a manga é uma fruta "de verdade', de polpa carnuda, gostosa, perfumada, consistente, cheia de água e de açúcares, as mangueiras são árvores frondosas, de longuíssima duração e de frutificação abundante. Tudo isso faz com que sejam árvores muito valiosas para quem as possui.

Os frutos são lindos e também variados em seus tamanhos, formatos, sabores e cores: por fora, as mangas podem ser verdes, verdes com pintas pretas, amareladas, alaranjadas, douradas, róseas ou violáceas. Dentro da manga - envolvido por uma polpa de cor e sabor fortes, mais ou menos carnuda, mais ou menos doce, mais ou menos fibrosa, dependendo da qualidade da fruta encontra- se o caroço, grande, achatado e fibroso.

É notável a grande variação apresentada pelos frutos das mangueiras, em todo o mundo: nos livros encontram- se referências que variam entre um número de 500 e 1000 variedades existentes.

No Brasil, as mangas são também encontradas em grande diversidade: apenas entre as mais comuns e conhecidas pela população em geral, Pimentel Gomes cita e descreve 36 variedades, todas elas de fácil ocorrência.

No entanto, as variedades de mangas mais cultivadas em pomares comerciais alcançam menor número. Basicamente, são variedades obtidas após cuidadoso processo de seleção e de melhoria da fruta, tendo em vista diminuir a quantidade de fibras e de fiapos em sua polpa carnuda, e privilegiar as cores vermelhas e rosadas, mais apreciadas na frota destinada à exportação.

No Brasil, atualmente, são cultivadas as variedades Alphonso, Bourbon, Carlota, Coração de Boi, Espada, Golden Nuggets, Haden, Keitt, Kent, Rosa, Rubi, Sensation e Tommy Atkins. Algumas delas nasceram e se desenvolveram no país; outras são de origem estrangeira, especialmente provenientes dos Estados Unidos, onde produtores da região da Flórida são grandes pesquisadores da fruta.

Os principais produtores da fruta no país são os Estados de São Paulo e de Minas Gerais, que, juntos, alcançam cerca de 50 % da área planta da e 25 % do total da produção. Em seguida vêm os Estados do nordeste do país, responsáveis pela metade da produção nacional, com desta que para Bahia, Pernambuco, Piaui e Ceará.

O Brasil tem tido uma crescente participação no mercado mundial produtor de mangus, exportando boas quanti- dades para a Europa e para os Estados Unidos.

Mas o grande comércio internacional é ainda dominado pelos países da Ásia, em especial pela Índia com seu volume gigantesco de produção.

Basicamente, por suas excelentes qualidades de textura e sabor, a manga é fruta consumida in natura. Com sua polpa prepara-se, no entanto, um bom número de receitas diferentes que resultam em doces, compotas, geléias, purês, sorvetes e mousses de delicioso sabor.

Na Índia, sua terra de origem e onde tem grande importância na composição alimentar da população, a manga tem incontáveis outras utilidades: basta lembrar do famoso "chutney de mangas", acompanhamento ideal para as carnes e os grelhados da culinária indiana, que é feito com a polpa da fruta verde, cozida e temperada com especiarias e pimentas.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Manga

A manga - fruto da mangueira, árvore frondosa da família das Anacardiáceas originária do Sul da Ásia, hoje cultivada em toda os países tropicais e subtropicais- apresenta uma polpa carnosa, algumas vezes fibrosa, amarela em diversos tons, rica em terebintina, um óleo-resina, e de agradável paladar ao natural ou sob forma de compotas, marmeladas, geléias e refrescos.

Uma fruta bastante popular no Brasil e em outros países tropicais, a manga ainda é vista como uma fruta um tanto exótica em países da Europa e nos Estados Unidos.

As variedades mais comuns em nosso país são a manga-espada, a carlotinha e a manga-rosa.

A polpa macia e suculenta da manga dificulta o trabalho de descascar e comer sem fazer muita sujeira, mas o esforço compensa.

A manga pode ser consumida ao natural, em saladas de frutas ou ser utilizada como principal ingrediente em várias outras sobremesas como sorvetes e musses.

No Brasil, é muito apreciada ainda sob a forma de sucos e na Índia entra na composição de molhos que acompanham carnes.

A manga é riquíssima em vitamina A (sobretudo quando madura) e contém quantidades razoáveis de vitaminas do complexo B e vitamina C, além de alguns sais minerais, principalmente ferro. Também tem propriedades diuréticas, o que a toma aconselhável para as pessoas que tendem a reter líquidos no organismo. Como é muito rica em calorias, não deve fazer parte da dieta de quem deseja perder peso.

A manga boa para o consumo tem de ter a cor bem típica (qualquer que seja a cor, dependendo da variedade) e deve mostrar-se macia quando apertada com os dedos, mas sem que a casca se rompa pela pressão. Se tiver batidas, rachaduras ou estiver coberta com um líquido grudento, não é aconselhável o seu consumo, pois são sinais de que a fruta está passada. Por outro lado, quando está muito verde não tem sabor agradável. A manga também pode ser encontrada em calda, em forma de suco ou de purê doce.

Para conservar a manga, mantenha-a em lugar fresco e ventilado. Se estiver verde, pode-se apressar o amadurecimento envolvendo a fruta em folhas de jornal por alguns dias. A manga madura não deve ser guardada por mais de dois dias.

Para comer a manga ao natural, o melhor é descascar e cortar a fruta. Para comer a manga com a mão, lave em a casca e corte em fatias inteiras, de cada lado, bem rente ao caroço. Lave bem a fruta sob agua corrente e descasque com uma faca afiada, tomando cuidado para não cortar parte da polpa. Corte em fatias até chegar no caroço. Na parte do meio, corte a polpa bem rente ao caroço. Faça cortes no sentido do comprimento e da largura de cada fatia e dobre para fora, de tal forma que os cubos de polpa fiquem salientes. Se a manga vai ser usada em doce ou em salada de frutas, corte em fatias laterais e separe a polpa da casca com uma colher. Depois, descasque a parte central (onde ficou o caroço) e corte em pedaços pequenos.

A mangueira

A mangueira é uma árvore tropical que pertence à mesma família do cajueiro. O fruto varia muito em tamanho e cor.

As mangas menores são do tamanho de uma nêspera, enquanto as variedades maiores chegam a pesar até 2 kg. Também na forma, os diferentes tipos de manga variam muito. Há redondas, ovais, alongadas e finas, do formato de um coração ou até mesmo de um rim. Em relação à cor, podem ter casca bem verde, amarela ou vermelha, segundo a variedade. A polpa da manga é suculenta, com sabor bem característico, algumas vezes fibrosa e de cor que varia do amarelo-claro ao alaranjado-escuro.

As mais conhecidas variedades, que apresentam diferenças no tamanho, na forma , no colorido e no sabor, são as seguintes:

Manga-espada - Alongada. Achatada dos lados. Permanece verdolenga mesmo após a maturação.
Manga -rosa -
Arredonda. Lindo colorido amarelo, matizado de rosa. Tamanho variável segundo a região produtora.
Manga-bourbon -
Mais ou menos esférica. Verde-amarelada.
Manga-família-
Mais ou menos esférica. Verde- amarelada.
Manga-favo-de-mel -
Alonga. Intensa coloração amarela. Muito doce.
Manga-carlotina -
Pequena. Arredondada. Amarelo-esverdeada, com pintinhas escuras, Alto teor de vitaminas C.
Manga-coração-de-boi -
Como o nome indica, apresenta-se sob a forma de um coração.

A manga é uma fruta saborosa e nutritiva, hoje nativa em certas regiões do Brasil.

A manga é uma fruta saborosa e nutritiva, hoje nativa em certas regiões do Brasil.

Ajuda a tratar de: anemias, bronquites (asmáticas e catarrais), desnutrição, escaras, escorbuto, feridas (incluindo as bucais), gengivites, tosses, úlceras varicosas.

Melhores variedades: Haden, extrema, non-plus-ultra, carlota.

Variedades promissoras: Tommy-atkins, sensation, keitt, ruby, gouveia, pope, zill, palmer, smith, irwin, manila 1, manila 2 e haden 2 H.

Época de plantio: Início das chuvas.

Espaçamento: 10 x 10m, e o terrenos planos, e 12 x 10m em terrenos declivosos.

Mudas necessárias: 100 a 84/hectare.

Covas: 40 x 40 x 40cm.

Plantio

Evitar a quebra de torrão da muda, irrigar abundantemente a muda, que deve ser bem fixada, de modo que 5cm da superfície do torrão fique acima superfície do solo Proteger a muda contra o excesso de sol nas primeiras semanas.

Combate à erosão: Plantio, até 3t/ha de calcário domilítico.
Culturas intercalares:
Arroz, milho, feijão e soja durante a formação.
Calagem:
Incorporar, antes do plantio, até 3t/ha de calcário domilítico.

Adubação

Na cova: 15 a 20 litros de esterco de curral ; 600g a 800g de uma mistura em partes iguais de superfosfato simples e fosfato natural; 150g de cloreto de potássio
Na fase de crescimento:
150g de sulfato de amônio, no primeiro ano 150g no segundo e 200g no terceiro; parcelar em três vezes por ano a dose por planta.
Na fase de produção:
350g de amônio; 500g de superfosfato simples; 150g de cloreto de potássio por caixa de frutos escolhidos ou esperados; parcelar em duas vezes a dose anual por planta.
Tratos culturais:
Capinas mecânicas e coroação das plantas.

Combate à moléstias e pragas

Antracnose: Dithane M-45, alternado com cúprico, em pulverizações
Oídio:
Enxofre pó molhável pulverização
Seca-da-mangueira: C
ontrole cultural, com corte, retirada e queima dos galhos afetados, e queima dos galhos afetados, pulverização com DTT - 50% PM, para controle da broca vectora
Ácaro-das-inflorecência:
Enxofre pó molhável ou acaricida específico em pulverização
Moscas-das-frutas:
Esborrifar, de dez em dez dias, iscas contendo 5% de melaço + inseticida fosfatado (conforme bula) e água.

Época de colheita: Novembro a março.

Produção normal:

Planta adulta: quatro caixas tipo K (25Kg) por planta, em média.
Variedade haden: uma a duas caixas tipo K, por planta.

Observação: cultura pernanente.

Fonte: www.agrobyte.com.br/www.agrov.com

Manga

Manga
Manga

Fruto

Fruto do tipo drupa, com 5 a 20 cm de comprimento, forma alongada, ovóide ou arredondada. A casca é esverdeada, com manchas pretas, amarelas ou róseas quando madura. A polpa é carnosa, suculenta, de coloração amarela ou amarelo-alaranjada, fibrosa em algumas variedades. A semente é achatada e de tamanho variável.

Planta

Árvore de grande porte – atinge até 35 ou 40 m de altura –, com copa densa, frondosa e com raio de até 10 m. As folhas são perenes, coriáceas, de coloração avermelhada quando jovem e verde-escura posteriormente. A inflorescência é uma panícula em forma de cone. As flores são pequenas alvas, róseas ou esverdeadas.

Cultivo

Na exploração da manga no Brasil convivem sistemas extensivos, em áreas esparsas, quintais e fundos de vales em pequenas propriedades, formando bosques subespontâneos; e sistemas tecnificados, normalmente irrigados e em extensas áreas, visando a produção de variedades selecionadas para os mercados interno e externo.

Nos sistemas extensivos predominam as variedades locais do tipo ‘Bourbon’, ‘Rosa’, ‘Espada’, ‘Coqueiro’, ‘Ouro’, entre várias outras. Nos sistemas tecnificados predominam novas variedades de manga, principalmente de origem norte-americana e de comprovada aceitação pelos mercados, principalmente para consumo “in natura”.

A escolha da variedade de manga a ser plantada está relacionada às preferências do mercado consumidor; o potencial produtivo da variedade para região; as limitações fitossanitárias e de pós-colheita da variedade; e, principalmente, ao comportamento ou tendência de mercado do tipo de fruto a ser produzido. Por ser uma planta com período juvenil muito longo – iniciando a produção comercial com quatro anos de idade –, a má escolha da variedade pode significar enormes prejuízos em curto prazo.

Dentre as muitas variedades, a Tommy Atkins (de origem norte-americana) é a mais produzida e que possui a maior participação no volume comercializado de manga no mundo, devido principalmente a sua coloração intensa, produções elevadas e resistência ao transporte a longas distâncias. No entanto, variedades com melhor sabor vêm se projetando no mercado mundial, em detrimento da Tommy Atkins, como a Palmer.

Um dos principais problemas no cultivo da mangueira, para quase todas as variedades, é a irregularidade na produção, com alternância (uma safra de maior produção é seguida de uma safra de menor produção). A utilização de reguladores (hormônios) vegetais na cultura permite o atendimento mais racional da demanda, considerando-se épocas mais favoráveis do ponto de vista comercial e fitossanitário, podendo também contribuir para controlar a alternância de produção. As indústrias, principalmente, são afetadas pela inconstância na produção anual, onde se observa uma flutuação de até 150% na oferta.

No entanto, para se obter sucesso com esta prática, o produtor deverá conhecer bem a planta e os agentes internos e externos que naturalmente afetam este processo. Os produtos mais usados são os nitratos de potássio, amônio e cálcio, em concentrações que variam de 1% a 8%, dependendo da variedade e da região. Deve-se tomar cuidado, no entanto, com as dosagens em função que superdosagens, que podem causar desfolha e queima das gemas, bem como subdosagens, que promovem baixa eficiência. Em geral, os fitorreguladores são pulverizados nas plantas a partir do 4O ano de idade, entre o final da estação chuvosa e início da seca, nas horas menos quentes do dia e em ramos com aproximadamente 7 meses.

As pragas e doenças constituem fatores limitantes à cultura da mangueira. Dentre as pragas, as moscas-das-frutas são o principal problema. As larvas desses insetos sobrevivem no interior dos frutos e causam queda prematura e a inutilização destes para o comércio e indústria.

A antracnose (causada pelo fungo Colletotrichum gloeosporioides Penz.) é uma doença que causa grandes prejuízos na produção e comercialização da manga e o seu controle é importante para garantir a produtividade e manter a qualidade dos frutos.

Usos

A manga é consumida fresca ou industrializada, na forma de polpa, suco ou doce.

Mercado

A manga brasileira tem no mercado interno seu principal destino, comercializada quase que exclusivamente na forma fresca, embora também seja encontrada nas formas de compota, suco integral e polpa congelada. A polpa é empregada na elaboração de doces, geléias, sucos e néctares, além de poder ser adicionada a sorvetes, misturas de sucos, licores e outros produtos.

As folhas, bem como o tronco (madeira), são aproveitados nas indústrias farmacêutica e madeireira.

Devido à ocorrência das pragas e doenças, o exportador de manga é obrigado a realizar diversos tratamentos pós-colheita nos frutos para atender mercados específicos, como Estados Unidos e Japão. Os tratamentos oneram os custos e exigem instalações próprias (packing house) para serem realizados, aumentando substancialmente o investimento.

Pierre Vilela

Fonte: www.sebrae.com.br

Manga

A manga apresenta uma polpa carnosa, algumas vezes fibrosa, amarela em diversos tons, rica em terebintina, um óleo-resina, e de agradável paladar ao natural ou sob forma de compotas, marmeladas, geléias e refrescos.

Essa fruta, rica em vitaminas e outros elementos importantes para o nosso organismo, tem sido difamada por conta de preconceitos e tabus. Um deles é considerá-la veneno quando misturada ao leite. Isso não passa de superstição. há também uma falsa informação de que manga é uma fruta pesada e indigesta, especialmente se ingerida no desjejum ou à noite. Mas, em vez de prejudicar, têm grande importância como auxiliares dos movimentos peristálticos intestinais

As mais conhecidas variedades, que apresentam diferenças no tamanho, na forma, no colorido e no sabor, são as seguintes:

Manga-espada
Manga-rosa
Manga-bourbon
Manga-família
Manga-favo-de-mel
Manga-carlotina
Manga-coração-de-boi

A manga é uma fruta saborosa e nutritiva.

Manga
Manga

Propriedades

As vitaminas do complexo B, presentes em boa quantidade nas suculentas mangas, fazem parte das enzimas digestivas e da absorção dos nutrientes. Sua carência no organismo torna impossível a ingestão equilibrada de carboidratos e proteínas, causando falta de apetite, fadiga, apatia e transtornos no crescimento.

A manga possui, ainda, boa quantidade de um mineral bastante útil ao equilíbrio dos líquidos no corpo: o potássio.

É verdade que ela perde para o abacate, a banana, a laranja e o mamão em potássio. Mas sua quantidade na manga é muito significativa. Nesse particular, recentes pesquisas sugerem que o potássio pode ter ação anticancerígena. Fósforo, magnésio e ferro, em menores quantidades, também estão presentes nessa fruta deliciosa. Eles entram na composição dos músculos, sangue, ossos, dentes e hormônios.

O principal valor da manga está em seu alto teor vitamínico, principalmente de vitaminas A e C, variando, no caso da C, conforme a qualidade da manga. A rosa, por exemplo, é a que possui a mais elevada quota. Da vitamina A, cuja matéria-prima é o betacaroteno, se sabe atualmente que é o melhor comabatente dos radicais livres. Os radicais livres são considerados a ferrugem do corpo, provocando envelhecimento precoce. Devido ao alto teor de vitamina A, a manga é um execelente antioxidante do organismo.

Além das vitaminas A e C, a manga possui as vitaminas B1, B2 e B5. Contém ainda fósforo, cálcio, ferro, proteínas, gorduras e hidratos de carbono. Seu uso é recomendado em casos de bronquite e escorbuto, sendo depurativa do sangue.

Uso Medicinal

A manga é bastante usada na medicina doméstica.
Combate as bronquites mais rebeldes, tem propriedades antiescorbúticas, é depurativa do sangue e favorece a diurese.
Como expectorante, a manga é indicada contra as enfermidades das vias respiratórias, como catarros, tosse, bronquite, etc. Nestes casos, usa-se preferivelmente em forma de xarope, com mel de abelhas.
A resina que se forma sobre os galhos também exerce ação depurativa.
O suco que sai dos ramos é usado com antidiarréico.
As folhas novas são tidas como antiasmáticas. Em decocção, dão um excelente peitoral, que se usa contra a bronquite. Bebe-se com mel de abelhas.
Para curar a inflamação das gengivas, enxágua-se a boca com o decoto das folhas.
Com os brotos dos ramos se prepara um bom vermífugo.
Usa-se exteriormente o decoto das folhas, em fomentações ou fricções, contra qualquer tipo de contusão.
A amêndoa do caroço contém propriedades vermífugas.
A casca do tronco é usada, em decocção, contra as afecções febris. Tomam-se duas xícaras por dia.

Valor Alimentício

A julgar por suas qualidades nutritivas, a manga deveria ocupar um dos primeiros lugares na ordem de importância entre as numerosas espécies de frutas existentes.

O principal valor desta fruta está na sua riqueza em vitaminas A e C. Seu conteúdo em vitamina C varia segundo o tipo de manga.

A manga-rosa é a que possui mais alta quota.

A farinha obtida a partir do amido dos caroços da manga é empregada no preparo de rações para animais.

A manga é, pois, tanto por seu agradável sabor como por seu valor nutritivo, uma fruta que se recomenda a todos, quer ao natural, quer em refrescos.

Manga
Manga

Resumo das Utilidades Medicinais

Anemia: A manga pode ser incluída na dieta dos anêmicos, junto com alimentos que contenham ferro.
Asma:
Chá das folhas tenras da mangueira. Tomar morno, com mel.
Bronquite:
Proceder como indicado em respiratórias, doenças das vias.
Catarro nas vias respiratórias:
Proceder como indicado em respiratórias, doenças das vias.
Contusões:
Aplicar fomentações locais com o decoto das folhas.
Coqueluche:
Ver tosse.
Diarréia:
Tomar o chá dos ramos tenros.
Distúrbios da Digestão / Dispepsia:
Fazer uma ou mais refeições só de manga.
Diurese:
Comer mangas ou tomar o suco.
Escorbuto:
Recomenda-se comer mangas.
Estômago, doenças do:
Comer manga de manhã, como primeira refeição, sem misturar com outros alimentos.
Febre:
Tomar duas xícaras ao dia do decoto da casca do tronco.
Gastrintestinais, doenças:
Proceder como indicado em estômago.
Gengivite:
Bochechar com o decoto das folhas tenras de mangueira.
Respiratórias, doenças das vias: Xarope de manga:
cozinhar o suco natural de manga com mel, até ficar reduzido à metade. Tomar uma colher de sopa de hora em hora.
Sarna:
Cataplasmas com a gora-resina que se extrai do tronco.
Tosse:
Proceder como indicado em respiratórias, doenças das vias. Tomar suco morno de manga adoçado com mel.
Tuberculose:
A manga, bem como seu suco, podem ser vantajosamente incluídos na dieta de tuberculosos.
Verminoses:
Preparar um decoto dos brotos dos ramos e da amêndoa das sementes, bem triturados, e tomar, em jejum, na dose de uma xícara de chá, juntamente com suco de limão.

A Manga

Árvores de até 30 metros, copa frondosa, de folhas inteiras e lanceoladas.
Flores pequenas, de cor esverdeada, hermafroditas ou unissexuais por aborto, reunidas em inflorescências.
Fruto tipo drupa, de formato subcordiforme, polpa carnosa, comestível, amarela ou vermelha.
Cultivo, cruzamentos, enxertos, e diferentes condições climáticas têm resultado numa extraordinária variedade de mangas, tais como Tommy Atkins, Haden, Van Dyke, Keitt, entre outras.
Em Belém do Pará as mangueiras são utilizadas na arborização urbana, por isso, a cidade vem sendo chamada "a cidade das mangueiras".

Quantidade por Porção % VD (*)
Valor Energético 39,5 Kcal = 166 Kj 2
Carboidratos 2,7 g 1
Proteínas 2,7 g 4
Gorduras Totais 2,0 g 4
Gorduras Satur. 0,0 g 0
Gorduras Trans. 0,0 g 0
Fibra Alimentar nd 0
Cálcio 14,1 mg 1
Ferro 0,5 mg 4
Sódio nd 0
Fósforo 11,4 mg 2
Vitamina A 140,7 g 23
Vitamina B1 0,0268 mg 2
Vitamina B2 0,0268 mg 2
Niacina 0,335 mg 2
Vitamina C 28,81 mg 64
Valores Diários com base em uma dieta de 2.500 Kcal ou 8.400 Kj seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
*ND = Não Disponivel

Fonte: www.portalnatural.com.br/www.polifruta.com.br

Manga

Manga
Manga

As mangas variam muito de tamanho, cor e forma, mas quase todas apresentam polpa suculenta e sabor definido.

É excelente fonte de vitamina A e C e apresenta quantidades razoáveis de vitaminas do Complexo B e sais minerais como Cálcio e Fósforo.

A vitamina A é indispensável à boa visão, auxilia também no crescimento e conserva a saúde da pele. A vitamina C age contra infecções, evita a fragilidade dos ossos e má formação dos dentes; as vitaminas do Complexo B protegem a pele e evitam a queda dos cabelos e; os sais minerais, contribuem para a formação dos ossos e dentes.

Esta fruta é um excelente purificador do sangue e bom diurético, além de promover a regularidade intestinal.

Nas enfermidades das vias respiratórias, como catarros, tosse e bronquite, atua como um ótimo expectorante, preparado, de preferência, como xarope com mel. Comendo na parte da manhã, combate a acidez e outras doenças do estômago.

Mangas amassadas ou que apresentam rachaduras devem ser evitadas, da mesma forma, se estiverem cobertas com excesso de líquido melado, o que indica que a fruta está passada.

Para conservar esta fruta mantenha-a em lugar ventilado. Se estiver verde, pode-se apressar seu amadurecimento deixando-a por alguns dias embrulhada em jornal.

Seu período é de novembro a janeiro.

Fonte: www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br

Manga

Manga
Manga

A mangueira, originária da Índia, é uma árvore tropical que pertence à mesma família do cajueiro.

O fruto varia muito em tamanho e cor.

As mangas menores são do tamanho de uma nêspera, enquanto as variedades maiores chegam a pesar até 2 kg. Também na forma, os diferentes tipos de manga variam muito. Há redondas, ovais, alongadas e finas, do formato de um coração e até mesmo de um rim. Em relação à cor, podem ter casca bem verde, amarela ou vermelha, segundo a variedade. A polpa da manga é suculenta, com sabor bem característico, algumas vezes fibrosa e de cor que varia do amarelo-claro ao alaranjado-escuro.

A manga pode ser consumida ao natural, chupando-se através de um pequeno orifício aberto numa das pontas, ou descascando-se e cortando-se em pedaços. Na cozinha, usa-se a manga em molhos, conservas ou como acompanhamento de pratos exóticos.

A manga é riquíssima em vitamina A (sobretudo quando madura) e contém quantidades razoáveis de vitminas do complexo B e vitamina C, além de alguns sais minerais, principalmente ferro. Também tem propriedades diuréticas, o que a torna aconselhável para as pessoas que tendem a reter líquidos no organismo. Como é muito rica em calorias, não deve fazer parte da dieta de quem deseja perder peso.

A manga boa para o consumo tem de ter a cor bem típica (qualquer que seja a cor, dependendo da variedade) e deve mostrar-se macia quando apertada com os dedos, mas sem que a casca se rompa pela pressão. Se tiver batidas, rachaduras ou estiver coberta com um líquido grudento, não é aconselhável o seu consumo, pois são sinais de que a fruta está passada. Por outro lado, quando está muito verde não tem sabor agradável. Também pode ser encontrada em calda, em forma de suco ou de purê doce.

Para conservar a manga, mantenha-a em lugar fresco e ventilado. Se estiver verde, pode-se apressar o amadurecimento envolvendo a fruta em folhas de jornal por alguns dias. A manga madura não deve ser guardada por mais de dois dias.

Propriedades da manga

A fruta, apesar de conter açúcar, ajuda a emagrecer por diminuir a absorção de amido e dar sensação de estômago cheio. Ela também combate bactérias que causam a diarréia.

O brasileiro está sempre procurando uma saída para se livrar das gordurinhas e, acima de tudo, estar bem de saúde. A manga, uma das frutas mais tradicionais do Brasil, é uma ótima opção para os que procuram perder peso. “A manga tem muita fibra e absorve facilmente a gordura”.

A relação da fruta com a estação gerou a idéia de que a manga é boa para as doenças comuns no verão. Porém, estudos mostram que não se trata apenas de associação popular. Um chá preparado com o fruto e sua semente tem uma forte ação antidiarreica, acredita-se que esta ação se deve à grande quantidade de derivados polifenólicos, (substâncias antioxidantes que evitam que nossas células enferrujem), do ácido gálico e da pectina (substância extraída de frutos e raízes vegetais)”.

A presença de lectinas, uma mistura de proteína com açúcares. Essas lectinas neutralizam bactérias patogênicas (que causam doenças) e protozoários, como yersinia, brucella, salmonella, echerichia coli e ameba, responsáveis por quadros de diarréia.

Como se não bastassem todos esses benefícios, a manga baixa a glicose e o colesterol no sangue. Parte desse efeito ocorre porque as fibras da fruta atuam como uma esponja, carregando para as fezes parte das gorduras e açúcares ingeridos. Sua polpa inibe a digestão do amido, o que contribui para reduzir a absorção de açúcares. O resultado dessas ações é que, durante um regime, é bom comer uma manga nas saladas verdes e de sobremesa. É muito importante resgatar a manga como uma fruta que ajuda emagrecer. Existe um mito de que ela é pesada, mas como atua como uma esponja, dá a sensação de estar mais do que satisfeito quando, na verdade, ajuda na digestão.

Suas folhas e cascas apresentam muitas propriedades. A manga possui complexo antioxidante, que protege a pele contra o sol, o fígado contra toxinas e o cérebro contra os radicais livres (moléculas altamente reativas). Essas substâncias são responsáveis pelas propriedades antiinflamatórias, analgésicas, bloqueadoras do vírus do herpes e dilatadora dos brônquios. Porém, ainda não foram definidos de que forma essas partes devem ser utilizadas.

Fonte: br.geocities.com

Manga

Manga
Manga

Fruto tropical, muito popular nos Países tropicais e na maioria dos Países da Europa. No Brasil as variedades mais comuns são a manga-espada, carlotinha e a manga rosa.

Originária do Sul da Ásia, a manga dispersou-se por todos os continentes, sendo cultivada, atualmente, em todos os países de clima tropical e subtropical.

A manga destaca-se como uma fruta de alto valor comercial em muitas regiões do mundo, principalmente as regiões tropicais.A manga pode ser consumida de diversas formas, a principal delas in natura, ou transformada em diferentes produtos, como geléias, gelatinas e polpa da fruta congelada.

Curiosidade

No interior do Brasil, durante muitos anos, acreditava-se que comer manga e beber leite ao mesmo tempo era ruim para a saúde. Essa crendice teve início ao ser divulgada por Senhores de escravos, na época da colonização, que buscavam impedir o roubo de leite, produto muito raro, por escravos que não conseguiam resistir aos encantos e à abundância das tentadoras mangas. Há em todo mundo cerca de 500 variedades de manga, distintas na forma, na coloração, no sabor e na produtividade.

No Brasil são comercializadas em torno de 30 tipos de manga. Seu alto conteúdo em vitamina A , faz da manga, um excelente antioxidante, livrando o organismo dos radicais livres, considerados a ferrugem do corpo e responsáveis pelo envelhecimento precoce e aparecimento dos cânceres. O xarope manga e mel , na medicina caseira, é bom para ajudar na melhora das doenças das vias respiratórias, como expectorante. Tem propriedades diuréticas, o que a torna aconselhável para as pessoas que tendem a reter líquidos no organismo.

A polpa macia e suculenta da manga dificulta o trabalho de descascar. Como todas as frutas alaranjadas, as mangas são ricas em betacaroteno, que o corpo transforma em vitamina A.

Meses de produção: Agosto, Setembro, Outubro, Novembro e Dezembro.

Valor nutricional

Como outras frutas alaranjadas, as mangas são muito ricas em beta-caroteno, que o corpo transforma em vitamina A. Uma manga de tamanho médio (500 g) tem 135 calorias e fornece quase o dobro da RDA (Ingestão Dietética Recomendada) de vitamina A para o adulto e quase 100% da RDA de vitamina C. A manga é uma boa fonte de vitamina E, potássio e ferro; ela também é rica em pectina, uma fibra solúvel importante no controle do colesterol no sangue.

Existem centenas de variedades de manga. Algumas pesam alguns poucos gramas, enquantam outras chegam a mais de 6 kg. Porém, as mais comuns variam de 500 a 600 g. As que são mais facilmente encontradas no Brasil são a manga-espada, a carlotinha e a manga-rosa.

A manga geralmente é colhida e transportada ainda um pouco verde, mas a casca, no momento da colheita, deve estar um pouco amarelada, tornando-se mais alaranjada ou avermelhada conforme o amadurecimento da fruta.

A casca deve estar alaranjada ou avermelhada e deve ceder ao ser pressionada. Manchas escuras grandes significam que a polpa está machucada. Se a casca estiver completamente verde, a polpa poderá não amadurecer. Quando ela passa do ponto fica com a casca enrugada. Um cheiro doce característico indica que a manga está madura.

Se você colocar a manga verde dentro de um saco de papel em um local fresco, ela amadurece em 2 ou 3 dias. Não coloque diretamente sob o sol, porque pode comprometer o sabor. A manga madura deverá ser consumida o quanto antes, mas dura 2 ou 3 dias na geladeira.

Valores nutricionais de 100 g:

Calorias: 60,3
Hidratos de carbono (g): 15,3
Fibra (g): 1,5
Potássio (mg): 190
Magnésio (mg): 18
Vitamina C (mg): 30
Ácido fólico (mcg): 31
Provitamina A (mcg): 478

Algumas utilizações: Simples ao natural, salada de fruta, doce, sorvete, compota, creme, flamejadas, acompanhamento de pratos de carne, licor, sumo.

Propriedades Nutricionais: Encontra-se na manga um bom teor de carboidratos, Betacaroteno (provitamina A), Vitamina C, Vitaminas do Complexo B, Ferro, Fósforo, Cálcio, Potássio, Magnésio e Zinco.

Propriedades Medicinais: A manga ajuda a purificar o sangue e um bom diurético. Pura ou em sucos combate a bronquite, tem efeito expectorante e combate a acidez estomacal.

Valor Calórico: 100 gramas de manga fornecem, em média, 64,3 calorias.

Como Comprar

A manga boa para consumo deve estar macia quando apertada com os dedos, mas sem que a casca se rompa pela pressão. Não deve apresentar batidas, rachaduras ou estar melada.

Como Armazenar

Para conservá-la, basta mantê-la em lugar fresco e ventilado ou despolpe-a e congele.

Como Preparar

A manga é uma das frutas tropicais mais procuradas do mundo. Consumida ao natural, pode, contudo ser transformada em polpa simples, suco, refresco, sorvete, doce (pasta ou compota ) , picles e até chutney.

Fonte: bp.blogspot.com/www.hortifruti.com.br

Manga

Manga
Manga

Um dia, Buda manifestou o desejo de acolher-se a um bosque onde meditar em paz e em harmonia com a natureza. Deram-lhe um pomar com dez mil mangueiras. Tantas eram, na Índia, naquele tempo. E tanto o povo hindu considerava a árvore e a fruta. Porque é sombra farta e ventilada pela copa de mais de dez metros de altura; é delícia de fruto sumarento, oloroso, revigorante; é remédio contra as cólicas, as tosses, a bronquite.

Daí, em face de tantas mercês, o português trouxe a manga para o Brasil. Ela se fez dona da casa, pompeando a copa larga, os cinco e mais metros de circunferência do tronco, a fartura dos frutos amarelo-tentação.

Contam-se cerca de quinhentas variedades, espalhadas por quintais, praças, pomares, ruas, desde o Paraná ao extremo norte, que é a região onde a manga atinge o máximo em brilho na coloração, em aroma e sabor. Aqui e ali, por toda parte industrializada ou consumida ao natural - nas lambuzadas de cara inteira que são marca nacional da apreciação do fruto -, a manga vai confirmando o nome que lhe deram em sânscrito - amra, aquele que serve as criaturas.

Quem não recitou ou ouviu recitar, fazendo coro com o mavioso Gonçalves Dias: "Já viste coisa mais bela/Do que uma bela mangueira,/E a doce fruta amarela,/Sorrindo entre as folhas dela,/E a leve copa altaneira?".

A CULTURA DA MANGA

A manga é uma das frutas mais procuradas no mundo. A procura tem aumentado bastante nos mercados interno e externo, alcançando preços compensadores. Mas para que se tenha êxito na sua cultura é preciso adotar práticas de cultivo adequadas, de modo que o produto atenda às exigências do mercado consumidor. É essencial que a fruta tenha boa qualidade e custo de sua produção seja competitivo.

CLIMA

A mangueira de adapta bem em áreas onde as estações seca e chuvosa se apresentem bem definidas. O período seco deve ocorrer bem antes do florescimento, de modo a permitir à planta um período de repouso vegetativo, e prolongar-se até a frutificação para evitar os danos causados pela antracnose e o oídio. Após a frutificação, é benéfica a ocorrência de chuva, pois estimula o desenvolvimento dos frutos e impede sua queda.

Quando se pode contar com um sistema de irrigação (regiões semi-áridas) o plantio da mangueira pode ser feito em qualquer época do ano. Quando não se dispõe dele, realiza-se o plantio no período das águas.

SOLO

A mangueira vegeta tanto em solos arenosos quanto nos argilosos. Solos de baixadas, sujeitos a encharcamento, e os pedregosos, devem ser evitados. As áreas que permitem a mecanização são especialmente indicados. O espaçamento é o de 10m entre ruas por 10m entre plantas.

Outros espaçamentos podem ser usados, conforme as condições do solo e do manejo da cultura: 9 x 9m, 9 x 6m, 10 x 8m, 8 x 8m, 8 x 5m, 6 x 6m, 5 x 5m.

CULTIVARES

As cultivares mais indicadas são as que aliam a alta produtividade a qualidades como a coloração atraente do fruto, bom sabor, pouca fibra, etc.

Tommy Atkins: Frutos médios a grandes, de 400 a 700g, cor amarela a vermelha, superfície lisa, casca grossa e resistente. De excelente sabor, doce e pouca fibra. Relativamente resistente a antracnose.
Haden:
Frutos médios a grandes, 400 a 600g, cor amarelo-rosada; polpa sucosa, sem fibras, doce e de cor laranja-amarelada. Semente pequena. Além de vegetar muito, é considerada alternante e suscetível à antracnose e a seca da mangueira.
Keitt:
Frutos grandes, 600 a 900g, cor amarelo-esverdeada com laivos fracos avermelhados; polpa amarelo intenso, sem fibras, sucosa; semente pequena; planta muito produtiva, com hábito de crescimento típico, com ramos longos e abertos.
Kent:
Frutos grandes, 600 a 750g, ovalados, de casca verde-claro-amarelada, tornando-se avermelhada, quando madura, e de maturação tardia; polpa amarelo-alaranjada, doce, sem fibra. Árvore vigorosa e produtiva.
Van Dyke:
Frutos médios, 300 a 400g, cor amarela com laivos vermelhos; polpa firme e resistente ao transporte; sabor agradável, muito doce. Semente pequena, planta muito produtiva.
Surpresa:
Frutos médios a grandes, 400 a 600g, cor amarelo intenso; polpa amarela, firme, sucosa, muito doce, sabor agradável e sem fibra. Semente pequena, planta muito produtiva, relativamente resistente à antracnose.

Variedades de Manga

MANGA BOURBON

A BOURBON é uma variedade tradicional, muito antiga, de sementes poliembriônicas foi multiplicada através de sementes por todo o Brasil. Cor verde amarelada, ótimo sabor, muito suscetível a todas as doenças, malformação, oídio, antracnose e seca-da-mangueira. Tem variabilidade na população. Alguns clones produzem fora de época.

MANGA ESPADA STAHL

A ESPADA STAHL é uma seleção dentro da variedade Espada feita pelo Senhor Lúcio Stahl, em Engenheiro Coelho, SP. É mais precoce que a Tommy Atkins, frutos médios (400 gs), altamente produtiva, com pouca antracnose e mosca-das-frutas. Alto benefício/custo.

MANGA ROSA

A manga ROSA, também denominada Rosa da Bahia ou Rosa de Pernambuco, é uma variedade brasileira tradicional, muito precoce sendo colhida antes da Tommy Atkins, com muito aroma e bom sabor. É totalmente resistente à Fusariose (mal-formação).

MANGA COQUINHO

Manga
Manga Coquinho

A variedade COQUINHO é uma das poliembriônicas mais antigas. É muito produtiva, utilizada para suco, tem aceitação no mercado como manga de mesa e é um dos melhores e mais utilizados porta-enxertos no Brasil, embora seja muito suscetível ao fungo Ceratocystis fimbriata causador da Seca-da-mangueira.

MANGA COITÊ

Manga
Manga Coitê

A variedade COITÊ é uma variedade tradicional brasileira, poliembriônica, terebentinosa, muito cultivada no Estado do Ceará. Tem habilidade para produzir naturalmente o ano todo. Manga grande com 600 gs tem dentro da população uma grande variabilidade existindo também uma variação com frutos pequenos.

MANGA MANILA ( CARABAO )

Manga
Manga Manila ( Carabao )

Manga
Manga Manila ( Carabao )

A variedade MANILA ( CARABAO ), é uma poliembriônica, originária das Filipinas e é a principal variedade cultivada no México para o mercado interno. Do México foi trazida para o Brasil pelo Dr. Edgar dos Santos Normanha, pesquisador do IAC e devidamente introduzida pelos pesquisadores Nilberto Bernardo Soares e Raul Soares Moreira da Seção de Frutas Tropicais e Emílio Bruno Germeck da Seção de Introdução.

MANGA UBÁ

A UBÁ é variedade brasileira originada da cidade de Ubá, MG. Semente poliembriônica, ciclo semi-tardio, sabor excepcional, muito produtiva mas não regular.

É a principal variedade para produção de suco no Brasil.

MANGA OURINHO

A OURINHO é cultivar brasileira com semente poliembriônica, rústica, frutos pequenos (70 a 100gs), bom sabor, ciclo tardio, boa prateleira.Tem bom nicho de mercado na cidade de São Paulo.Em geral é colhida no chão, debaixo da árvore. É muito suscetível à mal-formação (Fusariose).

MANGA HADEN

A HADEN é filha da Mulgoba, selecionada na Flórida em 1.910, sendo portanto uma variedade quase centenária. Foi introduzida no Brasil em 1931. É padrão de beleza. Muito suscetível às pragas, doenças, excesso de calor, deficiência de Boro e frio no florescimento.

MANGA TOMMY ATKINS

A TOMMY ATKINS é filha da Haden com pai desconhecido. Foi selecionada na Flórida na década de 40 e introduzida no Brasil na década de 60. Substituiu a Haden, a Coração-de-boi e a Bourbon. É a variedade mais cultivada do Brasil e a principal manga de exportação em todo o mundo.

MANGA PALMER

A PALMER, de pais desconhecidos, foi selecionada em Miami, Flórida, EUA e descrita em 1949. Foi introduzida no Brasil na década de 60 e se adaptou muito bem, tornando-se junto com a Tommy Atkins uma variedade dominante. Na foto acima os frutos estão verdes.

MANGA KEITT

A KEITT é filha da Haden (irmã de Tommy Atkins) plantada em 1939 em Homestead, Flórida e foi introduzida no Brasil na década de 60, junto com a Palmer, Van Dyke, Irwin, Rubi e outras americanas. É a variedade mais tardia. É manga grande, mas o clone denominado de Keitt pequena tem tamanho normal e as frutas são mais coloridas.

MANGA KENT

A KENT é filha da Brooks descrita em 1.945 na Flórida, EUA. Introduzida na década de 60. É de ciclo semi-tardio (igual a Palmer). Frutos grandes (400 – 600 gs). É uma das preferidas pelo mercado Francês. Na foto acima os frutos estão verdes.

MANGA MALLIKA

A MALLIKA é derivada do cruzamento Neelum x Dashehari feito em 1.972 pelo Instituto Indiano de Pesquisa Agrícola e introduzida no Brasil pela EMBRAPA Cerrados em 1.980. É monoembriônica, ciclo semi-tardio (=Palmer), muito suscetível à oídio, frutos de tamanho médio (450 gs), cor amarela, ótimo sabor, boa prateleira, planta de porte baixo.

MANGA SURPRESA

A SURPRESA é uma seleção da EMBRAPA Cruz das Almas, BA, embora seja provavelmente uma cultivar americana (DUNCAN). Amarela, monoembriônica, tamanho médio (400 gs), bom sabor, sem fibra, boa de prateleira, produtiva, resistente à antracnose, tolerante a oídio, ciclo entre Tommy Atkins e Palmer. Sua principal limitação é a alta suscetibilidade à malformação (Fusariose).

MANGA ALFA

A ALFA é uma variedade brasileira obtida pela EMBRAPA Cerrados resultante do cruzamento Mallika x Van Dyke. É a mais resistente à antracnose, com bom comportamento em Votuporanga, no Estado de São Paulo, rústica, produtiva, com boas qualidades dos frutos (435 g), visual atrativo, bom sabor, boa de prateleira e mesmo ciclo da Tommy Atkins.

MANGA ROXA

Manga
Manga Roxa

A cultivar ROXA foi obtida pela Embrapa Cerrados, do cruzamento entre as cultivares Amrapali e Tommy Atkins. É monoembriônica, produtiva, tamanho médio (300 gs) frutos com polpa adocicada, Brix 20% e acidez baixa 0,12%, com relação Brix/acidez alta (160). É tão doce que torna-se alvo predileto de pássaros e vespas. Apresentou todavia podridão e amolecimento interno da polpa nas condições de Votuporanga – SP, inviabilizando sua recomendação para o cultivo em São Paulo.

MANGA NATALINA

Manga
Manga Natalina

A cultivar NATALINA é um híbrido novo, monoembriônico, lançado pela UNESP Jaboticabal, selecionada em 1999. É tolerante a oídio, tem boa produtividade, sabor e aparência dos frutos. Ciclo normal (=Tommy Atkins). Tem variação grande no tamanho dos frutos de 165 gs (a esquerda) a 360 gs (a direita).

MANGA CORAÇÃO DE BOI STEIN

Manga
Manga Coração de Boi Stein

A CORAÇÃO DE BOI STEIN é uma variedade brasileira selecionada pelo viveirista José Paulo Stein, de pé franco, de pais desconhecidos, no município de Limeira, SP. É semi tardia, poliembriônica , produtiva, frutos grandes (600 gs). Brix 14,6, acidez 0,17 e relação brix/acidez 85,9. Muito rica em vitamina C

MANGA BOURBON VERMELHA

A BOURBON VERMELHAé uma variedade brasileira selecionada pelo senhor José Paulo Stein, de Limeira, SP. Seu nome é cosmético sendo a sua origem desconhecida. Resistente à antracnose, ótimo sabor, pode ser comida com casca, ciclo semi-tardio. A penca precisa dse desbaste e os frutos são frágeis.

Carlos Jorge Rossetto

Fonte: www.todafruta.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal